IFE
28/08/2023

IFE Hidrogênio 141

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
28/08/2023

IFE nº 141

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 141

Políticas Públicas e Financiamentos

Austrália: Novos diretórios para desbloquear a cadeia de suprimentos de hidrogênio na austrália do sul

Durante a 19ª Conferência e Feira TACTIC em Port Augusta, a Austrália do Sul lançou duas publicações que mapeiam e promovem a capacidade das empresas locais de fornecer serviços para a indústria de hidrogênio verde do estado. A primeira publicação, "Diretório de Fornecedores da Indústria de Hidrogênio da Austrália do Sul", lista centenas de empresas com interesse e capacidade de fornecer serviços na cadeia de suprimentos de hidrogênio. A segunda, "Mapeamento da Cadeia de Suprimentos de Hidrogênio da Austrália do Sul", apresenta as capacidades específicas das empresas locais. Essas publicações visam apoiar o Plano de Empregos em Hidrogênio e outros projetos de hidrogênio no estado, promovendo a sustentabilidade e a autossuficiência na produção de hidrogênio verde. O governo estadual investirá mais de meio bilhão de dólares australianos em hidrogênio verde a partir de 2025, com o objetivo de criar empregos e reduzir as emissões de carbono na produção de energia. (Hydrogen Central - 18.08.2023) 
Link Externo

Brasil tem US$ 30 bi em projetos de hidrogênio em larga escala mapeados

O secretário de Planejamento e Transição Energética do Ministério de Minas e Energia (MME), Thiago Barral, durante a Reunião Ampliada com o setor privado para debater os principais pontos que serão abordados no Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2), disse que o PNH2 visa a consolidar o Brasil como um dos principais produtores da molécula até 2030. A expectativa, segundo ele, é criar uma regulação que dê segurança jurídica para os projetos que estão surgindo, e permitir que se desenvolvam plantas de produção a molécula em larga escala. Ele disse, ainda, que é preciso avançar em relação às competências de certificação e como a certificação do hidrogênio de baixo carbono vai dialogar, e que já existem US$ 30 bilhões em projetos mapeados para serem implantados no País. “Espero abrir esse debate no curto prazo, já com algumas balizas para que possamos avançar nisso”, disse ele durante o evento Setor Elétrico Desafios para o Novo Modelo, promovido pelo Broadcast Energia em parceria com o escritório de advocacia Mattos Filho. (Broadcast Energia - 16.08.2023) 
Link Externo

Brasil: Hidrogênio de baixo carbono inaugura nova agenda de desenvolvimento econômico, social e ambiental

O Ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, destacou que o Brasil está inaugurando uma nova agenda de desenvolvimento econômico, social e ambiental por meio do hidrogênio de baixo carbono. Durante uma reunião ampliada com o setor privado para apresentar o Plano de Trabalho Trienal (2023-2025) do Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2), o ministro ressaltou que o desenvolvimento do hidrogênio de baixo carbono trará maior segurança energética, criará empregos, contribuirá para a descarbonização da indústria e transportes, além de ajudar a criar um mercado internacional desse vetor. Cerca de US$30 bilhões em projetos de hidrogênio de baixo carbono já foram anunciados no Brasil. O PNH2 busca impulsionar a produção de hidrogênio de baixo carbono no país, que possui um potencial técnico significativo. (MME – 17.08.2023) 
Link Externo

Brasil terá mais de R$ 200 milhões de investimento para pesquisa sobre hidrogênio de baixa emissão de carbono

O Plano de Trabalho Trienal 2023-2025 do Programa Nacional do Hidrogênio (PNH2) foi lançado nesta quinta-feira (24/08), pelo Ministério de Minas e Energia (MME). O Plano define a estratégia de hidrogênio para o país, com três marcos temporais. Em 2025, propõe a disseminação de plantas piloto de hidrogênio de baixo carbono em todas as regiões do país. Em 2030, propõe a consolidação do Brasil como um produtor de H2 competitivo e, em 2025, a consolidação de hubs de hidrogênio de baixa emissão. A publicação contempla um total de 65 ações para os próximos três anos relacionadas ao hidrogênio, com 32 já em execução. Uma das ações prioritárias do plano é aumentar em quase sete vezes os investimentos anuais em pesquisa, desenvolvimento e inovação em hidrogênio de baixa emissão de carbono. Como resultado das ações propostas no plano, eles passarão de R$29 milhões em 2020 para R$200 milhões ao ano em 2025. Para acessar o Plano Trienal do PNH2 na íntegra, clique aqui (MME - 24.08.2021).  
Link Externo

EUA: DOE concederá cerca de US$ 34 milhões para projetos de pesquisa inovadores de hidrogênio

O Departamento de Energia dos EUA (DOE) concederá quase US$ 34 milhões a 19 projetos de pesquisa liderados por universidades e indústrias, visando aprimorar tecnologias de hidrogênio limpo para impulsionar sua utilização acessível em geração de eletricidade, descarbonização industrial e transporte. Supervisionados pelo Laboratório Nacional de Tecnologia Energética (NETL) do DOE, os projetos abrangem a redução de custos e consumo energético na produção de hidrogênio, a exploração de fontes como biomassa e resíduos industriais para sua produção, além do desenvolvimento de métodos seguros e eficientes de transporte e armazenamento. O compromisso reflete o empenho dos EUA em promover o hidrogênio limpo como uma ferramenta versátil para reduzir emissões e impulsionar uma transição energética sustentável. (H2 View – 21.08.2023) 
Link Externo

Nedbank Namibia doa N$ 350.000 para apoiar o desenvolvimento de hidrogênio verde

O Nedbank Namibia fez uma doação de N$ 350 mil para impulsionar a emergente economia de hidrogênio verde na Namíbia. O Ministério de Minas e Energia do país está trabalhando para tornar a Namíbia autossuficiente na produção de hidrogênio verde, com foco no desenvolvimento de competências e colaborações necessárias para atingir essa meta. A contribuição do Nedbank é vista como um marco no esforço do país em direção a um futuro mais sustentável, com o projeto de hidrogênio verde sendo um pilar estratégico para a diversificação econômica da Namíbia. A colaboração entre os setores público e privado é crucial para enfrentar os desafios e promover um ambiente econômico sustentável. A Namíbia está bem posicionada para se tornar um centro de produção de hidrogênio verde devido a suas parcerias internacionais e abundantes recursos solares e eólicos. (H2 View – 22.08.2023) 
Link Externo

Europa adota as regras de implementação do CBAM

A Comissão Europeia adotou recentemente as regras de implementação do Mecanismo de Ajuste de Carbono nas Fronteiras (CBAM), que entrará em vigor durante um período de transição de dois anos a partir de 1º de outubro de 2023. O CBAM foi acordado entre o Parlamento Europeu e o Conselho em dezembro de 2022, com o objetivo de precificar as emissões de carbono na produção de bens importados, incluindo o hidrogênio. O regulamento de execução detalha as obrigações transitórias de comunicação de informações para importadores de produtos sujeitos ao CBAM e a metodologia transitória para calcular as emissões incorporadas durante a produção. No caso do hidrogênio, a orientação leva em consideração critérios da Diretiva de Energia Renovável (RED), como correspondência temporal e geográfica, para classificar o hidrogênio como "renovável". Durante a fase de transição, os comerciantes comunicarão as emissões incorporadas nas importações, sem pagar ajustes financeiros, dando tempo às empresas para se prepararem para a implementação completa em 2026 (H2 View – 18.08.2023) 
Link Externo

Espanha/Portugal: Países revisam metas para energias renováveis e hidrogênio

Espanha e Portugal estão fortalecendo seus compromissos com um futuro mais sustentável, concentrando-se em investimentos e políticas revisadas para energias renováveis e hidrogênio até 2030. Ambos os países visam se tornar um centro de energia limpa na Península Ibérica, com planos ambiciosos. A Espanha apresentou um rascunho revisado do Plano Nacional de Energia e Clima, com metas mais altas para energias renováveis e hidrogênio verde até 2030, incluindo um aumento na capacidade alvo de produção de hidrogênio verde. Portugal também estabeleceu metas ambiciosas para energia solar, eletrólise e redução de emissões. A região ibérica está demonstrando seu compromisso com a energia verde, como refletido na conferência World Hydrogen & Renewables Iberia, que reúne líderes e especialistas para discutir essas aspirações e o potencial do mercado de energia limpa da região. (Hydrogen Central – 23.08.2023) 
Link Externo

Governo da Índia define limite de emissão de hidrogênio para se qualificar como 'verde'

O governo indiano estabeleceu um limite de emissão de 2 kg de dióxido de carbono (CO2) por quilograma de hidrogênio produzido a partir de fontes renováveis, a fim de ser classificado como "verde", segundo o Ministério de Energias Novas e Renováveis. Com esta definição, a Índia busca se tornar um dos líderes na produção de hidrogênio verde e tem como objetivo produzir 5 milhões de toneladas métricas anuais do combustível até 2030, reduzindo significativamente as emissões de carbono e economizando bilhões em importações de combustíveis fósseis. A Índia está buscando parcerias internacionais para exportar o hidrogênio verde, apesar dos desafios relacionados à energia utilizada na produção e emissões de carbono associadas. (Reuters – 19.08.2023) 
Link Externo

Produção

Austrália: Denham e East Kimberley selecionados para instalações de hidrogênio verde na Austrália Ocidental

A Austrália Ocidental está acelerando sua transformação em uma importante exportadora de hidrogênio renovável com a implementação de dois novos projetos de instalações de hidrogênio verde: Denham e o projeto de energia limpa de East Kimberley. A região possui condições ideais para a produção em larga escala de hidrogênio verde, com alta irradiação solar, recursos eólicos significativos e uma extensa área de terra de baixa densidade populacional. Com quase A$90 milhões de investimento do governo estadual, a Austrália Ocidental já possui 24 projetos de hidrogênio em andamento ou já estabelecidos. A empresa Horizon Power está liderando um projeto em Denham, que envolve uma usina de demonstração de hidrogênio alimentada por energia solar, enquanto o projeto de energia limpa de East Kimberley pretende produzir grandes volumes de hidrogênio verde usando paineis solares e energia hidrelétrica. Esses projetos estão alinhados com a meta da Austrália Ocidental de se tornar um player significativo na indústria global de hidrogênio verde. (Hydrogen Central - 23.08.2023) 
Link Externo

Canadá: World Energy GH2 avança na corrida global pelo hidrogênio verde

A World Energy GH2 Inc. anunciou que submeteu um Estudo de Impacto Ambiental (EIA) para o Projeto Nujio’qonik. Esta submissão marca o primeiro estudo ambiental abrangente na América do Norte para um projeto comercial de hidrogênio verde em escala comercial. O Projeto Nujio’qonik está planejado para ser construído na costa oeste de Newfoundland and Labrador e será um dos primeiros projetos de produção de hidrogênio verde em grande escala a partir da energia eólica, com a produção prevista para começar em 2025. A conclusão das etapas iniciais do projeto terá um impacto imediato na redução de gases de efeito estufa em escala global. As fases iniciais do projeto compensarão cerca de 850 mil toneladas de emissões de CO2 por ano, com base no deslocamento da quantidade equivalente de energia gerada a partir do carvão. A parceria com a Qalipu First Nation, uma comunidade indígena, também foi um elemento-chave no processo de avaliação ambiental, garantindo que as perspectivas locais fossem consideradas. A empresa busca produzir quantidades iniciais de hidrogênio verde até 2025 e fazer do Canadá um importante produtor global de energia verde. (PRNews Wire - 22.08.2023) 
Link Externo

EUA: Plug Power apresenta planta de hidrogênio verde de 15 t/dia

A Plug Power Inc. (NASDAQ: PLUG), líder global em soluções abrangentes de hidrogênio para a economia de hidrogênio verde, sediará o seu Dia do Analista, apresentando os resultados da sua planta de hidrogênio verde. A planta, construída no condado de Camden, Georgia, produzirá 15 t/dia (~5,5 t/ano) de hidrogênio verde líquido. A Plug compartilhará como a planta na Geórgia fortalece a posição de longo prazo da empresa como líder global na produção de hidrogênio verde e fornecedora de eletrólitos. A agenda do dia incluirá um tour pela planta de hidrogênio. A planta foi construída em 12 meses e possui 40 MW de eletrolisadores Plug PEM. A planta está conectada à rede elétrica, o que deve garantir um suprimento constante de energia, o que é fundamental para uma planta de hidrogênio líquido. As ideias que a Plug obteve ao projetar e construir esta planta devem resultar em otimização de design e menor gasto de capital para as outras plantas da empresa atualmente em construção. (Plug Power - 23.08.2023) 
Link Externo

Espanha: País intensifica a produção de hidrogênio verde

A Espanha está aumentando a produção de hidrogênio verde, aproveitando sua abundância de sol e vento para se posicionar como líder futuro na produção de hidrogênio verde na Europa. No entanto, especialistas do setor de energia expressam cautela em relação a essa expansão, pois ela dependerá de grandes aumentos na capacidade de energia renovável. A produção de hidrogênio verde é vista como importante para a União Europeia (UE) em sua busca por segurança energética e pela meta de zero emissões líquidas até 2030. A Espanha já ultrapassou suas metas de capacidade de hidrogênio verde estabelecidas em 2020 e está se tornando um player significativo no setor. No entanto, críticos argumentam que o foco excessivo no hidrogênio verde poderia desviar recursos das energias renováveis já estabelecidas. A Espanha está bem posicionada para liderar a produção de hidrogênio verde devido às suas condições ideais para a energia solar e eólica. Porém, a expansão do setor de hidrogênio verde exigiria uma quantidade significativa de capacidade de geração de energia renovável adicional, o que gera preocupações quanto à viabilidade dessa estratégia a longo prazo. (Hydrogen Central - 23.08.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Universidade de Sheffield se tornará um produtor de hidrogênio verde e SAF

A Universidade de Sheffield está prestes a se tornar o maior produtor de hidrogênio verde entre os centros de pesquisa do Reino Unido, graças a novos equipamentos que apoiarão pesquisas essenciais para a descarbonização da indústria de aviação. O Instituto de Energia de Sheffield está instalando um novo eletrolisador de hidrogênio - uma tecnologia que produz hidrogênio separando a água em hidrogênio e oxigênio. Com os novos equipamentos, a Universidade será capaz de produzir quase 140 Nm3 (~ 12,5 kg) por hora de hidrogênio verde, contribuindo para pesquisas no campo de combustíveis sustentáveis e descarbonização. Esse equipamento será usado para pesquisas visando desenvolver e testar novos combustíveis de aviação sustentáveis baseados em hidrogênio. O novo eletrolisador, instalado no Centro de Inovação de Combustíveis de Aviação Sustentável (SAF-IC) da universidade, dará ao Reino Unido capacidades de P&D essenciais em combustíveis de aviação sustentáveis e contribuirá para a redução do impacto ambiental das viagens aéreas. A pesquisa visa desenvolver novos combustíveis baseados em hidrogênio e CO2 que atendam a rigorosos padrões e regulamentações para uso na indústria de aviação. (Hydrogen Central - 18.08.2023) 
Link Externo

Turquia: Ambição de hidrogênio para fornecer uma fonte de energia alternativa sustentável

A Turquia está lançando um projeto em Bandırma, que envolve a construção de uma instalação de produção de energia sustentável que produzirá hidrogênio verde por meio de energia renovável. O projeto HYSouthMarmara busca tornar a Turquia um centro regional de energia verde, e o país planeja combinar o hidrogênio verde com o boro para desenvolver novas alternativas sustentáveis, incluindo combustíveis para aviação. Isso pode ajudar a diversificar a produção de boro, uma vez que a Turquia possui a maior parte das reservas mundiais desse elemento. (Politics Today – 14.08.2023) 
Link Externo

Armazenamento de Energia

Coreia do Sul precisa aumentar as solicitações de patentes para armazenamento e transporte de hidrogênio

Um relatório divulgado pela Associação de Comércio Internacional da Coreia (KITA) destacou a necessidade de a Coreia aumentar suas solicitações de patentes para tecnologias de armazenamento e transporte de hidrogênio. Nos últimos 10 anos, a Coreia contribuiu com apenas 5% das solicitações globais de patentes nesse setor, em comparação com 33% da União Europeia, 23% dos Estados Unidos e 22% do Japão. A pesquisa aponta que esse desequilíbrio se deve ao foco desproporcional da Coreia em investimentos em tecnologias de utilização de hidrogênio. A Coreia investiu apenas 12% de seu orçamento total de hidrogênio em armazenamento e transporte nos últimos cinco anos. Esse relatório destaca a importância de investir mais em tecnologias de armazenamento e transporte de hidrogênio, considerando o crescimento esperado do mercado global de armazenamento de hidrogênio. Atualmente, a Coreia enfrenta limitações em seu mercado de transporte de hidrogênio devido à dependência do gás, mas se a tecnologia de liquefação for comercializada, isso poderá impulsionar o mercado e o investimento em infraestrutura de transporte de hidrogênio. (Business Korea - 18.04.2023) 
Link Externo

Chile: ENAP assina acordo com seis empresas de energia para gerar o maior desenvolvimento de infraestrutura de hidrogênio verde do país

A Empresa Nacional do Petróleo (ENAP) do Chile assinou um acordo com seis empresas de energia internacionais para transformar o Terminal Marítimo Gregorio no maior complexo industrial da Região de Magallanes, voltado para o desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde. Este acordo visa permitir estudos de viabilidade para a criação de um novo terminal marítimo para descarregamento de equipamentos e instalações de armazenamento e exportação de produtos finais. O objetivo é criar uma infraestrutura adequada para a produção e comercialização de combustíveis à base de hidrogênio verde, contribuindo para o desenvolvimento da indústria de hidrogênio no Chile. Este movimento está alinhado com o compromisso do Chile em se tornar um líder mundial na produção e exportação de hidrogênio verde. (Hydrogen Central - 20.08.2023) 
Link Externo

Empresas: Apollo Funds adquire a empresas Composite Advanced Technologies

A Apollo-managed funds (NYSE: APO) anunciou a aquisição de uma participação majoritária na Composite Advanced Technologies, Inc ("CATEC"), uma fornecedora líder de soluções de transporte e armazenamento de gás natural comprimido ("CNG"), gás natural renovável ("RNG") e hidrogênio nos Estados Unidos. Com sede em Houston e fundada em 2014, a CATEC fabrica cilindros de grande formato do Tipo IV que facilitam o uso de gás natural e hidrogênio em diversas aplicações industriais quando montados em reboques móveis ou utilizados em aplicações estacionárias. Os produtos da CATEC ajudam os clientes a fazer a transição para alternativas mais limpas aos combustíveis fósseis intensivos em carbono. A Apollo pretende investir ainda mais na empresa para estabelecer uma plataforma líder em fabricação de equipamentos de gás e serviços com capacidades aprimoradas e ofertas aos clientes, visando expandir no mercado de transporte e armazenamento de hidrogênio em crescimento. (Globe News Wire - 22.08.2023) 
Link Externo

Uso Final

Alemanha: HyIron inaugura planta de redução direta de hidrogênio para produção de ferro verde em Lingen

A HyIron inaugurou uma planta de redução direta de hidrogênio para a produção de ferro verde em Lingen, na Alemanha. Com o apoio do estado da Baixa Saxônia, a planta utiliza hidrogênio verde para reduzir o minério de ferro de forma completamente neutra em carbono, contribuindo para a descarbonização da indústria de aço. A planta, localizada no local da usina a gás Emsland da RWE, é a maior do mundo em sua categoria e conta com o financiamento de três milhões de euros do Ministério de Meio Ambiente da Baixa Saxônia. O processo inovador utiliza um forno rotativo à prova de gás, permitindo a conversão do minério de ferro em ferro elementar utilizando hidrogênio, resultando em emissões de vapor de água, em vez de dióxido de carbono. O hidrogênio verde para a planta é produzido em um eletrolisador piloto de 14 MW da RWE, que está previsto para entrar em operação no final de 2023. (Green Car Congress - 23.08.2023) 
Link Externo

Brasil: Lança planta piloto para produção de hidrogênio renovável a partir de etanol na USP

O governo do Brasil lançou uma planta piloto para a produção de hidrogênio renovável a partir de etanol na Universidade de São Paulo (USP). A planta, desenvolvida em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e empresas privadas, visa produzir hidrogênio verde utilizando etanol como matéria-prima. Através de um processo de reforma, o etanol é transformado em hidrogênio, contribuindo para a redução das emissões de carbono. A planta tem capacidade para produzir 5 kg/hora de hidrogênio a partir de etanol e fornecerá combustível para três ônibus e um carro sedã movidos por células a combustível que geram eletricidade internamente a partir do hidrogênio. O projeto busca promover a sustentabilidade e a autossuficiência no campus da USP e conta com financiamento de empresas de energia e automóveis, bem como do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). (Governo do Estado de São Paulo - 10.08.2023) 
Link Externo

Canadá: Nel Hydrogen conquista a primeira certificação ULC para estação de abastecimento de hidrogênio

A Nel Hydrogen alcançou um feito histórico ao conquistar a primeira certificação Underwriters Laboratories Canada (ULC) para uma estação de abastecimento de hidrogênio. Isso estabeleceu um novo padrão na indústria em termos de segurança, qualidade e desempenho. A ULC é uma organização independente, reconhecida globalmente por sua autoridade em certificação de segurança e qualidade de produtos. A certificação ULC é vista como um símbolo de qualidade superior e atesta que o produto passou por rigorosos testes e avaliações para atender a um conjunto complexo de padrões. A Nel Hydrogen agora se destaca como líder na indústria de estações de abastecimento de hidrogênio, fortalecendo sua posição como provedora de soluções de abastecimento de hidrogênio de qualidade e segurança. A conquista da certificação ULC é considerada um marco significativo para a indústria de hidrogênio, encorajando a aderência uniforme a regulamentos de segurança e qualidade e elevando o padrão da indústria como um todo. (Nel Hydrogen - 23.08.2023) 
Link Externo

EUA: FirstElement Fuel recebe financiamento para expandir capacidade de fabricação de estações de abastecimento de hidrogênio

A FirstElement Fuel Inc. (FEF), líder mundial em soluções de abastecimento de hidrogênio, recebeu um subsídio de US$7,7 milhões da Comissão de Energia da Califórnia (CEC) para ampliar a capacidade de fabricação de sua instalação em Santa Ana, CA, em mais de 10 vezes. A FEF é responsável pela maior rede mundial de estações de abastecimento de hidrogênio, com 85 dispensadores em 40 locais e atendendo veículos movidos a hidrogênio em toda a Califórnia. Essa expansão visa impulsionar a produção de componentes essenciais para estações de abastecimento de hidrogênio, contribuindo para empregos locais e reduzindo as emissões de gases de efeito estufa. A FEF também está contribuindo com pelo menos US$14 milhões para o projeto, alinhando-se com a política do governo estadual da Califórnia de transição para veículos de zero emissão. Com esse financiamento, a FEF está desempenhando um papel crucial na expansão e desenvolvimento da infraestrutura de abastecimento de hidrogênio na Califórnia, apoiando a adoção de veículos movidos a hidrogênio e contribuindo para a redução das emissões de carbono. (PRNews Wire - 18.08.2023) 
Link Externo

Empresas: ZeroAvia estabelece parceria de combustível de aviação a hidrogênio com a Masdar

A ZeroAvia anunciou uma parceria com a Masdar, uma das principais empresas de energia limpa do mundo, para explorar a produção e fornecimento de hidrogênio em locais-chave. A parceria com a empresa de energia renovável Masdar, dos Emirados Árabes Unidos, inicialmente se concentrará em projetos na América do Norte e na Europa, além de analisar a oportunidade de estabelecer operações de voo limpo nos Emirados Árabes Unidos. A Masdar busca ser líder global em hidrogênio verde, visando 1 milhão de toneladas de produção de hidrogênio verde por ano até 2030. A ZeroAvia, por sua vez, está trabalhando com algumas das maiores empresas de energia do mundo para fornecer combustível para seus clientes operadores de companhias aéreas até 2025. A parceria visa possibilitar voos comerciais sem emissões e impactos climáticos até o final desta década. (ZeroAvia - 23.08.2023) 
Link Externo

Países Baixos: Future Proof Shipping realizará retrofit de navio a diesel para hidrogênio

A Future Proof Shipping planeja realizar retrofit de um navio a diesel para funcionar com hidrogênio. O navio de contêineres FPS Waal chegou ao estaleiro Holland Shipyards Group em Werkendam, onde será convertido em um navio movido a hidrogênio de zero emissão de carbono. Todos os motores de combustão interna da embarcação serão removidos e um novo sistema de propulsão totalmente livre de emissões, incluindo células a combustível PEM, armazenamento de hidrogênio, pacotes de bateria e sistema de transmissão elétrica, será instalado. O projeto conta com o apoio financeiro de diversos programas e organizações, incluindo Interreg North Sea Region Programme, Flagships H2020 Project e Netherlands Enterprise Agency. (H2 View - 22.08.2023) 
Link Externo

Suécia: H2 Green Steel irá impulsionar a produção de aço verde

A empresa sueca H2 Green Steel está se preparando para impulsionar a produção de aço verde com hidrogênio, visando ser líder na produção em larga escala até 2025. O aço verde é produzido substituindo o hidrogênio verde pelo carvão atualmente usado na produção de aço, um setor responsável por cerca de 8% das emissões globais de dióxido de carbono. Recentemente, a H2 Green Steel anunciou parcerias e acordos importantes para seu crescimento. Em maio, anunciou uma colaboração com a Thyssenkrupp Nucera para criar uma planta de eletrólise de 700 MW na Suécia. A planta usará a tecnologia de eletrólise alcalina da Thyssenkrupp. Além disso, a H2 Green Steel fechou um acordo com as mineradoras Rio Tinto e Vale para o fornecimento de minério de ferro em pellet para sua planta. A H2 Green Steel, anteriormente uma subsidiária da fabricante de baterias Northvolt, está se unindo a outros produtores de aço na busca pelo aço verde, com vários projetos semelhantes em andamento na Europa. (Hydrogen Central - 19.08.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Fives lança seu primeiro queimador de duto 100% hidrogênio

A Fives, líder industrial com vasta experiência em combustão, lançou o Hy-Ductflam™, seu primeiro queimador de duto que utiliza 100% de hidrogênio. Essa inovação é um passo crucial para a descarbonização global de processos de aquecimento e secagem, uma vez que a queima de hidrogênio não emite carbono. O queimador oferece uma transição simples de gás natural para hidrogênio, sem necessidade de modificações nos equipamentos. Além disso, sua eficiência e confiabilidade mecânica ajudam a reduzir as emissões de CO2 em diversas indústrias, como a de papel, ao mesmo tempo que limita os custos para os fabricantes. (Fives Group – 23.08.2023) 
Link Externo

Strategic Resources assinam acordo de colaboração de hidrogênio verde com a Cipher Neutron

A Strategic Resources Inc. (TSXV: SR) e a Cipher Neutron Inc. assinaram um acordo de colaboração para um estudo de fornecimento de eletrolisadores de Membrana de Troca Aniônica (AEM) para a planta metalúrgica do Projeto BlackRock, visando a produção de hidrogênio verde. Os eletrolisadores AEM da Cipher Neutron serão utilizados para apoiar a transição para o aço verde, contribuindo para reduzir as emissões de carbono. O acordo permitirá à Strategic avançar no desenvolvimento de hidrogênio e produzir produtos metálicos de ferro com baixas emissões para uso em fornos elétricos e fundições de aço. A tecnologia dos eletrolisadores AEM da Cipher Neutron oferece maior eficiência elétrica, custos mais baixos e menor impacto ambiental. O projeto tem potencial para produzir até trinta toneladas de hidrogênio verde por dia, contribuindo para a redução global de gases de efeito estufa. (Hydrogen Central – 18.08.2023) 
Link Externo

Complexos de ligas prometem armazenamento leve de hidrogênio

Uma nova família de ligas complexas baseadas em TiMgLi (CCAs) apresenta densidades extremamente baixas de liga e promete uma capacidade de armazenamento de hidrogênio considerável à temperatura ambiente. O hidrogênio é crucial na transição para uma energia sustentável de baixo carbono e é especialmente atrativo para o transporte. No entanto, a implantação prática do hidrogênio depende de meios de armazenamento de estado sólido. Atualmente, metais ou ligas são usados para o armazenamento de hidrogênio devido à facilidade de síntese para aplicação em grande escala. Uma equipe de pesquisadores desenvolveu uma série de CCAs de baixa densidade e ultra-leves com alta capacidade de armazenamento de hidrogênio à temperatura ambiente. Essas ligas podem ser a base para futuras instalações de armazenamento de hidrogênio e têm potencial para fabricação em grande escala. (Materials Today - 24.08.2023) 
Link Externo

Eventos

Mercados internacionais para produtos e derivados PtX

No dia 29 de agosto de 2023, às 11:00 da manhã, ocorrerá um webinar que abordará o papel dos produtos e derivados PtX como solução inovadora para desafios ambientais e energéticos, resultando da eletrólise e síntese química a partir de fontes renováveis. Explorará seu potencial na descarbonização de várias indústrias e impulsionar a transição para uma economia mais limpa, com insights sobre os mercados internacionais e oportunidades de crescimento para as empresas, apresentados por meio de casos de experiência.  
Link Externo

Financiamento e Investimento Mundial em Hidrogênio

Com o mercado de produção de hidrogênio estimado para crescer a uma taxa anual de 9,2% até 2030, há uma urgente necessidade de financiamento e investimento em hidrogênio de baixo carbono para impulsionar a transição para fontes menos dependentes de combustíveis fósseis. O evento online explorará como os investidores e financiadores podem desempenhar um papel crítico na transição energética do hidrogênio, investigando fatores para alcançar a viabilidade financeira e decisões de investimento, bem como o apoio governamental necessário para criar estruturas de mercado e mecanismos de mitigação de riscos. Acontecerá em 6 de setembro de 2023, com sessões abordando navegação e proteção do financiamento de projetos de hidrogênio em diferentes partes do mundo e estudos de caso específicos, seguidos de perguntas e respostas sobre esses estudos. 
Link Externo

Artigos e Estudos

Artigo GESEL/AHK: Passos para desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde no Brasil

Foi publicado novo artigo GESEL no Portal de Hidrogênio Verde da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK). O texto, assinado por Nivalde José de Castro (Coordenador do GESEL) e Sayonara Eliziário (Professora da Universidade Federal da Paraíba e pesquisadora associada do GESEL) é intitulado “Passos para desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde no Brasil”. Segundo os autores, "há um consenso sobre a necessidade da definição de políticas públicas e diretrizes voltadas ao hidrogênio e seus derivados, no âmbito regulatório, incluindo o estabelecimento de metas, normas e padrões bem definidos. Deste modo, as normas estabelecidas a partir da ABNT devem ser atualizadas em harmonia à regulamentação internacional”. (GESEL-IE-UFRJ – 17.08.2023) 
Link Externo

Austrália deve se concentrar no transporte de hidrogênio ou corre o risco de ficar para trás, diz novo relatório

Um novo relatório da CSIRO e GHD Advisory destaca a necessidade de a Austrália focar no transporte movido a hidrogênio para não ficar para trás em relação a outras regiões que estão avançando nesse setor. O relatório ressalta a importância da infraestrutura de reabastecimento para o sucesso do hidrogênio na mobilidade e aponta que jurisdições como Alemanha, Japão, Califórnia, Coreia do Sul e China têm liderado no uso de veículos elétricos movidos a célula a combustível de hidrogênio (FCEVs). A Austrália é instada a incorporar aprendizados internacionais, desenvolver estratégias de hubs de hidrogênio e incentivar parcerias tecnológicas. O relatório destaca desafios e oportunidades na produção, distribuição e armazenamento de hidrogênio, e enfatiza a importância de acelerar a descarbonização do setor de transporte do país. O governo australiano está revisando sua Estratégia Nacional de Hidrogênio em resposta ao apoio internacional ao hidrogênio. Para acessar estudo na íntegra, clique aqui (H2 View – 23.08.2023).
Link Externo

Green hydrogen production: Integrating environmental and social criteria to ensure sustainability

O hidrogênio está no centro de uma onda global sem precedentes, sendo considerado um potencial transportador de energia para a transição energética neutra em carbono. Este artigo apresenta critérios de sustentabilidade mensuráveis para avaliar estratégias de produção de hidrogênio verde, abrangendo seis categorias de impacto, incluindo transição energética, meio ambiente, socioeconomia e planejamento de projetos. Dezesseis critérios de sustentabilidade são identificados, destacando a importância de considerar não apenas os custos econômicos, mas também os aspectos sociais ao longo da cadeia de valor da produção de hidrogênio verde para evitar injustiças e melhorar o bem-estar da população afetada. (Smart Energy - agosto 2023)
Link Externo

Taking Stock of China and the Geopolitics of Energy

A estratégia de hidrogênio da China apresenta dimensões internacionais crescentes e algumas sobreposições com desafios enfrentados por fabricantes de energias renováveis. Embora o país seja o maior consumidor global de hidrogênio, chegou tardiamente ao hidrogênio verde. Suas metas, apesar de não tão ambiciosas quanto as da UE, têm foco especial em veículos de célula a combustível. A ambição provincial supera a política central, incentivando o investimento estrangeiro para cooperação tecnológica e modelos de negócios, mas suscitando preocupações sobre transferência de tecnologia e competição industrial a longo prazo, enquanto a China também se engaja ativamente em geopolítica energética global ao colaborar com países da América Latina, África e Sul da Ásia no campo do hidrogênio. 
Link Externo

FGV Energia: O Hidrogênio Verde e Amarelo

O Hidrogênio tem uma densidade energética superior à dos combustíveis fósseis e esta vantagem competitiva, associada a um processo produtivo com baixas emissões de CO2, coloca esta molécula como a grande aposta para descarbonização da economia global. A busca por soluções voltadas para a redução das emissões de CO2 é uma corrida global e a Europa avança, de forma robusta, para adoção do Hidrogênio Verde dentro da sua estratégia de descarbonização e atingimento das metas climáticas pactuadas no Acordo de Paris (FGV Energia - 18.08.2023).
Link Externo