IFE
15/03/2023

IFE Mobilidade Elétrica 146

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Carolina Tostes e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
15/03/2023

IFE nº 146

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Carolina Tostes e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Mobilidade Elétrica 146

Políticas Públicas e Regulatórias

Brasil: PL pode tornar obrigatória a instalação de eletropostos em rodovias federais

O Brasil tem cerca de 3 mil eletropostos (pontos de recarga de veículos elétricos), mas um Projeto de Lei (PL) planeja obrigar que todos os postos de combustível em rodovias federais, as "BR", tenham também carregadores. De acordo com a Agência Senado, o PL 392/2023, da senadora Eliziane Gama (PSD-MA), determina que os postos de abastecimento localizados em rodovias federais deverão ter pontos de recarga rápida para veículos elétricos, em até 12 meses após a aprovação da Lei. Contudo, o projeto ainda está na fase inicial. Foi proposto em 9 de fevereiro e aguarda publicação. Com isso passa pela análise de comissões no Senado e na Câmara. Só então vai à votação nas duas Casas, antes da sanção presidencial. De acordo com o texto, a atuação do governo "é fundamental para tornar o carro elétrico um sucesso". Seja ao permitir que "donos desses veículos possam usar as rodovias federais sem enfrentar problemas com a autonomia", bem como ao fornecer crédito para que os donos de postos instalem as estações de recarga. (O Estado de São Paulo – 09.03.2023) 
Link Externo

ABVE/Adalberto Maluf: Impostos altos também são barreiras à difusão de VEs

O presidente da ABVE, Adalberto Maluf, destaca que, ainda que a incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) nos elétricos tenha se reduzido no ano passado, ainda é superior em relação aos veículos com motor a combustão. “Um carro 1.0 flex, por exemplo, paga 3,27%, enquanto o imposto do automóvel movido a bateria é de até 10%”, revela. “Baixar um pouco mais seria um estímulo para as vendas.” (O Estado de São Paulo - 08.03.2023)  
Link Externo

Elev/Ricardo David: Expansão de VEs depende de uma política nacional de eletromobilidade

Uma das principais reivindicações do setor de mobilidade elétrica está na esfera governamental, como a criação de uma política nacional de eletromobilidade. A iniciativa daria mais confiança e suporte a todos os integrantes da cadeia produtiva, como fabricantes, concessionárias, provedores de infraestrutura e usuário. “Com o esforço integrado, entre governos federal, estaduais e municipais, essa política atuaria na disseminação dos benefícios da mobilidade elétrica nos grandes centros urbanos, como desoneração dos custos de logística embutidos nos preços ao consumidor final e diminuição nas tarifas de transporte público, permitindo maior inclusão social”, afirma Ricardo David, sócio-diretor da Elev, empresa especializada em soluções para a mobilidade elétrica. Para ele, a melhoria na estrutura de impostos proporciona incentivos que motivariam maior inserção do veículo elétrico nos transportes públicos e de carga. “O Brasil precisa de estímulos para a produção nacional de veículos elétricos, o que ampliaria a oferta de empregos e a atração de novas tecnologias”, acredita. Segundo David, a elaboração de um marco legal da eletromobilidade seria outro avanço do setor, com o intuito de dar segurança jurídica aos investidores interessados no desenvolvimento do segmento. (O Estado de São Paulo - 08.03.2023)  
Link Externo

Alemanha: Polícia de Berlim contará com scooters elétricas em sua frota

A polícia de Berlim está adicionando quatro scooters BMW CE 04 totalmente elétricas ao seu esquadrão de motocicletas, juntando-se a 45 motocicletas BMW R 1200 RT adaptadas individualmente às necessidades da operação do governo. A BMW Motorrad equipa autoridades em todo o mundo com veículos para uma ampla variedade de aplicações, como polícia, bombeiros, alfândega, escoltas e proteção civil. A BMW Motorrad é líder de mercado global no setor governamental há 10 anos. Como os veículos de produção, os veículos oficiais também são construídos na BMW Motorradwerk em Berlim e integrados ao processo de produção em série. A BMW Motorrad é a única fabricante que, além da produção, também realiza o desenvolvimento dos componentes oficiais, bem como a homologação dos veículos e do próprio equipamento oficial. (Green Car Congress - 12.03.2023) 
Link Externo

América do Sul: Países aumentam esforços para produzir baterias e VEs

Dado o avanço global da transição energética, os países da América do Sul começam a intensificar os esforços para se tornarem mais que meros exportadores de lítio, aproveitando seus recursos e capacidade industrial para produzir baterias e VEs. Bolívia, Argentina e Chile, nessa ordem, possuem as maiores reservas de lítio do mundo, um metal que é fundamental para a produção de baterias. Já o Brasil, fez descobertas recentes de amplas reservas de lítio e começará a acentuar sua participação nesse mercado a partir deste ano, despontando também como um dos grandes produtores globais. Uma reportagem recente da Bloomberg, apontou o potencial da região nesse campo e também os esforços para ir além de meros países exportadores de lítio, principalmente no caso de Brasil e Argentina, que possuem capacidade e recursos para produzir baterias e veículos elétricos para atender aos mercados domésticos e também para exportação, se tornando um hub regional de mobilidade elétrica, segundo Fernanda Ávila, secretária de mineração da Argentina. Ela disse em uma entrevista que era hora de se preparar para o futuro e ser capaz de se adaptar, começando talvez com células, trabalhando em direção à industrialização e, eventualmente, alcançando as baterias finalizadas. (Inside EVs - 13.03.2023) 
Link Externo

México: Reorganização das cadeias globais de valor favorece o país

As tendências globais de reorganização das cadeias de suprimento estão favorecendo o México. O país vem atraindo grandes empresas interessadas em se aproximar de seus clientes e consumidores nos EUA. Nas últimas semanas, BMW e Tesla anunciaram que fabricarão VEs no país. Os EUA veem com simpatia a chegada das empresas ao México. Numa reunião que manteve com López Obrador em janeiro, na Cidade do México, o presidente americano, Joe Biden, ofereceu ao governo mexicano cooperação na montagem de equipes de alto nível para estimular instalação de fábricas de chips no país. Em 2022, o México atraiu US$ 35 bilhões em investimentos estrangeiros diretos de acordo com dados oficiais. (Valor Econômico - 07.03.2023) 
Link Externo

Indonésia: Criação de programa de subsídios para VEs

O governo indonésio anunciou recentemente a criação de um programa de subsídios para carros elétricos, scooters e ônibus em seu último movimento para impulsionar a adoção de veículos elétricos no país e ajudar a fechar acordos de investimento com fabricantes globais de veículos elétricos, como a americana Tesla e a chinesa BYD. De acordo com o programa que entrará em vigor em 20 de março, a compra de uma scooter elétrica será elegível para um subsídio de 7 milhões de rúpias (cerca de US$ 460). A mesma quantia será oferecida aos consumidores que converterem scooters com motor de combustão interna em elétricas. Autoridades disseram que o governo está preparando o subsídio para um total de 250 mil e-scooters este ano. Também serão concedidos subsídios para cada compra de VEs e ônibus. O governo se prepara para subsidiar a compra de até 35.900 VEs e 138 ônibus elétricos em 2023. (Valor Econômico - 07.03.2023) 
Link Externo

União Europeia: Aprovação formal da proibição de carros a combustão é adiada

A União Europeia adiou a aprovação formal do acordo para proibir a comercialização de veículos a combustão a partir de 2035, incluindo os de gasolina, diesel e híbridos, já que as dúvidas expressas pela Alemanha e Itália poderiam colocar em risco a adoção da nova norma. O acordo estabelece que todos os carros de passeio e vans novos que sejam comercializados no mercado comunitário sejam "zero emissões" a partir de 2035. A Comissão Europeia está analisando as preocupações expressas antes de tomar uma posição e responder se podem ser apresentadas alternativas em linha com o que Berlim exige. A legislação possui uma "cláusula de revisão" para avaliar o ritmo de cumprimento dos objetivos e possíveis ajustes se houver avanços tecnológicos que permitam isso. (Energias Renovables – 06.03.2023) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

BP Pulse: Novo hub carregamento é inaugurado no Reino Unido

A BP Pulse abriu seu maior e mais poderoso hub de carregamento de EV no Reino Unido. O novo hub em Kettering, North Northamptonshire, construído pela The EV Network e operado pela BP Pulse, tem uma capacidade instalada de 3 megawatts e possui dez carregadores de 300 kW. O novo hub é capaz de carregar até 20 veículos simultaneamente, como anuncia a BP, com uma capacidade de 150 kW. A BP observa que isso é suficiente para carregar um alcance de até 100 milhas, como a distância de Kettering a Londres, em apenas 15 minutos. “É o nosso maior e mais poderoso hub de carregamento de EV até agora. Os clientes dizem que a energia é mais importante do que o número de pontos de carregamento”, disse Akira Kirton, vice-presidente da bp pulse UK, acrescentando: “É por isso que estamos nos concentrando em expandir nossa infraestrutura de carregamento ultrarrápido, usando a mais recente tecnologia para garantir confiabilidade e projetado para acompanhar as velocidades de carregamento das baterias dos veículos à medida que avançam.” (Electrive - 06.03.23) 
Link Externo

Continental: Desenvolvimento de carregadores para VEs

Acompanhando o avanço da mobilidade elétrica, a Continental Pneus iniciará nos próximos meses a instalação de carregadores para carros elétricos. O destaque dessa iniciativa é que a fabricante alemã de pneus é a primeira do segmento a oferecer esse pacote de serviços no país e o projeto é também pioneiro para a marca em âmbito mundial. Tudo isso motivado pelo crescimento das vendas de modelos eletrificados. A Continental também planeja ampliar a utilização de painéis solares em suas revendas, tanto de pneus de passeio como de carga. E essa é uma iniciativa que está alinhada à estratégia global Vision 2030 da Continental para fomentar a mobilidade sustentável. Os parceiros escolhidos são a WEG Electric Mobility, que fornecerá a linha de carregadores WEMOB, e a Solstício Energia, que proverá os painéis solares. (Inside EVs - 10.03.2023) 
Link Externo

DCS e Smart: Cooperação para o compartilhamento de serviço de carregamento

A Digital Charging Solutions (DCS) iniciou sua cooperação com a Smart na Europa. Os clientes da Smart Europe terão acesso à rede de carregamento da DCS de mais de 460.000 pontos de carregamento, e os compradores do Smart #1 receberão o cartão de carregamento DCS gratuitamente. A cooperação entre as duas empresas não é surpreendente, já que a acionista da Smart, a Mercedes-Benz, tem uma participação na Digital Charging Solutions e usa a solução de marca branca da DCS para seu próprio serviço de carregamento. “A infraestrutura de carregamento na estrada é tão importante quanto as soluções de carregamento em casa. Um fator-chave no avanço da mobilidade verde é dar aos motoristas de veículos elétricos o melhor suporte possível no acesso à rede de carregamento. Na DCS, a smart encontrou um parceiro que não apenas compartilha essa mentalidade, mas também pode entregar”, diz Bernd Vollmayr, Diretor de Produtos da Digital Charging Solutions. (Electrive - 07.03.23) 
Link Externo

Engie, SANEF e Ceva: Infraestrutura para caminhões movidos à energia alternativa

A Engie, a Ceva Logistics e a SANEF anunciaram uma joint venture para desenvolver infraestrutura de caminhões movidos a energia alternativa. A nova empresa, chamada European Clean Transport Network Alliance, será responsável por implantar e operar infraestrutura de recarga para caminhões elétricos e de hidrogênio em toda a Europa. O objetivo é fornecer uma solução de logística sustentável para as empresas que transportam mercadorias em toda a Europa, reduzindo as emissões de carbono. A empresa pretende implantar a infraestrutura de carregamento em etapas, começando com um estudo de viabilidade na França e se expandindo para outros países europeus. A joint venture é um exemplo da crescente colaboração entre empresas de energia e logística para desenvolver soluções sustentáveis ​​para o transporte de mercadorias. (Electrive - 10.03.23) 
Link Externo

Ford: Novo ônibus escolar elétrico baseado na van de carga E-Transit

A Ford está construindo ônibus escolares elétricos. A montadora está oferecendo um pacote de ônibus escolar elétrico Tipo A com base em sua van comercial E-Transit mais vendida. A Ford diz que o E-Transit é a primeira van de uma montadora de linha completa a oferecer um ônibus escolar Tipo A em um trem de força elétrico. O E-Transit já está se preparando para ser uma van elétrica revolucionária, economizando mais de 745.000 galões de gasolina após seu primeiro ano no mercado. São mais de 4,3 milhões de kg de CO2 evitados. Em comparação com as vans de entrega tradicionais movidas a gasolina, a Ford diz que dirigir seu E-Transit de teto baixo pode economizar 57% da emissão de CO2 durante a vida útil do veículo. (Electrek - 09.03.2023) 
Link Externo

GM e Samsung: Parceria para produção de baterias cilíndricas

De acordo com várias reportagens que circulam, espera-se que a General Motors anuncie uma nova parceria de eletrificação com a Samsung SDI para a produção de baterias cilíndricas. As reportagens, baseadas em fontes não oficiais, dizem que as duas empresas podem assinar um Memorando de Entendimento (MOU) esta semana. Relatórios não oficiais sugerem que o acordo da GM-Samsung SDI resultará em uma fábrica de joint venture localizada em Michigan, que poderá ter uma capacidade anual de fabricação de 30-50 GWh de células de bateria (suficiente para 300.000-500.000 veículos elétricos, assumindo 100 kWh/carro). Uma fábrica desse tipo custaria pelo menos alguns bilhões. (Inside EVs - 08.03.2023)  
Link Externo

Hyundai: Novo sistema ajusta altura do carro para proteger baterias

Divisão de mobilidade inteligente do grupo Hyundai, a Hyundai Mobis anuncia nesta semana a criação de sistema capaz de ajustar automaticamente a altura de condução do veículo elétrico. Batizado de Controle Eletrônico de Nivelamento (ELC), o dispositivo tem funcionamento semelhante ao de um sistema de suspensão pneumática e ajuda diretamente na proteção das baterias e na ampliação dos índices de autonomia. De acordo com a empresa, o ELC usa uma bomba hidráulica elétrica para controlar a altura do veículo a partir de todas as quatro rodas, com sensores que detectam mudanças na altura do carro durante a rodagem. Depois de analisar a velocidade de condução e o peso bruto do veículo, o sistema controla automaticamente a altura em até 6 cm, permitindo também que o motorista o faça manualmente conforme necessário. (Inside EVs - 08.03.2023)  
Link Externo

Nio: Inauguração de estação de troca de baterias na Dinamarca

A fabricante chinesa de carros elétricos Nio encomendou sua primeira estação de troca de baterias na Dinamarca. O local está localizado na rodovia E20 em Slagelse, no oeste da principal ilha dinamarquesa da Zelândia, a cerca de 100 quilômetros a sudoeste de Copenhague. Vai demorar algum tempo até que haja uma rede igualmente densa de estações de troca de baterias Nio na Europa como na China. Os clientes da Nio, portanto, ainda dependem do carregamento com fio para seus veículos. O cartão de carregamento europeu da Nio lhes dá acesso a 388.000 estações de carregamento de fornecedores terceirizados. “O que podemos ver é que o feedback dos usuários sobre todos os aspectos do test drive é muito bom, e nossa equipe está gradualmente entrando no caminho certo. Mas, em geral, temos que acelerar a infraestrutura”, disse William Li, fundador, presidente e CEO da empresa, acrescentando: “Nossos colegas estão trabalhando duro, mas isso está um pouco mais longe do nosso plano original.” (Electrive - 07.03.23) 
Link Externo

Nissan: Desenvolvimento de novo sistema híbrido E-Power

A Nissan está adotando uma nova abordagem para desenvolver trem de força que integra tecnologia de emissão zero e híbrida. A empresa estima que a nova abordagem economizará até 30% nos custos de desenvolvimento em 2026 em comparação com 2019. O sistema híbrido E-Power da montadora poderia, assim, alcançar a paridade de preços com os veículos ICE dentro de três anos. Seu protótipo de acionamento VE é chamado de trem de força 3 em 1, que modulariza o motor, o inversor e o redutor. Um protótipo 5 em 1 planejado também modulariza o gerador e o “increaser”, também conhecido como motor de combustão, e designa o novo sistema e-Power. A estratégia Nissan Ambition 2030 vê a corporação japonesa visando uma linha de 27 novos modelos eletrificados, incluindo 19 VEs, até o ano fiscal de 2030. (09.03.23) 
Link Externo

Tesla e Gireve: Acordo visa melhorar participação em serviços de carregamento

A Tesla se juntou à plataforma de roaming francesa Gireve, que permite que a fabricante de carros elétricos faça parceria com provedores de serviços de mobilidade eletrônica conectados à plataforma para dar a eles acesso aos seus Superchargers. A primeira plataforma que permite o acesso à rede de carregamento Supercharger da Tesla é o Chargemap. Os proprietários de um Tesla ou outro EV agora podem usar seu Chargemap Pass para carregar em um Supercharger. O serviço está limitado à França por enquanto. Ainda assim, a compatibilidade do Chargemap Pass em breve será estendida a todos os Superchargers aprovados para carros totalmente elétricos no resto da Europa. “À medida que nos esforçamos para promover a interoperabilidade e as redes abertas, é um passo fundamental para nós recebermos a Tesla em nossa plataforma”, disse o CEO da Gireve, Eric Plaquet. “Continuaremos a concentrar nossa energia em fornecer atendimento ao cliente de alto nível e ferramentas sofisticadas para facilitar o roaming entre parceiros na maior medida possível.” (Electrive - 08.03.23) 
Link Externo

Indústria Automobilística

Anfavea: Panorama do mercado de VEs em fevereiro

A Anfavea divulgou nesta segunda (6/3) o balanço mensal do mercado automotivo no Brasil. As vendas como um todo cresceram 5,4% no bimestre em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o segmento de eletrificados (híbridos e elétricos) avançou expressivos 45% na mesma base de comparação. Desse modo, o segmento de modelos eletrificados vai bem e continua avançando a passos largos, impulsionado pela crescente oferta de modelos e maior procura por veículos elétricos e híbridos. Em fevereiro foram emplacados 4.300 eletrificados, uma redução de 4,4% na comparação com janeiro, mas um crescimento de 23,7% em relação ao mesmo mês de 2022, quando foram vendidas 3.500 unidades de modelos elétricos e híbridos. O destaque de fevereiro é mesmo a participação dos eletrificados no mercado automotivo, que atingiu 3,6%, o melhor resultado histórico. Além disso, a Anfavea divulgou estimativa que aponta para um crescimento de 40% nos emplacamentos deste segmento em relação ao ano passado - esta é a primeira vez que a Anfavea divulga uma estimativa de vendas para os eletrificados. (Inside EVs - 07.03.2023)  
Link Externo

Marcopolo: Produção dos primeiros ônibus totalmente elétricos da marca

A Marcopolo, fabricante brasileira de ônibus, anunciou recentemente que está produzindo os primeiros modelos do ônibus 100% elétrico desenvolvido pela sua engenharia. A empresa divulgou que a linha de produção da fábrica de Caxias do Sul (RS) começa a montar no mês de março o primeiro lote de 30 ônibus elétricos da marca. Até o fim do ano serão, pelo menos, mais 100 unidades, todas para o mercado interno. A estratégia comercial da empresa é começar a colocar seus carros para rodar nas ruas de municípios menores e, por enquanto, não disputar sozinha as grandes capitais. Os protótipos estão na fase final de testes, inclusive em outros países. A empresa já produz no Brasil outros modelos elétricos, mas em parceria. Como, por exemplo, com a chinesa BYD. (Valor Econômico - 08.03.2023) 
Link Externo

Honda: Nova plataforma autônoma voltada para o desenvolvimento de VEs

A Honda está se movendo para recuperar o tempo perdido na transição para um futuro de carros elétricos. No entanto, a montadora japonesa acredita que os modelos com motores de combustão ainda estarão presentes até 2040, ou além disso. Entre outras coisas, Mibe falou que a Honda está explorando possibilidades em vários campos, o que inclui de carregadores e baterias avançadas a veículos aéreos e foguetes, bem como novos combustíveis sintéticos de baixo carbono que poderiam dar uma sobrevida aos motores de combustão para aplicações específicas: carros de alto desempenho, caminhões e aviões - por mais uma década ou duas. E falando da mobilidade elétrica, a Honda vai colocar em operação a partir do mês que vem uma divisão autônoma para cuidar do desenvolvimento de veículos elétricos a bateria, o que significa maior agilidade nos projetos e criação de uma infraestrutura de carregamento. (Inside EVs - 06.03.2023)  
Link Externo

Lion Electric: Panorama do mercado de eletrificados para 2022

A Lion Electric ultrapassou oficialmente 10 milhões de milhas percorridas, de acordo com os ganhos do quarto trimestre da fabricante de veículos elétricos comerciais divulgados na sexta-feira. A fabricante de ônibus elétricos, caminhões e ônibus escolares dobrou a receita em um trimestre recorde, já que o total de veículos elétricos na estrada se aproximava de 1.000. A empresa assinou acordos com vários clientes importantes na América do Norte, inclusive para seus caminhões elétricos (Amazon, Ikea) e ônibus (First Student, LA USD, STA, National Express, ZUM). Para tornar mais fácil para as empresas se tornarem elétricas, a Lion Electric oferece uma solução completa, que inclui infraestrutura de carregamento, assistência de subsídios, financiamento, treinamento, manutenção e muito mais. A Lion Electric entregou 174 veículos no quarto trimestre , gerando US$ 46,8 milhões em receita, mais do que dobrando em relação ao ano anterior de US$ 22,9 milhões no quarto trimestre de 2021, à medida que a empresa aumenta suas capacidades de fabricação. (Electrek - 10.03.2023) 
Link Externo

Mercedes: Construção de rede própria de carregadores rápidos

A Mercedes anunciou que construiria sua própria rede de HPC com mais de 10.000 pontos de carregamento na CES em janeiro de 2023. As estações devem oferecer até 350 kW de potência de carregamento cada uma e ser acessíveis ao público. No entanto, os clientes da Mercedes devem ter acesso preferencial, por exemplo, ao poder reservar pontos de carregamento. O desenvolvimento deve começar no quarto trimestre de 2023 nos EUA e nos países europeus da Alemanha e da França. A Mercedes vê seus próprios parques de carregamento rápido como um complemento à infraestrutura geral, então é improvável que a rede se torne tão densa que as viagens de longa distância sejam apenas (convenientemente) possíveis com as estações de carregamento da Mercedes. “A infraestrutura de carregamento ainda tem algum potencial”, disse Reiner ao DPA. “Definitivamente não seremos capazes de cobrir tudo com nossas estações de carregamento rápido.” (Electrive - 10.03.23) 
Link Externo

Mitsubishi Motors: Metas e estratégias para o mercado de VEs

A Mitsubishi Motors Corporation (MMC) revelou seu próximo plano de negócios de médio prazo. Este plano de três anos, apelidado de “Desafio 2025”, define a direção corporativa da MMC para reforçar o compromisso ambiental da empresa em direção a um futuro neutro em carbono, estabelecendo as bases de como a MMC trabalhará dentro da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi e outras alianças globais, e discutindo planos futuros para vários mercados globais. Sob o Desafio 2025, o próximo plano de médio prazo de três anos, a Mitsubishi Motors Corporation (MMC) acelerará os esforços em direção a um futuro neutro em carbono sustentável, possibilitado por meio de uma redução das emissões de CO2 dos veículos em 40% e uma redução no CO2 operacional em 50% até 2030. Além disso, a MMC se moverá para tornar 50% de vendas eletrificadas até 2030 e, em seguida, 100% da frota eletrificada até 2035. A MMC também prevê um investimento de 210 bilhões de ienes (US$ 1,5 bilhão) no fornecimento de baterias para atingir sua meta de vendas de veículos elétricos em 2030. (Green Car Congress - 11.03.2023) 
Link Externo

NIO: Panorama do mercado de eletrificados para 2022

Nio apresentou seus resultados financeiros para 2022. A fabricante chinesa de EVs conseguiu aumentar suas entregas e vendas. No entanto, a perda anual também cresceu significativamente, provavelmente devido ao custo de desenvolvimento de novos modelos e à expansão da empresa. A Nio entregou 122.486 EVs no ano passado, 34% a mais do que em 2021. Sua receita de 2022 foi de cerca de 49,3 bilhões de yuans (US$ 7,1 bilhões), um aumento de 36% em relação ao ano anterior. Mas a perda para o ano financeiro foi de 14,4 bilhões de yuans (US$ 2,1 bilhões). Isso é quase 260 por cento a mais do que em 2021. O quarto trimestre se destacou de forma positiva. Com 40.052 veículos entregues, a Nio registrou de longe seu melhor resultado trimestral e, em comparação com o quarto trimestre de 2021, as vendas e a receita aumentaram mais de 60%. (Electrive - 08.03.23) 
Link Externo

Nissan: Redução dos custos do powertrains dos VEs

A Nissan está dobrando seus novos esforços para aumentar a produção de veículos elétricos. A montadora diz que sob sua nova abordagem de powertrain, os custos de desenvolvimento e fabricação serão reduzidos em 30% até 2026. A Nissan diz que desenvolveu um protótipo de trem de força 3 em 1, composto por motor elétrico, inversor e redutor, que planeja usar em seus veículos elétricos. Vale lembrar que a Nissan anunciou planos no mês passado para acelerar sua estratégia de eletrificação “Ambition 2030”, inicialmente introduzida em 2021. A estratégia atualizada inclui o lançamento de 19 novos VEs até 2030, acima dos 15 esperados anteriormente, e maiores vendas de elétricos nos principais mercados. (Electrek - 09.03.2023) 
Link Externo

Stellantis: Conversão de fábrica para produção de VEs na Itália

A fábrica da Stellantis em Cassino, Itália, onde os veículos das marcas Alfa Romeo e Maserati saem da linha de produção, no futuro também produzirá veículos elétricos baseados na plataforma STLA Large, que é especialmente projetada para BEVs. “A fábrica da Cassino tem uma rica história de inovação e tecnologia”, disse o CEO da Stellantis, Carlos Tavares, durante uma visita à fábrica. “Os veículos que estamos projetando nas plataformas STLA revolucionarão a experiência de condução com recursos e capacidades de ponta, por isso confiamos nos trabalhadores qualificados e no gerenciamento do site da Stellantis para dominar nossas metas ousadas de custo e qualidade.” O STLA Large é uma plataforma de 800 volts projetada para baterias que variam de 101 a 118 kWh. Espera-se que os veículos estejam entre 4,70 e 5,40 metros de comprimento e entre 1,90 e 2,03 metros de largura. A Cassino é a segunda fábrica da Stellantis a produzir veículos elétricos na plataforma STLA Large, depois da fábrica de montagem de Windsor no Canadá. (Electrive - 10.03.23) 
Link Externo

Stellantis: Nova plataforma de produção de VEs promete maior autonomia

Até 800 quilômetros de autonomia. Esta é a promessa da STLA Large, uma das novas plataformas dedicadas para carros elétricos da Stellantis, que está se preparando para entrar em produção. O grupo automotivo está anunciando a produção da arquitetura em sua fábrica Cassino, no Lazio, Itália. Assim, após anos de produção de carros de marcas premium como Alfa Romeo e Maserati, a fábrica italiana estenderá suas atividades às plataformas BEV. Entretanto, a Stellantis ainda não especifica quais modelos irão compartilhar a STLA Large. Novas informações virão "em uma etapa posterior". a STLA Large é apenas uma das quatro plataformas nas quais o grupo está baseando sua estratégia Dare Forward 2030, que tem o objetivo de aumentar a participação dos carros elétricos vendidos na Europa para 100% e zero emissões até 2038. (Inside EVs - 09.03.2023)  
Link Externo

Tesla: Nova redução de preços nos EUA

A Tesla reduziu novamente os preços de seus modelos nos Estados Unidos. Os preços do Model 3, Model Y e Model S foram reduzidos em até US$ 5.000, enquanto o preço do Model X permaneceu inalterado. Isso marca a terceira vez que a Tesla reduz seus preços em 2023, após reduções em janeiro e fevereiro. O artigo especula que a Tesla está buscando manter suas vendas em alta e reduzir os estoques antes do lançamento do novo Model X e do Model S Plaid +. Além disso, a redução de preços pode ser uma estratégia para se manter competitiva em um mercado de veículos elétricos cada vez mais concorrido. (Electrive - 07.03.23) 
Link Externo

Tesla: Fábrica no México pode ser a maior do mundo na produção de elétricos

O anúncio oficial de que a Tesla vai construir uma enorme fábrica no México foi feito na semana passada, na quinta-feira (02/03). Agora, poucos dias depois, temos mais informações a respeito do complexo fabril que deverá ser o maior do mundo na produção de veículos elétricos, sendo ainda a quinta fábrica da Tesla. De acordo com informações da Reuters, a fábrica da Tesla ficará localizada na cidade de Santa Catarina, região metropolitana de Monterrey, que fica no estado de Nuevo Léon – região norte do México que é bastante estratégica, já que está próxima da fronteira com os Estados Unidos. A agência de notícias afirma que a nova fábrica vai ocupar uma área de nada menos do que 1.700 hectares, o que é 68% maior do que a fábrica da Tesla no Texas. A reportagem indica ainda que a construção da fábrica será iniciada a partir do final de maio, o que vai exigir um investimento inicial de US$ 5 bilhões e assim gerar 5.000 empregos diretos. Esse montante subirá para US$ 10 bilhões e 10.000 colaboradores quando a sua capacidade máxima for atingida. Quando a fábrica estiver pronta, além da produção de diversos veículos da Tesla, a unidade será responsável também pela produção de componentes como sistemas de propulsão para os demais modelos da marca, assim como baterias. (Inside EVs - 07.03.2023)  
Link Externo

Volkswagen: Elevação da meta de vendas de VEs na Europa

A Volkswagen anunciou um novo e mais ambicioso objetivo de vendas na Europa, que aumentará a participação de veículos movidos a bateria emplacados para 80% até 2030. A meta anterior era de 70% e foi estabelecida em 2021 com a estratégia Accelerate. Agora, no entanto, a empresa quer fazer melhor e se dar outros 10%, necessários para enfrentar a concorrência cada vez mais acirrada. Explicando a aceleração está Thomas Ulbrich, chefe do setor de New Mobility do fabricante. "Dentro do Grupo, a marca Volkswagen sempre esteve na vanguarda destas questões. Sentimo-nos obrigados a colocar nosso olhar tão alto", explica o executivo durante uma entrevista com a revista alemã Automobilwoche. Naturalmente, é preciso reconhecer que enfrentar o desafio não será fácil. Isto é evidente pelos números, que falam de uma participação de 10% no mercado de carros elétricos em 2022. 80% não está perto, mas Ulbrich acredita nisso: "A meta é extremamente ambiciosa. Este caminho mostra nosso compromisso com a estratégia de eletrificação." (Inside EVs - 07.03.2023)  
Link Externo

Volkswagen: Mudança de planos para fábrica de baterias na Europa, prioridade será os EUA

O Grupo Volkswagen está dando uma pausa em seus planos de construir uma fábrica de células de bateria na Europa Oriental, já que a América do Norte parece muito mais atraente. O fabricante de automóveis está priorizando uma instalação similar na América do Norte após estimar que poderia receber até US$ 10,6 bilhões em incentivos do governo norte-americano. A Volkswagen também está esperando a resposta da Europa à Lei de Redução da Inflação dos EUA (IRA) antes de avançar com os planos de construir novas fábricas de baterias na Europa, disse a montadora em 8 de março, de acordo com uma matéria do Financial Times. Espera-se que a Comissão Europeia publique nesta semana um Net Zero Industry Act como parte de sua resposta ao esquema verde dos EUA. Entretanto, uma versão preliminar não conseguiu impressionar os executivos da indústria de baterias, com uma queixa de "ausência de medidas concretas" e outro dizendo que as condições oferecidas pelos EUA são "muito mais interessantes". (Inside EVs - 10.03.2023) 
Link Externo

Problemas na cadeia de suprimentos faz com que startups de VEs esbarrem em desafios

Para muitas startups de carros elétricos, o ano passado foi marcado por problemas na cadeia de suprimentos e obstáculos à fabricação que interferiram nos esforços para os lançamentos. Agora, empresas jovens como Rivian Automotive, Lucid Group e Fisker enfrentam um desafio mais premente. Precisam corrigir operações de fábrica antes de esgotar reservas de caixa. Os resultados divulgados nas últimas semanas por esses fabricantes ilustraram a urgência da situação. Embora as empresas estejam produzindo atualmente, os prejuízos continuam aumentando, pois lutam para aumentar as linhas de montagem e as vendas conforme o planejado, queimando as reservas financeiras e elevando as chances de precisar captar mais recursos. Nos últimos anos, a atenção dos investidores a empresas que prometiam remodelar o segmento de automóveis estava alta na época e os mercados financeiros despejavam recursos no segmento elétrico, na esperança de encontrar a nova Tesla. Essas aspirantes a fabricantes de automóveis captaram bilhões de dólares antes de produzir ou vender um único carro. No entanto, o cenário piorou. A forte demanda por carros que ajudou a elevar os preços nos últimos anos começa a enfraquecer. (BroadCast Energia – 07.03.2023)  
Link Externo

T&E: Empresas consideram investir nos EUA e produção europeia de baterias está em risco

Mais de dois terços (68%) da produção de baterias de íon-lítio planejada para a Europa corre o risco de ser adiada, reduzida ou cancelada, de acordo com uma nova análise da ONG europeia Transport & Environment (T&E). Tesla em Berlim, Northvolt no norte da Alemanha e Italvolt perto de Turim estão entre os projetos que devem perder os maiores volumes de sua capacidade prevista, à medida que as empresas avaliam investir nos EUA. A T&E pediu apoio financeiro em toda a UE para aumentar a produção de baterias e processos de aprovação mais rápidos para capturar projetos em risco de subsídios americanos. A capacidade de produção de baterias equivalente a 18 milhões de carros elétricos – 1,2 TWh – corre um risco alto ou médio de ser interrompida ou perdida. Sem essa expansão, a Europa não conseguirá atender sua demanda de baterias em 2030 e precisará importar de rivais estrangeiras. A T&E usou informações publicamente disponíveis para avaliar as 50 gigafábricas anunciadas na Europa com base em seus financiamentos e licenças, se haviam garantido uma localização e os vínculos das empresas com os EUA. Alemanha, Hungria, Espanha, Itália e Reino Unido são os que mais perderão se os fabricantes de baterias mudarem seus planos. A participação global da Europa em novos investimentos na produção de baterias de íons de lítio caiu de 41% em 2021 para apenas 2% em 2022, de acordo com a BloombergNEF. (Green Car Congress - 07.03.2023) 
Link Externo

Meio Ambiente

99: Carro elétrico permite economia aos motoristas de aplicativo

O carro elétrico ainda é mais caro que um equivalente a combustão, mas como o custo por quilômetro rodado é bem menor, quem dirige por longas distâncias diariamente, que é o caso dos motoristas de aplicativo, consegue reduzir em até 80% os gastos com abastecimento em comparação ao uso de combustível fóssil. Esse dado é o resultado de testes realizados pela 99, que analisou mais de 550.000 km rodados com carros eletrificados (elétricos e híbridos) entre abril de 2022 e fevereiro de 2023, considerando também o custo médio do combustível e da tarifa residencial de energia elétrica no período. As análises são fruto da Aliança pela Mobilidade Sustentável, parceria liderada pela 99 e outras 12 empresas de diversos segmentos, cujo objetivo é democratizar o uso de veículos eletrificados no Brasil e ampliar a infraestrutura de carregamento. Além da vantagem financeira para o motorista parceiro, a 99 informa que eles têm alcançado melhores notas dos passageiros no aplicativo, que ficam entre 4.9 e 5.0. Prova disso é que os condutores têm recebido mais gorjetas no final das corridas. (Inside EVs - 08.03.2023)  
Link Externo

ESG: Purolator vai investir na eletrificação de frota de veículos

A Purolator, fornecedora líder de soluções integradas de frete, embalagem e logística do Canadá, espera investir aproximadamente US$ 1 bilhão para eletrificar sua rede canadense nos próximos sete anos. Isso inclui um plano para comprar mais de 3.500 veículos de entrega de última milha totalmente elétricos e a eletrificação de mais de 60 terminais em todo o Canadá. Esse compromisso também marca o maior investimento em rede nos 63 anos de história da Purolator, com mais de US$ 100 milhões a serem investidos apenas em 2023. O investimento da Purolator na sustentabilidade ambiental, incluindo a eletrificação de 60% da sua frota, deverá reduzir as suas emissões de gases com efeito de estufa em 2030 em 80.000 toneladas de dióxido de carbono equivalente (CO2e). A Purolator espera adicionar mais de 100 veículos totalmente elétricos à sua frota este ano e mais 150 em 2024. (Green Car Congress - 10.03.2023) 
Link Externo

Irã: País pode se tornar o segundo maior extrator de lítio do mundo

Uma grande reserva de lítio descoberta no Irã deve despontar o país do oriente médio como o segundo maior extrator de lítio do mundo. Localizada em Qahavand, província de Hamadan, a jazida descoberta no Irã tem potencial de gerar 8,4 milhões de toneladas de lítio, metal que é essencial para as baterias que equipam boa parte dos carros elétricos à venda globalmente. Vale lembrar que a maior produção de lítio no mundo está nas mãos de países como Austrália, Chile, China, Argentina e o Brasil – que entrará para o mercado global de lítio para baterias ainda este ano. Isso vai ocorrer por meio da mineradora Sigma, que começará a operar em Minas Gerais e já em 2023 tem previsão de produzir 270 mil toneladas do metal. Voltando ao Irã, caso as previsões sejam confirmadas pelas primeiras exportações, isso colocaria o país na segunda posição entre as nações com recursos de lítio, ficando logo atrás do Chile. Como é de se esperar, a descoberta das grandes jazidas de lítio no Irã certamente deverá atrair os fabricantes de veículos, bem como demais empresas especializadas em mineração para dar início às primeiras minas daqui a alguns meses. (Inside EVs - 11.03.2023) 
Link Externo

Prairie Lithium: Investimentos em tecnologia de extração direta de lítio

A Prairie Lithium está recebendo $ 1.074.000 CAD do programa Critical Mineral Research Development and Demonstration (CMRDD) da Natural Resources Canada (NRCan) para o desenvolvimento de sua tecnologia de extração direta de lítio (DLE). O financiamento, juntamente com os fundos equivalentes da Prairie Lithium, serão investidos no desenvolvimento da tecnologia DLE proprietária da empresa nos próximos 12 meses. A tecnologia é um material de troca iônica que extrai seletivamente o lítio da salmoura. O material é altamente seletivo para o lítio e foi desenvolvido especificamente para trabalhar com salmouras subterrâneas produzidas na área de recursos da Prairie Lithium. A tecnologia pode ter uma aplicação global, com o processo sendo testado atualmente em recursos de lítio de outras jurisdições. (Green Car Congress - 08.03.2023) 
Link Externo

Eventos

Electric Days Brasil: BNDES falará sobre apoio a eletrificação da indústria

A transição para a mobilidade elétrica não acontecerá do dia para a noite. Há anos as fabricantes estão investindo bilhões de dólares em pesquisa, desenvolvimento e produção de veículos elétricos. Este é um dos pontos da discussão sobre o futuro da indústria no Brasil, e que será o tema de uma discussão especial do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) e da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industria (Embrapii) durante o Electric Days Brasil 2023, que acontecerá nos dias 20 e de 21 de Março em São Paulo (SP). No dia 21 de março, a partir das 10h20, Bruno Plattek de Araújo, Gerente Setorial do Departamento de Inovação, Indústria 4.0 e Manufatura da Área Industrial do BNDES fará uma conversa com Luciano Cunha de Sousa, Coordenador de Planejamento da Embrapii. O painel terá o tema “Instrumentos de apoio a projetos de eletrificação e inovação da indústria automotiva”. As duas organizações trabalham com formas de fomentar o desenvolvimento industrial e tecnológico no Brasil, com o financiamento do BNDES e apoio na pesquisa tecnológica por parte da Embrapii. Assim, são fundamentais para novas empresas no setor que estão investindo na eletrificação ou buscando formas de aproveitar a transição para oferecer novos produtos e serviços. (Inside EVs - 06.03.2023)  
Link Externo