IFE
20/09/2022

IFE Mobilidade Elétrica nº 124

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
20/09/2022

IFE nº 124

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Mobilidade Elétrica nº 124

Políticas Públicas e Regulatórias

EUA: Financiamento para estações de recarga de VEs

O presidente Joe Biden anunciou recentemente a aprovação de US$ 900 milhões para o financiamento de construção de estações de recarga de carros elétricos nos Estados Unidos. O investimento abrange 35 estados e faz parte de um pacote de infraestrutura de aproximadamente US$ 1 trilhão aprovado em 2021. O Congresso Americano aprovou em cinco anos quase US$ 5 bilhões em subsídios aos estados para a construção de estações de recarga. Segundo autoridades norte-americanas, a falta de equipamentos de carregamento é um dos obstáculos para a ampliação da eletrificação. Até 2030, Biden quer que 50% de todos os novos veículos vendidos nos Estados Unidos sejam elétricos ou híbridos, com uma estrutura de 500 mil novas estações de recarga. (Automotive Business - 14.09.2022) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

Adden Energy: Desenvolvimento de baterias de estado sólido

Baterias de estado sólido são mais seguras e simples do que as alternativas líquidas – não carregam tantos metais pesados, prometem maior alcance e menor tempo de recarga. Nesse cenário, uma nova bateria de estado sólido está sendo trabalhada, prometendo um enorme benefício em tempo de recarga e em vida útil dos veículos. Ela vem da startup Adden Energy, que usa uma licença de tecnologia exclusiva do Escritório de Desenvolvimento de Tecnologia de Harvard. Com base na tecnologia de lítio-metal, a bateria pode atingir taxas impressionantes de carregamento, com 3 minutos sendo o suficiente para uma carga completa. Além disso, ela é capaz de resistir a mais de 10.000 ciclos ao longo da vida útil. Essa competência significa que a tecnologia poderia aumentar a vida útil dos VEs para a dos carros a gasolina. Algo como 15 anos ou mais de uso do carro sem precisar trocar a bateria. (Olhar Digital - 17.09.2022)
Link Externo

GM: Investimento na produção de insumos para VEs

A fabricante de veículos General Motors (GM) anunciou recentemente um investimento de US$ 491 milhões em suas operações de estampagem de metal em Marion, Indiana, a fim de preparar as instalações para produzir uma variedade de peças estampadas de aço e alumínio para produtos futuros, incluindo veículos elétricos, construídos em várias fábricas de montagem da GM. O investimento será usado para comprar e instalar duas novas linhas de prensas, executar a atualização completa de prensas e matrizes existentes e expandir a unidade industrial em mais de 6.000 pés quadrados. (Green Car Congress - 16.09.2022)
Link Externo

ONE: Desenvolvimento de baterias de nova geração

A startup americana de baterias Our Next Energy (ONE), que é apoiada pela BMW, apresentou uma célula prismática de 240 Ah “sem ânodo” de grande formato com uma densidade de energia de 1.007 Wh/l. Esta célula também pode ser fabricada de forma muito mais barata. O termo “sem ânodo” obviamente não é uma afirmação tecnicamente correta, a bateria ainda tem um pólo positivo e um pólo negativo. No comunicado à imprensa, Steven Kaye, diretor técnico da ONE, enfatiza o design simples das novas células, pois elas foram ampliadas por um fator de 100 em menos de um ano – de uma célula de bolsa de 2 Ah para a de 240 Ah célula prismática. No entanto, a célula ainda não está totalmente desenvolvida: atualmente, um cátodo NMC está instalado. Quando a produção da série temporal começar em 2026, ela não deve mais conter cobalto e o teor de níquel deve cair para cerca de 26% – com um teor de manganês correspondentemente maior. (Electrive – 14.09.2022)
Link Externo

Indústria Automobilística

Caoa Chery: iCar foi o VE mais vendido do Brasil em agosto

Lançado em junho, o novo Caoa Chery iCar foi o carro elétrico mais vendido no Brasil em agosto. O primeiro modelo totalmente elétrico da Caoa Chery fez sucesso durante a pré-venda e começa a registrar bons resultados nas primeiras semanas de vendas regulares. Ao todo foram 102 unidades vendidas no país durante o mês passado, sendo na parcial de setembro (até o dia 15), foram registradas 165 unidades do citycar elétrico, com grandes chances de uma nova liderança do segmento no fechamento deste mês - desde o lançamento já foram 297 emplacamentos. (Inside EVs - 16.09.2022)
Link Externo

Hintech: Planos para o mercado brasileiro de VEs

De uma forma bem mais tímida, empresas brasileiras também entram, aos poucos, na corrida da eletromobilidade, criando soluções caseiras, principalmente, direcionadas à prestação de serviço. É o caso da Hitech Eletric, startup de Curitiba (PR) que, desde 2017, desenvolve projetos de veículos 100% elétricos. Seu portfólio tem, hoje, quatro produtos: o compacto e.co2 Cargo, para entregas urbanas, os veículos de carga e.co Truck e e.co Cargo e a van e.Van, para transportar carga ou passageiros. Os clientes são empresas de entregas de pequeno e médio porte, que buscam veículos adequados para suas frotas. “Em 2023, queremos iniciar a produção no Brasil, o que trará maior competitividade econômica, permitindo até mesmo reduzir os preços ao cliente final”, afirma Rodrigo Scheffer Contin, fundador e presidente da Hitech. (O Estado de São Paulo - 14.09.2022)
Link Externo

Mileto: Nova linha de VEs terá preços acessíveis no Brasil

A startup brasileira Mileto anunciou uma linha de motos e veículos elétricos com preços mais acessíveis. De acordo com o comunicado da startup, foram dois anos de pesquisas e análise de mercado para escolher o portfólio de VEs que será oferecido no Brasil. As motos elétricas terão preços a partir de R$ 17 mil, haverá um mini picape elétrica custando a partir de R$ 98 mil e carros elétricos com preço inicial de R$ 100.000. Para atender ao mercado corporativo, a Mileto possui uma linha de montagem em Porto Real (RJ). O objetivo é atender a um mercado que demanda frotas mais econômicas e sustentáveis, alinhando-se às práticas de ESG. Mas além das empresas, a startup também promete atender pessoas físicas a partir de 2023. (Inside EVs - 12.09.2022)
Link Externo

Movi Electric: Planos para produção de VEs no Brasil

A Movi Electric divulgou o plano de produzir carros elétricos no parque industrial da cidade de Toledo, no Paraná. A Movi tem acordo comercial para fabricar os modelos da empresa argentina Sero Electric. O catálogo é composto por um carro elétrico para duas pessoas e dois veículos de carga – um com caçamba e outro com baú, que pode levar até 500 quilos de carga. São microcarros movidos a bateria e feitos com estrutura de ligas de alumínio de alta resistência, o que aumenta a segurança em casos de impacto. De uso urbano, eles chegam a 50 km/h de velocidade máxima e são capazes de rodar 150 quilômetros. Assim como os veículos da Hitech, os carros elétricos da Movi são recarregados nas tomadas de 110 V e 220 V, em tempo que varia de cinco a sete horas. (O Estado de São Paulo - 14.09.2022)
Link Externo

Stellantis: Novos lançamentos de VEs para o mercado brasileiro

A Stellantis reiterou que pretende expandir a linha de carros elétricos e híbridos no país, com pelo menos sete lançamentos até 2025. Os próximos lançamentos eletrificados ainda não foram detalhados, mas esperamos ainda para este o ano o SUV elétrico compacto Peugeot e-2008. E considerando a linha atual do grupo na Europa, há possibilidades para modelos como o Peugeot 3008 PHEV, Citroën C4 elétrico, além do futuro C3 elétrico e o recém-apresentado Peugeot E-308, sem contar os demais veículos comerciais elétricos das marcas Peugeot e Citroën. Por sua vez, a marca Jeep anunciou nos últimos dias uma linha de veículos elétricos que tem como destaque o Jeep Avenger, um SUV elétrico compacto com pouco mais de 4 metros e menor que o Renegade, além dos inéditos Jeep Recon e Wagonner S, também totalmente elétricos e pensados para o mercado dos Estados Unidos, ao menos inicialmente, mas que chegarão aos demais mercados num segundo momento. (Inside EVs - 14.09.2022)
Link Externo

Stellantis: Ampliação da rede de carregamento no Brasil

Mesmo antes de começar a vender carros elétricos no Brasil, a Stellantis já trabalhava em iniciativas para criar e expandir uma infraestrutura de recarga para a mobilidade elétrica aqui no país. Agora, já com os primeiros carros elétricos no mercado, o grupo faz um novo anúncio onde renova por mais três anos o contrato das Ecovagas, uma parceria que envolve a Estapar, maior rede de estacionamentos do país, e a Enel X Way, divisão da Enel dedicada à mobilidade elétrica. O novo anúncio inclui a extensão da parceria e a ampliação do número de vagas com pontos de recargas para carros elétricos e híbridos plug-in. Dessa forma, das atuais 200 vagas com carregador, a previsão é que até o fim do ano, cerca de 500 vagas estejam disponíveis em todo o país – a partir de 2023, a previsão é que esse número chegue a 1.000 pontos de recarga. (Inside EVs - 13.09.2022)
Link Externo

Volvo: Novos investimentos em eletromobilidade no Brasil

A Volvo Group, divisão de veículos pesados e equipamentos, anunciou no início do ano que está renovando seu ciclo de investimentos no Brasil, o que inclui o desenvolvimento dos primeiros ônibus e caminhões elétricos que serão produzidos no país, previstos para chegar ao mercado a partir de 2025. Segundo o comunicado divulgado nesta semana, a empresa sueca investirá R$ 1,5 bilhão em suas operações no país no período de 2022/2025. Os recursos são voltados principalmente para pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços. (Inside EVs - 14.09.2022)
Link Externo

Ford: Nova estratégia para barateamento de VEs

A Ford está fazendo o que pode para tornar os seus carros elétricos mais baratos. A montadora norte-americana quer reduzir o preço dos modelos em até US$ 2.000 (R$ 10.200) e para isso está tentando convencer os revendedores a reduzir os custos de entrega dos VEs aos clientes. De acordo com o reportagem, a montadora disse aos revendedores que um dos principais tópicos das reuniões será a discussão de novos acordos que regulamentam como os concessionários vendem a crescente linha de VEs da empresa. De acordo com Jim Farley, CEO da Ford, cerca de um terço dessas economias — entre US$ 600 e US$ 700 — viriam do que ele chamou de "modelo de baixo estoque", onde os clientes encomendam um veículo e a Ford envia para o cliente. Isso ajudaria a Ford a evitar estocar veículos em lotes de concessionárias por semanas ou meses. (Inside EVs - 12.09.2022)
Link Externo

Leoparda Electric: Financiamento para investir em eletromobilidade na América Latina

A start up de motos e baterias elétricas Leoparda Electric recebeu US$ 8,5 milhões em sua primeira rodada de investimentos. O montante será utilizado para a contratação do time de profissionais globais, desenvolvimento de software próprio para a execução do negócio e também para a operação piloto no Brasil. Esse primeiro aporte foi co-liderado pela Monashees, gestora de capital de risco no Brasil, e pela Construct Capital, fundo norte-americano especializado em hardware e mobilidade. Marcelo Claure, que lançou o Softbank na América Latina, também investiu por meio da Claure Capital. A Leoparda, tem o objetivo de reduzir as emissões de carbono na América Latina e tornar a mobilidade mais acessível. O modelo de negócios da Leoparda Electric consiste no fornecimento de motocicletas elétricas e uma rede de estações que permitem que usuários possam trocar suas baterias descarregadas por outras prontas para uso imediato a um baixo custo de assinatura mensal. (CanalEnergia – 14.09.2022)
Link Externo

Opel: Marca anuncia subsidiária de VEs esportivos

A fabricante de veículos Opel anunciou recentemente a volta da sua subsidiária Grand Sport. A novidade, para além do nome GSe (Grand Sport electric, na sigla em inglês), é que a divisão produzirá exclusivamente modelos esportivos eletrificados. De acordo com a fabricante, os modelos GSe estarão no topo da respectiva série de modelos. A estratégia de eletrificação da marca Opel prevê que todas as séries de modelos possuam uma versão eletrificada até 2024 e, a partir de 2028, apenas modelos elétricos sejam comercializados. “Estou muito feliz em anunciar o retorno da GSe como nossa submarca esportiva top de linha no futuro imediato. No futuro, o rótulo GSe não significará apenas carros dinâmicos e divertidos de dirigir, mas também significará ‘Grand Sport electric’, em total alinhamento com nossos planos ambiciosos de nos tornarmos uma marca totalmente elétrica”, disse Florian Huettl, CEO da Opel. (Electrive - 14.09.2022)
Link Externo

Tesla: Construção de refinaria de lítio nos EUA

A Tesla está estudando a possibilidade de construir uma unidade de refinaria de lítiol no estado do Texas. De acordo com a Reuters, a fabricante norte-americana entrou oficialmente com um requerimento no final de agosto junto ao Controlador de Contas Públicas do Texas, um depósito tornado público na semana passada. A ideia seria processar o lítio para obter hidróxido de lítio específico para a fabricação de baterias para carros elétricos, e transportá-lo para os vários locais - por estrada e ferrovia - na América do Norte. Por enquanto, os principais países em extração, mas também em termos de refino de lítio, são China, Chile, Argentina e Austrália. A Tesla, no entanto, estabelece uma condição para seu projeto, pedindo para o estabelecimento no estado do Texas uma série de vantagens fiscais para realizar este projeto. No caso de um sinal verde das autoridades do estado do Texas, a construção do local destinado ao refinado de lítio para baterias pode começar rapidamente, uma vez que o início de sua atividade está previsto para 2024. (Inside EVs - 17.09.2022)
Link Externo

Volvo: Início da produção de caminhões elétricos na Europa

A Volvo Trucks anunciou que deu início à produção em série das versões elétricas de seus modelos de caminhões FH, FM e FMX na Europa. A linha elétrica será destinada a operações urbanas, coleta de lixo, transporte de carga regional e para aplicações em canteiros de obras. A produção começou na fábrica de Tuve, em Gotemburgo, na Suécia, e no próximo ano chega à unidade de Ghent, na Bélgica. Os caminhões pesados elétricos são fabricados na mesma linha de montagem dos veículos com motor a combustão. Segundo a marca, isso traz alta flexibilidade de produção e ganhos de eficiência. As baterias são fornecidas pela nova unidade de montagem de baterias da Volvo Trucks em Ghent. A estratégia de eletrificação da fabricante prevê que 50% das vendas de caminhões sejam de modelos elétricos até 2030. (Automotive Business - 14.09.2022)
Link Externo

Meio Ambiente

Audi: Nova concessionária em MG incorpora conceito ESG

A Audi anuncia a inauguração de sua nova concessionária em Uberlândia (MG) com os novos conceitos de experiência progressiva e Scaled Full Function. Administrado pelo Grupo Trivel e fruto de um investimento de aproximadamente 6 milhões, o novo espaço de 1.074 metros quadrados disponibilizará aos clientes as linhas completas RS e e-tron, além de uma estação de recarga ultrarrápida de 150 kW para veículos elétricos. A nova loja possui um ambiente acolhedor, sustentável e com elementos arquitetônicos sofisticados, incluindo a estrutura de aço com modernas esquadrias e a ampla área envidraçada, que assegura a visibilidade total do showroom de 365 metros quadrados e torna o espaço, à noite, uma vitrine iluminada. Além da arrojada infraestrutura, a Audi Center Uberlândia terá uma estação de recarga ultrarrápida de 150 kW, que estará disponível aos clientes da marca com o objetivo de fomentar a mobilidade elétrica na região. Essa iniciativa demonstra o investimento da marca no desenvolvimento de uma infraestrutura adequada para os carros elétricos em suas concessionárias espalhadas pelo país. (Inside EVs – 17.09.2022)
Link Externo

ESG: Awto chega ao mercado nacional de VEs compartilhados

A Awto, plataforma de mobilidade compartilhada do grupo Kaufmann, investirá cerca de R$ 30 milhões para iniciar suas atividades no Brasil. A empresa fundada no Chile se apresentou ao mercado brasileiro pela primeira vez durante a participação do CEO Leonardo Bieberbach em um debate sobre compartilhamento de veículos no #ABX22 - Automotive Business Experience. Segundo a companhia, inicialmente serão disponibilizados 200 veículos na cidade de São Paulo, entre SUVs, sedans, utilitários e scooters elétricas. A previsão é de que a frota chegue a 350 unidades até o início de 2023. Bieberbach explica que a capital paulista foi escolhida para o começo das operações da Awto por reunir as características socioeconômicas e culturais ideais para o negócio. (Automotive Business – 13.09.2022)
Link Externo

ESG: UFRJ lança plataforma que mapeia ônibus elétricos na América Latina

Um projeto desenvolvido pelo Laboratório de Mobilidade Sustentável da Universidade Federal do Rio de Janeiro foi criado com o objetivo de fazer um exame a respeito da eletrificação dos ônibus na América Latina. A plataforma intitulada E-Bus Radar mapeia o número de ônibus elétricos por país e detalha a quantidade de veículos por tipo de tecnologia e empresa operadora. De acordo com a plataforma, existem 1.750 ônibus elétricos convencionais à bateria, 12 modelos articulados à bateria, 1.047 trólebus e 874 ônibus elétricos “midi” à bateria no continente. O objetivo da plataforma é monitorar as frotas de ônibus elétricos no transporte público das cidades latino-americanas. Ademais, a plataforma visa “monitorar e georreferenciar as frotas de ônibus elétricos em operação; promover a transparência de dados; e quantificar as emissões de CO2 evitadas graças à operação desses veículos”. Além de mapear o número de ônibus elétricos na América Latina, o E-Bus Radar também detalha as licitações em andamento. (Mobilidade Estadão - 17.09.2022)
Link Externo

ESG: Vale testará mega caminhões elétricos no Brasil e na Indonésia

A Vale vai testar o uso de caminhões elétricos fora-de-estrada em duas de suas minas, com a missão de avaliar a redução de emissão de gases de efeito estufa pelos pesos-pesados. Os veículos de 72 toneladas são da fabricante chinesa XCMG Mining Machinery e estão equipados com baterias que armazenam 525 Kwh de energia, permitindo que operem por até 36 ciclos ao longo da rota estabelecida, pouco mais de um dia de operação, sem necessidade de parada para recarga. A tecnologia também permite a regeneração de energia durante as descidas, reduzindo o uso de freios mecânicos, trabalhos de manutenção e vibração, além de proporcionar mais conforto operacional aos motoristas. A estratégia de eletrificação de equipamentos operacionais da Vale também inclui uma parceria com seus pares BHP e Rio Tinto. No ano passado, as três empresas, juntamente com outras 17 mineradoras, lançaram o Charge On Innovation Challenge, um desafio global de inovação aberta com o objetivo de encontrar soluções inovadoras para acelerar o carregamento seguro de baterias para futuros caminhões elétricos fora de estrada. (Engie – 13.09.2022)
Link Externo

ESG: BMW usará materiais reciclados em seus VEs

A BMW anunciou seus planos de usar resíduos plásticos de redes de pesca e cordas para produzir peças de acabamento, como tapetes para alguns de seus próximos carros. A montadora alemã de luxo implantará um processo exclusivo de reciclagem de resíduos da indústria marítima para produzir materiais para exterior e interior de seu BMW iX, BMW X1 e o tão esperado Neue Klasse. As matérias-primas serão provenientes de portos de todo o mundo para criar componentes automotivos, que conterão cerca de 30% do material reciclado e terão uma pegada de carbono aproximadamente 25% menor do que suas contrapartes feitas de plásticos fabricados convencionalmente. Esta nova iniciativa é lançada em cooperação com a PLASTIX, uma empresa de reciclagem tecnológica com sede na Dinamarca, que desenvolveu processos para reciclar fibras plásticas e plásticos rígidos. (Which EV - 16.09.2022)
Link Externo

ESG: Ikea utilizará caminhões elétricos na Polônia

A Volvo Trucks, a Ikea Industry e a empresa de logística Raben Group anunciaram uma parceria no âmbito da mobilidade elétrica. Segundo as empresas, a Ikea Industry usará caminhões Volvo FM Electric operados pela Raben para o transporte interno de mercadorias entre dois locais de produção no oeste da Polônia. O primeiro desses caminhões elétricos está programado para entrar em serviço nas próximas semanas e há planos para expandir a frota com base nas descobertas do projeto piloto. “Estamos felizes em anunciar esta colaboração que visa acelerar nossa mudança para um transporte rodoviário mais sustentável”, disse Małgorzata Dobies-Turulska, diretora administrativa da IKEA Industry. (Electrive - 15.09.2022)
Link Externo

ESG: Shell vai expandir da infraestrutura de recarga na Índia

A Shell planeja instalar mais de 10.000 pontos de carregamento em toda a Índia até 2030. A empresa lançou seus primeiros carregadores de veículos elétricos na Índia para os segmentos de quatro rodas e duas rodas em Bangalore. A Índia é o primeiro mercado da Shell a lançar carregadores para veículos de duas rodas. A Shell diz que fornecerá soluções de carregamento personalizadas em “locais em movimento”. Isso incluirá postos de combustível Shell, hubs EV autônomos, carregamento doméstico e locais de destino. A empresa promete que a energia fornecida nos carregadores Shell Recharge será 100% energia verde. O aplicativo da empresa permite que passageiros e motoristas localizem o carregador disponível mais próximo, escolham se desejam cobrar por unidade, tempo ou porcentagem e, em seguida, façam pagamentos rápidos. (Electrive - 17.09.2022)
Link Externo

Electrify America: Novas estações de carregamento com armazenamento de energia por bateria na Califórnia

A Electrify America planeja instalar 30 carregadores elétricos dedicados à frota emparelhados com sistemas de baterias de armazenamento de energia (BESS) no Porto de Long Beach, Califórnia, como parte do investimento de US$ 25 milhões na região dos Portos de Long Beach e Los Angeles. A Electrify America está consolidando seu compromisso de fornecer infraestrutura de carregamento para a cidade de Long Beach para apoiar os 60 caminhões elétricos que realizam operações de transporte no sul da Califórnia. Os sistemas de armazenamento de energia da bateria armazenam energia quando os custos de eletricidade são baixos e complementam a energia durante os pontos de alto consumo, minimizando o impacto na rede elétrica e mitigando os picos de demanda. (Green Car Congress - 14.09.2022)
Link Externo

IUC: Expansão da infraestrutura de carregamento no Arizona, nos EUA

A Invisible Urban Charging anunciou que está em parceria com a EV Charging of Arizona para lançar 13.980 carregadores EV no Arizona, aumentando seu número total de carregadores EV em sete vezes. A instalação começará no primeiro trimestre de 2023. A IUC tem grandes planos na América: com mais de 6.000 carregadores de EV indo para a Flórida e os 13.980 agora anunciados no Arizona, a IUC implantará cerca de 20.000 carregadores de EV nos próximos 12-18 meses. “A IUC tem orgulho de trabalhar com a S3 Biotech para antecipar a crescente demanda de funcionários e visitantes para seu desenvolvimento na cidade de Maricopa e também em outras cidades do grande estado do Arizona”, disse Nigel Broomhall, cofundador e Diretor Executivo da IUC. (Electrive – 14.09.2022)
Link Externo

TeraWatt: Financiamento para construção de centros de recarga nos EUA

A TeraWatt Infrastructure, desenvolvedora e operadora de infraestrutura de recarga para VEs, garantiu recentemente mais de US$ 1 bilhão em capital institucional para apoiar a construção de seus centros e operações de carregamento focados em frotas comerciais. Os fundos administrados pela Vision Ridge Partners investiram na TeraWatt juntamente com os antigos investidores Keyframe Capital e Cyrus Capital, que aumentaram seus compromissos com a empresa. A TeraWatt espera usar os mais de US$ 1 bilhão comprometidos para acelerar sua próxima fase de desenvolvimento e expansão, focada na construção de um portfólio crescente de centros de carregamento. (Green Car Congress - 14.09.2022)
Link Externo

Produções Científicas

ICCT: Eletrificação de veículos pesados ​​em mercados emergentes

Um estudo realizado recentemente por pesquisadores do International Council on Clean Transportation (ICCT) avaliou o status das políticas de implementação de veículos pesados de emissão zero em mercados emergentes. O trabalho buscou examinar as principais alavancas políticas para a eletrificação de veículos pesados e identificar as barreiras políticas e as principais recomendações para a eletrificação de veículos pesados nas economias em desenvolvimento. O documento concluiu, entre outras coisas, que a eletrificação dos veículos pesados está se dando principalmente através do transporte público, tendência igualmente observada nos países desenvolvidos. Ademais, os ônibus elétricos mostram-se econômicos (em termos de custo total de propriedade) em comparação com a tecnologia de motor de combustão interna. Além disso, os pesquisadores apontaram que o suporte financeiro e/ou técnico internacional pode ajudar a acelerar a transição para uma frota pesada de emissão zero nos mercados emergentes. (ICCT - 12.09.2022)
Link Externo

Bain & Company: Projeção para o mercado global de recarga de VEs

O investimento na infraestrutura de carregamento e nos serviços relacionados à adoção de veículos elétricos movidos a bateria (BEVs) na Europa, nos Estados Unidos e na China deve alcançar até € 13,5 bilhões até 2030, quase R$ 67 bilhões na cotação atual. A projeção é da consultoria americana Bain & Company, que estima que o maior crescimento do mercado será impulsionado pelos serviços de energia inteligente, que serão responsáveis por cerca de um terço do total de lucros. Por ser um mercado em que muitos segmentos ainda estão em um estágio inicial, as empresas que saírem na frente nesse setor vão ditar tendências, aumentando suas chances de sucesso em longo prazo, aponta a consultoria. Do ponto de vista da cadeia de valor, o crescimento dos lucros na próxima década será forte nos três principais segmentos de carregamento de veículos elétricos: hardware e instalação; serviços de carregamento e serviços de energia inteligentes. (Automotive Business – 13.09.2022)
Link Externo