IFE
20/03/2023

IFE Tecnologia Exponencial 123

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
20/03/2023

IFE nº 123

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tecnologia Exponencial 123

Transição Energética e ESG

União Europeia: Flexibilidade será elemento-chave da reforma do mercado de eletricidade

A Comissão Europeia propôs reformas ao projeto do mercado de eletricidade da União Europeia visando acelerar o crescimento de energias renováveis, incentivar a flexibilidade e tornar a indústria de energia do continente mais limpa, mais competitiva e acessível aos consumidores. As reformas propostas introduzem medidas que incentivam contratos de longo prazo com produção de energia limpa e trazem soluções flexíveis ao sistema, como resposta à demanda e sistemas de armazenamento. Com isso, espera-se diminuir a participação dos combustíveis fósseis na matriz elétrica dos países e garantir que o menor custo das energias renováveis reflita nas contas de eletricidade. As reformas visam promover uma concorrência aberta e eficiente nos mercados atacadistas europeus de energia, reforçando a transparência e integridade do mercado. (Smart Energy - 15.03.2023) 
Link Externo

Comissão Europeia: Proposta de design do mercado de eletricidade integra o compartilhamento de energia

A Comissão Europeia propôs revisões ao projeto de Desenho do Mercado de Eletricidade da UE visando abordar os impactos agudos da atual crise energética. As propostas incluem abrir o compartilhamento de energia para todos os domicílios e pequenas e médias empresas e permitir mais vendas de energia renovável local por meio de contratos de compra de energia (PPAs). No entanto, as propostas ignoram o papel da produção local e da autoprodução de energia (geração distribuída) aliadas às fontes renováveis como suporte às comunidades a se protegerem contra os efeitos da crise energética à medida em que se avança em direção a um futuro 100% renovável. A proposta também abre as portas para utilização da energia nuclear junto com as renováveis. (Energy Cities - 15.03.2023) 
Link Externo

União Europeia: Projeto piloto NetZeroCities

O NetZeroCities, um programa gerido pela EU Mission for Smart and Climate Neutral Cities, convidou 53 cidades de 21 países associados da União Europeia a embarcar numa ação climática sem precedentes através do Pilot Cities Program. Essas cidades-piloto implementarão ações sistêmicas inovadoras e projetadas localmente, abrangendo várias áreas, de eficiência energética das residências até o tratamento dos resíduos sólidos urbanos, passando por questões de governança, finanças e políticas. As atividades das cidades piloto serão apoiadas por € 32 milhões em doações do projeto NetZeroCities. Essas bolsas são financiadas pelo Horizonte 2020, um dos principais programas da União Europeia para pesquisa e inovação. O programa Pilot Cities é uma parte crucial da consecução dos objetivos da EU Cities Mission, diretriz do bloco europeu que visa tornar 112 cidades neutras em termos climáticos até 2030. (Energy Cities - 01.03.2023) 
Link Externo

União Europeia: Reformas do mercado de eletricidade impulsionarão o uso de energias renováveis

A Comissão Europeia propôs uma reforma do mercado de eletricidade da União Europeia para acelerar a transição energética e eliminar gradualmente a dependência do gás russo. As propostas visam reduzir a dependência dos consumidores dos preços voláteis dos combustíveis fósseis, protegê-los de futuros picos de preços e manipulação do mercado e tornar a indústria do bloco de países mais limpa e competitiva. A reforma proposta revisará vários atos legislativos, incluindo o Regulamento de Eletricidade, a Diretiva de Eletricidade e o Regulamento REMIT. A reforma introduz medidas que incentivam contratos de longo prazo com produção de energias renováveis e trazem soluções mais limpas e flexíveis para competir com o gás, em especial o gás importado da Rússia. (Renews.Biz - 14.03.2023) 
Link Externo

EUA: NREL modela os impactos das leis federais de energia limpa para o setor de energia

Uma análise do Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) prevê um aumento na implantação de energia limpa e uma redução rápida de emissões até 2030 devido à aprovação recente de projetos federais nos Estados Unidos, que incluem mais de US$ 430 milhões para energia limpa e mitigação das mudanças climáticas de 2022 a 2031. O NREL, que utilizou um modelo avançado de planejamento de sistemas de energia, projeta que as parcelas de eletricidade geradas por fontes renováveis podem aumentar de 41% em 2022 para uma faixa de 71% a 90% da geração total até 2030, impulsionadas principalmente pela energia solar e eólica. No entanto, a interconexão atrasada e as restrições de transmissão podem reduzir significativamente a taxa de implantação de eletricidade limpa. (Renewable Energy Now - 16.03.2023) 
Link Externo

Geração Distribuída

Espanha: Endesa registra aumento de mais de 200% na geração distribuída em 2022

A subsidiária de redes da Endesa, E-distribución, anunciou recentemente que conectou quase 81.800 instalações de geração solar distribuída de energia em 2022, em comparação com 25.000 em 2021. As novas conexões totalizaram 115.192 instalações ativas na rede de distribuição da empresa, que abrange várias regiões da Espanha. Em conjunto, essas instalações possuem uma potência instalada conjunta de 2,48 GW, o que representa quase a metade da potência total das instalações ativas de autoprodução na Espanha em 2022 e equivalente a quase 60% da energia produzida nas centrais, evitando assim a emissão de cerca de 2,1 MtCO2 durante o ano. A Endesa atribui este aumento ao dinamismo crescente do segmento de geração solar distribuída na Espanha e acelerado pelos altos preços de energia causados pela Guerra na Ucrânia. A empresa estima que quase 99% dos clientes têm excedentes que alimentam na rede, estimando-se provisoriamente que entregassem 248. 000MWh em 2022. A meta do governo espanhol é alcançar entre 9 GW e 14 GW de energia autoproduzida até 2030. (Smart Energy - 13.03.2023) 
Link Externo

ABGD: São Paulo ultrapassa Minas Gerais e lidera ranking de potência instalada de GD

De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), o Estado de São Paulo ultrapassou Minas Gerais em potência instalada de geração própria de energia. No fim do ano passado, São Paulo já havia superado Minas em número de consumidores que geram a própria energia, impulsionados por painéis solares em telhados. Agora, com a ultrapassagem em potência instalada, São Paulo chega a 2.587 GW, patamar ligeiramente acima de MG. São Paulo é também o Estado com mais usinas de MMGD no Brasil. São cerca de 300 mil unidades, segundo o levantamento. (Valor Econômico - 15.03.2023) 
Link Externo

Absolar: Energia solar atrai aportes de R$ 12,4 bi para o estado de Minas Gerais

De acordo com a Absolar, o investimento acumulado em geração própria de energia solar em Minas Gerais cresce R$ 4,3 bilhões em um ano, passando de R$ 8,1 bilhões em fevereiro de 2022 para R$ 12,4 bilhões no segundo mês deste ano. A geração própria de energia solar também proporcionou ao estado a criação de mais de 73 mil empregos, representando um aumento de 27,1 mil novas vagas em 12 meses. Quanto à arrecadação de impostos, o montante acumulado passou de R$ 1,7 bilhão aos cofres públicos, em fevereiro do ano passado, para R$ 2,4 bilhões até o mesmo mês de 2023. Minas é o segundo estado com maior potência instalada de energia solar em telhados e pequenos terrenos de todo o País, ficando atrás apenas de São Paulo, segundo mapeamento realizado pela Absolar. O Estado possui aproximadamente 2,4 GW em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos. (ABSOLAR - 15.03.2023)
Link Externo

https://www.absolar.org.br/noticia/energia-solar-atrai-aportes-de-r-124-bi-para-o-estado-de-minas-gerais/ Absolar: Uso da energia solar cresce e já alcança mais de 4 mil consumidores no Acre

De acordo com a Absolar, o Acre possui atualmente mais de 3,9 mil conexões operacionais de energia solar em telhados e pequenos terrenos, espalhadas por 21 cidades, ou 95,5% dos 22 municípios da região. Atualmente, são mais de 4,3 mil consumidores de energia elétrica que já contam com redução na conta de luz, maior autonomia e confiabilidade elétrica. Ainda de acordo com a associação, o estado possui 44,2 MW em operação nas residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos. Desde 2012, a geração própria de energia solar já proporcionou ao Acre a atração de mais de R$ 210 milhões em investimentos, gerando mais de 1,3 mil empregos e a arrecadação de mais de R$ 60 milhões aos cofres públicos. A potência instalada de energia solar distribuída no Acre coloca o estado na vigésima quinta posição do ranking nacional. (ABSOLAR - 13.03.2023) 
Link Externo

Armazenamento de Energia

União Europeia: Projeto de reforma do setor elétrico europeu incentiva o uso de sistemas de armazenamento de energia

Um documento vazado da Comissão Europeia revela que a instituição pretende incentivar o uso do armazenamento de energia para gerenciamento de oferta e demanda de eletricidade. A proposta faz parte do Electricity Market Design (EMD), que visa reformar a maneira com que a energia é produzida e adquirida no continente. A integração de fontes de geração intermitentes, como solar fotovoltaica e eólica, exigirá flexibilidade e equilíbrio de recursos, segundo a proposta. O armazenamento de energia e outros recursos como resposta da demanda poderão ajudar a entregar esses requisitos. O documento também prevê que os Estados-Membros elaborem relatórios sobre a necessidade de flexibilidade do sistema elétrico de dois em dois anos, tendo em vista um prazo de pelo menos cinco anos. (Energy Storage - 13.03.2023) 
Link Externo

União Europeia: Armazenamento de energia será pilar da descarbonização do bloco

A Comissão Europeia publicou uma estratégia através da qual o armazenamento de energia pode tornar-se um pilar de um sistema energético descarbonizado e seguro. A recomendação vem depois que a União Europeia aumentou consideravelmente suas metas de energia renovável com o programa REPowerEU, sua estratégia de acompanhamento focada em alcançar a independência energética, particularmente em relação à dissociação de combustíveis fósseis russos importados. As recomendações foram brevemente mencionadas em um rascunho vazado das propostas de reforma do mercado de eletricidade da UE. O documento apontou os vários pontos fortes e capacidades do armazenamento de energia para agregar valor a várias partes interessadas em toda a Europa, incluindo a promoção da descarbonização em vários setores. (Energy Storage - 14.03.2023) 
Link Externo

EUA: Instalação de sistemas de armazenamento bate recorde em 2022

O setor de armazenamento de energia dos EUA implantou 4,8 GW em 2022, próximo ao montante combinado instalado em 2020 e 2021, de acordo com a última edição do US Energy Storage Monitor da empresa de pesquisa de mercado Wood Mackenzie e do grupo comercial American Clean Power Association. O relatório, que cobre o quarto trimestre de 2022, mostrou que, apesar de uma ligeira queda no número de instalações no final do ano passado, o armazenamento de energia está em uma curva de rápido crescimento e é um componente essencial de uma rede resiliente capaz de suportar a difusão das fontes renováveis de energia no país. Com relação ao armazenamento em larga escala, foi registrado um aumento de 80% na capacidade cumulativa de armazenamento. (Energy Storage - 15.03.2023) 
Link Externo

UE: O Net Zero Industry Act da Comissão Europeia inclui o armazenamento de energia como tecnologia elegível

A Comissão Europeia publicou recentemente o Net Zero Industry Act, proposta que visa acelerar o caminho para neutralidade de carbono das indústrias europeias, e a inclusão de tecnologias de armazenamento de energia está sendo saudada como uma "grande vitória" por agentes econômicos. A Lei é parte fundamental do Plano Industrial Green Deal da União Europeia, que visa estimular a atividade econômica nos setores de energia limpa do bloco. Embora um rascunho anterior da Lei que vazou não mencionasse explicitamente as tecnologias de armazenamento de energia, a proposta final as inclui como parte da definição de tecnologias net-zero. Os setores da indústria acreditam que isso pode tornar mais fácil para os Estados-Membros da União Europeia fornecer financiamento estatal para cadeias de abastecimento de energia baseadas na Europa. O plano Green Deal também inclui esforços para reformar o Projeto de Mercado de Eletricidade do bloco e apoiar a legislação de extração e reciclagem de matérias-primas críticas. (Energy Storage - 16.03.2023) 
Link Externo

Itália: Novo recorde na instalação de armazenamento distribuído em 2022

A Itália instalou 227.477 sistemas de armazenamento distribuídos vinculados a projetos de energia renovável até o final de 2022, de acordo com a associação ANIE Rinnovabili. Os sistemas de armazenamento têm uma capacidade combinada de 1.530 MW e uma capacidade máxima de armazenamento de 2.752 MWh. A maioria dos dispositivos é baseada em tecnologias de baterias de íons de lítio e a maioria dos sistemas de armazenamento foram instalados na região da Lombardia. O governo regional está implementando um esquema de descontos plurianuais para sistemas de armazenamento residencial e comercial acoplados a sistemas de geração solar distribuída. (PV Magazine - 10.03.2023) 
Link Externo

EUA: DOE e parceiros anunciam acordo para acelerar a comercialização de armazenamento de energia de longa duração

O Departamento de Energia dos EUA e parceiros da indústria assinaram um memorando de entendimento (MOU) de dois anos para apoiar o desenvolvimento e a fabricação doméstica de tecnologias de armazenamento de energia de longa duração para atender a todas as demandas do mercado de energia dos EUA até 2030. Sob o MOU, as partes irão apoiar o programa Long Duration Storage Shot do DOE, que visa reduzir o custo do armazenamento de energia em escala de rede com mais de 10 horas de duração em 90% até o fim da década. Os parceiros irão colaborar para expandir o mercado, fornecer assistência técnica e buscar soluções para barreiras não técnicas à implantação do armazenamento distribuído. O MOU também fornecerá acesso à experiência do DOE e infraestrutura nacional de laboratórios para apoiar pesquisa, desenvolvimento, demonstração e implantação dos sistemas. Ao anunciar a parceria, o DOE destacou que o armazenamento de energia de longa duração é crucial para acelerar a descarbonização da rede elétrica dos EUA. (Utility Dive - 09.03.2023) 
Link Externo

Veículos Elétricos

Sunswift 7: VE movido a energia solar bate recorde e faz 1.000 km com uma carga

O VE Sunswift 7 pode ser considerado o mais eficiente do mundo. O carro com um ar futurista e coberto de painéis solares entrou no Guinness World Records depois de ter percorrido mil quilômetros em 11 horas e 52 minutos, com uma única carga. O Sunswift 7 foi desenhado e construído por estudantes da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália, na Sunswift Racing, a equipa de corrida de elétricos solares da universidade. Para que este veículo consiga ter uma autonomia tão elevada um dos pontos mais importantes é o seu peso. Com apenas 500 kg, o Sunswift 7 pesa cerca de um quarto de um Tesla Model S. Ar condicionado, airbags, sistema ABS e o limpa para-brisas foram considerados extras desnecessários na construção do automóvel elétrico solar e não estão incluídos no modelo. Em sua construção, também foi essencial garantir o máximo de aerodinâmica possível, algo que foi conseguido na hora de dar forma ao Sunswift. (ABSOLAR - 11.03.2023) 
Link Externo

Hyundai: Criação de sistema que ajusta altura do carro para proteger baterias

A Hyundai Mobis, divisão de mobilidade inteligente do grupo Hyundai, anunciou recentemente a criação de um sistema capaz de ajustar automaticamente a altura de condução dos seus VEs. Batizado de Controle Eletrônico de Nivelamento (ELC, na sigla em inglês), o dispositivo tem funcionamento semelhante ao de um sistema de suspensão pneumática e ajuda diretamente na proteção das baterias e na ampliação dos índices de autonomia. De acordo com a empresa, o ELC usa uma bomba hidráulica-elétrica para controlar a altura do veículo a partir de todas as quatro rodas, com sensores que detectam mudanças na altura do carro durante a rodagem. Depois de analisar a velocidade de condução e o peso bruto do veículo, o sistema controla automaticamente a altura em até 6 cm, permitindo também que o motorista o faça manualmente conforme necessário. (Inside EVs - 08.03.2023)  
Link Externo

Brasil: PL quer obrigar postos de rodovias federais a instalar carregadores de VEs

O Brasil tem cerca de 3 mil eletropostos, mas um Projeto de Lei planeja obrigar que todos os postos de combustível nas rodovias federais, tenham também carregadores. De acordo com a Agência Senado, o PL 392/2023, da senadora Eliziane Gama (PSD-MA), determina que os postos de abastecimento localizados em rodovias federais deverão ter pontos de recarga rápida para VEs, em até 12 meses após a aprovação da Lei. Contudo, o projeto ainda está na fase inicial. Foi proposto em 9 de fevereiro e aguarda publicação. Com isso passa pela análise de comissões no Senado e na Câmera. De acordo com o texto, a atuação do governo "é fundamental para tornar o carro elétrico um sucesso". Seja ao permitir que "donos desses veículos possam usar as rodovias federais sem enfrentar problemas com a autonomia", bem como ao fornecer crédito para que os donos de postos instalem as estações de recarga. (O Estado de São Paulo – 09.03.2023)  
Link Externo

VW: Planos para fábrica de baterias na Europa são suspensos

O Grupo Volkswagen está dando uma pausa em seus planos de construir uma fábrica de células de bateria na Europa Oriental, já que a América do Norte parece muito mais atraente. O fabricante de automóveis está priorizando uma instalação similar na América do Norte após estimar que poderia receber até US$ 10,6 bilhões em incentivos do governo norte-americano. A Volkswagen também está esperando a resposta da Europa à Lei de Redução da Inflação dos EUA antes de avançar com os planos de construir novas fábricas de baterias na Europa, disse a montadora. Espera-se que a Comissão Europeia publique um Net Zero Industry Act como parte de sua resposta ao esquema verde dos EUA. Entretanto, uma versão preliminar não conseguiu impressionar os executivos da indústria de baterias, com queixas de "ausência de medidas concretas" e comparativos com as condições oferecidas pelos EUA que são "muito mais interessantes". (Inside EVs - 10.03.2023)  
Link Externo

Brasil: Programa fornece isenção de ICMS na compra de VEs no Mato Grosso do Sul

O programa de incentivos fiscais para taxistas de Mato Grosso do Sul traz uma ampliação na aquisição de novos veículos. Isso porque a nova redação incluiu na legislação a isenção para carros movidos a combustíveis de origem renovável, sistema reversível de combustão ou híbrido e elétricos, quando destinados a motoristas profissionais. As aquisições para a classe profissional estão isentas da cobrança do ICMS. Conforme o secretário estadual de Fazenda, Flávio César, a cada ano que passa tem havido uma valorização crescente da importância do transporte sustentável em um mundo cada vez mais conectado pela globalização e digitalização. (Governo do Mato Grosso do Sul - 11.03.2023)  
Link Externo

BYD e Azul: Parceria com empresa aérea para translado de passageiros com ônibus elétrico

A Azul Linhas Aéreas, em parceria com a BYD e a Lirabus, empresa de fretamento, está utilizando um ônibus rodoviário 100% elétrico no translado de passageiros. O veículo está circulando na linha Tamboré-Viracopos, em duas viagens pela manhã e duas à tarde. A expectativa é que, em breve, o veículo seja utilizado também nos trajetos entre o Aeroporto de Congonhas e o aeroporto de Viracopos e entre o aeroporto de Congonhas e a rodoviária da Barra Funda, proporcionando mais segurança e conforto aos passageiros. O ônibus elétrico é o D9F da BYD, tem 12 metros, é silencioso, não emite carbono e tem capacidade para transportar até 46 passageiros. Além disso, o modelo possui baterias com 300 km de autonomia, além de 402 CV de potência e dois motores elétricos integrados às rodas do eixo traseiro. O ônibus tem baixo consumo energético e de manutenção. (Portal Solar - 10.03.2023)  
Link Externo

Volvo: Expansão de postos de recarga para VEs no Brasil

Desde que começou a apostar nos carros híbridos plug-in e 100% elétricos a Volvo vem trabalhando para expandir os postos de recarga no Brasil, sendo que o último anúncio veio em junho de 2022, ocasião em que prometeu a instalação de 13 postos de recarga rápida espalhados por Minas Gerais e São Paulo. Nesta segunda fase, os eletropostos da Volvo agregam outros estados fora do eixo São Paulo-Minas. Com isso, estão previstos pontos de recarga nos estados do Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Goiás e Mato Grosso. No anúncio, a Volvo trouxe alguns dados que mostram o cenário atual, onde pelo país existem mil carregadores convencionais (CA) de conveniência urbana, ou seja, aqueles localizados em supermercados, shoppings, concessionárias, entre outros. A infraestrutura da Volvo em si passa por mais de 43 carregadores rápidos (CC) nas concessionárias da marca, bem como outros 13 pontos de recarga. (Inside EVs - 13.03.2023)  
Link Externo

Waze: Lançamento de localizador de pontos de recarga para VEs

O Waze, aplicativo de navegação por GPS, lançou uma atualização que mostra onde estão eletropostos para carregamento de baterias de VEs. Além disso, segundo a empresa, a nova funcionalidade mostra os tipos de equipamentos de recarga em cada um destes pontos para verificar se são compatíveis com cada modelo de carro, van, caminhão e ônibus movidos à eletricidade. “A ascensão dos VEs no Brasil é evidente, tamanho o crescimento do número de vendas em um ano. As informações sobre estações de carregamento muitas vezes são desatualizadas ou não confiáveis, dificultando a vida dos motoristas que correm o risco de dirigirem até um ponto de carga e descobrirem no local que não podem usá-lo. Na Waze, nosso objetivo é desenvolver funcionalidades para que aqueles que dirigem veículos elétricos tenham a melhor experiência possível conosco”, disse em nota a diretora do Waze no Brasil, Heloisa Pinho. (Diário do Transporte - 14.03.2023)  
Link Externo

Volkswagen: Construção de fábrica baterias no Canadá

A Volkswagen anunciou recentemente que irá construir uma megafábrica no Canadá para produzir células unificadas sustentáveis para equipar Veículos Elétricos (VEs) movidos a bateria. A fábrica em St. Thomas, Ontario, será construída para a empresa de baterias da montadora alemã PowerCo e deve ser sua primeira fábrica de células de bateria na América do Norte, disse a Volkswagen. A produção de baterias deve ser iniciada em 2027, enquanto a Volkswagen trabalha na introdução de mais de 25 novos modelos de veículos elétricos movidos a bateria até 2030. (Valor Econômico - 13.03.2023) 
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

EUA: NREL testará dados para elaborar soluções de resiliência em meio à crescente adoção de energias renováveis

O National Renewable Energy Laboratory (NREL) firmou recentemente uma parceria com a Copper Labs, fabricante de tecnologia de dados de medidores em tempo real, para testar a capacidade dos dados de medidores em tempo real de coordenar a restauração rápida de energia em comunidades remotas. A parceria, que envolve um montante de US$ 3 milhões, primeiro identificará e definirá as necessidades das comunidades e, eventualmente, desenvolverá um plano para automatizar a restauração de energia durante interrupções e criar um centro de operações de emergência virtual. O hardware de leitura de dados da empresa será instalado em cerca de 20 locais em uma comunidade ainda não anunciada. De acordo com o CEO da Copper Labs, Dan Forman, os dados em tempo real dos medidores se tornarão cada vez mais importantes à medida que a porcentagem de recursos renováveis ​​na rede cresce. (Utility Dive - 09.03.2023) 
Link Externo

Eficiência Energética

União Europeia: Acordo provisório para reduzir consumo de energia

A União Europeia (UE) e negociadores do Parlamento Europeu chegaram a um acordo provisório com o objetivo de reduzir o consumo de energia no bloco formado por 27 países. Pelo acordo, os países da UE terão a meta coletiva de garantir uma redução no consumo de ao menos 11,7% em relação a projeções para 2030 que foram anunciadas três anos atrás. O acordo, que faz parte de planos da UE de se tornar neutra em termos climáticos até 2050, precisa ser formalmente adotado pelo Parlamento e pelo Conselho, que reúne ministros dos governos de cada país da UE, para entrar em vigor. A Comissão Europeia diz que, pela primeira vez, o primeiro princípio da eficiência energética recebe força legal, com uma exigência clara de que os países da UE levem a eficiência energética em consideração na política, planejamento e grandes decisões de investimento no setor de energia. (Broadcast Energia - 10.03.2023)  
Link Externo

EPE e MME: Caderno de Demanda e Eficiência Energética do PDE 2032 é publicado

A EPE e o MME disponibilizam o Caderno de Demanda e Eficiência Energética, no âmbito dos estudos do PDE 2032. Esses estudos são elaborados anualmente pela EPE sob as diretrizes e o apoio das equipes da Secretaria de Planejamento e Transição Energética (SPE/MME) e da Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (SPG/MME). Destacam-se, entre os objetivos do documento, o conjunto de resultados das projeções nos principais setores de consumo da economia, envolvendo as informações de consumo final e de eficiência energética. A demanda projetada é consolidada considerando-se uma visão integrada para todas as fontes energéticas. Os resultados apresentados têm como pano de fundo o cenário apresentado no Caderno de Premissas Econômicas e Demográficas e detalham a contribuição setorial nos ganhos de eficiência, tanto elétrica quanto energética. (EPE - 15.03.2023) 
Link Externo

AIOTI: Pesquisa trabalha eficiência energética associada à Internet das Coisas

“Sistemas inteligentes de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) e computação de ponta com eficiência energética” é um dos 18 temas de pesquisa identificados pela Alliance for the Internet of Things Innovation (AIOTI), aliança que visa desenvolver pesquisa e inovação sobre diferentes tecnologias para apoiar a digitalização na Europa. À medida que o número de aplicações de IoT continua a aumentar junto com a tendência de levar o processamento e a análise de dados para a borda, a necessidade de abordagens mais eficientes em termos de energia está se tornando cada vez mais evidente para combater o crescente consumo de energia. Com essa necessidade, a AIOTI identificou a eficiência energética como uma das 18 prioridades estratégicas de pesquisa e inovação no período até 2030 que podem permitir que essas tecnologias evoluam para “um ecossistema digital integrado, caracterizado por arquiteturas distribuídas e topologias de malha para o avanço da hiper automação em todos os setores industriais”. (Smart Energy - 10.03.2023) 
Link Externo

Microrredes e VPP

Intertrust: Instalação de VPP para operadoras de rede de telecomunicações

A Intertrust, fornecedora de tecnologia de gerenciamento e computação distribuída, e a EIPGRID, desenvolvedora de gerenciamento de recursos de energia distribuída, lançaram um sistema de energia como serviço (EaaS) para operadoras de telecomunicações. De acordo com o relatório de eficiência energética da Associação GSM, as operações de rede das operadoras de telecomunicações consomem de 2 a 3% da energia mundial anualmente. A solução EaaS dos parceiros visa reduzir as crescentes contas de energia das empresas de telecomunicações, reduzir as emissões de carbono e aumentar as pegadas de sustentabilidade. A plataforma fornece serviços de VPP orientados por IA para reduzir o consumo de energia. O serviço permite que as operadoras analisem o uso de energia em torres de celular e outros equipamentos de rede de vários fornecedores, reduzindo o consumo de energia. (Smart Energy - 09.03.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Instalação de microrrede integrada com turbina eólica em base naval

A primeira microrrede eólica da Hover Energy está sendo instalada na base naval HMS Eaglet em Liverpool, Inglaterra. Na primeira fase, a turbina vertical de 36 kW da empresa foi implantada junto com o sistema integrado de gerenciamento de energia da Hover. Fases posteriores construirão o equilíbrio da microrrede, incluindo um painel solar fotovoltaico no telhado para geração adicional de energia durante o dia e baterias para armazenar o excesso de energia. A turbina eólica da Hover foi projetada para montagem na borda de barlavento dos telhados dos edifícios, com a fachada do edifício atuando como uma vela gigante para oferecer um alto nível de eficiência, suficiente na maioria dos casos para compensar 100% do consumo de energia do edifício, diz a empresa. No Reino Unido, a Hover está trabalhando com a Task Contract Solutions como parceira e relata a implantação da microrrede em vários outros locais, enquanto outras instalações estão em andamento nos EUA e no Caribe. (Power Engineering International - 09.03.2023) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

E.DSO: Estudo mapeia a transformação do sistema de energia em direção a digitalização

A E.DSO propôs um roteiro para cadeia de valor de medição de energia em um novo whitepaper focando em um sistema de energia descentralizado e digitalizado na Europa. O roteiro incorpora o papel dos medidores inteligentes, dados submétricos relevantes, comunicação de sinais de controle, capacidade de computação distribuída e soluções interoperáveis. O white paper destaca a necessidade de mais recursos de acesso e processamento de dados em tempo real para balanceamento e gerenciamento de congestionamento. Outras ações propostas incluem o Energy Data Space para troca e compartilhamento de dados, o mercado de flexibilidade e a interoperabilidade de dados em estreita cooperação com as partes interessadas nos mercados e órgãos de padronização. As Operadoras de Sistemas de Distribuição também precisam de apoio das autoridades reguladoras nacionais com incentivos operacionais apropriados na legislação para impulsionar a digitalização. (Smart Energy – 14.03.2023) 
Link Externo

Shell: Acordo com a Kongsberg para digitalizar ativos globais

A Shell Global Solutions International BV firmou um contrato de cinco anos com a Kongsberg Digital para digitalizar seus ativos globais por meio da tecnologia de “gêmeos digitais”. O contrato, assinado com o provedor de software e soluções digitais em dezembro de 2022, é uma emenda ao acordo assinado em 2020, com um plano de implantação de múltiplos ativos e outros aplicativos para aprimorar a superfície de trabalho industrial e as experiências do usuário da Shell. A tecnologia de gêmeos digitais da Kongsberg visa fornecer insights acionáveis e fluxos de trabalho automatizados para operações otimizadas e gerenciamento de instalações. Isso permite uma melhor tomada de decisões, com base em dados acionáveis para garantir operações mais seguras, econômicas e sustentáveis. O acordo se baseia em um relacionamento já estabelecido entre a Shell e a Kongsberg Digital, que colaboraram nos últimos quatro anos na digitalização de ativos no setor de energia. (Smart Energy - 16.03.2023) 
Link Externo

Empresa de robótica valida tecnologia para automatizar a construção de usinas solares

Uma empresa de robótica dos EUA anunciou ter alcançado a validação final para agilizar a construção de usinas de energia solar usando máquinas autônomas. A Sarcos Technology and Robotics Corp. recebeu US$ 1,9 milhão do Departamento de Energia (DOE, na sigla em inglês) para desenvolver o sistema de robótica, que entrega, detecta, levanta e coloca módulos fotovoltaicos. A empresa está tentando reduzir os chamados custos indiretos de um projeto, como mão de obra, para permitir que as equipes construam projetos mais rapidamente ou aumentem o tamanho de um projeto usando a mesma equipe. Os benefícios da construção de plantas automatizadas também podem incluir menos lesões para os trabalhadores das empresas e cronogramas de projetos aprimorados, afirmou a Sarcos. A empresa espera lançar comercialmente sua solução robótica de construção de campo solar em 2024. (Smart Energy - 15.03.2023) 
Link Externo

Segurança Cibernética

IEA: Workshop discute segurança energética na Europa

A Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), como parte do programa EU4Energy, reuniu funcionários de cinco países parceiros da Europa Oriental para discutir como fortalecer a segurança energética e a resiliência dos sistemas de energia em meio à guerra na Ucrânia e à crise energética global. Durante o workshop, foram compartilhadas experiências de como implementar políticas energéticas usando lições aprendidas nos últimos 12 meses. A IEA apresentou os principais insights de segurança energética do World Energy Outlook 2022 e destacou o progresso da segunda fase do programa EU4Energy, que promove transições de baixo carbono e energia limpa na Europa Oriental. A Comissão Europeia apresentou recentemente a resposta energética da UE à invasão da Ucrânia pela Rússia, incluindo seu trabalho para diversificar o fornecimento de gás e investir na transição para energia limpa. Os participantes concordaram que a colaboração internacional e novos investimentos eram necessários para fortalecer os sistemas de energia e investir em fontes renováveis para reduzir a dependência de importações. (EE Online – 14.03.2023) 
Link Externo

DEWA: Inauguração de laboratório de inovação em segurança cibernética

A Dubai Electricity and Water Authority (DEWA), em colaboração com a Moro Hub, uma subsidiária da Digital DEWA, anunciou a inauguração do seu Laboratório de Inovação em Segurança Cibernética, o Waee Cybersecurity Center e o Identity Intelligence Centre, para construir resiliência cibernética em uma transição de energia cada vez mais digital. Como parte dos esforços das concessionárias para construir um ambiente digital seguro, sólido e confiável, o laboratório visa melhorar a proteção integrada para as partes interessadas contra os riscos de segurança cibernética e garantir o acesso seguro ao ciberespaço da DEWA. O laboratório foi projetado para permitir e simplificar a transformação digital da DEWA por meio de pesquisa, exploração, inovação, design e teste de controles de segurança cibernética e implantação em seu ambiente. O laboratório visa economizar tempo e custos e aumentar o retorno do investimento da DEWA em informações e segurança cibernética. (Smart Energy - 13.03.2023) 
Link Externo

Wi-SUN Alliance: Segurança cibernética é a principal preocupação de concessionárias inteligentes e provedores de tecnologia

A segurança energética encabeça a lista das áreas “mais preocupantes” do desenvolvimento de utilidades inteligentes. Isso está de acordo com uma pesquisa recente entre profissionais seniores de empresas de serviços públicos dos EUA. A pesquisa foi encomendada pela Wi-SUN Alliance, uma associação que impulsiona a adoção de soluções sem fio interoperáveis para uso em concessionárias e cidades inteligentes. Cerca de 250 pessoas responderam à pesquisa, que pedia que comentassem sobre as mudanças no setor das utilities, incluindo os desenvolvimentos de tecnologia inteligente/IoT mais preocupantes nos próximos 12 meses. A segurança energética é vista como "muito preocupante" por 79% dos entrevistados, mais do que o desenvolvimento de edifícios e infraestrutura inteligentes (75%), sistemas de clima e clima (73%) e gerenciamento de desastres (69%). Este é um momento em que as preocupações são altas entre os líderes da indústria por causa de grandes turbulências econômicas e geopolíticas que colocam em risco o fornecimento de energia. (Power Grid - 14.03.2023) 
Link Externo

FBI: Ransomware atingiu fortemente a infraestrutura crítica dos EUA

Mais de um terço dos ataques de ransomware relatados ao FBI no ano passado impactaram organizações em um setor de infraestrutura crítica, de acordo com o relatório anual do FBI Internet Crime Complaint Center. O FBI relatou que o a exploração de protocolos de área de trabalho remota e a exploração de vulnerabilidade de softwares continuaram sendo os principais vetores iniciais de infecção para ataques de ransomware. Os autores das ameaças continuaram a usar a extorsão como tática para pressionar as vítimas a pagar o resgate ou arriscar a liberação de dados roubados. Os crimes de extorsão relatados ao FBI permaneceram estáveis em comparação com 2021, mas caíram quase pela metade em relação ao pico em 2020. A extorsão, não exclusiva do ransomware, foi o quarto tipo de cibercrime mais relatado ao FBI em 2023, com mais de 39 mil incidentes relatados. Coletivamente, as infecções por ransomware causaram perdas de mais de US$ 34 milhões no ano passado. (CyberSecurityDive - 15.03.2023) 
Link Externo

CISA: Lançamento de alerta de ransomware para provedores de infraestrutura crítica

Reconhecendo a ameaça persistente representada por ataques de ransomware para organizações de todos os tamanhos, a Agência de Segurança Cibernética e de Infraestrutura (CISA, na sigla em inglês) anunciou o lançamento do Ransomware Vulnerability Warning Pilot (RVWP). Por meio do RVWP, a CISA avisará as entidades de infraestrutura crítica que possuam vulnerabilidades cibernéticas, permitindo que elas sejam corrigidas antes que ocorra um incidente. O RVWP identificará organizações com vulnerabilidades acessíveis pela internet comumente associadas a agentes de ransomware conhecidos, usando serviços, fontes de dados, tecnologias, autoridades existentes e o serviço americano gratuito de verificação de vulnerabilidades de higiene cibernética. A CISA iniciou recentemente o RVWP notificando 93 organizações identificadas com uma vulnerabilidade chamada "ProxyNotShell", que foi amplamente explorada por agentes de ransomware. A rodada inicial de notificações demonstrou a eficácia desse modelo em permitir a redução de riscos em tempo hábil. (EletricEnergyOnline - 16.03.2023) 
Link Externo