IFE
12/09/2022

IFE Tec. Exponencial n° 100

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
12/09/2022

IFE nº 100

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Cristina Rosa, Matheus Balmas e Pedro Barbosa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tec. Exponencial n° 100

Transição Energética e ESG

Instituto Totum e Way2 lançam funcionalidade no mercado que antecipa emissão de I-RECs

O Way2, empresa de medição e gestão de energia, e o Instituto Totum, entidade que emite e gerencia os certificados no Brasil, lançaram uma funcionalidade que antecipa a emissão de I-RECs, os certificados de origem renovável. As empresas têm dado preferência às fontes de energia limpa em compras no mercado livre, o que dá condição para que elas possam utilizar os I-RECs, tornando-se empresas que atingem zero emissões de carbono na atmosfera. A nova função, já disponível para os clientes, torna o processo de emissão desses certificados mais ágil e simples. Antes, o dado coletado no sistema da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) pelo Instituto Totum demorava cerca de 40 a 50 dias para ser processado. Agora, a nova funcionalidade possibilita que o Instituto integre diretamente ao sistema de medição da geradora, o que diminui o prazo para cerca de uma semana. Isso garante às empresas geradoras de energia uma melhor previsibilidade e mais flexibilidade na hora de emitir os seus I-RECs. (CanalEnergia – 31.08.2022)
Link Externo

Compensações de carbono - como funciona

As compensações de carbono ocorrem quando uma empresa poluidora compra um crédito de carbono para compensar o gás de efeito estufa que emitiu. O dinheiro deve ser usado para financiar ações, em algum lugar do mundo, que removam a mesma quantidade de carbono do ar ou para evitar emissões de carbono. Os proponentes dizem que a compensação, se feita corretamente, pode ajudar a canalizar fundos para projetos de conservação e desenvolvimento sustentável que reduzirão as emissões, dando às empresas tempo para trabalhar em direção à neutralidade das emissões. Contudo, se feito de maneira inadequada, eles podem falhar em ambos os aspectos, e os detratores dizem que são uma ferramenta para 'greenwashing’, ou seja, permitindo que as empresas não reduzam suas emissões, porém afirmando que serão neutras de emissões de carbono. (We Forum - 02.09.2022)
Link Externo

Falhas em projetos de captura de carbono colocam em xeque solução para o clima

Projetos de captura de carbono com baixo desempenho superam os projetos bem-sucedidos em todo o mundo, segundo estudo do Instituto de Economia da Energia e Análise Financeira (IEEFA). Os principais problemas orbitam em torno de tecnologia e estrutura regulatória, ou a falta dela. O IEEFA destaca que quase 90% da capacidade de captura e armazenamento de carbono em larga escala (CCS) proposta no setor de energia falhou no estágio de implementação ou foi suspensa antecipadamente. Além da maioria dos projetos não ter operado nas taxas projetadas. “Como resultado, a meta de redução de emissões de 90% geralmente reivindicada pela indústria tem sido inalcançável na prática”, diz o relatório. Foram estudados 13 projetos de CCS nos setores de gás natural, indústria e energia, representando cerca de 55% da capacidade operacional atual em todo o mundo. Para os analistas, os achados acendem um alerta para empresas e governos que estão contando com essa tecnologia para zerar suas emissões. (epbr– 02.09.2022) 
Link Externo

EUA: DOE publica roteiro de descarbonização da indústria

O Departamento de Energia dos EUA (DOE) publicou um roteiro de descarbonização industrial, estabelecendo uma estratégia abrangente para reduzir as emissões associadas a cinco setores: fabricação de produtos químicos, refino de petróleo, ferro e aço, produção de cimento e indústria de alimentos e bebidas. A indústria pesada é a fonte de cerca de 30% das emissões de dióxido de carbono relacionadas à energia primária nos Estados Unidos, segundo o departamento. Sua abordagem se concentrará em melhorias de eficiência energética, eletrificação, uso de combustíveis de baixo carbono e utilização e armazenamento de captura de carbono. Juntamente com o novo roteiro, o DOE anunciou uma oportunidade de financiamento de US$ 104 milhões para tecnologias de descarbonização industrial. O Conselho Americano para uma Economia com Eficiência Energética (ACEEE) chamou o roteiro de “plano de referência” para ajudar as empresas a lidar com as emissões em escala. (Utility Dive– 08.09.2022) 
Link Externo

EUA: Descarbonizando a rede elétrica até 2035

Um novo relatório do National Renewable Energy Laboratory (NREL), laboratório de pesquisa, examina os tipos de tecnologias de energia limpa, juntamente com a escala e o ritmo de implantação necessários para que os EUA alcancem 100% de eletricidade limpa até 2035. O NREL disse que os cenários do estudo consideraram muitos novos fatores, como: um período de descarbonização total em 2035, níveis mais altos de eletrificação e um aumento associado na demanda de eletricidade, aumento da demanda de eletricidade a partir de tecnologias de remoção de dióxido de carbono e produção de combustíveis limpos, maior dependência de tecnologias comerciais de geração de energia renovável existentes , e maior diversidade de soluções de armazenamento sazonal. (Renewable Energy World - 01.09.2022)
Link Externo

EUA: Pacote da climático da Califórnia planeja ter 90% de eletricidade limpa até 2035

Os legisladores da Califórnia aprovaram uma série de projetos de lei relacionados ao clima durante o início de setembro de 2022, incluindo uma legislação que codifica a meta do estado de alcançar a neutralidade de carbono em toda a economia até 2045 e um projeto de lei que estabelece uma meta de 90% de eletricidade limpa até 2035. As propostas adicionaram um impulso multibilionário à indústria de energia limpa da Califórnia após os investimentos federais da Lei de Redução da Inflação recentemente aprovada. A legislatura da Califórnia também aprovou o SB 846, legislação que fornece financiamento e autorização para o estado adiar a aposentadoria de sua última usina nuclear, a instalação de 2,2 GW Diablo Canyon, por mais cinco anos. (Utility Dive - 02.09.2022)
Link Externo

50Hertz dá luz verde ao centro de transmissão de energia na Alemanha

A operadora do sistema de transmissão 50Hertz desenvolverá um centro de transmissão de energia, que tem como objetivo axuliar a estabilizar a tensão e apoiar a transmissão confiável de eletricidade. O centro de transmissão será construído próximo à Bad Lauchstädt, no sul da Saxônia-Anhalt, na Alemanha. A operadora irá desenvolver um total de quatro sistemas para compensação de energia reativa com o objetivo de ajudar a estabilizar a tensão e apoiar a transmissão confiável de eletricidade. Os investimentos planejados em tecnologia de subestação serão implementados em conjunto com parceiros regionais e internacionais. E agora que os contratos foram feitos, os trabalhos preliminares começam. (Smart Energy - 05.09.2022)
Link Externo

Geração Distribuída

Absolar e ABM fecham parceria para desenvolver fonte solar em municípios

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) e a Associação Brasileira dos Municípios (ABM) anunciaram um acordo de cooperação para expandir a fonte solar nas áreas urbanas e rurais dos municípios espalhados pelo Brasil. Segundo as entidades, o objetivo é atrair novos investimentos para os municípios, gerar mais empregos e renda para a população e estimular o desenvolvimento de novas oportunidades de negócios para empreendedores, além de ampliar o acesso da energia solar a produtores rurais e prédios públicos. A parceria envolverá o intercâmbio de informações e a realização de ações para promover assuntos de interesse comum em relação ao desenvolvimento de políticas públicas, programas e incentivos municipais para o aproveitamento da energia solar fotovoltaica nas cidades brasileiras. (BroadCast Energia – 05.09.2022) 
Link Externo

Geração solar atinge recorde de 28,8 milhões de kW de pico em 2021

De acordo com o último relatório da Administração de Informações sobre Energia dos Estados Unidos (EIA), as remessas de painéis solares do país atingiram uma capacidade recorde de geração de eletricidade de 28,8 milhões de kWp em 2021 – essencialmente 8 milhões de kW a mais do que no ano anterior. Esses números foram alcançados por meio de avaliações de importações, exportações e painéis produzidos e enviados internamente. De longe, a maioria eram referentes a importações – cerca de 80% do total – e a maioria delas vinha da Ásia. (Daily Energy Insider - 07.09.2022)
Link Externo

Solar cobriu 25% da demanda de energia de agosto na Holanda

A energia solar foi capaz de cobrir cerca de 25,5% da demanda total de eletricidade na Holanda em agosto, de acordo com novos números divulgados pela Energieopwek.nl, grupo de pesquisa controlado por um consórcio formado pela Hanze University Groningen, Tennet, Gasunie e Netbeheer Nederland. O aumento da participação da energia solar deveu-se a três fatores: maior número de instalações fotovoltaicas que entraram em operação durante o ano, queda na demanda de eletricidade e um número excepcional de horas de sol. De acordo com Energieopwek.nl, o Instituto Meteorológico Real da Holanda (KNMI) registrou 289 horas de sol em agosto, o que compara com uma média de 205. Agosto foi o segundo mês mais ensolarado da história. (PV Magazine - 07.09.2022)
Link Externo

Armazenamento de Energia

EUA: MISO inclui armazenamento de energia ao seu portfólio de mercado

Enquanto os integrantes do setor de energia trabalham com tecnologia de armazenamento de energia há muitos anos, a Midcontinent Independent System Operator (MISO), organização independente, disse que está pronta para incluir recursos energéticos distribuídos (REDs) em seu portfólio de mercado pela primeira vez. O armazenamento de energia é a nova adição no portfólio de recursos de mercado MISO em 11 anos sem novas adições. Embora o operador da rede tenha alguns recursos de armazenamento de energia (definidos pela FERC como baterias, usinas hidrelétricas reversíveis e armazenamento de energia de ar comprimido) em sua rede, a capacidade total de armazenamento é bastante pequena. (Power Grid - 06.09.2022)
Link Externo

Irlanda: Projeto de armazenamento de energia híbrida tem construção iniciada

A construção começou em um projeto na Irlanda emparelhando um sistema de armazenamento de energia de bateria (BESS) com um condensador síncrono, desenvolvido pela Lumcloon Energy e Hanwha Energy. O primeiro-ministro (Taoiseach) Michael Martin marcou no dia 6 de setembro o início da construção do projeto, chamado Shannonbridge B, na região central da Irlanda. Este projeto será uma usina para manter estabilidade para a rede, a usina fornecerá 170 MWh de armazenamento de energia para a rede nacional do país e levará dois anos para ser construída a um custo de € 130 milhões (US$ 129 milhões). (Energy Storage - 07.09.2022)
Link Externo

Veículos Elétricos

Brasil: Assaí terá lojas com eletropostos fornecidos pela GreenYellow

O Assaí Atacadista passará a disponibilizar o serviço gratuito de recarga elétrica para os carros dos clientes que frequentam suas lojas em 13 estados do país. Por meio de uma parceria com a GreenYellow, empresa francesa de eficiência energética, o Assaí receberá o total de 90 eletropostos, sendo que a energia que abastecerá os carros será provida de fontes 100% renováveis. A primeira unidade a ser contemplada com esta parceria foi o Assaí Anhanguera, localizada em São Paulo, e que conta com 3 eletropostos. As demais 29 unidades do atacadista serão contempladas com os pontos de carregamento para carros elétricos entre o segundo semestre deste ano e primeiro semestre de 2023. O acordo faz parte de uma série de iniciativas da GreenYellow para entrar no mercado de mobilidade elétrica. (CanalEnergia – 05.09.2022) 
Link Externo

Enel X Way firma parceria com 99 para promover mobilidade elétrica no Brasil

A Enel X Way, linha de negócios do grupo italiano Enel dedicada ao tema da mobilidade elétrica, anunciou a adesão à Aliança pela Mobilidade Sustentável, grupo fundado pela 99 para promover o acesso aos veículos elétricos no Brasil. O objetivo da parceria é impulsionar a infraestrutura voltada a veículos sustentáveis no país. As empresas firmaram o compromisso de discutir as melhores práticas para o desenvolvimento da mobilidade elétrica no território nacional e a implementação de veículos elétricos em grande escala, para torná-los disponíveis aos motoristas parceiros da plataforma. O foco está na redução da emissão de gases no meio ambiente e na diminuição de custos para os condutores. Com a chegada da Enel X Way, a Aliança passa a contar com 11 companhias parceiras, sendo cinco delas ligadas ao setor de energia: Enel X Way, Ipiranga, Raízen, Tupinambá Energia e Zletric, além das montadoras CAOA Chery e BYD, das locadoras Movida e Unidas, e do Banco BV. (BroadCast Energia – 01.09.2022) 
Link Externo

Brasil: Prefeito de São Paulo anuncia benefício aos proprietários de VEs

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, anunciou uma medida em benefício dos proprietários de veículos elétricos ou movidos a hidrogênio da capital paulista. Quem possui carros destas categorias receberão um crédito de até 103 Unidade Fiscal do Estado de São Paulo (UFESP) para pagar o IPTU. Este valor equivale a R$ 3.292,91. A medida que se estende mesmo aos carros elétricos de valor superior a R$ 150 mil foi anunciada durante a abertura do Veículo Elétrico Latino-Americano (VE) e do Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos (C-MOVE), no dia 1 de setembro. O benefício anunciado deve ser oficializado, segundo Nunes, em forma de decreto, por meio do Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Ainda de acordo com o prefeito, a medida integra a Lei 17.563/2021. Atualmente o teto para usufruir do benefício é de R$ 150 mil. Com o novo decreto, mesmo os veículos acima deste valor poderão ser beneficiados. (UOL - 05.09.2022) 
Link Externo

Renault vai lançar três VEs no Brasil em 2023

O presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, anunciou a chegada de três novos veículos elétricos para 2023. As novidades incluem o Megane E-tech e os furgões elétricos Kangoo e Master. O anúncio foi feito dia 5 de setembro, durante o E-Tech 100% electric days, evento que a marca promove na Oca do Parque Ibirapuera, em São Paulo. Os três modelos darão sequência ao primeiro passo da estratégia de eletrificação da marca, dado com o início das vendas do Kwid E-tech, que chegou em abril de 2022 como o carro elétrico mais barato do Brasil. Segundo a Renault, o modelo tem sido um sucesso de vendas, ainda que esteja longe de ser acessível à maior parte da população, já que a tabela é de R$ 142.990. (Automotive Business - 05.09.2022) 
Link Externo

Bélgica encomenda pontos públicos de carregamento de VE nos próximos dois anos

A TotalEnergies foi selecionada para instalar nos próximos dois anos até 4.400 pontos de carregamento público em West Flanders e Flemish Brabant, regiões da Bélgica. A empresa de energia obteve o pedido do governo sob recomendação do Departamento de Mobilidade e Obras Públicas. As novas estações de carregamento de 22kVA serão operadas sob a marca TotalEnergies por um período de 12 anos e serão abastecidas com eletricidade 100% renovável gerada por energia eólica offshore no Mar do Norte, na costa da Bélgica. O Departamento de Mobilidade e Obras Públicas desenvolveu uma plataforma de internet colaborativa que permitirá a instalação de postos de carregamento a partir de setembro de 2022. (Smart Energy International – 06.09.2022)
Link Externo

EUA: 17 estados avaliam adotar o mandato de veículos elétricos da Califórnia

Dezessete estados com padrões de emissão de veículos vinculados às regras estabelecidas na Califórnia enfrentam decisões pesadas sobre seguir as novas regras mais rígidas do país, que exigem que todos os carros, picapes e SUVs novos sejam elétricos ou movidos a hidrogênio até 2035. Sob a Lei do Ar Limpo (Clean Air Act), os estados devem cumprir as determinações de emissões de veículos padrão do governo federal, a menos que optem pelo menos parcialmente por seguir os requisitos mais rigorosos da Califórnia. Entre eles, espera-se que Washington, Massachusetts, Nova York, Oregon e Vermont adotem a proibição da Califórnia de novos veículos movidos a gasolina. Colorado e Pensilvânia estão entre os estados que provavelmente não o farão. (Renewable Energy World – 07.09.2022)
Link Externo

Moove une forças com Uber UK para adicionar veículos elétricos em Londres

A Moove, primeira fintech de mobilidade do mundo, acaba de anunciar uma parceria com a Uber no Reino Unido. A Moove pretende ser o maior parceiro de veículos elétricos na plataforma da Uber em Londres, com planos de expandir para até 10 mil veículos até o final de 2025, criando oportunidades de ganhos sustentáveis e contribuindo para as metas neutralidade das emissões de carbono da cidade. Como parte do lançamento, a Moove também lançou o Moove Charge™, a primeira solução de aplicativo de rede de carregamento de veículos elétricos completa, especificamente para motoristas de carona que fornecem acesso a uma das maiores redes de roaming da cidade. (Clean Technica – 02.09.2022)
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

Aneel aprova normas para aprimoramento do Programa de Resposta da Demanda

O Programa de Resposta da Demanda, que abre a possibilidade de redução ou deslocamento voluntários da demanda de energia elétrica por grandes consumidores, passou no dia 30 de julho à categoria de programa estrutural no setor elétrico brasileiro. O mecanismo de gerenciamento dos recursos eletroenergéticos pelo lado da demanda, anteriormente mantido em caráter piloto, foi aprovado pela Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Desse modo, a Resposta de Demanda passa a compor de modo definitivo a carteira de opções do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para gestão dos recursos e operação do Sistema Interligado Nacional (SIN). Os aprimoramentos para a adoção permanente da resposta da demanda foram o objeto da Consulta Pública ANEEL nº 080/2021, de 16/12/2021 a 13/02/2022, que recebeu 132 contribuições dos 20 agentes e instituições interessadas. (Aneel – 30.08.2022) 
Link Externo

A importância dos avanços na implementação dos mecanismos de resposta da demanda

A participação na matriz elétrica brasileira das fontes alternativas, como solar e eólica, tem aumentado, deviso aos avanços tencológicos, à redução de custos e ao alinhamento com as agendas climáticas e ambiental. Além disso, a geração distribuída permite maior protagonismo dos consumidores, o Instituto E+ Transição Energética espera que estas tendências se mantenham. No entanto, é necessário aperfeicoamentos no desenho de mercado de energia elétrica. Um desses aperfeiçoamentos envolve o incremento da potência (capacidade) do sistema e a redução voluntária da demanda (RVD). No que tange ao mecanismo de RVD, um aperfeiçoamento consistiria em aproximá-lo de um mecanismo tradicional, internacionalmente conhecido como Demand Side Bidding (DSB). A iniciativa contribuiria para  aumentar a confiabilidade, prover uma melhor distribuição de custos e permitir o contínuo crescimento das fontes alternativas (epbr - 01.09.2022)
Link Externo

EUA: Califórnia pede que proprietários de veículos elétricos limitem o carregamento

Em meio à onda de calor e apenas uma semana depois de aprovar um plano para proibir a venda de carros novos à gasolina, a Califórnia pediu aos proprietários de veículos elétricos que limitassem o tempo de conexão de carregamento. O operador da rede elétrica do estado, California Independent System Operator, pediu a todos os residentes que reduzissem voluntariamente o uso de eletricidade entre as 16h e 21h na quarta e quinta-feira e alertou que mais alertas eram possíveis durante o fim de semana do Dia do Trabalho. O alerta veio quando os legisladores da Califórnia correram para enviar uma série de projetos de lei climáticos ao governador Gavin Newsom por volta da meia-noite de quarta-feira, incluindo um recorde de US $ 54 bilhões em gastos, novas restrições à perfuração de petróleo e gás e um mandato para que o estado pare de adicionar dióxido de carbono para a atmosfera até 2045. Especialistas reconhecem que mudar para mais veículos elétricos nos próximos anos representará um desafio, e parte desse desafio é construir uma rede que suporte a demanda. (New York Times – 01.09.2022)
Link Externo

Eficiência Energética

Aneel aprova 14 propostas de Projetos de Eficiência Energética em Hospitais Públicos ou Certificados pelo CEBAS

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou 14 de Projetos de Eficiência Energética (PEE) em Hospitais Públicos ou com Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social (CEBAS) em reunião da Diretoria realizada no dia 30 de julho. Esses projetos foram submetidos à Aneel por meio da Chamada de Projeto Prioritário de EE nº 003/2021. Ao todo, serão beneficiadas 142 unidades hospitalares, sendo 117 de forma direta por meio de diversas ações de eficiência energética e mais 25 atendidas pela central de Geração Distribuída instalada no município de Jaú (SP), mediante um consórcio de hospitais. No caso dos hospitais filantrópicos com certificado CEBAS, o principal requisito para a participação na chamada é de que pelo menos 60% dos atendimentos hospitalares sejam realizados pelo SUS. (Aneel – 30.08.2022) 
Link Externo

Neoenergia abre chamada pública para projetos de eficiência energética de até R$ 80 mi

As distribuidoras da Neonergia na Bahia, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo abriram chamada pública para projetos de eficiência energética a serem desenvolvidos ao longo de 2023. Os recursos disponibilizados chegam a R$ 80 milhões para as cinco companhias. De acordo com a Neoenergia, as propostas podem ser enviadas até 2 de janeiro de 2023 pelo portal disponibilizado nos sites das empresas, nos quais também constam os editais. No caso de propostas para iluminação pública, o prazo é até 17 de outubro deste ano. Para participar, os consumidores precisam estar em dia com as distribuidoras e fazer parte dos segmentos residencial, industrial, comércio e serviços, poder público, iluminação pública e serviços públicos, em cumprimento às determinações do Programa de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Cada projeto deve ter aporte mínimo de R$ 200 mil. (BroadCast Energia – 05.09.2022)  
Link Externo

Distribuidora de energia indiana busca melhorias em eficiência a partir de IA

A empresa de distribuição indiana BSES Rajdhani Power firmou uma parceria com o fornecedor de soluções norte-americano Bidgely para aumentar a eficiência operacional de seus processos. As duas empresas colaborarão no desenvolvimento e implementação de soluções baseadas em Inteligência Artificial (IA) com base na tecnologia da Bidgely para melhorar a eficiência em quatro áreas principais da distribuidora: redução de perdas técnicas e comerciais, particularmente roubo de energia; previsão de carga otimizada; detecção e perfil de veículos elétricos (VEs) e energia solar no telhado para planejamento de rede; e design de incentivo de mudança de carga e eficiência energética por meio de insights personalizados de economia de energia para os clientes. Com a criação de perfis, a BSES prevê direcionar os consumidores para incentivar a adoção de VEs e energia solar, além de poder projetar programas de gerenciamento do lado da demanda incentivados. (Smart Energy– 07.09.2022) 
Link Externo

A descarbonização do setor elétrico na América Latina e no Caribe exige mais energias renováveis, eficiência e eletromobilidade

Em seu relatório “A rota energética da América Latina e do Caribe” , o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) afirma que, embora o desenvolvimento do setor elétrico na América Latina e no Caribe esteja no caminho certo para a descarbonização, esses países precisam acelerar para atingir a meta de neutralidade das emissões em 2050. E para isso, eles devem adicionar mais energias renováveis, melhorar a eficiência energética e promover a eletromobilidade. Os resultados da análise do BID indicam que a demanda por eletricidade na região recuperará os níveis observados antes da pandemia entre 2022 e 2024, com um crescimento médio anual de cerca de 3,9% para o resto da década. O relatório se refere à eficiência energética como uma das peças fundamentais para a redução de emissões. De acordo com o documento um aumento da eficiência energética também geraria economias nas necessidades de investimento do sistema elétrico e permitiria reduzir as emissões em 20% em 2030 em relação às estimativas originais. (Energias Renovables – 08.09.2022) 
Link Externo

Samsung de olho na “casa sustentável definitiva”

A Samsung Electronics tem como objetivo tornar-se a marca número 1 em eficiência energética doméstica com tecnologias e aparelhos avançados de economia de energia. Em um anúncio na feira de eletrodomésticos IFA 2022, a empresa revelou sua visão de criar “a casa sustentável definitiva”, com base em sua plataforma SmartThings Home que se conecta com dispositivos habilitados. “Ao alavancar aparelhos eficientes com os recursos sinérgicos do SmartThings, planejamos oferecer uma experiência doméstica verdadeiramente sustentável”, afirmou JaeSeung Lee, presidente da Samsung Electronics. A plataforma permite reduzir o consumo de energia otimizando o uso de aparelhos compatíveis, por exemplo, ajustando a temperatura de um refrigerador com base no número de aberturas da porta. A Samsung estabeleceu a meta de que, até 2023, 100% dos principais eletrodomésticos, como geladeiras, máquinas de lavar e sistemas de aquecimento, sejam habilitados para Wi-Fi e com capacidade de integração SmartThings. (Smart Energy– 05.09.2022) 
Link Externo

Microrredes e VPP

A Sunnova quer construir e executar microrredes comunitárias como uma concessionária

A empresa solar residencial Sunnova Energy deu o passo incomum de buscar aprovação regulatória na Califórnia para atuar como uma concessionária, que possui e opera microrredes comunitárias. Os desenvolvedores de microrredes normalmente evitam ser designados como concessionárias, porque poucos têm recursos para assumir o nível de regulamentação aplicado às concessionárias. No entanto, a Sunnova está aproveitando uma designação exclusiva de “micro concessionária” concebida pelos reguladores da Califórnia, que permitiria que elas atendam a menos de 2 mil clientes sob regulamentação mais leve. A empresa quer instalar as microrredes em parceria com imobiliárias que estão construindo novos bairros na Califórnia. Cada casa atuaria como uma nanorrede, com energia solar fotovoltaica medida separadamente e armazenamento de energia por bateria, dimensionada para que o excesso de energia pudesse fluir para a comunidade ou para a rede, assim como a geração e armazenamento comunitário do próprio bairro. (Microgrid Knowledge– 02.09.2022) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

Enphase faz parceria com o Home Connect para gerenciar eletrodomésticos a partir de aplicativo

A Enphase Energy, Inc., especialista em microinversores e baterias, anunciou um acordo com a Home Connect, uma plataforma digital aberta que permite que eletrodomésticos de várias marcas sejam gerenciados com um único aplicativo. A Enphase integrará seus sistemas de energia doméstica com a plataforma Home Connect, oferecendo aos usuários uma maneira de configurar seus eletrodomésticos habilitados para funcionar durante os horários de pico de produção de energia solar, horários de energia fora de pico ou quando os preços da energia forem mais baixos. Além disso, os consumidores podem configurar o sistema para operar aparelhos para armazenar energia solar em baterias domésticas em períodos específicos. A nova funcionalidade estará disponível nos Estados Unidos e Alemanha, começando com a integração de lava-louças habilitadas para Home Connect. Novos recursos e mais aparelhos serão lançados com a plataforma para mais países no próximo ano. (PV Magazine – 01.09.2022)  
Link Externo

Medidores inteligentes prontos para se transformar em dispositivos de computação de ponta

O novo whitepaper “Inside-the-Meter Intelligence to Become the Norm”, produzido pela Guidehouse Insights, empresa de consultoria, explora o mercado emergente de medidores inteligentes de próxima geração e como a análise avançada e a Inteligência Artificial (IA) impulsionarão uma transformação no uso de energia doméstica e na inteligência da rede. O relatório prevê que os mercados globais experimentarão um aumento nas atualizações de medidores inteligentes e projetos de substituição ao longo da próxima década. Isso se deve ao aumento inicial nas instalações de medidores inteligentes ocorrido no final dos anos 2000 e início dos anos 2010. O relatório também traz três recursos que considera necessários para transformar medidores inteligentes em poderosos dispositivos de computação de ponta: Dados de alta resolução capazes de permitir a identificação do dispositivo em tempo real, computação de borda no próprio medidor e uma rede de baixa latência via WiFi para oferecer suporte a experiências do consumidor em tempo real. (Smart Energy– 07.09.2022) 
Link Externo

Tantalus entrega terminais inteligentes para concessionárias de energia pública

A Tantalus Systems, empresa de tecnologia de rede inteligente, anunciou que já implantou mais de 3 milhões de medidores habilitados para rede inteligente com seus módulos de computação TRUEdge no poder público e cooperativas elétricas. Os dispositivos conectados fornecem soluções de rede inteligente de última geração e aplicativos para ajudar as concessionárias a modernizar, digitalizar e melhorar a resiliência. Esses medidores conectados com módulos de computação TRUEdge servem como a espinha dorsal de uma rede digital que melhora a resiliência de uma concessionária diante de grandes mudanças econômicas, ambientais e regulatórias. Por meio dos medidores conectados, a Tantalus está coletando mais de 30 bilhões de pontos de dados anualmente, que fornecem visibilidade da evolução dos padrões de consumo de energia e medições de qualidade de energia. Ao obter esses dados, os clientes da Tantalus criam consciência em tempo real e podem melhorar seu planejamento energético. (Eletric Energy Online– 08.09.2022) 
Link Externo

Segurança Cibernética

Hacker promovem ataque de ransomware e hackeiam Agência Italiana de Energia

Um grupo de hackers com conexão com a Rússia assumiu a responsabilidade por um recente ataque de ransomware direcionado à indústria de energia da Itália. Em um post publicado na chamada dark web, o grupo BlackCat disse que roubou 700 gigabytes de dados de redes controladas pela agência italiana de energia GSE e ameaçou publicar as informações online se suas exigências fossem ignoradas. A postagem foi acompanhada por várias imagens do que pareciam ser documentos internos. A GSE disse no início desta semana que sofreu uma violação, resultando no desligamento de alguns sistemas de TI. O ministro das Relações Exteriores, Luigi Di Maio, disse na sexta-feira que os ataques cibernéticos a empresas da Europa Ocidental aumentaram após a invasão russa da Ucrânia, além disso, acrescentou que os ataques fazem parte de uma estratégia de desestabilização vista desde a invasão em fevereiro. (Bloomberg – 02.09.2022)
Link Externo

Eventos

Demonstração da operação de uma microrrede residencial na RE+

A EMerge Alliance fará uma demonstração ao vivo de uma microrrede residencial no próximo RE+, maior feira comercial de energia da América do Norte, que acontecerá na Califórnia, de 19 a 22 de setembro de 2022. A EMerge Alliance é uma associação aberta do setor de energia sem fins lucrativos, que trabalha para desenvolver padrões que levem à rápida adoção de microrredes híbridas AC/DC em comunidades. Ter uma microrrede em funcionamento no salão de exposição não é novidade para RE+, mas a demonstração deste ano contará com uma microrrede residencial bidirecional híbrida, completa com eletrodomésticos, iluminação, carregamento de veículo elétrico e várias outras distribuições de cargas. Vários modos de operação serão demonstrados, incluindo perda de energia da concessionária, perda de energia renovável no local, perda de recursos de energia renovável da vizinhança e da comunidade, ilhamento completo e a reconexão perfeita de todos esses recursos. (PV Magazine USA– 07.09.2022) 
Link Externo

Artigos

Como o Project Finance pode promover a transição de energia limpa nos países em desenvolvimento

O cenário de mudança climática global apresenta um desafio particular devido à escala e natureza do investimento necessário nos países em desenvolvimento, juntamente com a dificuldade de aumentar a dívida de longo prazo em muitos deles. O project finance pode ajudar a enfrentar esse desafio, porque permite a separação e alocação de diferentes riscos para diferentes partes, o que pode ajudar a atrair diferentes financiadores com diferentes apetites de risco. Em particular, é um veículo para segregar ativos verdes para financiamento e pode ajudar na incorporação de produtos direcionados de melhoria de crédito, como os oferecidos pelo Banco Mundial e outras agências governamentais que buscam promover investimentos em energia limpa. (Oxford Energy - 02.09.2022)
Link Externo

IEA: Segurança das transições energéticas 2022

Em seu relatório do mês de setembro, a International Energy Agency (IEA) examina os desafios em evolução de manter a segurança energética no contexto da transição energética no caminho para neutralizar as emissões. O relatório reflete sobre as implicações de segurança da tríplice crise global, a emergência climática, a crise energética global e as implicações sociais e econômicas da pandemia de Covid-19. O relatório destaca as principais preocupações de segurança energética durante as transições energéticas e fornece aos governos, principalmente do Grupo dos Vinte (G20), recomendações de políticas para manter e melhorar a segurança energética, enquanto acelera as transições de energia limpa para enfrentar a tripla crise. (IEA - 02.09.2022)  
Link Externo