IFE
23/05/2023

IFE Tecnologia Exponencial 132

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
23/05/2023

IFE nº 132

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tecnologia Exponencial 132

Transição Energética e ESG

CCI: Metodologia trata da lacuna de informações sobre emissões urbanas

Para apoiar os esforços das cidades na redução das emissões de gases de efeito estufa, foi desenvolvida a City Climate Intelligence (CCI), uma metodologia de monitoramento de alta resolução e quase em tempo real das emissões urbanas. Criada em colaboração entre Carbon Monitor, Hestia, IG 3 IS, NEXQT e RMI, a CCI combina dados locais e análises avançadas para fornecer uma melhor compreensão e insights sobre as emissões. A metodologia CCI analisa as informações de emissões em três escalas espaciais: Nível 1 (área metropolitana), Nível 2 (bairros) e Nível 3 (prédios e ruas). Os insights gerados pelo CCI podem apoiar um ciclo de conscientização, ação e responsabilidade envolvendo todos os participantes do ecossistema climático da cidade. A metodologia e os dados do CCI podem ser utilizados por gestores municipais, organizações comunitárias, cidadãos, jornalistas, investidores climáticos e outros, fornecendo uma base para a compreensão do progresso climático local. (RMI - maio, 2023) 
Link Externo

DOE: Relatório descreve 10 ações necessárias para alcançar 100% de eletricidade limpa

O Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE, na sigla em inglês) divulgou um relatório destacando 10 etapas principais para criar um sistema de energia totalmente descarbonizado no país. O relatório enfatiza a necessidade de um envolvimento universal de todos os setores da sociedade para alcançar esse objetivo. As 10 etapas propostas pelo DOE são as seguintes: manter a geração e o armazenamento de energia limpos existentes; aumentar rapidamente a implantação de geração e armazenamento de energia limpos; investir em tecnologias emergentes de energia limpa; desenvolver infraestrutura adequada; envolver a comunidade na transição energética; promover mudanças no mercado e nas operações do setor de energia; proteger a rede elétrica; aumentar a eficiência e flexibilidade da demanda; promover a fabricação doméstica de tecnologias limpas; e expandir a força de trabalho no setor de energia renovável. Segundo o relatório, a descarbonização do setor de energia é fundamental para os Estados Unidos alcançarem suas metas climáticas de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 50-52% abaixo dos níveis de 2005 até 2030 e atingir emissões líquidas zero até 2050. (Utility Dive - 18.05.2023) 
Link Externo

USDA: Investimento de US$ 10,7 bilhões para eletrificação rural e transição energética

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) anunciou um investimento de US$ 9,7 bilhões em investimento para eletrificação rural e US$ 1 bilhão em empréstimos parcialmente perdoados para projetos de energia renovável em comunidades rurais. Essa é a maior iniciativa de investimento em eletrificação rural desde a Lei de Eletrificação Rural de 1936, assinada pelo presidente Franklin D. Roosevelt. Os US$ 9,7 bilhões serão administrados pelo programa Empowering Rural America, também conhecido como programa New ERA, e fornecerão financiamento para cooperativas elétricas rurais. O objetivo é reduzir as emissões de gases de efeito estufa por meio da implantação de energia renovável e tecnologia de captura de carbono. O financiamento também poderá ser utilizado para melhorias na eficiência da geração e transmissão de energia. (Utility Dive - 16.05.2023) 
Link Externo

IEA: Crescimento dos projetos de energia renovável

Um novo relatório da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) destaca o aumento significativo nos anúncios de novos projetos de fabricação para tecnologias essenciais à transição para a energia limpa, como energia solar fotovoltaica, baterias e eletrolisadores. Esses anúncios refletem o crescente impulso global em direção a uma nova economia de energia. Desde o final de 2022, a produção estimada até 2030 para essas tecnologias aumentou consideravelmente, impulsionada pelo apoio político e pelo interesse crescente dos investidores. O relatório, intitulado "The State of Clean Technology Manufacturing", analisa os projetos de fabricação anunciados para diversas tecnologias limpas, como energia solar fotovoltaica, energia eólica, sistemas de armazenamento por baterias, bombas de calor e eletrolisadores. O objetivo é avaliar como esses projetos podem moldar o panorama da energia limpa até o final da década. A análise também visa fornecer informações para as discussões na Cúpula dos Líderes do G7, realizada em Hiroshima, no Japão. (IEA - 19.05.2023) 
Link Externo

NECPlatform: Projeto propõe iniciativas conjuntas para políticas energéticas

As mudanças climáticas e as transições energéticas são desafios globais urgentes que requerem ação coletiva. Para enfrentar esses desafios, é necessário estabelecer uma governança multinível eficaz nas políticas de energia e clima. Para isso, é importante aprender com exemplos bem-sucedidos de governança multinível que possam orientar o caminho. O projeto NECPlatform identificou 21 iniciativas que podem servir de inspiração no contexto da revisão dos Planos Nacionais de Energia e Clima em seis países da União Europeia. Entre essas iniciativas, destacam-se o Flemish Climate Pact, na Bélgica, e a Natural Gas Phase Out Strategy, na Holanda, como exemplos de sucesso de governança multinível voltados para políticas climáticas e energéticas. (Energy Cities - 15.05.2023) 
Link Externo

Huawei e IDC: Redes de comunicação de energia críticas para a rede elétrica do futuro

O white paper divulgado pela Huawei e pela IDC destaca o papel das tecnologias de comunicação na construção de redes de energia sustentáveis ​​e neutras em carbono no futuro. O documento foi lançado durante o Huawei Sub-Saharan Africa Electric Power Summit, que ocorreu como parte do Enlit Africa 2023, na Cidade do Cabo, África do Sul. O white paper enfatiza que a rede de comunicação de energia é fundamental para o despacho automático da rede elétrica, operações de mercado e gerenciamento modernizado. Essa rede desempenha um papel crucial na garantia de operações seguras, estáveis ​​e econômicas da rede elétrica e de sua infraestrutura principal. O documento descreve também como construir uma base óptica inteligente para redes de comunicação de energia, com base em uma arquitetura totalmente óptica. O objetivo é ajudar a indústria de energia elétrica a lidar com os desafios digitais, atender aos requisitos técnicos da transformação digital e acelerar esse processo. (Smart Energy - 19.05.2023) 
Link Externo

G-20: Presidência da Índia é uma oportunidade para liderar a ação climática global

A Índia tem potencial para ser um ator importante na transição energética global, apesar de não ser o maior emissor de carbono nem ter a maior capacidade de energia renovável. Com sua grande população, economia em crescimento, metas ambiciosas de energia limpa, capacidade de mobilizar capital privado e avanços tecnológicos, o país pode demonstrar que é possível buscar um crescimento econômico implacável e capturar as oportunidades da transição para uma energia de baixo carbono. A Índia está liderando na construção de energia eólica e solar, possui programas de leilões bem-sucedidos e está construindo capacidade de energia renovável a baixos custos. A implantação de energia limpa na Índia tem uma grande oportunidade devido à crescente demanda por energia. No entanto, existem desafios, como a aquisição de terrenos e conexões de rede, que podem dificultar o alcance da meta de 50% de capacidade de geração de energia a partir de fontes não fósseis até 2030. O país precisa investir bilhões de dólares em energia renovável, veículos elétricos e outras áreas para alcançar emissões líquidas zero até 2050. (BNEF - 18.05.2023) 
Link Externo

Banco Mundial: Brasil está em vantagem para superar mudanças climáticas

O Brasil está em uma posição de vantagem para dar ao seu povo uma vida melhor e, ao mesmo tempo, superar com sucesso a ameaça da mudança climática, de acordo com o Relatório de Clima e Desenvolvimento do País elaborado pelo Banco Mundial. O relatório pontua que as mudanças climáticas já estão mudando os padrões de temperatura e precipitação no Brasil, resultando em redução da disponibilidade de água e secas prolongadas, e esses problemas devem piorar com o tempo. Eventos climáticos extremos, como secas, inundações repentinas e inundações fluviais nas cidades estão causando perdas médias de R$ 13 bilhões (0,1% do PIB de 2022) por ano. (Broadcast - 14.05.2023) 
Link Externo

Global Electricity Review: Brasil é o país com maior parcela de eletricidade limpa do G20

De acordo com a quarta edição anual da Global Electricity Review, publicada em 15 de maio, a energia eólica e a solar reduziram a participação da energia a carvão nos países do G20 desde o Acordo de Paris. O relatório, produzido pelo think tank Ember, mostra que as energias eólica e solar juntas representaram 13% da eletricidade nos países do G20 em 2022, em comparação com 5% em 2015. Nesse período, a energia eólica dobrou e a solar quadruplicou. Como resultado, a participação do carvão na eletricidade do G20 caiu de 43% em 2015 para 39% em 2022. No entanto, a transformação ainda não está acontecendo com rapidez suficiente para atender ao Acordo de Paris. Segundo o relatório, o Brasil tem a maior parcela de eletricidade limpa do G20. Em 2022, o país gerou 89% de sua eletricidade a partir de fontes limpas, o que inclui 63% de energia hidrelétrica, 12% de energia eólica e 3% de energia solar. (CanalEnergia - 15.05.2023) 
Link Externo

Cebds: Brasil traz oportunidades para transição energética

Empresas de diferentes setores com operações globais têm percebido o Brasil como um país com oportunidades para o atendimento de metas de redução de emissões e investimento em fontes renováveis de energia. Esse cenário considera o uso de tecnologias já empregadas no país, como solar e eólica em terra, e outras ainda em estudo, caso da eólica no mar. É o que mostra levantamento feito pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds). O trabalho constata, porém, que a maior dúvida paira hoje sobre a sustentabilidade dos investimentos a longo prazo. O Cebds nota que empresas do setor elétrico, como Eletrobras, Elera, Norte Energia, Energisa e Neoenergia, vêm investindo em projetos de energia renovável. Mais recentemente, companhias com origem no setor de óleo e/ou gás natural passaram a investir em projetos de energia renovável, com o objetivo de se transformarem em empresas integradas de energia, como Shell e Eneva. (Valor Econômico - 18.05.2023) 
Link Externo

Geração Distribuída

Enedis: França possui 187 comunidades de energia em operação

As comunidades de energia estão crescendo rapidamente na França, de acordo com a operadora de rede Enedis. O número de comunidades aumentou de apenas seis em 2018 para mais de 2.200 consumidores e 300 produtores até o final de março de 2023. Essas comunidades representam uma potência total de 11 MW, principalmente de energia fotovoltaica. Mais de 100 dessas comunidades são lideradas por autoridades locais. A ministra francesa para a Transição Energética, Agnès Pannier-Runacher, elogiou o desenvolvimento das comunidades de energia durante a cerimônia de lançamento da comunidade Partag'élec em Surzur, na região da Bretanha. A França introduziu o conceito de comunidades de energia em março de 2020, reunindo consumidores e produtores de energia fotovoltaica em uma unidade de autoconsumo. Outros países europeus, como Itália, Espanha e Portugal, também estão apoiando o desenvolvimento de comunidades energéticas. (PV Magazine - 18.05.2023) 
Link Externo

Bidgely: Lançamento de ferramenta de monitoramento de rede

A empresa startup de software de dados de energia, Bidgely, lançou o 8760 Energy Model, uma ferramenta de dados e relatórios que fornece informações detalhadas sobre o consumo de energia dos clientes ao longo de um ano inteiro, rastreados em intervalos horários. Essa ferramenta permite que as concessionárias e outras partes interessadas do setor identifiquem tendências, prevejam padrões futuros de consumo, incentivem comportamentos de consumo mais estáveis e compreendam o impacto do consumo na infraestrutura da rede. Com o crescimento da energia renovável intermitente, as concessionárias estão buscando soluções para orquestrar, agregar e monitorar o envio de energia limpa quando a geração é interrompida. O 8760 Energy Model oferece uma abordagem inovadora para o planejamento da rede, análise do carregamento de veículos elétricos, previsão de carga e outras necessidades relacionadas à energia. As concessionárias podem usar esses insights para desenvolver novas tarifas, produtos, serviços e investimentos em infraestrutura que agregam valor para os consumidores e para a rede como um todo. (PV Magazine - 17.05.2023) 
Link Externo

Armazenamento de Energia

Austrália: Financiamento para projetos de armazenamento de baterias de 2,8 GWh

O governo da Austrália Ocidental anunciou o financiamento de dois grandes projetos de armazenamento de energia em bateria (BESS, na sigla em inglês), que serão alguns dos maiores da Austrália até o momento. Com um pacote total de financiamento de AU$ 2,3 bilhões, esses projetos de BESS terão capacidade de até 4 horas de duração, um marco significativo para o mercado australiano, que tem sido dominado por sistemas de até 1 hora de duração. Esses projetos têm o objetivo de ajudar o estado a gerenciar seu fornecimento de eletricidade e confiabilidade, à medida que a geração térmica movida a carvão é desativada. Um dos projetos é um BESS de 500 MW/2.000 MWh em Collie, e o outro é um BESS de 200 MW/800 MWh em Kwinana. Esses projetos se juntarão a um BESS já concluído de 100 MW/200 MWh em Kwinana. O governo espera que esses projetos sejam operacionais antes do final de 2025 e desempenhem um papel fundamental na transição para fontes de energia mais limpas no estado. Esses projetos podem ser acompanhados por outros de tamanho semelhante no futuro, à medida que a Austrália investe em energias renováveis despacháveis em larga escala. (Energy Storage - 12.05.2023) 
Link Externo

Amprion e E.ON: Lançamento do primeiro impulsionador de rede descentralizado do mundo

A operadora do sistema de transmissão Amprion e a empresa de energia E.ON estão lançando uma série de projetos de armazenamento de energia alternativa, chamados Grid Booster, na Alemanha. Esses projetos, que totalizam 250 MW, serão conectados à rede de distribuição operada pela E.ON e ajudarão a estabilizar a rede elétrica, reduzir as intervenções e diminuir os custos do sistema. A Amprion recebeu aprovação da Agência Federal de Redes (BNetzA) para implementar esses projetos descentralizados de armazenamento de bateria. O primeiro projeto será implantado na área da operadora de rede regional LEW Verteilnetz (LVN), na Suábia da Baviera, e está previsto para entrar em operação em 2026. O Grid Booster neutralizará sobrecargas na rede e fornecerá uma resposta quase instantânea em caso de falhas na rede de transmissão, evitando danos subsequentes. Essa abordagem descentralizada usando vários projetos menores de armazenamento de bateria no nível de distribuição permitirá uma maior flexibilidade e menor impacto ambiental. Outros TSOs na Alemanha, como a TenneT e a TransnetBW, também anunciaram planos semelhantes para implantar projetos Grid Booster. A Amprion é responsável pela rede de transmissão na parte ocidental da Alemanha. (Energy Storage - 16.05.2023) 
Link Externo

Veículos Elétricos

Chevrolet e WEG: Parceria visando ampliar infraestrutura de recarga no Brasil

A General Motors (GM), empresa multinacional estadunidense de fabricação automotiva, anunciou uma nova parceria no Brasil para ampliar a infraestrutura de carregamento. Com o objetivo de expandir a rede de recarga residencial, a empresa está se unindo a WEG e a Eletricus para oferecer serviços customizados e estação de recarga doméstica em corrente (AC) que passam a ser ofertados pela rede de 78 concessionárias Chevrolet habilitadas para atender veículos elétricos. No caso da parceria com a WEG, o foco está em tecnologias específicas para estações de recarga de parede (wallbox) ou fixas que permitem recarga até três vezes mais rápido que o padrão disponível no mercado (7,4 kW), com potência que pode chegar a 22 kW, dependendo da rede elétrica disponível. (Inside EVs - 15.05.2023)  
Link Externo

Montadoras entram no setor de mineração visando baterias para VEs

A transição da indústria automobilística para veículos elétricos está levando as montadoras a se envolverem no negócio de mineração para garantir o fornecimento de materiais essenciais, como lítio, níquel e grafite, usados ​​na fabricação de baterias. Grande parte desses materiais estão sendo atualmente extraídos de países como China e Austrália. Em janeiro, a General Motors decidiu investir em um projeto conjunto com a mineradora Lithium Americas. Em março, a Ford Motor anunciou um investimento em uma mina de níquel na Indonésia, enquanto a Stellantis revelou um investimento em uma mina de cobre na Argentina. Esses investimentos refletem a percepção tardia da indústria automobilística de que a mineração precisa aumentar sua produção de minerais para baterias. As montadoras estão assumindo o papel de investidores e clientes para garantir um abastecimento adequado e sustentável desses materiais cruciais. (Valor Econômico - 15.05.2023) 
Link Externo

Abla: Compra de VEs por locadoras cresceu 88% em 2022

Com a aceleração da transição energética no Brasil, o segmento de locadoras foi um dos principais impulsionadores das vendas de modelos eletrificados no país. Segundo levantamento da Abla, entidade que representa o setor, em 2022 os emplacamentos de carros elétricos e híbridos quase dobraram na comparação com o ano anterior. O levantamento feito no âmbito do Anuário Brasileiro do Setor de Locação de Veículos mostra que no ano passado as locadoras compraram 3.300 veículos elétricos e híbridos, crescimento de 88,9% em comparação com o anterior, onde foram comercializadas 1.700 unidades, o que representa 6,6% do total de modelos eletrificados vendidos no país no período. Os dados também mostram que entre 2018 e 2022 as locadoras compraram mais de 5.600 veículos eletrificados, saltando de apenas 43 unidades para as 3.300 do ano passado. (Inside EVs - 16.05.2023) 
Link Externo

Prefeitura de Curitiba anuncia a compra dos primeiros 70 ônibus elétricos

No âmbito do plano estratégico de eletrificação e modernização do transporte público, a prefeitura de Curitiba anunciou a compra dos primeiros 70 ônibus elétricos que farão parte da frota municipal e terão início de circulação entre maio e junho de 2024. Segundo o comunicado oficial, a prefeitura irá investir R$ 200 milhões, em recursos próprios, na aquisição desse primeiro lote de veículos elétricos para operar no transporte público, como um marco do processo de implantação da eletromobilidade em larga escala na cidade, dentro do Programa de Mobilidade Sustentável de Curitiba. A meta da prefeitura de Curitiba é que no médio prazo, até 2030, 33% da frota de ônibus local deverá operar com emissão zero; alcançando 100% até 2050, como parte do Plano de Ação Climática (PlanClima), alinhado às ações globais de sustentabilidade. (Inside EVs - 16.05.2023) 
Link Externo

Goiás: Comissão aprova projeto que concede isenção de IPVA a VEs

Os deputados da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) de Goiás aprovaram relatório favorável ao projeto 563/23, de autoria do deputado Clécio Alves (Republicanos). A propositura altera a Lei nº 11.651, de 26 de dezembro de 1991, que trata do Código Tributário do Estado de Goiás, para instituir a isenção do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para automóveis elétricos. A medida abrange, inclusive, os modelos híbridos plug-in, que combinam motores elétricos e à combustão e podem ser carregados por meio de uma fonte externa. (Assembleia Legislativa de Goiás - 16.05.2023) 
Link Externo

Chevrolet Bolt EUV supera 900 km sem recarregar e crava recorde no Brasil

Recém-lançado no Brasil, o novo Chevrolet Bolt já emplacou uma conquista: o crossover estabeleceu um recorde de autonomia no Brasil. Para marcar a estreia do SUV elétrico no País, um desafio de eficiência energética máxima foi realizado no Campo de Provas da General Motors em Cruz Alta (SP). O desafio de autonomia do Bolt EUV durou 28 horas e 30 minutos. A prova consistia em dirigir o modelo na "reta infinita", trecho circular de 4,8 km, até esgotar a carga. Participaram do teste clientes, jornalistas, influenciadores, revendedores, parceiros e colaboradores da GM. Assim, todos se revezaram ao volante do SUV. O intuito foi descobrir qual a distância possível de se percorrer com os 66 kW de carga máxima disponíveis na bateria, se exigindo condições de máxima eficiência. O crossover percorreu um total de 901,8 km sem precisar recarregar, o equivalente à distância entre Rio de Janeiro (RJ) e Curitiba (PR). (O Estadão - 17.05.2023) 
Link Externo

Volkswagen: Planos para igualar lucros de VEs e a combustão em 2025

Enquanto a equiparação de preços entre carros elétricos e a combustão ainda deve levar alguns anos, provavelmente na segunda metade da década, montadoras como a Volkswagen já falam em paridade de lucros para os dois tipos de propulsão acontecendo em 2025. Segundo a reportagem do Automotive News Europe, o diretor financeiro da Volkswagen, Arno Antlitz, falou que o aumento dos custos das matérias primas das baterias significa que será necessário esperar até 2025 para que "alguns carros elétricos" alcancem as mesmas margens de lucro dos veículos com motores a combustão. (Inside EVs - 18.05.2023)  
Link Externo

ABB e Scania: Super carregador rápido para caminhões elétricos

O aumento da velocidade de carregamento para os veículos elétricos é um ponto crucial na transição energética, sobretudo para os caminhões e ônibus. De olho nessa necessidade, a Scania testou com sucesso um sistema piloto de carregamento de megawatts da ABB E-mobility. Esse movimento representa um novo marco no desenvolvimento de soluções de carregamento de alta potência para veículos comerciais. De acordo com o comunicado oficial da ABB, esta tecnologia permitirá metade do tempo de carregamento para veículos pesados, um fator que ajudará a impulsionar a venda desse tipo de veículo. Todo esse investimento mira uma meta agressiva de eletrificação da Scania, com o objetivo de que 50% das vendas anuais da empresa sejam de veículos elétricos em 2030. Nesse ponto, a infraestrutura e a rapidez do carregamento é crucial. (Inside EVs - 18.05.2023)  
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

Bidgely: Novo software pode ajudar as concessionárias a analisar a demanda e definir taxas melhores

A empresa de software Bidgely anunciou uma solução baseada em inteligência artificial chamada "8760 Energy Insights" que fornece às concessionárias informações detalhadas sobre o uso de energia dos clientes ao longo de todo o ano, incluindo dados sobre o tipo de aparelhos utilizados e se possuem veículos elétricos. Com esses insights, as concessionárias podem incentivar comportamentos que estabilizam a rede elétrica e entender melhor o impacto da carga nos ativos da rede. A solução permite que as concessionárias identifiquem tendências, prevejam padrões futuros e planejem estrategicamente o gerenciamento da rede, considerando desafios como energia distribuída, veículos elétricos e eventos climáticos extremos. As informações fornecidas pelo software podem auxiliar no desenvolvimento de novas tarifas, produtos, serviços e investimentos em infraestrutura que proporcionem maior valor para os clientes e as concessionárias. Além disso, a solução permite explorar alternativas sem fio para o gerenciamento da rede e auxilia na preparação para eventos climáticos extremos que possam sobrecarregar a rede elétrica. (Power Grid - 17.05.2023) 
Link Externo

Eficiência Energética

Enel: Seleção de projetos em chamada pública de eficiência energética

A Enel Brasil vai destinar R$ 33,4 milhões para financiar a implementação de 15 iniciativas nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro selecionados na Chamada Pública de Projetos de Eficiência Energética (CPP) de 2022. A ação é financiada com recursos do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Aneel. Os projetos selecionados promovem o consumo eficiente e sustentável de energia, com o objetivo de contribuir para reduzir o valor das contas de luz e promover o desenvolvimento sustentável. Ao todo, 32 projetos foram inscritos na CPP 2022 nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará, estados em que a Enel atua no segmento de distribuição. Os resultados da CPP da Enel Ceará serão divulgados até o início de junho. De acordo com a empresa, dos 15 projetos selecionados, 10 envolvem a eficientização de prédios públicos e privados, e cinco são iniciativas de iluminação pública. (CanalEnergia - 17.05.2023)  
Link Externo

Endesa: Campanha premia financeiramente os clientes por serem mais eficientes

A Endesa, empresa espanhola de geração e distribuição de energia elétrica, lançou a campanha "Tudo Conta", uma iniciativa que dá recompensas econômicas pelo 'não consumo' de energia aos clientes atuais ou aqueles que já tenham contratado a Endesa no mercado livre de energia. O objetivo é sensibilizar as pessoas para a necessidade de melhorar a eficiência energética nas suas casas, oferecendo descontos nas faturas caso reduzam o consumo de eletricidade e proporcionando o acesso a soluções de eficiência energética, oferecido pela Endesa X, incluindo a instalação de painéis solares e equipamentos de ar condicionado eficientes. Com esta campanha de sensibilização, a Endesa oferece a motivação necessária para que cada ação individual que seja tomada para cuidar do planeta seja recompensada financeiramente. Para controlar e gerir melhor o consumo de eletricidade, os clientes têm acesso à infoEnergía, a ferramenta digital da Endesa que permite uma avaliação gratuita e personalizada de como podem economizar no consumo de eletricidade. (EletricEnergyOnline - 23.05.2023) 
Link Externo

Microrredes e VPP

Iberdrola: Utilização de resposta da demanda com VPP

A Iberdrola, empresa espanhola líder do setor de energia, construiu uma Usina Virtual de Energia (VPP) para fornecer serviços de resposta à demanda ativa, por meio de um serviço de despacho automatizado na Espanha. A concessionária construiu o VPP através da plataforma 'Concerto' da Generac Grid Services, uma subsidiária da Generac Power Systems. As empresas trabalham juntas para agregar geração solar e carga de instalações comerciais e industriais, bem como casas inteligentes em toda a Espanha para apoiar a estabilização da frequência da rede para o sistema de transmissão espanhol. “O ecossistema aberto da plataforma Concerto nos permite conectar e despachar ativos que utilizam diferentes interfaces de comunicação”, afirmou Rafael Bellido, Diretor de Soluções de Flexibilidade da Iberdrola. “Isso ajuda a Iberdrola a gerar valor a partir de um maior número de sistemas participantes, beneficiando nossos clientes e ajudando a manter a rede elétrica espanhola mais confiável”. (Smart Energy - 19.05.2023) 
Link Externo

Instalação de microrredes em bases do exército dos EUA

Especialistas militares e da indústria de energia se reuniram na conferência da Microgrid Knowledge para discutir os desafios e promessas enfrentados pelo Exército dos EUA em relação às metas climáticas. A Estratégia Climática do Exército inclui a adição de uma microrrede em cada uma de suas instalações até 2035. Cada instalação apresenta desafios e oportunidades únicas. No ano passado, o Exército contratou projetos de resiliência de energia com financiamento privado, como o projeto em Los Alamitos, que consiste em uma microrrede conectada à rede local. O Exército possui mais de 1.000 instalações, e implementar recursos energéticos distribuídos em todas elas é um desafio complexo. Os objetivos militares são resiliência, combate às mudanças climáticas e custo, objetivos esses que podem entrar em conflito. (MicrogridKnowledge - 19.05.2023) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

Sérvia: Lançamento de projeto de medição inteligente

O projeto de medição inteligente da Sérvia recebeu recentemente financiamento para implementar a tecnologia AMI em todo o país. Jovan Vujasinović, diretor executivo da VF Holding, recebeu informações sobre o desenvolvimento do projeto, que está previsto para começar a ser implementado no início do próximo ano. O principal objetivo do projeto é digitalizar completamente o sistema de distribuição de eletricidade do país, buscando reduzir as perdas de energia na rede e melhorar a eficiência das conexões para os consumidores. A VF Holding, uma empresa de consultoria envolvida no projeto, apresentou o progresso do projeto durante a conferência Enlit Africa. Com a implementação da medição inteligente, espera-se que a Sérvia alcance maior eficiência energética e melhore a qualidade do serviço de energia elétrica oferecido aos consumidores. O lançamento do projeto representa um avanço significativo em direção à modernização do setor elétrico do país. (Smart Energy – 16.05.2023) 
Link Externo

Berg Insight: Penetração de medidores inteligentes na América Latina triplicará até 2028

De acordo com a análise da Berg Insight, empresa de análise de IoT, a penetração de medidores inteligentes na América Latina mais do que triplicará de 11,7 milhões de unidades no final do ano passado para 38,4 milhões até 2028. O novo relatório da empresa, Medição inteligente na América Latina, revela que a penetração de medidores inteligentes de eletricidade na América Latina, região que inclui Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Peru, Uruguai, Costa Rica, México e Panamá, chegou a 6,2% em 2022. De acordo com o relatório, a base instalada crescerá 21,7% de 2022 a 2028 para atingir um total de 38,4 milhões, um aumento de 26,7 milhões ao longo de 6 anos. (Smart Energy – 17.05.2023) 
Link Externo

Endesa: Avanço na digitalização da rede elétrica de Barcelona

A Endesa, empresa espanhola de distribuição e geração de energia elétrica, está investindo na modernização e digitalização da infraestrutura elétrica de Barcelona para transformá-la em uma "cidade digital do futuro". O Plano da Cidade, desenvolvido em parceria com a Câmara Municipal de Barcelona, ​​tem como foco o aprimoramento contínuo das redes elétricas de baixa, média e alta tensão, bem como a garantia da qualidade do fornecimento de energia. Isso inclui a renovação e automação da rede, a digitalização para integração e gerenciamento de recursos energéticos distribuídos e o fortalecimento da rede para suportar uma eletrificação mais ampla. A empresa prioriza o desenvolvimento de redes inteligentes para lidar com novos usos de energia, como geração distribuída, autoconsumo e mobilidade elétrica. O plano inclui ações como renovação de cabos, ampliação de centros de transformação, automação da rede e implementação de sistemas de localização de falhas. O investimento previsto é de € 46 milhões na digitalização da rede do país este ano. (Smart Energy - 16.05.2023) 
Link Externo

Como a DEWA está usando avatares 3D do Microsoft Mesh e ChatGPT

A Autoridade de Eletricidade e Água de Dubai (DEWA) está testando novas tecnologias de comunicação, como avatares Microsoft Mesh 3D e ChatGPT. Em parceria com a Microsoft, a DEWA está usando avatares 3D para melhorar a comunicação flexível entre seus funcionários durante reuniões virtuais. Os avatares animados substituem a necessidade de câmeras ou webcam durante as reuniões no Teams. A cooperação entre a DEWA e a Microsoft visa a inovação e liderança, além de apoiar os esforços para alcançar desenvolvimento sustentável e neutralidade de carbono até 2050. A DEWA também está testando o ChatGPT em seu site como parte de sua estratégia de incorporar inteligência artificial em suas operações e serviços. O ChatGPT aprimorou a capacidade do 'funcionário virtual' Rammas, com respostas mais rápidas e com maior precisão nas consultas dos clientes. A DEWA planeja expandir o uso do ChatGPT em outros serviços, após o sucesso do Rammas, que já respondeu a mais de sete milhões de consultas desde seu lançamento. (Smart Energy - 17.05.2023) 
Link Externo

PyPSA-Earth: Novo modelo de sistema de energia global de código aberto

A iniciativa PyPSA Meets Earth lançou o PyPSA-Earth, um modelo de sistema de energia global de código aberto baseado em dados. O PyPSA-Earth é uma extensão do modelo PyPSA-Eur para a Europa e permite a colaboração em grande escala, fornecendo uma ferramenta para modelar o sistema energético mundial com dados em alta resolução espacial e temporal. O modelo é adequado para estudos de expansão de geração, armazenamento e transmissão combinados e operacionais. O PyPSA-Earth incorpora dados de demanda de eletricidade, geração e redes de média a alta tensão de fontes abertas, podendo ser integrados dados adicionais. O aplicativo é escalável e foi projetado para lidar com grandes redes e séries temporais longas. Um estudo de validação foi realizado para o continente africano, demonstrando a capacidade do modelo em prever a demanda de energia. A iniciativa prevê que o PyPSA-Earth possa se tornar um modelo de referência aberto para o planejamento do sistema de energia. (Smart Energy - 19.05.2023) 
Link Externo

Segurança Cibernética

EUA: Audiência da Câmara detalha os esforços de resiliência cibernética

Funcionários do Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS), Agência de Proteção Ambiental (EPA) e Departamento de Energia (DOE) testemunharam em uma audiência da Câmara sobre a resposta das agências às ameaças cibernéticas crescentes. As agências federais estão intensificando os esforços para compartilhar inteligência e aumentar a resiliência do setor diante de ameaças contra a infraestrutura crítica. A audiência examinou os esforços recentes do DOE, EPA e HHS para enfrentar as ameaças cibernéticas nos setores de energia, água e saúde. O DOE está liderando um programa chamado Energy Threat Analysis Center para coordenar informações sobre ameaças cibernéticas no setor de energia. Hospitais e sistemas de saúde também estão enfrentando um aumento nos ataques cibernéticos, com o ransomware sendo um dos principais métodos de ataque. O HHS está coordenando iniciativas para fortalecer a segurança cibernética no setor de saúde. As autoridades também estão focadas em proteger os sistemas de água potável e de esgoto contra ataques cibernéticos. (CyberSecurityDive - 17.05.2023) 
Link Externo

Osterman Research: Programas de resiliência cibernética falham em preparar trabalhadores para uma crise

Um relatório da Osterman Research, patrocinado pela Immersive Labs, revelou que os programas corporativos destinados a aumentar a resiliência cibernética dos funcionários estão falhando em atingir seus objetivos. Mais da metade dos líderes de segurança cibernética afirmaram que sua força de trabalho não está preparada para lidar com um ataque cibernético. Cerca de 95% dos funcionários em dois terços das organizações não entendem como se recuperar após um ataque. A responsabilidade pelas práticas de gerenciamento de dados e segurança está sendo avaliada. O relatório destaca a necessidade de maior envolvimento dos conselhos de administração e questiona o valor das certificações do setor. A pesquisa envolveu 570 líderes de risco e segurança de nível sênior nos EUA, Reino Unido e Alemanha em empresas com pelo menos mil funcionários. (CyberSecurityDive - 18.05.2023) 
Link Externo

Juniper Research: Custos dos ataques à cadeia de suprimentos de software podem ultrapassar US$ 46 bilhões este ano

De acordo com a Juniper Research, empresa de pesquisa do setor de tecnologias digitais, espera-se que as perdas causadas por ataques à cadeia de suprimentos de software aumentem 76%, chegando a quase US$ 81 bilhões até 2026. Somente este ano, as empresas enfrentarão custos de aproximadamente US$ 46 bilhões devido a esses ataques. Setores como saúde, finanças, governo e automotivo serão os mais impactados. A falta de mudanças na segurança da cadeia de suprimentos de software resultará em organizações inocentes sendo alvo desses ataques cibernéticos. A pesquisa aponta recursos insuficientes de segurança cibernética, falta de reconhecimento do valor dos processos envolvidos e falta de conscientização sobre essa ameaça como principais fatores para o aumento desses custos. Reforçar a segurança do software é uma prioridade na estratégia nacional de cibersegurança dos Estados Unidos, mas transferir a responsabilidade para os fornecedores ainda é um desafio, uma vez que muitos rejeitaram os princípios de segurança por design e por padrão. (CyberSecurityDive - 12.05.2023) 
Link Externo

Yum Brands: Ações coletivas de funcionários após ataque de ransomware

A Yum Brands, operadora da Taco Bell e KFC, está enfrentando um processo judicial devido ao roubo de dados pessoais de funcionários durante um ataque de ransomware em janeiro. A empresa divulgou que várias ações coletivas foram movidas por funcionários alegando violação de privacidade relacionadas ao ataque. O incidente levou ao fechamento de quase 300 restaurantes da empresa no Reino Unido por um dia. A Yum Brands opera mais de 55 mil restaurantes em todo o mundo sob várias marcas. Embora não haja evidências de que os dados roubados tenham sido usados ​​para atividades fraudulentas, um funcionário de uma franquia recebeu uma carta indicando a possível violação de informações pessoais, como nome, endereço, dados de nascimento e número do Seguro Social. A empresa está tomando medidas para notificar e oferecer serviços de monitoramento e proteção gratuita aos dependentes. A Yum Brands não espera que o ataque tenha um impacto adverso significativo em seus negócios. (CyberSecurityDive - 16.05.2023) 
Link Externo

Tribunais de Dallas ainda fechados 2 semanas após ataque de ransomware

Duas semanas após um ataque de ransomware que afetou a moderna metrópole de Dallas, no Texas, vários serviços da cidade ainda permaneceram inativos. O tribunal municipal não consegue acessar os pagamentos e todas as audiências e julgamentos foram cancelados. Os sistemas do Departamento de Polícia de Dallas ainda estão indisponíveis, exceto pelos computadores nos veículos policiais. A indisponibilidade contínua dos serviços afeta a segurança pública. A recuperação completa e restauração dos serviços pode levar semanas, devido à complexidade envolvida na verificação, limpeza e restauração dos sistemas. O tempo de recuperação prolongado em Dallas é típico em casos de ransomware, e pode levar meses para que tudo volte ao normal. O departamento de TI da cidade recuperou o acesso a alguns serviços públicos e sites uma semana após o ataque, mas outros sistemas permanecem inativos. Não há evidências de vazamento de dados de residentes, fornecedores ou funcionários, e não foi revelado se os responsáveis ​​pelo ataque exigem resgate. (CyberSecurityDive - 17.05.2023) 
Link Externo