IFE
31/07/2023

IFE Hidrogênio 137

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
31/07/2023

IFE nº 137

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 137

Políticas Públicas e Financiamentos

Reino Unido: Dez projetos inovadores recebem investimento da Ofgem

Dez projetos pioneiros garantem investimento de £95,3 milhões do Fundo de Inovação Estratégica (SIF) da Ofgem, dos quais £49,1 milhões foram destinados a projetos relacionados ao hidrogênio. Isso inclui £33,3 milhões em financiamento para o trabalho liderado pela National Gas Transmission, que busca adaptar as unidades de compreensão de gás existentes para o uso com hidrogênio. Os outros £ 9,9 milhões, foram alocados para investigar a viabilidade do uso do hidrogênio para abastecer o transporte pesado. A Ofgem tem como objetivo transformar o sistema de energia britânico em linha com as metas de zero emissão do governo, beneficiando os consumidores e maximizando o potencial das tecnologias inovadoras. O Fundo de Inovação Estratégica tem um total de £ 450 milhões disponíveis para promover inovações nas redes de energia, com a terceira rodada de projetos prevista para o outono de 2023. (Hydrogen Central - 23.07.2023) 
Link Externo

Brasil: Hidrogênio verde gera corrida por eólicas no mar e preocupa pescadores no Ceará

O Estado do Ceará planeja a construção de parques eólicos offshore, complexos de produção de energia eólica no mar, em toda a sua costa. Atualmente, existem 74 projetos pré-cadastrados no Ibama para a instalação de turbinas eólicas no oceano, principalmente no Ceará e no Rio Grande do Sul. Essa modalidade de energia renovável pode alimentar a produção de hidrogênio verde, visto como o "combustível do futuro". No entanto, a implementação desses parques está envolta em incertezas, especialmente em relação aos impactos ambientais e socioeconômicos, preocupando as comunidades pesqueiras locais. A falta de pesquisas sobre os impactos das eólicas no hemisfério sul torna o processo ainda mais desafiador. (Publica – 22.07.2023) 
Link Externo

Hidrogênio verde na transição energética: desafios regulatórios

O hidrogênio verde (H2V) é uma fonte de energia limpa e versátil que pode desempenhar um papel importante na transição energética. Seu uso é especialmente relevante na descarbonização de setores difíceis de eletrificar, como transporte naval, rodoviário, aviação e indústrias diversas. No entanto, há desafios técnicos e econômicos a serem superados para sua ampla utilização industrial, incluindo o alto custo de produção em escala e a necessidade de desenvolver infraestrutura para armazenamento e transporte. Vários países, incluindo a União Europeia e o Brasil, estão investindo em pesquisa e desenvolvimento para impulsionar o uso do H2V, enquanto questões regulatórias e legislativas estão sendo discutidas para apoiar sua expansão. (EPBR – 21.07.2023) 
Link Externo

Austrália destina US$ 50 milhões para encontrar novas cadeias de suprimentos para energia solar, baterias e hidrogênio

A Austrália destinou US$ 50 milhões para garantir a segurança das cadeias de suprimentos de energia limpa em colaboração com outras nações do Quadrilateral Security Dialogue (Quad) - Japão, Índia e Estados Unidos. Os fundos serão utilizados para explorar o desenvolvimento de novas cadeias de suprimentos e diversificar as existentes na região do Indo-Pacífico, com foco especial em componentes usados em painéis solares, baterias e eletrolisadores. O Primeiro-Ministro da Austrália, Anthony Albanese, reconheceu a mudança climática como uma questão de segurança nacional durante reuniões com o Presidente dos EUA, o Primeiro-Ministro Indiano e o Primeiro-Ministro Japonês. O Ministro de Mudanças Climáticas e Energia, Chris Bowen, enfatizou que a expansão das cadeias de suprimentos é crucial para alcançar as metas de neutralização das emissões de carbono e apresenta oportunidades econômicas para atender à crescente demanda global por energia limpa. O processo envolverá uma estreita colaboração com países do Indo-Pacífico para garantir alinhamento com seus esforços e produzir resultados tangíveis (Renew Economy – 22.07.2023) 
Link Externo

Fórum Internacional de Comércio de Hidrogênio é lançado

Durante a 14ª Reunião Ministerial de Energia Limpa, foi lançado o Fórum Internacional de Comércio de Hidrogênio (IHTF) com a participação de países como Austrália, Brasil, Canadá, Alemanha, Japão, EUA, entre outros. O IHTF tem o objetivo de promover o diálogo entre os governos no emergente mercado internacional de hidrogênio e enfatiza a importância de estabelecer corredores comerciais internacionais para transportar hidrogênio renovável e de baixo carbono de regiões ricas em energia renovável para áreas com acesso limitado. A UNIDO também atuará como coordenadora do fórum para impulsionar o valor socioeconômico e ambiental dessas ações. Os governos se comprometem a desenvolver políticas para acelerar o comércio internacional de hidrogênio, reduzir barreiras e apoiar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Os Emirados Árabes Unidos e a Holanda co-presidirão o fórum, que busca facilitar o diálogo entre produtores e consumidores de hidrogênio. (H2 View – 26.07.2023) 
Link Externo

Alemanha aprova atualização da Estratégia Nacional de Hidrogênio

O gabinete alemão aprovou uma estratégia nacional atualizada para o hidrogênio, elevando sua meta de capacidade de eletrólise para 10 GW até 2030. Essa estratégia visa auxiliar a Alemanha a alcançar a neutralidade climática até 2045. Embora o país planeje aumentar a produção doméstica de hidrogênio, prevê-se que uma parte significativa da demanda será atendida por importações. O governo está desenvolvendo uma estratégia separada para importações de hidrogênio, buscando parcerias globais e padrões sustentáveis. A estratégia também enfatiza o potencial de uso do hidrogênio em setores como transporte, energia e produção. O país pretende acelerar o crescimento do mercado doméstico de hidrogênio e investir em infraestrutura, incluindo uma rede de hidrogênio de 1.800 km de oleodutos financiada pela UE até 2027. (H2 View – 26.07.2023) 
Link Externo

EUA: Players de hidrogênio pedem orientação 'pragmática' sobre crédito fiscal do IRA

Os principais participantes da indústria de hidrogênio dos EUA enviaram uma carta aos funcionários do governo Biden pedindo orientações pragmáticas e voltadas para o futuro sobre os créditos fiscais da Lei de Redução da Inflação (IRA) para a produção limpa de hidrogênio. Eles alertaram contra propostas excessivamente restritivas para correspondência horária, adicionalidade e capacidade de entrega. Essa ação ocorre após a Comissão Europeia definir critérios para hidrogênio renovável ou limpo e fornecer metodologia para cálculos de emissões de gases de efeito estufa em junho de 2023. (H2 View – 25.07.2023) 
Link Externo

Europa: Número de postos de abastecimento de hidrogênio devem crescer com a adoção de nova lei

O Conselho Europeu aprovou a legislação do Regulamento de Infraestrutura de Combustíveis Alternativos (AFIR) que resultará na implantação de várias estações de reabastecimento de hidrogênio em toda a Europa. A regra será publicada no jornal oficial da UE após o verão e entrará em vigor após 20 dias da publicação, com a implementação das regras ocorrendo a partir de seis meses após a data de entrada em vigor. A AFIR exige que estações de reabastecimento de hidrogênio sejam instaladas em todos os nós urbanos e a cada 200 km ao longo da Rede Transeuropeia de Transportes Central (TEN-T) até 2030, atendendo a veículos leves e pesados. (H2 View – 25.07.2023) 
Link Externo

Chile: BEI financiará projetos de hidrogênio

O Banco Europeu de Investimento (BEI) financiará projetos de hidrogênio renovável no Chile com um empréstimo de € 100 milhões, contribuindo para a descarbonização da economia chilena e promovendo o uso de energia limpa. O BEI também está desenvolvendo ações de cooperação e financiamento para acelerar a transição energética no Chile. Essas iniciativas fazem parte da iniciativa Global Gateway da União Europeia, que visa melhorar a conectividade global e regional em diversos setores, incluindo o climático e energético. (EIB – 17.07.2023) 
Link Externo

UE e Argentina intensificam cooperação em transição para energia limpa e segurança energética

Na Cimeira UE-CELAC Summit, a UE e a Argentina assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para intensificar a cooperação em energia limpa e segurança energética. O MoU abrange áreas como energia renovável, eficiência energética e uso de hidrogênio. Ambas as partes comprometeram-se a reduzir os vazamentos de metano na cadeia de abastecimento de gás fóssil e promover uma transição energética justa, respeitando os interesses das comunidades locais. A cooperação visa contribuir para o crescimento econômico, desenvolvimento sustentável e atingir as metas climáticas. O MoU faz parte da Agenda Global Gateway Investment da UE – América Latina e Caribe, impulsionando uma transição verde e digital justa por meio de parcerias público-privadas. (EC – 17.07.2023) 
Link Externo

China: Air Liquide assina novo financiamento verde para produção de hidrogênio de baixo carbono alinhado com a taxonomia da UE

A Air Liquide, através de sua subsidiária Shanghai Chemical Industry Park Industrial Gases Co., Ltd (SCIPIG), assinou um empréstimo verde bilateral de 500 milhões de RMB (cerca de 67 milhões de euros) com o BNP Paribas para apoiar seu projeto de construção de duas unidades de produção de hidrogênio de baixo carbono e infraestrutura relacionada no Shanghai Chemical Industry Park. O empréstimo segue a Taxonomia Comum China-UE, com critérios rigorosos para a produção de hidrogênio e um limite de emissão para a definição de hidrogênio de baixo carbono. Este é o primeiro financiamento verde do mundo a apoiar a produção de hidrogênio de baixo carbono em conformidade com a nova Taxonomia China-UE. O projeto tem potencial para evitar a emissão de 350 mil toneladas de CO2 por ano, equivalente às emissões de eletricidade de 1 milhão de residências chinesas. A Air Liquide é pioneira em financiamento verde e continua desenvolvendo soluções sustentáveis, incluindo projetos de hidrogênio e biometano. (Business Wire - 18.07.2023) 
Link Externo

Produção

México: Hy2gen construirá planta de amônia verde de 200 MW

A Hy2Gen, produtora de hidrogênio e seus derivados, assinou um acordo de cooperação com o estado mexicano de Campeche. O acordo envolve a construção de uma planta de amônia verde, que contará com um eletrolisador de 200 MW em Campeche. Inicialmente, a planta produzirá 180 mil toneladas de amônia verde por ano, que serão destinadas a clientes na União Europeia. A energia necessária para a produção da amônia será proveniente de um parque eólico de 415 MW e de uma fazenda solar de 230 MW. Após a assinatura do acordo de cooperação, serão realizados estudos de viabilidade e os estudos FEED, que devem durar entre 24 e 36 meses. A fase de construção começará então, com produção prevista para o terceiro trimestre de 2028. (Hy2Gen - 18.07.2023) 
Link Externo

Omã: Grupo ACME da Índia obtém financiamento para projeto de hidrogênio verde e amônia

O Grupo ACME, uma empresa de energia renovável sediada na Índia, conseguiu levantar 40 bilhões de rúpias (aproximadamente $487,98 milhões) em financiamento da empresa de infraestrutura financeira REC para iniciar seu projeto de hidrogênio verde e amônia em Omã. O projeto, localizado na zona econômica especial de Duqm, Omã, pretende produzir 100 mil toneladas de amônia verde anualmente em sua fase inicial. Planos futuros incluem a expansão da capacidade da instalação para 1,2 milhão de toneladas por ano, com um eletrolisador com cerca de 3,5 GW de capacidade. (Reuters - 22.07.2023) 
Link Externo

Moçambique: Construção de usina solar de 12 GW para produção de hidrogênio

A Jearrard Energy Resources e suas subsidiárias uma uma usina de energia solar dedicada de 12 GW, que será utilizada exclusivamente para a produção de hidrogênio em Moçambique. O projeto está previsto para iniciar no primeiro trimestre do próximo ano. Quando estiver em funcionamento, espera-se que a usina produza 4 mil toneladas de hidrogênio, atendendo à crescente demanda por energia verde. Projetos semelhantes para o mercado sul-africano também estão planejados para o terceiro trimestre de 2024. (Hydrogen Central - 23.07.2023) 
Link Externo

Uruguai: Planta de hidrogênio verde enfrenta desafios de uso de água

A cidade de Tambores, no norte do Uruguai, enfrenta um desafio com a planta de produção de hidrogênio verde, que usará recursos hídricos da região. O hidrogênio verde é uma aposta do governo uruguaio, que busca gerar 2% de seu PIB a partir da indústria de hidrogênio até 2040. O projeto em Tambores, chamado de projeto Tambor, tem potencial para gerar 70 mil toneladas de metanol por ano, o que pode triplicar o consumo de água da cidade. A comunidade local tem preocupações sobre os impactos do projeto nas reservas de água e na estabilidade do sistema de aquíferos. A empresa responsável pelo projeto afirma que os estudos estão sendo realizados para avaliar a viabilidade técnica, econômica e ambiental do projeto e que estão comprometidos com projetos sustentáveis. A comunidade aguarda a decisão da suprema corte sobre a legalidade do projeto e suas implicações para o abastecimento de água local. (Diálogo Chino - 18.07.2023) 
Link Externo

Uzbequistão: Projeto de hidrogênio verde planejado para iniciar em agosto

O projeto de hidrogênio verde em Uzbequistão está programado para começar em agosto, de acordo com o Ministro de Energia. O projeto envolve a construção de um complexo para a produção de "hidrogênio verde" em parceria com a ACWA Power da Arábia Saudita. O complexo será instalado na planta de amônia em Chirchik e terá uma capacidade de produção de 3 mil toneladas de hidrogênio por ano. Além disso, o projeto inclui a produção de amônia ecologicamente correta, o que resultará em economia de gás e redução significativa das emissões de dióxido de carbono. O lançamento do projeto é visto como uma maneira de reduzir a pegada de carbono da indústria química e contribuir para a "descarbonização da economia". (Hydrogen Central - 23.07.2023)  
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Canadá: Vortex Energy anuncia estimativas de grande escala para armazenamento de hidrogênio

A Vortex Energy Corp. anunciou a conclusão de uma avaliação da capacidade de armazenamento de hidrogênio para o Projeto Robinsons River Salt, onde está localizado o East e West Salt Structures. A avaliação foi realizada pela RESPEC Consulting Inc., uma empresa especializada em geologia e engenharia de armazenamento subterrâneo de hidrogênio. Com base em cálculos termodinâmicos e interpretações geológicas, estimou-se que o East Salt Structure pode armazenar até 900 mil toneladas de hidrogênio em mais de 53 cavernas (ou 550 mil toneladas em 35 cavernas com estimativas mais conservadoras). Já o West Salt Structure pode potencialmente armazenar até 350 mil toneladas de hidrogênio em mais de 43 cavernas (ou 250 mil toneladas em 25 cavernas com estimativas mais conservadoras). Esses resultados são promissores e colocam o Projeto em posição vantajosa para atender à crescente demanda por hidrogênio e outras infraestruturas de energia renovável na costa leste do Canadá. (GreenCarCongress - 24.07.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: Eta Space recebe financiamento para desenvolver infraestrutura de abastecimento de hidrogênio líquido

A empresa Eta Space recebeu um financiamento do Departamento de Energia dos EUA para desenvolver infraestrutura de abastecimento de hidrogênio líquido. O sistema Low Loss LH2 Servicing que estão desenvolvendo será utilizado para abastecer veículos pesados, pequenas aeronaves, navios e trens. O hidrogênio líquido é uma opção limpa de combustível, mas apresenta desafios no armazenamento e transferência devido às baixas temperaturas. A Eta Space busca solucionar essas questões e impulsionar o uso de hidrogênio como combustível limpo em várias aplicações. O objetivo é que a maioria dos produtos transportados nos EUA use hidrogênio limpo como combustível até 2035. (H2 View - 20.07.2023) 
Link Externo

Noruega: Provaris Energy realiza programa de testes de protótipo de tanque para hidrogênio verde

A Provaris Energy Ltd avançou em suas ambições de hidrogênio verde na União Europeia ao iniciar um programa de testes de protótipo de tanque para seus transportadores de hidrogênio comprimido H2Neo e solução de armazenamento flutuante H2Leo. A empresa concedeu um contrato para o projeto e construção do protótipo do tanque à Prodtex AS, uma empresa norueguesa, e realizará os testes em colaboração com a SINTEF, uma importante organização de pesquisa independente da Noruega. A Provaris também planeja desenvolver uma instalação de produção automatizada na Noruega para construir tanques de transporte de hidrogênio, visando expandir suas soluções de armazenamento em terra. O objetivo é obter vantagem como um dos primeiros participantes no fornecimento de hidrogênio verde na Europa e fortalecer a posição da Noruega na indústria de design e construção de embarcações inovadoras. O projeto também promove a transição para energia verde e a criação de novos empregos e receitas de exportação. (H2 Energy News - 24.07.2023) 
Link Externo

Uso Final

Alemanha: Duisburg aposta em ônibus movidos a hidrogênio com a Solaris.

A cidade de Duisburg, na Alemanha, escolheu a Solaris para fornecer 25 ônibus movidos a hidrogênio para sua frota de transporte público. Essa decisão representa o primeiro passo para a Duisburger Verkehrsgesellschaft AG (DVG) alcançar sua meta de tornar toda a frota de ônibus completamente livre de emissões até 2030. A encomenda inclui 11 modelos Urbino 12 movidos a hidrogênio e 14 modelos articulados, o Urbino 18 movido a hidrogênio. Esses ônibus serão os primeiros veículos a hidrogênio da cidade e serão entregues em 2024 (Urbino 12) e meados de 2025 (Urbino 18). Os ônibus são silenciosos, livres de emissões e são alimentados por células a combustível de hidrogênio. Eles também possuem baterias de alta potência da Solaris para armazenar energia adicional. A Solaris é uma líder europeia na fabricação de ônibus elétricos e de hidrogênio, e esses ônibus têm sido encomendados por vários países europeus. (Solaris Bus - 20.07.2023) 
Link Externo

Europa: TECO 2030 e parceiros realizarão projeto de balsa de passageiros movida a hidrogênio

TECO 2030 e parceiros receberam um subsídio de EUR 13,5 milhões do programa Horizon Europe para construir e demonstrar uma balsa de passageiros movida a células a combustível da TECO 2030. O projeto visa acelerar o uso de combustíveis sustentáveis no transporte aquaviário através da demonstração em escala completa de células a combustível de hidrogênio em aplicações marítimas. O projeto desenvolverá uma embarcação de 35 metros com capacidade para 300 passageiros, operada no sul da Europa. O sistema de células a combustível FCM400 da TECO 2030 fornecerá energia para a balsa, permitindo transporte de passageiros livre de emissões. O projeto deve começar em janeiro de 2024, sujeito à finalização do processo de preparação do subsídio. (Globe News Wire - 24.07.2023) 
Link Externo

Empresas: Calvera acelera a rede de estações de abastecimento de hidrogênio

Calvera, uma empresa especializada no armazenamento e transporte de gases comprimidos de alta pressão, está desempenhando um papel fundamental na instalação de geradores de hidrogênio - estações de serviço de hidrogênio - no transporte rodoviário. O hidrogênio é considerado uma das principais soluções para aumentar o consumo de energia renovável e desempenhar um papel importante na descarbonização da indústria, habitações e transportes. A empresa tem presença em todas as fases da cadeia logística e distribuição de hidrogênio, posicionando-se como uma peça-chave na transição para a energia verde. Com um aumento previsto de 75% no seu crescimento em 2023, a Calvera tem planos de expandir internacionalmente, aumentar a produção e reduzir a sua pegada de carbono através de projetos verdes. A empresa recebeu uma subvenção do Governo para aumentar as suas instalações e triplicar a capacidade de produção. (Hydrogen Central - 20.07.2023) 
Link Externo

Emirados Árabes Unidos: A ADNOC construirá o primeiro posto de abastecimento de hidrogênio de alta velocidade

A parceria com a Toyota e a Al-Futtaim Motors testará o posto com veículos movidos a hidrogênio para apoiar a Estratégia Nacional de Hidrogênio dos Emirados Árabes Unidos. A estação será operada pela ADNOC Distribution, e está prevista para ser concluída ainda este ano. A ADNOC investe em soluções de baixo carbono para reduzir sua intensidade de carbono em 25% até 2030. (ADNOC - 18.07.2023) 
Link Externo

Índia: SFC Energy inaugura fábrica de células a combustível de hidrogênio

A SFC Energy AG iniciou a produção de células a combustível de hidrogênio e metanol em sua nova fábrica em Nova Deli/Gurgaon, na Índia. Em parceria com a empresa indiana FCTecNrgy Pvt Ltd, a fábrica foi construída e entregue em apenas seis meses. Com foco na iniciativa "Make in India" e contribuindo para a transformação sustentável da economia indiana, a expectativa é que a produção gere vendas anuais de cerca de €100 milhões no médio prazo. A Índia busca expandir as energias renováveis e produção de hidrogênio verde até 2030, e as células a combustível da SFC Energy têm um papel importante na substituição de sistemas poluentes por soluções limpas e eficientes. (Gas World - 24.07.2023) 
Link Externo

Japão: Enapter AG apoia a Tokyo Gas na implementação da estratégia de hidrogênio do Japão

Enapter AG entregou 30 eletrolisadores AEM EL 2.1 e 15 secadores DRY 2.1 para uma estação de abastecimento de hidrogênio em Tóquio, Japão, em colaboração com a empresa de gás japonesa Tokyo Gas. A estação "Senju" é a primeira estação comercial de abastecimento de hidrogênio na Ásia a utilizar a eletrólise anion exchange membrane (AEM). Isso faz parte dos ambiciosos objetivos do Japão para a transição de hidrogênio e para a descarbonização da economia e sociedade. O país planeja instalar 1.000 estações de abastecimento de hidrogênio para veículos de célula a combustível até 2030. A Enapter espera colaborar ainda mais com a Tokyo Gas para desenvolver projetos conjuntos e estabelecer uma economia de hidrogênio no Japão. (Enapter - 19.07.2023) 
Link Externo

Singapura: Keppel e consórcio iniciam construção da primeira usina de cogeração pronta para hidrogênio

A Keppel, em parceria com o consórcio formado pela Mitsubishi Power Asia-Pacific e Jurong Engineering, iniciou a construção da primeira usina de cogeração pronta para hidrogênio de Singapura. Localizada na ilha de Jurong, a Keppel Sakra Cogen (KSC) será uma usina de energia de ciclo combinado avançada de 600 MW, projetada para ser a mais eficiente em termos de energia e com menor intensidade de emissões entre as usinas operacionais em Singapura. A planta, que pode funcionar com 30% de conteúdo de hidrogênio, faz parte dos esforços de descarbonização do setor de energia de Singapura. A usina será capaz de produzir até 220 mil toneladas de dióxido de carbono por ano, ajudando Singapura a alcançar suas metas de emissões líquidas zero até 2050. (The Business Times - 19.07.2023) 
Link Externo

Taiwan: Intelligent Energy fornecerá células a combustível IE-DRIVE para empresa de ônibus taiwanesa TYCE

A empresa britânica Intelligent Energy Limited recebeu um pedido da empresa de ônibus taiwanesa Tsai Ying Clean Energy Co. Ltd. para fornecer seus sistemas de células a combustível IE-DRIVE™ HD100. A TYCE é uma fabricante especializada em ônibus de zero emissão e já desenvolveu o primeiro ônibus elétrico de célula a combustível (FCEB) de Taiwan. A Intelligent Energy fornecerá suas células a combustível de hidrogênio para o novo programa de ônibus de longa distância da TYCE. Os primeiros sistemas serão entregues em setembro de 2023 para testes e validações em Taiwan. O desempenho e a eficiência das células a combustível serão otimizados para alcançar uma autonomia de 450 km por dia. (Intelligent Energy - 18.07.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Uso do hidrogênio verde na fabricação do aço

A SARRALLE, em colaboração com a Nippon Gases, inaugurou a primeira estação de pré-aquecimento de panelas que opera inteiramente com hidrogênio verde em uma siderúrgica espanhola. Esse avanço tecnológico possibilita zero emissões de CO2 no processo de fabricação do aço. A empresa está trabalhando com fabricantes de aço para adaptar equipamentos como aquecedores de panelas para operar com oxi-combustão e hidrogênio verde, permitindo economia de energia e redução de emissões. Além disso, a SARRALLE oferece a engenharia, fabricação, fornecimento e comissionamento de equipamentos de geração de hidrogênio verde por meio de eletrolisadores para atender à demanda do setor siderúrgico. (Saralle – 19.07.2023) 
Link Externo

Método israelense de baixo custo para produzir hidrogênio 'verde' é um divisor de águas

Pesquisadores da Universidade de Tel Aviv desenvolveram um método de baixo custo para produzir hidrogênio verde, um passo importante no combate às mudanças climáticas. O hidrogênio verde é obtido sem emissões de poluentes e possui alto potencial para reduzir as emissões de dióxido de carbono. Ao utilizar enzimas em vez de eletrólise para separar as moléculas de água em hidrogênio e oxigênio, o novo método é mais eficiente e evita o uso de metais preciosos e raros, tornando-o uma alternativa mais acessível e sustentável. (The Print – 19.07.2023) 
Link Externo

Eventos

Hidrogênio Verde e Energia Solar: aplicação e modelos de negócios

O mercado de energia está em constante evolução, impulsionado pela transição energética para formas mais sustentáveis. A energia solar fotovoltaica e a produção de hidrogênio verde são tecnologias promissoras nessa transformação. Um evento apresentado pelo Hub da Oca no dia 09/08/2023 trará especialistas para discutir eficiência energética e inovações em energias renováveis. O evento conta com o apoio de várias organizações e oferece um grupo exclusivo no WhatsApp para compartilhamento de informações e interação entre os participantes. Todos estão convidados a participar e aprender mais sobre esses temas importantes para o futuro da energia. O evento será transmitido através do Canal do YouTube da Oca Energia
Link Externo

Hydrogen Online Conference 2023

A Conferência Online de Hidrogênio 2023 é o maior evento online do mundo dedicado ao hidrogênio. Com mais de 30 palestras principais, participantes de mais de 120 países e mais de 10.000 participantes, a conferência reúne executivos, especialistas, cientistas e formuladores de políticas inteligentes no campo do hidrogênio, apresentando conteúdo inovador e prático. A conferência oferece informações atualizadas, projetos de destaque e planos ambiciosos, proporcionando conhecimento, ideias e inspiração para empresas e instituições envolvidas no desenvolvimento de tecnologias de hidrogênio. 
Link Externo

Evento virtual de hidrogênio: descubra como o hidrogênio com baixo teor de carbono pode alimentar sua jornada para o net zero.

A transição para o hidrogênio é essencial para a meta de zero carbono do Reino Unido, criando um sistema de energia mais limpo e sustentável, além de oportunidades de emprego. A Centrica Business Solutions realizará um webinar no dia 3 de agosto sobre a tecnologia de hidrogênio, com uma abordagem de sistema completo e projetos inovadores, oferecendo informações valiosas para iniciar a jornada do hidrogênio. 
Link Externo

Artigos e Estudos

Artigo GESEL: Análise das propostas de política pública do Pacto Brasileiro pelo Hidrogênio Renovável

O surgimento de uma indústria nascente como do Hidrogênio renovável (Verde) no Brasil suscita instrumentos de políticas públicas para dar competitividade. Para contribuir com estas definições o GESEL publicou artigo no Broadcast Energia da Agência Estado de São Paulo, dia 20 de julho, analisando proposta formulada por três associações – ABEÓLICA, ABSOLAR e ABIOGÁS em documento intitulado Pacto Brasileiro pelo Hidrogênio Renovável. Acesse o texto clicando aqui 
Link Externo

Etanol é mais competitivo que solar para produção de hidrogênio, aponta WWF

Um estudo da WWF-Brasil sobre a produção de hidrogênio verde no Brasil revela que a eletrólise com energia eólica é a opção mais econômica (US$ 5,93/kg), seguida pela reforma de etanol (US$ 7,39/kg). A eletrólise com energia solar é a mais cara (US$ 9,52/kg). Em termos de emissões de carbono, a eletrólise com energia eólica é a mais sustentável (1,8 kg CO2/kg H2), seguida pela reforma com etanol (2,3 kg CO2/kg H2) e a eletrólise com energia solar (3,3 kg CO2/kg H2). O estudo destaca a importância de considerar os impactos socioambientais na produção de hidrogênio, como o consumo de água e a competição pelo uso da terra. O hidrogênio verde brasileiro apresenta potencial competitivo no mercado internacional devido à sua baixa pegada de carbono. A demanda adicional por eletricidade para hidrogênio verde e veículos elétricos pode impulsionar o mercado nacional de energia solar em cerca de R$ 2,2 trilhões até 2050. No cenário global, a capacidade de eletrólise tem crescido, com a China, a União Europeia e os Estados Unidos liderando o desenvolvimento dessa tecnologia (EPBR – 18.07.2023) 
Link Externo

Hidrogênio verde e seus desafios tributários

O Brasil possui um grande potencial para se tornar um importante fornecedor de energia limpa ao mundo, especialmente por meio do hidrogênio verde. No entanto, alguns entraves precisam ser superados para aproveitar plenamente essa oportunidade. Um dos principais problemas é a tributação, com o ICMS sobre a aquisição de energia para produção de hidrogênio verde sendo um obstáculo significativo. Além disso, a indefinição sobre a incidência de tributos sobre imóveis que recebem plantas de energia renovável também impacta negativamente o setor. Superar esses desafios é essencial para viabilizar projetos de longo prazo e consolidar o Brasil como líder na produção de energia verde para o mundo. (Valor – 26.07.2023) 
Link Externo

Hydrogen: Energizing the path to Net Zero

Segundo o relatório da Deloitte, o continente asiático terá um papel fundamental na indústria global de hidrogênio, representando 55% do valor da indústria até 2030, impulsionado pela alta demanda na China, Índia e Indonésia. A China é projetada para se tornar o maior importador mundial de hidrogênio verde, com previsão de demanda crescente até 2050. A atividade de hidrogênio na China abrange diversos projetos, desde oleodutos até a produção de hidrogênio via eletrólise da água do mar. A China General Nuclear Power Group (CGN) recentemente firmou um acordo com a Quinto Energy para desenvolver um projeto de energia renovável de 14 GW no Brasil para a produção de hidrogênio verde. (H2 View – 18.07.2023) 
Link Externo

Aquecimento com hidrogênio: Alternativa limpa ou sonho da indústria do gás?

Os cientistas têm defendido o uso de hidrogênio como uma solução para limpar as emissões de carbono no setor de construção. No entanto, a verdadeira pegada de carbono do hidrogênio depende de como ele é produzido. O hidrogênio "verde", produzido por eletrólise com energia renovável, é uma opção limpa, mas atualmente é escassa. A maior parte do hidrogênio usado hoje é "cinza" ou "azul", produzido de maneira mais suja com a liberação de poluentes ou capturando o carbono liberado. A eficiência do hidrogênio verde para aquecimento residencial é questionável, pois há muita perda de energia no processo. Além disso, a disponibilidade de hidrogênio verde ainda é um desafio, e sua capacidade de desempenhar um papel significativo na descarbonização do aquecimento de edifícios é incerta. Algumas empresas promovem caldeiras "prontas para hidrogênio", mas os críticos alertam que são caras e pouco prováveis de funcionar com hidrogênio. O hidrogênio pode desempenhar um papel de "nicho" no aquecimento de edifícios em dias frios, mas sua promessa pode estar sendo usada para adiar mudanças reais em direção a opções mais limpas e eficientes. (Renew Economy – 21.07.2023) 
Link Externo

A força de trabalho atual de hidrogênio no Reino Unido representa 5% do que é necessário para 2030, segundo relatório

De acordo com um relatório da Cogent Skills, a atual força de trabalho no setor de hidrogênio do Reino Unido representa apenas 5% do que será necessário até 2030. O governo do Reino Unido estima que o setor poderia sustentar mais de 12.000 empregos até 2030 e 100.000 até 2050, mas o relatório revela que a força de trabalho atual é de apenas cerca de 600. Isso representa um desafio significativo para o mercado de trabalho e pode afetar a capacidade de produção de hidrogênio no país e as metas de atingir a neutralidade de carbono (Net Zero). (H2 View – 25.07.2023) 
Link Externo