IFE
07/02/2023

IFE ME 142

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Carolina Tostes e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
07/02/2023

IFE nº 142

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Carolina Tostes e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE ME 142

Políticas Públicas e Regulatórias

Brasil: Montadoras negociam limite às importações de elétricos

As montadoras instaladas no país devem apresentar ao governo federal nos próximos dias uma proposta de alteração do imposto de importação sobre os carros elétricos. No entendimento das fabricantes, a atual alíquota zero representa uma espécie de entrave às empresas que já possuem planos de produção local desses modelos. A proposta de modelo tributário ainda está em definição pela Anfavea, a associação que representa as montadoras. À reportagem, um interlocutor disse que a ideia é propor aumento gradual do tributo, segundo um cronograma a ser negociado em Brasília (DF). Além do escalonamento, existe uma possibilidade, ainda que remota, de se estabelecer um sistema que limitaria os volumes de carros elétricos que as empresas podem importar, novamente, em esquema gradual. As montadoras argumentam, ainda, que a produção local de modelos elétricos que seria estimulada pela restrição às importações aumentaria a arrecadação fiscal. (Automotive Business - 31.01.2023) 
Link Externo

Canadá: Investimento na expansão de infraestrutura de recarga

O Governo do Canadá anunciou investimentos federais totalizando quase US$ 15 milhões (US$ 11,2 milhões) para a instalação de mais de 2.350 carregadores de VE, 2.100 dos quais serão instalados na área metropolitana de Toronto (GTA). Este financiamento foi fornecido a 32 organizações, incluindo municípios, edifícios multi-residentes (MURBs), empresas privadas e serviços públicos. O financiamento federal será fornecido por meio do Programa de Infraestrutura de Veículos de Emissão Zero (ZEVIP) da Natural Resources Canada, que apóia a implantação de infraestrutura de carregamento e reabastecimento, bem como por meio do Programa de Demonstração de Infraestrutura de Veículos Elétricos que apóia demonstrações de carregamento EV inovador e de última geração e infraestrutura de reabastecimento de hidrogênio. Em apoio ao objetivo do governo de adicionar 50.000 novos carregadores de veículos de emissão zero (ZEV) à rede do Canadá, o Orçamento 2022 também forneceu US$ 900 milhões adicionais ao Natural Resources Canada e ao Canada Infrastructure Bank para continuar implantando a infraestrutura de veículos de emissão zero. (Green Car Congress - 04.02.2023) 
Link Externo

EUA: Aumento na frota de ônibus de emissão zero em 2022

O número de ônibus de trânsito sem emissão zero nos EUA teve um aumento de 66% desde 2021, de acordo com dados recém-divulgados. Foram financiados, encomendados e/ou entregues nos EUA em 2022 5.480 ônibus de trânsito de tamanho normal com emissão zero, de acordo com o relatório “Zeroing in on ZEBs”, da Calstart, organização sem fins lucrativos de defesa do transporte limpo. Isso se divide em 5.269 ônibus elétricos a bateria e 211 ônibus elétricos a célula de combustível. Em 2021, havia 3.168 ônibus elétricos com bateria de trânsito de tamanho normal e 129 ônibus elétricos com célula de combustível. Portanto, embora os ônibus elétricos com células de combustível sejam amplamente superados pelos ônibus elétricos a bateria, o primeiro aumentou 64% em 2022. (Electrek - 04.02.2023) 
Link Externo

Índia: Pico da demanda de combustíveis tradicionais pode refletir no aumento de VEs

Na Índia, embora a eletrificação tenha começado tarde, os analistas estão otimistas, os combustíveis tradicionais atingirão o pico da demanda já em 2030, contra uma previsão inicial que falava de 2040 como mínimo. Isso se deve aos investimentos que fabricantes e empresas estão fazendo no ecossistema de carros elétricos, como Tata, Mahindra e outras empresas que pretendem instalar 22.000 pontos de carregamento até 2030, inclusive nas rodovias. Obviamente, a política desempenha o seu papel, com o governo de Nova Deli a ter estabelecido a si próprio o objetivo de aumentar a quota de mercado elétrico para 30% até ao final da década. Entre as flechas na proa do país, os incentivos à compra. (Inside EVs - 30.01.2023)  
Link Externo

Inovação e Tecnologia

Freudenberg e LG ES: Acordo visa o fornecimento de módulos de bateria

A Freudenberg e-Power Systems (FEPS) e a LG Energy Solution (LGES) assinaram um contrato de vários anos para fornecer módulos de bateria de íons de lítio, resposta de Freudenberg ao aumento da demanda de seus clientes de caminhões e ônibus na América do Norte e na Europa. O que está claro é que os módulos fornecidos serão integrados pela Freudenberg e-Power Systems em suas baterias. Estes, por sua vez, se tornarão parte das soluções de acionamento da Freudenberg, incluindo gerenciamento de baterias, resfriamento, telemática e outros elementos relevantes. A FEPS enfatiza que os módulos de bateria encomendados à LGES são “particularmente adequados para uso em veículos comerciais devido às suas propriedades”. (Electrive - 02.02.23) 
Link Externo

Mobility House: Baterias de VEs podem participar do mercado de energia elétrica

A Mobility House (TMH) provou, pela primeira vez, que as baterias de veículos elétricos podem participar do comércio do mercado de energia e obter receitas de quatro dígitos por veículo. A Mobility House é baseada no Campus EUREF em Berlim, um centro para tentar soluções que possam aproximar a Alemanha de atingir suas metas climáticas. O resultado descrito acima foi obtido ao longo de seis meses com a TMH usando baterias de carros elétricos reais. O truque estava no software que ajudou a TMH a simular o comportamento real de condução e carregamento com base nos dados alemães médios de cada bateria. Em detalhes, a TMH simulou o carregamento/descarregamento por meio de uma caixa de parede de 11 kW e assumiu uma quilometragem média de 18.250 quilômetros (valor anual). A estratégia de carregamento e descarga levou em conta, entre outras coisas, os níveis mínimos de armazenamento na partida. Quando os veículos estavam conectados, a flexibilidade inerente ao carregamento e descarregamento das baterias poderia ser disponibilizada ao sistema de energia. (Electrive - 01.02.23) 
Link Externo

Nth Cycle: Importante produto de níquel utilizado em baterias será fabricado nos EUA

A empresa de refino de metais de Massachusetts, Nth Cycle, vai começar a produzir precipitado de hidróxido misto (MHP), um produto de níquel usado na produção de baterias de veículos elétricos, pela primeira vez nos EUA – eis por que isso é importante. Para que os veículos elétricos fabricados nos EUA se qualifiquem para o crédito fiscal de US$ 7.500 da Lei de Redução da Inflação, uma proporção dos minerais da bateria deve ser extraída ou processada nos EUA ou em seus países parceiros de livre comércio. A demanda por MHP disparou à medida que as montadoras aumentaram a produção de veículos elétricos. Mas a maior parte do MHP é tradicionalmente produzida na Indonésia, que não é um parceiro de livre comércio dos EUA, de modo que o fornecimento não é elegível para o IRA. Além disso, MHP tem sido tradicionalmente produzido na Indonésia com baixas concentrações dos elementos essenciais níquel e cobalto – 30-40% de níquel e apenas 1-10% de cobalto – e níveis inconsistentes de pureza. No entanto, o Nth Cycle diz que produzirá um produto MHP com mais de 90% de hidróxido de níquel-cobalto. (Electrek - 02.02.2023) 
Link Externo

Projeto TwinVECTOR: UE financiará parceiros visando o desenvolvimento de baterias

O projeto TwinVECTOR visa reunir a experiência europeia no desenvolvimento de baterias de próxima geração. A União Europeia está financiando o projeto com € 1,3 milhão durante um período de três anos. Quatro parceiros da Alemanha (KIT, BayFOR), Finlândia (VTT) e Áustria (AIT) estão participando do projeto sob a coordenação da Universidade Tomas Bata. Além de desenvolver e adquirir materiais sustentáveis obtidos em total conformidade com os padrões sociais e ambientais, a produção dessas baterias também deve se tornar mais sustentável. No entanto, não se trata apenas de sustentabilidade, mas também de requisitos do mercado: por exemplo, a densidade de energia deve continuar a aumentar, mas os custos para isso devem diminuir. O TwinVECTOR é financiado pelo chamado esquema de financiamento "Twinning" da UE, que apoia a cooperação institucional e o intercâmbio de "melhores práticas" entre as administrações públicas dos Estados-Membros da UE e os países beneficiários ou parceiros. (Electrive - 03.02.23) 
Link Externo

Stellantis: Grupo busca parceiros para desenvolver carros híbridos a etanol

A Stellantis, empresa que há um ano juntou os grupos Fiat Chrysler e Peugeot Citroën, anunciou na última terça-feira que vai criar, este ano, um sistema de parcerias, com a área acadêmica e empresas para desenvolver, no país, novas gerações de carros movidos com energias limpas. Um dos resultados da ação será a produção brasileira de veículos híbridos movidos a etanol. “Vamos juntar cabeças”, disse o presidente da Stellantis na América do Sul, Antonio Filosa, durante uma entrevista on-line com a imprensa. Segundo o executivo, a companhia já iniciou contatos com a área acadêmica. “Para aliar nosso conhecimento a novas ideias”, destacou. A partir daí, disse, serão negociadas parcerias, com startups, por exemplo. E, sem seguida, virá a fase de “incubação” de ideias e testes tecnológicos, que também envolverão o uso de etanol em sistemas elétricos. (Valor Econômico - 31.01.2023)  
Link Externo

Indústria Automobilística

ABVE: Vendas de eletrificados no Brasil cresceram em janeiro

O mercado de veículos eletrificados teve o melhor resultado histórico de vendas no Brasil para um mês de janeiro. Foram 4.503 unidades emplacadas de modelos elétricos, híbridos e híbridos plug-in no primeiro mês de 2023, segundo o levantamento da ABVE. Na comparação com o primeiro mês de 2022, o crescimento foi de 76% nas vendas, enquanto que na comparação com janeiro de 2021, o avanço foi de expressivos 241%. Ainda que o número represente uma queda de 19% em relação ao mês de dezembro de 2022, isso é relativo, já que o último mês do ano normalmente apresenta números mais altos de emplacamentos, e no caso do último mês de 2022, foi o segundo melhor resultado de toda a histórica para os veículos eletrificados. O que se observa recentemente, sobretudo nos últimos dois anos, é um crescimento sustentado das vendas de veículos eletrificados no país, bem como sua participação de mercado. (Inside EVs - 03.02.2023) 
Link Externo

ACEA: Vendas de veículos elétricos na Europa fecham 2022 em alta

Segundo dados da Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis (ACEA), as entregas de veículos eletrificados no último mês do ano atingiram 572.434 unidades. No último ano, foi atingido um volume de 1,57 milhões de unidades, que compara com os 1,21 milhões de unidades registados em 2021. O mercado europeu de veículos híbridos plug-in diminuiu 2,7% em termos homólogos, com 1,01 milhões de unidades, embora teve alta de 22,5% em dezembro, com volume de 325.916 unidades. Por seu turno, foram vendidos 18.421 veículos movidos a gás natural em todo o ano de 2022, o que representa um decréscimo de 57,6%. As matrículas de veículos elétricos na Europa cresceram 29,3% no último ano, com um volume de 1,57 milhões de unidades face às 1,21 milhões de unidades registadas em 2021. (Energías Renovables - 01.02.2023)  
Link Externo

BMW e Evergo: Expansão de rede de carregamento no México

A BMW está unindo forças com a Evergo no México para construir mais de 4.000 estações de carregamento públicas para veículos elétricos no país nos próximos cinco anos. As empresas alocaram um investimento de US$ 200 milhões e estão analisando o carregamento AC e DC. Em termos concretos, a BMW e a Evergo já inauguraram o que chamam de maior centro de carregamento público do México. O local da Cidade do México hospeda três carregadores CC de 50 kW (escaláveis para até 300 kW) e seis carregadores CA de 19 kW, ambos de acesso universal dentro do Metropoli Patriotismo Shopping Center. Além disso, a BMW i, como uma submarca do México, fornece a todos os seus clientes que compram um novo carro elétrico ou híbrido plug-in com uma caixa de parede para sua casa ou endereço de trabalho sem custo adicional desde 2014. De acordo com a empresa, isso resultou na instalação de 20.000 pontos de carregamento privados, representando 50% do total de instalações na América Latina. (Electrive - 01.02.23) 
Link Externo

Ford: Aumento na produção de March-E também conta com redução do preço de venda

A Ford está aumentando a produção de seu popular SUV elétrico Mustang Mach-E e reduzindo seu preço de etiqueta semanas depois que a Tesla reduziu os preços de seus veículos. A mudança representa uma reversão substancial dos aumentos de preços que a Ford anunciou no verão passado nos modelos de 2023 – mas os compradores ainda podem estar pagando um pouco mais do que antes dos aumentos. No final do ano passado, Darren Palmer, vice-presidente de programas de veículos elétricos da Ford, disse à CNN Business que o Mach-E estava completamente esgotado e que a montadora estava adiando o lançamento em mais mercados globais para atender à demanda dos EUA. Os cortes de preços anunciados pela Ford na segunda-feira (30) foram maiores nas versões mais caras do SUV, assim como os aumentos foram maiores nesses modelos. (CNN Brasil - 30.01.2023)  
Link Externo

Ford: Panorama de vendas em janeiro registra queda na comercialização de VEs

As vendas de veículos elétricos da Ford Motor caíram em janeiro, mostrando como os compradores estão confusos sobre os novos incentivos fiscais e como não estão dispostos a pagar preços altos. Em janeiro, a Ford vendeu 5.247 veículos elétricos nos EUA, em comparação com 7.823 em dezembro, uma queda de 32,9%. As vendas do modelo F-150 Lightning somaram de 2.264 em janeiro, uma queda de 4% em relação aos 2.359 de dezembro. As vendas do Mustang Mach-E chegaram a 2.626, 45% abaixo dos 4.775 em dezembro. A Ford também vendeu 357 vans E-transit. (Valor Econômico - 02.02.2023) 
Link Externo

GM: Investimento em mina de lítio nos EUA é visando a produção de baterias

A General Motors investirá US$ 650 milhões em uma mina de lítio nos Estados Unidos, o maior investimento feito até hoje por uma montadora para garantir o suprimento das matérias-primas usadas em baterias de veículos elétricos. A empresa americana entrará com um investimento inicial de US$ 320 milhões até meados de 2023 em troca do direito exclusivo à primeira fase de produção de lítio na mina Thacker Pass, da Lithium Americas, no Estado de Nevada, e de quase 10% das ações da mineradora. Posteriormente, investirá mais de US$ 330 milhões. O anúncio chega enquanto a General Motors se prepara para ampliar sua linha de veículos elétricos, com a aceleração da produção do Cadillac Lyriq e do GMC Hummer neste ano e o lançamento de versões elétricas da Equinox, da Blazer e da picape Silverado. A empresa pretende produzir 400 mil veículos elétricos na primeira metade de 2024. As fabricantes de veículos elétricos começam a entrar em uma guerra de preços, o que aumenta a importância de manter os custos de produção dos veículos sob controle. (Valor Econômico - 01.02.2023) 
Link Externo

Nissan: Limitação no fornecimento de Ariya totalmente elétrico nos EUA

Devido aos altos custos de material da bateria, a Nissan informou às concessionárias dos EUA que só poderão vender um número limitado de modelos Ariya este ano. Espera-se que a Nissan aumente a produção do Ariya no final deste ano, disponibilizando cerca de 30.000 unidades nos EUA para o ano fiscal de 2023, que terá que durar até 31 de março de 2024. Até lá, as concessionárias da Nissan estão em perda, dizendo que não podem atender à demanda. O preço do Ariya totalmente elétrico nos EUA começa em 43.190 dólares e termina com o modelo premium em 60.190 dólares. A Nissan já havia adiado o lançamento no mercado do Ariya por vários meses em 2021 devido à escassez de chips. (Electrive - 03.02.23) 
Link Externo

Nissan: Nova bateria reduzirá custo dos VEs pela metade

A Nissan se prepara para introduzir uma nova tecnologia na indústria automotiva. De acordo com David Moss, vice-presidente sênior de pesquisa e desenvolvimento da Nissan na Europa, em entrevista à Autocar, a marca está atualmente estudando a viabilidade de baterias de estado sólido compostas de unidades internas do tamanho de um pequeno PC. O primeiro carro Nissan de emissão zero com baterias inovadoras de estado sólido deverá chegar ao mercado em 2028. Uma data aparentemente distante, mas justificada pelo roteiro preciso da marca para esta tecnologia, que prevê ter uma fábrica dedicada à produção deste tipo de célula operacional até 2025 e ter concluído o estudo de engenharia sobre esta tecnologia até 2026. Um plano muito ambicioso, que, no entanto, ainda não tem especificações precisas sobre o modelo de carro que realmente trará esta tecnologia para as ruas, mas que, olhando para as últimas informações divulgadas pela empresa, deve ser baseado em uma arquitetura completamente nova. (Inside EVs - 03.02.2023) 
Link Externo

Noruega: Panorama de vendas de janeiro aponta queda na comercialização de VEs

Menos de 2.000 carros de passageiros foram recentemente registrados na Noruega em janeiro, correspondendo a cerca de 6.000 a menos do que no mesmo mês do ano passado. Isso ocorreu depois que a Noruega atingiu um novo recorde em dezembro, com 32.714 carros de passageiros elétricos recém-registrados. Depois desse recorde, a participação de mercado de carros de emissão zero também sofreu um impacto, atingindo apenas 66,5 por cento. Em janeiro de 2022, a participação de mercado de EV era de 83,7%. No mês passado, um total de 1.236 novas baterias elétricas e um carro movido a hidrogênio chegaram às ruas na Noruega no mês passado. Isso é 81,4% a menos do que no ano anterior. Além disso, vieram 112 veículos elétricos importados usados, também quase 86% a menos do que em 2022. Ainda assim, o carro mais vendido na Noruega era totalmente elétrico. Com um total de 212 carros recém-registrados, o VW ID4 garantiu o topo do ranking do modelo, seguido pelo Toyota Yaris (160) e Skoda Enyaq (127). (Electrive - 02.02.23) 
Link Externo

Projeto TranSensus LCA: Agentes se unem para avaliação do ciclo de vida de VEs

O projeto TranSensus LCA, financiado pela União Europeia, visa desenvolver a base para uma abordagem de avaliação do ciclo de vida para veículos elétricos em toda a Europa. O projeto é coordenado pelos Institutos Fraunhofer LBF e IST e tem como objetivo apoiar a transformação do sistema de transporte em direção à neutralidade climática, criando a base para garantir uma avaliação confiável, transparente e padronizada da pegada ecológica de diferentes soluções e tecnologias. O consórcio TranSensus LCA consiste em onze parceiros da indústria (BMW, EDF, Northvolt, Renault, Ricardo, Scania, Sphera, ST Microelectronics, Umicore, Valeo e Volkswagen) e nove parceiros de pesquisa (Fraunhofer, BRGM, CEA, Uni Gent, Uni Leiden, RWTH Aachen, IVL, TU Braunschweig, Uni). Os membros do projeto agora trabalharão na conceituação e demonstração de uma abordagem LCA para o transporte rodoviário de emissão zero com dados do mundo real, harmonizando metodologias, ferramentas e conjuntos de dados e desenvolvendo uma estrutura para um banco de dados em toda a Europa. (Electrive - 03.02.23) 
Link Externo

Renault e Nissan: Renovação dos termos da aliança

A Renault e a Nissan chegaram a um acordo que pode ser considerado histórico. Elas anunciaram que estabeleceram como a Aliança se reorganizaria para enfrentar a era da eletrificação. O objetivo é claro e as próprias marcas o explicam: "Para fortalecer os laços e maximizar a criação de valor para todas as partes envolvidas". As marcas francesas e japonesas têm um novo ponto de partida. Tecnicamente, a Renault reduzirá sua participação na Nissan de 43,4% para 15%. Isto lhe dará uma participação igual à da Nissan, que já possui 15% da Renault. A Nissan também será proprietária de 15% da Ampere, a nova divisão francesa dedicada à mobilidade elétrica. A Renault tem dito repetidamente que quer tornar seu negócio de veículos elétricos independente para agilizar as operações e tornar seus produtos mais competitivos. Com a reorganização das participações e dos papéis, os dois fabricantes também fizeram saber que intensificarão a colaboração em projetos dedicados aos países emergentes. A América Latina e a Índia, em particular, são dois mercados estratégicos. (Inside EVs - 30.01.2023)  
Link Externo

Tesla: Incremento de produção para atender à crescente demanda

A Tesla planeja produzir uma média de 20.000 veículos em sua fábrica de Xangai em fevereiro e março, o que traria a produção de volta ao nível de setembro de 2022. No início de janeiro, a Tesla cortou os preços do Modelo 3 e do Modelo Y maciçamente, primeiro na China e uma semana depois nos EUA e na Europa, para estimular a demanda. Na China, os preços foram reduzidos entre 6 e 14%, o que significa que o Modelo 3 agora começa em 229.900 yuans (pouco menos de 31.900 euros) - menos do que em seu lançamento em janeiro de 2021. O novo preço base para o Modelo Y na China é agora de 259.900 yuans (36.000 euros). Isso é 29.000 yuans a menos do que antes. Na Europa e nos EUA, os preços caíram para 9.100 euros, dependendo do modelo. De acordo com Elon Musk, CEO da Tesla, o plano funcionou, dado que o número de pedidos foi aproximadamente o dobro do número de produção em janeiro. Somente na China, as vendas diárias no varejo foram 36% maiores do que no período correspondente do ano passado. (Electrive - 02.02.23) 
Link Externo

Tesla: Planos de investimento até 2025

A Tesla está planejando aumentar sua faixa de despesas de capital em um bilhão de dólares. Como mostra um documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, a empresa espera investir entre sete e nove bilhões de dólares em cada um dos anos de 2024 e 2025. Parte dos gastos irá para a expansão maciça recentemente anunciada da fábrica do estado da empresa em Nevada, com duas novas instalações de produção para caminhões elétricos 'Semi' e 4680 células. A Tesla orçamentou investimentos de mais de US$ 3,6 bilhões para a expansão da Giga Nevada, embora não tenha dado um cronograma. É provável que os gastos adicionais fluam para o aumento da produção nas duas fábricas em Austin e Grünheide, que abriram em 2022. No caminho para o crescimento direcionado de médio prazo de 50% ao ano, a Tesla precisará de fábricas adicionais. Nesse sentido, rumores persistem em torno de um possível investimento no México. A mídia informou sobre a compra de terras da Tesla para uma nova fábrica em Santa Catarina, no estado mexicano de Nuevo León. (Electrive - 01.02.23) 
Link Externo

Tesla: Contrariando a tendência do setor, montadora registra crescimento das vendas na China

A Tesla teve um grande janeiro na China, em meio a um declínio no setor geral de veículos elétricos. A Associação de Carros de Passageiro da China divulgou números de entrega no atacado para o setor automobilístico chinês para o primeiro mês de 2023. A Tesla despachou 66.051 veículos de sua fábrica em Xangai, 18% a mais que os 55.796 enviados em dezembro e 10% a mais em relação aos 59.845 enviados em janeiro de 2022. O crescimento ocorreu depois que a Tesla cortou os preços de seus veículos na China em 6 de janeiro. A Tesla seguiu com outros cortes de preços em todo o mundo cerca de uma semana depois. (Valor Econômico - 03.02.2023)  
Link Externo

VinFast: Reformulação e une operações nos EUA e Canadá

A VinFast anunciou planos para combinar suas operações nos EUA e no Canadá em um esforço para aumentar a eficiência. A recém-formada VinFast North America será sediada na atual sede da VinFast nos EUA, em Los Angeles. Embora a VinFast só tenha sido fundada em 2017, a montadora criada no Vietnã já é muito bem sucedida na Ásia. Isso se deve em parte à riqueza de recursos da VinFast. A VinFast faz parte do Vingroup mais amplo, um conglomerado multimilionário com subsidiárias em propriedade comercial, tecnologia, saúde e até mesmo educação. Talvez a coisa mais específica sobre a VinFast seja seu modelo de assinatura de bateria. Em vez de ser o dono da bateria de seu carro, você paga uma assinatura mensal fixa. Portanto, se sua bateria falhar quando estiver fora da garantia, ela ainda será substituída. (Inside EVs - 05.02.2023) 
Link Externo

Volvo: Todos os modelos principais terão uma opção eletrificada até 2026

A Volvo Cars está planejando uma grande ofensiva de transição energética que verá todos os seus modelos principais serem convertidos em veículos elétricos até 2026. As fontes também observaram que a Volvo Cars tem planos de introduzir uma minivan elétrica de luxo com o objetivo de impulsionar as vendas na Ásia. No total, eles disseram que a Volvo Cars, que é de 82 por cento de propriedade do grupo chinês Geely, deverá lançar pelo menos seis novos veículos elétricos a bateria até 2026, incluindo o EX90, já revelado, que será lançado em showrooms no início de 2024. Os carros elétricos a bateria no cronograma incluem versões elétricas do Volvo XC90 (isto é, o EX90), SUVs XC60 e XC40 e os sedãs S60 e S90, dizem as fontes. Os novos lançamentos fazem parte do objetivo anteriormente anunciado da Volvo Cars de ter uma linha totalmente elétrica até 2030. (Inside EVs - 03.02.2023) 
Link Externo

Meio Ambiente

ESG: Aliança liderada pela 99 reduziu emissões de CO2 em 2022

Quase 82 toneladas de CO2 deixaram de ser emitidas na atmosfera em 2022 pela Aliança pela Mobilidade Sustentável, uma iniciativa liderada pela 99 e que conta com outras 12 empresas do segmento de mobilidade e transportes com o objetivo de apoiar a transição energética e democratizar os veículos elétricos e híbridos no Brasil. A Aliança foi fundada em abril de 2022 e já soma mais de R$ 35 milhões em investimentos, impactando cerca de 60 mil passageiros com uma frota de 450 carros eletrificados (entre híbridos e elétricos), em 40 mil viagens pelo aplicativo da 99. Além do transporte de passageiros, a aliança também olha para a infraestrutura, que teve como ponto alto a inauguração do primeiro posto 100% elétrico do Brasil, por meio da EZ Volt, em parceria com a Vibra e a própria 99. Em outra iniciativa, lançou um programa de locação de veículos elétricos com a Movida, em que os motoristas parceiros da 99 tiveram a locação facilitada, com descontos de até 50%. Isso, somado à economia de combustível do motorista, proporcionou redução de até 25% nos custos operacionais dos parceiros. (Inside EVs - 04.02.2023) 
Link Externo

ESG: Loomis encomenda VEs blindados para manuseio de dinheiro

Os VEs estão entrando em todas as fendas da economia. O mais recente são os veículos elétricos blindados, à medida que a indústria de manuseio de dinheiro se move para reduzir as emissões. A gigante de entrega de dinheiro Loomis diz que está expandindo sua parceria com a Xos, encomendando 150 VEs blindados adicionais para usar nas operações nos EUA. Aqueles carros blindados que você vê pegando dinheiro em bancos e lojas de varejo provavelmente são Loomis. Com uma rica história que começou durante a corrida do ouro na Califórnia, Loomis está se transformando para a era moderna. O que começou como o “Pony Express”, transportando pacotes da costa oeste para a costa leste dos EUA, tornou-se uma potência global de manuseio de dinheiro com cerca de 400 escritórios locais em 20 países. Agora a empresa está se expandindo mais uma vez, mas desta vez com veículos elétricos blindados de emissão zero. (Electrek - 01.02.2023) 
Link Externo

ESG: Polestar está perto de fazer carro elétrico neutro para o clima

A Polestar, uma montadora de carros totalmente elétricos sediada na Suécia, tem o nobre objetivo de criar um carro verdadeiramente neutro em relação ao clima até 2030, um feito que pode ser alcançado não apenas plantando árvores em algum lugar da Amazônia, mas escavando profundamente na cadeia de fornecimento e procurando parceiros que empregam técnicas de emissões zero. Isto significa minas de lítio que não utilizem combustíveis fósseis, plantas de processamento onde os fornos não emitem gases tóxicos de efeito estufa para a atmosfera, fábricas de tintas que têm emissões zero, e assim por diante. O plano foi revelado inicialmente em 2021 mais como uma declaração do que qualquer outra coisa, mas agora a Polestar está de volta com alguns parceiros concretos e conhecidos nesta empreitada. (Inside EVs - 05.02.2023) 
Link Externo

ESG: Vammo importa mais motos elétricas para locação em São Paulo

A Vammo, antiga Leoparda Electric, acaba de importar cerca de 100 motocicletas elétricas, com o objetivo de iniciar suas operações de locação de veículos. A companhia espalhou seis estações de atendimento na cidade de São Paulo, nos bairros de Santo Amaro, Vila Olimpia, Pinheiros Jardins, Pacaembu e Tatuapé. A empresa oferece uma rede que permite aos usuários trocar suas baterias descarregadas por outras prontas para uso completamente carregadas, via assinatura semanal. Porém, neste início de operação, a empresa também importou motocicletas elétricas que podem ser alugadas e que já têm o tipo de bateria compatível com o serviço. Dos 100 veículos trazidos do exterior, 55 serão destinados para motoboys profissionais, 40 para empresas de grande porte e 5 para o uso geral por qualquer pessoa. O cofundador da Vammo e COO, Billy Blaustein, acredita que a empresa pode contribuir para democratizar a mobilidade urbana e ajudar na redução da emissão de carbono na atmosfera. (Portal Solar - 31.01.2023)  
Link Externo

Estudos

MME e EPE: Novo caderno do PDE 2032 aborda eletromobilidade

O MME e a EPE publicaram o novo caderno do PDE 2032. Em relação a eletromobilidade, apontou-se que a eletrificação do transporte rodoviário no Brasil deve expandir-se continuamente ao longo da próxima década, avançando de forma significativa em certos nichos de aplicação. A penetração de motorizações alternativas no licenciamento de novos veículos semileves e leves, para uso com o transporte cargas, deve ser particularmente elevada, alcançando, em 2032, cerca de 20% para elétricos e 15% para híbridos. Contribuem para isso a eletrificação de nichos como da entrega em última milha, estimulada por compromissos ESG de grandes empresas, e por crescentes restrições às emissões e à circulação de veículos poluentes em áreas urbanas, principalmente metrópoles. A eletrificação de frotas de transporte público de massa também deve ancorar a disseminação da eletrificação em ônibus, elevando as projeções de licenciamentos de veículos elétricos novos para cerca de 10% em 2032. Para saber mais, clique aqui: https://www.epe.gov.br/sites-pt/publicacoes-dados-abertos/publicacoes/Paginas/Plano-Decenal-de-Expansao-de-Energia-2032.aspx. (EPE – 01.02.2023) 
Link Externo

Carro elétrico já começa a afetar a demanda por gasolina e diesel

Especialistas da Bloomberg, Reuters e da Agência Internacional de Energia (AIE) publicaram uma série de análises baseadas, entre outras coisas, em dados de 2022 da Society of Motor Manufacturers and Traders (SMMT) e da UK Competition and Markets Authority do Reino Unido. Os números mostram uma queda significativa nas vendas de gasolina e diesel. E o crédito obviamente vai para veículos de emissão zero. No ano anterior, enquanto o mercado de automóveis no Reino Unido registou o seu recorde negativo de vendas das últimas três décadas, os carros elétricos foram contra a tendência, marcando um bom +40% em comparação com 2021. A participação de mercado subiu de 12% para 17%. A gasolina e o diesel, por outro lado, perderam participação, com a demanda por óleo automotivo seguindo em conjunto. Assim, como escreve a Bloomberg, os preços dos combustíveis no Reino Unido "têm sido os mais voláteis da era histórica". E os carros elétricos até superaram os emplacamentos de carros a diesel, embora a gasolina ainda permanecesse em primeiro lugar. Pelo menos por enquanto, esperando por 2030, ou até antes. Dando uma olhada ainda mais ampla, o Relatório do Mercado de Petróleo 2023 (OMR) da AIE prevê que os carros elétricos reduzirão a demanda global de petróleo bruto em quase 900.000 barris por dia este ano. (Inside EVs - 30.01.2023)  
Link Externo