IFE
09/11/2023

IFE Tecnologia Exponencial 156

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
09/11/2023

IFE nº 156

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tecnologia Exponencial 156

Transição Energética e ESG

Brasil: Presidente Lula viaja aos EAU para promover energia verde

Durante a reunião ministerial sobre Infraestrutura, Lula anunciou que visitará os Emirados Árabes Unidos (EAU) e possivelmente o Catar e a Arábia Saudita para promover a energia verde, acompanhado pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Ele expressou a intenção do Brasil de ser um modelo mundial em questões climáticas e energéticas, especialmente em energia renovável. Lula destacou que, apesar dos subsídios de outros países para a energia verde, o Brasil tem todas as condições para liderar esse mercado, citando a generosidade da natureza com o país. (Valor Econômico - 03.11.2023) 
Link Externo

COP28: Foco na eliminação dos combustíveis fósseis

A COP28, que ocorrerá nos Emirados Árabes Unidos, enfrenta o desafio de lidar com a questão dos combustíveis fósseis, com especialistas pedindo um foco maior na eliminação desses combustíveis. A conferência também discutirá o Fundo de Perdas e Danos, destinado principalmente aos países mais vulneráveis, e o Global Stock Take (GST), um balanço global que fornecerá parâmetros para os próximos compromissos climáticos dos países. Além disso, a questão do financiamento climático será um ponto importante, com países em desenvolvimento pedindo que os países ricos cumpram a promessa de fornecer US$ 100 bilhões por ano a partir de 2020 para ajudar na transição para uma economia de baixo carbono. (Valor Econômico - 07.11.2023)
Link Externo

COP28, IRENA e Global Renewables Alliance: Relatório visando acelerar a transição energética

A Presidência da COP28, a Agência Internacional de Energias Renováveis (IRENA, na sigla em inglês) e a Aliança Global de Energias Renováveis (GRA, na sigla em inglês) lançaram um relatório conjunto à margem da cúpula climática intitulado "Triplicando a energia renovável e duplicando a eficiência energética até 2030: passos cruciais em direção a 1,5ºC". O relatório fornece recomendações políticas viáveis para os governos e o setor privado sobre como aumentar a capacidade global de energia renovável para pelo menos 11.000 GW, ao mesmo tempo que duplica as médias anuais de eficiência energética no período alvo. Isto enquadra-se no objetivo da Agenda de Ação da Presidência da COP28 de acelerar a transição energética justa e ordenada para manter a meta de 1,5°C ao alcance. (IRENA – 30.10.2023)
Link Externo

Reino Unido e Alemanha: Parceria envolvendo energias renováveis

Os governos do Reino Unido e da Alemanha acordaram uma nova parceria para ajudar a garantir energia segura, acessível e limpa para os consumidores de ambos os países. No âmbito da nova parceria assinada pela Secretária de Segurança Energética do Reino Unido, Claire Coutinho, e pelo Vice-Chanceler alemão, Robert Habeck, o Reino Unido e a Alemanha reafirmaram a sua ambição e compromisso partilhados com a neutralidade de carbono e com o progresso da transição energética. As duas maiores economias da Europa também duplicaram os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris para limitar o aquecimento global a 1,5ºC. (Renews.Biz – 03.11.2023)
Link Externo

China: Crescimento das energias renováveis e do carvão

A China está avançando rapidamente na implantação de energias renováveis, já tendo instalado quase a mesma quantidade de painéis solares e turbinas eólicas que o resto do mundo combinado. O país está no caminho para alcançar suas metas de energia limpa seis anos antes do previsto, com planos de usar energias renováveis para atender à maioria de suas necessidades de eletricidade. No entanto, a China também está construindo novas usinas a carvão em um ritmo que supera o restante do mundo, levando a preocupações, especialmente nos Estados Unidos, durante negociações climáticas críticas. A China é responsável por um terço das emissões globais relacionadas à energia, tornando suas decisões vitais para a luta contra as mudanças climáticas. (O Estadão - 31.10.2023)
Link Externo

Statkraft: Crescimento das energias renováveis continua forte apesar das turbulências geopolíticas

De acordo com a Statkraft, o crescimento das energias renováveis continua forte e não irá parar ou reverter, apesar do aumento da agitação geopolítica. A empresa publicou o seu relatório anual "Low -Emissions Scenario", que analisa os impulsionadores e os impactos da transição energética global até 2050. O cenário pressupõe que os mercados, as políticas e o desenvolvimento tecnológico continuam a impulsionar a transição para energias limpas a nível mundial. As emissões relacionadas com o setor de energia no relatório são consistentes com as trajetórias de emissão que limitam o aquecimento global a pouco menos de 2°C. A energia solar destaca-se como pioneira global no cenário traçado pela agência. (Renews.Biz – 31.10.2023)
Link Externo

RenewableUK Cymru: País de Gales necessita de uma estratégia para energias renováveis

A RenewableUK Cymru pediu planos claros para desenvolver o pipeline de projetos de energia renovável do País de Gales. De acordo com o novo relatório do grupo, a energia eólica tem potencial para gerar 9.000 MW de energia durante a próxima década, mas apenas se um ambicioso plano de entrega com ações facilitadoras for implementado agora. O governo galês estabeleceu uma meta para que toda a procura de eletricidade no país seja satisfeita a partir de fontes renováveis até 2035. O relatório revela que, embora haja um número significativo de projetos em preparação, mais de três quartos desta capacidade ainda não foi construída e mais de metade está nas fases iniciais de desenvolvimento e ainda não entrou no sistema de planejamento do país. (Renews.Biz – 06.11.2023)
Link Externo

BBF: Brasil pode ser referência global em diesel verde e produção de SAF

O óleo de palma, também conhecido como óleo de dendê, é a matéria-prima com maior eficiência para o desenvolvimento dos biocombustíveis de segunda geração, de acordo com o CEO do Grupo BBF (Brasil BioFuels), Milton Steagall. O executivo diz que apesar de o Brasil ter uma participação global ainda tímida na produção de óleo de palma, ocupando atualmente a décima colocação do ranking de maiores produtores, o país tem um imenso potencial para o cultivo sustentável da palma e a oportunidade de ser referência na produção dos biocombustíveis de segunda geração, como o combustível sustentável de aviação (SAF, na sigla em inglês) e o diesel verde: “O Brasil possui uma participação ainda tímida no mercado da palma. Mas a palma tem muitas virtudes. Uma das mais relevantes do ponto de vista socioeconômico é que o seu cultivo não pode ser mecanizado, o que gera milhares de empregos e renda para a população das localidades onde é inserida”, diz o CEO. (Petronoticias – 31.10.2023)
Link Externo

Bain & Company: Biocombustíveis devem desempenhar papel relevante na transição energética

Um estudo da Bain & Company sobre o setor de energias renováveis mostra que os biocombustíveis devem desempenhar um papel relevante na transição energética global. A produção de combustíveis a partir de cana de açúcar, soja, gordura animal, novas culturas energéticas e resíduos têm um grande potencial para se tornar, ao lado das baterias e do hidrogênio, uma das melhores alternativas para adoção de fontes renováveis de energia para o setor de transportes. Segundo o estudo, esse mercado deve crescer cinco vezes até 2050, impulsionado pelo consumo de diesel renovável e SAF, com aumento progressivo da demanda, principalmente nos Estados Unidos e na União Europeia. O levantamento mostrou que isso também tem contribuído para que outros países comecem a caminhar nesta direção, como o Brasil. Segundo a Bain, há uma aceleração nos investimentos no país, o que vem provocando uma corrida por parcerias e joint ventures, fenômeno observado de forma mais acelerada em mercados mais desenvolvidos, como os Estados Unidos. (CanalEnergia - 03.11.2023)
Link Externo

Instituto Elcano: Descarbonização no mundo não pode ser feita sem América Latina

Em tempos de transição energética nos holofotes, não é possível pensar em fazer uma descarbonização da economia global sem ter a América Latina sentada à mesa, avalia o presidente e economista em Madri do Real Instituto Elcano, Jose Juan Ruiz. A região tem a matriz energética mais limpa do planeta, além de ter a floresta Amazônica e passou por transformações econômicas importantes nos últimos anos, disse em apresentação durante conferência internacional do Santander. Palco de várias crises mundiais no passado, como nos anos 80, a América Latina era responsável por seis de cada dez crises globais, em episódios de hiperinflação, calotes soberanos e maxidesvalorização de moedas, ressaltou o economista. (Broadcast Energia - 01.11.2023)
Link Externo

Geração Distribuída

ABSOLAR: Revogação de ex-tarifários coloca em risco R$ 97 bilhões em investimento

A ABSOLAR informou que protocolou duas solicitações na CAMEX – uma endereçada ao Governo Federal e outra ao Mercosul – para manter a isenção de imposto de importação para módulos bifaciais e monofaciais. O regime de ex-tarifário, basicamente, consiste em um mecanismo de redução temporária da alíquota do imposto de importação para produtos sem fabricação no país. Na visão da ABSOLAR, uma alteração nos ex-tarifários poderia causar quedas de investimentos no setor, cancelamento de projetos já contratados e em execução, perda de empregos e renda para os trabalhadores, além de aumentar o preço da energia solar para a população brasileira. A associação informou que pelo menos 281 projetos fotovoltaicos estariam em risco, somando mais de 25 GW e R$ 97 bilhões de investimentos, caso os ex-tarifários sejam revogados. (Canal Solar - 08.11.2023)
Link Externo

Volt Robotics: Geração distribuída proporciona economia de quase R$ 85 bilhões para consumidores brasileiros

A geração própria solar em telhados, fachadas e pequenos terrenos ajuda a reduzir custos para todos os consumidores de energia elétrica no país. Um estudo da consultoria especializada Volt Robotics, encomendado pela ABSOLAR, concluiu que a economia líquida na conta de luz de todos os brasileiros é de mais de R$ 84,9 bilhões até 2031.De acordo com o estudo, os benefícios líquidos da geração distribuída equivalem a um valor médio de R$ 403,9/MWh na estrutura do sistema elétrico, ante a uma tarifa média residencial de R$ 729/MWh no país. O trabalho concluiu que os benefícios do crescimento da geração própria solar na matriz elétrica brasileira superam, em muito, os custos, trazendo relevantes ganhos líquidos para os consumidores e a sociedade. (Portal Solar - 01.11.2023)
Link Externo

Neoenergia: Sistema pioneiro indica locais para instalação de GD

A Neoenergia lançou recentemente o GODEL Conecta, um sistema tecnológico destinado a avaliar a capacidade da rede elétrica para acomodar novas conexões de geração distribuída (GD). Através de uma plataforma online, projetistas e integradores agora podem, com base no CPF e coordenadas geográficas, obter informações sobre o ponto de conexão mais apropriado para seus novos projetos. José Antônio Brito, gerente corporativo de Pesquisa & Desenvolvimento da Neoenergia, destaca: “O GODEL Conecta representa um marco na busca contínua da Neoenergia por inovação e eficiência, colocando o cliente no centro de nossa atuação. Com essa plataforma pioneira, estamos promovendo maior transparência e autonomia, otimizando a análise e reduzindo o tempo de resposta aos clientes". (CanalEnergia - 07.11.2023)
Link Externo

Especialistas projetam novo boom para geração distribuída

De acordo com especialistas, o segmento de geração solar distribuída deve passar por um novo boom nos anos de 2024 e 2025. A projeção faz parte da análise de especialistas presentes no painel sobre Geração Distribuída de Energia Solar, durante o Intersolar Summit Brasil Sul, no Centro de Eventos FIERGS. “O segmento de geração própria de energia sofreu com as mudanças macroeconômicas, com a inflação pós-pandemia, queda do poder de compra, redução do crédito e com as financeiras que secaram os investimentos com o risco da inadimplência. Agora, estamos começando um novo ciclo, com muito mais oportunidades, mas que exigem uma maior capacitação técnica”, disse Romulo Roque Pieta, CEO da Pieta.tech. A Lei 14.300 também representou maior segurança e respaldo jurídico para o setor. “Investir em geração própria de energia nunca teve um retorno tão bom e tão seguro, porque agora existe uma lei que protege o setor”, concluiu Pieta. (Canal Solar - 08.11.2023)
Link Externo

Cartão de Todos: Expansão do serviço de energia solar em SP

O grupo mineiro Cartão de Todos está expandindo seu serviço de energia solar fotovoltaica para clientes em 70 municípios paulistas atendidos pela Energisa. A empresa, que iniciou essa unidade de negócios em 2021 em Minas Gerais, tem como objetivo alcançar até março de 2024 uma base de 41 mil residências, com um consumo de 6 GWh em São Paulo e Minas Gerais. A iniciativa busca democratizar o acesso à energia solar, especialmente para consumidores das classes C e D, que representam cerca de 90% dos filiados ao cartão. A empresa opera sob o modelo de arrendamento de usinas construídas por empreendedores, com investimentos totais de R$ 190 milhões, sendo R$ 160 milhões em empreendimentos em Minas Gerais e R$ 30 milhões em São Paulo. (Broadcast Energia - 01.11.2023)
Link Externo

Armazenamento de Energia

GESEL oferece curso para setor financeiro sobre armazenamento de energia

O GESEL-UFRJ irá promover o curso "Fundamentos de Sistemas de Armazenamento de Energia Elétrica” direcionado, exclusivamente, para profissionais do setor financeiro, tendo como objetivo central dar uma visão qualificada e geral sobre a necessidade dos sistemas de baterias. Como objetivos específicos, o curso irá analisar a importância de mecanismos e produtos de financiamento – para produtores e consumidores das baterias – para viabilizar a difusão desta nova tecnologia no sistema elétrico brasileiro. O curso, gratuito e virtual, é uma resultante de pesquisa realizada pelo GESEL, que teve apoio da GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit). Serão quatro módulos, realizados nos dias 28 e 30 de novembro e 05 e 07 de dezembro, no horário das 18h30 às 20h. Saiba mais e inscreva-se aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 07.11.2023)
Link Externo

ISA Cteep: Inauguração do primeiro projeto em larga escala de armazenamento no Brasil

O avanço das fontes de energia renováveis, como a solar e a eólica, tem aumentado a necessidade de tecnologias de armazenamento de energia no Brasil. A A&M Infra prevê um crescimento anual de mais de 84% na capacidade de armazenamento de energia no país, com investimentos esperados de cerca de R$ 20 bilhões em sistemas de armazenamento até 2030. A ISA Cteep inaugurou recentemente o primeiro projeto em larga escala de armazenamento de energia em baterias do sistema de transmissão brasileiro na subestação Registro (SP), que atende cerca de dois milhões de pessoas. O projeto visa evitar o uso de geradores a diesel e fornece um reforço à rede elétrica durante os picos de consumo no verão. (Valor Econômico - 31.10.2023)
Link Externo

AES Brasil: Calculadora avalia viabilidade de armazenamento de energia

Tecnologias de armazenamento estão sendo avaliadas por geradoras, como a AES Brasil está desenvolvendo uma calculadora para automatizar a análise de viabilidade técnica e financeira da aplicação de baterias em clientes industriais e comerciais. O sistema visa otimizar o uso de baterias através da análise do consumo real de energia e reduzir o consumo no horário de pico. Além disso, busca simplificar a gestão de energia, podendo complementar ou até substituir a geração a diesel. A tendência de armazenamento de energias renováveis é forte no segmento solar e o carro elétrico, que pode atuar como agente de armazenamento nas residências, é visto como um disruptor neste cenário. (Valor Econômico - 31.10.2023)
Link Externo

ACP: Instalação de BESS em 2023 bate novo recorde nos EUA

O número de sistemas de armazenamento de energia de bateria em larga escala (BESS, na sigla em inglês) instalados nos EUA no terceiro trimestre de 2023 já excede todo o ano de 2022, disse a American Clean Power (ACP). Um total de 2.142 MW/6.227 MWh de BESS de larga escala entraram em operação no terceiro trimestre nos EUA, um aumento de 21% em relação ao trimestre anterior e de 63% em relação ao ano anterior, disse o órgão comercial em seu mercado do terceiro trimestre de 2023. relatório que abrange todas as tecnologias de energia limpa. Nos primeiros três trimestres de 2023, um total de 4.500 MW foram colocados em operação, enquanto no ano passado cerca de 4.000 MW foram colocados em operação. (Energy Storage – 02.11.2023)
Link Externo

Clean Energy Associates: Preço dos BESS fabricados nos EUA irá se equiparar aos fabricados na China em 2025

Os sistemas de armazenamento de energia em baterias (BESS, na sigla em inglês) fabricados nos Estados Unidos se tornarão competitivos em termos de custo em relação à China em 2025, graças aos incentivos da Lei de Redução da Inflação, segundo a Clean Energy Associates (CEA). A empresa de consultoria técnica solar e de armazenamento revelou a previsão em seu novo relatório trimestral de previsão de preços para BESS referente ao terceiro trimestre de 2023. Segundo o estudo, um BESS fabricado nos EUA tem, atualmente, um preço médio de US$ 256/kWh para entrega em 2024/25, enquanto um fabricado na China para entrega nos EUA, em 2025, custa US$ 218/kWh. A CEA disse que se certos subsídios para a produção de tecnologia de energia limpa nos EUA, previstos na IRA, forem repassados diretamente ao cliente, o preço do container poderá cair 13%. (Canal Solar - 08.11.2023)
Link Externo

Veículos Elétricos

São Paulo lidera eletrificação do transporte público no Brasil

A cidade de São Paulo está liderando a eletrificação do transporte público no Brasil, com uma lei que exige que até o final de 2024 pelo menos 20% da frota de ônibus urbanos seja totalmente elétrica. Apesar dos custos mais elevados dos veículos elétricos, a prefeitura está oferecendo subsídios com financiamento de bancos internacionais. Empresas como a Eletra e multinacionais como a Mercedes-Benz e a Volvo estão avançando na venda de ônibus elétricos. Na Europa, os ônibus elétricos também estão se tornando uma tendência, com a Van Hool apresentando em Bruxelas o primeiro de 56 ônibus que servirão duas linhas de um novo sistema de ônibus rápido (BRT) em Paris. (Valor Econômico - 27.10.2023)
Link Externo

BYD: Crescimento da venda de VEs na CHina impulsiona montadora

A montadora chinesa BYD está prestes a superar a Nissan em vendas globais, com um aumento de 53% nas vendas de veículos de passageiros no terceiro trimestre, chegando a 824.001 unidades. A empresa está se beneficiando do apoio da China aos VEs, que representaram 36,5% dos veículos vendidos no país em setembro. Além disso, a BYD também está ganhando terreno em regiões como o Sudeste Asiático. A competitividade em termos de custos é uma das suas vantagens, pois a BYD fabrica internamente componentes essenciais, como baterias e motores. Enquanto isso, a Nissan tem lutado para se adaptar às mudanças na China, o maior mercado automotivo do mundo. (Valor Econômico - 31.10.2023)
Link Externo

Toyota: Investimento de US$ 8 bilhões para aumentar a produção de baterias

A Toyota Motor planeja dobrar seu investimento em uma fábrica na Carolina do Norte, EUA, com um aporte de quase US$ 8 bilhões, visando reforçar a fabricação de baterias para veículos totalmente elétricos e híbridos plug-in. A produção na nova fábrica será ampliada em oito linhas de fabricação de baterias, elevando o gasto total para US$ 13,9 bilhões. As baterias serão usadas em vários modelos, incluindo um novo SUV totalmente elétrico a ser produzido a partir de 2025. A fábrica de baterias, que empregará mais de 5.000 trabalhadores, iniciará a produção em 2025. (Valor Econômico - 31.10.2023)
Link Externo

BMW: Lançamento de VE com até 560 km de autonomia

O novo BMW i7 M70, um sedã executivo, é o carro elétrico mais potente da história da BMW, possui uma bateria de 102 kWh que oferece até 560 km de autonomia em ciclo WLTP, embora esse alcance seja menor no Brasil devido a diferentes padrões de teste. O veículo também apresenta um novo modo chamado Max Range, que reduz várias funções do carro para aumentar a autonomia em 25% em situações de emergência. O i7 M70 deve chegar ao Brasil no próximo ano. (Valor Econômico - 27.10.2023)
Link Externo

Marcopolo e Allenbus: Parceria visando produção de ônibus movidos a hidrogênio

A Marcopolo, empresa brasileira, fez parceria com a Allenbus, da China, para produzir ônibus movidos a hidrogênio. Esses veículos funcionam como elétricos, mas a energia usada para carregar as baterias é produzida por uma célula a combustível que combina oxigênio com hidrogênio armazenado em cilindros de alta pressão. A vantagem do hidrogênio é a maior autonomia e carregamento mais rápido, embora o custo ainda seja alto devido à complexidade do manuseio e à necessidade de transporte do hidrogênio em alta pressão. A versão do produto fabricada na China e homologada para a Europa pode percorrer mais de 500 quilômetros com quatro cilindros e até 900 quilômetros com seis cilindros. (Valor Econômico - 27.10.2023)
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

Ivie e Samsung: Parceria visando programas de flexibilidade da demanda

A empresa de tecnologia Ivie e a Samsung firmaram uma parceria visando ajudar os eletrodomésticos a reduzir automaticamente o consumo de eletricidade, economizando no uso de energia. O anúncio vem após o Serviço de Flexibilidade de Procura (DFS), realizado durante o último inverno pelo operador do sistema elétrico do Reino Unido (ESO). O esquema DFS permitiu que os agregados familiares de todo o país fossem recompensados por adiarem ou adaptarem o seu consumo de electricidade fora dos períodos de maior demanda. A Ivie participou num esquema experimental de DFS juntamente com outros Fornecedores de energia do Reino Unido. (Smart Energy – 02.11.2023)
Link Externo

Eficiência Energética

Abesco: Eficiência energética pode mitigar mudanças climáticas no Brasil

De acordo com o presidente da Abesco, Bruno Herbert, investir no uso racional de energia permite reduzir o consumo exagerado, produzir mais com menos e contribuir com o meio ambiente. “O fator sustentabilidade é essencial. A diminuição do desperdício e a possibilidade de o consumidor adquirir energia de fontes renováveis ajudam a combater a emissão de gases poluentes”. Segundo ele, a geração de energia sustentável é um dos pilares que, entre muitos outros benefícios, ajudarão a reduzir os reflexos preocupantes das alterações climáticas. “Isso significa menos extração de recursos da natureza, redução na emissão de gases de efeito estufa e, consequentemente, dos problemas ambientais provocados pelas mudanças climáticas. Além disso, temos a vantagem de aumentar a competitividade das organizações brasileiras”, aponta Herbert. (Diário do Comércio - 08.11.2023)
Link Externo

Eletron Energia: Projetos de eficiência energética rendem mais de R$ 160 milhões

A Eletron Energia, empresa presente em 30 municípios do Paraná e Santa Catarina, soma 159 projetos de eficiência energética que, juntos, rendem mais de R$ 160 milhões. Entre os principais clientes da Eletron Energia estão Natura, Renault, CNH Industrial, Helisul Aviação, FAE, Alphaville, Grupo Servopa, San Juan Hotéis, Instituto Sante, Simoldes Aços, Font Life, entre outros. Os projetos foram desenvolvidos para empresas de cinco setores: 28 na área de serviços (R$ 53,8 milhões); 32 no ramo de hospitais (R$ 31,4 milhões); 29 na indústria (R$ 30,8 milhões), 31 no segmento do comércio (R$ 29,4 milhões) e 38 em condomínios (R$ 16,6 milhões). Os resultados são R$ 141 milhões de energia economizada, mais de 10 mil toneladas de carbono evitados. (Gazeta do Povo - 08.11.2023)
Link Externo

Mitsubishi Electric: Teste de sistemas de eficiência energética na Europa

Na Europa, dois projetos estão utilizando sistemas de bombas de calor para fornecer energia para ilhas remotas na Irlanda e na Itália. Nas ilhas irlandesas, um total de seis bombas de calor para água quente doméstica e aquecimento ambiente foram instaladas em três edifícios residenciais e duas instalações públicas. Já na ilha italiana de San Pietro, um total de 17 bombas de calor para ar-condicionado e uma bomba de calor para aquecimento de água estão instaladas em seis edifícios residenciais e duas instalações públicas. O empreendimento é liderado pela Mitsubishi Electric Corporation, por meio de sua subsidiária Mitsubishi Electric R&D Centre Europe BV, e começou em maio. O objetivo é adotar tecnologias distribuídas de geração e de armazenamento de energia renovável, para equilibrar a oferta e a procura de energia. (Engie - 09.11.2023)
Link Externo

Schneider Electric: Criação de mais de 2 milhões de empregos verdes associados a eficiência energética

A Schneider Electric e a Universidade de Boston conduziram um estudo que aponta a possibilidade de criar mais de 2 milhões de empregos "verdes" na Europa e nos Estados Unidos com a adoção de tecnologias de energia limpa em edifícios. Isso envolve a instalação de painéis solares, bombas de calor e baterias de armazenamento. A pesquisa destaca que o potencial de criação de empregos varia de acordo com a região e o tipo de edifício, com a Europa e os Estados Unidos liderando esse aspecto. A pesquisa também destaca a importância da construção digital e do gerenciamento de energia em edifícios existentes para reduzir as emissões de carbono. A transição para tecnologias de baixa emissão de carbono no setor da construção é vista como uma oportunidade significativa de redução de emissões de gases de efeito estufa e criação de empregos. (ABSOLAR - 30.10.2023)
Link Externo

Energisa: Abertura de chamada pública para projetos de eficiência energética em RO

A Energisa abriu Chamada Pública de Projetos de Eficiência Energética da Energisa em Rondônia. A chamada pública é destinada para a inscrição de clientes da área de concessão da distribuidora, exclusivos dos setores de comércio e serviços e poder público. A Energisa já investiu mais de R$ 50 milhões em projetos de eficiência energética, por meio dos quais são realizadas troca de lâmpadas antigas por lâmpadas led, que são mais econômicas; substituição de equipamentos de refrigeração por modelos mais eficientes; e instalação de sistemas fotovoltaicos. Com essas ações, além de incentivar a economia de energia, a empresa reforça seu compromisso com o meio ambiente e a sustentabilidade, ao ajudar a reduzir a emissão de CO2 na atmosfera. (Rondônia Ao Vivo - 08.11.2023)
Link Externo

Microrredes e VPP

Japão: Instalação de microrrede em base militar

A Base Aérea de Yokota, no Japão, concluiu a instalação de uma nova microrrede de 10,72 MW como parte de um projeto de melhoria de infraestrutura de US$ 406 milhões. A microrrede fornecerá energia confiável a toda a base e permitirá que ela se desconecte da rede elétrica sem afetar suas operações em caso de interrupção. A Schneider Electric iniciou a construção do projeto em 2021 e a expectativa é que a microrrede economize US$ 12,3 milhões por ano e reduza as emissões de CO2 em 33,000 toneladas métricas anualmente. (MicrogridKnowledge - 01.11.2023)
Link Externo

EUA: Instalação de microrrede remota na Califórnia

A PG&E concluiu a instalação da primeira microrrede remota 100% renovável da Califórnia, localizada na Reserva Pepperwood do condado de Sonoma. Prevê-se que a micrrorede reduzirá o risco de incêndio florestal em uma área que foi impactada pelo incêndio de Tubbs de 2017 e pelo incêndio de Kincaid de 2019. A microrrede remota de Pepperwood substitui uma linha de distribuição aérea de quase um quilômetro de comprimento e, de acordo com um comunicado da PG&E, elimina o risco de incêndio florestal associado. "A estreita colaboração entre a PG&E e nossos parceiros de projeto em Pepperwood é um excelente exemplo de como podemos inovar para atender às necessidades locais à medida que realizamos um trabalho crítico de mitigação de incêndios florestais", disse Joe Bentley, vice-presidente sênior de engenharia elétrica da PG&E. (Microgrid Knowledge - 07.11.2023)
Link Externo

Canadá: Investimento na expansão da microrrede Lac-Mégantic

O governo canadense e a Hydro-Québec anunciaram o investimento de US$ 3,7 milhões na expansão da microrrede de Lac-Mégantic, no leste de Quebec. O governo contribuirá com US$ 2,5 milhões de seu programa Smart Renewables and Electrification Pathways (SREP), que visa reduzir as emissões e criar empregos sustentáveis em todo o país. Um adicional de US$ 1,2 milhão virá da Hydro-Québec, a concessionária pública responsável pela geração, transmissão e distribuição de eletricidade na província de Québec. "O financiamento que recebemos permitirá, entre outras coisas, desenvolver um modelo de governança que seja mobilizador, sustentável e, acima de tudo, replicável para outras comunidades", disse Julie Morin, prefeita de Lac-Mégantic. (Microgrid Knowledge - 30.11.2023)
Link Externo

Filipinas: Instalação de micrroredes busca resolver problemas de interrupção de energia

O Departamento de Energia das Filipinas (DOE, na sigla em inglês) lançou um convite para licitar a construção, instalação, manutenção e operação de microrredes em apoio ao seu Roteiro Nacional de Eletrificação Total (NTER, na sigla em inglês) 2023-2032. O NTER, que foi lançado ao mesmo tempo que o convite à licitação, descreve como os esforços de eletrificação, incluindo a construção de microrredes, fornecerão eletricidade confiável e segura a preços razoáveis para todas as famílias filipinas até 2028. Por meio do processo licitatório, o DOE busca identificar candidatos qualificados para fornecer a construção, instalação, manutenção e operações, incluindo faturamento e cobrança de clientes, de sistemas de microrredes em todas as áreas de serviço designadas. (Microgrid Knowledge - 31.11.2023)
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

Aneel: Preparação de regulação para digitalização do setor elétrico

A Aneel está trabalhando em um relatório para análise de impacto regulatório (AIR) que pode levar a uma maior digitalização e modernização do setor elétrico, contribuindo para a transição energética. A expectativa é que a regulação seja finalizada em 2025. A Aneel vê a medição inteligente como um elemento fundamental nesse processo, especialmente à medida que as redes inteligentes ganham espaço nas grandes capitais brasileiras, principalmente do Sudeste e Sul. Além disso, a partir de janeiro de 2024, a regulação do setor elétrico permitirá que todas as empresas ligadas à alta tensão se tornem consumidores livres e escolham seus contratos, prazos e fornecedores de energia elétrica. (Valor Econômico - 31.10.2023)
Link Externo

GESEL: Redes subterrâneas são solução para reduzir impactos de eventos climáticos, avalia Nivalde de Castro

No dia 3 de novembro de 2023, um evento climático deixou mais de 2,1 milhões de consumidores da Região Metropolitana de São Paulo sem energia. Segundo o professor do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (GESEL-UFRJ), Nivalde de Castro, a solução tecnológica para reduzir os impactos dos eventos climáticos são redes subterrâneas, dado que boa parte dos problemas se deve à queda de árvores. “Em redes subterrâneas, árvores não caem, mas para fazer isso é preciso ter investimentos”, afirma o professor do Gesel. Entretanto, esse investimento impactaria as tarifas, já que nestes casos a Aneel não autoriza as distribuidoras a fazerem melhorias ou aportes em sistemas que custam mais caro. “Ela não investe em rede subterrânea dado o custo elevado e que a Aneel não autoriza em função da modicidade tarifária”, diz Castro. (Valor Econômico - 05.11.2023)
Link Externo

Elia Group e Energy Web: Lançamento de aplicativo de identidade digital do setor de energia para uso global

Um aplicativo de identidade digital, baseado na tecnologia de "identidade autossoberana", desenvolvido pelo TSO Elia Group belga e pela Energy Web, foi adotado pela OpenWallet Foundation. Esse aplicativo permite a transferência segura de informações de identidade entre diferentes partes, facilitando a integração segura de ativos como bombas de calor e VEs na rede de energia. Isso promove a troca de informações pessoais, especificações técnicas, contratos e acordos entre indivíduos, ativos e empresas, tornando-se um passo significativo para a revolução das carteiras digitais seguras e interoperáveis. A OpenWallet Foundation visa a implementação da adoção global dessa tecnologia. (Smart Energy - 30.10.2023)
Link Externo

Barbara: Desenvolvimento de ferramenta de análise de viagens de edge computing

A startup de software Barbara IoT está colaborando com a operadora do sistema de transmissão da Espanha Red Eléctrica e a plataforma Elewit para desenvolver uma ferramenta baseada em edge computing que analisa desarmes em subestações elétricas. O dispositivo, uma solução em tempo real, visa melhorar a compreensão das causas de disparos nas subestações, fornecendo dados detalhados. Ele monitora tensão e intensidade com alta frequência de amostragem, permitindo a identificação precisa das razões dos desarmes. Isso promete maior confiabilidade do sistema, manutenção preditiva e otimização das operações das subestações. A tecnologia de edge computing fornece processamento e monitoramento quase instantâneo, eliminando a necessidade de pós-processamento. Após testes bem-sucedidos em laboratório, o projeto está sendo validado para implementação nos sistemas da Red Eléctrica. (Smart Energy -30.10.2023)
Link Externo

Reino Unido: Utilização de gêmeo digital na Ilha de Wight

Um gêmeo digital está sendo desenvolvido para o sistema elétrico da Ilha de Wight como parte do Programa Nacional de Gêmeos Digitais do Reino Unido. Esse projeto visa modelar toda a rede elétrica da ilha, desde interconectores de 132 kV até transformadores locais de 400 V, com o objetivo de testar como tecnologias e processos relacionados aos gêmeos digitais podem facilitar o cumprimento de metas de longo prazo, incluindo a autossuficiência elétrica com energia renovável até 2030 e emissões líquidas zero até 2040. A ferramenta também deve ajudar a equilibrar a demanda e produção de energia e explorar fontes renováveis adicionais. (Smart Energy -03.11.2023)
Link Externo

Segurança Cibernética

União Europeia: Projeto eFORT busca reforçar segurança e resiliência da rede europeia

O projeto eFORT, apoiado pelo programa Horizon Europe, foi lançado para melhorar a segurança e resiliência da rede europeia, abordando ameaças cibernéticas e físicas. Coordenado pela Fundação CIRCE, o projeto visa identificar ameaças e vulnerabilidades na rede de energia, desenvolvendo soluções, incluindo uma plataforma inteligente e o uso de duas tecnologias digitais para treinar operadores de rede. O projeto enfatiza a segurança de dados com camadas de blockchain e confidencialidade. O projeto, com um orçamento de 9,3 milhões de euros, envolve um consórcio de 23 membros e busca enfrentar desafios relacionados às mudanças climáticas, transição verde e riscos humanos na rede de energia, com duração até agosto de 2026. (Smart Energy - 01.11.2023)
Link Externo

ISC2: Força de trabalho global em segurança cibernética cresce, mas ainda carece de trabalhadores

A força de trabalho global em segurança cibernética cresceu 8,7%, atingindo 5,5 milhões de pessoas em 2023, o maior número já registrado, de acordo com o Estudo Global de Força de Trabalho ISC2 de 2023. No entanto, a indústria ainda enfrenta uma lacuna recorde de 4 milhões de profissionais da indústria – um total de 9,5 milhões de trabalhadores qualificados são necessários para salvaguardar adequadamente os ativos digitais do mundo, de acordo com o relatório. Três quartos dos profissionais do setor afirmam que o cenário de ameaças é o mais desafiador que já viram nos últimos cinco anos. (CyberSecurityDive - 31.10.2023)
Link Externo

EUA: CISA visa identificação de software para aumentar a segurança da cadeia de suprimentos

A Agência de Segurança Cibernética e de Infraestrutura (CISA) emitiu um pedido de comentários sobre a criação de um sistema de identificação de software mais harmonizado, como parte dos esforços para fortalecer a segurança na cadeia de suprimentos de software. A iniciativa é uma resposta à ordem executiva do presidente Joe Biden em 2021 para melhorar a segurança cibernética. A CISA busca estabelecer parâmetros uniformes para rastrear informações críticas, como vulnerabilidades conhecidas, patches disponíveis e aprovação de software para uso. O objetivo é criar um ecossistema de identificação de software mais robusto que permita maior automação e visibilidade do inventário, promovendo a adoção de listas de materiais de software. (CyberSecurityDive - 27.10.2023)
Link Externo

EUA: Iniciativas para incorporação segura de IA no setor energético

Novas iniciativas visam promover o desenvolvimento seguro e confiável da IA no setor energético. Uma nova Ordem Executiva do Presidente dos EUA, Joe Biden, estabelece padrões de segurança e proteção da IA, focando no uso seguro e confiável. O Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês) compromete-se a desempenhar um papel crucial na execução da medida, desenvolvendo ferramentas para avaliar a capacidade da IA em áreas críticas, como ameaças nucleares e segurança energética, além de colaborar com suas capacidades de computação. O DOE também planeja melhorar programas de formação para cientistas e pesquisadores. (Smart Energy -03.11.2023)
Link Externo

Inovações e colaboração na luta contra o cibercrime

A ONU relatou que mais de 220.000 pessoas foram traficadas no Sudeste Asiático em 2023 para cometer fraudes online, uma forma de ciberescravidão. Essas vítimas, provenientes de várias regiões, são obrigadas a trabalhar como fraudadores online por criminosos que exploram a falta de empregos. Para lidar com o cibercrime, a iniciativa "Atlas do Cibercrime" busca colaboração global para mapear e entender melhor o ecossistema do crime cibernético. Essa iniciativa visa perturbar a rede criminosa e fortalecer a cibersegurança em escala global. (Smart Energy - 31.10.2023)
Link Externo