IFE
21/08/2023

IFE Hidrogênio 140

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
21/08/2023

IFE nº 140

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 140

Políticas Públicas e Financiamentos

Brasil: Multinacionais pressionam por regulação do H2V

Um grupo de dez grandes empresas interessadas no desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde (H2V) no Brasil criou uma associação com objetivo de acelerar o debate em torno do marco regulatório para o setor. “O Brasil precisa passar uma mensagem mais clara e direta para entrar na competição global. Precisamos de um empurrão para sair da inércia”, afirma Luis Viga, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Hidrogênio Verde (ABIHV). Segundo Viga, o Brasil tem condições “muito competitivas” para desenvolvimento do setor de H2V, por conta da matriz energética limpa, mas outros países estão agindo mais incisivamente para atrair os investidores.Viga afirma que os primeiros investidores no mercado de H2V assumirão um risco maior e, portanto, é crucial uma mobilização do governo brasileiro para reduzir alguns entraves. Um dos gargalos, aponta o executivo, é a elevada oneração da energia no consumo. Além disso,Viga disse que é necessário estabelecer segurança jurídica e esclarecer as regras no país para atrair bancos de fora para financiar os projetos, reduzindo a dependência dos brasileiros BNB e BNDES. A ABIHV tem expectativa de que, até o fim do ano, o marco regulatório para a indústria de H2V seja apresentado pelo governo. (Valor Econômico - 07.08.2023). 
Link Externo

Brasil: O lobby pelo hidrogênio de biomassa

O Brasil está explorando o potencial do hidrogênio verde como alternativa para reduzir as emissões de carbono, sendo produzido a partir da biomassa, conhecido como hidrogênio musgo. Com seu robusto setor de agronegócio e grande produção de resíduos agropecuários, o país poderia aproveitar essa biomassa para gerar biogás e biometano, que por sua vez seriam convertidos em hidrogênio através do processo de reforma a vapor. Esse método já possui viabilidade econômica e tecnológica para produção em larga escala. No entanto, o desafio é garantir a sustentabilidade da produção, evitando o desmatamento ilegal e assegurando a certificação da matéria-prima. A busca por certificação e o exemplo positivo do programa RenovaBio para biocombustíveis são indicativos de que maior controle dos processos produtivos poderia impulsionar a aceitação e o valor do hidrogênio musgo no mercado internacional. (EPBR – 14.08.2023) 
Link Externo

Brasil: Hidrogênio verde e as expectativas no mercado europeu

O hidrogênio verde, produzido através de eletrólise alimentada por fontes de energia renovável, tem ganhado popularidade como solução sustentável para combater as mudanças climáticas e reduzir a dependência de combustíveis fósseis. O Brasil se posiciona estrategicamente no mercado europeu, onde a exportação de hidrogênio verde fortaleceria sua reputação no setor energético global e atrairia investimentos para a economia verde do país. No entanto, para alcançar essa posição, o Brasil deve melhorar sua infraestrutura, regulamentação e competitividade de produção, além de explorar parcerias para impulsionar a transição energética global e a redução das emissões de carbono. (Hydrogen Central – 12.08.2023) 
Link Externo

EUA: Nova estratégia de hidrogênio da Califórnia

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, solicitou ao Gabinete do Governador de Negócios e Desenvolvimento Econômico (GO-Biz) a criação da Estratégia de Desenvolvimento do Mercado de Hidrogênio da Califórnia, seguindo uma abordagem abrangente do governo para impulsionar o mercado de hidrogênio limpo e renovável no estado. Inspirada na Estratégia de Desenvolvimento de Mercado de Veículos de Emissão Zero, essa iniciativa visa expandir o uso de hidrogênio renovável para alcançar as metas climáticas da Califórnia e apoiar o programa Hydrogen Hub, que busca estabelecer centros de hidrogênio nos EUA. A estratégia incluirá medidas para impulsionar a implantação de energia limpa e descarbonizar setores industriais e de transporte, bem como envolver partes interessadas e comunidades locais para promover a equidade e benefícios ambientais e econômicos. A iniciativa reflete o compromisso da Califórnia com o hidrogênio limpo como parte de sua transição energética. (H2 View – 15.08.2023) 
Link Externo

Governo do Reino Unido seleciona projetos de hidrogênio verde para rodada de financiamento

O governo do Reino Unido divulgou uma lista de projetos de hidrogênio eletrolítico, que receberão financiamento do Fundo de Modelo de Negócios de Hidrogênio / Net Zero Hydrogen Fund. A Rodada de Alocação de Hidrogênio 1 (HAR1) planeja financiar projetos de hidrogênio eletrolítico com capacidade total de 250MW na Inglaterra, Escócia e País de Gales, com contratos a serem concedidos no quarto trimestre de 2023. A lista inclui projetos da RES, Octopus Renewables, Carlton Power, Barrow Green Hydrogen, Langage Green Hydrogen, SSE Thermal e SSE Renewables, entre outros. Os projetos não selecionados para HAR1 são incentivados a enviar propostas para a segunda rodada de alocação, parte dos esforços do Reino Unido para atingir sua meta de 10 GW de produção de hidrogênio com baixo teor de carbono até 2030. (H2 View – 16.08.2023) 
Link Externo

Austrália: A estratégia de hidrogênio deve ser o elemento-chave da estratégia de Net Zero

O Conselho Australiano de Hidrogênio (AHC) enviou um documento de posição ao governo australiano, enfatizando que a Estratégia Nacional de Hidrogênio revisada deve ser vista como um componente crucial da estratégia Net Zero do país. Destacando a importância do hidrogênio limpo e verde para a descarbonização da economia e a necessidade de políticas direcionadas e financiamento para atrair capital em um ambiente competitivo, o AHC oferece 53 recomendações principais em resposta ao documento de consulta do Departamento de Mudanças Climáticas, Energia, Meio Ambiente e Água (DCCEEW). O AHC também enfatiza a necessidade de investimentos substanciais, planejamento de infraestrutura de hidrogênio e estabelecimento de metas significativas para alcançar as ambições australianas de liderança em energia renovável e hidrogênio. (H2 View – 17.08.2023) 
Link Externo

Fusion Fuel apresenta oferta de € 24,7 milhões de financiamento para três projetos de hidrogênio verde

A Fusion Fuel, com sede em Portugal, submeteu três projetos de hidrogênio verde ao programa H2 Pioneers II da Espanha, que disponibilizou € 150 milhões para apoiar projetos de hidrogênio renovável. Os projetos irão utilizar a tecnologia HC-Series da Fusion Fuel, com capacidade total de eletrólise de cerca de 13 MW, visando a produção e consumo locais de hidrogênio. A empresa busca € 24,7 milhões em subsídios e já assegurou contratos de compra e venda de energia para os projetos, que produziriam mais de 1.500 toneladas de hidrogênio verde por ano. A Fusion Fuel destacou seu compromisso com a liderança na transição energética e sua estratégia comercial bem-sucedida. No passado, a empresa recebeu € 3,3 milhões para um projeto de hidrogênio verde em Toledo, Espanha. A Fusion Fuel expressou confiança de que esses novos projetos contribuirão para suas metas de receita e demonstrarão a aplicabilidade de sua tecnologia para a descarbonização industrial. (H2 View – 17.08.2023) 
Link Externo

Produção

Austrália: Korea Zinc iniciará produção de hidrogênio verde no próximo ano

A Korea Zinc Co., uma empresa sul-coreana de fundição de metais não ferrosos, planeja iniciar a produção comercial de hidrogênio verde na Austrália no primeiro semestre do próximo ano. Esta iniciativa marca a primeira vez que uma empresa sul-coreana produzirá hidrogênio renovável comercialmente no exterior. O hidrogênio verde é gerado a partir de energia renovável ou de energia de baixo carbono. A planta será operada pela subsidiária da Korea Zinc, a Ark Energy Corp., em Townsville, Queensland, Austrália, com produção inicial de cerca de 140 toneladas por ano. A produção será alimentada por uma usina de energia solar de 124 MW no local de produção. O hidrogênio verde será utilizado como combustível para empilhadeiras a hidrogênio. A empresa planeja expandir gradualmente a produção e tem como objetivo produzir 280 mil toneladas de hidrogênio verde até 2030 na planta australiana. Além disso, pretende converter mais de 1 milhão de toneladas de hidrogênio verde da Austrália em amônia e transportá-la para a Coreia. (H2 View - 14.08.2023) 
Link Externo

Brasil: EDF Renewables assina memorando de entendimento com o governo do Ceará

A EDF Renewable celebra o Memorando de Entendimento (MOU) com o Governo do Ceará para a implantação de unidade de produção do Hidrogênio Verde no Pecém. O objetivo do MOU é impulsionar a cadeia produtiva do Hidrogênio Verde no Ceará, alinhando-se à meta do grupo empresarial, que pretende alcançar 3 GW de eletrolisadores instalados mundialmente até 2030, uma parte dos quais em Pecém. Com base no Memorando, a EDF Renewables Brasil tem a intenção de conduzir estudos aprofundados e avaliar a viabilidade da construção de uma unidade industrial para a geração do Hidrogênio Verde, possibilitando, inclusive, uma estreita colaboração com instituições acadêmicas locais (Diário do Nordeste - 16.08.2023). 
Link Externo

Chile: Planta de hidrogênio verde em nível industrial será usada pelo walmart

A cadeia de supermercados Walmart Chile inaugurou a primeira planta de produção de hidrogênio verde em nível industrial localizada em seu centro de distribuição em Quilicura, Região Metropolitana. O projeto envolveu um investimento de 15 milhões de dólares e está focado, em uma primeira etapa, na substituição das baterias de chumbo-ácido de 200 empilhadeiras por células a combustível de hidrogênio. A inauguração da planta contou com a presença do CEO do Walmart Chile, Cristián Barrientos, e de diversos líderes governamentais e executivos. O projeto é um marco importante para a obtenção de hidrogênio verde e para a descarbonização de setores como transporte e indústria, contribuindo para reduzir as emissões de CO2. O hidrogênio verde é produzido por meio da eletrólise da água utilizando energia renovável, e o Chile tem planos ambiciosos de se tornar um dos principais exportadores mundiais dessa energia até 2040. (Walmart - 15.08.2023) 
Link Externo

Finlândia: Koppö Energia seleciona a ANDRITZ para realizar projeto para uma planta de produção de H2V em grande escala

A empresa finlandesa Koppö Energia selecionou o grupo de tecnologia internacional ANDRITZ para realizar o projeto de design de engenharia de frente (FEED) para uma planta em grande escala de produção de hidrogênio verde. A planta, com capacidade de 200 MW, será construída em Kristinestad, Finlândia, como parte de um projeto de Power-to-X. A ANDRITZ será responsável pelo FEED da planta de hidrogênio, que incluirá a tecnologia de eletrólise alcalina da HydrogenPro. O hidrogênio verde será produzido usando energia renovável, principalmente energia eólica. O projeto visa processar o hidrogênio verde em metano sintético liquefeito (SLSM) para uso em transporte pesado de forma sustentável. (Andritz - 15.08.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Alemanha: Ferngas e Stahlwerk Thüringen assinam MoU para conectar usina siderúrgica à rede de hidrogênio

A siderúrgica Stahlwerk Thüringen está prevista para ser conectada à rede de hidrogênio em 2027. Em colaboração com a operadora da rede de dutos Ferngas, a Stahlwerk Thüringen assinou uma carta de intenções para esse fim. Passos adicionais para o planejamento e preparação técnica da conexão serão elaborados em breve, conforme anunciado pelas empresas. A Stahlwerk Thüringen vem se dedicando à descarbonização de seus produtos e produção de aço há algum tempo. A empresa busca substituir gradualmente o gás natural usado na produção por hidrogênio, visando utilizar apenas eletricidade renovável para produzir aço. O objetivo inicial é que o hidrogênio represente mais da metade do gás natural usado até o momento. O processo de eletrificação completo enfrenta desafios técnicos, exigindo a conversão da operação atual a gás natural para uma combinação de gás natural e hidrogênio. Para possibilitar o transporte do hidrogênio até a siderúrgica, uma linha de gasoduto de gás natural de 70 km precisaria ser convertida, requerendo ua estrutura regulatória adequada. (H2 View - 15.08.2023) 
Link Externo

Finlândia: Wärtsilä contribuirá com sua experiência em liquefação para projeto de transição energética

O grupo de tecnologia Wärtsilä fornecerá o projeto de engenharia básica (FEED) para a liquefação e armazenamento de metano sintético liquefeito (LSM) em um grande projeto de transição energética na Finlândia. O projeto será realizado em parceria com a Koppö Energia Oy, uma empresa de joint venture entre o Prime Green Energy Infrastructure Fund da Alemanha e a CPC Finland Oy. A planta terá capacidade de 200 MW e converterá eletricidade verde em hidrogênio e LSM sustentável. A energia renovável totalmente livre de emissões será fornecida através de até 500 MW de energia eólica e 100 MW de energia fotovoltaica desenvolvida no Koppö Energy Cluster. A Wärtsilä, líder em soluções de liquefação, participará do FEED, que será concluído no terceiro trimestre de 2023. O hidrogênio verde produzido será convertido em LSM sustentável para uso como combustível para transporte pesado. A decisão de investimento para a planta está prevista para o início de 2024. O projeto já recebeu o prêmio Power-to-X Innovation Award. (Wartsila - 15.08.2023) 
Link Externo

Omã: Transportador de hidrogênio liquefeito chega ao país

O transportador de hidrogênio liquefeito, Suiso Frontier, chegará ao Porto Sultan Qaboos em Mascate, Omã. Fabricado pela Kawasaki Heavy Industries (KHI), este navio japonês é projetado para permitir o uso de hidrogênio como uma fonte de energia limpa. O objetivo é estabelecer cadeias de suprimento globais de larga escala para o transporte de hidrogênio, tornando-o um portador preferencial. O navio foi construído em 2020 e tem a capacidade de transportar grandes quantidades de hidrogênio liquefeito por mar, mantendo-o a uma temperatura de -253 °C. Essa iniciativa é parte dos esforços de Omã para estimular a economia do hidrogênio verde e contribuir para a descarbonização. A chegada do navio é um marco significativo no caminho para a comercialização de cadeias de suprimento de hidrogênio. (Oman Observer - 15.08.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Wood irá projetar a futura rede com a National Gas

A Wood está colaborando com a National Gas para garantir que o sistema de transmissão de gás da Grã-Bretanha seja seguro e sustentável. Por meio de um acordo de cinco anos, a Wood aplicará soluções digitais para transformar a infraestrutura da National Gas em tecnologia moderna e ciberneticamente segura em toda sua rede de ativos críticos na Grã-Bretanha. Além disso, a Wood está fornecendo estudos especializados de hidrogênio para a National Gas, visando a transição para combustíveis de baixo carbono por meio da mistura de hidrogênio em sua rede de gás. A Wood também utilizará sua solução digital líder, Wood Virtuoso®, para analisar a mistura de hidrogênio e gás natural e aconselhar sobre o investimento necessário para repurpose a infraestrutura para o transporte de hidrogênio. (Wood - 10.08.2023) 
Link Externo

Uso Final

Empresas: Baker Hughes e Avports assinam acordo para desenvolver soluções energéticas, incluindo hidrogênio

A empresa de tecnologia de energia Baker Hughes anunciou um memorando de entendimento (MoU) com a empresa de gestão e operações de aeroportos Avports para desenvolver, implementar e operar soluções de microrredes no local para a indústria de aeroportos. Esse acordo de colaboração visa reduzir as emissões e atingir a meta global da indústria de focar em edifícios de zero emissão, infraestrutura horizontal de aeroportos, veículos e sistemas de aeronaves. A parceria inclui a implementação de soluções de energia, como o uso de hidrogênio verde, para aumentar a resiliência e eficiência das operações de aeroportos. A colaboração tem como objetivo criar um setor de aeroportos mais sustentável, proporcionando valor máximo aos proprietários, usuários e comunidades de aeroportos. (Baker Hughes - 10.08.2023) 
Link Externo

Reino Unido: GKN Aerospace, Marshall e Parker Aerospace se unem para explorar sistemas de combustível de hidrogênio líquido para aeronaves

A GKN Aerospace, Marshall e Parker Aerospace estão colaborando em um Memorando de Entendimento (MoU) com o objetivo de explorar soluções de sistemas de combustível de hidrogênio líquido para a próxima geração de aeronaves de zero emissão. A propulsão por hidrogênio, seja por meio de células a combustível ou combustão, é considerada uma via crítica para a indústria da aviação atingir sua ambiciosa meta de zero emissões líquidas até 2050. O sistema de combustível de hidrogênio líquido a ser desenvolvido em conjunto por Marshall, GKN Aerospace e Parker sob este MoU será capaz de suportar aplicações elétricas e de combustão de hidrogênio. O objetivo é combinar o sistema de combustível escalável e o sistema de propulsão em um ambiente de teste de voo único antes do final da década. A colaboração também se beneficiará do programa H2GEAR financiado pelo Instituto de Tecnologia Aeroespacial do Reino Unido, liderado pela GKN Aerospace, que testará em solo um sistema de propulsão de célula de combustível elétrica a hidrogênio escalável em 2025. (GKN Aerospace - 17.08.2023) 
Link Externo

Suécia: H2 Green Steel assina acordos com a Rio Tinto para a produção de aço verde

A H2 Green Steel e a Rio Tinto, uma das principais empresas globais de metais e mineração, firmaram um acordo de fornecimento plurianual de pelotas de minério de ferro de redução direta da Iron Ore Company of Canada (IOC) da Rio Tinto. O fornecimento de pelotas de minério de ferro representará uma parte significativa do suprimento de minério de ferro para a planta principal da H2 Green Steel em Boden, Suécia. Além disso, as empresas assinaram um acordo pelo qual a Rio Tinto comprará e revenderá parte do excedente de ferro briquetado quente (HBI) de baixo carbono produzido pela H2 Green Steel durante o aumento de sua capacidade de produção de aço. Isso fortalece a produção de aço verde e contribui para a descarbonização da indústria siderúrgica. (H2 Green Steel - 10.08.2023) 
Link Externo

EUA: Taylor Machine Works e Cummins anunciam planos para integrar motores a hidrogênio

A Cummins Inc. e a Taylor Machine Works Inc., uma importante fabricante americana de equipamentos industriais pesados de elevação, anunciaram um acordo para integrar os motores a hidrogênio da Cummins na linha de produtos da Taylor. Essa colaboração visa alcançar as metas de descarbonização dos setores industriais de aço, produtos de madeira, concreto, petróleo e gás, e operações portuárias. O uso de motores a hidrogênio contribuirá para a redução das emissões de carbono sem comprometer a produtividade, atendendo às necessidades das operações industriais de elevação de carga pesada. (Cummins - 10.08.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Estação de abastecimento de hidrogênio à base de etanol começa a ser construída no Brasil

A Universidade de São Paulo (USP) iniciou a construção da primeira estação experimental de abastecimento de hidrogênio renovável baseada em etanol, visando produzir hidrogênio limpo para abastecer ônibus e veículos leves. O projeto, financiado pela Shell Brasil em parceria com a Hytron, Raízen, SENAI CETIQT e USP, utiliza um reformador a vapor de etanol para converter etanol em hidrogênio por meio de reações a vapor. A iniciativa busca demonstrar a viabilidade do etanol como fonte para produção de hidrogênio renovável, contribuindo para a transição energética e descarbonização. O projeto também conta com o apoio da Toyota para testes de desempenho do hidrogênio e está previsto para entrar em operação no segundo semestre de 2024. (H2 View – 15.08.2023) 
Link Externo

Veículo de célula a combustível atinge um alcance de 630 km com um único abastecimento

A First Hydrogen Corporation anunciou que durante um teste de frota com a concessionária britânica SSE Plc (SSE), seu veículo movido a célula a combustível de hidrogênio (FCEV) alcançou um impressionante alcance de 630 km com um único reabastecimento, recebendo feedback positivo dos motoristas por sua suavidade e eficiência. Os motoristas destacaram a notável capacidade de alcance do FCEV e sua semelhança com veículos a diesel em termos de desempenho de alcance, mas sem emissões prejudiciais. O teste demonstrou a compatibilidade do FCEV com as rotas da SSE, com reabastecimento rápido e eficiente. Os resultados sugerem que o desempenho do veículo excede as expectativas, com eficiência de combustível notável e capacidade de regeneração da bateria durante a frenagem. A parceria com a SSE ressalta o compromisso da First Hydrogen em promover veículos de emissão zero e explorar as vantagens do hidrogênio verde no mercado. (Hydrogen Central – 04.08.2023) 
Link Externo

Universidade de Sheffield instala eletrolisador IMI para aumentar a produção de hidrogênio

A Universidade de Sheffield adquiriu equipamentos avançados, um eletrolisador PEM da IMI Remosa (IMI VIVO), aumentando sua capacidade de produção de hidrogênio verde além de qualquer outro centro de pesquisa do Reino Unido. Esse sistema será integrado ao Centro de Inovação em Combustíveis Sustentáveis para Aviação (SAF-IC), a pioneira instalação do Reino Unido para o desenvolvimento, teste, validação e certificação de combustíveis. Juntamente com o novo eletrolisador, essa configuração contribuirá significativamente para a redução das emissões de carbono na aviação, fortalecendo as capacidades de pesquisa e desenvolvimento do país em combustíveis sustentáveis para a aviação. (H2 View – 16.08.2023) 
Link Externo

Eventos

Workshop de energias: Transição energética e a economia do hidrogênio renovável

No dia 22/08, das 9h30 às 13h, no Auditório Paulo Freie - CETENS em Feira de Santana, Bahia, acontecerá o Workshop de Energias, abordando a crucial temática da Transição Energética e Economia do Hidrogênio Renovável. O evento reunirá especialistas para explorar os avanços, desafios e oportunidades relacionados ao uso sustentável do hidrogênio, promovendo discussões inspiradoras e networking enriquecedor. Saiba mais e participe desse diálogo em prol de um futuro energético mais limpo e inovador. 
Link Externo

FIEC SUMMIT 2023

O evento anual, FIEC SUMMIT 2023, está planejando reunir líderes de grandes empresas, marcas nacionais e internacionais, bem como especialistas e autoridades do setor H2V (hidrogênio verde). Agendado para os dias 25 e 26 de outubro, no Centro de Eventos do Ceará, Fortaleza, este ano o evento ocorrerá no formato híbrido e incluirá palestras simultâneas, uma exposição aberta ao público sobre H2V e programação acadêmica. A primeira edição atraiu mais de 2 mil inscritos de 24 países, e a expectativa para esta edição é receber cerca de 1 mil participantes presencialmente. O evento visa explorar temas como produção, uso, transporte e tecnologias do hidrogênio verde, enquanto também fomenta oportunidades de negócios. 
Link Externo

Interconecta: Energia Solar e Hidrogênio Verde

Os projetos H2Brasil e Parceria Energética Brasil-Alemanha, ambos implementados pela Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ) GmbH, realizarão, no dia 30 de agosto, um evento de matchmaking, com organização da AHK Rio, no maior evento solar da América Latina, a Intersolar South America, na Expo Center Norte, São Paulo. O principal objetivo é promover a atuação das mulheres do setor de hidrogênio verde (H2V), e conectá-las com o público-alvo da Intersolar – visitantes e expositores do setor de energia solar – promovendo a troca de experiências, incentivando o debate e realizando conexões sobre as aplicações de H2V e PtX. Inscreva-se aqui 
Link Externo

Artigos e Estudos

Artigo GESEL/AHK: Passos para desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde no Brasil

Foi publicado novo artigo GESEL no Portal de Hidrogênio Verde da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK). O texto, assinado por Nivalde José de Castro (Coordenador do GESEL) e Sayonara Eliziário (Professora da Universidade Federal da Paraíba e pesquisadora associada do GESEL) é intitulado “Passos para desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde no Brasil”. Segundo os autores, “há um consenso sobre a necessidade da definição de políticas públicas e diretrizes voltadas ao hidrogênio e seus derivados, no âmbito regulatório, incluindo o estabelecimento de metas, normas e padrões bem definidos. Deste modo, as normas estabelecidas a partir da ABNT devem ser atualizadas em harmonia à regulamentação internacional”. (Portal Hidrogênio Verde - 16.08.2023) 
Link Externo

Artigo: Hidrogênio e agricultura, uma combinação virtuosa

No contexto da busca por alternativas energéticas sustentáveis, o hidrogênio emerge como uma opção viável devido ao seu alto conteúdo energético e ausência de emissões poluentes. Embora a produção de hidrogênio verde, proveniente de fontes renováveis, ainda enfrente desafios tecnológicos, o Brasil apresenta um vasto potencial para sua produção, especialmente a partir de biomassa. Esse hidrogênio "verde" poderia desempenhar um papel crucial na produção de fertilizantes, uma vez que a agricultura brasileira é um setor-chave que depende de insumos energéticos intensivos e poluentes. A produção de amônia verde, derivada do hidrogênio, poderia revolucionar a produção de fertilizantes, reduzindo a pegada de carbono na agricultura e contribuindo para a eficiência ambiental na fabricação de biocombustíveis. A escolha estratégica de priorizar o hidrogênio para atender às necessidades nacionais pode alavancar o Brasil como líder na produção sustentável de alimentos e fortalecer sua posição global. (Correio Braziliense – 13.08.2023) 
Link Externo

Desafios e potencial: A jornada do Brasil rumo ao hidrogênio verde

Embora o Brasil possua vantagens competitivas reconhecidas internacionalmente na busca por investimentos na produção de hidrogênio verde, a concretização desses projetos enfrenta desafios complexos. Essas questões abrangem desde a garantia de fornecimento de energia limpa para os eletrolisadores até a criação de demanda sustentada com contratos de longo prazo para viabilizar os custos iniciais do hidrogênio de baixo carbono. O financiamento, especialmente para projetos de grande escala na casa do bilhão de reais, requer uma compreensão clara de toda a cadeia de produção e distribuição, sendo que algumas lacunas ainda precisam ser superadas nesse contexto de evolução da agenda global de descarbonização. (IBRE – 15.08.2023) 
Link Externo