IFE
07/02/2023

IFE Hidrogênio 114

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas, José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito, Luana Oliveira e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
07/02/2023

IFE nº 114

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Luiza Masseno e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Allyson Thomas, José Vinícius S. Freitas, Kalyne Silva Brito, Luana Oliveira e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 114

Políticas Públicas e Financiamentos

Canadá: Alberta investirá US$ 9,7 milhões na expansão do setor de hidrogênio

O estado de Alberta receberá investimentos federais de mais de US$ 9,7 milhões para aumentar o acesso a combustíveis de hidrogênio, apoiar testes de produtos, atrair investimentos da indústria e aprimorar o treinamento. A Edmonton Global está recebendo um total de US$ 3,74 milhões para dois projetos para fortalecer a cadeia regional de abastecimento de hidrogênio e expandir as iniciativas de investimento para aumentar a economia regional de Edmonton. O financiamento ajudará a criar um banco de dados on-line de pequenas e médias empresas regionais com capacidade de entrar na cadeia de abastecimento de hidrogênio, workshops focados no avanço da economia do hidrogênio e engajamento com empresas e instituições pós-secundárias para compilar um mercado de trabalho de hidrogênio avaliação que identificará habilidades e necessidades de treinamento (H2 view - 18.01.2023). 
Link Externo

Índia-Panamá: Países exploram colaboração com hidrogênio verde

A Índia e o Panamá estão em negociações para explorar a colaboração em tecnologias renováveis ​​como o hidrogênio verde, disse a ministra das Relações Exteriores do Panamá, Janaina Tewaney Mencomo. Em entrevista exclusiva ao Mint, o chanceler panamenho disse que os dois países poderiam colaborar para desenvolver o hidrogênio verde como combustível alternativo para a navegação. O Panamá espera se transformar em um centro global de hidrogênio e transporte ecológico com a ajuda da Índia. O país, que abriga o estratégico Canal do Panamá, desempenha uma rota importante para o transporte marítimo global. O Canal do Panamá recebe o tráfego de 13.000 navios todos os anos. O país centro-americano tem grandes planos em termos de hidrogênio verde. Em janeiro do ano passado, a Secretaria Nacional de Energia do Panamá lançou o 'Green Hydrogen Roadmap', que identifica o hidrogênio como o futuro combustível e visa posicionar o Panamá como a 'Rota Global do Hidrogênio Verde' da região (Hydrogen Central - 13.01.2023) . 
Link Externo

Índia: País estabelece metas para uso de hidrogênio verde por algumas indústrias

A Índia estabeleceu metas de consumo de hidrogênio verde para algumas indústrias, de modo a gerar demanda por combustível mais limpo em sua busca para atingir o zero líquido até 2070, disse o governo ao revelar sua política de energia verde. Um dos maiores emissores de gases de efeito estufa do mundo, a Índia aprovou um plano de incentivos no valor de mais de US$ 2 bilhões na semana passada para desenvolver uma capacidade de produção de hidrogênio verde de 5 milhões de toneladas por ano até 2030. A terceira maior economia da Ásia quer usar hidrogênio verde para substituir o hidrogênio cinza, produzido a partir do gás, à medida que se move para descarbonizar setores como petróleo e fertilizantes. A principal refinaria da Índia, Indian Oil Corp (IOC.NS) , a principal concessionária de energia NTPC Ltd (NTPC.NS) e conglomerados, incluindo Reliance (RELI.NS) e o grupo Adani, anunciaram planos para construir projetos de hidrogênio verde (Mint - 11.01.2023) 
Link Externo

Espanha: Governo aumenta aposta no hidrogênio com nova ajuda de 74 milhões de euros

O hidrogênio avança para se tornar um protagonista indiscutível da matriz energética espanhola nas próximas décadas. A Terceira Vice-Presidente do Governo e Ministra da Transição Ecológica e do Desafio Demográfico, Teresa Ribera, anunciou um novo decreto real para promover a produção de hidrogénio verde no país através do apoio a quatro projectos de produção de bens de capital necessários para a geração de combustível e sua utilização no setor de transportes. Estas iniciativas já tinham sido classificadas por Bruxelas como de “interesse comunitário” em junho deste ano, mas a nova medida atribui um “subsídio nominal” de 74 milhões de euros que visa cobrir a diferença entre o financiamento disponibilizado pela União Europeia e o financiamento público que poderão receber no futuro. O objetivo do Executivo é garantir que os projetos “sejam viáveis ​​e possam ser implementados o mais rapidamente possível nesta grande corrida que representa a economia do hidrogênio. (La Moncloa - 10.01.2023) 
Link Externo

Europa: € 195 milhões já estão disponíveis para o desenvolvimento de tecnologias limpas de hidrogênio

A Clean Hydrogen Partnership lança sua chamada de propostas para 2023. Um total de € 195 milhões será disponibilizado para projetos que apoiem a criação de tecnologias de ponta de hidrogênio limpo. Um total de 26 temas farão parte da chamada de propostas. Os temas estão agrupados em 11 Ações de Inovação (IA), 13 Ações de Investigação e Inovação (RIA) e 2 Ações de Coordenação e Apoio (CSA). Cinco das Ações de Inovação (IA) são consideradas de importância estratégica e são selecionadas como projetos emblemáticos, que deverão ter um impacto significativo na aceleração da transição para uma economia do hidrogênio. As sinergias com outras parcerias e programas europeus, bem como com os Estados-Membros e programas regionais estão no centro de vários tópicos. A apresentação de candidaturas está prevista para 31 de janeiro de 2023, com a data limite de 18 de abril de 2023, 13:00 (BRT) (Hydrogen Central - 18.01.2023). 
Link Externo

Europa: BEI empresta 40 milhões de euros ao grupo PUNCH para desenvolver tecnologias de propulsão a hidrogênio em Turim e Estrasburgo

O Banco Europeu de Investimento (BEI) e o Grupo PUNCH, um líder belga inovador de desenvolvimento de sistemas de propulsão e controle para veículos híbridos e elétricos, assinaram um contrato de financiamento de € 40 milhões em apoio à pesquisa, desenvolvimento e inovação da empresa (RDI ) Atividades. Os investimentos serão feitos principalmente na sede da empresa em Turim (Itália) e, em menor escala, em Estrasburgo (França). O financiamento do banco da UE, apoiado por uma garantia do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (EFSI) — o principal pilar do Plano de Investimento para a Europa — permitirá ao Grupo PUNCH desenvolver tecnologias para motores a hidrogénio e sistemas de armazenamento de energia relacionados (células de combustível) para os setores de veículos automotivos, comerciais e industriais, com o objetivo de promover a mobilidade sustentável e a implantação de tecnologias inovadoras em toda a Europa (Hydrogen Central - 19.01.2023). 
Link Externo

Produção

Alemanha: BP está avaliando produzir hidrogênio a partir da amônia

A BP, uma empresa multinacional que atua no setor energético, está avaliando a possibilidade de desenvolver um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio de baixo carbono em Wilhelsmshaven, Alemanha. A planta contará com um cracker que terá por função extrair o hidrogênio a partir da amônia. Essa é uma maneira não muito convencional de produção, uma vez que normalmente se usa o hidrogênio para produção da amônia, e não o processo reverso. Assim que operacional, o projeto será capaz de produzir cerca de 130.000 toneladas de hidrogênio de baixo carbono anualmente. O projeto entrará em operação no ano de 2028. Por fim, em termos de uso final, o gás será transportado para clientes na região do Ruhr, além de outros centros de demanda (BP - 18.01.2023).
Link Externo

Alemanha: H2B2 está desenvolvendo planta de H2V de 10 MW

A H2B2, uma empresa de tecnologia que atua na área de produção de hidrogênio, está realizando um projeto que tem por intuito desenvolver uma planta de hidrogênio verde (H2V) na Alemanha. A planta contará com 5 eletrolisadores com 2 MW de capacidade de produção, totalizando 10 MW. A planta será integrada a um sistema fotovoltaico ou eólico, sendo capaz de produzir até 4.300 toneladas de H2V por dia. Ademais, a planta entrará em operação no ano de 2024. Por fim, no que concerne ao uso final, o gás será utilizado no setor de mobilidade, para abastecer um posto de abastecimento da empresa GP JOULE (H2B2 - 18.01.2023). 
Link Externo

China: Topsoe e Mintal Hydrogen se unem para desenvolver projeto de H2V

A Topsoe, uma empresa que atua com processos de descarbonização, e a Mintal Hydrogen Energy Techonoly, se uniram para desenvolver um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) em Baotou, Mongólia Interior, China. A planta será alimentada a partir de energias renováveis e contará com a tecnologia de eletrólise. A planta deve entrar em fase operacional no ano de 2025. Em termos de uso final, o gás será utilizado para produzir amônia verde a partir da síntese de Haber-Bosch. O projeto conta com uma capacidade de produção de 1.800 toneladas de amônia verde por dia e 390.000 toneladas anualmente na primeira fase. Espera-se que a amônia verde produzida substitua aproximadamente 850.000 toneladas de carvão e reduza a emissão de mais de 2 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera todos os anos.  (Topsoe - 19.01.2023) 
Link Externo

Dinamarca: CIP avança com planta de H2V com capacidade de 1 GW

A Conpenhagen Infrastructure Partners (CIP), uma empresa de investimentos, avança com seu projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) na Dinamarca. O avanço surge ao contratar a DNV para realizar especificações para a segurança das instalações PtX e para a avaliação, verificação e certificação de hidrogênio e amônia verde. A planta conta com a tecnologia de eletrólise com capacidade de 1GW e será alimentada a partir de energias renováveis. Com tamanha capacidade, espera-se que haja uma redução nas emissões de dióxido de carbono em cerca de 1,5 milhão de toneladas. Por fim, no que concerne ao uso final, o gás será utilizado para a produção de amônia verde a partir da síntese de Haber-Bosch. (DNV - 13.01.2023) 
Link Externo

Uzbequistão: ACWA Power prestes a desenvolver projeto de produção de H2V

A ACWA Power, uma desenvolvedora, investidora, coproprietária e operadora de um portfólio de usinas de geração de energia, está prestes a desenvolver um projeto que tem por intuito construir uma planta de hidrogênio verde (H2V) no Uzbequistão. A planta contará com a tecnologia de eletrólise que será alimentada a partir de energias renováveis. Espera-se que a planta tenha uma capacidade suficiente para produzir cerca de 3.000 toneladas de hidrogênio por ano e tenha como data de comissionamento dezembro de 2024. Por fim, no que concerne ao uso final, o gás será utilizado para produção de amônia verde a partir da síntese de Haber-Bosch.  (H2 View - 20.01.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Alemanha: Gasunie participa em projeto de armazenamento de hidrogênio em cavernas de sal

A operadora de rede de energia holandesa Gasunie se tornará parceira em um projeto alemão de armazenamento de hidrogênio que busca utilizar as cavernas de Etzel no estado da Baixa Saxônia. O projeto, H2CAST (H2 Cavern Storage Transition) planeja analisar duas cavernas de sal existentes que sejam adequadas para o armazenamento de hidrogênio conectadas por uma instalação acima do solo. Liderado por STORAG ​​ETZEL, o projeto piloto fará com que Gasunie assuma a responsabilidade pela instalação acima do solo a fim de conectar as duas cavernas, com a esperança de ver o projeto pronto em 2026. Cofinanciado pelo estado da Baixa Saxônia e pelo governo federal da Alemanha, o H2CAST pode vir como um local de armazenamento crucial para os mercados holandês e alemão, próximo à futura rede de hidrogênio Gasunie Hyperlink e ao antecipado Centro de Energia no Porto de Wilhelmshaven. (Gasunie - 17.01.2023) 
Link Externo

Alemanha: Grupo APEX vende suas ações e avança com forte projeto de transporte de hidrogênio

Foi assinado um acordo para que a Exceet adquira 100% das ações da APEX Group. Após a conclusão da transação, a APEX receberá aproximadamente 87 milhões de euros em capital, dos quais aproximadamente 70 milhões de euros serão usados ​​para realizar o pipeline para transporte de hidrogênio. A APEX atualmente compreende aproximadamente 50 projetos com uma capacidade total de eletrólise de mais de 1,7 GW. A empresa tem tecnologia madura e opera uma das maiores usinas de hidrogênio conectadas à rede na Europa desde 2020. A capacidade de eletrólise desta usina deve ser aumentada dos atuais 2 MW para até 22 MW até 2025. Projetos de grande escala de 100 MW deverão gerar receitas anuais de 45 milhões de euros para a APEX a partir de 2027.  (The Wall Street Journal - 19.01.2023)  
Link Externo

Escócia: Inovação no armazenamento de hidrogênio por gravidade

A Gravitricity, uma empresa escocesa especializada em tecnologias de armazenamento de energia por gravidade, assinou um memorando com a empresa de engenharia e construção VSL Systems UK para desenvolver o primeiro projeto de armazenamento subterrâneo britânico de hidrogênio. As partes utilizarão a tecnologia FlexiStore, que pode ser aplicada em quaisquer condições geológicas. O armazenamento será feito em um poço subterrâneo de 6 metros de largura e 365 metros de profundidade revestido de aço. O eixo será capaz de armazenar 100 toneladas de hidrogênio por vez sob uma pressão de 220 bar. Esse volume será suficiente para abastecer mais de 1.000 caminhões de carga e abastecer a frota de 500 ônibus movidos a célula de combustível por uma semana. A Gravitricity estima que um armazenamento será capaz de alimentar uma unidade de eletrólise combinada com uma usina eólica de 460 megawatts (MW) para produção de hidrogênio. A primeira caverna entrará em operação em 2026. (Global Energy Prize - 19.01.2023) 
Link Externo

Espanha: País estuda transporte de hidrogênio por gasoduto com país vizinho França

A Espanha e a França concordaram em explorar a possibilidade de estabelecer um futuro gasoduto submarino para transporte de hidrogênio verde entre os países. O governo espanhol argumenta que melhorar as conexões com a França ajudará a aumentar a segurança energética da Europa e facilitará o alcance de suas metas climáticas. Em dezembro, a Espanha disse que o chamado corredor BarMar entre as cidades portuárias de Barcelona e Marselha deve custar cerca de 2,5 bilhões de euros, ter uma capacidade de 2 milhões de toneladas de hidrogênio por ano e estar pronto até o final da década. Tanto a Espanha quanto a França solicitaram financiamento da União Europeia para o projeto BarMar. O interconector de 370 km foi designado em 2013 como um Projeto de Interesse Comum (PCI) pela UE e estava inicialmente previsto para ser concluído em 2025. Mas um funcionário da UE disse em junho que era mais provável que fosse inaugurado em 2026, enquanto o site do projeto sugere “2026-2027”. Os dois países, juntamente com Portugal, concordaram então em construir um novo corredor de hidrogênio verde, apelidado de H2MED, como solução alternativa. (Euractiv - 20.01.2023) 
Link Externo

Uso Final

Alemanha: Rolls-Royce opera motor a gasolina de 12 cilindros com 100% de hidrogênio

A Rolls-Royce alcançou outro marco em seus desenvolvimentos de hidrogênio, operando um motor a gasolina de 12 cilindros com 100% de hidrogênio. O motor passou por testes conduzidos pela unidade Power Systems da Rolls-Royce, onde a empresa afirma ter apresentado fortes características de eficiência, desempenho, emissões e combustão. Com as mudanças feitas na injeção de combustível do motor, turbocompressores, design e controle do pistão, o motor mtu pode oferecer energia neutra em dióxido de carbono se funcionar com hidrogênio verde no futuro. Após o teste bem-sucedido, a Rolls-Royce planeja instalar dois dos motores movidos a hidrogênio, com capacidade total de 2 MW, juntamente com três sistemas de célula de combustível no porto alemão de Duisburg, como parte do projeto enerPort I. (Rolls Royce - 16.01.2023) 
Link Externo

Áustria: Parceria Wolftank/Artthur Bus para desenvolver sistemas móveis de reabastecimento de hidrogênio

O Wolftank Group, especializado em tecnologias para soluções energéticas e ambientais, assinou um acordo com a ARTHUR BUS para o desenvolvimento e entrega de contêineres móveis de reabastecimento de hidrogênio. A ARTHUR BUS fornece ônibus de última geração com emissão zero para transporte público local (LPT) em cidades e comunidades regionais, transportando pessoas para seus destinos de maneira confortável, silenciosa e sustentável. O Wolftank Group, que atua globalmente, desenvolve e implementa tecnologias de ponta e soluções de infraestrutura para mobilidade com emissão zero e fornece, entre outras coisas, sistemas modulares de reabastecimento de hidrogênio prontos para uso. A atual falta de infraestrutura de reabastecimento de hidrogênio representa um grande desafio para os operadores de transporte público ao mudar para veículos de emissão zero. Como solução, os fabricantes de veículos apresentam um pacote que inclui a opção de reabastecimento na compra de um veículo movido a hidrogênio.  (Eqs News - 16.01.2023) 
Link Externo

Dinamarca: Parceria Advent Technologies/Alfa Laval para desenvolver célula de combustível movida a metanol

A Advent Technologies Holdings colaborará com a Alfa Laval, fornecedora global de produtos de transferência de calor, separação e manuseio de fluidos, em um projeto para explorar as aplicações das células de combustível movidas a metanol da Advent na marinha indústria. Financiado pelo Programa Dinamarquês de Demonstração e Desenvolvimento de Tecnologia Energética (EUDP), o projeto é um esforço conjunto entre Advent, Alfa Laval e um grupo de proprietários de navios dinamarqueses. O projeto se concentrará em testar as células de combustível de membrana de troca de prótons de altas temperaturas (HT-PEM) movidas a metanol como fonte de energia auxiliar marítima. Durante o projeto, o sistema de célula de combustível passará por uma avaliação de risco por uma das principais sociedades classificadoras internacionais. O combustível de metanol aplicado para as células de combustível é uma pré-mistura que consiste em 60% de metanol e 40% de água desmineralizada e deionizada. Essa mistura oferece muitas vantagens como portador de energia, pois é menos inflamável que o metanol puro e, portanto, mais barata de transportar. Além disso, não há necessidade de condensar a água, o que significa menor peso, maior eficiência e menor custo em comparação ao metanol puro.  (Green Car Congress - 15.01.2023) 
Link Externo

Europa: Parceria Nuvera Fuel Cells/Urban Mobility Systems para alimentar veículos e equipamentos no continente

A Nuvera Fuel Cells, LLC, fornecedora de motores pesados ​​de célula de combustível de hidrogênio para mobilidade, assinou um memorando de entendimento com a empresa holandesa de engenharia de tecnologia limpa Urban Mobility Systems (UMS). O MOU inclui um acordo para explorar o desenvolvimento, vendas e suporte de powertrains padronizados de célula de combustível de emissão zero para aplicações comerciais. Como parte do MOU, a UMS trabalhará em estreita colaboração com a Nuvera no desenvolvimento, teste e implantação do motor de célula de combustível de 125 kW da Nuvera. Lucien Robroek, CEO da Nuvera Fuel Cells, afirmou: “Os motores a célula de combustível da Nuvera são ideais para muitas aplicações de emissão zero que precisam de alcance estendido e reabastecimento rápido”. (H2 Bulletin - 13.01.2023) 
Link Externo

França: A empresa Hydrogen Refueling Systems fornecerá oito estações de reabastecimento de hidrogênio

Em um acordo que pode representar mais de € 18 milhões (US$ 19,4 milhões), a empresa francesa Hydrogen Refueling Systems (HRS) assinou um acordo com a pHYnix para fornecer oito de suas estações de reabastecimento de hidrogênio. Como parte do acordo, previsto para entrar em vigor até 2027, a HRS será um dos fornecedores preferenciais de infraestrutura para os projetos da pHYnix. O pipeline do projeto desta empresa é de 1,7 GW, e inclui diferentes modalidades, desde a geração à mobilidade, em Portugal, Espanha e França. Segundo o pedido, a HRS fornecerá oito de suas estações, incluindo cinco com capacidade de uma tonelada por dia e três com capacidade de 200 kg de hidrogênio por dia. (H2 View - 19.01.2023) 
Link Externo

India: Parceria Ballard/Adani para desenvolver um caminhão movido a hidrogênio para mineração no país

A Ballard Power Systems assinou um acordo para desenvolver um caminhão com célula de combustível de hidrogênio (FCET) para logística e transporte de mineração, em parceria com a Adani Enterprises Limited (AEL). O caminhão de mineração movido a hidrogênio pesará 55 toneladas, terá três tanques de hidrogênio, um alcance de trabalho de 200 km e será alimentado pela tecnologia de célula de combustível PEM de 120 kW da Ballard. Esta colaboração marca o primeiro caminhão de mineração movido a hidrogênio planejado da Ásia. O FCET está programado para ser lançado na Índia em 2023. O Adani Group anunciou anteriormente que planeja investir mais de US$ 50 bilhões nos próximos dez anos em hidrogênio verde e ecossistemas associados, correspondendo a uma capacidade de até 3 milhões de toneladas de hidrogênio verde anualmente.  (Reuters - 17.01.2023)  
Link Externo

Tailândia: Mitsubishi analisa uso de amônia verde em usina a carvão no país

A Mitsubishi Heavy Industries (MHI) realizará um estudo de viabilidade para a co-incineração de amônia em uma usina termelétrica a carvão na Tailândia, em busca da descarbonização da produção de energia com combustíveis à base de hidrogênio. Entende-se que as empresas envolvidas conduzirão estudos e desenvolverão planos para mistura de 20% de amônia na usina de 1.434MW localizada na província de Rayong, na Tailândia. A MHI, com o apoio da Mitsubishi Power, realizará um estudo sobre o fornecimento de queimadores de amônia, instalações de caldeiras e equipamentos necessários para co-combustão de amônia, a JERA explorará a aquisição e transporte de amônia. Juntas, a JERA e a Mitsubishi Corporation investigarão as instalações portuárias e as instalações de recebimento e armazenamento de amônia necessárias para o projeto. (Mitsubishi - 16.01.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Europa: Clean Hydrogen Partnership lança proposta de pesquisa para financiamento de € 195 milhões

A Clean Hydrogen Partnership lançou no dia 17 de janeiro uma chamada de pesquisa de hidrogênio para propostas com um total de € 195 milhões ($ 211 milhões) em financiamento disponível para 26 tópicos. Com o objetivo de apoiar as prioridades identificadas pela Agenda de Pesquisa Estratégica, estabelecida pela Clean Hydrogen Partnership – então Clean Hydrogen Joint Undertaking – o financiamento visa impulsionar a criação de tecnologias de hidrogênio. Em 26 tópicos disponíveis, a Parceria disponibilizou 20 milhões de euros para dois tópicos sobre pesquisa estratégica. Os temas serão agrupados em 11 ações de inovação (IA), 13 ações de pesquisa e inovação (RIA) e duas ações de coordenação e suporte (CSA), com cinco das IAs consideradas de importância estratégica e selecionadas como projetos carro-chefe. Uma lista completa de projetos pode ser encontrada aqui.  (H2 View - 18.01.2023) 
Link Externo

Reino Unido: A National Grid concluiu um teste de dez semanas para testar um gerador movido a hidrogênio em seu Deeside Center for Innovation

A National Grid concluiu um teste de dez semanas para testar um gerador movido a hidrogênio em seu Deeside Center for Innovation (DCI), uma instalação de teste de última geração que hospeda uma subestação modificada de 400 kV, projetada como um ambiente exclusivo para desenvolvimento e experimentação de tecnologias e práticas inovadoras. Uma unidade de energia de hidrogênio GeoPura 250kW (HPU) contida em um contêiner transportável medindo 7,2 m por 2,5 m foi instalada na DCI e produziu a energia para alimentar equipamentos de baixa tensão necessários para os projetos de teste de inovação da National Grid e operações locais. O teste testou os recursos e a viabilidade de HPUs como substitutos diretos para geradores a diesel de backup em mais de 250 locais de subestações da National Grid. Os dados agora serão analisados ​​e compartilhados ainda este ano. (Hydrogen Central - 14.01.2023) 
Link Externo

Cálculos teóricos identificam um gargalo chave dos materiais de armazenamento de hidrogênio em estado sólido

Um grupo de pesquisadores identificou o principal obstáculo de um material comum de hidrogênio em estado sólido, abrindo caminho para futuras diretrizes de design e uso comercial generalizado. Os detalhes de suas descobertas foram publicados no Journal of Materials Chemistry A, onde o artigo foi apresentado como um artigo de capa frontal. O hidrogênio desempenhará um papel significativo na geração de energia para o nosso futuro. É abundante e não produz emissões nocivas quando queimado. Mas o armazenamento e o transporte de hidrogênio são caros e arriscados. Atualmente, o hidrogênio é armazenado por três métodos: armazenamento de hidrogênio gasoso em alta pressão, armazenamento de hidrogênio líquido em baixa temperatura e armazenamento de hidrogênio em estado sólido. Entre o armazenamento de hidrogênio em estado sólido, os materiais em estado sólido são geralmente os mais seguros e fornecem a maior densidade de armazenamento de hidrogênio.  (Hydrogen Central - 18.01.2023) 
Link Externo

Eventos

Hydrogen Development in Africa: Opportunities, Challenges, and Prospects

No dia 16 de fevereiro de 2023 ocorrerá um evento online organizado pelo Tonipash Sustainable Energy Talk. Será discutido o desenvolvimento de hidrogênio na África: oportunidades, desafios e perspectivas com especialistas dentro e fora do continente. A África tem a oportunidade de atender às suas necessidades energéticas adotando o hidrogênio. A tecnologia no continente, assim como em outras partes do mundo, ainda é incipiente. Já, alguns países africanos como Namíbia, África do Sul e Marrocos firmaram parcerias para desenvolver esta tecnologia. O evento destacará os desafios em aproveitar o potencial do hidrogênio no continente e o que as organizações estão fazendo para promover sua adoção. Para se inscrever, clique aqui. (Tonipash Sustainable Energy Talk - Fevereiro de 2023) 
Link Externo

Artigos e Estudos

IRENA: Creating a global hydrogen market: Certification to enable trade

O comércio internacional de hidrogênio exigirá um sistema de certificação para identificar as várias formas de hidrogênio, suas pegadas de carbono associadas e outros critérios de sustentabilidade. Nenhum dos sistemas de certificação de hidrogênio existentes é adequado para o comércio transfronteiriço; lacunas em design, padrões e rótulos ecológicos, por exemplo, significam que os certificados fornecem informações insuficientes para permitir uma comparação justa entre fronteiras. Portanto, a padronização e harmonização são necessárias nessas áreas, bem como no cálculo da pegada de gases de efeito estufa e critérios de enquadramento regulatório compatíveis. Este relatório fornece uma visão geral dos esquemas de certificação existentes e identifica lacunas que impedirão o desenvolvimento da certificação de hidrogênio além das fronteiras e a demanda associada por certificados.  (IRENA - 2023) 
Link Externo

Storing hydrogen in cryogenic tanks

Cientistas da Universidade Nacional de Pusan, na Coreia do Sul, analisaram como o hidrogênio pode ser armazenado em tanques de combustível líquido criogênico. Eles descobriram que a vaporização e as mudanças termodinâmicas representam dois fatores cruciais neste processo. descobriram que a vaporização de hidrogênio aumenta significativamente à medida que os tanques criogênicos ficam mais vazios. A pesquisa lança luz sobre uma tecnologia chave para o transporte de hidrogênio. (PV Magazine - 2023) 
Link Externo

Unlocking Hydrogen Growth in the Middle East

Vários desafios ainda se colocam no caminho para o oriente médio se posicionar como uma região pioneira na futura economia de hidrogênio com baixo teor de carbono., muitos deles relacionados à falta de infraestrutura, estratégias e regulamentações. Diante disto, este estudo descreve os principais desafios e identifica os principais facilitadores para impulsionar o ecossistema de hidrogênio de baixo carbono. e estratégias nacionais bem informadas forem definidas e executadas, o Oriente Médio pode ver um boom em projetos de hidrogênio em grande escala, uma expansão de vales de hidrogênio e um declínio nos custos de produção. Pode ainda se tornar um líder em atividades avançadas de P&D e inovações em hidrogênio e na definição de melhores práticas e padrões internacionais.  (Roland Berger - 2023)  
Link Externo