IFE
04/01/2023

IFE ME 137

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
04/01/2023

IFE nº 137

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Leonardo Gonçalves e Vinicius José da Costa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE ME 137

Políticas Públicas e Regulatórias

Brasil: Indústria automobilística vai dialogar com novo governo sobre os tributos dos VEs

A tributação dos carros híbridos e elétricos tende a ser o principal tema que a indústria automobilística levará ao governo eleito. A discussão tem sido marcada por divergências entre as empresas e pouco avançou no governo de Jair Bolsonaro. A partir de definições em torno do limite dos incentivos para híbridos e elétricos importados e, consequentemente, o tamanho da proteção oferecida à indústria local, fabricantes, importadores e fornecedores definirão o tamanho de suas operações na América do Sul daqui para a frente. O primeiro tributo a entrar na discussão deve ser o Imposto de Importação, já que a totalidade dos carros 100% elétricos e grande parte dos híbridos são fabricados fora do país. Hoje, as alíquotas do II variam de 0% a 4% para híbridos e elétricos. Mas a discussão tributária entre governo e indústria automobilística terá de ir muito além do Imposto de Importação. Uma das tarefas mais complicadas será a reformulação das tabelas do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos automóveis, ainda fortemente baseadas em cilindradas do motor. Será necessário ajustá-las aos novos tempos. A produção de carros puramente elétricos no Brasil está fora de cogitação, por enquanto. (Valor Econômico - 30.12.2022) 
Link Externo

Brasil: Empresas de transporte público de São Paulo se comprometem com eletrificação de frotas

A cidade de São Paulo (SP) se prepara para acelerar a transição energética no transporte público. As empresas de transporte que atuam na capital paulista já encomendaram 1.109 ônibus elétricos, que chegarão às ruas entre 2023 e 2024. A maioria dos ônibus elétricos a bateria (657) serão entregues ainda este ano, enquanto o restante (457) ficará para o ano que vem. Esses pedidos são um reflexo do compromisso assumido pelo prefeito Ricardo Nunes, de eletrificar pelo menos 20% da frota de ônibus da capital até 2024, o que equivale a cerca de 2.600 ônibus elétricos em circulação na maior cidade do país em pouco mais de um ano. Esse compromisso está alinhado com as metas de transição da frota de ônibus a diesel para ônibus de baixa emissão de poluentes fixadas pela Lei 16.802 e pela atual licitação para renovar os contratos da Prefeitura com as empresas de transporte. (Inside EVs - 02.01.2023) 
Link Externo

Brasil: Paraná terá isenção de alíquota do IPVA de VEs até o fim de 2023

O governador Carlos Massa Ratinho Junior sancionou lei de isenção da alíquota do IPVA até o dia 31 de dezembro de 2023 para incentivar a venda e o uso de veículos elétricos. Conforme levantamento da Secretaria da Fazenda e da Receita Estadual, o Paraná tem 4.568.679 veículos tributáveis, sendo 3.967 desses 100% elétricos. Também foi sancionada lei que ratifica a participação do estado no Consórcio Interestadual sobre o Clima – Consórcio Brasil Verde, formado por toda as unidades da federação para promover cooperação dos estados ao enfrentar os efeitos das mudanças climáticas. (Canal Energia - 28.12.22) 
Link Externo

Alemanha: Corpo de Bombeiros de Berlim adquire VEs

O Corpo de Bombeiros de Berlim está adquirindo os próximos veículos de emergência eletrificados da Rosenbauer. O pedido inclui quatro unidades do veículo híbrido de combate a incêndios “Tecnologia Revolucionária” (RT). O eLHF está equipado para as demandas na cidade, contendo uma bomba de incêndio embutida e um sistema de proporção de espuma. Além da tecnologia voltada a extinção de incêndio, o eLHF também possui equipamentos para uma variedade de pequenas operações técnicas. O veículo tem tração nas quatro rodas e direção em ambos os eixos. (Electrive - 21.12.22) 
Link Externo

Austrália: Ganhos de exportação de lítio em 2022-23

O Departamento de Indústria, Ciência e Recursos da Austrália lançou a edição de dezembro de 2022 do Resources and Energy Quarterly (REQ). Entre suas descobertas, espera-se que as receitas de exportação de lítio excedam US$ 16 bilhões em 2022–23, acima dos US$ 5 bilhões em 2021–22. Isso tornará o lítio a sexta maior exportação de recursos e commodities energéticas da Austrália. A Austrália é o maior exportador de lítio do mundo, respondendo por 46% da produção mundial de lítio em 2021. Prevê-se que a produção de lítio da Austrália cresça de 335.000 toneladas equivalentes de carbonato de lítio (LCE) em 2021–22 para 399.000 toneladas em 2022–23 e 470.000 toneladas de LCE em 2023–24. Estima-se que a demanda mundial por lítio, impulsionada pela demanda por baterias de VEs, aumente de 592.000 toneladas equivalentes de carbonato de lítio (LCE) em 2021 para 745.000 toneladas em 2022. Nos dois anos seguintes, a demanda deve aumentar em mais de 40%, chegando a 1.091.000 toneladas em 2024. (Green Car Congress - 24.12.2022) 
Link Externo

Austrália: Sydney avança com ônibus elétricos

Na cidade australiana de Sydney, capital de New South Wales (NSW), a Transit Systems e seus parceiros Zenobē e TransGrid concluíram a construção do maior depósito de ônibus eletrificado da Austrália. O governo do estado de NSW também aprovou US$ 3 bilhões para financiar a próxima etapa dos Ônibus de Emissão Zero (ZEBS) e a nova infraestrutura de carregamento. Atualmente, 55 ônibus elétricos estão em operação no Leichhardt Bus Depot, no subúrbio de Leichhardt, em Sydney. O depósito de ônibus elétrico recém-concluído possui um grande painel solar, medição de carga básica, sistema de armazenamento de energia no local, conexão à rede e, é claro, carregamento para ônibus elétricos. (Electrive - 21.12.2022) 
Link Externo

Canadá: Novos regulamentos para eliminação de veículos à combustão

O governo canadense está lançando oficialmente regulamentos para implementar sua meta de permitir que apenas carros de passageiros e veículos comerciais leves com emissão zero sejam vendidos no país a partir de 2035. As montadoras e importadores que oferecem veículos novos para venda no Canadá serão obrigados a oferecer uma porcentagem crescente de sua frota como veículos de emissão zero (ZEVs) começando em 2026 e aumentando para 100% até 2035, de acordo com as minutas atuais. Além disso, estágios intermediários estão previstos nos novos regulamentos: uma cota de pelo menos 20 por cento de veículos de emissão zero deve ser aplicada a partir de 2026, pelo menos 60 por cento a partir de 2030 e 100 por cento a partir de 2035. (Electrive - 22.12.2022) 
Link Externo

EUA: Governadora de Nova York aprova investimentos em eletromobilidade

A governadora de Nova York, Kathy Hochul, está progredindo com suas políticas de VEs mais uma vez ao anunciar US$ 23 milhões em financiamento para iniciativas de mobilidade elétrica no estado de Nova York. Isso inclui US$ 15 milhões para iniciativas de cobrança e outros US$ 8 milhões para escolas elétricas e ônibus de transporte público. O financiamento inclui três esquemas. A Hochul disponibilizou US$ 8 milhões na terceira rodada do programa Direct Current Fast Charger para instalar a infraestrutura de veículos elétricos em Buffalo, Rochester e Syracuse; $ 7 milhões foram para ChargePoint e EVGateway para melhorar o acesso no norte do estado de Nova York nas rodadas um e dois do programa Direct Current Fast Charger; e os $ 8 milhões restantes foram disponibilizados para ônibus escolares elétricos e ônibus paratransit no Programa de Incentivo de Voucher de Caminhão de Nova York. (Electrive - 18.12.2022) 
Link Externo

EUA: Investimentos em fábricas de VEs nos EUA

Até novembro de 2022, cerca de 33 bilhões de dólares em investimentos para eletromobilidade foram prometidos nos Estados Unidos, incluindo dinheiro para construir novas fábricas de montagem e instalações de fabricação de baterias, conforme indica o Center for Automotive Research. Para se ter ideia, em 2021, foram comprometidos 37 bilhões de dólares com novos gastos com fábricas de automóveis no país. A maior parte desses novos investimentos irá para locais no sul dos Estados Unidos, afastando o foco da região dos Grandes Lagos. (Valor Econômico - 01.01.23) 
Link Externo

França: Extensão de benefícios para VEs até 2024

A França estendeu os benefícios ‘Benefit-in-Kind’ (BIK) até o final de 2024. Além disso, os motoristas de carros elétricos pagarão menos pedágios pelo uso de rodovias francesas. O imposto BIK funciona para funcionários que recebem benefícios ou vantagens além de seu salário. Se possuem um carro da empresa para uso privado, precisam pagar uma contribuição BIK. Há, contudo, redução de 50% para carros elétricos da empresa. Originalmente, esse regulamento de 50% era limitado a 31 de dezembro de 2022, mas com a extensão que agora foi decidida, não expirará até o final de 2024. Além disso, os operadores de rodovias franceses anunciaram um aumento nos pedágios. A partir de fevereiro de 2023, os preços para o uso das rodovias aumentarão em média 4,75%. No entanto, os operadores estão concedendo um desconto de 5% a todos os proprietários de VEs. Por enquanto, tal isenção é limitada a um ano. (Electrive - 14.12.22) 
Link Externo

União Europeia: Resposta aos incentivos para os carros elétricos dos EUA

O novo programa de incentivos para carros elétricos dos Estados Unidos tem causado bastante preocupação na União Europeia. Considerado protecionista pelos pares europeus, a chamada 'Inflation Reduction Act' está motivando uma contra ofensiva de Bruxelas. O plano do governo Biden é bem amplo, mas em linhas gerais recompensa apenas os carros elétricos que são fabricados nos Estados Unidos. Segundo revelado pela Reuters, um documento distribuído pela Comissão Europeia entre os Estados-membros está reunindo evidências de que os incentivos norte-americanos estão 'expulsando' os projetos da União Europeia. Ainda de acordo com a reportagem, o texto mostra que a Europa pede sugestões sobre como melhorar as regras em termos de incentivos e apoios dos governos locais à mobilidade elétrica. (Inside EVs - 19.12.2022) 
Link Externo

União Europeia: Financiamento para rede de recarga na Alemanha

A Comissão Europeia, braço executivo do bloco europeu, aprovou recentemente a permissão ao governo alemão para subsidiar a construção de uma rede de 8.500 pontos de carregamento rápido no valor de 1,8 bilhão de euros. O chamado "Deutschlandnetz" foi proposto pela primeira vez pelo governo alemão em agosto de 2021 e envolverá a instalação de estações de carregamento em aproximadamente 900 locais na Alemanha. O foco será colocado nas áreas que não possuem pontos de carregamento de alta potência ou onde os pontos existentes são insuficientes para atender à demanda prevista. A medida prevê postos de carregamento a cada 15 a 30 minutos de condução. (Electrive - 14.12.2022) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

Sigma Lithium: Estreia do Brasil no mercado mundial de lítio para bateria

Mina da Sigma Lithium, no norte de Minas Gerais, deve iniciar operação no primeiro trimestre de 2023. O projeto, que está em fase final de implantação, deve se consolidar em escala global, colocando a empresa entre as quatro maiores fabricantes mundiais. Atualmente, as maiores produtoras de lítio do mundo são a americana Albemarle, a chilena SQM e as australianas Allkem e Pilbara Minerals. No Brasil, somente duas empresas produzem lítio, a Companhia Brasileira de Lítio (CBL) e a AMG Brasil. Contudo, o material é utilizado para outras aplicações, como graxas e lubrificantes. A produção da Sigma começa com 270 mil toneladas de concentrado lítio e saltará para 768,2 mil toneladas ao final de 2024. Com esse projeto, a empresa prevê receita liquida de 1,55 bilhão de reais em 2023. (Valor Econômico - 20.12.22) 
Link Externo

Adamas Intelligence: Baterias LFP já respondem por quase um terço de participação de mercado

A composição química das baterias lítio-fosfato-ferro (LFP) quase dobrou a sua participação no mercado global de baterias para veículos de passageiros eletrificados (elétricos, híbridos plug-in e híbridos) desde janeiro de 2021, mas ainda é muito centrada na China. De acordo com a Adamas Intelligence, a quota das células LFP aumentou de 17% em janeiro de 2021 para 26% em janeiro de 2022 e, mais recentemente, acelerou para 31% em setembro de 2022. Isto significa que quase um terço de todas as baterias para veículos eletrificados são LFP. Contudo, a família NCM (níquel-manganês-cobalto) mais densa em energia (cátodo rico em níquel) continua a ser a solução dominante, com uma quota mais de duas vezes superior. Ainda não está claro se a LFP será capaz de vencer a NCM em algum momento. Interessante é que 68% de todas as baterias LFP utilizadas durante os primeiros nove meses de 2022 foram utilizadas por dois fabricantes - Tesla e BYD, que por sinal são também os dois maiores produtores de veículos elétricos e no conjunto de veículos eletrificados. (Inside EVs - 01.01.2023) 
Link Externo

BMW: Produção de baterias de estado sólido na Alemanha

A BMW pretende produzir células de bateria de estado sólido em sua própria plataforma piloto na Alemanha com base no projeto da Solid Power, obtendo licença de pesquisa e desenvolvimento da empresa norte-americana. De acordo com a Solid Power, o acordo de desenvolvimento estendido abrange o uso conjunto de know-how proprietário na produção de eletrodos e células sólidas, mas não é uma licença de propriedade intelectual relacionada ao material eletrolítico da Solid Power, que continua sendo o principal negócio da empresa. Em troca de seu material eletrolítico para produção de células protótipos, o Grupo BMW irá pagar à Solid Power 20 milhões de dólares até junho de 2024. Espera-se que o relacionamento traga benefícios mútuos para ambas as empresas. A Solid Power concluiu a instalação de sua própria linha de produção piloto no último verão, cuja produção de células de bateria de estado sólido deve começar em 2026. (Electrive - 22.12.22) 
Link Externo

CATL: Início da produção de células de baterias na Alemanha

A CATL, empresa chinesa de tecnologia e fabricante de baterias, iniciou a produção em série de células de bateria na Alemanha, conforme anunciado na primavera. O primeiro lote de células no local de Arnstadt foi fabricado no edifício de G2 de 360.000 metros quadrados. Conforme indica a empresa, a instalação e comissionamento das linhas restantes ainda se encontra em andamento e o grupo visa capacidade inicial de 8GWh por ano. Com um investimento total de 1,8 bilhão de euros, a CATL planeja atingir uma capacidade de produção de 14 GWh e criar um total de até 2.000 novos empregos na Alemanha. (Electrive - 22.12.22) 
Link Externo

Designwerk: Nova estação de carregamento para caminhões

A especialista suíça em eMobility, Designwerk, apresenta nova estação de carregamento de megawatts capaz de carregar caminhões elétricos em 45 minutos, seis vezes mais rápido do que as estações de carregamento de 350 kW. A nova estação depende do mais recente padrão do Sistema de Carregamento de Megawatts (MCS), a partir da possibilidade de carregamento contínuo de megawatts com as baterias tampers integradas em um grande contêiner. O MCS foi projetado para uma tensão de carregamento de até 1.250 V e uma corrente de 3.000 A, o que corresponderia a uma capacidade de carregamento de até 3,75 MW. A estação de carregamento está em desenvolvimento e teste da Designwerk integrada a uma pesquisa com a Universidade de Ciências Aplicadas de Berna (BFH) e a Universidade de Ciências Aplicadas da Suíça Oriental (OST). Até o momento atual, instalações estão planejadas na Galliker Transport AG, Käppeli Logistik e Murg Flums Energie. (Electrive - 19.12.22) 
Link Externo

ElectReon: Projeto de carregamento indutivo móvel na Alemanha

Em Balingen, a tecnologia dinâmica de carregamento sem fio para veículos elétricos está sendo testada na prática pela primeira vez na Alemanha. O protagonista do projeto-piloto é um ônibus para o Garden Show 2023, que carrega a bateria do veículo enquanto dirige. A empresa israelense ElectReon, especializada em carregamento indutivo de veículos elétricos, instalará um Sistema Rodoviário Elétrico (ERS) inicialmente de 400 metros sob o asfalto para o projeto, bem como duas estações estacionárias de carregamento indutivo. Numa fase posterior do projecto, prevê-se alargar o troço de estrada devidamente preparado para um quilómetro. Além da Electreon Germany, os parceiros do projeto são EnBW, o Karlsruhe Institute of Technology (KIT) e Stadtwerke Balingen. Todo o projeto também está sob os auspícios do Centro Aeroespacial Alemão (DLR) e opera sob o título ELINA (Einsatz dynamischer Ladeinfrastruktur im ÖPNV). De acordo com a ElectReon, este não é o primeiro teste piloto da tecnologia DWPT na Alemanha. O projeto Balingen segue um projeto piloto bem-sucedido com tecnologia Electreon na cidade de Karlsruhe em cooperação com a EnBW, a empresa diz em seu próprio comunicado. (Electrive - 16.12.2022) 
Link Externo

Gotion High-Tech: Construção de fábrica de baterias na Tailândia

A fabricante chinesa de células de bateria e parceira da Volkswagen, Gotion High-Tech, anunciou recentemente que está planejando construir uma instalação de produção de baterias na Tailândia. A usina está sendo construída como parte de uma joint venture entre a Gotion Singapore, subsidiária da Gotion, e a Nuovo Plus, uma subsidiária da empresa de energia tailandesa PTT Group. Além de localizar a produção de baterias na Tailândia, a joint venture também criará uma base para a exportação de baterias para outros países. A nova fábrica está programada para iniciar a produção no quarto trimestre de 2023. (Electrive - 20.12.2022) 
Link Externo

InstaVolt: Construção de hub de carregamento no Reino Unido

A InstaVolt, rede de carregamento de VEs do Reino Unido, está expandindo seu hub de carregamento ultrarrápido em Banbury, Oxfordshire, dobrando o número de carregadores que existem atualmente no local em resposta à demanda contínua dos consumidores. Esse projeto faz parte do seu plano de expansão, tendo 16 novos carregadores rápidos de 120 kW que ficarão atrás do local existente de Banbury. A extensão do local incluirá quatro baías de acesso mais amplas e quatro baías totalmente acessíveis com o distanciamento necessário de 1,2 m na frente e entre os pontos. (WhichEV - 20.12.22) 
Link Externo

LG Energy Solution: Expansão da fábrica de células de bateria na Coreia do Sul

A LG Energy Solution anunciou um investimento total de 2,9 bilhões de euros até o final de 2026 em sua fábrica de Ochang, na Coreia do Sul, para aumentar a capacidade de produção de células redondas de VEs e construir um novo centro de pesquisa e desenvolvimento. Com essa expansão, a empresa pretende criar 1.800 empregos adicionais na fábrica. A capacidade de produção planejada não é conhecida e o formato da célula não foi especificado pela LGES. De acordo com relatos locais, o principal produto será a célula 4.680, com diâmetro de 46 milímetros e altura de 80 milímetros. (Electrive - 19.12.22) 
Link Externo

Morand: Nova bateria de recarga ultrarápida

Cada vez mais empresas investem na tecnologia de carregamento ultrarrápido, que é o caso da Morand, que lançou a Morand eTechnology, que promete recarregar uma bateria em apenas 72 segundos. Trata-se de um sistema híbrido que combina capacidades de ultra capacitor e bateria química para criar um pacote de energia durável e ultrarrápido que pode ser recarregado de forma útil em poucos segundos. Segundo relatado, a tecnologia é indicada para aplicações que exigem cargas muito rápidas e frequentes de cerca de cinco minutos ou menos. Existem várias tecnologias de carregamento ultrarrápido em testes, mas elas esbaram na limitação do número de ciclos antes de sofrer degradação de capacidade. Uma situação que a Morand promete reverter com sua tecnologia, já que ela garante 50 mil ciclos de carga e descarga, tendo se aproximado das 70 mil operações durante a fase de testes. E a eTechnology tem outra vantagem, que é a menor dependência de materiais como lítio e cobalto. Ela ainda utiliza lítio, mas a composição química se baseia principalmente em alumínio, grafeno e carbono. (Inside EVs - 29.12.2022) 
Link Externo

Nano One e Umicore: Parceria visando processos de produção de materiais para baterias

A desenvolvedora canadense de baterias Nano One e o grupo belga de tecnologia de materiais Umicore anunciaram recentemente a assinatura de um acordo para desenvolver tecnologias de produção em conjunto para materiais de cátodo ativo de baterias de íons de lítio. Ambas as empresas pretendem compartilhar suas respectivas tecnologias para materiais de cátodo ativo NMC com alto teor de níquel para aumentar ainda mais o rendimento enquanto reduzem o custo e a pegada ambiental da produção de materiais de cátodo ativo. A Umicore planeja avaliar a tecnologia patenteada 'M2CAM One-Pot process' da Nano One com a intenção de integrá-la com sua própria tecnologia de processo proprietária para a produção de materiais ativos de cátodo NMC com alto teor de níquel. “Com a Umicore, compartilhamos uma meta comum de melhorar a pegada ambiental, o custo e o desempenho das baterias de íon-lítio, por meio de materiais e inovação de processos”, disse o CTO da Nano One, Dr. Stephen Campbell. (Electrive - 22.12.2022) 
Link Externo

Redwood: Construção de centro de desenvolvimento de materiais para baterias

A empresa de reciclagem Redwood Materials, anunciou a construção de um novo campus de materiais de bateria perto de Charleston, na Carolina do Sul, para reciclagem de baterias e produção de novos materiais de bateria. O local será utilizado para reciclar componentes de ânodo e cátodo e processá-los em novos materiais de bateria, com a expectativa de produção de 100 GWh de componentes por ano inicialmente. A construção está programada para começar no primeiro trimestre de 2023, com o primeiro processo de reciclagem programado para o final do ano. A localização nos arredores de Charleston é estratégica, visto que há potencial para o crescimento da indústria de baterias norte-americana no local. O campus processará materiais fornecidos à Redwood por meio de colaborações de reciclagem já assinadas, como a Ford, VW, Volvo, Panasonic e Toyota. (Electrive - 15.12.22) 
Link Externo

Siemens: Construção de fábrica de carregadores para VEs

A multinacional alemã Siemens anunciou recentemente que selecionou o local para construção do seu segundo centro de fabricação de mobilidade elétrica nos EUA. A instalação será localizada em Carrollton, no Texas. A planta já existente no local, que cobre 80.000 pés quadrados (cerca de 7.432 metros quadrados), será adaptada. A empresa diz que isso permitirá “acelerar a sua produção rapidamente para atender ao mercado de VEs". A instalação será destinada para produção de mais de um milhão de carregadores EV para os mercados dos EUA nos próximos três anos. "Com esse investimento, a Siemens continua a aumentar a fabricação de carregamento de VEs nos EUA para ajudar a atender a essa chamada e continuar preparando a infraestrutura do país à medida que avançamos para um futuro totalmente elétrico”, disse John DeBoer, chefe da Siemens eMobility North America. (Electrive - 14.12.2022) 
Link Externo

SK Innovation: Parceria visando reciclagem de baterias

A SK Innovation e a especialista em reciclagem SungEel HiTech anunciaram recentemente a formação de uma joint venture de reciclagem de baterias na Coréia. Segundo o acordo, a joint venture irá combinar a tecnologia de recuperação de hidróxido de lítio desenvolvida pela SK Innovation com a tecnologia de recuperação de níquel, cobalto e manganês da SungEel HiTech, de forma a garantir uma vantagem competitiva diferenciada no mercado de reciclagem de baterias em rápido crescimento. A fabricante coreana de baterias está desenvolvendo a tecnologia de recuperação de lítio desde 2017. Com a formação da joint venture, a SK Innovation agora planeja trabalhar com a SungEel HiTech para construir a primeira fábrica comercial na Coréia, que deverá estar operacional em 2025. A expectativa é que outras instalações sejam construídas nos EUA e Europa em seguida. (Electrive - 23.12.2022) 
Link Externo

Stellantis: Aquisição de aiMotive deve acelerar projetos de condução autônoma

Em dezembro, a Stellantis anunciou a aquisição da aiMotive, um desenvolvedor líder de software avançado de inteligência artificial e condução autônoma. O movimento faz parte do plano estratégico do grupo automotivo com presença em eletrificação e carros conectados e autônomos. Segundo o comunicado oficial, a aiMotive irá operar como uma subsidiária da Stellantis, mantendo sua independência operacional. (Inside EVs - 22.12.2022) 
Link Externo

SVOLT: Nova bateria Dragon Armor promete mais segurança e autonomia

A SVOLT, fabricante de baterias que emergiu da Great Wall, montadora chinesa, revelou sua inovação em baterias projetadas para oferecer maior segurança e permitir maior alcance. A nova “Dragon Armor Battery” já está disponível para pré-encomenda por clientes em todo o mundo. De acordo com a SVOLT, espera-se que a nova bateria seja usada nos primeiros modelos de produção em 2023, incluindo um SUV e um coupé. Dependendo da química das células usadas na Dragon Armor Battery, alcances de mais de 800 quilômetros (LFP) a mais de 1.000 quilômetros (NCM) devem ser possíveis. Para melhorar a segurança e a capacidade de carregamento rápido, o pacote também apresenta um design de resfriamento de dupla face. Diz-se que isso permite que as células entrem em contato com a placa de resfriamento em uma área maior, melhorando a capacidade de transferência de calor em 70%. (Electrive - 19.12.2022) 
Link Externo

Toyota e Oncor Electric Delivery: Parceria para projeto de V2G

A Toyota Motor North America e a Oncor Electric Delivery, uma empresa de transmissão e distribuição elétrica com sede no Texas, firmaram recentemente uma parceria em um projeto piloto em torno do recurso vehicle-to-grid (V2G). Trata-se da primeira cooperação desse tipo para a Toyota nos Estados Unidos. Inicialmente, as duas empresas darão início ao projeto de pesquisa utilizando a microrrede da Oncor em seu System Operating Services Facility (SOSF) no sul de Dallas, Texas. A microrrede SOSF é composta por quatro microrredes interconectadas que podem ser controladas independentemente, mas também operadas em paralelo, ou combinadas em um único sistema maior. O sistema também inclui um carregador V2G, painéis solares e um sistema de armazenamento de bateria para teste e avaliação. É aqui que a Toyota e a Oncor planejam usar um VE “para entender melhor a interconectividade entre veículos elétricos e utilitários”, afirma o comunicado. (Electrive - 19.12.2022) 
Link Externo

União Europeia: Projeto visa reduzir custos e desperdício de produção de baterias

No projeto da UE BatWoMan, pesquisadores coordenados pelo Instituto Austríaco de Tecnologia (AIT) desenvolverão e implementarão processos para a produção de baterias neutras em CO2 na Europa. O objetivo é, entre outras coisas, reduzir os custos de produção de células em cerca de 60% e reduzir para metade o consumo de energia. O projeto com o longo título: “Carbon Neutral European Battery Cell Production with Sustainable, Innovative Processes and 3D Electrode Design to Manufacture” tem a duração de três anos e é financiado com 4,85 milhões de euros e, portanto, inteiramente no âmbito do Programa Horizon da União Europeia. Além do AIT, o Karlsruhe Institute of Technology (KIT) também está envolvido no BatWoMan, assim como a Fundacion Cidetec, a Universidade de Duisburg-Essen, Sovema Spa, Matthews International GmbH e os Rise Research Institutes of Sweden. (Electrive - 22.12.2022) 
Link Externo

União Europeia: Projeto 'Power2Power' anuncia semicondutores mais eficientes

Como parte do projeto de cooperação europeu agora concluído com sucesso 'Power2Power', 43 parceiros da indústria e pesquisa desenvolveram em conjunto novos semicondutores de potência com maior densidade de potência e eficiência energética nos últimos três anos. Um projeto de acompanhamento começará em janeiro. O Power2Power foi coordenado pela Infineon Technologies e produziu semicondutores de potência significativamente melhorados para altas tensões, de acordo com um comunicado da empresa. As soluções IGBT baseadas em silício desenvolvidas pelo consórcio permitem reduções significativas no consumo de energia, particularmente em mobilidade elétrica, e conversão de energia com eficiências de mais de 98% para conversores e powertrains em VEs. Uma vez que os semicondutores de potência são necessários não apenas no próprio carro elétrico, mas em todas as fases da conversão de energia, as maiores eficiências dos semicondutores recém-desenvolvidos também podem levar a melhorias na geração e transmissão de eletricidade. (Electrive - 20.12.2022) 
Link Externo

Volkswagen e Enel: Joint venture visando construção de infraestrutura de recarga rápida

A Volkswagen e a Enel X Way, empresa do grupo Enel para mobilidade elétrica, formaram recentemente a joint venture Ewiva para construir 3 mil pontos de carregamento rápido para VEs na Itália até o fim de 2023. Ao garantir que haja energia e pontos de carregamento suficientes para veículos elétricos, a maior montadora da Europa espera convencer os motoristas preocupados com o alcance da bateria de que podem substituir definitivamente seus carros movidos a combustíveis fósseis por modelos de novas propulsões. De acordo com um estudo da McKinsey para a Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis, o continente precisará de pelo menos 3,4 milhões de estações de carregamento até 2030. Ao todo, a montadora diz ter investido € 100 milhões (o equivalente a cerca de R$ 564 milhões). (Automotive Business - 14.12.2022) 
Link Externo

Indústria Automobilística

Automotive Business e Solucx: A visão do consumidor brasileiro sobre os VEs

Ainda que os carros elétricos estejam começando sua ascensão no Brasil, 55% dos consumidores brasileiros sabem da existência da tecnologia, apesar de nunca terem visto um desses modelos nas ruas. Essa é uma das conclusões de levantamento feito por Automotive Business em parceria com a Solucx, empresa especializada em pesquisa de satisfação e lealdade do cliente. Outro ponto revelado pelo levantamento é que 70% dos respondentes entendem que o preço dos carros elétricos deveria ser menor ou igual ao de veículos flex. A expectativa é equivocada, já que a nova tecnologia ainda precisa de escala de produção para ficar mais barata, o que vai levar alguns anos. Do total, 39% creem que os carros elétricos deveriam ter preço inferior aos modelos a combustão. Já 31% responderam que os custos têm de ser equivalentes e 30% disseram que os eletrificados podem ser mais caros que os veículos flex. (Automotive Business - 21.12.2022) 
Link Externo

Seres: Venda de VEs comerciais no Brasil em 2023

A Seres, marca com sede nos EUA, irá trazer o seu furgão e caminhão-baú zero combustão chineses para o mercado brasileiro. Com aplicação principalmente para entregas urbanas, os veículos chegarão no primeiro trimestre de 2023 e são fabricados pela DFSK Motor. Os modelos são movidos pelo mesmo motor, alimentado por baterias de 41 kWh, com 81 cv de potência, 20,4 kgfm de torque e autonomia de aproximadamente 300 km. Os SUVs eletrificados da Seres chegarão entre janeiro e fevereiro de 2023 no Brasil, antes dos comerciais leves elétricos. (Automotive Business - 20.12.22) 
Link Externo

LMC Automotive: Vendas globais de veículos elétricos fecharão 2022 sem crescimento

Segundo projeção da LMC Automotive divulgada pela Just Auto, o ano de 2022 deve terminar com 81,2 milhões de veículos leves, número estável na comparação com 2021. Em comparação com o período pré-pandemia, em 2019, foram vendidos mais de 90 milhões de carros de passeio globalmente. No Brasil, as vendas de veículos se fortaleceram em novembro. No total, no Brasil e na Argentina entre janeiro e novembro de 2022 foram 2,11 milhões de emplacamentos. Dessa forma, torna-se necessário aumentar os emplacamentos em grandes mercados globais para cumprir as metas climáticas. A China, por exemplo, encara forte desaceleração do ritmo de expansão por causa da política severa de combate à Covid-19. Os Estados Unidos sofreram redução de suas vendas pela alta do preço dos carros e a falta de semicondutores. A Europa sofre com a falta de componentes e as dificuldades presentes com a Guerra da Ucrânia. (Automotive Now - 20.12.22) 
Link Externo

Audi: Novas metas e estratégias para eletromobilidade

A montadora alemã Audi anunciou recentemente que irá lançar somente modelos totalmente elétricos no mercado global até 2026, eliminando gradualmente a produção de seus modelos de combustão até 2033. Ao apresentar a sua visão de futuro, intitulada 360factory, que coloca ênfase igual na relação custo-benefício, sustentabilidade, flexibilidade e atratividade, a empresa disse que todas as suas fábricas fabricarão veículos totalmente elétricos até 2029, pois pretende reduzir pela metade seus custos de produção até 2033. “Para atingir o nosso objetivo, contamos com o nosso pessoal altamente qualificado e com um orçamento de formação de cerca de 500 milhões de euros”, disse Gerd Walker, membro do Conselho de Produção e Logística da Audi. (WhichEV - 29.12.2022) 
Link Externo

Audi: Todas as instalações produzirão veículos totalmente elétricos até 2029

A partir de 2026, a Audi lançará apenas modelos totalmente elétricos no mercado global, eliminando gradualmente a produção de seus modelos de combustão até 2033. Com base nessa decisão clara tomada como parte de sua estratégia corporativa Vorsprung 2030, a Audi agora está tomando medidas para se preparar suas instalações globais para a produção de carros totalmente elétricos. A Audi está construindo sua rede de produção global existente para alcançar essa visão. Desse modo, até o final da década, a Audi estará fabricando modelos com acionamento elétrico em todas as suas fábricas em todo o mundo. Dois locais, Böllinger Höfe e Bruxelas, já estão produzindo veículos totalmente elétricos. A rede de produção da Audi pretende ser econômica, sustentável e atraente, além de flexível. (Green Car Congress - 22.12.2022) 
Link Externo

Daimler Buses: Novo projeto visa o desenvolvimento de ônibus totalmente elétricos

A partir do final desta década, a Daimler Buses quer oferecer ônibus totalmente elétricos com suas marcas Mercedes-Benz e Setra. Para acelerar o desenvolvimento, a Daimler Buses uniu forças com institutos de pesquisa e profissionais da indústria para formar o projeto Electrified Coach chamado ELCH. O projeto é financiado pelo governo alemão, embora a Daimler Buses não tenha divulgado o valor em seu anúncio. O objetivo é desenvolver um trem de força modular incluindo dois veículos de demonstração nos próximos quatro anos, que serão então testados em condições reais de operação. As descobertas da construção dos veículos de demonstração formarão a base para o “planejamento de produção econômica e processos de montagem para ônibus movidos a eletricidade”, de acordo com a Daimler Buses. (Electrive - 21.12.2022) 
Link Externo

Ford e CATL: Operação em conjunto de fábrica de baterias nos EUA

A CATL e a Ford estão considerando a construção conjunta de uma fábrica nos EUA para baterias LFP. De acordo com um relatório da agência, a unidade de produção será de propriedade total da Ford, mas operada pela CATL. Isso poderia tornar a usina elegível para subsídios do governo dos EUA sob a Lei de Redução da Inflação. A CATL forneceria células de bateria para Ford e BMW, entre outros, de sua fábrica na América do Norte. De acordo com a Bloomberg, a iniciativa mencionada já está em vigor com a Ford. Ao permanecer sob a propriedade da Ford, a fábrica poderia receber subsídios sem exigir um investimento financeiro direto da CATL. (Electrive - 16.12.2022) 
Link Externo

GM: Programa Ultium Cells recebe novo financiamento do DOE

A Ultium Cells, joint venture da General Motors com a LG Energy Solutions (LGES), recebeu US$ 2,5 bilhões por meio do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DoE). A Ultium Cells está supostamente trabalhando para estabelecer pelo menos três fábricas de células de bateria nos EUA. O anúncio segue um compromisso condicional que a agência federal fez em julho. O dinheiro vem do programa Advanced Technology Vehicles Manufacturing (ATVM). Agora, essa aprovação de empréstimo torna a Ultium Cells a primeira empresa a receber financiamento do Departamento de Energia exclusivamente para a produção de células de bateria para carros elétricos. (Electrive - 13.12.2022) 
Link Externo

Hyundai: Marca venderá apenas VEs na Noruega

A montadora sul-coreana Hyundai anunciou recentemente que venderá apenas VEs a bateria na Noruega a partir de 1º de janeiro de 2023. Desde 2020, a fabricante oferecia somente VEs a bateria e híbridos plug-in (PHEVs) no país. No final de 2022, a Hyundai vendeu os últimos PHEVs na Noruega e a partir de agora se concentrará na eletricidade pura. Para a Hyundai, a Noruega é o primeiro mercado mundial onde o fabricante está realizando a mudança total para VEs a bateria. Nos últimos anos, os carros elétricos já representavam mais de 90% das vendas da Hyundai na Noruega. De 2020 a 2022, a montadora revelou que comercializou cerca de 25 mil carros de passageiros na Noruega, dos quais 92% eram totalmente elétricos. (Electrive - 02.01.2022) 
Link Externo

Iveco: Novo ônibus elétrico E-Way é apresentado no Uruguai

O ônibus elétrico Iveco E-Way foi lançado recentemente no Uruguai pela Iveco Bus e a Santa Rosa, distribuidora da marca no país vizinho. Se apoiando nas tecnologias mais recentes da empresa, este ônibus elétrico foi colocado à prova em mais de 30 milhões de quilômetros de testes. Em termos de desempenho, a Iveco Bus destaca o amplo torque, superior aos motores a diesel de modelos equivalentes, o que agiliza o tempo de viagem. O ônibus elétrico e-Way tem estrutura monobloco, piso baixo e oito pacotes de baterias que ficam alojadas no teto e no compartimento traseiro, uma configuração que permite ao modelo ter piso baixo e maior capacidade de passageiros. Durante a Lat.Bus 2022, Danilo Danilo Fetzner, diretor da Iveco Bus para a América Latina, afirmou que o ônibus elétrico E-Way não será comercializado no Brasil em um primeiro momento, com a marca focando em outros mercados da América Latina. (Inside EVs - 25.12.2022) 
Link Externo

Lion Electric: Fabricação de baterias no Canadá

A fabricante norte-americana de veículos utilitários elétricos Lion Electric começou recentemente a produzir suas próprias baterias em sua fábrica de Mirabel, na província canadense de Québec. A certificação final da primeira bateria Lion está prevista para o primeiro trimestre de 2023. As primeiras baterias produzidas em Mirabel serão usadas no caminhão elétrico Lion5 e na ambulância Lion, que devem entrar em produção no primeiro trimestre de 2023. Quando estiver totalmente operacional, a fábrica de baterias da Lion Electric em Mirabel deverá atingir uma capacidade de produção anual de 5 GWh. Com módulos e fabricação próprios, a Lion está conduzindo a integração vertical da cadeia de valor. A produção de nossa primeira bateria em nossa instalação de baterias Mirabel é um passo importante para a Lion e deve, com o tempo, trazer consigo um novo nível de otimização para design de produto e eficiência de produção”, disse Yannick Poulin, diretor de operações da Lion. (Electrive - 22.12.2022) 
Link Externo

Marcopolo e Zenobe: Parceria para soluções de eletromobilidade no transporte público

A Marcopolo apresentou seu primeiro ônibus elétrico, o Attivi, durante o Lat.Bus 2022 em agosto. E agora, a empresa que é a terceira maior encarroçadora do mundo, anuncia uma parceria internacional para apoiar o lançamento do seu ônibus de zero emissão. De acordo com o comunicado divulgado pela Marcopolo nesta semana, a parceria será com a Zenobē, uma empresa que apoiará a brasileira com uma plataforma de gestão de eficiência energética para os ônibus elétricos Marcopolo Attivi no Brasil, América Latina e América do Norte a partir de 2023. O objetivo da Marcopolo é aproveitar a expertise da Zenobē e utilizar sua experiência global em eletrificação de frotas e software de carregamento inteligente para desenvolver soluções de eletromobilidade para transporte público. Isso inclui testar soluções diversas de carregamento e buscar o que há de melhor em eficiência energética das baterias para apoiar o lançamento do Attivi, o novo modelo de ônibus 100% elétrico da Marcopolo. (Inside EVs - 23.12.2022) 
Link Externo

Noruega: VEs atingem maior participação de mercado da história em 2022

A Noruega atingiu um novo recorde em 2022, já que quase quatro em cada cinco carros vendidos eram elétricos. De acordo com a última data de registro, a Noruega está a caminho de se tornar a primeira nação a acabar com as vendas de carros movidos a gasolina até 2025. A participação nas vendas de veículos elétricos aumentou de apenas 2,9% há uma década para 65% em 2021. Em 2022, a Noruega deu outro grande salto, alcançando 79,3% enquanto o país demonstrava as mudanças drásticas que aconteciam no mercado automotivo. Com o rápido progresso alcançado nos últimos anos, a Noruega está confiante de que atingirá 100% de participação nas vendas de VEs até 2025. (Electrek - 02.01.2023) 
Link Externo

Stellantis: Novas metas para fabricação de motores elétricos

A Emotors, joint venture formada pela Stellantis e pela holding Nidec Leroy-Somer, anunciou recentemente que irá aumentar a produção de motores, transmissões e baterias elétricas na Europa. A meta é chegar a 1 milhão de conjuntos fabricados por ano até 2024 na unidade de Trémery, Lorraine, França, para atender, a curto prazo, quatro veículos zero combustão. A produção própria de conjuntos elétricos para EVs é fundamental na estratégia Dare Forward 2030 da Stellantis. A montadora quer alcançar a neutralidade de carbono com rentabilidade em suas vendas de carros novos na Europa até o fim da década. “Controlar a cadeia de valor na área da eletrificação garantirá nossa independência tecnológica no contexto de crises econômicas e geopolíticas, enquanto reduz o impacto dessa mudança drástica para fábricas e funcionários, principalmente na França, onde somos e continuaremos a ser, sem dúvida, o líder comercial e industrial”, aposta o CEO da Stellantis, Carlos Tavares. (Automotive Business - 20.12.2022)  
Link Externo

Stellantis e Octopus: Parceria para infraestrutura de recarga no Reino Unido

A Stellantis anunciou uma nova parceria com a Octopus Energy para melhorar a experiência de carregamento de veículos elétricos para seus clientes no Reino Unido. A parceria, que já era disponível para os clientes da Vauxhall, agora inclui as marcas Stellantis Citroën, DS Automobiles, Fiat, Jeep e Peugeot, com benefícios para motoristas de carros elétricos e vans, obtendo acesso a mais de 330.000 pontos de cobrança públicos. Além disso, os clientes podem optar pela instalação de um carregador de parede Ohme para suas casas vinculado à tarifa de carregamento flexível. Os motoristas também possuem acesso a redes públicas de carregamento de Mer, Ionity, Shell Recharge, Osprey, Fastned e Ubitricity. (Electrive - 20.12.22) 
Link Externo

Tesla: Panorama de comercialização de VEs aponta recorde no final de 2022

A Tesla anunciou que entregou mais de 405.000 veículos no quarto trimestre de 2022. Isso estabelece um novo recorde e significa que mais de 1,3 milhão de VEs foram entregues em 2022. Com a rampa de produção na Gigafactory Texas e Berlim, bem como melhorias contínuas na Fremont Factory e na Gigafactory Shanghai, era inegável que a Tesla teria mais veículos do que nunca para entregar no quarto trimestre de 2022. No entanto, houve algumas preocupações com as entregas, pois a Tesla parecia estar enfrentando alguns problemas de demanda e começou a oferecer muitos descontos em dezembro. (Electrek - 02.01.2023) 
Link Externo

Toyota: Investimentos na fabricação de veículos híbridos

A Toyota anunciou um investimento de 77 milhões de euros para produzir powertrains híbridos de quinta geração nas suas fábricas na Polônia e Reino Unido. De acordo com a empresa, o sistema híbrido de quinta geração apresenta “motores elétricos mais leves, mais compactos e mais potentes”, com potência de 103 kW. Tanto a transmissão híbrida quanto os dois motores elétricos, MG1 e MG2, serão fabricados na Polônia. O motor MG1 é auxiliar, servindo como partida para o motor a gasolina, recuperação e geração de eletricidade para o motor elétrico MG2, além de carregar a bateria. A montagem do Corolla Hybrid para os mercados europeus é feita, por sua vez, na Turquia. (Electrive - 21.12.22) 
Link Externo

Volkswagen: Mudança de estratégia para atender metas de emissões da UE

A Volkswagen pretende atender aos padrões europeus de emissão sem a ajuda de outras empresas para vender carros elétricos. Conforme relata o Financial Times, a empresa fez alterações em seu pool de CO2 na UE, mudando para um pool fechado, sem os fabricantes chineses Geely, Nio e SAIC. O pool havia sido criado em 2020 com a fabricante SAIC e foi expandido em 2021 para incluir outros fabricantes de carros elétricos. Para 2022, entretanto, a Volkswagen acredita poder atingir as suas metas de frota apenas com suas próprias marcas de grupo. Desde 2020, as montadoras na UE precisam limitar as suas emissões médias de frota a 95 gramas de CO2 por quilômetro, sendo devidos 95 euros para cada grama acima do limite multiplicados pelo número total de novos registros do fabricante daquele ano. Contudo, é possível incluir veículos de outros fabricantes em sua frota a partir da formação de um pool. Assim, adicionando fabricantes de carros elétricos, as emissões médias caem. (Electrive - 19.12.22) 
Link Externo

Volkswagen: Montadora passa a ser considerada líder em veículos limpos

Em 2015, a EPA dos EUA encarregou a Volkswagen de instalar software nos seus automóveis a diesel que lhe permitia burlar os testes de emissões. Seguiram-se investigações dos órgãos reguladores europeus, a empresa (naturalmente) tentou encobrir o escândalo, os executivos foram demitidos, e o Grupo Volkswagen acabou sendo forçado a pagar cerca de 30 bilhões de dólares em multas e danos. No entanto, atualmente, a empresa reverteu este quadro, e é considerada líder em veículos limpos. Os novos veículos elétricos da Volkswagen, Audi e Porsche estão vendendo bem e a Electrify America, empresa de infraestrutura que foi estabelecida como parte do acordo da VW com as autoridades, implementou uma extensa e em rápido crescimento rede de recarga em todos os EUA. Em 2016, a empresa formou um Conselho de Sustentabilidade composto por nove peritos de uma grande variedade de campos para ajudá-la a se transformar de um pária poluente num pioneiro da propulsão sem gasolina. O Conselho de Sustentabilidade pode ficar com os louros de algumas realizações significativas, algumas das quais foram muito além do mundo da Volkswagen e ajudaram a moldar a indústria automotiva como um todo. (Inside EVs - 01.01.2023) 
Link Externo

Meio Ambiente

ABVE: Eletrificação de frotas comerciais bate recorde no Brasil em 2022

Na medida em que o setor privado global vem reforçando seus compromissos com a redução de emissões, visando alcançar a neutralidade nas próximas décadas, a transformação da mobilidade ganha espaço cada vez maior. Os números indicam que as empresas estão se movimentando rapidamente. Ao longo dos últimos dez anos, já foram comercializadas no Brasil mais de 100 mil unidades de veículos elétricos e híbridos, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE). Já entre os caminhões e ônibus, de acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), foram emplacadas 602 unidades elétricas e a gás no primeiro semestre de 2022, contra 64 no mesmo período do ano anterior, alta de 840%. Esse fenômeno se traduz em casos concretos, como o da JBS. A maior empresa de alimentos do mundo deu um passo importante nesta direção ao lançar este ano a “No Carbon”, empresa especializada em locação de caminhões 100% elétricos. A empresa atuará tanto para suprir a demanda das operações logísticas da própria JBS, atendendo a distribuição de produtos de Friboi, Seara e Swift, quanto para oferecer o serviço para clientes externos, como varejistas e empresas de e-commerce. (Valor Econômico - 29.12.2022) 
Link Externo

ESG: Transportadoras e redes de varejo adotam planos para eletrificar frotas no Brasil

A redução das emissões de GEE (gases causadores do efeito estufa) na atmosfera alcançou status de prioridade no planejamento estratégico das grandes transportadoras. Elas buscam responder a uma pressão crescente de embarcadores de mercadorias e de seus clientes finais, cada vez mais engajados na pauta da sustentabilidade de suas cadeias de suprimentos. Entre as empresas que se dedicam ao transporte urbano de cargas, o avanço da descarbonização ocorre principalmente por meio da substituição de veículos a diesel por frotas elétricas. A DHL Supply Chain chegou ao fim de novembro com uma frota de 81 veículos urbanos de carga (VUCs) elétricos e já adquiriu outros 60 para entrega no primeiro semestre de 2023, totalizando 141 veículos. Além disso, nos últimos dois anos, empresas como Ambev, Seara, Friboi, Pepsico, Mercado Livre, Americanas, Danone, Pernambucanas, Natura, Nestlé, Pão de Açúcar, Boticário, Coca-Cola Femsa e RaiaDrograsil anunciaram operações próprias ou terceirizadas com veículos elétricos. O Magazine Luiza, que soma 8 mil caminhoneiros parceiros que trabalham em sua operação logística, iniciou em 2021 um projeto piloto de eletrificação e hoje conta com 41 VUCs elétricos e a ideia é expandir. (Valor Econômico - 21.12.2022) 
Link Externo

ESG: Serviço Postal dos EUA pretende expandir frota de VEs

O Serviço Postal dos Estados Unidos (USPS) pretende implantar pelo menos 66.000 veículos de entrega elétricos (NGDVs), dos quais pelo menos 45.000 serão elétricos por bateria até 2028. Um total de 21.000 VEs adicionais devem ser adicionados aos chamados veículos comerciais Off-The-Shelf (COTS) até 2028. Agora, o USPS está recebendo financiamento adicional de três bilhões de dólares da Lei de Redução da Inflação do governo dos EUA para a eletrificação de sua frota de entrega. Espera-se que o investimento total na nova frota some até 9,6 bilhões de dólares. O Diretor Geral dos Correios dos EUA, Louis DeJoy, ressalta: “Os US$ 3 bilhões fornecidos pelo Congresso reduziram significativamente o risco associado à aceleração da implementação de uma infraestrutura nacional necessária para eletrificar nossa frota de entrega. Embora a maior parte do financiamento de veículos elétricos continue a vir das receitas do Serviço Postal, somos gratos pela confiança que o Congresso e a Administração colocaram em nós para construir e adquirir o que tem o potencial de se tornar a maior frota de veículos elétricos do país.”. (Electrive - 21.12.22) 
Link Externo

ESG: LG Chem faz investimento em recicladora de baterias na Coréia do Sul

A LG Chem firmou um acordo de investimento de capital no valor de US$ 18,6 milhões com a empresa de reciclagem de resíduos de baterias, Jae Young Tech. Com base nesse investimento de capital, as duas empresas planejam estabelecer uma joint venture de reciclagem de baterias na América do Norte até o final de 2023. A LG Chem liderará os negócios em geral, como o estabelecimento do modelo de negócios, e a Jae Young Tech será responsável pelas questões tecnológicas. A LG Chem e a Jae Young Tech também planejam avançar seus negócios cooperando com empresas locais que possuem cadeias de suprimentos na América do Norte. (Green Car Congress - 23.12.2022) 
Link Externo

ESG: Polestar vai reciclar ímãs junto com materiais cíclicos

A Polestar firmou uma cooperação com a start-up norte-americana Cyclic Materials, especializada na reciclagem de ímãs. O memorando de entendimento entre as duas empresas prevê o desenvolvimento de ímãs reciclados para uso em motores elétricos de veículos Polestar. A colaboração também explorará maneiras de reciclar com eficiência os ímãs existentes, de acordo com a Polestar. Em vez de adquirir matérias-primas de minas para novas unidades de acionamento, a marca sueca Geely quer reciclar os metais de terras raras de motores antigos. “A Polestar nos procurou com a visão de usar materiais 100% reciclados em seus motores elétricos de tração e garantir que todos os seus carros sejam reciclados no final de sua vida útil”, diz Ahmad Ghahreman, CEO da Cyclic Materials. (Electrive - 19.12.2022) 
Link Externo

União Europeia: Fabricantes de baterias devem aderir aos regulamentos de emissão de CO2

Os fabricantes de baterias que desejam vender seus produtos na Europa terão que obedecer a rígidos padrões de emissões de CO2 sob os novos regulamentos acordados pelos legisladores da UE. Os produtores de baterias devem relatar toda a pegada de carbono do produto, desde a mineração até a produção e a reciclagem, já em julho de 2024, de acordo com a nova estrutura regulatória para baterias sustentáveis. Esses dados serão usados ​​para definir um limite máximo de CO2 para baterias a serem aplicadas já em julho de 2027, garantindo que as empresas as façam usando energia limpa em vez de combustíveis fósseis. O impacto das baterias de veículos elétricos no meio ambiente e nas comunidades deve melhorar significativamente sob a nova lei, disse o grupo ambiental Transport & Environment (T&E). (Which EV - 19.12.2022) 
Link Externo

Eventos

ABVE: Perspectivas para a mobilidade elétrica no Brasil em 2023

No último episódio da 1ª temporada do podcast Mobility Now, o presidente da ABVE (Associação Brasileira de Veículos Eléticos), Adalberto Maluf e a diretora da ABVE Sílvia Barcik analisam os desafios e perspectivas da mobilidade elétrica no Brasil para o próximo ano. “Se, por um lado, o mercado vem crescendo, a infraestrutura mais que dobrou em um ano, saindo de 1.250 para 2.800 carregadores públicos e semipúblicos. Por outro, o mundo está avançando muito mais rápido. Temos 1% de veículos BEV e híbridos plug-in, enquanto o mundo está em 15%”, afirmou Maluf. “A perspectiva é positiva. Temos muito a comemorar, mas também nos preocupamos com os números que não avançam como no resto do mundo.” O podcast Mobility Now fica disponível no site de Automotive Business e no seu agregador de podcasts preferido, como Spotify e Deezer. Para assistir ao primeiro episódio de 2023, clique aqui: https://automotivebusiness.com.br/pt/posts/mobility-now/abve-avalia-desafios-e-perspectivas-da-mobilidade-eletrica-para-2023/. (Automotive Business - 21.12.2022) 
Link Externo