IFE
26/09/2022

IFE Tec. Exponencial n° 102

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
26/09/2022

IFE nº 102

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tec. Exponencial n° 102

Transição Energética e ESG

Como será o mercado de gás em um mundo net zero?

O cenário de transição energética acelerada explora um caminho, no qual o aumento das temperaturas globais desde os tempos pré-industriais é limitado a 1,5 °C até o final deste século, e a neutralidade das emissões deve ser atingida até 2050. Sob o cenário de transição energética acelerada, a demanda por hidrocarbonetos diminui rapidamente, exceto por gás natural. Embora as medidas de descarbonização, sem dúvida, pressionem a demanda de energia de uso final, o gás ainda tem um papel crucial a desempenhar. A eliminação progressiva do carvão suporta o gás, e também há uma necessidade crescente de gás como matéria-prima para o hidrogênio azul. Além disso, com eletrificação generalizada e construção de energias renováveis, o gás combinado com captura e armazenamento de carbono (CCS) pode ser uma fonte de flexibilidade e geração despachável – mesmo com o avanço da tecnologia das baterias. (Wood Mac - 21.09.2022)
Link Externo

RMI: Relatório aponta que as indústrias petroquímica e de refino são as maiores emissoras dos EUA

O novo relatório da RMI Emissions Out the Gate: State of the Refining and Petrochemical Industries fornece uma visão geral das indústrias petroquímica e de refino dos EUA e do mundo, bem como suas emissões atuais, o crescimento previsto e as suas emissões projetadas até 2050. Segundo o relatório, só nos Estados Unidos, as indústrias de refino e petroquímica emitem anualmente tanta poluição quanto 100 usinas a carvão. Apesar dos impactos climáticos significativos das indústrias, os dados sobre suas emissões são lamentavelmente inadequados. Até recentemente, as estimativas de refino e petroquímica dependiam quase exclusivamente de dados auto-relatados pelas empresas. Este relatório é um grande passo à frente ao fornecer uma metodologia independente para modelagem de emissões. O relatório também estabelece uma estrutura que pode ser aprimorada ao longo do tempo à medida que mais dados medidos se tornam disponíveis. (RMI - setembro de 2022)
Link Externo

IEA pede impulso na geração de energia renovável da Hungria

A International Agency of Energy (IEA) divulgou sua revisão anual da política energética da Hungria em setembro deste ano, descrevendo o estado atual da geração renovável dentro da matriz energética do país e delineando recomendações para o país atingir suas metas de zero emissões. De acordo com a revisão, o país aumentou significativamente suas ambições climáticas desde sua última revisão, embora ainda seja necessário um impulso na geração de energias renováveis para atingir as metas. As principais prioridades das políticas climáticas e energéticas da Hungria estão relacionadas com a segurança energética, reduzindo o uso de combustíveis fósseis e mantendo os preços da energia acessíveis. (PEI - 15.09.2022)
Link Externo

Brasil pode atrair até US$ 3 tri em investimentos para neutralizar suas emissões até 2050

O Brasil pode receber uma injeção de US$ 2 trilhões a US$ 3 trilhões em investimentos a partir do compromisso de empresas brasileiras em zerar as emissões de gases do efeito estufa, até 2050, de acordo com estudo da consultoria norte-americana Boston Consulting Group (BCG). O investimento seria direcionado a iniciativas de descarbonização em quatro áreas principais: créditos de carbono, energia limpa, agricultura sustentável e uma revolução verde no setor industrial. Os investimentos para um Brasil sem emissão virão, sobretudo, da iniciativa privada, segundo o Diretor Executivo da BCG Brasil, Arthur Ramos. Nas próximas três décadas, estima-se que a migração para uma economia descarbonizada vai exigir investimentos da ordem de US$ 100 trilhões a US$ 150 trilhões ao redor do globo. (BroadCast Energia – 16.09.2022)  
Link Externo

Geração Distribuída

EUA: Califórnia tenta uma nova abordagem para expandir o acesso solar comunitário

O governador da Califórnia sancionou a Lei AB 2316 no dia 16 de setembro, criando um programa comunitário de energia renovável que combina energia solar comunitária com armazenamento de energia. A medida visa diminuir as barreiras de acesso aos projetos solares comunitários, barreiras essas que afetam quase metade dos californianos que alugam casas ou têm baixa renda. Projetos solares comunitários são instalações de menor escala normalmente localizadas em aterros sanitários, antigos locais industriais ou terrenos privados. Os clientes economizam em média 10% em suas contas de energia ao receber créditos com base em sua participação na geração do projeto. Quando combinada com o armazenamento de energia, a energia solar comunitária pode ajudar a aumentar a confiabilidade da rede, fornecendo energia limpa após o pôr do sol durante os horários de pico de uso de energia. (Renewable Energy World - 19.09.2022)
Link Externo

A corrida de obstáculos do Camboja em direção à energia renovável

A instalação de painéis fotovoltaicos no telhado é fortemente penalizada no Camboja, devido à cobrança de uma taxa de capacidade mensal sobre os painéis solares. A taxa é cerca de US$ 0,07/kWh para sistemas maiores e US$ 0,84/kWh para sistemas menores, de acordo com o relatório “Position paper on renováveis energy in Cambodia” da Câmara de Comércio Europeia no Camboja (EuroChamb). O relatório defende o cancelamento das taxas tanto para o setor manufatureiro quanto para o industrial. De acordo com os regulamentos introduzidos pela Autoridade de Eletricidade do Camboja (EAC) em 2018, os proprietários de sistemas fotovoltaicos de telhado não podem acessar energia mais barata fora do pico durante a noite, nem injetar a eletricidade solar em excesso na rede. Além disso, a energia solar é limitada a 50% da carga contratada e os sistemas construídos antes dos regulamentos não podem operar. (PV Magazine - 20.09.2022)
Link Externo

Projeto estimula microgeração solar na agricultura familiar

O Senado vai analisar um projeto de lei, que alivia a conta de luz das propriedades de agricultura familiar que usem energia oriunda de microgeradores solares. O projeto mexe no marco regulatório da microgeração (Lei 14.300), que o Congresso aprovou no início deste ano. Entre outras medidas, a lei garante subsídios tarifários para os consumidores que investem na produção autônoma a partir de microgeradores ou minigeradores de fontes renováveis. Com esse benefício, eles não pagam integralmente o custo pelo uso da rede de distribuição. A proposta de Alessandro expande esses subsídios até 2045 para agricultores familiares e participantes do Cadastro Único que fazem geração solar fotovoltaica. O projeto ainda aguarda o despacho que determinará quais comissões temáticas irão analisá-lo. (Senado Notícias – 16.09.2022)  
Link Externo

BNDES financiará construção de 11 usinas solares de geração distribuída da GreenYellow

O BNDES aprovou financiamento direto de R$ 63 milhões para implantação de 11 usinas fotovoltaicas da GreenYellow, empresa de soluções em energia, no primeiro project finance voltado ao segmento de geração solar distribuída aprovado pela instituição no Brasil. Os recursos correspondem a 55% do valor total do projeto, calculado em R$ 115 milhões, e serão direcionados a usinas em construção ou recém-conectadas, localizadas em Planaltina (RS), Riolândia (SP), Cedro (CE), Sentinela do Sul (RS), Ouro Verde (SP), Barra do Jacaré (PR), Macaíba (RN), Itaperuna (RJ), Barretos (SP) e José Bonifácio (SP). Juntas, essas fazendas fotovoltaicas somam o total de 27,6 MWp de capacidade instalada e terão a energia fornecida a empresas conectadas em baixa tensão na rede de distribuição. Os empreendimentos devem entrar em operação até 2023. (BroadCast Energia – 20.09.2022)  
Link Externo

Armazenamento de Energia

EUA: Baterias residenciais ajudaram a impedir o desligamento da rede da Califórnia

À medida que as temperaturas subiram na Califórnia nas duas primeiras semanas de setembro de 2022, os operadores da rede temiam que fosse necessário recorrer a apagões contínuos para evitar falhas na rede. Embora a Califórnia tenha visto alertas flexíveis de diminuição da demanda energética em horários de picos no passado, este ano as baterias atrás do medidor foram capazes de ajudar a aliviar um pouco da tensão na rede. Em 20 de setembro, a East Bay Community Energy (EBCE) disse que mais de 1.000 clientes de baterias solares e domésticas que participam do Resilient Home Program da EBCE forneceram energia de emergência para evitar apagões durante a série sem precedentes de Alertas Flex da Califórnia. (Power Grid - 19.09.2022)
Link Externo

EUA: A Lei de Redução da Inflação tem transformado a indústria de armazenamento de energia

A legislação da Lei de Redução da Inflação dos EUA trouxe benefícios para a indústria de armazenamento de energia e pode dobrar o mercado doméstico endereçável rapidamente. A introdução do subsídio de crédito fiscal de investimento (ITC) para armazenamento de energia autônomo significa que, pela primeira vez, as baterias não precisam ser emparelhadas diretamente no local com geração solar fotovoltaica para obter uma redução de cerca de 30% no custo inicial de seus equipamentos do projeto. Isso não é apenas um impulso financeiro, mas hoje a maioria dos projetos de armazenamento de energia propostos ou em filas de interconexão nos EUA são combinados com energia solar fotovoltaica para se qualificar. (Energy Storage - 21.09.2022)
Link Externo

Veículos Elétricos

EUA: Governo anuncia a aprovação dos primeiros 35 planos estaduais para construir infraestrutura de carregamento de veículos elétricos

A Administração Biden-Harris anunciou que mais de dois terços dos Planos de Implantação de Infraestrutura de Veículos Elétricos (VE) dos estadosforam aprovados antes do previsto sob o Programa Nacional de Infraestrutura de Veículos Elétricos (NEVI). Com essa aprovação antecipada, esses estados agora podem desbloquear mais de US$ 900 milhões em financiamento por meio do NEVI para ajudar a construir carregadores de VE para rodovias em todo o país. O financiamento do NEVI sob a Lei de Infraestrutura Bipartidária, que disponibiliza US$ 5 bilhões em cinco anos, ajudará a construir uma rede de carregamento de veículos elétricos confiável e acessível em todo o país. A adoção mais rápida de veículos elétricos é uma parte crítica das metas climáticas do país, já que o transporte atualmente responde por mais de um quarto de todas as emissões. (Electric Energy Online – 15.09.2022)
Link Externo

Estados Unidos e México fortalecem sua aliança para avançar na mobilidade elétrica

O secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinden, convidou o governo mexicano a se juntar ao plano do presidente Joe Biden em favor da mobilidade sustentável e se tornar parte do esforço da América do Norte para produzir semicondutores, bem como promover a eletromobilidade, com um investimento associado ultrapassando os 51 bilhões de dólares. A realidade, porém, é que o México ainda utiliza políticas energéticas pró-fósseis. Além disso, a sua frota de veículos ultrapassa 53 milhões de unidades, com uma curva em constante aumento desde 2000, segundo dados do Instituto Nacional de Geografia e Estatística. E embora a venda de carros elétricos e híbridos esteja em alta, no primeiro semestre de 2022 foram vendidas apenas 1.703 unidades de carros totalmente elétricos. O avanço na implantação de pontos de recarga também é lento, o que dificulta o deslocamento pelo país em veículo elétrico, e o transporte público nas cidades continua a depender, em grande parte, de combustíveis fósseis. (Energías Renovables – 16.09.2022)
Link Externo

Enel X estuda eletrificação de frotas de ônibus em cidades brasileiras

A Enel X anunciou o início de estudos para eletrificar as frotas de ônibus de Curitiba (PR) e Angra dos Reis (RJ). A companhia tem defendido a solução para descarbonizar o transporte de passageiros em grandes centros urbanos. Em Angra dos Reis, a iniciativa é uma das etapas de um Procedimento de Manifestação de Interesse em que a Enel X é responsável pelas análises técnicas, legais e econômicas da parceria público-privada. A prefeitura de Angra do Reis testará, durante 30 dias, um coletivo elétrico da Marcopolo, chamado Attivi, que possui tecnologia nacional e importada e será operado pela concessionária de transporte público municipal em uma das linhas existentes. Já em Curitiba, a prefeitura apresentou o ônibus elétrico da fabricante chinesa Higer, que será testado durante 20 dias. Em ambas as cidades, os testes servirão para avaliar indicadores de manutenção e o funcionamento do sistema eletrônico durante o trajeto dos testes, além de autonomia, tempo de carregamento e custo da operação. (Epbr – 16.09.2022)
Link Externo

Volvo desenvolverá ônibus e caminhões elétricos no Brasil

A Volvo Group, divisão de veículos pesados e equipamentos, anunciou no início do ano que está renovando seu ciclo de investimentos no Brasil, o que inclui o desenvolvimento dos primeiros ônibus e caminhões elétricos que serão produzidos no país, previstos para chegar ao mercado a partir de 2025. Segundo o comunicado, a empresa sueca investirá R$ 1,5 bilhão em suas operações no país no período de 2022/2025. Os recursos são voltados principalmente para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços. (Inside EVs - 14.09.2022) 
Link Externo

Ceará terá fábrica de ônibus elétricos com início de operação em 2024

O estado do Ceará terá uma fábrica de ônibus elétricos da Higer Bus, fabricante chinesa de ônibus. O anúncio foi feito recentemente pela empresa em meio a outros projetos para o Brasil. Trata-se de um investimento anunciado de US$ 10 milhões para a construção da fábrica que ficará no distrito de Pecém, na região metropolitana de Fortaleza (CE). Além disso, a montadora chinesa investiu outros US$ 10 milhões no projeto e desenvolvimento de um ônibus elétrico pensado exclusivamente para o mercado brasileiro. Representada no Brasil pela TEVX Motors Group, a Higer Bus tem o objetivo de abastecer os demais mercados da América do Sul. De acordo com o cronograma a fábrica no Ceará terá início de operações em 2024, com investimentos de US$ 20 milhões e capacidade para montar de 300 a 400 veículos por ano na primeira fase. (Inside EVs - 19.09.2022) 
Link Externo

Mercado Livre vai expandir sua frota de VEs no Brasil

O Mercado Livre, empresa especializada no setor de comércio eletrônico, deve aumentar o número de veículos elétricos em sua frota no Brasil ainda neste ano. A empresa afirma que, até o final de dezembro, a operação da deve incorporar mais de 400 novas vans elétricas. Com isso, a frota elétrica da empresa terá um aumento de mais de 200% em comparação com o ano de 2021, quando era composta por mais de 270 veículos. Os investimentos são fruto da emissão de um título sustentável, de US$ 400 milhões, que foram captados em 2021 para impulsionar projetos de triplo impacto: redução da pegada ambiental, por meio do uso de energias renováveis, eficiência energética, embalagens e mobilidade sustentáveis, e conservação de biomas; inclusão financeira, ao facilitar o crédito para micro e pequenas empresas e empreendedores; e desenvolvimento e empoderamento social, por meio do qual impulsiona a educação para reduzir a deficiência digital e incluir jovens no mercado de trabalho. (Isto É Dinheiro - 20.09.2022) 
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

Generac Grid Services e Pearlstone Energy fazem parceria para fornecer capacidade flexível à rede do Reino Unido

A Generac Grid Services, uma subsidiária da Generac Power Systems - designer e fabricante líder de soluções de tecnologia de energia - anunciou que se uniu à Pearlstone Energy Limited, um agregador comercial reconhecido e aprovado pela National Grid do Reino Unido e um dos principais inovadores em tecnologia de Demand Side Response (DSR). A parceria tem como objetivo fornecer soluções de gerenciamento de energia para instalações comerciais e industriais no Reino Unido. Aproveitando a plataforma de software Concerto™ da Generac Grid Services, a Pearlstone Energy pode oferecer economia de custos a seus clientes, ao mesmo tempo em que alivia a tensão na rede elétrica do Reino Unido durante os períodos de pico de demanda. O programa permitirá que os clientes da Pearlstone participem das iniciativas de flexibilidade da National Grid no Reino Unido, ajude as instalações a evitar cobranças de alta demanda de rede para uso de energia durante períodos de tensão da rede e recompense os participantes com potenciais economias de custos durante todo o ano. (PR Newsmire – 15.09.2022) 
Link Externo

Eficiência Energética

A reforma completa de uma casa representa uma economia média de 60% na conta de energia das famílias

Com um investimento semelhante ao preço de um automóvel, entre 20 mil e 50 mil euros, aplicado na reforma de uma casa, é possível economizar em média 60% na conta de energia, de acordo Emilio Miguel Mitre, especialista do Green Building Council Espanha (GBCe) e coordenador do projeto AÚNA, iniciativa que propõe a criação de um Fórum de Debate na Espanha focado no financiamento de edifícios sustentáveis. Mais de 80% dos edifícios e casas em Espanha recebem uma classificação energética E, F ou G, já que mais da metade dos edifícios foram construídos antes da Norma Básica do Edifício de 1979 entrar em vigor, sendo a primeira tentativa de melhorar os edifícios e torná-los mais eficientes em termos de procura energética. A diretora geral do GBCe, Dolores Huerta, salienta que as principais causas da ineficiência energética são a falta de isolamento e a idade dos caixilhos das portas, janelas e caldeiras a carvão, gás ou gasóleo. (Energias Renovables - 16.09.2022) 
Link Externo

Nova York lança revisão de US$ 10 bilhões em programas de energia limpa, com foco em eficiência energética e eletrificação

A Comissão de Serviço Público do Estado de Nova York (NY PSC) iniciou uma revisão dos programas de energia limpa, representando quase US$ 10 bilhões em financiamento de clientes para estratégias de eficiência energética e eletrificação de edifícios. Cada um dos projetos tem o objetivo de impulsionar o desenvolvimento da força de trabalho, cadeia de suprimentos e demanda dos consumidores, a fim de conduzir o mercado em direção ao fim das emissões. Os projetos em análise incluem os esforços das concessionárias sob o New Efficiency: New York (NENY) e o Clean Energy Fund (CEF) da Autoridade de Pesquisa e Desenvolvimento Energético do Estado de Nova York (NYSERDA). Esta primeira fase das revisões da Comissão tem foco nos programas de eficiência energética e eletrificação de edifícios, incluindo esforços dirigidos a clientes de renda baixa a moderada, essenciais para alcançar as metas de energia limpa do Estado de Nova York. (Smart Energy – 20.09.2022) 
Link Externo

Maryland fornece subsídios de eficiência energética para famílias de renda baixa a moderada

A climatização e o uso de aparelhos elétricos eficientes são dois caminhos que ajudam a reduzir as contas de eletricidade para residências e empresas. Porém, essas atualizações não são possíveis a toda população e, por esse motivo, o estado de Maryland procura ajudar as famílias de renda baixa a moderada a acessar essas atualizações fornecendo novos subsídios para esse segmento da população. A Maryland Energy Administration (MEA) anunciou, no dia 22 de setembro, o Programa de Concessão de Eficiência Energética de Renda Baixa a Moderada, que está disponível para organizações sem fins lucrativos e governos locais. O programa foi projetado para fornecer atualizações econômicas de eficiência energética para residências e edifícios que atendem aos residentes de baixa e média renda de Maryland. Além disso, fornece casas e edifícios mais eficientes que reduzirão as contas de serviços públicos, além de promover ambientes de ar interno mais saudáveis. O programa conta com um orçamento de US$ 16,5 milhões. (Power Grid - 22.09.2022) 
Link Externo

Microrredes e VPP

AutoGrid e Mysa firmam parceria para lançar usinas virtuais usando tecnologia de termostato inteligente para modernização da rede

A provedora de usinas de energia virtual (VPP), AutoGrid, anunciou que lançará um dos seus projetos em colaboração com a fabricante canadense Mysa, cuja linha de termostatos inteligentes, inovadores para sistemas elétricos de aquecimento e resfriamento, oferece recursos robustos de gerenciamento de energia doméstica para consumidores e serviços público. A AutoGrid aproveitará sua plataforma VPP em conjunto com a tecnologia de termostato inteligente da Mysa para fornecer uma solução de despacho abrangente e escalável para ambas as tecnologias. Permitindo que através desse programa de resposta da demanda, a Puget Sound Energy (PSE), concessionária de energia da região de Puget Sound, possa atrasar as expansões de sua infraestrutura e consiga modernizar sua infraestrutura nos próximos anos sem assumir custos iniciais substanciais. (Eletric Energy Online– 23.09.2022) 
Link Externo

Microrredes solares eletrificarão 80 novas comunidades na Índia

Contando com US$ 6 milhões em novos financiamentos, a Husk Power Systems, empresa de serviços de energia em comunidades fora da rede, anunciou que começará a eletrificar 80 novas comunidades na Índia com microrredes solares. Este novo projeto fornecerá energia confiável para cerca de 10 mil novos clientes e beneficiará cerca de 60 mil pessoas. A empresa já possui cerca de 150 sistemas de microrredes comunitários operando na Índia. A empresa diz que as microrredes eliminarão mais de 11 mil toneladas de dióxido de carbono anualmente, substituindo os geradores a diesel existentes por uma fonte de energia renovável. “Atingiremos um impacto econômico neutro em carbono e amplo em empresas e famílias na zona rural da Índia e ajudaremos micro, pequenas e médias empresas a dobrar sua renda por meio da redução dos custos de energia”, disse Manoj Sinha, cofundador e CEO da Husk. (Microgrid Knowledge– 19.09.2022) 
Link Externo

13 novas microrredes solares e de armazenamento trazem alívio ao Líbano

Uma rede elétrica fraca e ineficiente, o aumento dos preços dos combustíveis e a desvalorização da moeda do país são os principais fatores que contribuíram com a crise econômica e de eletricidade do Líbano este ano. Apagões, que deixam moradores e empresas com menos de duas horas de eletricidade por dia, são um novo normal. Para ajudar a superar a escassez de eletricidade no país, 13 novos projetos de microrredes estão sendo implantados. As microrredes solares, que foram encomendadas por 13 empresas de engenharia, aquisição e construção, incluem o STI29CP-50HV, o sistema de armazenamento de energia comercial e industrial (ESS) da fabricante de equipamentos Sungrow. De acordo com a empresa, o STI29CP-50HV é uma solução de armazenamento altamente integrada e com economia de espaço que inclui um sistema de conversão de energia e baterias, o que agiliza a instalação. Através das microrredes também será possível reduzir as emissões de carbono do país que eram impulsionadas pelo uso de geradores a diesel. (Microgrid Knowledge– 20.09.2022) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

Enel lança laboratório de inovação em IA e robótica em Israel

A Enel inaugurou um laboratório de inovação em Israel com o objetivo de impulsionar a inovação nas áreas de Inteligência Artificial (IA) e robótica para energias renováveis e redes de distribuição de energia. Esta é a quarta iniciativa lançada pelo fabricante e distribuidor de gás e eletricidade em Israel e é patrocinado pela Enel Green Power e Enel Grids. O Enel AI&Robotics Lab, localizado no centro de Tel Aviv, em Israel, oferece espaço para testes de startups para prototipagem e experimentação de pequenos robôs, drones e sensores. Espera-se apoiar o desenvolvimento de tecnologias de IA e robótica, nomeadamente as focadas na automação e digitalização em energias renováveis e construção e operação de redes. O Laboratório começou a operar em junho de 2022 com um bootcamp sobre desafios comerciais e técnicos. (Power Engineering Int– 22.09.2022) 
Link Externo

Segurança Cibernética

Sistemas de controle industrial enfrentam mais riscos cibernéticos do que TI, segundo especialista

Os sistemas de tecnologia operacional nos EUA são mais vulneráveis a ataques cibernéticos maliciosos do que a tecnologia da informação (TI), disse Vergle Gipson, consultor sênior do Laboratório Nacional de Idaho, em depoimento perante o Subcomitê da Câmara de Segurança Cibernética, Proteção de Infraestrutura e Inovação. No entanto, as principais mudanças no design, treinamento e testes aprimorados podem ajudar a tornar esses sistemas mais resilientes diante de ameaças adicionais. A falta de resiliência embutida em muitos dos locais de infraestrutura existentes do país torna este o momento perfeito para começar a repensar como os EUA desenvolvem e mantêm as principais instalações, segundo autoridades. O governo Biden fez um esforço considerável para se concentrar na proteção de locais de infraestrutura crítica, incluindo produtores de energia, serviços públicos, sistemas de água, transporte e outras instalações importantes para garantir que nem o Estado-nação ou os atores criminosos possam interromper as operações. (Utility Dive – 19.09.2022) 
Link Externo

Nova parceria de segurança cibernética busca proteger medidores inteligentes

A NanoLock Security, fornecedora de segurança cibernética em nível de dispositivo para medidores inteligentes e dispositivos IIoT (Internet Industrial das Coisas), e a Renesas Electronics Corp., fabricante japonesa de semicondutores, anunciaram parceria para introduzir uma plataforma que protegerá medidores inteligentes de ataques cibernéticos. Os parceiros devem abordar esses riscos com uma solução Zero Trust, que visa evitar resultados não autorizados. Espera-se que a solução proteja a privacidade do consumidor, as receitas dos fornecedores e a continuidade do fornecimento de energia e esteja em conformidade com as recentes recomendações de segurança da IIoT emitidas pelos governos nacionais. A solução conjunta também permitirá que a Renesas ofereça recursos de monitoramento e gerenciamento de segurança cibernética aos seus clientes. (Smart Energy International – 15.09.2022) 
Link Externo