IFE
10/02/2023

IFE Hidrogênio 115

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas, Bruno Elizeu, José Vinícius S. Freitas e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
10/02/2023

IFE nº 115

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas, Bruno Elizeu, José Vinícius S. Freitas e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 115

Políticas Públicas e Financiamentos

Austrália e Alemanha: Países fortalecem parceria de hidrogênio voltada para exportação

A Austrália e a Alemanha fortaleceram sua parceria de hidrogênio, anunciando quatro novos projetos conjuntos. Os projetos fazem parte da Incubadora de Inovação e Tecnologia de Hidrogênio Alemanha-Austrália (HyGATE), sob o Acordo de Hidrogênio Austrália-Alemanha, assinado em junho de 2021, com o objetivo de reduzir o custo da produção de hidrogênio renovável e apoiar a inovação tecnológica na indústria. Eles investirão R $50 milhões (US $35,5 milhões) e € 50 milhões (US $54,4 milhões), respectivamente, nos novos projetos HyGATE. O ministro australiano de Mudanças Climáticas, Chris Bowen, disse que a colaboração com a Alemanha ajudará a aumentar o mercado de exportação de hidrogênio da Austrália, acrescentando: “Esses projetos demonstram o papel da Austrália como líder mundial na produção de energia renovável, reduzindo o custo da produção de hidrogênio e abrindo caminho para exportações”.  (H2 View - 27.01.2023) 
Link Externo

Canadá: HTEC Hydrogen receberá US$ 10 milhões para a instalação de uma unidade produção de hidrogênio

HTEC Hydrogen receberá US$ 10 milhões por meio do programa de Investimentos em Transformação da Indústria Florestal para instalar uma unidade de produção de hidrogênio renovável na Harmac Pacific Pulp Mill. O projeto da HTEC na Harmac Pacific produzirá hidrogênio limpo por eletrólise, que será usado como combustível limpo para transporte e aquecimento, asim como ajudará a fábrica a descarbonizar suas operações. Jonathan Wilkinson, Ministro dos Recursos Naturais, afirma que o setor florestal do Canadá é uma parte fundamental do nosso futuro econômico de baixo carbono. “Através do desenvolvimento, implantação e adoção de novos produtos e práticas inovadoras, como as anunciadas hoje, podemos ajudar a apoiar um setor florestal mais competitivo, dinâmico e sustentável que continuará a oferecer bons empregos em todo o Canadá.”  (Hydrogen Central 18.01.2023) 
Link Externo

EUA: DOE lança financiamento de US$ 47 milhões para incentivo a hidrogênio limpo

Com o objetivo de promover a meta de redução do custo do hidrogênio limpo para US$ 1/kg, o Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) anunciou um financiamento de até US$ 47 milhões para acelerar a pesquisa, desenvolvimento e demonstração (PD&D) de tecnologias de hidrogênio limpas e acessíveis. Espera-se que os projetos financiados reduzam custos, melhorem a infraestrutura de hidrogênio e melhorem o desempenho das células a combustível de hidrogênio. “O hidrogênio limpo é um combustível versátil essencial para alcançar a visão do presidente Biden de uma economia equitativa de energia limpa baseada em confiabilidade e acessibilidade”, disse Jennifer Granholm, secretária de energia dos EUA. “Esse financiamento promoverá pesquisas de ponta e reduzirá os custos de tecnologia para ajudar a liberar todo o potencial da energia limpa de hidrogênio”.  (H2 View - 27.01.2023) 
Link Externo

EUA: Yosemite Clean Energy receberá US$ 1 milhão para projetos de biomassa florestal para hidrogênio

A Yosemite Clean Energy foi selecionada para receber dois subsídios de US $500 mil do programa Biomassa Florestal para Biocombustíveis Carbono Negativos do Departamento de Conservação da Califórnia (“DOC”). Os projetos financiados pelo programa apoiarão o manejo florestal sustentável na Califórnia, o que ajudará a reduzir o risco de incêndios florestais e fornecerá combustíveis com zero emissões e com carbono negativo para o setor de transporte. As candidaturas de Yosemite foram pontuadas em 1º e 2º lugar entre os 8 projetos selecionados para receber financiamento, já que Yosemite está posicionado como líder no desenvolvimento de biocombustíveis de hidrogênio. Esse financiamento é a primeira rodada de um programa de doações em duas fases, com a segunda fase concedendo de 2 a 4 prêmios entre US $10 e US $20 milhões para a construção de projetos.  (Hydrogen Central - 24.01.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Governo oferecerá £ 600 milhões pela Green Steel Switch

O governo anunciou cerca de £ 300 milhões em subsídios para auxiliar duas das maiores siderúrgicas da Grã-Bretanha a se tornarem verdes. Como resultado dessa transformação, as indústrias que produzem grandes quantidades de dióxido de carbono, o que impulsiona o aquecimento global, passam a diminuir a sua pegada. O Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial está trabalhando em estreita colaboração com a indústria siderúrgica para garantir, o que descreve como “um futuro sustentável e competitivo”. Contudo, fontes afirmam que £ 300 milhões podem não ser suficientes para convencer certas empresas a realizar o investimento necessário para mudança.  (Hydrogen Central - 24.01.2023) 
Link Externo

UE: Projeto Air vai receber 97 milhões de euros ao abrigo de acordo com Fundo de Inovação

O Project Air receberá 97 milhões de euros para habilitar sua tecnologia inovadora, que é um facilitador para a indústria química europeia se tornar neutra em carbono. A Climate, Infrastructure and Environment Executive Agency (CINEA) recebeu o Project Air na família de projetos do Fundo de Inovação, um portfólio que atualmente inclui 52 projetos implementados em 16 países. Paloma Aba Garrote, diretora interina do CINEA, disse: “CINEA tem um longo histórico de financiamento de projetos de infraestrutura e inovação em apoio ao objetivo de neutralidade de carbono do Acordo Verde Europeu”. O Project Air é uma combinação de um processo de captura e utilização de carbono (CCU) para converter CO2, fluxos de resíduos, hidrogênio renovável e biometano, que deve ser aplicado para a produção inédita e em larga escala de metanol sustentável.  (Hydrogen Central - 21.01.2023) 
Link Externo

UE: Fundo de Inovação da UE concede € 108 milhões ao projeto RWE Waste-to-hydrogen FUREC

O Fundo de Inovação da UE concedeu 108 milhões de euros ao projeto FUREC da RWE, que visa converter resíduos em hidrogênio. A iniciativa visa produzir hidrogênio verde a partir de resíduos sólidos urbanos não recicláveis ​​em Limburg, na Holanda. Roger Miesen, CEO da RWE Generation, aceitou o contrato de concessão na Conferência de Financiamento de Tecnologia Limpa Inovadora em Bruxelas. Além disso, afirmou que, “com o FUREC, estamos facilitando o estabelecimento de um centro de economia circular na região de Limburg. Ao mesmo tempo, estamos permitindo que a indústria química reduza suas emissões de CO2. Graças a esse projeto, Limburg pode servir de modelo para outras localidades na Holanda e na Europa.” O financiamento do Fundo de Inovação da UE demonstra um marco importante para o avanço do projeto FUREC, que exigirá um investimento de mais de € 600 milhões para ser concluído. Com o compromisso de financiamento garantido, a RWE avança com o desenvolvimento do projeto a toda velocidade, buscando as aprovações e autorizações necessárias.  (Hydrogen Central - 24.01.2023) 
Link Externo

Turquia: País Anuncia Plano Nacional de Energia e Estratégia para o Hidrogênio

A Turquia anunciou o “Plano Nacional de Energia” e a “Estratégia e Roteiro de Tecnologias de Hidrogênio”, ambos preparados para atender às metas de zero emissões líquidas para 2053 do país. De acordo com o novo plano, o consumo de energia do país, que foi de 147,2 milhões de toneladas de óleo equivalente em 2020, deve atingir 205,3 milhões de toneladas de óleo equivalente em 2035, o que significa um aumento de 39,5%, em linha com as suas metas de crescimento. As fontes renováveis ​​de energia, que tiveram uma participação de 16,7% no consumo de energia primária em 2020, passarão para 23,7% em 2035. A potência instalada em eletricidade do país chegará a 189,7 mil MW, ante 95,9 mil MW em 2020. O ministro de Energia e Recursos Naturais, Fatih Donmez, disse que o “Plano Nacional de Energia” da Turquia é projetado para apoiar o crescimento econômico e levar a transformação da energia verde do país para o próximo nível.  (Hydrogen Central 21.01.2023) 
Link Externo

Produção

Alemanha: APEX Group avança com projeto de H2V

O projeto da APEX Group, que tem por finalidade construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) recebeu aprovação do Ministério Federal Alemão de Economia e Proteção Climática, e com isso o projeto avança para uma fase de desenvolvimento. A planta contará com a tecnologia de eletrólise com 100 MW de capacidade e será alimentada a partir de energias renováveis. Assim que entrar em operação, a planta será capaz de produzir mais de 7.500 toneladas de hidrogênio verde por ano. Espera-se que a unidade entre em operação no ano de 2027. Esse projeto tem por objetivo ser mais um projeto de hidrogênio dentro do ecossistema da Alemanha, para construir uma plataforma sólida da economia do hidrogênio no leste da Alemanha. (Energy News - 24.01.2023)   
Link Externo

Espanha: Empresas assinam MoU para desenvolver projeto de 200 MW de H2V

A Cepsa, uma companhia petrolífera, a Enagás, uma empresa de energia e a Alter Enersun, uma empresa de energia solar, realizaram um Memorando de Entendimento (MoU) para desenvolver um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) em Huelva, Espanha. A planta contará com a tecnologia de eletrólise com 200 MW de capacidade e será alimentada a partir de uma usina de energia solar. Espera-se que a unidade de produção entre em operação no ano de 2026. A Alter Enersun ficará a cargo do desenvolvimento da central fotovoltaica, que se localizará em terrenos pertencentes à Autoridade Portuária de Huelva, na capital, e a Cepsa e a Enagás Renovable se encarregarão da construção e entrada em funcionamento da central de hidrogénio da Cepsa Instalações do Energy Park em Palos de la Frontera. Em termos de uso final, o hidrogênio será utilizado para consumo industrial e permitirá o fabrico de biocombustíveis avançados. (Alter Enersum - 25.01.2023) 
Link Externo

Finlândia: P2X Solutions inicia desenvolvimento da planta de H2V

A P2X Solutions, uma empresa que trabalha com a tecnologia Power-to-X, avançou com o desenvolvimento de um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde em harjavalta, Finlândia. O avanço anunciado surgiu a partir do início da construção da planta, que tem previsão para ser concluída apenas no ano de 2024. A planta conta com a tecnologia de eletrólise e será alimentada a partir de energias renováveis. Assim que operacional, a unidade será a primeira do país a produzir H2V para ser utilizada no mercado. (P2X Solutions - 20.01.2023) 
Link Externo

Itália: Sasol e Sonatrach se unem para planejar o desenvolvimento de um projeto de H2V

A Sasol, uma empresa de petróleo, e a Sonatrach, uma empresa estatal que atua na área petroquímica e dessalinização da água do mar, se uniram para planejar o desenvolvimento de um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) na Itália. A planta contará com a tecnologia de eletrólise que será alimentado a partir de energias renováveis. Assim que operacional, a unidade será capaz de produzir cerca de 7.800 toneladas de hidrogênio por ano. No que concerne ao uso final, o gás será utilizado para descarbonizar os processos das duas empresas, bem como para atender as futuras necessidades potenciais da área.  (Sasol - 25.01.2023) 
Link Externo

Polônia: Projeto Forest of Energy contrata Metacon para desenvolver eletrolisador de 5 MW

O projeto Forest of Energy, um projeto que visa o desenvolvimento de uma planta de hidrogênio verde (H2V) na Polônia, está sendo desenvolvido e atualmente está avançando as etapas de maneira eficiente. Diante disso, já foi solicitado o fornecimento de um sistema de eletrolisador para a Metacon AB, uma empresa que trabalha com a tecnologia do hidrogênio. A unidade de produção contará com eletrolisador da Metacon AB que terá 5 MW de capacidade e será alimentada a partir de uma instalação solar fotovoltaica que está sendo planejada na área de Katowice. Espera-se que a planta entre em operação no início do ano de 2024. No que concerne ao uso final, o gás será utilizado para alimentar o setor da mobilidade. (Metacon - 24.01.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Element Resources está planejando desenvolver planta de H2V

A Element Resources, uma empresa de energia que atua de acordo com a transição energética, anunciou que está planejando desenvolver um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) na cidade de Lancaster, Inglaterra, Reino Unido. A planta contará com a tecnologia de eletrólise e será alimentada a partir de energias renováveis. Assim que operacional, a unidade será capaz de produzir cerca de 20.000 toneladas de hidrogênio verde por ano em sua primeira fase. Espera-se que a planta entre em operação no ano de 2025. Em termos de uso final, o gás será utilizado para alimentar a indústria de mobilidade. O projeto vai criar cerca de 250 postos de trabalho durante a fase de construção e 36 empregos permanentes.  (Element Resources - 24.01.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Alemanha: País participa em projeto de gasoduto de hidrogênio no Mediterrâneo

De acordo com o comunicado franco-alemão, a Alemanha participará de um novo projeto de gasoduto de hidrogênio entre Espanha, Portugal e França. Até 2030, o projeto H2Med, que ligará Portugal, Espanha, França e agora a Alemanha, será capaz de atender a 10% da demanda de hidrogênio na UE. O hidrogênio verde, produzido pela eletrólise da água usando energia renovável, será transportado pelo oleoduto que passa sob o Mar Mediterrâneo. Segundo o governo espanhol, a H2Med terá capacidade para produzir cerca de dois milhões de toneladas métricas de hidrogênio por ano.No final de abril de 2023, um grupo de trabalho conjunto entre as duas nações oferecerá sugestões sobre as opções táticas para o desenvolvimento do hidrogênio. Quando Madrid, Paris e Lisboa concordaram em construir o gasoduto, o custo estimado foi € 2,5 bilhões (US$ 2,6 bilhões). Não está declarado quanto a inclusão da Alemanha aumentaria os custos. (World Pipelines - 24.01.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Gravitricity procura financiamento para projetos de armazenamento de hidrogênio

A empresa de armazenamento de energia Gravitricity nomeou especialistas em finanças corporativas Gneiss Energy para liderar uma campanha de financiamento de £ 40 milhões - com o objetivo de construir três projetos demonstradores nos próximos cinco anos. A empresa de rápido crescimento já está planejando um projeto de demonstração em grande escala em uma antiga mina na República Tcheca, bem como um novo esquema de poço construído especificamente no norte da Inglaterra. “A Bloomberg New Energy Finance prevê que o mercado de armazenamento de energia crescerá 21% ao ano, com investimento global total de £ 662 bilhões até 2040. A empresa já arrecadou £ 7,5 milhões, dos quais cerca metade proveniente do investimento privado, e com o apoio público do Banco Europeu de Investimento (BEI), Innovate UK e BEIS. (Herald Scotland - 25.01.2023) 
Link Externo

Europa: Gascade e Fluxys intensificam planos para transporte de hidrogênio verde no Mar do Norte

A GASCADE e a Fluxys solicitaram o status de Projeto de Interesse Comum (PCI) da Comissão Europeia para o projeto AquaDuctus, marcando um grande passo em seus planos de um gasoduto offshore para hidrogênio verde no Mar do Norte. “O oleoduto offshore, que terá mais de 400 km de comprimento quando concluído, se tornará um eixo da futura infraestrutura offshore de hidrogênio da Alemanha e da Europa”, explica o diretor administrativo da GASCADE, Christoph von dem Bussche, enfatizando o caráter europeu e interconectado do projeto. Isso ocorre porque o gasoduto foi projetado como uma 'espinha dorsal', capaz de coletar hidrogênio de vários locais de produção e, ao mesmo tempo, oferecer o potencial de se conectar a outros fluxos internacionais de hidrogênio através do Mar do Norte. O hidrogênio será levado para a costa alemã através do oleoduto offshore e alimentado na rede de hidrogênio onshore. Desta forma, a AquaDuctus fornecerá infraestrutura offshore de hidrogênio em grande escala no Mar do Norte alemão para que o hidrogênio seja importado para a Alemanha. (Reuters - 23.01.2023) 
Link Externo

Holanda: Arcadis apoia infraestrutura de transporte de hidrogênio no país

A Arcadis está trabalhando para a implantação de uma rede de hidrogênio de alta pressão na Holanda, em nome da Hynetwork Services, subsidiária da Gasunie. O anúncio segue uma decisão do governo holandês em junho de 2022 de investir mais de 750 milhões de euros para desenvolver uma rede nacional de hidrogênio na Holanda. Este projeto é uma parte importante dos planos para uma rede nacional de gasodutos conectando as cinco principais áreas industriais da Holanda, com a instalações de armazenamento de hidrogênio em Zuidwending e países vizinhos. Para implantar a rede, estão sendo feitos esforços para reutilizar os gasodutos existentes sempre que possível. Estima-se que cerca de 85% da rede de hidrogénio será constituída por gasodutos adaptados. Onde isso não for possível, novas construções serão usadas. (Arcadis - 26.01.2023) 
Link Externo

Uso Final

Emirados Árabes Unidos: Empresas estudam produção de SAF a partir de hidrogênio

Na Semana de Sustentabilidade de Abu Dhabi (ADSW) 2023, Masdar, ADNOC, bp, Tadweer (Abu Dhabi Waste Management Company) e Etihad Airways assinaram um acordo para realizar um estudo de viabilidade cooperativa para desenvolvimento de combustível de aviação sustentável (SAF) e outros mercadorias nos Emirados Árabes Unidos utilizando resíduos sólidos urbanos e hidrogênio renovável. As habilidades dos cinco parceiros serão utilizadas para avaliar a viabilidade técnica e financeira do projeto. Se os resultados do estudo forem encorajadores, os parceiros se concentrarão na criação da primeira instalação de produção em escala comercial na área de Abu Dhabi. Essa parceria será um passo significativo para determinar se os Emirados Árabes Unidos têm o que é preciso para se tornar um líder global na produção de SAF. (Energy News - 24.01.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: Nikola apresenta nova marca de energia de hidrogênio, HYLAEstados Unidos: Nikola apresenta nova marca de energia de hidrogênio, HYLA

A Nikola Corporation anunciou em evento especial que criou uma nova marca global, HYLA, para produzir e distribuir hidrogênio e utilizá-lo em seus caminhões de emissão zero. Com um alcance de até 500 milhas, espera-se que o Nikola Tre FCEV tenha um dos alcances mais longos de todos os veículos disponíveis comercialmente. Com um tempo de abastecimento estimado de menos de 20 minutos, o Tre FCEV é adequado para uma variedade de aplicações, desde carretas e intermodais até caminhões metro-regionais e cargas menores que certos casos de uso de transporte especializado. Sob a marca HYLA, Nikola está produzindo até 300 toneladas métricas por dia (TPD) de hidrogênio. Espera-se que esta oferta seja suficiente para a demanda de projetos anunciados anteriormente. (The Wall Street Journal - 25.01.2023) 
Link Externo

Europa: Solaris entrega novo modelo de ônibus movido a hidrogênio

A Solaris Bus & Coach apresentou novamente uma solução de transporte inovadora no mercado de trânsito de carga média, revelando o novo ônibus elétrico Urbino 18 com célula de combustível de hidrogênio - alimentado módulo de célula de combustível 100kW da Ballard. O novo ônibus foi projetado para ser mais resistente, mais leve e refinado em design e construção, em comparação com os modelos da geração anterior, e permitiu a redução de peso dos principais componentes. Armazenando mais de 50 kg de hidrogênio em oito tanques montados no teto, o acionamento distribuído com a célula de combustível de 100 kW permite uma autonomia total estendida de 350 km – mesmo com rotas e condições desafiadoras – e um tempo médio de reabastecimento de 10 a 20 minutos. As primeiras entregas do hidrogênio Urbino 18 da Solaris para os mercados globais de ônibus começarão antes do final de 2023 e no primeiro trimestre de 2024. O modelo também poderá ser implementado em rotas intermunicipais. (Ballard - 25.01.2023) 
Link Externo

França: Parceria VINCI Concessions/ Hype para acelerar a mobilidade movida a hidrogênio

A VINCI Concessions, um player global no desenvolvimento e gerenciamento de infraestrutura de transporte, anunciou a conclusão de um investimento de € 15 milhões na Hype, desenvolvedora da primeira plataforma integrada de mobilidade a hidrogênio da França e operadora de uma grande frota de táxis movidos a hidrogênio. Juntamente com esse investimento, a VINCI Concessions e a Hype firmaram uma parceria estratégica para acelerar a implantação da infraestrutura de mobilidade de hidrogênio na França e no mundo. Como parte dessa parceria, a Hype encarregará a VINCI Energies de construir uma nova infraestrutura de produção e distribuição de hidrogênio na área da Grande Paris. No total, 26 postos de abastecimento com hidrogênio produzido localmente – incluindo 20 com capacidade de1 tonelada por dia – deverão abrir para uso público nos próximos três anos. (Vinci Energies - 23.01.2023) 
Link Externo

Itália: Wolftank estabelece consórcio para sistemas integrados de abastecimento de hidrogênio com o provedor de transporte público italiano TPER

O Wolftank Group foi selecionado como parceiro para um consórcio conjunto da TPER – o provedor de transporte público na região italiana de Emilia Romagna – após uma licitação pública. O novo consórcio, TPH2, acaba de ser constituído e será responsável pelos sistemas integrados de abastecimento de hidrogênio para automóveis a serem instalados até 2026. Dessa forma, vai concretizar a renovação da frota de transportes públicos de Bolonha com 127 veículos de emissão zero. Bolonha é uma das 100 cidades europeias com o objetivo de alcançar a neutralidade climática até 2030 como parte da missão da Comissão Europeia. O Wolftank Group, globalmente ativo, desenvolve e implementa tecnologias de ponta, bem como soluções de infraestrutura para mobilidade e suprimentos de emissão zero, juntamente com outros produtos, sistemas de reabastecimento de hidrogênio modulares prontos para uso. (Wolftank - 24.01.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Rede de gás nacional fornecerá hidrogênio a partir de 2023

A rede de gás da Grã-Bretanha está pronta para começar a misturar hidrogênio em todo o país a partir do próximo ano, fornecendo fontes de energia mais seguros e regionais às familías. A Energy Networks Association (ENA) publicou o Plano de Entrega de Mistura de Hidrogênio da Grã-Bretanha, definindo que todas as cinco empresas de rede de gás da Grã-Bretanha cumprirão a meta do governo para que a rede de gasodutos da Grã-Bretanha esteja pronta para fornecer 20% de hidrogênio para residências e empresas em todo o país a partir de 2023, em substituição de até um quinto do gás natural atualmente utilizado. Isso também significa que a frota britânica de usinas movidas a gás poderá usar hidrogênio misturado para gerar eletricidade mais limpa. (Hydrogen Central - 22.01.2023) 
Link Externo

Reino Unido: MAHLE Powertrain desenvolve soluções para modernização de embarcações marítimas movidas a hidrogênio

A MAHLE Powertrain está liderando um projeto para desenvolver soluções de propulsão sustentável em embarcações marítimas de alto desempenho. A colaboração com a Royal National Lifeboat Institution (RNLI), a Universidade de Nottingham e a Clean Air Power terá inicialmente como alvo embarcações de busca e salvamento. A baixa densidade de energia e o alto peso das tecnologias de bateria atuais, juntamente com a necessidade de reabastecimento rápido para a próxima missão, significam que soluções alternativas de propulsão ecológica são necessárias. O foco do projeto na comercialização estabelecerá uma rota clara para o mercado que pode ser ampliada em todo o setor marítimo, ajudando a reduzir as emissões de gases de efeito estufa.. (Green Car Congress - 26.01.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Coreia do Sul: Nova camada protetora para catalisadores melhora o desempenho do Hidrogênio Verde

O hidrogênio verde é o combustível de hidrogênio produzido usando métodos ecológicos. A eletrólise da água é um dos principais métodos de produção de hidrogênio verde. A energia elétrica, gerada por fontes de energia renováveis, como painéis solares ou energia eólica, é usada para conduzir uma reação de separação de água em uma célula eletroquímica para produzir hidrogênio e oxigênio. Contudo, essa reação requer o uso de catalisadores caros, o que encarece o hidrogênio verde, tornando-o inviável. Usar catalisadores de níquel-ferro (Ni-Fe) no ânodo é uma solução possível, mas esses catalisadores tendem a corroer e ser desativados devido ao oxigênio liberado no ânodo da célula de separação de água. Desta forma, cientistas do GIST desenvolveram uma nova camada protetora para catalisadores, melhorando a vida útil e o desempenho do hidrogênio verde. (Hydrogen Central - 19.01.2023)
Link Externo

EUA: Nikola apresenta a nova marca de energia de hidrogênio “HYLA”

A Nikola Corporation, líder global em transporte de emissão zero e soluções de infraestrutura e fornecimento de energia, criou uma marca global, HYLA, para abranger os produtos de energia da empresa para produção, distribuição e dispensando hidrogênio para abastecer seus caminhões de emissão zero. O programa de abastecimento móvel inclui seus próprios abastecimentos móveis, bem como vários abastecimentos móveis de terceiros, que fornecerão aos clientes da Nikola uma variedade de opções flexíveis de abastecimento. O primeiro combustível móvel concluiu os testes e foi liberado para operação no mercado. A Nikola tem outros combustíveis móveis de hidrogênio sendo comissionados no primeiro trimestre de 2023. (Hydrogen Central - 29.01.2023) 
Link Externo

Eventos

The Hydrogen Economy

Para o dia 16 de Fevereiro de 2023, a Foley Power Solutions organizou um evento online para analisar a economia do hidrogênio. No webinar serão discutidos os seguintes tópicos: O que é o hidrogênio; Como é produzido; O papel do hidrogênio em uma economia líquida zero; O horizonte de custo; Aplicações de hidrogênio para geração de energia. Para se inscrever, clique aqui. (Foley Power Solutions - Fevereiro de 2023) 
Link Externo

46ª ASPEN - Rotas da Descarbonização

No dia 14 de Fevereiro de 2023, ocorrerá um webinar organizado pelo Instituto Besc a fim de analisar “Rotas da Descarbonização- O Papel da Indústria e os Caminhos em Favor da Sustentabilidade”. Essa edição da ASPEN nos remete aos múltiplos esforços da indústria para encontrar tecnicamente e de maneira viável os meios para reduzir as emissões de GEE. As políticas de ESG têm sido um grande impulso nesse sentido. Dentre as soluções, o hidrogênio desponta como uma alternativa plausível. De acordo com a consultoria Mckinsey & Company, a América do Sul terá um papel relevante, já possuindo cerca de 35% do potencial global de produção. É possível visualizar o hidrogênio como o futuro protagonista da mobilidade. Essa e outras soluções, como os biocombustíveis e a eletrificação, serão abordadas nesse fórum. Para assistir ao webinar, clique aqui. (Instituto Besc - Fevereiro de 2023) 
Link Externo

Artigos e Estudos

2023 roadmap on photocatalytic water splitting

Nas últimas cinco décadas, houve um corpo significativo de pesquisas sobre processos fotocatalíticos (PC)/fotoeletrocatalíticos para a produção de hidrogênio por meio da separação ou redução da água. No entanto, houve problemas significativos enfrentados em termos da capacidade prática dessa tecnologia promissora para produzir hidrogênio em escala. Este artigo de roteiro explora uma série de questões relacionadas à geração de hidrogênio por PC e fotoeletrocatalítica, desde processos básicos, ciência de materiais até engenharia de reatores e aplicações para reforma de biomassa.  (Energy - 2023)   
Link Externo

A Economia do Hidrogênio no Brasil e o Plano Trienal do Programa Nacional de Hidrogênio

Em artigo publicado pelo Portal de Hidrogênio Verde da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK), Nivalde José de Castro (Coordenador do GESEL), Luiza Masseno Leal (Pesquisadora do GESEL-UFRJ) e Vinicius José da Costa (Pesquisador Júnior do GESEL-UFRJ) abordam os esforços necessários para incentivar e garantir o desenvolvimento da indústria nascente de H2V. Segundo os autores, “o potencial de reindustrialização do país a partir das exportações de produtos verdes e futuros mecanismos de precificação do carbono amplia a sensação de emergência para o aproveitamento desta estratégica janela de oportunidade para a economia brasileira”.  (GESEL - 2023) 
Link Externo

Hydrogen from renewables: Is it always green? The Italian scenario

O objetivo deste estudo é investigar a potencialidade do hidrogênio produzido a partir da eletrólise, sendo alimentado a partir da rede elétrica na Itália e seu impacto na redução da redução de energia renovável. Os resultados mostraram que a produção de hidrogênio baseada apenas na energia renovável, leva a um fator de utilização muito baixo dos eletrolisadores (não mais que 22% no cenário de maior penetração) e consequente alto custo específico de produção de hidrogênio. A produção anual de hidrogênio verde é pequena em todos os casos analisados ​​e longe das metas estabelecidas na Itália e na Europa. A análise de sensibilidade mostrou a influência do custo de capital dos eletrolisadores e do custo de eletricidade para energia adicional não reduzida no custo nivelado do hidrogênio  (Energy Conversion and Management - 2023) 
Link Externo

Perspectivas da Energia Eólica no contexto da Transição Energética e da Economia do Hidrogênio

Em artigo publicado pela Agência CanalEnergia, Ana Carolina Chaves (pesquisadora Plena do Gesel/UFRJ), João Herique Azevedo e Gláucia Fernandes (pesquisadores da FGV Energia) tratam das perspectivas da energia eólica no contexto da transição energética e da economia do hidrogênio. Segundo autores, “espera-se que a geração offshore, em conjunto com a eólica onshore, amplie a segurança energética e de suprimento do sistema energético nacional, contribuindo diretamente para a diversificação da matriz, bem como para o desenvolvimento econômico e industrial brasileiro”. Eles concluem que “a energia eólica também pode se afirmar como um vetor para uma reindustrialização mais sustentável e como possibilidade para um desenvolvimento regional mais justo do ponto de vista ambiental e social”.  (GESEL - 2023) 
Link Externo