IFE
13/09/2022

IFE Mobilidade Elétrica nº 123

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
13/09/2022

IFE nº 123

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Luiza Masseno
Pesquisadores: João Pedro Gomes, Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Mobilidade Elétrica nº 123

Políticas Públicas e Regulatórias

São Paulo: Donos de VEs terão desconto no IPTU

Durante a inauguração do 17° Salão da Mobilidade Elétrica no final da semana passado no Expo Center Norte, na capital paulista, o prefeito Ricardo Nunes anunciou ampliação de estímulos para compras de automóveis 100% elétricos. Agora, além da isenção do rodízio e de redução 50% no IPVA (a parte do imposto estadual que cabe ao município), haverá um crédito de R$ 3.292,91 para descontar do IPTU (imposto sobre imóveis), mesmo em veículos com preço acima de R$ 150 mil. (Uol – 09.09.2022)
Link Externo

Rio de Janeiro: Alerj aprova incentivos para veículos elétricos e híbridos

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta quinta (8/9) o PL 4.522/21, do deputado Carlos Minc (PSB), com medidas de incentivo ao uso de veículos elétricos e híbridos, como parte da Política Estadual sobre Mudança Global do Clima. O texto precisa ser sancionado pelo governador Cláudio Castro em até 15 dias úteis. O PL prevê que os órgãos da administração pública migrem sua frota a combustão para motor de propulsão elétrica, seguindo um cronograma de substituição: 10% da frota de veículos estaduais a partir de 2025; 50% a partir de 2030; e 100% até 2035. O texto também autoriza o governo a criar linhas de crédito prioritárias para incentivo à tecnologia elétrica e híbrida, além de conceder benefícios fiscais para fomentar a produção e a venda desses modelos. (EPBR – 08.09.2022)
Link Externo

Índia: Estratégia para expansão da frota de VEs

Um dos países mais populosos do mundo, a Índia está avançando na transição para veículos elétricos de mobilidade urbana. Mas ao contrário de outros países que apostam em carros, os indianos escolheram ciclomotores, scooters ou triciclos elétricos ágeis e acessíveis, muito mais adequados às necessidades e realidade do país. O atual governo indiano, liderado pelo primeiro-ministro Narendra Modi, e a indústria automobilística do país estão investindo no mercado de veículos elétricos acessíveis, com subsídios e priorização da produção. Este esforço conjunto tornou os ciclomotores elétricos e riquixás mais baratos aos modelos similares à combustão interna. A população parece concordar que os veículos elétricos são uma boa opção: o número de vendas na Índia aumentou três vezes entre 2021 e 2020. Entre os 430 mil veículos elétricos vendidos pelas montadoras indianas no ano passado, apenas 18 mil eram carros – o restante eram ciclomotores e riquixás elétricos. (Ciclo Vivo - 08.09.2022)
Link Externo

Inovação e Tecnologia

BMW: Novas baterias de última geração para VEs

A BMW anunciou recentemente que planeja comprar baterias mais avançadas para VEs de seis novas fábricas, que serão instaladas e administradas por empresas como a Contemporary Amperex Technology (CATL) e a Eve Energy. De acordo com a empresa, duas fábricas na Europa, China e América do Norte produzirão células redondas de íons de lítio, que aumentam o alcance dos veículos e a velocidade de carregamento da bateria, em comparação com as células prismáticas que a BMW usa atualmente. "Estamos nos aproximando de um enorme salto tecnológico”, disse Frank Weber, chefe de desenvolvimento da BMW. Ele acrescentou que os fornecedores da companhia concordaram em produzir as células apenas com energia renovável e usar parcialmente cobalto, níquel e lítio reciclados para reduzir as emissões de carbono relacionadas à produção em até 60%. (Valor Econômico - 09.09.2022)
Link Externo

Cornell University: Financiamento para pesquisa de células de combustível e baterias avançadas

O Departamento de Química e Biologia Química da Faculdade de Artes e Ciências (A&S) da Universidade de Cornell anunciou recentemente que recebeu US$ 8,3 milhões para aprofundar as pesquisas de seu grupo relacionadas a células de combustível e tecnologias avançadas de baterias. A equipe liderada pelo professor Héctor D. Abruña irá se concentrar no desenvolvimento e caracterização de novos materiais para células de combustível e baterias usando uma ampla variedade de técnicas. (Green Car Congress - 11.09.2022)
Link Externo

Kia e Deutsche Bahn: Cooperação em projeto de segunda vida de baterias

A operadora ferroviária alemã Deutsche Bahn (DB) e a Kia firmaram uma parceria estratégica para baterias de VEs usados. O objetivo é transformar baterias mais antigas em unidades de armazenamento de energia de alto desempenho. A startup da DB, Encore assumirá a aquisição e a produção. A Encore deve iniciar as vendas e a produção em série de “várias centenas de unidades de armazenamento de energia” a partir do próximo ano. A empresa receberá as baterias usadas dos concessionários Kia. (Electrive - 08.09.2022)
Link Externo

Nissan: Primeiro carregador V2G é aprovado nos EUA

Trabalhando com a Fermata Energy, um provedor de serviços de veículo à rede, a Nissan aprovou o primeiro carregador bidirecional para o Nissan Leaf nos EUA. O carregador FE-15 da Fermata atendeu aos requisitos essenciais da Nissan. Como Nissan. O fabricante japonês também trabalha em aplicativos Vehicle-To-Everything (V2X) há algum tempo. Na Europa, eles realizaram vários testes e, no Japão, os carros elétricos há muito são considerados uma fonte de energia em emergências. O Nissan Leaf é atualmente o único veículo de passageiros totalmente elétrico no mercado dos EUA capaz de fornecer energia à rede. (Electrive - 08.09.2022)
Link Externo

Tesla: Construção de refinaria de lítio nos EUA

A Tesla está considerando a criação de uma refinaria de lítio na costa do Golfo do Texas, enquanto procura garantir o fornecimento do componente-chave usado em baterias em meio à crescente demanda por veículos elétricos. A potencial instalação de refino de hidróxido de lítio para bateria, que a Tesla divulgou como a primeira do tipo na América do Norte, processará “matéria-prima de minério em um estado utilizável para a produção de baterias”, disse a empresa. A decisão de investir no Estado norte-americano também será baseada na capacidade de obter incentivos fiscais sobre a propriedade local. A expectativa é que, se aprovada, a construção da instalação possa começar no quarto trimestre de 2022 e atingir a produção comercial até o final de 2024. (Forbes Brasil - 12.09.2022)
Link Externo

ZF CVS: Novas soluções de eMobility para veículos comerciais

A divisão de Soluções para Veículos Comerciais (CVS) da ZF apresentou suas mais recentes tecnologias de eMobility antes do IAA Transportation 2022. Elas incluem o novo acionamento central elétrico CeTrax 2 da ZF - um sistema integrado e modular de e-driveline para veículos comerciais pesados - e um novo e avançado Electric Power Sistema de direção (EPS) para caminhões, ônibus e ônibus urbanos. O EPS foi preparado para direção automática e direção autônoma de nível 5. O eWorX, o sistema Power Take-Off (PTO) de veículos comerciais eletrificados da ZF para a condução de equipamentos de trabalho a bordo, também foi apresentado, oferecendo operação urbana e urbana sem emissões. O novo acionamento central elétrico CeTrax 2 é um sistema de acionamento eletrônico modular integrado para veículos comerciais pesados. (Green Car Congress – 10.09.2022)
Link Externo

Indústria Automobilística

Brasil: Montadoras chinesas focarão em eletrificação

Habituadas a produzir carros elétricos baratos e com foco no uso urbano, as marcas chinesas mostram que o caminho delas mudou mundialmente e, claro, também no mercado brasileiro. Essas marcas resolveram apostar fortemente na transição energética no país e, no lugar de disputar mercado com carros de preço baixo, querem conquistar o consumidor com experiência e conteúdo tecnológico. Esta foi a conclusão de uma das discussões do #ABX2022 - Automotive Business Experience, principal encontro de negócios do ecossistema automotivo e da mobilidade, que aconteceu no dia 8, no São Paulo Expo. Participaram do debate os executivos Oswaldo Ramos, Chief Commercial Officer (CCO) da Great Wall, Henrique Antunes, diretor de vendas da BYD, e Mauro Correia, presidente da Caoa Chery. A apresentação foi marcada pelo consenso sobre a transição dos carros chineses, modelos que eram antes conhecidos pelo custo-benefício, mas que estão se tornando mais luxuosos; e essa transição passa pela eletrificação, seja ela híbrida, híbrida plug-in ou totalmente elétrica. (Automotive Business – 09.09.2022)
Link Externo

Brasil: Renault, Audi, Nissan e Siemens elevam aposta em eletrificação

Ainda não há consenso entre os fabricantes sobre qual solução será a melhor para desenvolver o mercado de carros eletrificados no Brasil. São diferentes opções, sendo que algumas se tornaram mais populares, como os elétricos puros, enquanto diferentes de hibridização avançam em paralelo. O tema foi discutido em profundidade no #ABX22 - Automotive Business Experience, principal encontro de negócios do ecossistema automotivo e da mobilidade, realizado no São Paulo Expo no dia 8 de setembro. Apesar dos diferentes caminhos adotados pelas empresas, painel com os presidentes da Renault, Nissan, Audi e Siemens Digital Industry Software chegou a uma conclusão: a eletromobilidade é o futuro do negócio e avança a passos largos localmente. E nesse ponto, o Brasil tem o desafio de produzir e, inclusive, nacionalizar parte do desenvolvimento desses modelos, investindo em pesquisa e desenvolvimento. (Automotive Business – 09.09.2022)
Link Externo

Renault: Estratégia para popularizar VEs no Brasil

Os novos carros elétricos da Renault já irão “nascer elétricos”. Para acelerar sua estratégia de eletrificação, a fabricante francesa passará a desenvolver seus veículos em plataformas dedicadas - o que, segundo a companhia, tornará os automóveis mais baratos. A tecnologia E-Tech, desenvolvida a partir da expertise adquirida pela companhia no automobilismo, está presente em 400 mil veículos no mundo, incluindo as variantes elétricas de Megane e Kwid - sendo que o primeiro modelo já usa plataforma elétrica dedicada. Os próximos modelos das marcas da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi serão desenvolvidos a partir da plataforma CMF-EV, mesma do Megane, e da CMF-BEV. Segundo o vice-presidente de produto e performance da Renault, Bruno Vanel, em 2024, os modelos desenvolvidos sobre a plataforma CMF-BEV terão “mais de 30% na redução de custos [de fabricação] em comparação com o Zoe E-Tech atual”. A expectativa é produzir mais de 250 mil unidades por ano nas marcas Renault, Nissan, Alpine e Dacia. No Brasil, já estão confirmadas a chegada do Megane E-Tech e dos utilitários Kangoo e Master E-Tech para o segundo semestre de 2023. (Automotive Business – 10.09.2022)
Link Externo

Volvo: Expansão da rede de carregadores rápidos no Brasil

Participante de um painel que reuniu especialistas no tema durante o #ABX22 – Automotive Business Experience, Rafael Ugo, Diretor de Marketing da Volvo Cars, apontou que a empresa foi uma das pioneiras a instalar no Brasil rede pública de recarga, inicialmente com equipamentos de menor potência em locais de grande movimento, como shoppings centers e supermercados, e em uma nova etapa com carregadores rápidos em estradas – serão 13 até o fim do ano. De acordo com Ugo, a Volvo Cars completará em 2022 apenas a primeira de cinco fases de instalação de carregadores rápidos em rodovias. A segunda e a terceira fases serão iniciadas no ano que vem e devem representar a instalação de pelo menos mais 13 destes equipamentos, cobrindo especialmente novos pontos nas regiões Nordeste e Centro-oeste. (Automotive Business - 08.09.2022)
Link Externo

BYD: Produção de VEs na Tailândia

A BYD anunciou recentemente que está construindo uma fábrica de carros elétricos na Tailândia. De acordo com o comunicado da empresa, a fábrica estará localizada em uma área industrial chamada "WHA Rayong 36 Industrial Estate", selecionada por sua proximidade com rodovias, com os portos de Map Ta Phut e Laem Chabang e o aeroporto de U-Tapao. A expectativa é que a instalação possa entrar em operação em 2024 e tenha uma capacidade anual de produção de 150 mil veículos elétricos. (Electrive - 08.09.2022)
Link Externo

Jeep: Novos SUVs elétricos para América do Norte e Europa

A Jeep apresentará quatro SUVs totalmente elétricos na América do Norte e na Europa até o final de 2025. Como parte de um plano de produtos abrangente em andamento, 50% das vendas da marca Jeep nos EUA serão totalmente elétricas até 2030, enquanto 100% das vendas na Europa será totalmente elétrico até então. O plano está em total apoio às metas de emissões líquidas zero de carbono estabelecidas pela Stellantis durante o plano estratégico de longo prazo Dare Forward 2030. Até 2030, a marca Jeep oferecerá uma gama completa de novos veículos elétricos a bateria (BEV), estabelecendo uma liderança na indústria de SUVs em termos de número de modelos, participação no segmento e volume de vendas. (Green Car Congress – 09.09.2022)
Link Externo

Mercedes: Produção de vans elétricas

A Mercedes-Benz lançará todas as novas vans com opções de motor elétrico a partir de 2025. A empresa agora designou as primeiras fábricas para produzir as grandes vans elétricas da próxima geração na Europa. Também está explorando a produção europeia conjunta com a startup americana de carros elétricos Rivian. A Mercedes-Benz Vans contará com uma nova plataforma elétrica chamada VAN.EA (Van Electric Architecture) para seus veículos elétricos no futuro. Será a base para todos os furgões elétricos da Mercedes-Benz nos segmentos médio e grande a serem lançados a partir de 2025. O fabricante está agora anunciando os locais onde os modelos de construção aberta do VAN.EA – a plataforma para encarroçadores ou caminhões de plataforma – serão realizados. A primeira fábrica a ser reequipada para este fim está em Düsseldorf, na Alemanha. (Electrive – 08.09.2022)
Link Externo

Renault: Panorama para o mercado de VEs na América Latina

Na visão do vice-presidente de produto e performance da Renault, Bruno Vanel, “a América Latina deve seguir distante dos grandes mercados, como China, Europa e Estados Unidos, mas tem uma consistência no crescimento e é (um mercado) relevante para a Renault". Segundo informações divulgadas pela empresa, Brasil, Colômbia e México estão acima da média global quando o assunto é consumo sustentável, por exemplo, na redução do uso de energia doméstica, compra de produtos com embalagem reduzida e compra apenas de produtos produzidos de forma responsável e ética. Por enquanto, a Renault deve manter sua estratégia de importação de veículos para a região, mas a produção local não foi totalmente descartada. (Automotive Business - 10.09.2022)
Link Externo

Scania: Fim da fabricação de veículos movidos à combustão até 2040

O Grupo Scania quer dispensar o motor de combustão até 2040 e lançar apenas veículos elétricos a bateria, disse Christian Levin, presidente e CEO da Scania e CEO da Traton, da Volkswagen, em entrevista. Com esta formulação, a Scania está se aventurando à frente de sua concorrência no mercado de caminhões. Levin admitiu que as condições gerais devem ser adequadas para a Scania eliminar gradualmente o motor de combustão interna – especificamente: “infraestrutura de carregamento, eletricidade verde e o preço por quilowatt-hora”. No entanto, a Scania é “o único fabricante de caminhões a chegar ao ponto de questionar o motor diesel já em 2040”, enfatizou o gerente. (Electrive – 08.09.2022)
Link Externo

Tesla: Metas para expansão da capacidade produtiva

A Tesla continua a se expandir rapidamente pelo mundo, e apesar de duas novas Gigafábricas terem sido inauguradas no início deste ano, a montadora já está olhando para onde dará o próximo passo. A longo prazo, é difícil prever quantas instalações de produção a Tesla poderia construir, mas o CEO Elon Musk está de olho em um objetivo ambicioso. Na reunião anual de acionistas da Tesla, Elon Musk disse acreditar que a montadora poderia eventualmente manter até 10-12 gigafábricas em funcionamento no mundo todo, como relatado pelo Business Insider. O CEO também mencionou que a Tesla poderia produzir até 20 milhões de VEs por ano até 2030, com cada fábrica produzindo entre um e meio e dois milhões de unidades por ano. (InsideEVs – 06.09.2022)
Link Externo

Meio Ambiente

BMI: Panorama do mercado global de lítio impactará VEs

A volatilidade recente envolvendo os preços do lítio tem se tornado uma preocupação para os agentes da cadeia produtiva da mobilidade elétrica. De acordo com as análises de mercado da Benchmark Mineral Intelligence (BMI), em pouco mais de dois anos o preço do lítio aumentou devido à maior procura por veículos elétricos no mercado mundial, cujas vendas continuam a se ampliar ao passar de cada mês. Desde janeiro de 2020, o aumento observado no preço do lítio foi de 900%. A Benchmark aponta que o caso não mudará no curto prazo, podendo impactar o futuro dos carros elétricos. Se por um lado, as projeções apontam que a produção global do minério ainda será expandida em 33%, por outro, a demanda por baterias de lítio aumentará em 36%. Como a oferta global de lítio já é insuficiente, os números indicam que ela se intensificará em breve, impactando o futuro dos carros elétricos. (Click Petróleo e Gás - 10.09.2022)
Link Externo

Vale: Crescimento na demanda global por níquel é impulsionado por VEs

A mineradora Vale estimou que a demanda global de níquel deverá aumentar 44% até 2030, na comparação com a previsão para este ano, somando 6,2 milhões de toneladas naquele ano, com impulso dos carros elétricos, que requerem o metal para suas baterias. Em uma apresentação para investidores, a companhia disse que a “demanda de níquel está prevista para aumentar rapidamente nesta década com a transição energética”. A demanda global de cobre –utilizado em baterias de veículos e sistemas de energias renováveis– deve subir cerca de 20% até 2030, para 37 milhões de toneladas, estimou a Vale. Segundo a Vale, o crescimento na oferta de níquel deverá ser impulsionado principalmente por Indonésia e Canadá, onde a empresa tem operações, além da Austrália. Mas a empresa não prevê a oferta alcançando a demanda, principalmente para os veículos elétricos de classe I. (Forbes - 07.09.2022)
Link Externo

ESG: Crescimento do mercado de VEs pequenos no Brasil

O setor corporativo vê com bons olhos os veículos elétricos, muito por conta dos custos menores por km rodado e também por questões relacionadas a práticas de governança ambiental, conhecidas como ESG. Essa é uma das razões pelas quais o mercado de ciclomotores vem crescendo. Esses veículos podem ser utilizados para diversas finalidades, e além de proporcionar um custo menor com combustível, também não emitem gases poluentes. A Mobilidade Elétrica como Serviço (MaaS) vem se tornando cada vez mais popular entre usuários de serviços de entregas, ou até mesmo para o transporte de pessoas. Para a Cicloway, fabricante brasileira de tuk-tuks, o mercado de veículos leves 100% elétricos já é uma realidade no Brasil e a tendência do mercado é ficar cada vez maior, já que atingir as metas ESG se tornam cada vez mais importantes para as empresas. (IG - 11.09.2022)
Link Externo

ESG: Mobilize irá oferecer VEs para motoristas da Uber

A Mobilize, unidade de negócios de carros compartilhados e inovação da Renault, e a Zarp Localiza vão oferecer carros elétricos por assinatura para motoristas da Uber. Na primeira fase do projeto, que terá duração de um ano, serão disponibilizados 200 Renault Kwid E-Tech para motoristas da Uber em São Paulo. Os motoristas serão selecionados pelas empresas para o projeto-piloto, e devem atender critérios específicos. (Automotive Business - 06.09.2022)
Link Externo

ESG: Waze oferece novo recurso para VEs

O aplicativo Waze lançou recentemente um recurso para os motoristas encontrarem informações sobre rotas específicas e pontos de recarga para carros elétricos. No comunicado sobre a nova funcionalidade, Heloisa Pinho, country manager do Waze no Brasil, destacou que os veículos elétricos têm ganhado capilaridade no mercado brasileiro pelo engajamento dos motoristas em questões ambientais e pelos aumentos nos preços dos combustíveis: “a verdade é que esse público tem crescido e como somos um aplicativo construído pela comunidade e para a comunidade, aceleramos o nosso processo de inclusão dessa nova funcionalidade no aplicativo”. De acordo com a empresa, o aplicativo foi capaz de mapear mais de mil pontos de recarga em todo o território nacional. Todas as unidades agora estão disponíveis dentro do aplicativo, para auxiliar o condutor de um veículo elétrico. (Automotive Business - 06.09.2022)
Link Externo

ESG: Assaí e GreenYellow fecham parceria para construção de eletropostos

O Assaí Atacadista passará a disponibilizar o serviço gratuito de recarga elétrica para os carros dos clientes que frequentam suas lojas em 13 estados do país. Por meio de uma parceria com a GreenYellow, empresa responsável pelo fornecimento dos equipamentos, o Assaí receberá o total de 90 eletropostos, sendo que a energia que abastecerá os carros será provida de fontes 100% renováveis. A primeira unidade a ser contemplada com esta parceria foi o Assaí Anhanguera, localizada em São Paulo, e que conta com 3 eletropostos. As demais 29 unidades do atacadista serão contempladas com os pontos de carregamento para carros elétricos entre o segundo semestre deste ano e primeiro semestre de 2023. (CanalEnergia – 05.09.2022)
Link Externo

Eventos

Brasil: Salão da Mobilidade Elétrica movimentou milhões em investimentos

Idealizado para disseminar a mobilidade elétrica no País, o VE – Veículo Elétrico Latino-Americano, conhecido como o Salão da Mobilidade Elétrica, encerrou a sua 17ª edição no sábado (3), no Expo Center Norte, em São Paulo. O evento, que começou dia 1º, movimentou mais de R$ 60 milhões em negócios, recebeu cerca de 3 mil visitantes diários, e contou com a participação de mais de 50 marcas, que expuseram veículos pesados, leves, levíssimos, além de componentes, soluções em infraestruturas de geração de energia e recarga, serviços de compartilhamento, crédito de carbono, entre outros. No mesmo pavilhão, aconteceu o C-MOVE – Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos, dedicado a profissionais do setor e que teve a participação de cerca de 500 congressistas. O Congresso proporcionou, aos congressistas inscritos, que se dividiram nos dois dias de palestras, a oportunidade de assistir a 27 horas de conteúdo, apresentadas por 130 especialistas, que abordaram os desafios da América Latina para a eletrificação de suas frotas, as principais tendências em mobilidade elétrica no Brasil e no mundo, além de painéis dedicados aos segmentos de Levíssimos, Leves e Pesados, Componentes, Infraestrutura e Serviços. (InsideEVs – 06.09.2022) 
Link Externo