IFE
08/05/2023

IFE Tecnologia Exponencial 129

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
08/05/2023

IFE nº 129

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tecnologia Exponencial 129

Transição Energética e ESG

BayWa: Guerra na Ucrânia pode atrasar metas climáticas dos EUA em 3 anos

Um novo estudo mostra que os altos preços da energia resultantes da guerra na Ucrânia estão prejudicando as metas de sustentabilidade de muitos líderes empresariais. No entanto, a guerra também destacou a importância da energia renovável, com 98% das empresas americanas planejando usar energia renovável nos próximos anos. O estudo, produzido pela BayWa r.e., pesquisou mais de 500 tomadores de decisão em setores empresariais e políticos nos EUA e 3.000 em todo o mundo. Mais de um terço dos líderes empresariais dos EUA esperam que o conflito e a volatilidade dos preços de energia resultante afetem seus negócios em até 10% dos custos associados. O estudo conclui que a falta de liderança dos EUA está prejudicando as metas globais de neutralidade de carbono. O sentimento em relação às mudanças climáticas também está mudando, com menções negativas ao termo "neutralidade de emissões" dobrando entre os entrevistados. As menções relacionadas às emissões de carbono aumentaram 130% de 2020 a 2022. (Renewable Energy World - 21.04.2023) 
Link Externo

Beyond Limits: Quatro maneiras pelas quais a IA pode nos aproximar da neutralidade de carbono

O CEO da Beyond Limits, AJ Abdallat, destaca em seu artigo que a inteligência artifical (IA) pode ser utilizada para ajudar a salvar o meio ambiente e atingir as metas de zero líquido. Ele lista quatro maneiras pelas quais a IA pode ajudar nesse objetivo: fortalecer a rede elétrica, modernizar a indústria de petróleo e gás, descarbonizar a atmosfera e tornar os veículos elétricos mais acessíveis. Para fortalecer a grade, a IA pode ser usada para detectar padrões e ajudar as utilities a se prepararem para o consumo de energia do dia seguinte, reduzindo o desperdício de energia. Na indústria de petróleo e gás, a IA pode ser usada para detectar avarias em equipamentos, rastrear oferta e demanda e evitar ineficiências. A IA pode ser especialmente útil na descarbonização da atmosfera, ajudando a identificar soluções de captura de carbono que sejam viáveis e eficazes. Por fim, a IA pode ajudar a tornar os veículos elétricos mais acessíveis, criando modelos de previsão de demanda para incentivar o investimento em infraestrutura de recarga. (Smart Energy - 26.04.2023) 
Link Externo

Canadá: Avaliação das estruturas fiscais e regulatórias de CCUS

O Canadá está se posicionando como líder na redução de emissões de carbono por meio da tecnologia de captura, utilização e armazenamento de carbono (CCUS). Essa tecnologia pode reduzir as emissões da indústria pesada e habilitar a cadeia de valor para tecnologias como a captura direta de ar (DAC). O governo canadense introduziu duas alavancas fiscais e regulatórias para apoiar a ampla adoção dessa tecnologia: a precificação do carbono e um crédito fiscal de investimento para CCUS (ITC, na sigla em inglês). O sistema federal de preços baseado na produção para o carbono verá o custo do CO2 aumentar até 2030. Na província de Alberta, o regulamento TIER para emissores industriais foi considerado suficiente para evitar que o programa federal de grandes emissores seja aplicado como proteção. Por outro lado, a formação da Pathways Alliance, iniciativa que reúne empresas de petróleo, reflete a tendência do setor de O&G para a colaboração como forma de apoiar o futuro econômico do setor de CCUS. O ITC em combinação com a precificação do carbono oferece um incentivo suficiente para as empresas implantarem o CCUS. O governo canadense entende que para manter o ímpeto e garantir a entrega do projeto, alavancas econômicas adicionais podem ser necessárias para reduzir a lacuna de investimento. (Oxford Energy - 20.04.2023) 
Link Externo

EUA: Associações criticam tentativa de revogar a legislação para energias renováveis

As associações comerciais de energia renovável, o American Council on Renewable Energy (ACORE), a American Clean Power Association (ACP) e a Solar Energy Industries Association (SEIA) criticaram uma proposta republicana de revogar a Lei de Investimento em Infraestrutura e Empregos recentemente promulgada, que estimulou investimentos sem precedentes nos mercados de energia limpa dos Estados Unidos. O projeto de lei republicano reduziria o apoio federal para energia renovável e armazenamento de energia permitidos pela Lei de Redução da Inflação, bem como outros esquemas de assistência financeira federais. No entanto, a expectativa é que a proposta seja vetada no Senado, controlado atualmente pelos democratas. (Energy Storage - 27.04.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Viabilidade das energias renováveis em perigo

O Reino Unido está em risco de falhar na missão de descarbonizar o setor de energia até 2035, a menos que o governo tome medidas para apoiar a entrega de energias renováveis, alertou um relatório parlamentar. É necessário uma "liderança política aprimorada" para lidar com as barreiras à implantação e tornar o Reino Unido um mercado mais atraente para os desenvolvedores. O relatório adverte que a proposta de investimento para eletricidade de baixo carbono do Reino Unido "se deteriorou" nos últimos 12 meses, colocando em perigo a viabilidade de muitos projetos renováveis. O órgão comercial Energy UK disse que as descobertas ecoam as preocupações levantadas pela indústria, alertando que o governo precisa "reconhecer e responder rapidamente aos desafios" que cresceram para os desenvolvedores de baixo carbono. (Renews.Biz - 28.04.2023) 
Link Externo

Armazenamento de Energia

Aurora Energy: Mercados europeus de baterias atrairão investimentos de mais de € 70 bilhões até 2050

De acordo com um estudo da Aurora Energy, os mercados de armazenamento de bateria em toda a Europa atrairão mais de € 70 bilhões (US $ 77 bilhões) em investimentos até 2050. O papel vital que as baterias podem desempenhar na descarbonização do setor de energia da Europa deve levar a um aumento das instalações nas próximas décadas. A capacidade instalada em larga escala de rede aumentará para 42 GW até 2030 e pelo menos 95 GW até 2050, em comparação com os 5 GW instalados em todo o continente atualmente. Essas adições de capacidade representam uma oportunidade de investimento acumulada de mais de € 70 bilhões entre 2023 e 2050. Mais de 40% desse capital será implantado até o final de 2030, calcula a Aurora. (Smart Energy - 24.04.2023) 
Link Externo

Concessionárias europeias escolhem soluções de armazenamento de energia térmica da Brenmiller e Kraftblock

As empresas Brenmiller e Kraftblock concordaram em implantar projetos comerciais de grande escala para grandes concessionárias europeias, totalizando 2 GWh e 150 MWh, respectivamente. A Brenmiller Energy assinou um termo de compromisso com um parceiro líder global em energia limpa e desenvolvedor Green Enesys Group para nove projetos, totalizando 2 GWh de capacidade de armazenamento de energia térmica. Enquanto isso, a empresa alemã Kraftblock anunciou um projeto com a concessionária holandesa Eneco e a PepsiCo, que utilizará um sistema de calor líquido zero da Kraftblock alimentado por energia eólica da Eneco. O sistema terá uma capacidade de armazenamento de energia térmica de 70 MWh na fase um e 150 MWh após a fase três. A Kraftblock tem como alvo mercados como aço, processamento de metais, cerâmica, alimentos, papel e produtos químicos para seu lançamento comercial. (Energy Storage - 27.04.2023) 
Link Externo

UNEF: Baterias são tão importantes quanto os painéis solares

Um novo estudo da União Espanhola de Fotovoltaica (UNEF) revelou que o armazenamento de energia por trás do medidor começou a ganhar impulso na Espanha em 2022. O estudo mostra que 1.382 MWh de energia solar podem ser armazenados. O estudo foi o primeiro do seu tipo na Espanha e teve como objetivo avaliar a eletricidade que pode ser armazenada por consumidores que possuem painéis solares e baterias instalados. De acordo com os resultados, as baterias das instalações dos consumidores economizaram até 1.382,84 MWh de energia solar em 2022, dos quais 692,44 MWh correspondiam a instalações conectadas à rede e 690,39 MWh a instalações solares isoladas. O relatório conclui que a capacidade de armazenamento para autoconsumo oscilou em torno de 260 MW. A UNEF destaca a importância de investir em pesquisa e desenvolvimento para ampliar a transição para uma energia sustentável. (Energias Renovables - 27.04.2023) 
Link Externo

Veículos Elétricos

Governo Federal estuda linha de crédito para impulsionar VEs no Brasil

Os executivos da montadora chinesa, BYD, se reuniram com o governador da Bahia e o presidente da República para tratar dos detalhes da futura instalação de sua fábrica no Brasil, onde surgiram demandas para alavancar as vendas de carros elétricos no país. A ideia da montadora chinesa é construir a maior linha de montagem para VEs e eletrificados fora da China, com a missão de abastecer o mercado interno e os países da América Latina. No entanto, a montadora fez algumas exigências para avançar com o projeto, e entre elas está a criação de linhas de crédito para alavancar as vendas de VEs junto a motoristas de aplicativo, taxistas e a população de renda mais baixa. Também está na lista de exigências políticas públicas para que os governos Federal e Estadual assumam o compromisso de incorporar veículos elétricos em suas frotas oficiais e de serviços públicos. Por fim, foi colocado na mesa a questão da isenção de IPVA, que o governador disse que eventualmente pode ser atendida de forma parcial. (Inside EVs - 20.04.2023)  
Link Externo

Canadá: Novos subsídios com o objetivo de abrigar fábrica de baterias da Volkswagen

O governo do primeiro-ministro Justin Trudeau concordou com subsídios que podem chegar a 13 bilhões de dólares canadenses (US$ 9,7 bilhões) ao longo de uma década para construir uma fábrica de baterias para veículos elétricos da Volkswagen AG, a primeira da empresa fora da Europa. O dinheiro vem por meio de um contrato inédito negociado pelo ministro da Indústria de Trudeau, François-Philippe Champagne. O Canadá fornecerá subsídios anuais à produção, bem como uma concessão para o custo de capital da fábrica, igualando efetivamente o que a montadora alemã poderia ter recebido por meio da Lei de Redução da Inflação se tivesse se instalado nos EUA, de acordo com funcionários do governo. (Broadcast Energia - 20.04.2023)  
Link Externo

BYD: Testes com ônibus elétricos articulados em Curitiba

Os ônibus elétricos da BYD começaram a circular na sexta-feira (28/04), abrindo a fase de testes para o plano de mobilidade elétrica no transporte coletivo da prefeitura de Curitiba (PR). Segundo comunicado divulgado pela prefeitura da capital paranaense, o veículo articulado vai circular, sem passageiros, pelas rotas das linhas Interbairros II, Inter 2 e no Eixo Leste/Oeste. Será uma avaliação de 30 dias, podendo ser prorrogada por mais 30 dias, que marcará o início da série de testes técnicos com VEs que vão servir de base para o plano de mobilidade elétrica do município. No edital, já constam seis empresas cadastradas - além da BYD, Eletra, Volvo, Mercedes, Higer e Marcopolo farão testes - e oito veículos que serão testados até outubro. Os resultados desses testes servirão de base para elaborar o edital de compra dos primeiros ônibus elétricos que farão parte da frota municipal, em 2024. Os ônibus elétricos vão transportar cerca de 370 mil pessoas por dia. (Inside EVs - 24.04.2023) 
Link Externo

Raízen: Instalação de carregadores elétricos para caminhões da Ambev

Visando integrar caminhões elétricos à sua frota, a Ambev instalou uma estação com três carregadores exclusivos para a recarga rápida dos veículos na cervejaria localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A estrutura completa foi fornecida pela Raízen, que oferece a solução Shell Recharge em estações de alta potência (150 kW), sendo capaz de recarregar os veículos em até 60 minutos. O acordo entre as empresas prevê inicialmente o fornecimento anual de 480 MWh de energia renovável. (CanalEnergia – 24.04.2023) 
Link Externo

Califórnia atinge 1,5 milhão de carros elétricos antes da meta

A Comissão de Energia da Califórnia (CEC, na sigla em inglês) afirma que o estado mais rico dos EUA atingiu as vendas de VEs previamente estipulada de 1,5 milhão de unidades dois anos antes de sua meta de 2025. Isso pode não ser surpresa para as pessoas que acompanham o segmento, graças à enorme popularidade dos veículos elétricos na Califórnia, embora esse não seja o único estado dos EUA com vendas de veículos elétricos em expansão. O ex-governador da Califórnia, Jerry Brown, estabeleceu a meta de vendas de veículos elétricos para 2025, em 2012. Em 2023, 21% dos carros vendidos até o momento na Califórnia eram VEs. Nenhum outro estado pode afirmar ter números tão altos. Até o momento, 40% de todos os carros com emissão zero vendidos nos EUA durante 2023 foram vendidos na Califórnia. Os incentivos governamentais foram fundamentais para ajudar a Califórnia a atingir o marco de vendas de veículos elétricos mais rapidamente. (Inside EVs - 24.04.2023) 
Link Externo

São Paulo: Carros elétricos e híbridos podem ter IPVA zero no estado

Os carros elétricos e híbridos que circulam no estado de São Paulo podem ter o IPVA reduzido ou mesmo zerado. O plano foi comentado pelo governador Tarcísio de Freitas e pode entrar em vigor já em 2024. A fala do governador se dá no mesmo momento em que um aumento de tributação para carros elétricos e híbridos é sustentado pela Anfavea, entidade que representa os fabricantes automotivos no país. O objetivo é passar a cobrar imposto de importação para os modelos eletrificados, que até o momento são isentos desse tributo. Mas voltando ao estado de São Paulo, a isenção de IPVA se mostra uma medida favorável. Na capital, desde o ano passado, já existe o desconto de 50% para os veículos eletrificados de qualquer valor. Ampliar essa medida para todo o estado é mais um incentivo para mobilidade elétrica. (Inside EVs - 26.04.2023)  
Link Externo

GM e Samsung: Construção de fábrica de baterias para VEs

A General Motors e a Samsung SDI confirmaram uma nova joint venture de baterias que investirá mais de US$ 3 bilhões na construção de uma nova fábrica de células de baterias nos EUA. Com início de atividade previsto para 2026, a nova fábrica terá mais de 30 GWh de capacidade e elevará a capacidade total de células de bateria da GM nos EUA para cerca de 160 GWh quando estiver totalmente operacional. As empresas afirmaram que consideram explorar conjuntamente as instalações, que deverão dispor de linhas de produção para fabricar células prismáticas e cilíndricas ricas em níquel. As células de bateria que serão produzidas nas novas instalações serão utilizadas para alimentar os veículos elétricos da GM baseados na plataforma Ultium. (Inside EVs - 25.04.2023)  
Link Externo

IEA: Vendas de VEs devem atingir recorde em 2023

A nova edição do relatório anual Global Electric Vehicle Outlook da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) indica que este ano as vendas no mundo de VEs devem atingir um novo recorde. A participação no mercado automotivo deve ir a cerca de 20%, impactando em especial o setor petroleiro. O relatório mostra que mais de 10 milhões de VEs foram vendidos em todo o mundo no ano passado e que as vendas devem crescer mais 35% este ano, chegando a 14 milhões. A disparada significa que a participação dos carros elétricos no mercado de automóveis aumentou de cerca de 4% em 2020 para 14% em 2022 e deve aumentar ainda mais para 18% este ano, com base nas últimas projeções da IEA. Até 2030, a participação média dos carros elétricos nas vendas totais na China, na União Europeia e nos Estados Unidos deve aumentar para cerca de 60%. (CanalEnergia - 26.04.2023) 
Link Externo

IEA: VEs compactos e a combustão terão preços equivalentes em breve

Os preços cobrados por VEs compactos deverão cair e alcançar patamar de igualdade com os valores praticados em veículos a combustão de mesmo porte até meados desta década, disse recentemente a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês). De acordo com o órgão, a equiparação financeira acontecerá em mercados da Europa e da América do Norte e será acompanhada de importante crescimento nas vendas de VEs. Segundo previsões, as vendas de VEs em todo o mundo aumentarão 35% este ano e alcançarão cerca de 14 milhões de unidades. Dessa forma, representarão 18% do mercado de automóveis de passeio, muito acima dos parcos 4% registrados em 2020. "Nossa expectativa atual é que possamos ver paridade de preços em VEs de pequeno e médio porte nos mercados da América do Norte e da Europa em algum momento em meados da década de 2020", disse o chefe de política de tecnologia energética da IEA, Timar Guel. (Inside EVs - 28.04.2023)  
Link Externo

Nova Jersey: Suspensão de descontos para VEs em meio a alta demanda

O programa estadual Charge Up New Jersey desembolsou cerca de US$ 35 milhões em incentivos para o aluguel e compra de VEs durante o último ano, de acordo com o Conselho de Serviços Públicos do estado de Nova Jersey. O conselho informou que está suspendendo o programa temporariamente porque todo o financiamento destinado será desembolsado em breve, com base na taxa atual de aprovações de aplicativos e pedidos de veículos elegíveis. Agora em seu terceiro ano, o programa dá aos residentes do estado até US$ 4 mil quando compram ou alugam um novo VE. Os créditos fiscais federais e outros incentivos são projetados para reduzir os preços e atrair mais compradores. O conselho de serviços públicos de Nova Jersey estima que o programa apoiará a compra ou aluguel de mais de 10 mil veículos neste ano fiscal e deve voltar a funcionar assim que o novo ano fiscal começar em 1º de julho. O conselho de concessionárias estima que o programa, desde seu lançamento em maio de 2020, terá fornecido mais de US$ 90 milhões em incentivos. (Power Grid - 21.04.2023) 
Link Externo

Eficiência Energética

EPE: Participação em evento da Agência Internacional de Energia

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) participou do encontro Energy Efficiency Policy In Emerging Economies Training Week, organizado pela Agência Internacional de Energia. O evento ocorreu entre os dias 17 e 21 de abril na sede da agência, na França. A EPE foi representada pelo consultor técnico Arnaldo Junior, com uma participação no módulo de indústria. O evento conta com treinamentos dedicados a compartilhar experiências, planejamento, implementação e avaliação de políticas eficientes de energia em economias emergentes. Tem como objetivo reforçar as capacidades dos decisores das economias emergentes, dotando-os de maiores conhecimentos e competências para desenvolver e implementar iniciativas eficazes de eficiência energética nos seus respectivos países. Já o módulo industrial, teve como principais objetivos o treinamento no desenho de políticas, na implementação e na avaliação de seus resultados. O evento contou com representação de outras instituições brasileiras do setor de energia como o MME, ANEEL e ENBPar. (EPE - 27.04.2023) 
Link Externo

EPE e IEA: Publicação do Atlas de Eficiência Energética Brasil 2022

O Atlas de Eficiência Energética Brasil 2022 tem por objetivo principal o monitoramento do progresso da eficiência energética no Brasil, através de uma análise de indicadores, com dados até o ano de 2021. Este documento tem por objetivo principal o monitoramento do progresso da eficiência energética no Brasil, através de uma análise de indicadores. Em 2020 foi publicado o primeiro "Atlas da Eficiência Energética no Brasil – Relatório de Indicadores" – com a análise até o ano 2018. Este documento atualiza e complementa, de forma mais sintética, o primeiro relatório com dados até o ano 2021, consolidando o sexto ciclo de trabalho da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) na elaboração do banco de dados de indicadores de eficiência energética. Esta edição possui um capítulo especial sobre a indústria de aço que fornece uma análise detalhada da indústria do aço no Brasil, com foco especial nos avanços em eficiência energética e mitigação de emissões de carbono, resultado da cooperação entre EPE, Agência Internacional de Energia (IEA) e o Instituto Aço Brasil. (EPE - 27.04.2023) 
Link Externo

Abesco pede que Congresso derrube veto à MP que assegura investimentos em eficiência energética

A Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) encaminhou uma carta a senadores e deputados pedindo que o veto do governo à emenda 02 da Medida Provisória (MP) nº 1.133/2022 seja derrubado. O instrumento assegura até dezembro de 2025 a aplicação de 0,50% da receita operacional líquida das concessionárias e permissionárias de serviços públicos de distribuição de energia na manutenção em pesquisa e desenvolvimento e em eficiência energética. De acordo com a Abesco, o dispositivo foi vetado sob a justificativa de que a proposição contraria o interesse público, uma vez que postergaria as receitas da União que poderiam apresentar impacto orçamentário e prejuízo no alcance das metas fiscais. A entidade, contudo, justifica que para cada real investido em eficiência energética tem-se a economia de R$ 12 para criar todo o processo de geração e distribuição dessa eletricidade. (Broadcast Energia - 24.04.2023) 
Link Externo

Microrredes e VPP

Xcel Energy: Projetos de microrredes para clientes comerciais e industriais em Minnesota

A Xcel Energy recebeu aprovação da Comissão de Serviços Públicos de Minnesota para oferecer o primeiro programa do estado de microrredes (e outros projetos de resiliência) para grandes clientes que exigem confiabilidade de serviço acima do padrão. O programa Empower Resiliency está agora disponível para clientes comerciais e industriais da Xcel Energy. A Xcel instalará, operará, manterá e terá a propriedade geral dos ativos, que podem incluir armazenamento de baterias, painéis solares e geradores de backup no local de um cliente. A Xcel Energy afirma que oferece 99,9% de confiabilidade de energia e lembra aos clientes que investe em atualizações da rede elétrica para proteger contra condições climáticas severas e minimizar interrupções. No entanto, a concessionária acrescenta que entende que alguns clientes, incluindo instalações de tratamento de água, hospitais, instalações de fabricação contínua e escolas, exigem ainda mais segurança, pois dependem de um fornecimento ininterrupto de eletricidade e o programa Empower Resiliency foi criado para atender às suas necessidades. (Power Grid - 25.04.2023) 
Link Externo

CPUC: Proposta de taxa fixa incomoda a indústria de microrredes

Uma proposta das concessionárias da Califórnia para implementar tarifas residenciais fixas com base na renda atraiu a ira dos defensores da microrrede, que dizem que o plano prejudicará as microrredes, os REDs e consolidará tarifas irracionais projetadas para pagar futuras atualizações de infraestrutura. Os defensores da microrrede argumentam que, em vez de planejar atualizações caras, as concessionárias devem usar microrredes menos dispendiosas para satisfazer a demanda de veículos elétricos e outros esforços de eletrificação. Agora perante a Comissão de Serviços Públicos da Califórnia (CPUC), a proposta estabelece um encargo fixo baseado na renda. “A ideia visa reduzir as contas para clientes residenciais de baixa renda, melhorar a transparência das contas e continuar a fazer investimentos para operar, manter e melhorar a rede, apoiando as metas de descarbonização da Califórnia”, disse a PG&E, uma das três concessionárias do estado que apresentaram o plano. (MicrogridKnowledge - 28.04.2023) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

EUA: AMI e fortalecimento da rede impulsionam planos de investimento de modernização da rede

De acordo com a organização de pesquisa Wood Mackenzie, 25 concessionárias de propriedade de investidores nos EUA entraram com pedido de US$ 36,4 bilhões em investimentos na modernização da rede, com 80% focados em fortalecimento da rede, automação da distribuição e Infraestrutura de Medição Avançada (AMI, na sigla em inglês). Isso está de acordo com uma análise do relatório de investimento em modernização da rede da organização, que conclui que o investimento em modernização da rede teve uma taxa de crescimento anual composta de 37% desde 2012. A maior ênfase, afirmam, tem sido alcançar maior eficiência na operação da rede e proteger a infraestrutura física de intempéries climáticas. (Power Grid - 21.04.2023) 
Link Externo

Guidehouse: Mercado de tecnologia para cidades inteligentes pode crescer para US$ 300 bilhões em dez anos

Impulsionado pela interseção de desafios urbanos sociais, ambientais e econômicos, juntamente com o impacto de tecnologias transformadoras, o mercado de tecnologias para cidades inteligentes deve crescer a uma taxa composta de crescimento anual de 10% na próxima década, de acordo com a empresa de pesquisa de mercado global Guidehouse Insights. O novo relatório, Smart Cities, diz que a próxima década provavelmente será de mudanças dramáticas para muitas cidades ao redor do mundo. As tendências que têm impulsionado os programas de cidades inteligentes foram aceleradas por uma combinação da pandemia de COVID-19, o crescente impacto das mudanças climáticas e a rápida digitalização de muitos serviços. Consequentemente, a Guidehouse diz que o mercado global de tecnologia de cidade inteligente crescerá de aproximadamente US$ 121,1 bilhões em receita anual em 2023 para US$ 301,2 bilhões até 2032 a uma taxa composta de crescimento anual de 10,7%. (Smart Grid - 27.04.203) 
Link Externo

TotalEnergies: Gerenciamento de frota de robôs para automatizar operações

Uma parceria entre a Rockwell e a TotalEnergies fará uso de Internet das Coisas (IoT), gamificação e tecnologias de gêmeos digitais para conduzir operações autônomas para plataformas offshore. A Rockwell Automation, que desenvolve automação industrial e tecnologia de transformação digital, anunciou a parceria com a gigante de energia TotalEnergies para implementar um sistema de gerenciamento de frota de robôs, com o objetivo de implementar operações autônomas para suas plataformas em alto mar. O projeto de longa duração alcançará um marco significativo com seu primeiro teste em um ativo offshore programado ainda para 2023. Os sócios afirmam a importância da operação robótica e autônoma para suas operações, bem como para projetos eólicos offshore, ao possibilitar operações não tripuladas por longos períodos, reduzir a exposição de funcionários a situações perigosas, aumentar a segurança, atrair jovens talentos interessados em novas tecnologias e reduzir ainda mais o capex e opex dos projetos. (Power Engineering International - 28.04.2023) 
Link Externo

METL: Tecnologia de videogames pode ser um divisor de águas para a força de trabalho nuclear

Especialistas nucleares observaram que o maior desafio para a construção de novas usinas nucleares nos EUA é o treinamento da força de trabalho em todos os níveis. A geração atual de técnicos, especialistas no assunto e engenheiros cresceu com computadores e videogames. Eles têm habilidades e expectativas diferentes da força de trabalho que construiu a maioria dos reatores nucleares nos EUA décadas atrás, e se sentem confortáveis com o caminho digital para os dados. Para enfrentar os desafios atuais da força de trabalho, um grupo de engenheiros do Laboratório Nacional Argonne do Departamento de Energia dos EUA (DOE) vem testando ferramentas de realidade aumentada destinadas a treinar a próxima geração de profissionais nucleares. Os engenheiros da Mechanisms Engineering Test Loop Facility (METL), a maior instalação de teste de metal líquido dos EUA, onde componentes de pequeno e médio porte são testados para uso em reatores nucleares avançados, criaram uma versão digital da instalação. O resultado foi um gêmeo digital das mais de 220 zonas da instalação, pronta para treinar a nova força de trabalho. (Smart Energy - 25.04.2023) 
Link Externo

Segurança Cibernética

FERC: Regra federal incentiva investimentos em segurança cibernética

À medida que os ataques cibernéticos continuam atingindo o espaço crítico da infraestrutura, a Federal Energy Regulatory Commission (FERC) está trabalhando para garantir que as concessionárias estejam investindo em medidas para proteger a rede. Uma nova regra aprovada pela FERC permitirá que as concessionárias de energia elétrica dos EUA busquem um incentivo maior da base tarifária para certos investimentos em segurança cibernética. A regra final permite que as concessionárias de energia ganhem até 50 pontos-base adicionais (0,5%) de retorno sobre o patrimônio líquido para determinados investimentos em segurança cibernética. A última atualização da regra segue em grande parte o Aviso de Proposta de Regulamentação (NOPR, na sigla em inglês) original, emitido em 22 de setembro de 2022, mas inclui algumas adições como a ampliação da definição de investimentos elegíveis em cibersegurança e a abertura para que as concessionárias busquem incentivos para a conformidade antecipada com os novos padrões de confiabilidade de segurança cibernética. (Smart Energy - 28.04.2023) 
Link Externo

OpenAI: Adição de mais proteções de privacidade de dados para ChatGPT

Os usuários do modelo público ChatGPT da OpenAI agora podem desativar o histórico de bate-papo na ferramenta, anunciou a empresa. Os usuários também podem exportar seus dados do ChatGPT para entender quais informações o ChatGPT armazena. “Também estamos trabalhando em uma nova assinatura do ChatGPT Business para profissionais que precisam de mais controle sobre seus dados, bem como empresas que buscam gerenciar seus usuários finais”, disse a empresa. As políticas de dados do ChatGPT Business imitarão as da API do ChatGPT, onde os dados do usuário final não serão usados para treinar modelos por padrão. A empresa espera lançar sua versão comercial da ferramenta nos próximos meses, de acordo com a postagem no blog. À medida que as empresas elaboram políticas para o uso de Inteligência Artificial (IA) generativa pelos funcionários, o desafio da OpenAI é equilibrar quais dados eles precisam para melhorar os modelos e quais usuários se sentem confortáveis em compartilhar, especialmente porque a empresa busca alcançar clientes corporativos. (Cybersecurity Dive - 26.04.2023) 
Link Externo

EUA: Casa Branca irá elaborar roteiro para implementação de estratégia cibernética nacional

A Casa Branca está elaborando um roteiro para orientar a implementação da estratégia nacional de segurança cibernética que deve ser lançada no início do verão no hemisfério norte, disse o diretor nacional interino de cibersegurança Kemba Walden. A estratégia foi desenvolvida para ter uma vida útil de 10 anos. “A natureza dinâmica e em evolução da segurança cibernética exige flexibilidade à medida que surgem novas ameaças ou tecnologias”, disse Walden. A Casa Branca quer que todos prosperem no ecossistema digital, mas sente uma sensação de urgência em garantir que as bases desse vasto cenário sejam seguras. A regulamentação, incluindo esforços para aumentar os requisitos mínimos de segurança cibernética, é uma das muitas alavancas que o governo federal pode precisar para fortalecer as defesas e transferir a responsabilidade pela segurança para os fornecedores de tecnologia. (Cybersecurity Dive - 26.04.2023) 
Link Externo

Marsh: Preços globais de seguros cibernéticos continuam estáveis no primeiro trimestre

Os preços globais do seguro cibernético diminuíram durante o primeiro trimestre de 2023, com aumentos médios de preço de apenas 11%, em comparação com aumentos de 28% durante o quarto trimestre, de acordo com o Global Insurance Market Index da Marsh. A moderação foi liderada por mudanças nos dois maiores mercados internacionais, os EUA e o Reino Unido. Nos EUA, os preços subiram 11% no primeiro trimestre, abaixo do aumento de 28% no trimestre anterior. O Reino Unido experimentou uma variação de preços semelhante, com aumentos de apenas 10% em comparação com 34% no quarto trimestre. Entre os principais fatores nos aumentos moderados da taxa estão o aumento da concorrência, os controles de segurança cibernética aprimorados e menos ataques de ransomware relatados em 2022. Os números do primeiro trimestre da Marsh mostram uma estabilização contínua no mercado global de seguros cibernéticos, após vários anos de turbulência. (Cybersecurity Dive - 27.04.2023) 
Link Externo