IFE
07/12/2022

IFE Tec. Exponencial 112

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
07/12/2022

IFE nº 112

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tec. Exponencial 112

Transição Energética e ESG

EUA: Tecnologia para gerenciar níveis crescentes dos REDs é necessária

A transição energética torna particularmente urgente a questão de como os recursos energéticos distribuídos (REDs) se encaixam no futuro mix de energia. O potencial técnico dos REDs, como geração distribuída, baterias, veículos elétricos, resposta da demanda e eficiência energética poderia desempenhar um papel significativo em um mix de energia 100% limpa, afirmou um estudo do Departamento de Energia divulgado em agosto. Contudo, a integração dos REDs, que tem aumentado significativamente, exigirá investimentos significativos em tecnologias como Sistemas de Gerenciamento de Distribuição Avançada e Sistemas de Gerenciamento de REDs. A questão é como e quando esses investimentos são feitos. (Utility Dive - 29.11.2022)
Link Externo

Novo cenário energético e climático mostra um caminho para permanecer no caminho das metas do acordo de paris

Ainda existem caminhos plausíveis para chegar a um aquecimento global bem abaixo de 2 ºC, se governos e empresas tomarem medidas determinadas para fazer a transição energética, de acordo com o “2022 New Energy Outlook'', publicado pela empresa de pesquisa BloombergNEF (BNEF). O relatório surge na esteira da COP 27, conferência da ONU sobre mudanças climáticas, que não apresentou nenhum aumento significativo na ambição na luta contra o aquecimento global. O estudo explora como o sistema de energia do mundo e os sistemas de energia de nove países críticos que representam 63% das emissões globais podem evoluir entre agora e 2050, sob dois cenários: o chamado Cenário de Transição Econômica e o Cenário Net Zero alinhado a Paris. (BNEF - 30.11.2022)
Link Externo

A UE continua na vanguarda da investigação sobre energias limpas

O rápido desenvolvimento e implantação de tecnologias domésticas de energia limpa na UE é fundamental para a resposta à atual crise energética, informa a Comissão Europeia. No último relatório de progresso sobre a competitividade das tecnologias de energia limpa na região, publicado pela Comissão Europeia, é afirmado que o investimento em Ideas and Inspirations (I&I) está em constante crescimento e que, a nível mundial, a UE continua a liderar as invenções verdes e as patentes de elevado valor com aplicações em as áreas de clima e meio ambiente (23%), energia (22%) e transporte (28%). No entanto, é preciso haver esforços contínuos para reduzir a dependência e efetivamente diversificar o fornecimento de matérias-primas, com seus preços crescentes afetando gravemente a competitividade das tecnologias de energia limpa. (Smart Energy - 28.11.2022)
Link Externo

Nova ferramenta mostra o impacto da mudança do gás para o elétrico

As concessionárias, principalmente aquelas que fornecem gás natural e eletricidade aos clientes, estão lutando com a perspectiva de seus clientes substituírem os aparelhos movidos a gás por aparelhos elétricos como parte das metas de descarbonização de longo prazo e procurando respostas sobre o impacto que a eletrificação total terá em suas redes. O planejamento tradicional de recursos integrados usa ferramentas separadas para o gás e a eletricidade, dificultando a análise de cenários. No entanto, uma ferramenta de software do desenvolvedor de software encoord pretende abordar alguns desses desafios. No dia 29 de novembro, a encoord anunciou que a National Grid licenciou sua interface de análise de cenário para sistemas de energia (SAInt) para que possa realizar modelagem integrada das redes elétrica e de gás da concessionária. (Power Grid - 30.11.2022)
Link Externo

RMI: Pontos de Corte de Emissões de Refino de Petróleo

Se a sociedade fechasse coletivamente a torneira da gasolina e do diesel hoje, a indústria do petróleo continuaria a desempenhar um papel na produção de produtos petroquímicos, desde as resinas de fibra de vidro usadas nas pás das turbinas eólicas até os componentes plásticos dos painéis solares. Tomar medidas imediatas para reduzir as emissões de refinarias de petróleo e plantas petroquímicas têm o potencial de grandes vitórias climáticas nesta década decisiva, a redução de 1% é equivalente a tirar três milhões de carros movidos a gasolina das ruas. Em relatório publicado em novembro de 2022, o RMI, organização independente, apresenta uma abordagem completa da cadeia de valor necessária para descarbonizar uma indústria operacionalmente responsável por 3 gigatoneladas de emissões de gases de efeito estufa somente em 2019 (RMI - novembro, 2022).
Link Externo

IEA: A crise global de energia está gerando um aumento nas bombas de calor, trazendo segurança energética e benefícios climáticos

As vendas mundiais de bombas de calor devem atingir níveis recordes nos próximos anos, à medida que a crise global de energia acelera sua adoção, afirma a International Energy Agency (IEA) em um novo relatório especial divulgado no dia 30 de novembro. O aquecimento da maioria dos edifícios ao redor do mundo – como residências, escritórios, escolas e fábricas – ainda depende de combustíveis fósseis, principalmente gás natural. As bombas de calor são uma solução eficiente e ecológica, que ajuda os consumidores a economizar dinheiro em contas e permite que os países reduzam a dependência de combustíveis fósseis importados, de acordo com o relatório especial da IEA The Future of Heat Pumps. (IEA - 30.11.2022)
Link Externo

Geração Distribuída

ABGD diz que Geração Distribuída vai continuar crescendo mesmo após o fim dos incentivos

O diretor-presidente da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD), Guilherme Chrispim, acredita que a geração própria de energia continuará crescendo mesmo num cenário de retirada dos incentivos, com o pagamento pela Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (TUSD). Durante participação no debate online "Os Caminhos da Energia Solar no Brasil: Desafios e Oportunidades", realizado pelo Estadão, Chrispim comparou o momento atual da geração distribuída (GD) ao "bug do milênio", que na virada para os anos 2000 trouxe o temor de que os computadores poderiam deixar de funcionar. Segundo Crispim, o crescimento na demanda por energia nos próximos anos, especialmente com a tendência de eletrificação das coisas, deve continuar impulsionando a GD. Na visão dele, os consumidores tendem a querer uma independência energética. (BroadCast Energia – 30.11.2022)  
Link Externo

Comissão do Senado aprova projeto que prevê Geração Distribuída em universidades

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado Federal aprovou o Projeto de Lei 726/2019, que institui o Programa de Geração Distribuída nas Universidades (PGDU). O objetivo da proposta é prover recursos para a instalação de sistemas de geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis nas universidades brasileiras e entidades a elas vinculadas. O projeto estabelece que o programa deverá contar com recursos oriundos de diversas fontes, como o Fundo Nacional sobre Mudança do Clima e de programas setoriais de eficiência energética já existentes. O texto segue agora para apreciação da Comissão de Educação do Senado. (BroadCast Energia – 01.12.2022)  
Link Externo

Programa de transformação energética do campo alcança R$ 1 bilhão de investimentos

Lançado em agosto de 2021, o RenovaPR, programa do Governo do Paraná que facilita a instalação de sistemas de energia fotovoltaica e biogás/biometano para produtores rurais, já conta com 5.251 projetos acatados pelo Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná). É uma soma de investimentos em andamento que ultrapassa R$ 1 bilhão, mobilizados com o apoio do Banco do Agricultor Paranaense. Para o coordenador estadual do RenovaPR, Herlon Goelzer de Almeida, o programa alcançou este alto investimento porque o impacto da energia nos custos de produção faz com que os agricultores procurem alternativas de geração própria. Ele destaca também que neste ano termina o acordo da Tarifa Rural Noturna, que dá descontos aos produtores, o que impõe a implantação de sistemas de geração própria de energia. (ABSOLAR – 02.12.2022) 
Link Externo

Armazenamento de Energia

Isa Cteep inaugura primeiro sistema de baterias em escala

A Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (Isa Cteep) colocou em operação o primeiro sistema de armazenamento de energia em baterias em larga escala no sistema de transmissão brasileiro. O projeto de baterias está instalado na subestação de Registro (SP), também operada pela companhia. Os sistemas de baterias têm 30 MW de potência, são capazes de entregar 60 MWh de energia por duas horas para uma região de até 2 milhões de pessoas. O objetivo é que elas atuem nos momentos de pico de consumo do litoral Sul Paulista durante o verão, como no Natal e Ano Novo, por exemplo, como um reforço à rede elétrica, assegurando fornecimento adicional. Ao todo, são dez contêineres com 180 racks de baterias de lítio, que ocupam uma área de aproximadamente 5 mil m2, o equivalente à metade de um campo de futebol. A tecnologia deve evitar interrupção no fornecimento de energia em momentos de maior carga. (Valor Econômico - 28.11.2022)   
Link Externo

Holanda: armazenamento de energia em larga escala é implementado para auxiliar na expansão das energias renováveis

À medida que um excedente de energias renováveis chega à rede elétrica holandesa, surge um novo problema – o de estar no limite da capacidade. O excesso de energia verde iniciando as operações significou que em certas cidades holandesas surgiram gargalos e novas conexões tiveram que sofrer atrasos imensos ou não foram possíveis. E agora, um novo sistema de armazenamento de bateria em larga escala foi anunciado para ajudar a utilizar o suprimento renovável existente sem impactar ainda mais a rede. A Rolls-Royce, empresa automobilística, fornecerá e instalará o sistema de armazenamento de bateria MTU EnergyPack QG em larga escala para a empresa de energia holandesa Semper Power. O sistema de armazenamento de bateria em grande escala, com capacidade de 30MW e capacidade de armazenamento de 60MWhs, é usado para regular a frequência da rede na Holanda para integrar eletricidade de fontes de energia renováveis à rede pública. (Power Engineering - 28.11.2022)
Link Externo

NREL/EUA: Os custos de armazenamento de energia em grande escala cresceram 11-13% no primeiro trimestre de 2022

Os custos de armazenamento de energia nos EUA cresceram 13% do primeiro trimestre de 2021 ao primeiro trimestre de 2022, disse o Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) em uma análise de benchmarking de custos. O laboratório de pesquisa revelou os resultados de seu relatório ‘US Solar Photovoltaic System and Energy Storage Cost Benchmarks, With Minimum Sustainable Price Analysis: Q1 2022’. Para armazenamento de energia autônomo, o NREL disse que o benchmark de custos cresceu 2% ano a ano para sistemas residenciais para US$ 1.503/kWh e 13% para sistemas de grande porte para US$ 446/kWh. (Energy Storage - 01.12.2022)
Link Externo

Irlanda lança consulta sobre estrutura de política de armazenamento de energia

O governo irlandês lançou uma consulta para ajudar a direcionar o desenvolvimento de uma estrutura política para armazenamento de energia. Como o mercado de geração de energia renovável continua a crescer na Irlanda, há uma urgência crescente em desenvolver soluções de armazenamento de energia em uma tentativa de fornecer flexibilidade ao mercado de energia. Em uma tentativa de incentivar a criação de armazenamento de energia na Irlanda, o governo está desenvolvendo uma estrutura política para ajudar a atingir seus objetivos nesta área de seu Plano de Ação Climática, que visa uma proporção de eletricidade renovável de até 80% até 2030. Esses objetivos incluem apoiar a integração de altos volumes de geração renovável, fornecendo armazenamento adicional de energia para aumentar sua capacidade geral para o sistema nacional de energia. (Energy Storage - 01.12.2022)
Link Externo

O Ministério da Energia da Romênia apoiará financeiramente pelo menos 620MWh de implantações de BESS

O ministro da Energia, Virgil Popescu, assinou uma ordem que aprova o esquema de auxílio estatal para investimentos em sistemas de armazenamento de energia em baterias. O orçamento total do programa é de € 103,48 milhões (US$ 107 milhões) e receberá € 79 milhões da parcela da Romênia no Plano de Recuperação e Resiliência da UE, o programa do bloco para mitigar os efeitos econômicos negativos da pandemia de COVID-19. O restante virá de fundos nacionais. O auxílio será concedido sob a forma de reembolso de despesas incorridas com a construção e aquisição de novas baterias de capacidade de armazenamento de energia ou infraestruturas associadas. A ajuda não pode exceder € 167 mil por MWh, o que significa que o orçamento será para pelo menos 619 MWh de implantações. (Energy Storage - 30.11.2022)
Link Externo

Reguladores das Filipinas consideram regras e definição de propriedade de armazenamento de energia

O Departamento de Energia das Filipinas e os reguladores estão considerando alterar as regras que regem a propriedade de sistemas de armazenamento de energia conectados à rede. A classificação atual de armazenamento de energia como geração pode estar dificultando o investimento em uma classe de ativos que as Filipinas precisam ver mais para garantir uma operação estável e econômica de suas redes de eletricidade. As empresas de geração nas Filipinas estão proibidas de possuir mais de 30% da capacidade de geração instalada em cada uma das redes do país insular, ou de possuir mais de 25% da capacidade instalada em todo o país. Com as principais empresas de geração agora também se tornando os primeiros investidores nas Filipinas em armazenamento de bateria em larga escala, elas podem ser desencorajadas a implantar armazenamento de bateria se isso significar que esse limite será ultrapassado. (Energy Storage - 29.11.2022)
Link Externo

Itália atinge 959 MW/1.826 MWh de capacidade de armazenamento distribuído

Até o final de setembro, a Itália havia instalado cerca de 159,7 mil sistemas de armazenamento distribuído vinculados a projetos de energia renovável, de acordo com novos números da associação nacional de renováveis, ANIE Rinnovabili. Os sistemas de armazenamento têm uma capacidade combinada de 959 MW e uma capacidade máxima de armazenamento de 1.826 MWh. Isso se compara a 720 MW/1.361 MWh de capacidade de armazenamento distribuída no final de junho e 189,5 MW/295,6 MWh no final de 2020. A nova capacidade para o terceiro trimestre deste ano foi de 215 MW/472 MWh, o que marca o período de três meses mais forte já registrado para implantação de armazenamento no país. (PV Magazine - 30.11.2022)
Link Externo

Veículos Elétricos

Parceria para eletrificação de frota de ônibus em São Paulo

A cidade de São Paulo tem mais dois anos para cumprir a meta, estabelecida pela prefeitura, de contar com 20% de ônibus elétricos em sua frota no transporte público. A capital já tem parceria com a responsável pela infraestrutura de energia elétrica, a Enel X, e ao menos quatro grandes fornecedores de ônibus estão disponíveis para iniciar a produção em larga escala. A ideia é bem aceita, de forma geral, pelos donos das empresas de transporte, que são os operadores do sistema. A própria prefeitura tenta agilizar o processo de substituição de 2,4 a 2,6 mil ônibus até o fim de 2024. A gestão Ricardo Nunes enviou uma carta, em outubro, aos operadores do sistema exigindo que veículos a diesel sejam trocados exclusivamente por elétricos a partir daquele momento. As negociações na capital paulista são privadas, entre a empresa e os operadores do sistema, a prefeitura não se responsabilizará pela compra dos veículos. (Folha de São Paulo – 28.11.2022) 
Link Externo

PUCRS será sede brasileira de empresa sul-coreana líder na fabricação de estações de recarga

A empresa sul-coreana Chaevi, uma das maiores fabricantes de estações de recarga para veículos elétricos, escolheu o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) para a expansão de suas atividades no mercado brasileiro. Na ocasião, a empresa também instalou duas estações de carga no Campus. A vinda da operação da Chaevi para a PUCRS é uma iniciativa do Labelo e do Plug Future Mobility, um hub do Tecnopuc que tem como propósito fomentar a união de diferentes atores da sociedade que busquem soluções, serviços e produtos para novos modelos de mobilidade. A Universidade acredita que as características de um ambiente de formação de profissionais, pesquisa, inovação e conexão para diferentes atores da sociedade é perfeito para a materialização das ações nesta área. Neste momento, a Chaevi estuda o mercado brasileiro e passa a desenvolver relações com novos parceiros e clientes no Brasil. (Valor Agregado - 01.12.2022)  
Link Externo

BorgWarner diz que Brasil deve avançar 400% em vans, ônibus e caminhões elétricos em 5 anos

A BorgWarner anunciou sua primeira fábrica de montagem de sistemas de baterias para veículos elétricos no Brasil. Na ocasião, a empresa destacou o potencial do país no cenário de transição energética, considerando uma posição vantajosa em termos de emissões em função da matriz energética mais limpa e das rotas tecnológicas disponíveis. Para o segmento de vans, caminhões e ônibus elétricos, a BorgWarner enxerga um potencial de crescimento estimado de cerca de 400% nos próximos cinco anos. Na visão da empresa norte-americana, o Brasil é bastante competitivo para se tornar um produtor de veículos elétricos. Isso considerando que nós possuímos a quarta maior frota de veículos pesados do mundo e a oitava de veículos leves, e uma das matrizes energéticas mais limpas do planeta, habilitando uma produção de baixo carbono, o que torna o país atrativo para investimentos. (Inside EVs - 01.12.2022)  
Link Externo

Osten instala pontos de recarga gratuita para VEs

O grupo Osten, presente no mercado automotivo de luxo, instalou 15 carregadores elétricos do tipo wallbox na cidade de São Paulo, Baixada Santista e no Vale do Paraiba, sempre em estabelecimentos públicos, e com as recargas sendo realizadas de forma gratuita. Em 2021, a empresa realizou uma parceria com shopping centers e supermercados para realizar a instalação dos carregadores públicos, e após os novos equipamentos instalados, a empresa planeja encerrar 2022 com 25 pontos de recarga em funcionamento. Os equipamentos escolhidos são fornecidos pela BMW e apesar de conter o logotipo da marca alemã, os carregadores podem fornecer energia para qualquer veículo elétrico, desde que tenha o plug de carregamento compatível. (IG - 26.11.2022) 
Link Externo

Índia integra a estratégia de carros elétricos da Stellantis

O grupo automotivo Stellantis está de olho na Índia, devido aos custos de produção de carros elétricos cada vez mais altos na Europa, o grupo automotivo já considera o país asiático como uma alternativa de baixo custo para fabricar modelos zero combustão. A revelação partiu do próprio CEO da Stellantis, Carlos Tavares, em entrevista à Reuters. De acordo com a agência de notícias, a montadora se mostra interessada em especial nos baixos custos trabalhistas e de produção da Índia. A produção em solo indiano serviria para abastecer o mercado europeu. E seria uma alternativa não só aos altos custos de fabricação na Europa, mas também em relação à concorrência feroz da China. (Automotive Business - 25.11.2022)
Link Externo

Xiaomi anuncia que terá VEs a partir de 2024

Com o crescimento do mercado de carros elétricos em todo o mundo, novas marcas se preparam para entrar no mercado. A empresa chinesa Xiaomi, famosa por produzir smartphones e outros itens tecnológicos, está próxima de lançar o seu primeiro carro elétrico. Segundo estimativas de especialistas, a empresa deverá iniciar a produção do carro em 2024. Enquanto isso, o carro poderá ser pré-visualizado através de um protótipo produzido pela empresa. Vale lembrar que a Xiaomi já informou que não pretende lançar apenas um carro, mas sim se tornar uma importante marca do segmento, disputando espaço diretamente com empresas como a Tesla, Toyota, Volkswagen e Nissan. (Carro Bonito - 30.11.2022)  
Link Externo

Mercedes-Benz começa a vender potência extra em seus VEs

A Mercedes-Benz começou a vender potência em seus veículos elétricos da linha EQ. O serviço usa o chip 5G para baixar atualizações e upgrades que podem deixar, por exemplo, o desempenho dos veículos mais poderoso. Ou mesmo instalar um recurso de segurança ou de conforto para usar durante uma viagem. Por US$ 1.200 dólares ao ano, a opção de desbloquear o recurso já vem embutida na gama EQE e EQS. Em média, o pacote disponibilizado pela marca reduz em aproximadamente um segundo o tempo de aceleração de zero a 100 km/h nos modelos. Caso deixe de pagar a taxa extra, o serviço desativa automaticamente. Na loja online da Mercedes-Benz dos Estados Unidos, o cliente é informado que o "Aumento de Aceleração" permite aumento da potência máxima do motor de 20% a 24%. O ajuste dos motores, no entanto, depende da produção original de fábrica. (Jornal do Carro - 30.11.2022)  
Link Externo

EUA: Agência propõe mudar programa de biocombustível para incluir VEs

O governo Biden divulgou uma proposta de três anos para expandir a política de biocombustíveis dos Estados Unidos com mandatos de maior volume e, pela primeira vez, incluir um caminho para os fabricantes de veículos elétricos gerarem créditos lucrativos. De acordo com o plano, anunciado pela Agência de Proteção Ambiental (EPA), as refinarias de petróleo serão obrigadas a adicionar 20,82 bilhões de galões de biocombustíveis ao seu combustível em 2023, 21,87 bilhões de galões em 2024 e 22,68 bilhões de galões em 2025. Além de aumentar os volumes obrigatórios, a EPA espera usar a redefinição para introduzir um caminho para os fabricantes de veículos elétricos gerarem créditos. A medida pode reconhecer a possibilidade de VEs serem carregados em rede de energia gerada por biocombustíveis como aterros sanitários ou metano da pecuária. A proposta da EPA prevê que os fabricantes de veículos elétricos gerem até 600 milhões de créditos chamados e-RINs em 2024, e 1,2 bilhão deles até 2025. (Isto É - 01.12.2022)  
Link Externo

Eficiência Energética

CPFL Paulista investe cerca de R$ 5 mi em projetos de eficiência energética

A CPFL Paulista concluiu, no dia 29 de novembro, os projetos de eficiência energética em três hospitais de Bauru administrados pela Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp). De acordo com a companhia, foram investidos R$ 5,17 milhões, nos últimos dois anos, no Hospital de Base, Hospital Estadual de Bauru e na Maternidade Santa Isabel, que receberam a instalação de usina solar fotovoltaica, para a geração de energia solar, e renovação da iluminação interna para tecnologia LED. As ações integram o programa CPFL nos Hospitais e, com as lâmpadas e as usinas fotovoltaicas, espera-se que, somadas, as três instituições economizem cerca de 1,7 GWh de energia por ano. As ações executadas também irão impedir a emissão de até 104,9 toneladas de CO2 na atmosfera, o equivalente ao plantio de 629 árvores. (CanalEnergia - 30.11.2022)   
Link Externo

Cidades dos EUA visam diminuir o uso de energia e emissões em edifícios aplicando multas aos proprietários

Grandes cidades dos EUA, como Nova York, estão se preparando para multar os proprietários de edifícios que não cumprirem os regulamentos locais recentemente promulgados ou atualizados que, na maioria dos casos, limitam as emissões de gases de efeito estufa de grandes edifícios ou reduzem o uso de energia, de acordo com um relatório do Moody’s Investors Service. As multas ocorrem quando um total de 30 municípios dos EUA estão adotando padrões mais altos para reduções de emissões de imóveis comerciais e consumo de energia, de acordo com o relatório. Embora os regulamentos variem, os custos podem ser uma despesa significativa que seria arcada pelos proprietários e possivelmente até pelos inquilinos de todos os tipos de propriedades. As regras são destinadas a encorajar os proprietários a investirem na substituição antecipada dos sistemas de climatização e outras melhorias de eficiência energética. (UtilityDive – 30.11.2022) 
Link Externo

Governo americano disponibiliza US$ 80 milhões para reduzir o consumo de energia de escolas públicas

O Departamento de Energia dos EUA (DOE) anunciou que as inscrições para as agências locais de educação solicitarem subsídios de melhoria de energia estão abertas, foram disponibilizados US$ 80 milhões pela administração do governo americano para esse fim. O financiamento se concentrará em escolas que se qualificam como áreas rurais e/ou de alta pobreza, disse a agência. Os fundos podem ser usados para projetos de eficiência energética, como novos sistemas de climatização, instalações de energia renovável e infraestrutura de carregamento de veículos elétricos. O financiamento vem por meio da Lei de Investimentos e Empregos em Infraestrutura aprovada pelo Congresso no ano passado, que forneceu US$ 500 milhões em subsídios para melhorias de energia nos anos fiscais de 2022-2026 em escolas públicas. O DOE disse que incentivará os candidatos a considerarem projetos que permitam impactos replicáveis e escaláveis, e que criem parcerias sustentáveis e inovadoras. (UtilityDive – 30.11.2022) 
Link Externo

Microrredes e VPP

Comunidades da República Dominicana buscam microrredes solares

Moradores do vilarejo montanhoso de Sabana Real, perto da fronteira entre a República Dominicana e o Haiti, esperam que a eletrificação por meio de uma microrrede solar ajude a cidade a lidar com a fuga da população, os desafios econômicos e as preocupações de ser atingida por intensas tempestades e furacões. O projeto de US$ 300 mil em Sabana Real está sendo financiado pelo governo alemão por meio da Agência Alemã de Cooperação Internacional, uma organização que se concentra na cooperação internacional para o desenvolvimento sustentável. A microrrede inclui um banco de baterias de lítio de 240 kWh, o maior do país, e geração solar de 48 kW de potência. De acordo com o novo relatório do Banco Mundial, “The 2022 edition of the RISE (Regulatory Indicators for Sustainable Energy)”, países caribenhos como a República Dominicana estão adicionando cada vez mais minirredes para aumentar sua independência energética e reduzir custos de energia. (Microgrid Knowledge – 02.12.2022) 
Link Externo

EUA: Microrredes movidas a energia solar trazem resiliência às comunidades rurais do estado de Vermont

A tempestade tropical Irene causou devastação generalizada quando atingiu o estado de Vermont, EUA, no verão de 2011. Esses eventos extremos prometem piorar diante das mudanças climáticas e a cidade de Rochester, com cerca de mil moradores, é especialmente afetada por essas tempestades devido à sua localização no vale. Com isso em mente, a concessionária de energia elétrica local, Green Mountain Power, está construindo uma microrrede que fornecerá energia ao vilarejo central durante as interrupções. O projeto faz parte da nova iniciativa “zona de resiliência” da empresa, destinada a tornar a rede elétrica mais durável em algumas das comunidades mais vulneráveis do estado. O primeiro teste do programa foi a cidade de Panton, no oeste de Vermont, uma comunidade rural de cerca de 700 residentes, onde foi instalada uma microrrede alimentada por painéis solares de 5 MW e um sistema de bateria de 4 MW. A microrrede em Rochester seguirá o mesmo modelo da cidade de Panton, só que em menor escala, tendo o painel solar e a bateria uma capacidade de 1 MW cada. (Power Grid – 30.11.2022) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

A flexibilidade como uma solução para o congestionamento da rede

O congestionamento da rede tornou-se uma questão muito pertinente na Europa, à medida que as energias renováveis entram em operação em um ritmo mais rápido. Colocar muitas fontes de energia renovável na rede sem respaldar ou atualizar a infraestrutura cria problemas. E é nesse contexto que a flexibilidade e os mercados de flexibilidade podem ajudar. Uma iniciativa dos operadores de rede holandeses para gerenciar o congestionamento da rede é o GOPACS. A plataforma registra o congestionamento e envia uma mensagem para as partes do mercado e aqueles com conexão elétrica podem então fazer um pedido de compra em uma plataforma de mercado de energia conectada. O GOPACS verifica se a encomenda causa problemas noutros locais da rede elétrica dos operadores de rede aderentes. Caso não, os operadores de rede pagam a diferença de preço entre as duas ordens para que possam ser correspondidas na plataforma de negociação e a situação de congestionamento seja resolvida. E assim, embora o gerenciamento de rede continue a ser uma preocupação, a flexibilidade fornece um alívio inteligente à rede. (Power Engineering Int – 02.12.2022) 
Link Externo

Eni e EDF usam computação quântica para obter ganhos de sustentabilidade

A computação quântica no setor de energia está ganhando espaço com o desenvolvimento de novos casos. A petrolífera italiana Eni está colaborando com a especialista em processamento quântico Pasqal, para desenvolver várias aplicações de próxima geração para o setor de energia, abrangendo energias renováveis, bem como upstream e downstream em sua cadeia de valor. A Eni opera o que se acredita ser um dos supercomputadores privados mais poderosos do mundo em seu Green Data Center. A utilização dos algoritmos proprietários da Pasqal deve permitir que a Eni acelere sua pesquisa e novos recursos em áreas que incluem tecnologias de energia renovável e fusão magnética, entre outras. Dario Pagani, chefe de computação digital e de alto desempenho da Eni, diz que os computadores quânticos da Pasqal permitirão complementar os fluxos de trabalho convencionais de computação de alto desempenho em áreas como otimização e aprendizado de máquina e acelerar as pesquisas em novas soluções para os problemas mais urgentes do setor de energia. (Power Engineering Int – 28.11.2022) 
Link Externo

A transformação digital da NYPA envolve drones e IA para gerenciamento de ativos

Em 2021, a New York Power Authority (NYPA) buscou licitações e avaliou fornecedores no espaço de inteligência artificial (IA) em um esforço para ajudar a simplificar o processo de análise de imagens capturadas por drones de seus quilômetros de linhas de energia. A Buzz Solutions, uma plataforma de software baseada em IA para gerenciamento de dados, detecção de anomalias e análises para inspeções de infraestrutura de linhas de energia e redes, foi selecionada no processo de licitação aberta. A NYPA informou que a tecnologia de IA está melhorando significativamente seu programa interno de inspeção de drones, permitindo que as linhas de transmissão sejam avaliadas de forma mais rápida e completa e quaisquer possíveis problemas que possam levar à falha de energia sejam identificados mais cedo. O sistema detecta falhas nas linhas de transmissão e distribuição e pode reduzir os custos de inspeção ao minimizar as inspeções pessoais, ao mesmo tempo em que ajuda a reduzir situações potencialmente perigosas. (PowerGrid – 29.11.2022) 
Link Externo

Segurança Cibernética

Enlit Europe: solução cibernética lançada para fabricantes de medidores inteligentes

À medida que ameaças como fraude e roubo de energia se tornam mais frequentes, uma parceria de soluções cibernéticas entre o fabricante de semicondutores Renesas e a NanoLock Security está se concretizando para proteger os fabricantes de medidores inteligentes. A NanoLock Security, provedora de segurança cibernética para dispositivos e máquinas de Internet Industrial das Coisas (IIoT) e Tecnologia Operacional (OT), anunciou uma proteção de segurança cibernética integrada e de confiança para os produtos de medidores inteligentes dos clientes da Renesas Electronics Corp. Os clientes da Renesas na fabricação de medidores agora terão a proteção cibernética de confiança e compatível com DLMS da NanoLock Security integrada em seus medidores. Espera-se que não tenha impacto no desempenho, funcionalidade ou velocidade de implantação. (Smart Energy - 29.12.2022)
Link Externo

Eventos

EPE irá realizar em dezembro um webinar sobre eficiência energética

No dia 08 de dezembro, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) promoverá um webinar, online e aberto ao público, com o objetivo de apresentar proposta de ações norteadoras para o aumento da eficiência energética nas edificações brasileiras, contribuindo para orientar a alocação dos investimentos nesse setor. O “Webinar Eficiência Energética: Ações norteadoras para as edificações brasileiras” busca identificar ações para aumentar a eficácia dos programas existentes, bem como mapear novos programas e mecanismos a fim de ampliar a eficiência energética e a competitividade da indústria nacional. Esse evento é parte das ações de redução das assimetrias de informação sobre o potencial de eficiência energética no Brasil realizadas pela EPE. (EPE – 01.12.2022)  
Link Externo