IFE
25/07/2023

IFE Tecnologia Exponencial 141

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
25/07/2023

IFE nº 141

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tecnologia Exponencial 141

Transição Energética e ESG

ITRE: Comissão do Parlamento Europeu apoia reforma do mercado de eletricidade

O Comitê de Indústria, Pesquisa e Energia (ITRE, na sigla em inglês) do Parlamento Europeu aprovou formalmente sua posição sobre a revisão em curso do mercado de eletricidade da União Europeia, apoiando amplamente a proposta da Comissão Europeia para uma reforma direcionada. A reforma visa acabar com a incerteza de investimento nos mercados de eletricidade e acelerar a construção de fontes renováveis competitivas. O acordo permite diferentes rotas para o mercado de eletricidade renovável, incluindo contratos por diferença, acordos de compra de energia renovável (PPAs, na sigla em inglês) e investimentos comerciais. A WindEurope saudou o voto do comitê ITRE, especialmente por rejeitar a ideia de limites de receita para geradores de eletricidade inframarginais. Isso ajudará a manter a integridade dos mercados atacadistas de energia na Europa e a destravar investimentos estagnados em energias renováveis. O comitê ITRE também apoiou as Garantias de Acesso à Transmissão (TAG, na sigla em inglês), o que é benéfico para investimentos em parques eólicos offshore híbridos. (Renews.Biz – 19.07.2023)
Link Externo

IEA: Crescimento da demanda de eletricidade deve diminuir em 2023

A Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) prevê que o crescimento global da demanda por eletricidade diminuirá em 2023, devido aos efeitos contínuos da crise global de energia e uma desaceleração econômica nas economias avançadas. Os EUA, Japão e União Europeia devem enfrentar quedas significativas na demanda de eletricidade em 2023. No entanto, a demanda global ainda é apoiada pela eletrificação dos sistemas de energia, aumento do uso de refrigeração interna e forte crescimento nas economias emergentes. A China e a Índia são os principais impulsionadores do crescimento da demanda de eletricidade. Apesar do aumento da demanda em muitas regiões, as energias renováveis estão no caminho certo para atender ao crescimento adicional da demanda global de eletricidade nos próximos anos. Prevê-se que as energias renováveis representem mais de um terço da geração global de eletricidade até 2024. (Renews.Biz – 19.07.2023)
Link Externo

IEA: Declínio do consumo nas economias avançadas contribui para desaceleração do crescimento da demanda global por energia

O relatório mais recente da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) indica que o crescimento global da demanda por eletricidade diminuirá em 2023, devido à crise global de energia e a uma desaceleração econômica nas economias avançadas. Os EUA, Japão e União Europeia experimentarão quedas significativas na demanda de eletricidade em 2023. No entanto, a demanda global é impulsionada pela eletrificação dos sistemas de energia, aumento do uso de refrigeração interna e crescimento nas economias emergentes. As energias renováveis têm papel fundamental para atender a esse crescimento adicional na demanda de eletricidade, e sua participação na geração global deve ultrapassar um terço até 2024. O uso de combustíveis fósseis para geração de eletricidade diminuirá, mostrando que o mundo está se movendo para uma transição energética. O relatório também destaca as forças que impulsionam o declínio na demanda de eletricidade na UE, principalmente nas indústrias de uso intensivo de energia que enfrentam preços elevados de energia após a crise energética. (IEA – 19.07.2023)
Link Externo

EUA: Nova York aprova plano de investimento em energia limpa de US$ 11,8 bilhões

A concessionária de energia Consolidated Edison (Con Edison) recebeu aprovação do estado de Nova York para investir US$ 11,8 bilhões em projetos de energia limpa, como parte da transição do estado para reduzir o consumo de combustíveis fósseis. Os investimentos aprovados incluem projetos em três categorias: investir na comunidade local, investir em energias limpas e investir para proteger os nova-iorquinos vulneráveis. Esses projetos visam desenvolver infraestrutura para acomodar o aumento da demanda de eletrificação de veículos e aquecimento de residências e empresas. As iniciativas incluem a construção de novas linhas de transmissão elétrica, fornecimento de energia renovável, desativação de usinas movidas a combustível fóssil e projetos de armazenamento de energia. (Smart Energy – 21.07.2023)
Link Externo

Universidade de Princeton: Relatório aponta que o ritmo de desenvolvimento do segmento de transmissão limita a expansão das energias renováveis

Um relatório elaborado pelo Projeto REPEAT da Universidade de Princeton revela que o lento ritmo de expansão do segmento de transmissão nos Estados Unidos limita severamente os projetos potenciais de armazenamento de energia eólica, solar e de energia. Isso reduziria as possíveis reduções de emissões de gases de efeito estufa em aproximadamente pela metade com relação às metas do governo Biden. O relatório estima que, com a lei atual, os EUA reduzirão suas emissões de carbono para 37% a 41% em 2030 em comparação a 2005, abaixo da meta de 50% a 52%. A expansão da capacidade de transmissão deve acelerar em 50% para atender a essas projeções de crescimento e dobrar para atingir uma meta de descarbonização até 2035. A falta de aceleração da expansão da transmissão pode comprometer cerca de metade das reduções de emissões que poderiam ser alcançadas com as políticas atuais. (Utility Dive – 17.07.2023)
Link Externo

Geração Distribuída

Expansão dos serviços de assinatura de geração distribuída

O crescimento da geração distribuída vem rendendo negócios baseados em assinatura, sem instalação de placas solares. A Órigo oferece planos digitais de créditos de energia limpa para clientes residenciais e pequenas e médias empresas (PMEs), com programa de bônus por indicações de clientes. Produz mais de 260 MW de energia em fazendas solares, inseridos na rede da distribuidora local. A Juntos Energia também vende assinatura para PMEs com programa de descontos por indicação de novos clientes. Tem 8.000 assinantes ativos, com 20 mil usuários, serviços para geradores, com 23 MW de ativos de geração solar sob gestão, e rede de parceiros para atender usinas de mini (entre 75 kW e 5 MW) e microgeração (até 75 kW). Na Lemon, o serviço de assinatura de energia deve alcançar 10 mil clientes este ano. Funciona como um “aluguel” de um pedaço de usina próxima ao consumo e atende PMEs com conta mensal a partir de R$ 500. (Valor Econômico - 24.07.2023)
Link Externo

Absolar: Energia solar já representa 14,7% da matriz elétrica brasileira

O Brasil alcançou mais de 32 GW de potência instalada proveniente da energia solar fotovoltaica, representando 14,7% da capacidade total da matriz elétrica do país, de acordo com a Absolar. A fonte solar atraiu R$ 155,2 bilhões em investimentos desde 2012 e gerou mais de 960 mil empregos. Além disso, evitou a emissão de 40,6 milhões de toneladas de CO2 na geração de eletricidade. O presidente da Absolar destaca o potencial da energia solar no desenvolvimento socioeconômico e ambiental do país, especialmente em projetos habitacionais, escolas, hospitais e outros setores. Estudos apontam a necessidade de investimentos de R$ 2,2 trilhões até 2050 para descarbonizar a economia e alcançar a mobilidade elétrica e a produção de hidrogênio verde. A geração distribuída de energia solar possui 22,4 GW de potência instalada, enquanto as usinas solares de grande porte totalizam cerca de 9,6 GW. (O Estadão – 17.07.2023)
Link Externo

Suno Asset: Criação de fundo imobiliário para projetos de painéis solares

A Suno Asset, gestora de recursos do Grupo Suno, anunciou a conclusão da alocação dos R$ 50 milhões captados em uma oferta 400 — aberta a investidores comuns — para investir em projetos fotovoltaicos, por meio do SNEL11, primeiro fundo imobiliário do mercado com investimentos em energia limpa. O projeto será realizado em parceria com o Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). O foco do fundo é geração distribuída, modalidade de geração de energia que acontece em pequenos terrenos. O especialista em projetos solares e responsável técnico do fundo, Rafael Menezes, aponta que o marco legal da geração distribuída no Brasil proíbe a comercialização desta energia e está em linha com os princípios do fundo, que visam locar o ativo para gerar renda, além da vantagem de construção bastante rápida, em relação a outras fontes de energia. Com o valor, a meta é construir cerca de 11 MWp nas áreas de concessão da Cemig, Enel Ceará e Celpe, considerando as condições de mercado para equipamentos e a queda do dólar, que reduziu um pouco o capex. (Valor Econômico - 17.07.2023)
Link Externo

Armazenamento de Energia

Aurora Energy Research: Relatório indica que os sistemas de armazenamento podem apoiar a economicidade das energias renováveis

Um estudo da Aurora Energy Research encomendado pela Breakthrough Energy analisou o setor de energia da Espanha e revelou que mais de 5% da geração de energia renovável do país pode enfrentar uma redução econômica entre 2025 e 2030. Isso ocorre porque os custos de operação dos geradores excedem os preços de mercado de eletricidade no atacado, o que leva as operadoras a reduzir a produção ou perder dinheiro. No entanto, o estudo aponta que o armazenamento de energia de longa duração (LDES, na sigla em inglês) pode ser uma solução "vital" para evitar essa redução econômica e permitir a transição para um futuro com energia limpa e renovável. O plano de investimento da Espanha inclui uma meta de 18 GW de armazenamento de energia até 2030, mas atualmente, não inclui considerações para necessidades de armazenamento de longa duração. O LDES é considerado essencial para atingir as ambiciosas metas de energia renovável do país e a descarbonização do setor industrial, além de proporcionar vantagens econômicas significativas. No entanto, para implementar o LDES, são necessárias políticas abrangentes e uma estrutura regulatória adequada. (Energy Storage – 21.07.2023)
Link Externo

Veículos Elétricos

ABB: Uso de tecnologia de data center para estabilizar carregadores rápidos

A ABB desenvolveu uma nova solução de carregamento rápido para veículos elétricos que promete compensar as deficiências de fornecimento da rede, mantendo a potência de recarga mesmo diante de eventuais problemas. Para desenvolver a solução, a ABB relata uma parceria com o grupo de concessionárias de automóveis AMAG da Suíça. Nesta fase, a AMAG está instalando estações de carregamento e sistema de gerenciamento de energia ABB Terra 360 em 13 locais na Suíça. Em alguns locais, as estações de carregamento serão alimentadas com energia por meio do sistema MegaFlex DPA UPS que nivela os picos de demanda de energia, garantindo que o carregamento rápido possa continuar mesmo quando o fornecimento da rede apresentar dificuldades. (Inside EVs – 16.07.2023) 
Link Externo

Higer: Planos para construção da segunda fábrica de VEs no Brasil

A fabricante chinesa de ônibus, caminhões e vans elétricas Higer anunciou ao governo federal a intenção de construir uma segunda fábrica no Brasil, desta vez no Centro-Oeste. A montadora já tem projeto pronto para instalação de uma unidade em Pecém, no Ceará, com expectativa de começar as obras no início de 2024. O plano de instalar a segunda unidade foi apresentado ao vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, e ao deputado federal Jilmar Tatto. A Higer deve utilizar as instalações no Ceará para montagem de ônibus e caminhões elétricos para o mercado nacional, além de ônibus diesel para exportação. Já na fábrica do Centro- Oeste haverá fabricação de ônibus elétrico para atender o mercado nacional. (Valor Econômico - 14.07.2023)
Link Externo

EUA: Preço médio dos VEs cai 20% em comparação com o ano passado

O preço médio de venda de veículos elétricos novos nos Estados Unidos continua a cair mês após mês, atingindo a marca de US$ 53.438 (R$ 257.500) em junho, o que equivale a uma queda de 20% em relação ao ano passado, de acordo com a Kelley Blue Book. Em maio, o preço médio de transação (ATP) revisado para carros elétricos foi de US$ 54.528, enquanto em janeiro foi registrado em mais de US$ 61.000. Em junho de 2022, o ATP para novos veículos totalmente elétricos vendidos nos EUA foi de US$ 66.390. Em outras palavras, o preço médio dos VEs caiu quase US$ 13.000 em um ano. A Cox Automotive, a empresa por trás da Kelley Blue Book, observa que a Tesla - como líder do mercado de veículos elétricos nos Estados Unidos - foi o principal fator por trás da redução de preços. Outro fator é representado pelos aumentos de estoque experimentados por algumas montadoras este ano. (Inside EVs – 16.07.2023) 
Link Externo

Braspress: Eletrificação da frota para entregas em São Paulo

A empresa de logística Braspress incluiu 30 veículos elétricos na sua frota que faz entregas pela cidade de São Paulo e, em um ano, economizou mais de 40 mil litros de combustível. De acordo com a transportadora, os elétricos apresentam, em média, um custo por quilômetro cerca de 30% menor em comparação aos veículos tradicionais. “Notamos uma considerável redução no consumo de combustível. Além disso, os custos de manutenção também foram reduzidos”, comenta o diretor de frotas da Braspress, Urubatan Helou Jr. Para a iniciativa da Braspress, foram instalados pontos de recarga e softwares para mensurar o consumo energético. Os veículos são abastecidos na capital paulista, em local onde também são realizados o armazenamento, entrega e coleta das encomendas. Com um número mais significativo de veículos elétricos em operação, a transportadora estuda otimizar o sistema de logística e abastecimento para o futuro. (epbr - 19.07.2023) 
Link Externo

Carros elétricos superam modelos a diesel em vendas na Europa pela 1ª vez

As vendas de carros elétricos continuam crescendo na Europa, representando 15,1% das vendas em junho, superando as vendas de carros a diesel, que ficaram em 13,4%. Os veículos totalmente elétricos ocupam o terceiro lugar em sistemas de combustíveis preferidos, atrás de gasolina e híbridos. No total da União Europeia, os carros elétricos representaram 12,9% das vendas, enquanto o diesel ainda liderava com 14,5%. Porém, considerando também o Reino Unido e a EFTA (Associação Europeia de Livre Comércio), os carros elétricos mantiveram a liderança com 14,2% do mercado, enquanto o diesel ficou com 12,8%. (Inside EVs - 20.07.2023) 
Link Externo

Startup: Captação de R$ 12 milhões para carregamento de VEs no Brasil

A startup VoltBras, especializada em soluções de recarga para veículos elétricos, obteve R$ 12 milhões em investimentos em uma rodada da série A liderada pela MSW Capital. O fundo investidor inclui empresas como Baterias Moura, BB Seguros, Embraer e AgeRio. Fundada em 2018, a VoltBras atende ao mercado de mobilidade elétrica no Brasil, fornecendo sistemas de gerenciamento e carregamento adaptados aos negócios dos clientes. A empresa conta com clientes como Ipiranga, WeCharge, Neoenergia, Multiplan e EDP. Além da rede de recarga, a VoltBras oferece um aplicativo para motoristas acompanharem o histórico de recargas, planejar abastecimentos e desbloquear equipamentos. O CEO e fundador, Bernardo Durieux, destaca a posição estratégica da empresa para aproveitar as oportunidades no mercado em expansão. (epbr - 20.07.2023)
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

SCP: Registro de 7.000 clientes em programa de resposta à demanda na Califórnia

A Califórnia está avançando rapidamente em direção a um futuro de energia descarbonizada, com mais de 40% de sua capacidade de energia proveniente de fontes renováveis. No entanto, a rede elétrica ainda enfrenta momentos de grande estresse, especialmente durante ondas de calor, devido à dependência de energia eólica e solar, que são intermitentes e difíceis de prever. Para aliviar a tensão na rede elétrica e incentivar hábitos conscientes de energia em casa, a Sonoma Clean Power (SCP) lançou o programa "GridSavvy Rewards". O programa oferece recompensas aos clientes residenciais que reduzem seu consumo de energia durante períodos de demanda excessiva. Os clientes ganham US$ 2 para cada quilowatt-hora economizado durante os eventos de economia de energia. Mais de 7.000 clientes da SCP já se inscreveram no programa, ajudando a aliviar a carga da rede durante os dias de verão impactados. (Power Grid – 19.07.2023)
Link Externo

Eficiência Energética

DOE: Financiamento para o treinamento de empreiteiros visando expandir os esforços de eficiência energética residencial

Um novo programa de treinamento de empreiteiros financiado por US$ 150 milhões em doações aos estados ajudará a aumentar a força de trabalho necessária para implementar projetos residenciais de eficiência e eletrificação, anunciou o Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês). O Programa Estadual de Subsídios para Treinamento em Eficiência Energética Doméstica “atrairá e educará novos trabalhadores na indústria de eficiência energética, treinará e capacitará os trabalhadores existentes e apoiará os empresários a tornar as casas mais saudáveis e eficientes em termos energéticos”, disse o DOE. As doações ajudarão a acelerar a transição energética, treinando trabalhadores capazes de implementar projetos qualificados para incentivos do Programa de Descontos de Energia Doméstica do DOE, que emitirá US$ 8,8 bilhões para escritórios estaduais de energia para projetos residenciais. (Utility Dive - 19.07.2023)
Link Externo

Microrredes e VPP

DOE: Financiamento de US$ 14,7 milhões para levar microrredes a comunidades remotas

O Departamento de Energia dos EUA (DOE, na sigla em inglês) divulgou um Anúncio de Oportunidade de Financiamento (FOA) de US$ 14,7 milhões para pesquisa, desenvolvimento e demonstração plurianuais de tecnologias relacionadas à microrrede, com o objetivo de levar soluções de microrrede para comunidades carentes e indígenas em regiões remotas, rurais e insulares nos Estados Unidos. Com este FOA, os parceiros de pesquisa do Escritório de Eletricidade do DOE desenvolverão e demonstrarão tecnologias que permitem a microrrede, incluindo geração renovável e sistemas de armazenamento, corrente contínua de alta tensão multinodal em pequena escala, estratégias avançadas de gerenciamento do lado da demanda e sistemas de controle de microrrede. O FOA também inclui oportunidades para abordar barreiras não técnicas à implantação de microrredes nessas comunidades, como falta de conhecimento técnico local e desafios da cadeia de suprimentos. (Power Grid - 20.07.2023)
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

Guidehouse Insights: Comunidades de energia inteligente terão demanda crescente no mercado

De acordo com um novo relatório da Guidehouse Insights, embora ainda seja um espaço de mercado em desenvolvimento, as Comunidades de Energia Inteligente (SECs, na sigla em inglês) estão surgindo em um momento em que há uma demanda crescente e um conjunto crescente de recursos para sua implantação. O relatório agrupa o valor no mercado de tecnologia de cidades inteligentes, com previsão de crescimento de US$ 36,7 bilhões em receita anual em 2023 para US$ 73,3 bilhões em 2032, a uma taxa composta de crescimento anual de 8,0%. Reduzir custos e melhorar a estabilidade energética, especialmente para comunidades isoladas ou vulneráveis, continuam a ser os maiores impulsionadores da adoção da SEC, conclui o relatório. Conexões de energia caras e não confiáveis geralmente coincidem com essa vulnerabilidade geográfica ou socioeconômica devido ao subinvestimento histórico. (Smart Energy - 15.07.2023)
Link Externo

Siemens: Construção de centro industrial baseado em metaverso na Alemanha

A Siemens planeja centralizar suas atividades globais de tecnologia para o metaverso industrial em um novo campus em suas instalações em Erlangen. O novo campus faz parte de um investimento de € 1 bilhão e deve se tornar um centro de pesquisa, desenvolvimento global e fabricação cada vez mais baseada no metaverso industrial. Especificamente o campus se concentrará em “manufatura de alta tecnologia sustentável e voltada para o futuro, atividades relacionadas de pesquisa e desenvolvimento e a abertura do local para um ecossistema de parceiros das comunidades científica e empresarial”. Atualmente, a fábrica de Erlangen fabrica produtos em automação industrial e digitalização. Embora já altamente automatizada com robótica, com esta combinação dos mundos real e digital, a Siemens antecipa o fortalecimento da localização de Erlangen como um centro para conceitos de produção digital, como impressão 3D industrial e eletrônica de potência inovadora. (Smart Energy - 17.07.2023)
Link Externo

UKRI: Financiamento para seis centros de pesquisa e inovação em energia

O UKRI, um órgão governamental que direciona os gastos com financiamento de pesquisa e inovação do orçamento científico do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial, destinou £ 53 milhões para seis centros de pesquisa e inovação em energia, localizados em universidades do Reino Unido, com o objetivo de aumentar o conhecimento, criar novas tecnologias verdes e reduzir a demanda por energia. O financiamento será direcionado para pesquisas sobre redução da demanda de energia, inovação na distribuição de energia e integração do combustível no sistema de energia do país. Os projetos incluem o Centro Nacional de Pesquisa de Demanda de Energia, que investigará como reduzir a demanda de energia em nível local e nacional. Além disso, três centros Supergen procuram investimento para receber a inovação na distribuição de energia e promover descobertas em energia renovável. Outros dois centros se concentram na integração do hidrogênio sustentável em sistemas de energia. (Smart Energy - 18.07.2023)
Link Externo

Make UK: Digitalização acelera a economia de energia da indústria

As empresas britânicas estão relatando economias de energia de até £ 100.000 (US$ 128.000) como resultado do investimento em tecnologias digitais, segundo o estudo, da Manufacturers Association (Make UK) e da empresa de software Sage, que constatou que quase dois terços das empresas que adotaram tecnologias digitais estavam economizando energia. Metade deles relatou economias entre £ 10.000 e £ 100.000 ($ 12.850 – $ 128.500) nos últimos 12 meses, enquanto a maioria dos demais relatou economias abaixo de £ 10.000 que, no entanto, ainda eram significativas para seu balanço. Além disso, as empresas relataram outros benefícios além da economia de energia, incluindo elementos trabalhistas e não trabalhistas, como economia de água e menos desperdício de material. Quase metade das empresas pesquisadas disse que a digitalização tem sido o principal impulsionador de melhorias de produtividade de sua empresa, com processos de produção simplificados e reforçados. (Smart Energy - 21.07.2023)
Link Externo

Segurança Cibernética

EUA: Casa Branca divulga iniciativas programadas para fortalecer a segurança cibernética nacional

A Casa Branca divulgou o seu plano de implementação para uma estratégia nacional de segurança cibernética, delegando 69 iniciativas cibernéticas a várias autoridades governamentais. O plano tem o objetivo de orientar o governo na conclusão da estratégia nacional de segurança cibernética. O documento de 57 páginas divide os cinco pilares e 27 objetivos do plano nacional de cibersegurança em uma série mais ampla de iniciativas. Mais da metade das iniciativas estão programadas para serem concluídas até o final do ano fiscal de 2024, com algumas previstas para serem concluídas antes. O plano enfatiza a necessidade de o setor de tecnologia assumir maior responsabilidade pela segurança de software, hardware e plataformas. Cada uma das 69 iniciativas será liderada por uma única agência responsável, com um cronograma para conclusão. O plano de implementação será atualizado constantemente para atender às demandas em evolução. (CyberSecurityDive - 13.07.2023)
Link Externo

Cyber Trust: Programa cria rotulagem de segurança cibernética para dispositivos inteligentes

O governo Biden e grandes empresas de tecnologia lançaram o programa "Cyber Trust" para certificar dispositivos inteligentes com segurança cibernética e ajudar os consumidores a escolher dispositivos inteligentes menos vulneráveis a hackers. Amazon, Best Buy, Google, LG Electronics USA, Logitech e Samsung estão entre os participantes do setor. Dispositivos como babás eletrônicas, câmeras de segurança residencial, rastreadores de condicionamento físico, TVs, geladeiras e sistemas inteligentes de controle climático que atendem aos requisitos de segurança cibernética do governo dos EUA terão o selo "Cyber Trust" já no próximo ano, proporcionando tranquilidade aos consumidores e beneficiando os fabricantes que seguem os critérios estabelecidos pelo Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia. Os dispositivos participantes também terão códigos QR para informações de segurança atualizadas. (PowerGrid - 20.07.2023)
Link Externo