IFE
10/01/2023

IFE ME 138

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Carolina Tostes e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
10/01/2023

IFE nº 138

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Carolina Tostes e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE ME 138

Políticas Públicas e Regulatórias

ABVE: Novo governo pode ter agenda promissora para a eletromobilidade

A falta de um plano estratégico para a transição energética é um dos empecilhos para o avanço da mobilidade elétrica no Brasil. E agora, com a mudança de governo, criou-se expectativa de mudança nesse cenário, onde a ABVE enxerga com entusiasmo os primeiros sinais da nova equipe. O presidente da ABVE, Adalberto Maluf, participou nesta semana, em Brasília, das cerimônias de posse de vários ministros e constatou uma mudança sensível de atitude do novo Governo Federal em relação ao desenvolvimento da indústria da mobilidade elétrica no Brasil. “A ABVE está muito entusiasmada com as possibilidades de adensamento da cadeia produtiva do transporte de baixa emissão no Brasil a partir de agora, com a instalação de novas indústrias de veículos e a criação de mais empregos de qualidade no país”. Maluf destacou alguns trechos do discurso do novo ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Geraldo Alckmin, na cerimônia de posse no Palácio do Planalto, no dia 4/1, especialmente os que tratam do “esforço de reindustrializar o Brasil”. Para o executivo, o entendimento mais aberto do governo atual sobre eletromobilidade encontrará a indústria disposta a investir em transporte sustentável e consumidores altamente receptivos aos veículos elétricos e eletrificados. (Inside EVs - 08.01.2023) 
Link Externo

Brasil/São Paulo: Novos ônibus elétricos devem chegar a cidade em 2023

A cidade de São Paulo (SP) se prepara para acelerar a transição energética no transporte público. As empresas de transporte que atuam na capital paulista já encomendaram 1.109 ônibus elétricos, que chegarão às ruas entre 2023 e 2024. Segundo a matéria do portal Diário do Transporte, que confirmou a informação com a SPTrans, a maioria dos ônibus elétricos a bateria será entregue ainda este ano, enquanto o restante (457) ficará para o ano que vem. As reivindicações refletem o compromisso do prefeito Ricardo Nunes de eletrificar pelo menos 20% da frota de ônibus da capital até 2024, o que equivale a cerca de 2.600 ônibus elétricos circulando na maior cidade do país. Esse compromisso está em linha com as metas da Lei 16.802 de transição da frota de ônibus a diesel para ônibus de baixa emissão, bem como com o atual processo de licitação para renovação de contratos com prefeituras e empresas de transporte público. (Click Petróleo e Gás - 06.01.2023) 
Link Externo

EUA/Nova York: Cidade adiciona novos VEs a sua frota pública

De caminhões de lixo elétricos a varredores de rua, a cidade de Nova York anunciou hoje que gastará US$ 10,1 milhões para comprar 925 VEs e instalar 315 novos carregadores de veículos elétricos. O Departamento de Transportes dos EUA está fornecendo à cidade de Nova York US$ 10,1 milhões em financiamento federal. O dinheiro será usado para comprar 382 Chevrolet Bolts, 360 vans Ford E-Transit e 150 picapes Ford F-150 E-Lightning. Os fundos federais também apoiarão o primeiro grande investimento do Departamento de Serviços Administrativos da Cidade de Nova York (DCAS) em picapes e vans totalmente elétricas. A DCAS registrou recentemente seus primeiros contratos de requisitos para vans de carga elétricas, picapes elétricas e um modelo de picape elétrica para aplicação da lei. Este primeiro pedido de picapes e vans elétricas aproxima a agência de atingir a meta de uma frota elétrica leve e média até 2035. 
Link Externo

EUA/Texas: Estado concede apoio direcionado a infraestrutura de carregamento para VEs

A Universal EV Chargers, com sede no Texas, recebeu aporte de US$ 3,2 milhões para fornecer e instalar 105 portas de carregamento de VEs, em 21 locais em todo o estado do Texas. Essas doações ajudarão a acelerar a expansão dos carregadores de VEs públicos em setores como hotelaria e multifamiliares. De acordo com a Recurrent Auto, havia 2.139 estações de carregamento rápido de Nível 2 e DC com 5.100 portas no Texas para atender aproximadamente 150.000 EVs registrados. Isso é cerca de uma porta de carga para cada 30 EVs. Com a ERCOT estimando que 1 milhão de texanos dirigirão EVs até 2028, muitos outros carregadores públicos serão necessários. (Green Car Congress - 06.01.2023) 
Link Externo

EUA: Impacto das regulamentações de energia limpa no mercado de VEs

As novas regulamentações de energia limpa aprovadas no ano passado e que estão sendo implementadas em fases podem abalar o cenário competitivo de carros elétricos, segundo analistas. Por exemplo, as diretrizes federais divulgadas esta semana nos EUA podem beneficiar a Hyundai, permitindo que carros alugados se qualifiquem para um crédito fiscal de US$ 7.500 para veículos comerciais, mesmo que sejam montados fora da América do Norte. Essa regra pode acabar permitindo que consumidores que alugam veículos Hyundai importados da Coreia se qualifiquem para receber o subsídio, segundo os analistas. Alguns aspectos das diretrizes propostas podem prejudicar a Ford e a Tesla, acrescentaram os analistas. As regras propostas pelo governo norte-americano, que devem ser concluídas na primavera do hemisfério norte, classificariam o Mustang Mach-E e algumas versões do Modelo Y como carros, e não SUVs, o que significa que tais modelos, com preços superiores a US$ 55 mil, não se qualificariam. A faixa de preços das SUVs é de US$ 80 mil. (BroadCast Energia – 06.01.2023) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

DOE: Aumento da capacidade de produção de baterias para VEs na América do Norte

Uma onda de novas fábricas planejadas de baterias para veículos elétricos aumentará a capacidade de fabricação de baterias da América do Norte de 55 Gigawatts-hora por ano (GWh/ano) em 2021 para 998 GWh/ano até 2030, de acordo com o Departamento de Energia dos EUA (DOE). A maioria dos projetos anunciados de fábricas de baterias está programada para iniciar a produção entre 2025 e 2030. Até 2030, essa capacidade de produção será capaz de suportar a fabricação de cerca de 10 a 13 milhões de veículos totalmente elétricos por ano. Para otimizar a logística da cadeia de suprimentos, muitas fábricas de baterias serão co-localizadas com fábricas automotivas. A maioria dos projetos planejados nos Estados Unidos está concentrada ao longo de uma faixa norte-sul de Michigan ao Alabama. Com base nos planos atuais, Kentucky, Tennessee, Geórgia e Michigan terão o maior crescimento na capacidade de fabricação de baterias. (Green Car Congress - 04.01.2023) 
Link Externo

Great Wall Motors: Nova bateria promete maior autonomia para VEs

A Svolt, empresa que pertence à chinesa Great Wall Motors, apresentou uma nova bateria na terceira edição do evento anual Battery Day. A empresa divulgou a produção de baterias com alta densidade de energia e alcance estimado de 800 km, 900 km e 1.000 km - cada uma com suas próprias características. Para se ter ideia, as células NCM, que atingem alta densidade energética e volumétrica, permitirá oferecer carros com mais de 1.000 km de autonomia, afirma a fabricante. Além do alcance, o produto promete carregamento ultrarrápido. Durante o evento, que aponta as novas tecnologias e detalha o que foi feito ao longo do ano, a empresa também divulgou seu plano de expansão. Nele, há projeções de construir duas fábricas de baterias na Alemanha. O início das atividades fica previsto para até 2025. (O Estado de São Paulo – 20.12.2022)  
Link Externo

Honeywell e Nexceris: Colaboração visa a melhoria na segurança das baterias para VEs

A Honeywell anunciou hoje que está expandindo a sua aliança estratégica com a Nexceris, desenvolvedora da Li-ion Tamer, uma solução lítion-íon para detecção de gás que ajuda a tornar os veículos elétricos mais seguros. A Honeywell e a Nexceris oferecerão tecnologias avançadas de sensores automotivos para auxiliar na prevenção de condições que podem levar a uma fuga térmica nessas baterias, fenômeno que causa um superaquecimento no interior das células das baterias, e que pode resultar em incêndios. Muitas indústrias estão migrando para fontes de energia eletrificadas, e para a indústria automobilística especificamente, as vendas globais duplicaram em 2021 em relação ao ano anterior, atingindo a marca de quase 7 milhões de unidades vendidas. (Petronotícias - 26.12.2022)  
Link Externo

Leoparada Electric: Sistema de troca de baterias para motocicletas elétricas

A startup Leoparada Electric, que comercializa motocicletas elétricas, aposta em um sistema de troca rápida de baterias para manter os veículos em funcionamento durante um dia de trabalho, sem precisar esperar pela recarga. Acreditamos que o cliente perfeito para a eletricidade é o motoboy, porque, para eles, essa opção será absolutamente mais econômica", diz Billy Blaustein, cofundador da Leoparda Electric. Blaustein vê que os problemas atuais desse segmento são os valores desses acumuladores de energia e a necessidade de expandir os pontos de reabastecimento. "Há a crença de que o custo do níquel subirá por causa da guerra, e essa é uma matéria-prima usada em baterias de íons de lítio", diz o executivo. "Porém é improvável que isso tenha um impacto direto na adoção [da mobilidade elétrica] no Brasil", afirma o executivo da Leoparda. (Folha de São Paulo – 28.12.2022)  
Link Externo

Stellantis e Archer Aviation: Produção de VEs voadores

A Stellantis, quinta maior montadora do mundo, está se inclinando para a sua aposta em futuro que inclui carros voadores, dobrando seu compromisso com a Archer Aviation para produzir seu primeiro lote até 2025. A montadora irá ajudar no processo de fabricação da Archer para seu modelo “Midnight”, além de investir até US$ 150 milhões na empresa nos próximos anos. “Vemos uma complementaridade perfeita, uma sinergia perfeita entre o que eles estão fazendo e o que podemos trazer, ou seja, mas não apenas no sistema de fabricação”, disse Tavares, CEO da Stellantis. “Fabricação e fabricação de alto volume é algo que achamos que sabemos fazer.”. Os veículos voadores elétricos seriam impulsionadas verticalmente utilizando motores movidos a eletricidade e asas rotativas. O protótipo de Archer é construído para voar 150 milhas por hora por até 60 milhas, permitindo o transporte a velocidades 10 vezes maiores do que um carro tradicional. (CNBC - 04.01.23) 
Link Externo

Indústria Automobilística

Brasil: Panorama de vendas de VEs em 2022

De acordo com a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), o mercado de veículos leves eletrificados brasileiro bateu novo recorde em 2022, com 49.245 modelos comercializados O número corresponde a uma alta de 41% em relação a 2021, quando foram vendidos 34.990 veículos. A entidade estimava 50.000 unidades emplacadas em 2022, tendo o total chegado perto do valor. Além disso, a ABVE informa que a frota eletrificada em circulação no Brasil chega a 126.504 veículos. É importante frisar que nessa conta são incluídos veículos elétricos a bateria, híbridos plug-in (PHEV) e híbridos (HEV). Os BEVs tiveram destaque em 2022, com 8.460 unidades de modelos puramente elétricos emplacados de janeiro a dezembro, equivalente a 17% do total de vendas no período. Adalberto Maluf, presidente da ABVE, celebrou o resultado de 2022. Contudo, disse que “é preciso dar os incentivos adequados e acelerar rumo às tecnologias de baixa emissão”.“Vemos um crescimento constante e robusto das vendas de veículos elétricos e híbridos pelo quinto ano seguido, apesar de o Brasil ainda não ter um plano nacional de estímulos ao setor. O consumidor já percebe o elétrico como uma opção viável ao veículo convencional”, comentou o dirigente. (Automotive Business - 03.01.23) 
Link Externo

China: Recorde na exportação de VEs para Europa

A China celebra registro recorde mensal na exportação de veículos elétricos para mercados da Europa. O feito foi atingido no último mês de novembro, quando mais de US$ 3,2 bilhões foram movimentados nas operações. De acordo com dados da autoridade aduaneira da China citados pela agência Bloomberg, o crescimento foi de 165% na comparação com igual período do ano passado. Chama atenção o fato de a maior parte das exportações ser composta por veículos de marcas europeias instaladas em território chinês e não marcas locais. A explicação está na estratégia comercial adotada por grandes grupos, como Volkswagen e BMW, que optam por produzir peças e carros dentro da China como forma de driblar a capacidade de produção limitada em seus mercados domésticos. Os veículos elétricos fabricados na China têm se mostrado tão competitivos que por dois meses seguidos representaram mais de 50% do total de veículos de passageiros enviados pelo país ao exterior. Os principais destinos dos carros elétricos chineses têm sido Bélgica e Inglaterra, que juntos receberam quase 70% das remessas. (Inside EVs - 08.01.2023) 
Link Externo

EUA: Crescimento das vendas de VEs em 2022

As vendas de carros elétricos nos Estados Unidos cresceram dois terços em 2022, enquanto o mercado de automóveis como um todo se contraiu, segundo mostram números recém-divulgados pelo setor, à medida que novos modelos plug-in de montadoras tradicionais reduziram a liderança da Tesla. As montadoras venderam 807.180 veículos totalmente elétricos nos Estados Unidos no ano passado, ou 5,8% de todos os veículos vendidos, parcela superior aos 3,2% registrados um ano antes, de acordo com dados divulgados esta semana pela empresa de pesquisa de mercado Motor Intelligence. Comparativamente, as vendas totais de automóveis nos EUA caíram 8% em 2022 em relação ao ano anterior. A Tesla ainda domina o mercado de carros elétricos dos EUA, respondendo por 65% do total de vendas no ano passado, segundo estimativas da Motor Intelligence. Esse número se reduziu de 72% em 2021, com o lançamento de mais modelos pelas empresas tradicionais. (BroadCast Energia – 06.01.2023) 
Link Externo

Noruega: Recorde de BEVs registrados em dezembro

Na Noruega, 32.714 novos carros elétricos foram registrados em dezembro de 2022, em comparação com 138.292 para todo o ano de 2022. O modelo mais bem-sucedido no país durante o ano foi o Tesla Model Y. Em comparação com o ano inteiro de 2021, o crescimento é de 21,6%. Com 17.356 novos registros (apenas 4.524 em dezembro), o Tesla Model Y sozinho alcançou uma participação de mercado de 10% em todos os tipos de unidades. Isso colocaria o Modelo Y sozinho em terceiro lugar no ranking do fabricantes, à frente da BMW, Toyota, Volvo, Mercedes-Benz, Audi, Skoda, Hyundai e Kia. O Tesla Model Y também superou o registro do VW Beetle de 1969. Em segundo lugar, está o VW ID.4, com 2.075 unidades ou 11.561 registros para o ano inteiro. Em terceiro lugar, fica o Skoda Enya, com 7.558 novos registros. (Electrive - 03.01.23) 
Link Externo

Ford: Comercialização de VEs nos EUA duplicou em 2022

As vendas de veículos elétricos da Ford Motor Co. mais do que dobraram em 2022 nos Estados Unidos, fortalecendo sua posição no segundo lugar na corrida de veículos elétricos, superada somente pela Tesla Inc. A montadora vendeu 61.575 VEs no ano passado, havendo aumento de 126% a partir da estreia da picape plug-in F-150 Lightning e a van E-Transit. Os veículos elétricos foram responsáveis por 3,3% das vendas da Ford em 2022, mas a empresa tem planos de produzir dois milhões de veículos elétricos até o final de 2026. O ganho de participação da Ford no ano passado “veio do crescimento amplo de nossa linha de SUVs e de nossos novos EVs crescendo a o dobro da taxa do segmento geral de EV”, disse Andrew Frick, vice-presidente de vendas, distribuição e caminhões, no comunicado. (Bloomberg - 05.01.23) 
Link Externo

GM: Possibilidade de produzir VEs no México

De acordo com reportagens recentes, a GM está mesmo disposta a iniciar a produção de veículos elétricos no México. Para isso, poderá utilizar a sua fábrica Ramos Arzipe, no norte do país, para a ajudar a competir melhor com os seus pares. A GM trabalha no México há algum tempo, e atualmente produz lá vários veículos movidos a gasolina, mas ainda não fabrica elétricos a sul da fronteira, e muito menos tem uma fábrica que se concentra exclusivamente na nova tecnologia. Recentemente, a Teslarati compartilhou o anúncio do Ministério da Economia mexicano de que a GM tem como objetivo expandir os seus esforços de produção de veículos elétricos para o México. Tudo isto faria sentido, uma vez que o México está se tornando rapidamente num local popular para a produção de veículos elétricos. Está perto e localizado na América do Norte, o que significa que os automóveis poderiam qualificar-se para várias fornecimento de materiais e regras de produção relacionadas com o novo crédito fiscal federal dos EUA. Além disso, irá reduzir os custos dos fabricantes de automóveis. (Inside EVs - 06.01.2023) 
Link Externo

Hyundai: A partir de 2023 serão comercializados apenas VEs na Noruega

A Hyundai só venderá carros elétricos puros na Noruega a partir de 10 de janeiro de 2023. Desde 2020, o fabricante coreano oferecia apenas carros elétricos e híbridos plug-in no país. No final de 2022, a Hyundai vendeu os últimos PHEVs na Noruega e agora está se concentrando em veículos puros. A mudança foi natural: nos últimos anos, os carros elétricos já representaram mais de 90% das vendas da Hyundai na Noruega. Em 2022, o número era especificamente de 93%. De 2020 a 2022, a montadora disse que entregou 25.000 carros de passageiros na Noruega, dos quais 92% eram totalmente elétricos. “Temos grande fé em nosso portfólio de modelos e, agora que lançamos o novo IONIQ 6, chegou a hora de vender apenas carros totalmente elétricos no mercado norueguês. A IONIQ 5 e a KONA Electric há muito tempo ocupam posições como alguns dos carros mais populares do mercado, e estamos confiantes de que nossos carros elétricos puros nos trarão sucesso contínuo no futuro”, diz Thomas Rosvold, Diretor Administrativo da Hyundai Motor Norway. (Electrive - 02.01.23) 
Link Externo

J.D. Power: Alto custo de materiais pressiona oferta de VEs

O aumento do custo do lítio e de outros minerais utilizados na fabricação de baterias levou as montadoras a aumentar preços, o que pode minar a demanda. O preço médio pago por um carro elétrico nos EUA atingiu cerca de US$ 66 mil no ano passado, acima dos US$ 51 mil um ano antes, de acordo com a J.D. Power. A Tesla alimentou as preocupações dos investidores sobre a redução da demanda no mês passado ao oferecer incentivos incomuns, de até US$ 7.500 para compradores dos EUA. Os analistas da Bernstein Research citaram a redução do tempo de espera para a entrega de carros da Tesla nos EUA e na China como um sinal de diminuição da demanda. (BroadCast Energia – 06.01.2023) 
Link Externo

Mercedes: Rede global de carregadores ultrarrápidos para VEs

A Mercedes-Benz AG planeja construir rede global de 10.000 carregadores ultrarrápidos para rivalizar com a Tesla como líder em veículos elétricos. As primeiras estações serão criadas na América do Norte, com futura expansão para Europa e China. As unidades terão até 350 quilowatts de potência, o suficiente para adicionar 20 milhas de alcance por minuto. “Nossos clientes merecem uma experiência de carregamento atraente que facilite a propriedade de um veículo elétrico e viagens de longa distância”, disse o CEO da Mercedes, Ola Kallenius. A empresa pretende, até o final da década, reduzir pela metade suas emissões de gases de efeito estufa em comparação com os níveis de 2018. (Valor Econômico - 05.01.23) 
Link Externo

Montadoras japonesas correm o risco de perder mercado por demora na eletrificação de suas frotas

Em carta aberta a Akio Toyoda (diretor executivo da Toyota), de grupos incluindo Public Citizen, criticou-se sua lenta implantação de veículos elétricos. “Nenhuma montadora conseguiu acompanhar a crescente demanda do consumidor por veículos elétricos a bateria, mas a Toyota nem mesmo tentou atendê-la”, escreveram. “A Toyota pode e deve mudar rapidamente para EVs ou corre o risco de obsolescência.” Embora as motivações das ONGs fossem ecológicas, sua mensagem refletia uma preocupação mais ampla na indústria automotiva global de US$ 2,25 trilhões, de que a Toyota Motor e outras montadoras japonesas correm o risco de perder sua posição de liderança ao não mudar para VEs com rapidez suficiente. Nenhuma montadora japonesa está entre as 20 maiores fabricantes de VEs, ficando à margem do setor de crescimento mais rápido da indústria automobilística. Os VEs estão se tornando uma parte importante do setor e, até agora, os japoneses estão perdendo isso, apontou Colin McKerracher, analista da BloombergNEF. As maiores marcas de automóveis do Japão há muito são as favoritas dos consumidores em todo o mundo, geralmente respondendo por mais de um terço das vendas de carros novos nos EUA e dominando os mercados do Sudeste Asiático à África. (O Globo - 07.01.2023) 
Link Externo

Montadoras americanas planejam entrada no mercado europeu de VEs

Nos Estados Unidos, onde a transição ecológica começou um pouco tarde, entre as montadoras tradicionais e os recém-nascidos, há muitos que pretendem afirmar-se num panorama em rápida evolução. Duas das marcas mais badaladas na América do Norte são a Lucid Motors e a Rivian. A Lucid Motors, por sua vez, nunca fez grandes declarações sobre a sua estreia na Europa. Está mais concentrada na frente do Oriente Médio, podendo contar com um forte apoio da Arábia Saudita. No entanto, a empresa já abriu uma loja em Munique, Alemanha, e uma em Genebra, Suíça. Não só abriu oficialmente as encomendas, como prometeu entregas até ao final do ano. A Rivian está - assim como o Lucid - a se debruçar sobre as dificuldades de produção. Está lutando para aumentar os volumes e superar os atrasos devido à escassez da oferta. No entanto, isto não significa que não queira chegar à Europa em breve. Para isso, já fez uma série de movimentos como a abertura de escritórios na Holanda e na Alemanha e o recente anúncio da abertura de um centro de P&D na Sérvia. A Ford já está presente na Europa com um carro elétrico. De fato, tem feito grande sucesso com o Mustang Mach-E, um SUV com um nome evocativo que foi um dos mais populares no mercado. Mas a Ford tem planos mais ambiciosos para a região. Entre 2023 e 2024, de fato, apresentará dois crossovers de emissão zero baseados na plataforma MEB da Volkswagen e o Puma elétrico, que manterá a arquitetura atual adaptada para a bateria. (Inside EVs - 07.01.2023) 
Link Externo

Nezha: Panorama positivo de vendas em 2022

Vendendo SUVs compactos, a Nezha, nova marca chinesa, afirma que suas entregas de carros mais do que dobraram em 2022, ultrapassando 152.000 veículos. A maioria das entregas foi do Nezha V, um SUV compacto cujo preço pós-subsídio começa em 83.900 yuans (US$ 12.000). Em contraste, a Nio, que vende SUVs maiores, entregou 122.000 carros elétricos em 2022, havendo aumento de apenas 34% em relação a 2021. O carro elétrico econômico Hongguang Mini manteve o lugar mais vendido entre os novos carros de passageiros de energia na China, uma categoria que inclui híbridos. Em novembro, as vendas anuais excederam 370.000 veículos, de acordo com a Associação de Carros de Passageiros da China. (CNBC - 04.01.23) 
Link Externo

Peugeot: Novo ‘Inception Concept’ estará presente nos novos VEs da marca

A Peugeot apresentou o que os designers chamam de “uma nova era” no design do carro elétrico da empresa. O Inception Concept pré-visualiza os futuros VEs da Peugeot que chegarão em 2025. A Peugeot projetou um sedã de luxo de baixa colocação como o Conceito de Inception no Consumer Electronics Show nos EUA. A plataforma STLA Large possui a capacidade de suportar a tecnologia de 800 volts, e a Peugeot tem dois motores que alimentam o Inception EV. A unidade combinada é definida em cerca de 500 kW. Com uma bateria de 100 kWh, o carro poderia cobrir 800 quilômetros, graças a um baixo consumo de apenas 12,5 kWh/100km. A Peugeot ainda não disse se o acionamento de motor duplo de 500 kW será dois motores elétricos igualmente potentes ou traseiro pesado com um motor mais potente no eixo traseiro. (Electrive - 07.01.23) 
Link Externo

RAM: Nova picape elétrica chega ao mercado norte-americano

A Ram Trucks, subsidiária da Stellantis de veículos comerciais, trouxe o Ram 1.500 Revolution Concept para a CES, picape totalmente elétrica que deve chegar ao mercado norte-americano em 2024. A Ram Trucks ainda não revelou detalhes sobre o AWD e a bateria para alimentar o Ram 1500 BEV. No entanto, a Ram já está prometendo que o carregamento rápido de até 350 kW pode adicionar até 100 milhas de alcance em dez minutos, graças à tecnologia de 800 volts. O compartimento de passageiros agora maior também foi projetado para oferecer flexibilidade, por exemplo, há assentos de salto na terceira fila, que a Ram considera o primeiro da indústria. (Electrive - 06.01.23) 
Link Externo

Rivian: Metas de produção em 2022 não foram atingidas

A startup americana de carros elétricos Rivian construiu 10.020 veículos em sua fábrica de Illinois no quarto trimestre de 2022, entregando 8.054 carros elétricos no período. Mesmo que tais números representem um aumento significativo em relação ao terceiro trimestre, a Rivian perdeu sua meta de produção de 25.000 veículos produzidos em 2022, tendo construído 24.337 carros e entregado 20.332. A carta do investidor sobre os números do primeiro trimestre indica que a empresa construiu 2.553 veículos e entregou 1.227 no trimestre de abertura. Isso foi seguido por 4.401 veículos construídos e 4.467 entregues no segundo trimestre. Com o aumento no terceiro trimestre, a Rivian construiu 14.317 veículos elétricos e entregou 12.278 um trimestre antes do final do ano. Já estava claro no início de outubro que a Rivian teria que construir 10.683 veículos no último trimestre para atingir a meta de 25.000 veículos e isso foi perdido quando 10.020 veículos foram construídos. As metas da empresa para 2023 ainda não foram divulgadas. (Electrive - 04.01.2023) 
Link Externo

SAIC-GM: Nova fábrica de VEs na China é inaugurada

A SAIC-GM, joint venture da General Motors com a SAIC Motor, abriu sua segunda fábrica de produção de veículos elétricos no local de produção da empresa na cidade de Wuhan, na China Central. O primeiro produto sendo montado na fábrica é o Buick Electra E5, que adotaria, de acordo com a empresa, “soluções de bateria locais sob medida para a China que suportam alta estabilidade térmica, baixa degradação e longa vida útil da bateria”. Com as duas fábricas, a SAIC-GM disse que planeja lançar mais de dez modelos à base de Ultium em várias marcas e segmentos. A Buick anunciou em junho de 2022 sua transformação em uma marca de carros totalmente elétricos até o final desta década. A montadora vendeu mais de dez milhões de veículos na China desde a sua introdução pela SAIC-GM em 1998, tornando-se o maior mercado da China Buick. (Electrive - 06.01.23) 
Link Externo

Sony Honda Mobility: Joint venture apresenta primeiro protótipo de VE

A joint venture Sony Honda Mobility (SHM), fundada pela Sony e pela Honda, trouxe seu primeiro protótipo de carro elétrico e anunciou uma parceria estratégica com a Epic Games e a Qualcomm. O protótipo representa o primeiro modelo da série Afeela, que deve entrar à venda antes do final de 2025, inicialmente na América do Norte. De acordo com a SHM, eles poderão entregar os novos VEs a partir da primavera de 2026. O veículo terá tração nas quatro rodas e dimensões de 4,9 x 1,9 x 1,46 m. Em relação à parceria com a Epic Games e a Qualcomm, alguns alegam que seria uma abordagem para criar novo valor da mobilidade no espaço de entretenimento, enquanto outros indicam que a SHM depende da Qualcomm para fornecer chips e outras tecnologias. (Electrive - 05.01.23) 
Link Externo

Stellantis/Carlos Tavares: “Um dos maiores desafios da indústria hoje é reduzir os custos”

Segundo o diretor executivo da Stellantis, Carlos Tavares, um dos maiores desafios da indústria hoje é reduzir os custos, já que os preços dos carros elétricos são elevados mesmo nos países mais ricos e é por isso que os governos ainda dão incentivos. O quadro piora diante da inflação de custos em todo o mundo e a perspectiva de que, com o aumento da demanda, alguns elementos usados em baterias comecem a se tornar escassos. Como aconteceu com os semicondutores. Desde o tempo em que estava no comando do grupo francês PSA Peugeot Citroën (antes da criação da Stellantis, em janeiro de 2022), o português Carlos Tavares, de 64 anos, tem sido crítico da forma unilateral como algumas regulamentações governamentais voltadas à eletrificação, principalmente na Europa, são definidas. O executivo mantém-se crítico. Mas assumiu a posição de que não adianta a indústria reclamar, mas, sim, antecipar-se às normas. “Os reguladores não estão nos perguntando quanto tempo você precisa para desenvolver isso ou aquilo. Eles só dizem: é isso que você precisa fazer, senão eu te mato com multas ou você desaparece. A conclusão que tiro disso é que precisamos correr mais rápido”. Segundo ele, a Stellantis também decidiu acabar com o lobby junto aos governos para tentar barrar regulamentações nesse sentido. (Valor Econômico - 08.01.2023) 
Link Externo

Tesla: Comercialização de VEs em 2022 apresenta valores recordes

No quarto trimestre de 2022, a Tesla apresentou recordes de entrega e produção com 429.701 carros elétricos construídos e 405.278 entregues. No ano inteiro de 2022, a empresa apresentou 1.369.611 veículos construídos e 1.313.851 entregues, a primeira vez que a marca do milhão foi quebrada. Em 2021, a Tesla falhou por pouco a marca de um milhão de veículos, com 930.422 veículos construídos em 936.172 entregues. No primeiro trimestre de 2022, a Tesla construiu 305.407 veículos e entregou 310.048 carros elétricos. No segundo trimestre, houve uma queda na curva de estatísticas (258.580 veículos produzidos, 254.695 entregues) devido a problemas contínuos na cadeia de suprimentos e aos fechamentos temporários da fábrica de Xangai. No terceiro trimestre de 2022, houve 365.923 carros construídos e 343.830 entregues, registros que agora foram superados novamente no último trimestre. (Electrive - 03.01.23) 
Link Externo

Tesla: Novas baterias apoiam expansão da capacidade de produção de VEs

A Tesla agora pode equipar cerca de 1.000 veículos por semana com suas novas 4.680 células de bateria. A empresa está implementando as 4680 células redondas (46 milímetros de diâmetro, 80 milímetros de altura) no Modelo Y, por exemplo, que está sendo construído no Texas. Paralelamente ao modelo, com o pacote de bateria estrutural baseado em 4.680, no entanto, as variantes do Modelo Y com bateria convencional e 2.170 células continuarão a ser construídas em Austin, já que a produção de 4.680 não é suficiente para preencher a linha de produção do veículo. As 4.680 células maiores também serão usadas no caminhão semi-elétrico Tesla e no próximo Roadster 2. As 4.680 células também serão obtidas de fornecedores, mas ainda não se sabe quando isso acontecerá em grandes quantidades. A parceira de baterias da Tesla, Panasonic, fabrica 4.680 células em uma linha piloto no Japão, mas a produção em série ocorrerá na América do Norte - presumivelmente em uma nova fábrica no Kansas, que não deve ser concluída até março de 2025. (Electrive - 02.01.23) 
Link Externo

Tesla: Modelos de VEs tem preço de venda reduzido na China

A Tesla diminuiu novamente os preços de todas as versões do Modelo 3 e Modelo Y na China, sendo o primeiro de nível básico 229.900 yuans. O modelo 3 Performance de acabamento mais alto tem um preço atualmente de 329.900 yuans (€45.695) na China, 20.000 yuans a menos do que antes. Por sua vez, o novo preço base para o Modelo Y na China é agora de 259.900 yuans (36.000 euros), 29.000 yuan a menos do que antes. A Tesla já havia reduzido significativamente os preços da China para o Modelo 3 e Modelo Y em outubro de 2022. O pano de fundo para a redução de preços renovada é o declínio da demanda, porque após a rodada de preços em outubro, já havia algumas campanhas de desconto na China, por exemplo, sobre seguros. Outra indicação da queda da demanda é que a Tesla planeja uma pausa mais prolongada durante o Ano Novo Chinês e interromperá a produção na China de 20 a 31 de janeiro. Em dezembro, houve relatos de que a produção na Giga Shanghai havia sido temporariamente reduzida. (Electrive - 06.01.23) 
Link Externo

Tesla e Piedmont Lithium: Contrato de fornecimento de lítio

A Piedmont Lithium negociou um contrato de fornecimento alterado com a Tesla no qual fornecerá aproximadamente 125.000 toneladas de concentrado de spodumene (SC6) à empresa entre o segundo semestre de 2023 e o final de 2025. O preço ainda não foi finalizado, pois será determinado por um mecanismo baseado em fórmulas “ligado aos preços médios de mercado do monohidrato de hidróxido de lítio durante o prazo do acordo”. Há uma mudança crucial no novo contrato: o mineral de lítio do Piemonte para Tesla não virá da Carolina do Norte, como inicialmente planejado, mas do Canadá, onde a Piedmont Lithium assinou um acordo de aquisição com a Sayona Quebec. “Estamos satisfeitos em poder fazer parceria com a Tesla para fornecer recursos de lítio produzidos na América do Norte”, disse Keith Phillips, presidente e CEO da Piedmont Lithium. (Electrive - 04.01.23) 
Link Externo

VinFast: Novos modelos de VEs chegarão ao mercado em 2023

A fabricante de carros elétricos do Vietnã, VinFast, especificou os detalhes de seus novos carros VF 6 e VF 7 na CES, que devem abrir para reservas em março de 2023. O modelo VF 6 tem 4,29 metros, com largura de 1,82 metros e altura 1,59 metros. A distância entre eixos é de 2,73 metros. A bateria é indicada em 59,6 kWh, mas não é especificado se este é um valor bruto ou líquido. O VF 6 está disponível em duas variantes, chamadas Eco e Plus. O VF 6 Eco conta com um motor elétrico de 130 kW com um torque máximo de 250 Nm que aciona as rodas dianteiras, tornando 399 quilômetros possíveis, de acordo com o WLTP. Pelo menos, esse é o valor-alvo comunicado pela empresa. O VF 6 Plus é um pouco mais potente, com 150 kW e 310 Nm, mas só pode cobrir 381 quilômetros. Outra diferença é que o modelo base é em rodas de 17 polegadas e o Plus em rodas de 19 polegadas. Os preços ainda não são conhecidos. (Electrive - 07.01.23) 
Link Externo

Vicinity: Financiamento para produção de caminhões elétricos

A fabricante canadense Vicinity Motor garantiu 30 milhões de dólares em compromissos de crédito de duas instituições canadenses para financiar a produção do caminhão elétrico classe 3 da empresa. O crédito concedido pelo Royal Bank of Canada e pelo Export Development Canada pode ser usado para até 100% dos custos de produção elegíveis no veículo, excluindo mão-de-obra e despesas gerais das fábricas de montagem da Vicinity. Além do compromisso de crédito de US$ 30 milhões para os caminhões VMC 1200, a RBC continuará a fornecer à Vicinity CAD US$ 10 milhões para uso com seus pedidos de ônibus existentes e uma facilidade de carta de crédito de US$ 3 milhões. “Este novo compromisso de crédito de US$ 30 milhões com nossos parceiros da RBC e da EDC será inestimável à medida que começarmos a aumentar a produção do VMC 1200, fornecendo-nos o capital de giro necessário para monetizar nosso significativo acúmulo de pedidos de 1.100 unidades”, disse William Trainer, fundador e diretor executivo da Vicinity Motor Corp. (Electrive - 05.01.23) 
Link Externo

Meio Ambiente

ESG: Luft Logistics inicia operação com caminhão elétrico

A transição energética irá ocorrer de forma mais acelerada entre as empresas, e o setor logística será um dos grandes impulsionadores da eletrificação no país. Um exemplo disso é a operadora Luft Logistics, que iniciou a operação do seu primeiro caminhão elétrico. Medida adotada dentro do programa de ESG (Meio Ambiente, Social e Governança) da empresa, o projeto contempla a frota da Luft Healthcare - voltada à área da Saúde -, que trabalhou em parceria com o laboratório farmacêutico e de dermocosméticos francês Expanscience. E o primeiro caminhão elétrico da frota Luft Healthcare é um modelo JAC iEV1200T, que está sendo dirigido pela motorista Edna Leite, rodando nas operações urbanas na cidade de São Paulo e na região metropolitana. (Inside EVs - 03.01.2023)  
Link Externo

ESG: Shell assume parcela da empresa de infraestrutura de carregamento da BYD

A China estabeleceu a meta de até 2025, ter uma rede capaz de atender a mais de 20 milhões de veículos zero emissão - atualmente a rede chinesa conta com 810.000 pontos de carregamento públicos. Nesse cenário, as grandes empresas chinesas já se movimentam para lidar com essa demanda, um exemplo recente é a da Shenzhen BYD Electric Vehicle Investment Co., Ltd., que passou por diversas mudanças em sua estrutura industrial e comercial para se adaptar a essas necessidades. Em março deste ano, a Shell assinou um acordo de cooperação estratégica global com a BYD para realizar conjuntamente a cooperação no campo do carregamento de VEs, anunciando a abertura de cerca de 300.000 postos de carregamento da Shell na Europa para proprietários de carros. Segundo relatado recentemente pelo portal Auto Home, informações industriais e comerciais mostram que o índice de participação acionária da BYD Automobile Industry Company na Shenzhen BYD Electric Vehicle Investment Co., Ltd. foi alterado de 60% para 20%. Nesse processo, a Shell (China) Co., Ltd. foi adicionada como acionista majoritária, com uma participação de 80% na empresa de energia. (Inside EVs - 09.01.2023) 
Link Externo

Estudos

Artigo GESEL: "Confiabilidade das Redes de Eletropostos"

Em artigo publicado pelo Broadcast Energia, Nivalde de Castro (professor no Instituto de Economia da UFRJ e coordenador do GESEL), Camila Ludovique (pesquisadora associada do GESEL.), Lilian Monteath (pesquisadora plena do GESEL) e Raphael Guimarães (pesquisador associado do GESEL) abordam a eletrificação do setor de transporte e a confiabilidade das Redes de Eletropostos. Segundo os autores, “quando o assunto é eletrificação no setor de transporte, o momento atual é instigante: recorde de venda, aumento exponencial da rede de recarga pública, e novas políticas de incentivo indicam que os veículos elétricos (VEs) vieram para ficar por força da efetiva contribuição para o processo de descarbonização. Não só vieram para ficar, como também para agregar claras vantagens em relação aos veículos à combustão interna. Assim, por serem mais silenciosos, eficientes e potentes, os VEs representam um vetor notadamente importante no caminho da transição energética”. (GESEL-IE-UFRJ – 06.01.2023) 
Ver PDF