IFE
06/12/2022

IFE Mobilidade Elétrica 135

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
06/12/2022

IFE nº 135

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Mobilidade Elétrica 135

Políticas Públicas e Regulatórias

Brasil/São Paulo: Parceria com Enel X vai viabilizar eletrificação de frota de ônibus

A cidade de São Paulo tem mais dois anos para cumprir a meta, estabelecida pela prefeitura, de contar com 20% de ônibus elétricos em sua frota no transporte público. A capital já tem parceria com a responsável pela infraestrutura de energia elétrica, a Enel X, e ao menos quatro grandes fornecedores de ônibus estão disponíveis para iniciar a produção em larga escala. A ideia é bem aceita, de forma geral, pelos donos das empresas de transporte, que são os operadores do sistema. A própria prefeitura tenta agilizar o processo de substituição de 2.400 a 2.600 ônibus até o fim de 2024. A gestão Ricardo Nunes (MDB) enviou até mesmo carta, em outubro, aos operadores do sistema exigindo que veículos a diesel sejam trocados exclusivamente por elétricos a partir daquele momento. "Na minha visão, a gente está próximo de tornar [a opção por ônibus elétricos] algo normal dentro da renovação da frota", afirma o secretário-executivo de Transporte e Mobilidade, Gilmar Pereira Miranda. (Folha de São Paulo – 28.11.2022) 
Link Externo

Brasil/São Paulo: Operador alerta para desafios na eletrificação da frota de ônibus

Segundo um operador do sistema de transporte de São Paulo, o TCO (sigla para custo total de posse) de um ônibus elétrico ficaria hoje entre R$ 85 mil e R$ 90 mil por mês, ante R$ 75 mil de um diesel equivalente. Já fazem parte dessa conta a depreciação e a manutenção. Ou seja, quem tem os ônibus nas mãos diz que ainda sai mais caro o elétrico, ao fechar a conta. Entre as propostas que poderiam ser colocadas na mesa está o arrendamento de ônibus elétricos aos empresários do setor, por fundo de investimento em parceria com outros interessados, com juros mais baixos que aqueles praticados pelo mercado financeiro em geral. Por esse modelo, a prefeitura funcionaria como uma espécie de avalista do negócio, usando parte da arrecadação do sistema como garantia em caso de inadimplência. Mesmo assim, não seria algo isento de risco para quem hoje detém os ônibus que circulam pela cidade. Qualquer "escorregada" poderia levar à perda da concessão e das garagens, estratégicas no xadrez do transporte municipal. Por consequência, perderam o próprio negócio. (Folha de São Paulo – 28.11.2022) 
Link Externo

Argentina: Participação na cadeia de suprimento para VEs dos Estados Unidos

A Argentina está fazendo lobby para obter acesso aos novos créditos fiscais para VEs promovidos pelo presidente dos EUA, Joe Biden. A tentativa ocorre apesar de a Argentina não cumprir o requisito de ser um parceiro de livre comércio dos EUA. A Lei de Redução da Inflação, aprovada em agosto pelo congresso norte-americano, foi saudada como uma lei climática histórica com o potencial de impulsionar a fabricação e a aceitação de VEs no país. No entanto, para a qualificação dos créditos, 80% dos metais das baterias de cada VE devem ser extraídos ou processados nos EUA ou em um país com acordo de livre comércio com os EUA até 2027. Como a lei ainda não foi implementada, as embaixadas de ambos os países e o Ministério das Relações Exteriores da Argentina estão liderando as negociações para receber uma exceção. "Queremos que eles nos incluam na nova lei sobre inflação, para que estejamos na cadeia de fornecedores de produtos de lítio, declarou o secretário de produção da Argentina, José de Mendiguren. (Bloomberg - 02.12.2022) 
Link Externo

EUA: EPA quer incluir VEs em programa de biocombustível

O governo Biden divulgou uma proposta de três anos para expandir a política de biocombustíveis dos Estados Unidos com mandatos de maior volume e – pela primeira vez– incluir um caminho para os fabricantes de veículos elétricos gerarem créditos lucrativos. De acordo com o plano, anunciado pela Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês), as refinarias de petróleo serão obrigadas a adicionar 20,82 bilhões de galões de biocombustíveis ao seu combustível em 2023, 21,87 bilhões de galões em 2024 e 22,68 bilhões de galões em 2025. Além de aumentar os volumes obrigatórios, a EPA espera usar a redefinição para introduzir um caminho para os fabricantes de veículos elétricos gerarem créditos. A medida pode reconhecer a possibilidade de VEs serem carregados em rede de energia gerada por biocombustíveis como aterros sanitários ou metano da pecuária. A proposta da EPA prevê que os fabricantes de veículos elétricos gerem até 600 milhões de créditos chamados e-RINs em 2024, e 1,2 bilhão deles até 2025. De acordo com o esquema, um e-RIN seria gerado para cada 6,5 quilowatts-hora produzidos por combustível renovável para uma bateria elétrica. (Isto É - 01.12.2022)  
Link Externo

Eslováquia: Governo libera recursos para plano de ação de mobilidade elétrica

O governo da Eslováquia está liberando um total de € 46 milhões para o lançamento de uma infraestrutura de carregamento em todo o país. Os novos orçamentos incluirão subsídios de 100% para carregadores de alta potência e financiamento de estações de carregamento mais lentas em municípios e locais de trabalho. O programa mais significativo, com um orçamento de 30 milhões de euros, é a instalação de uma rede de carregamento ultrarrápido ao longo das autoestradas. O governo eslovaco também reservou dez milhões de euros em subsídios para promover o desenvolvimento de infraestrutura de carregamento em regiões rurais e seis milhões de euros para empresas. Isso significa que os municípios, empresas e locais de vias expressas da Eslováquia serão elegíveis para o financiamento público de infraestrutura de carregamento de veículos elétricos. (Electrive - 01.12.2022) 
Link Externo

França: Suporte a instalação de pontos de carregamento rápido para VEs

O governo francês lançou recentemente um novo programa de financiamento para apoiar a instalação de estações de carregamento rápido em postos de gasolina menores nas regiões rurais do país. O novo programa, com um orçamento de dez milhões de euros, destina-se a postos de abastecimento independentes que vendam menos de 2.500 metros cúbicos de combustível por ano e estejam localizados numa “comuna de média ou densidade rural”. De acordo com o governo francês, mais de 4.000 postos de gasolina se qualificam no novo programa. Os postos de abastecimento aprovados podem receber um subsídio do estado de 60 a 70 por cento dos custos, dependendo da capacidade de carregamento (50 ou 150 kW). O subsídio pode ser solicitado a partir de 1 de dezembro de 2022 na Agência Francesa de Gestão Ambiental e Energética (ADEME). (Electrive - 30.11.2022) 
Link Externo

Irlanda: Programa de testes de VEs para frotas comerciais

O Departamento de Transportes e a Autoridade de Energia Sustentável da Irlanda (SEAI) lançaram o Teste de Frota Comercial conforme planejado. As empresas estarão testando veículos totalmente elétricos para ver como eles podem trabalhar para seus negócios. A SEAI selecionou 200 empresas em todo o país para receber um VE por três meses sem nenhum custo para elas, juntamente com a opção de instalar um carregador de VE. São 50 veículos totalmente elétricos que estão disponíveis. (Electrek - 01.12.2022) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

PUCRS: Empresa sul-coreana focada em infraestrutura de recarga vai estudar mercado brasileiro

Depois de iniciar a instalação do primeiro laboratório privado de testes de baterias para VEs do Brasil, o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc) selou uma nova e promissora parceria. A instituição será a sede brasileira da empresa sul-coreana Chaevi, líder na fabricação de estações de recarga no país asiático. Articulado pelo Labelo-PUCRS (complexo de laboratórios especializados em eletroeletrônica, calibração e ensaios) e pelo hub Plug Future Mobility, voltado a novos modelos de mobilidade, o acordo é mais uma etapa do trabalho que vem sendo desenvolvido para colocar o Estado no mapa-mundi do setor. A Chaevi vai começar atuando em formato “softlanding”, o que significa que, inicialmente, fará estudos sobre o mercado brasileiro e irá buscar conexões com futuros parceiros, trazendo sua expertise para o solo gaúcho. (Gaúcha Zero Hora - 01.12.2022) 
Link Externo

Audi: Lançamento do serviço de carregamento Audi Charging

A Audi revelou recentemente seu novo serviço de carregamento, o Audi Charging, que substituirá o serviço de carregamento e-tron existente no ano novo. O Audi Charging será lançado em 27 países, incluindo a Alemanha, em 1º de janeiro de 2023 e será expandido ao longo do ano. O novo serviço oferecerá acesso a cerca de 400.000 pontos de carregamento de mais de 800 operadoras. O novo serviço de carregamento carrega consigo não apenas uma mudança de marca, mas também uma mudança do provedor por trás dele. A Audi agora está trabalhando com a Volkswagen Group Charging GmbH e sua marca Elli no seu novo serviço de carregamento. (Electrive - 29.11.2022) 
Link Externo

BMW: Acordo visando o fornecimento de cobre para produção de VEs

A fabricante alemã BMW anunciou recentemente que está investindo na empresa norte-americana Jetti Resources para promover a mineração responsável de cobre. O cobre é uma das principais matérias-primas na produção de sistemas de acionamento elétrico. A Jetti Resources, por sua vez, tem sede no estado do Colorado e desenvolveu uma tecnologia inovadora para extrair cobre de minérios não utilizados anteriormente que não podiam ser processados economicamente. “O processo eficiente pode nos ajudar a melhorar a pegada ambiental do BMW Group, apesar da crescente demanda por matérias-primas”, declarou Wolfgang Obermaier, chefe de bens e serviços indiretos, matérias-primas, parceiros de produção do BMW Group. (Electrive - 02.12.2022) 
Link Externo

CATL: Modelo de bateria híbrida alia durabilidade e baixo custo

Enquanto os preços do lítio disparam, o sódio tem se revelado uma alternativa para os fabricantes de baterias. Uma composição que leva vantagem pelo custo mais baixo, mas por outro lado se depara com alguns desafios, entre eles a densidade energética mais baixa. Para a CATL, o maior fabricante mundial de baterias para veículos elétricos, a solução está em uma composição que mistura lítio e sódio. A nova possibilidade foi anunciada por Huang Qisen, um dos principais executivos da gigante chinesa, que recentemente falou sobre o potencial desse tipo de química a curto e longo prazo. Como solução mais imediata, de curto prazo, o executivo indica que as baterias com sódio seriam destinadas a veículos menores e com autonomia de até 400 km. (Inside EVs - 04.12.2022) 
Link Externo

Honeywell e Nexceris: Parceria visando a melhoria da segurança de baterias de VEs

A multinacional norte-americana Honeywell anunciou recentemente que está expandindo sua aliança estratégica com a Nexceris, desenvolvedora de soluções de detecção de gás de íon-lítio, para ajudar a tornar os veículos elétricos (VEs) mais seguros. A Honeywell e a Nexceris desenvolverão em conjunto soluções baseadas em sensores para ajudar a prevenir condições que levem a fugas térmicas nas baterias dos VEs. Neste sentido, a Honeywell e a Nexceris colaborarão com os principais fabricantes globais de veículos para fornecer soluções avançadas de detecção de gás em baterias de VEs para permitir a intervenção precoce, ajudando a evitar danos à propriedade e problemas de segurança dispendiosos. Os sensores "Tamer" são instalados em placas de controle nas baterias ou como um sensor integrado com um conector integrado. (Green Car Congress - 02.12.2022) 
Link Externo

Hyundai e SK On: Acordo visa o fornecimento de baterias para mercado nos EUA

A Hyundai Motor Group assinou um memorando de entendimento com a SK On para garantir o fornecimento de baterias SK para carros elétricos do Hyundai Group na América do Norte a partir de 2025. No entanto, mais detalhes da colaboração serão anunciados posteriormente. O memorando de entendimento foi assinado em Seul, na sede do SK Group, por gerentes de alto escalão. (Electrive - 30.11.2022) 
Link Externo

Lightyear: Startup holandesa inicia produção de VE movido a energia solar

A startup holandesa Lightyear anunciou que deu início à produção de seu carro elétrico a energia solar, chamado de 0. O carro elétrico a energia solar será produzido no complexo da Valmet Automotive, na Finlândia. De início, a instalação fará um Lightyear 0 por semana. A partir de 2023, a startup holandesa promete que fabricará pelo menos cinco unidades do modelo em sete dias. O Lightyear 0 dispõe de painéis solares curvos no capô e no teto. A energia derivada do sol adiciona até 70 km de autonomia por dia ao modelo, que tem bateria de 60 kWh. A autonomia final do veículo, por sua vez, é de cerca de 700 quilômetros. O modelo tem preço sugerido de € 250 mil - o equivalente a R$ 1,36 milhão em conversão direta. (Automotive Business - 05.12.2022) 
Link Externo

Morand: Protótipo de baterias de carregamento ultrarrápido

Sem dúvidas, um dos maiores desafios da eletromobilidade é a questão da recarga das baterias, seja pelo tempo de demora ou pela falta de infraestrutura de carregamento. Uma startup suiça, chamada Morand, promete solucionar pelo menos um desses dois problemas, fazendo com que o carregamento das baterias seja realizado mais rapidamente do que o reabastecimento de um veículo a combustão. Segundo a startup, a tecnologia, denominada eTechnology utiliza um sistema híbrido de matérias tradicionais juntamente com ultracapacitores. A Morand ainda afirma que suas baterias prometem ainda uma vida útil maior que as baterias de íon-lítio presentes atualmente no mercado. A empresa que tem como objetivo utilizar tecnologias presentes no automobilismo e trazer para o cotidiano a fim de auxiliar na eletrificação dos veículos afirmou que, durante teste com um protótipo, carregou 80% da capacidade em 72 segundos, 98% em 120 segundos e 100% em 180 segundos utilizando um carregador ultrarrápido de 360 kW. (Mobi Auto - 02.12.2022) 
Link Externo

Renault e Airbus: Parceria visando o desenvolvimento de baterias

A montadora francesa Renault e a multinacional aeroespacial Airbus anunciaram recentemente uma parceria para desenvolver baterias. A sinergia deve acelerar o processo de eletrificação tanto da montadora francesa quanto da gigante do setor aeroespacial. Inicialmente, o processo colaborativo tem como objetivo otimizar o gerenciamento de energia e reduzir o peso das futuras aeronaves híbridas da Airbus. A longo prazo, a Renault será beneficiada especialmente pela maior autonomia das baterias de estado sólido que serão desenvolvidas. O trabalho entre as duas companhias estudará ainda o ciclo de vida das baterias, analisando inclusive reciclabilidade e remanufatura. Dessa forma, tanto Renault quanto Airbus poderão avaliar a pegada de carbono do projeto como um todo. (Automotive Business - 01.12.2022) 
Link Externo

Sigma: Expansão da produção de lítio para baterias de VEs

A mineradora canadense Sigma Lithium, que desenvolve uma operação no Brasil norte de Minas Gerais, anunciou recentemente o resultado do estudo de expansão da produção de lítio da empresa para fabricação de baterias para VEs. No comunicado, a Sigma declara que a produção de concentrado de lítio passará de 270 mil toneladas por ano, a partir de 2023, para 768 mil toneladas (104, 2 mil de LCE) no segundo ano da mina de Grota do Cirilo. Além disso, a companhia declarou em comunicado a assinatura de acordos de financiamento de pré-exportação com garantia de até US$ 100 milhões com a Synergy Capital, um dos atuais acionistas da empresa, baseado nos Emirados Árabes Unidos. Segundo a Sigma, o financiamento vai garantir recursos para a empresa até agosto de 2023, incluindo o início da engenharia detalhada e o início da construção da expansão de seu projeto localizado em Araçuaí, na região mineira do Jequitinhonha. (Valor Econômico - 04.12.2022) 
Link Externo

Stellantis: Conversão de veículos comerciais a combustão em elétricos

O grupo automotivo Stellantis firmou recentemente uma parceria com a Qinomic, empresa de alta tecnologia especializada em soluções inovadoras e sustentáveis ​​para mobilidade, visando a transformação de veículos comerciais leves com motores de combustão interna em veículos de propulsão elétrica garantindo qualidade nível OEM (equipamento original de fábrica) e mantendo características como segurança, durabilidade e homologação. Conhecido também como “retrofit”, a transformação de veículos a combustão em elétricos já vem sendo realizada há cerca de duas décadas por grandes operadores logísticos nos Estados Unidos, como a Fedex. A solução “electric retrofit” visa garantir a locomoção com uma solução econômica que atenda a necessidade dos clientes de prolongar a vida útil de seus veículos e continuar realizando suas atividades mesmo em caso de acesso a regiões com restrições de circulação. (Transporte Mundial - 02.12.2022) 
Link Externo

Indústria Automobilística

ABVE/Adalberto Maluf: "Ônibus elétrico se paga em seis anos"

Segundo o diretor presidente da ABVE (Associação Brasileira do Veículo Elétrico), Adalberto Maluf, a lei precisa ser cumprida. Ele diz que a prefeitura deixará de gastar o subsídio para queimar diesel e que o custo operacional será reduzido em 68% com os novos modelos. "Um ônibus elétrico se paga em seis anos e depois não tem custo", afirma. "Estamos falando de 150 [do elétrico] contra 5.000 componentes [diesel]. Não tem como comparar", completa. Para Maluf, os quatro grandes fabricantes instalados hoje no país têm condições de atender a demanda por ônibus, o que traz ainda mais confiança de que a substituição em larga escala é possível. (Folha de São Paulo – 28.11.2022) 
Link Externo

Arrow Mobility: Apresentado novo VE para entregas de e-commerce

No Brasil, a transição para os veículos elétricos acontecerá mais rápido no segmento de transportes e empresas do que para os carros de passeio. De olho nessa demanda, a Arrow Mobility, uma startup brasileira recém-estabelecida, apresentou durante a Fenatran 2022 uma inovadora van elétrica para entregas de última milha. Fundada em Caxias do Sul (RS), a Arrow Mobility desenvolveu o modelo batizado Arrow ONE, destinado às entregas do e-commerce, que é um dos segmentos com maior expansão nos últimos anos e que tem demandado cada vez mais veículos elétricos para entregas sem emissões. Concebida no Brasil desde o zero como um veículo elétrico, a Arrow One leva vantagens sobre as vans de zero emissão disponíveis no mercado. O modelo tem visual minimalista e moderno e foi projetado com um sistema batizado de One Shot Loader, que agiliza o carregamento das encomendas ao utilizar uma plataforma que pode ser retirada da van e rapidamente acoplada através de um trilho. (Veículo Elétrico - 29.11.2022) 
Link Externo

BorgWarner: Brasil tem potencial em mercado de VEs médios e pesados

Na semana passada, a BorgWarner anunciou sua primeira fábrica de montagem de sistemas de baterias para veículos elétricos no Brasil. Na ocasião, a empresa destacou o potencial do país no cenário de transição energética, considerando uma posição vantajosa em termos de emissões em função da matriz energética mais limpa e das rotas tecnológicas disponíveis. A BorgWarner também destacou sua capacidade de ação e que possui tecnologia e flexibilidade para atender às mudanças que virão com a transição para a mobilidade elétrica e de baixas emissões. Para o segmento de vans e caminhões e ônibus elétricos, a BorgWarner enxerga um potencial de crescimento estimado de cerca de 400% nos próximos cinco anos. Na visão da empresa norte-americana, o Brasil é bastante competitivo para se tornar um produtor de veículos elétricos. (Inside EVs - 01.12.2022)  
Link Externo

Eurostat: Exportação de VEs cresce na Europa

As exportações europeias de carros elétricos e híbridos crescem para 42 bilhões de euros em 2021, alargando assim a diferença para o valor das importações deste tipo de automóveis com origem fora do espaço comunitário (29 mil milhões de euros). De acordo com os dados divulgados pelo Eurostat na última sexta-feira, destaca como os carros elétricos são “uma parte importante da transição energética” e estão se tornando “cada vez mais populares”. As exportações europeias de automóveis não plug-in foram as mais representativas, seguidas dos carros totalmente elétricos e dos veículos híbridos plug-in. Numa comparação alargada aos últimos cinco anos, a publicação do gabinete de estatísticas da União Europeia mostra um crescimento de 800% na exportação deste tipo de automóveis por parte das construtoras europeias. (CNN Portugal - 04.12.2022) 
Link Externo

BMW: Nova plataforma promete VEs com maior autonomia

Para preparar o futuro dos seus carros, a BMW irá introduzir a nova plataforma Neue Klasse (Nova Classe) que irá permitir à marca germânica dar um salto tecnológico no mercado dos carros elétricos. A nova plataforma deverá chegar às ruas já em 2025. Embora ainda não se conheçam grandes pormenores, Frank Weber, Diretor de Tecnologia da BMW, revelou alguns detalhes numa conferência dedicada à sustentabilidade e inovação. Segundo Frank Weber, a BMW irá apresentar um novo conceito intitulado “pack-to-open-body” que irá permitir à marca personalizar o tamanho das baterias para que estas se adaptem a qualquer modelo. Para isso, passarão a ser usadas células cilíndricas em vez de prismáticas, uma nova tecnologia que surge da aposta em novas técnicas de reciclagem e sustentabilidade. (Portal Energia - 04.12.2022) 
Link Externo

Mercedes e BYD: Demanda por VEs no transporte público pode ser atendida nacionalmente

Embora considerem precipitada a decisão da Prefeitura de São Paulo de proibir o ingresso de ônibus novos com motor diesel em sua frota os fabricantes de chassis elétricos, Mercedes-Benz e BYD, que participaram do primeiro dia do Seminário Brasil Elétrico + ESG, organizado pela AutoData Editora, garantem que têm total condições de atender a demanda de ônibus elétricos, da Capital paulista e das demais prefeituras brasileiras. Schneider afirmou que a fábrica de chassis da BYD em Campinas, SP, tem capacidade para fornecer até 2 mil ônibus por ano, ou até 1 mil articulados/ano, ou um mix das duas versões dentro desta equação. “Uma expansão não está descartada”. O executivo da Mercedes-Benz ponderou que os valores de aquisição de chassis elétricos são elevados e isso pode tornar inviável a compra por parte dos operadores. De toda forma, ambos os executivos admitem que a eletrificação em transporte público de passageiros é um caminho sem volta. (Sindicato dos Metalúrgicos do ABC - 30.11.2022) 
Link Externo

BYD: Marca assume liderança no mercado de VEs na China

As vendas de carros da BYD na China superaram as da Volkswagen em novembro. Desta forma, a fabricante se tornou a marca mais vendida em seu país natal. As entregas no varejo da BYD totalizaram 152.863 unidades, de 1º a 27 de novembro. O crescimento da montadora é surpreendente, já que este número significa aumento de 83% nas vendas diárias em relação ao mesmo período de 2021 - mesmo com a base fraca de comparação, já que no ano passado a pandemia ainda afetava fortemente os emplacamentos. No ranking das marcas, a BYD foi a mais vendida da China no varejo em novembro, ao superar a Volkswagen (143.602) e a Toyota (115.272). A montadora alemã registrou queda de 0,3% na mesma comparação com 2021, enquanto a japonesa anotou recuo de 0,5%. Apesar da boa performance da BYD e da Tesla, a previsão é de uma desaceleração forte no mercado chinês. Analistas acreditam que a diminuição no reflexo dos incentivos governamentais para o consumo, assim como as novas restrições impostas devido ao aumento de casos de Covid-19, vão afetar os licenciamentos de automóveis no país. (Automotive Business - 30.11.2022) 
Link Externo

China Evergrande: Unidade interrompe produção de VEs

A unidade de veículos elétricos da incorporadora imobiliária China Evergrande interrompeu a produção em massa de seu único modelo e planeja demitir 10% de seus trabalhadores. Segundo informações da agência de notícias Reuters, a unidade também deixará de pagar salários a um quarto de sua equipe por um período de um a três meses. Além disso, muitos funcionários da unidade não receberam seus salários de outubro e novembro. O China Evergrande New Energy Vehicle Group, divisão de VEs do grupo Evergrande, anunciou em meados de setembro que iniciou a produção em massa do modelo Hengchi 5 em uma fábrica na cidade de Tianjin, no norte, e no final de outubro disse que entregou seus primeiros 100 carros. (Valor Econômico - 02.12.2022) 
Link Externo

Ford: Construção de fábrica de componentes para VEs no Reino Unido

A montadora norte-americana Ford anunciou recentemente que está aumentando o investimento em sua fábrica de Halewood, no Reino Unido, para aumentar a produção de componentes de VEs. A empresa dos EUA anunciou o investimento de £ 230 milhões no ano passado e está adicionando £ 150 milhões para escalar a produção anual de 250.000 para 420.000 unidades. Segundo a empresa, a fábrica de Halewood eventualmente equipará 70% dos VEs da Ford à venda na Europa até 2026. A empresa pretende vender 600.000 VEs com componentes da planta de Halewood no continente nessa época. A longo prazo, o plano europeu de eletrificação da Ford centra-se na venda exclusiva de automóveis com emissões zero até 2030. (Electrive - 01.12.2022) 
Link Externo

Foxconn: Construção de fábrica de VEs na Arábia Saudita

A Foxconn anunciou recentemente planos para produzir VEs na Arábia Saudita. Uma fábrica dedicada será construída para a nova marca de carros elétricos Ceer, com construção prevista para começar no início de 2023. O local na planejada Cidade Econômica King Abdullah (KAEC) cobre mais de 1 milhão de metros quadrados, de acordo com o anúncio da Foxconn. Segundo o comunicado, o preço de compra foi de cerca de 92 milhões de euros. A fábrica deve ser de última geração e ter as tecnologias mais recentes para garantir a eficiência da produção e minimizar o consumo de energia e água. “A KAEC nos oferece uma excelente localização com logística de classe mundial, acesso eficaz para nossos fornecedores globais", declarou o CEO da Ceer, James DeLuca. (Electrive - 30.11.2022) 
Link Externo

Hyundai Mobis: Fábrica de sistemas para VEs nos EUA

A Hyundai Mobis planeja investir US$ 926 milhões em uma fábrica de sistemas elétricos de energia para veículos elétricos no Condado de Bryan, que eventualmente empregará pelo menos 1.500 pessoas. A planta do sistema EV Power Electric expandirá a presença atual da Hyundai Mobis na Geórgia. Assim que atingir a produção total, a instalação será capaz de fornecer mais de 900.000 sistemas EV Power Electric e 450.000 Unidades de Controle de Carregamento Integrado anualmente para a fábrica Metaplant America (HMGMA) do Hyundai Motor Group em Bryan County, a Hyundai Motor Fabricação da fábrica do Alabama (HMMA) em Montgomery e da fábrica da Kia Georgia. A construção da nova instalação, localizada no Georgia Ready for Accelerated Development (GRAD) Certified Belfast Commerce Park em Richmond Hill, deve começar em janeiro de 2023, e a produção está prevista para começar em 2024. (Green Car Congress - 29.11.2022) 
Link Externo

Peugeot: Nova plataforma de VEs será apresentada em 2023

A Peugeot confirmou que apresentará o Inception Concept – anunciado durante o último Salão do Automóvel de Paris, em outubro, pela CEO da marca, Linda Jackson – no Consumer Electronics Show, que vai de 5 a 8 de janeiro, em Las Vegas (EUA). O maior evento de tecnologia do mundo foi o palco escolhido por conta da essência do Inception Concept, que estreou uma nova plataforma de VEs da marca do grupo Stellantis. “O Inception Concept marca o início de uma nova era e fará a antevisão da próxima geração de modelos e mostrará o caminho para as características e tecnologias que os clientes irão encontrar no seus futuros Peugeot”, explica o comunicado da marca. (Forbes - 27.11.2022) 
Link Externo

SK On, EcoPro e Green Eco: Parceria para extração e processamento de níquel

A SK On está construindo uma cadeia de fornecimento de níquel na Indonésia junto com dois parceiros. Por meio de uma joint venture, os parceiros desejam obter matérias-primas ali e transformá-las em produtos intermediários. A SK On deseja estabelecer uma joint venture com a fabricante sul-coreana de materiais para baterias EcoPro e a Green Eco Manufacture (GEM), fabricante chinesa de precursores de baterias, para a produção de intermediários de níquel na Indonésia. A joint venture, que ainda não foi nomeada, construirá uma planta de produção para o intermediário de níquel em Sulawesi, de acordo com o anúncio da SK On. Isso é produzir MHP para 30.000 toneladas de níquel puro por ano a partir do terceiro trimestre de 2024. Isso é suficiente para baterias de carros elétricos com capacidade total de 43 GWh ou para 600.000 carros. (Electrive - 29.11.2022) 
Link Externo

Tesla: Novo Model 3 terá menos componentes

A Tesla prepara versão renovada do Model 3, com redução de componentes a fim de cortar custos de produção e focar em recursos que, de fato, importam para seus clientes. Segundo fontes ligadas à empresa, além de baratear o processo de montagem, o chamado projeto “Highland” tem como propósito aumentar a relevância do sedã elétrico - há cinco anos no mercado. Isso faria com que o modelo tivesse mais capacidade de encarar concorrentes mais em conta da BYD e da Hyundai, além de futuros lançamentos de outras montadoras. (Automotive Business - 29.11.2022) 
Link Externo

Volkswagen e Foxconn: Parceria visando a produção de VEs

A Volkswagen e a fabricante de eletrônicos Foxconn estão avaliando formar uma parceria com o objetivo de produzir veículos. A montadora alemã e a empresa taiwanesa discutem a produção de modelos da Scout, marca que pertence ao grupo VW. Em maio deste ano, o grupo germânico afirmou que pretende produzir uma picape e um SUV “robusto”, ambos zero emissões. Os dois seriam comercializados com a insígnia da Scout. Os dois modelos seriam projetados e fabricados nos Estados Unidos e abasteceriam primariamente o mercado norte-americano. A Foxconn, por sua vez, apresentou faz pouco tempo o seu “Projeto X”, que dará origem a um mini-carro para o transporte urbano. A tendência é que a fabricante do iPhone aplique alguns tópicos do projeto na parceria com a Volkswagen. A Foxconn, contudo, não teceu comentários sobre uma possível aliança com os alemães. (Automotive Business - 29.11.2022) 
Link Externo

Volkswagen: Avaliação de local para construção de gigafactory no Canadá

O Grupo Volkswagen e sua subsidiária de baterias PowerCo iniciaram a busca por um local para a primeira fábrica de células de bateria na América do Norte, ou seja, no Canadá. A PowerCo e a Umicore concordaram simultaneamente em um acordo estratégico de fornecimento de material catódico na América do Norte. A busca concreta se baseia em um Memorando de Entendimento anterior entre o Grupo Volkswagen e o Canadá, assinado em agosto deste ano. Agora, o CEO da Volkswagen, Oliver Blume, e François-Philippe Champagne, ministro canadense de Inovação, Ciência e Indústria, assinaram um adendo em Wolfsburg hoje para identificar locais adequados para construir uma fábrica de células no Canadá. O documento reforça os planos feitos anteriormente com a Volkswagen, acrescentando a cooperação baseada em critérios ESG entre a PowerCo e o setor de mineração canadense. No entanto, o “elemento-chave” no Adendo é a busca de locais potenciais para uma giga fábrica. (Electrive - 02.12.2022) 
Link Externo

Xiaomi: CEO nega que empresa pode desistir de fabricar VEs

O braço automotivo da Xiaomi está enfrentando novos problemas na China. Além de obstáculos regulatórios, agora o que preocupa é a falta de confiança no projeto. O portal chinês Powerhouse alega que o desenvolvimento do primeiro carro da empresa não correspondeu às expectativas. Os resultados dos testes de direção autônoma também decepcionaram. As informações, segundo a publicação, são dos próprios funcionários da empresa, que acrescentam que o progresso é muito mais lento que o esperado. As peças necessárias para o projeto andar também não estariam sendo entregues no prazo, gerando rumores de que a marca de eletrônicos poderia acabar desistindo de entrar no ramo de veículos elétricos. No entanto, Lei Jun, o CEO da Xiaomi, foi forçado a negar os rumores sobre o encerramento da nova empreitada. Vale lembrar que a empresa está investindo pesado no projeto do seu primeiro VE. No último trimestre, por exemplo, foram aplicados US$ 116 milhões, um salto de 35% em comparação com o anterior. Apesar dos atrasos, Jun reforçou em uma teleconferência recente com investidores que a empresa começará a produção em massa do seu primeiro carro elétrico em 2024. O prazo não é muito animador, já que o veículo deveria ter sido revelado oficialmente em agosto deste ano. (Olhar Digital - 28.11.2022) 
Link Externo

Meio Ambiente

Rota 2030: Novos objetivos redefinem padrões de emissão

O Rota 2030, conjunto de regras para a indústria automotiva que entrou em vigor em 2019 e tinha a diminuição de 11% no consumo de combustível como meta de sua primeira fase, terá novos objetivos a partir do próximo ano. Everton Lopes, diretor de tendências tecnológicas da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA), diz que o que está em discussão agora entre a indústria automotiva e o governo é a mudança na forma de aferir o consumo de combustível: "Precisamos mudar para trabalhar a medição do poço à roda, não do tanque à roda”. A diferença é que, no primeiro caso, entra na conta não apenas o que sai do escapamento do carro após a queima do combustível ou da movimentação de um veículo elétrico (nesse caso, nem escapamento existe), mas também o que é emitido na produção da energia que movimenta o veículo – seja ela oriunda de eletricidade, gasolina, etanol ou qualquer outra fonte. O benefício seria muito maior, já que 47% da matriz energética brasileira é renovável, índice bem acima dos 14% do resto do mundo”, observa Lopes. (Automotive Business - 30.11.2022) 
Link Externo

Vale/Maria Luiza Paiva: Níquel de alta qualidade e baixo carbono para mercado de VEs

Ainda que para a vice-presidente executiva de sustentabilidade da Vale, Maria Luiza Paiva, o documento final da COP27 não trouxe grandes avanços, é reconhecida a relevância da inclusão social e do papel da natureza na discussão climática. “Para nós, as agendas de mudanças climáticas e social caminham juntas e, portanto, consideramos a transição justa um fator determinante para manutenção dos negócios da empresa”, diz Paiva. Segundo ela, o cenário desenhado pela COP27 apresenta desafios para um setor intensivo em carbono, como a mineração. “Mas isso pode se transformar em oportunidades”, ressalta a executiva da Vale. Ela explica que a empresa tem capacidade de fornecer níquel de alta qualidade e baixo carbono para atender à demanda crescente da indústria de veículos elétricos. “Em novembro, anunciamos um grande contrato de longo prazo com a GM para a construção, no Canadá, de uma planta de sulfato de níquel para atender a demanda por baterias dos carros elétricos da empresa”. (Valor Econômico - 30.11.2022) 
Link Externo

BMW: Investimento em mineração de cobre mais sustentável

O BMW Group adquiriu uma participação na Jetti Resources, com sede no Colorado. Fundada em 2014, a Jetti Resources desenvolveu um processo pioneiro para extração de cobre que utiliza minério não utilizado de minas de cobre existentes. O objetivo da BMW é promover a extração de cobre responsável e com conservação de recursos para atender à crescente demanda de maneira mais sustentável. (Green Car Congress - 02.12.2022) 
Link Externo

ESG: Peugeot inaugura serviço de VEs compartilhados em SP

A Peugeot inaugurou três novos pontos de serviço de compartilhamento para carros elétricos. Localizados em São Paulo (SP), nas lojas da rede de supermercados St Marche, os locais permitem que os clientes possam alugar os veículos elétricos da marca pagando uma tarifa por minuto utilizado. A iniciativa é fruto da parceria entre a montadora, a plataforma de locação para elétricos UCorp e a Tupinambá, maior startup de mobilidade elétrica no Brasil. Inicialmente o serviço será ofertado na cidade de São Paulo, com um plano de expansão para outras cidades do Brasil. Esse sistema de compartilhamento (car sharing) funciona por meio do aplicativo Flou e tem como objetivo aproximar o público do conceito de mobilidade sustentável descomplicada, a fim de democratizar a utilização de veículos eletrificados e oferecer uma experiência diferenciada e com maior duração em comparação com os test-drives convencionais. (Inside EVs - 30.11.2022)  
Link Externo

ESG: Novos VEs entram em operação nos cemitérios de Campinas

Entraram em operação no cemitério municipal de Campinas cinco novos veículos elétricos disponibilizados para o translado de pessoas com mobilidade reduzida e transporte de urnas mortuárias. A aquisição foi feita pela autarquia Serviços Técnicos Gerais (Setec) para o translado de pessoas com mobilidade reduzida e transporte de urnas mortuárias. Os equipamentos complementam a atual frota que atende à população que visita os cemitérios da Saudade e Nossa Senhora da Conceição (Amarais). Com os novos carrinhos, a população passa a contar com um total de sete veículos. Segundo o presidente da Setec, Enrique Lerena, a locação dos equipamentos está prevista em novo contrato de locação de veículos elétricos da autarquia. (Hora Campinas - 04.12.2022) 
Link Externo

ESG: Aiways e Phoenix celebram parceria para frota comercial de VEs

A Aiways, fabricante chinesa de carros elétricos, tornou-se parceira estratégica da provedora tailandesa de serviços de eMobility Phoenix EV. O acordo inclui um pedido de pelo menos 100.000 veículos Aiways nos próximos cinco anos e o estabelecimento de uma joint venture. A colaboração entre as duas empresas se concentrará no mercado tailandês, de acordo com um comunicado anexo. Além do pedido planejado de 100.000 veículos Aiways nos próximos cinco anos, os parceiros concordaram com uma opção para mais 50.000 unidades. Ambos os lados também planejam criar uma joint venture chamada Aiways Thailand, que administrará outras joint ventures como uma empresa guarda-chuva. (Electrive - 29.11.2022) 
Link Externo

ESG: Deutsche Post DHL adquire vans elétricas

A empresa de logística alemã Deustche Post DHL assinou recentemente um memorando de entendimento com a Ford no qual se compromete a adquirir mais de 2.000 vans elétricas para os seus serviços de entrega. O volume atual de pedidos concentra-se nas vans E-Transit projetadas para lidar com remessas expressas na América do Norte e na Europa. Mais recentemente, a DHL Express adicionou 270 vans E-Transit à sua frota no Reino Unido neste verão e estava entre os primeiros clientes experimentais da Ford no ano passado, depois que a empresa lançou a E-Transit no final de 2020. O Grupo DHL espera ainda que a cooperação com a Ford Pro cubra um conjunto completo de soluções para operar a frota elétrica, incluindo acesso ao software E-Telematics conectado da Ford Pro e soluções de carregamento, aproximando-os também das metas de emissão zero. O Grupo tem como meta uma participação de 60% de VEs na logística até 2030, com o objetivo de operar mais de 80.000 veículos elétricos em dez anos. (Electrive - 05.12.2022) 
Link Externo

ESG: Ford Pro firma acordo com a DHL para fornecimento de VEs

A Ford Pro, a divisão de software e frota comercial da montadora, anunciou hoje que firmou um novo acordo com o líder de logística Deutsche Post DHL Group (DHL). O acordo foi projetado para acelerar a implantação de vans elétricas, começando com a Ford fornecendo mais de 2.000 vans E-Transit EV para a DHL até o final de 2023. O novo acordo entre a Ford e a DHL os ajudará a alcançar sua meta comum de zero emissões até 2050. A Ford pretende atingir zero emissões para todas as vendas de veículos e neutralidade de carbono em suas instalações até 2035. Enquanto isso, a DHL está se esforçando para ter 60% de veículos elétricos até 2030, incluindo o novo E-Transit. (Electrek - 05.12.2022) 
Link Externo

Estudos

McKinsey: Eletrificação no Brasil será liderada por aplicativos de transporte

Um estudo produzido pela consultoria McKinsey & Company apontou que as empresas de transporte por aplicativo devem liderar a aquisição de VEs no Brasil. A pesquisa aponta que até 85% da frota de veículos por aplicativo deverá ser elétrica até 2040, número quatro vezes superior ao estimado para os carros de uso pessoal (21%). A expectativa é de que até lá as receitas com veículos elétricos atinjam US$ 65 bilhões. São esperados ainda um total de 11 milhões de automóveis eletrificados em circulação no Brasil, representando 20% de toda a frota. Segundo a pesquisa, os veículos elétricos têm sintonia com o modelo de negócio do transporte por aplicativo por duas razões: a alta rodagem e previsibilidade das áreas de deslocamento; e a utilização do veículo majoritariamente nos centros urbanos, permitindo a otimização do uso em relação aos pontos de recarga. Conforme os dados da McKinsey, a previsão é de que o país tenha 12 mil pontos de recarga nos próximos três anos. Além disso, a pesquisa afirma que o Custo Total de Propriedade (TCO) do VE deve se tornar equivalente ao do automóvel a combustão muito antes daqueles que utilizam o carro para fins pessoais. (Automotive Business - 05.12.2022) 
Link Externo

SNL: Infraestrutura de carregamento de VEs é despreparada para ataques cibernéticos

Um relatório de pesquisa do Sandia National Laboratories (SNL) identificou que as estações de carregamento de veículos elétricos são vulneráveis a vários cenários diferentes de ataques cibernéticos. Em um comunicado à imprensa, o Sandia Labs descreveu como uma análise de vulnerabilidades ajuda a priorizar as proteções da rede e informar os formuladores de políticas públicas. “Com os veículos elétricos se tornando mais comuns, os riscos e perigos de um ataque cibernético a equipamentos e sistemas de carregamento de veículos elétricos também aumentam. Uma equipe de engenharia do laboratório publicou um resumo das vulnerabilidades conhecidas do carregador de veículos elétricos na revista científica Energies. A infraestrutura de carregamento de veículos elétricos tem várias vulnerabilidades, desde a clonagem de informações de cartão de crédito até o uso de servidores em nuvem para sequestrar toda uma rede de carregadores de veículos elétricos”, afirmou o comunicado à imprensa. Para acessar o estudo na íntegra, clique aqui: https://www.mdpi.com/1996-1073/15/11/3931. (Transport Topics - 29.11.2022) 
Link Externo

Eventos

Brasil: Eventos de mobilidade elétrica estão confirmados para 2023

A mobilidade elétrica vem se tornando mais presente no dia a dia do brasileiro, apesar de ainda existir muitas barreiras para a aquisição em massa de veículos eletrificados , eventos promovem informação , troca de conhecimentos e debate sobre o setor. Segundo a MES Eventos , o Brasil irá receber ao menos cinco eventos , entre feiras e congressos, que irão abordar a eletromobilidade em 2023. A MES Eventos já confirmou três edições do C-MOVE – Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos, assim como edições do Dia da Mobilidade Elétrica nas cidades de Brasília , Balneário Camboriú e São Paulo , e o VE Latino-Americano – Salão da mobilidade elétrica. (IG - 28.11.2022) 
Link Externo