IFE
03/07/2023

IFE Hidrogênio 133

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
03/07/2023

IFE nº 133

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 133

Políticas Públicas e Financiamentos

P&D GESEL vence prêmio H2LAC 2023

O Projeto “Pecém H2V – EDP”, conduzido pelo GESEL em parceria com a EDP recebeu, nesta terça-feira, dia 13/06/2023, o prêmio de melhor projeto pioneiro de produção de hidrogênio no âmbito do 3º Congresso Anual de Hidrogênio para a América Latina e o Caribe (H2LAC 2023). O evento acontece de 13 a 15 de junho e tem como objetivo estimular o crescimento do ecossistema de hidrogênio, abordando o desenho, financiamento e a execução de projetos H2 que acelerem o desenvolvimento de uma indústria de hidrogênio líder mundial na América Latina e no Caribe. (GESEL-IE-UFRJ – 14.06.2023) 
Link Externo

Brasil: Programa paulista para o hidrogênio verde

O estado de São Paulo está desenvolvendo o programa Hidrogênio de Baixo Carbono, que visa melhorar o ambiente regulatório e explorar o potencial paulista para a produção de hidrogênio verde e a partir da biomassa. A política busca impulsionar a demanda, produção, pesquisa e inovação no mercado de hidrogênio renovável. O governo estadual lançou um pacote de medidas com financiamento de R$ 500 milhões para projetos de descarbonização e transição energética, além de incentivar startups e o setor sucroenergético. São Paulo possui centros de pesquisa tecnológica que podem contribuir para o desenvolvimento de tecnologias de produção de hidrogênio, incluindo a reforma do etanol. O estado também está investindo em frotas sustentáveis, como a meta de ter 2,6 mil ônibus elétricos em São Paulo até 2024. (EPBR – 23.06.2023)
Link Externo

Brasil: Governo do Espírito Santo institui o Programa GERAR Hidrogênio

O governador do estado do Espírito Santo assinou o Decreto N° 5416-R, de 28 de junho de 2023, que institui o Programa de Geração de Energias Renováveis da cadeia do Hidrogênio Sustentável (GERAR Hidrogênio). Através do programa, o governador espera ampliar e diversificar futuras e novas matrizes energéticas alternativas. O programa GERAR Hidrogênio vai incentivar a produção, armazenamento e uso de hidrogênio sustentável no Espírito Santo, com emissão neutra ou negativa de carbono. Para o secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Felipe Rigoni, o programa vai impulsionar ainda mais a economia capixaba. “Precisamos promover cada vez mais políticas públicas para o setor de energia. Dentre os diversos objetivos do Programa GERAR Hidrogênio queremos desenvolver e consolidar o mercado de hidrogênio sustentável e a inserção internacional do Estado em bases economicamente competitivas. Promover o desenvolvimento é uma marca do Governo e queremos ampliar cada vez mais. Assim, vamos juntos rumo a um desenvolvimento sustentável do Espírito Santo", disse. (Governo do Estado do Espírito Santo - 28.06.2022) 
Link Externo

Brasil: Mercado de hidrogênio Verde pode ser regulamentado em até um ano

O presidente da Comissão Mista sobre o Hidrogênio Verde (H2V) e senador, Cid Gomes (PDT-CE), projeta a regulamentação do mercado deste combustível até o primeiro semestre de 2024. A previsão foi dada durante audiência pública, realizada no dia 26 de junho, no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). Conforme Cid, “no máximo, no meio do ano que vem”, o país terá as diretrizes para oferecer segurança jurídica aos investidores. Atualmente, o Ceará contabiliza dezenas de memorandos de entendimento de empresas interessadas em produzir o H2V. Contudo, um dos entraves para o setor é a ausência de um marco regulatório. Questionado sobre a regulamentação também das usinas eólicas offshore, Cid disse que, neste momento, a agenda prioritária é estabelecer as regras para o desenvolvimento do combustível (Diário do Nordeste - 26.06.2023). 
Link Externo

Brasil: Projetos de lei promovem descarbonização e reindustrialização com hidrogênio no Rio de Janeiro

Dois projetos de lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro dissertam sobre incentivos para o desenvolvimento da cadeia de valor do hidrogênio de baixo carbono no estado. O primeiro, Projeto de Lei Nº 1245/2023, altera a redação da Lei Nº 6.979 de 31 de Março de 2015 que trata sobre tratamentos tributários especiais a estabelecimentos industriais. Na prática, o projeto em questão amplia o escopo de redução do ICMS para 2%, de forma a contemplar todos estabelecimentos cujas atividades exercidas ou processos industriais tenham como matriz energética o uso do hidrogênio. O segundo, Projeto de Lei Nº 1246/2023, institui o Programa HIDRO-RJ – Programa de Estudos e Pesquisas para a Promoção da Transição Energética, Descarbonização e Reindustrialização. O programa em questão tem como objetivo fomentar a ciência, tecnologia e inovação no estado do Rio de Janeiro utilizando o hidrogênio e pilhas a combustível. (ABH2 - 22.06.2023) 
Link Externo

Brasil: Pecém prevê investimentos de US$ 8 bilhões de três empresas para plantas de hidrogênio verde

O Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp) já selou três pré-contratos de aluguel para a instalação de plantas industriais de Hidrogênio Verde (H2V) na Zona de Processamento de Exportação (ZPE). Juntos, os acordos somarão US$ 8 bilhões até 2030, segundo o presidente do Cipp, Hugo Figueiredo. As contratantes são a estadunidense AES Corporation, a cearense Casa dos Ventos e a australiana Fortescue. Conforme Hugo, essas companhias já estão aplicando recursos. “Essas empresas já têm pré-contrato na ZPE [setor] 2, estão pagando aluguel mensal, elaborando seus projetos de engenharia e estão no processo de licenciamento ambiental para tomar a decisão de investimentos o mais breve possível”, disse, durante audiência pública, nesta segunda-feira (26), no Cipp. Outro ponto, acrescentou, é que a segurança jurídica será crucial para os players de mercado tomarem suas decisões até 2024. (Diário do Nordeste - 26.06.2023) 
Link Externo

Europa: Produção de hidrogênio renovável, novas regras formalmente adotadas

A Comissão Europeia publicou formalmente dois atos delegados que estabelecem as regras detalhadas para a definição de hidrogênio renovável na União Europeia. Essas leis definem as condições para que o hidrogênio e outros combustíveis à base de hidrogênio sejam considerados renováveis ​​e fornecem uma metodologia para calcular as emissões de gases de efeito estufa associadas a esses combustíveis. As regras fazem parte de uma estrutura regulatória mais ampla da UE para o hidrogênio e visam garantir que todos os combustíveis renováveis ​​sejam produzidos a partir de eletricidade renovável. A Comissão espera atrair investimentos significativos para alcançar as metas de produção de hidrogênio renovável até 2030. Essas leis se aplicam tanto a produtores domésticos quanto a produtores internacionais que exportam hidrogênio renovável para a UE, e a Comissão trabalhará em estreita colaboração com as partes interessadas para apoiar a implementação prática dessas regras. (Energy Europa – 20.06.2023) 
Link Externo

Europa: Consórcio recebe € 20 milhões para projeto de hidrogênio offshore de 10MW

O consórcio Hydrogen Offshore Production for Europe (HOPE) assinou um contrato de doação de € 20 milhões (US$21,8 milhões) com a Comissão Europeia para desenvolver um projeto de produção de hidrogênio renovável offshore de 10MW. O projeto envolverá a construção de uma unidade de produção no Mar do Norte, ao largo da costa da Bélgica, para demonstrar a viabilidade técnica e financeira do projeto. A produção de hidrogênio será feita por meio de eletrólise alimentada por energia renovável e a água será dessalinizada e purificada antes da produção. O projeto visa acelerar a implementação de soluções de hidrogênio renovável offshore em larga escala para atingir as metas da Comissão Europeia de produção de hidrogênio renovável. (H2 View – 27.06.2023) 
Link Externo

Coreia do Sul/Japão: Cooperação na política de hidrogênio

A Coreia do Sul e o Japão estão buscando fortalecer a cooperação em políticas relacionadas ao hidrogênio na indústria e segurança. Representantes dos dois países discutiram medidas de cooperação em uma reunião realizada entre o Diretor-Geral da Política de Economia de Hidrogênio do Ministério do Comércio, Indústria e Política da Coreia do Sul, Lee Ok-heon, e o Diretor-Geral do Departamento de Conversão de Energia e Energias Renováveis do Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão, Hiro Inoue. Ambos concordaram sobre a importância da energia do hidrogênio na meta comum de alcançar a neutralidade de carbono e planejam fortalecer a cooperação em áreas como a indústria e segurança do hidrogênio. A Coreia do Sul e o Japão têm renovado suas ambições no setor do hidrogênio nos últimos meses, estabelecendo metas ambiciosas de produção e uso de hidrogênio. A previsão é que esses países se tornem centros de demanda significativos por hidrogênio até 2050, dependendo de importações para atender às suas necessidades. (H2 View – 22.06.2023) 
Link Externo

Oceania: Grande força na produção e exportação de hidrogênio

Embora grande parte da atenção esteja voltada para os avanços no desenvolvimento do hidrogênio nos Estados Unidos e na Europa, é importante não ignorar a atividade significativa que está ocorrendo na região da Oceania. A Austrália, em particular, está liderando a inovação em energia renovável, aproveitando seus abundantes recursos solares e minerais. Vale ressaltar que o governo australiano destinou 2 bilhões de dólares australianos para o programa Hydrogen Headstart, como parte de seu orçamento para o ano fiscal de 2023/24, demonstrando um forte compromisso com o desenvolvimento do hidrogênio e investimentos no país. (H2 View – 23.06.2023) 
Link Externo

UE: A falta de uma política europeia coesa para apoiar caminhões movidos a hidrogênio arrisca uma transição de zero emissão

O grupo de colaboração H2Accelerate alertou que a falta de uma política europeia coesa para apoiar a implantação de caminhões a hidrogênio representa um risco de transição "descoordenada e atrasada" para soluções de zero emissões. Em um documento de posição política, o grupo composto por Linde, Shell, Total Energies, Daimler Truck, Iveco Group e Volvo Group levantou preocupações de que políticas desenvolvidas de forma isolada estão levando a medidas inconsistentes para alcançar o mesmo objetivo. O grupo afirmou que apoia a implementação de medidas políticas "ambiciosas e vinculativas" que garantam, até 2030, pelo menos um milhão de toneladas de hidrogênio verde por ano disponível para o setor de transporte; o desenvolvimento de uma rede pan-europeia de pelo menos 1.500 estações de abastecimento de hidrogênio de duas toneladas por dia; a fabricação de pelo menos 50 mil veículos pesados a hidrogênio por fabricantes de veículos; e a criação de incentivos financeiros para os usuários finais comprarem esses veículos, por meio de políticas que criem pelo menos a paridade de custos de propriedade com os veículos a diesel (H2Accelerate - 26.06.2023). 
Link Externo

África do Sul faz parceria com os governos da Holanda e da Dinamarca

A África do Sul fez parceria com os governos da Holanda e da Dinamarca para lançar um fundo de hidrogênio verde no valor de US$ 1 bilhão. O objetivo é impulsionar a indústria do hidrogênio verde no país, como parte dos esforços de descarbonização. A África do Sul pretende criar um ecossistema de hidrogênio verde, produzido com energia renovável e livre de emissões de gases de efeito estufa, para uso em diversos setores, incluindo aviação, aço e transporte, além de exportação para a União Europeia. O fundo, chamado SA-H2, será administrado pela Climate Fund Managers e busca apoiar o setor de hidrogênio verde na África do Sul. No entanto, a implantação lenta de energia renovável no país é apontada como um desafio para o desenvolvimento da indústria de hidrogênio verde. (Reuters – 21.06.2023) 
Link Externo

Holanda aumenta subsídios para produção de hidrogênio verde em 1 bilhão no próximo ano

O governo holandês anunciou um aumento de 1 bilhão de euros nos subsídios para a produção de hidrogênio verde a partir de fontes renováveis no próximo ano, e planeja destinar outros 3,9 bilhões de euros nos anos seguintes. O objetivo é atingir uma capacidade de pelo menos 4 GW de hidrogênio verde até 2030, com possibilidade de duplicar essa quantidade em 2032. O governo está empenhado em aumentar significativamente a produção de hidrogênio como parte de suas metas de redução de CO2. Além disso, parte do financiamento será direcionado para estimular as importações de hidrogênio verde e subsidiar a transição e uso de hidrogênio por indústrias. (Reuters – 21.06.2023) 
Link Externo

Revolucionando a energia: como o hidrogênio pode alimentar o futuro e transformar nosso mundo

O hidrogênio está emergindo como uma solução promissora para a transição para a energia sustentável. Com seu potencial para gerar energia limpa, armazenar eletricidade renovável e substituir combustíveis fósseis, o hidrogênio está revolucionando o setor energético. Os benefícios incluem impacto ambiental reduzido, armazenamento de energia e versatilidade de uso em diversos setores. Avanços tecnológicos, como veículos com célula a combustível e produção de hidrogênio verde, estão impulsionando sua adoção. Desafios como infraestrutura e redução de custos precisam ser superados, e políticas de apoio são fundamentais para impulsionar o mercado de hidrogênio. A colaboração entre governos, indústria e pesquisa será crucial para alcançar um futuro movido a hidrogênio e um planeta mais sustentável. (Hydrogen Central – 28.06.2023) 
Link Externo

Produção

Alemanha: Lhyfe e duisport planejam primeira usina de produção de hidrogênio verde no porto de Duisburg

A Lhyfe e a duisport estão planejando a construção da primeira usina de produção de hidrogênio verde no porto de Duisburg, o maior porto fluvial do mundo. O projeto visa utilizar o hidrogênio verde na região para impulsionar a economia local e promover soluções de mobilidade sustentáveis. A usina de eletrólise, com capacidade de até 20 MW, será alimentada exclusivamente por energias renováveis. Os parceiros envolvidos no projeto, incluindo a DVV, a WBD e o DGT, assinaram uma declaração de intenções para se tornarem futuros compradores do hidrogênio verde produzido. O estudo de viabilidade está em andamento, e a usina poderá entrar em operação até meados de 2025. O projeto representa um marco importante na descarbonização da economia local e no impulsionamento da transição para energias limpas. (Energy News - 26.06.2023) 
Link Externo

Austrália: Total Eren propõe desenvolvimento do projeto Darwin H2 Hub

A Total Eren, uma produtora global de energia renovável, está propondo o desenvolvimento do Darwin H2 Hub, uma instalação de produção de hidrogênio verde em Middle Arm, na Austrália. O projeto, que usará energia solar, terá capacidade para produzir mais de 80 mil toneladas de hidrogênio renovável por ano, tanto para uso doméstico quanto para exportação. A construção do Darwin H2 Hub poderá criar cerca de 2.000 empregos e ajudar a impulsionar uma economia de zero emissão. O governo do território assinou um memorando de entendimento com a Total Eren para desenvolver o projeto. A iniciativa faz parte dos esforços para descarbonizar e impulsionar a economia do território, aproveitando os abundantes recursos solares da região. O projeto representa uma oportunidade significativa para criar empregos no setor de energia limpa e contribuir para a redução global das emissões de gases de efeito estufa. (National Tribute – 21.06.2023) 
Link Externo

Dinamarca: H2 Energy avança na construção de uma usina de hidrogênio de 1 GW em Esbjerg

A empresa suíça H2 Energy deu um passo significativo em direção à construção de uma usina de hidrogênio de 1 GW em Esbjerg, na Dinamarca. Prevista para se tornar a maior fábrica de hidrogênio do mundo até 2027, o investimento destaca o papel do hidrogênio como solução de energia limpa. A empresa de engenharia COWI está apoiando o projeto ao realizar o projeto básico, definindo os aspectos técnicos e garantindo uma operação segura e eficiente. O acordo político recente entre Dinamarca e Alemanha sobre a conexão de hidrogênio abriu caminho para a realização do projeto, demonstrando o compromisso da H2 Energy com a revolução do hidrogênio. (FuelCellsWorks - 19.06.2023) 
Link Externo

Egito: SCZONE e ACME assinam acordo para projeto de hidrogênio verde em Sokhna

A Zona Econômica do Canal de Suez, no Egito, assinou um acordo com a empresa indiana ACME para iniciar a construção de um projeto de hidrogênio verde em Sokhna. O projeto terá uma capacidade anual de 2,2 milhões de toneladas e um investimento estimado em US$ 12 bilhões. O acordo foi assinado durante uma visita da SCZONE à Índia, visando promover oportunidades de investimento no Egito. O projeto começará a ser construído em 2024 e terá uma fase piloto de produção de 100 mil toneladas por ano. (Hydrogen Central - 22.06.2023) 
Link Externo

Omã: OQ e grupo belga firmam contrato de produção de hidrogênio verde

O grupo de energia global OQ e a empresa belga Deme Group assinaram um contrato com a Hydrogen Oman (Hydrom) para a produção de hidrogênio verde e amônia em Duqm, Omã. O projeto faz parte da Visão 2040 do país e busca estabelecer uma robusta indústria de hidrogênio verde. A produção de energia renovável, por meio de energia eólica e solar, será realizada com capacidade de até 2,7 GW. A fase inicial do projeto prevê a produção de 330 mil toneladas de amônia verde, com expansão para mais de 650 mil toneladas na fase seguinte. O acordo é um passo importante para alcançar a neutralidade de carbono até 2050 e posicionar Omã como um centro global para indústrias verdes. A OQ e a Deme estão comprometidas em impulsionar a transformação para um futuro movido a hidrogênio verde e apoiar as metas de energia verde de Omã. (Hydrogen Central - 27.06.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Desenvolvimento de Hub de Hidrogênio em North Wales

A Ambition North Wales está buscando um parceiro para desenvolver um hub de hidrogênio na região de North Wales, como parte de seus esforços para impulsionar a economia do hidrogênio. O hub incluirá a produção e o uso de hidrogênio, e estão disponíveis até £11,2 milhões em financiamento para ajudar as organizações a fazer a transição dos combustíveis fósseis para o hidrogênio. O objetivo é fortalecer a posição de North Wales como um importante player nesse setor e alcançar as metas de neutralização das emissões da região. As inscrições estão abertas para organizações interessadas em projetar e implementar o hub de hidrogênio. O hub deverá estar operacional até 2030 e desempenhar um papel fundamental na promoção do hidrogênio como uma alternativa limpa aos combustíveis fósseis. (Ground News - 27.06.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Wood e Centrica Storage exploram hub de produção de hidrogênio de baixo carbono

A Wood está trabalhando em parceria com a Centrica Storage para avaliar a viabilidade da transformação do terminal de processamento de gás de Easington em um hub de produção de hidrogênio de baixo carbono. O projeto visa fornecer hidrogênio para a região de Humber e apoiar a meta de zero emissão líquida da Centrica até 2045. A Wood utilizará sua experiência em hidrogênio para avaliar diferentes cenários de produção e contribuir para a transição energética do Reino Unido. (Wood PLC - 26.06.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Arábia Saudita/Emirados Árabes Unidos/Egito: Parceria entre empresas para tecnologia de transporte de hidrogênio líquido orgânico

A Magnom Properties assinou um Memorando de Entendimento (MoU) com a Schneider Electric e a H2-Enterprises para implementar o sistema Liquid Organic Hydrogen Carrier (LOHC) no projeto Forbes International Tower. Esse sistema permite armazenar, transportar e liberar hidrogênio de forma segura e amigável ao meio ambiente. A torre será a primeira do mundo a funcionar totalmente com esse sistema. A parceria utilizará tecnologias inovadoras da H2-Enterprises para produzir hidrogênio limpo a partir de plásticos não recicláveis e resíduos orgânicos, enquanto a Schneider Electric fornecerá soluções digitais para o gerenciamento de energia. O objetivo é acelerar os objetivos de zero emissão de carbono da Forbes International Tower e enfrentar desafios energéticos importantes. O projeto está planejado para ser realizado nos Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Egito. O acordo busca solucionar os problemas de poluição de resíduos e criar energia limpa, contribuindo para a transição global de energia e a economia do hidrogênio. (Zawya - 21.06.2023) 
Link Externo

Europa: Estudo conjunto da AFRY e RINA indica viabilidade e atratividade do Gasoduto de Hidrogênio do Golfo para a Europa

A AFRY e a RINA, empresas de engenharia, certificação e consultoria, realizaram um estudo conjunto sobre a possibilidade de construção de um gasoduto de hidrogênio para ligar a região do Golfo à Europa. O estudo indica que essa infraestrutura é viável e oferece uma oportunidade transformadora para aproveitar o potencial do Golfo como uma fonte de hidrogênio de baixo carbono para a Europa. Com base em fontes abundantes de energia renovável e reservas de gás natural, o Golfo tem o potencial de se tornar um dos principais produtores globais de hidrogênio verde e azul. O estudo demonstrou que um gasoduto adequado poderia transportar anualmente 100 TWh ou aproximadamente 2,5 milhões de toneladas de hidrogênio, com possibilidade de expansão futura. O transporte de hidrogênio por meio desse gasoduto tem um custo inicial estimado em cerca de 1,2 EUR/kg H2. A previsão é de que, a partir da década de 2030, os países do Golfo possam fornecer hidrogênio verde e azul para a Europa a um custo em torno de 2,7 EUR/kg, com redução para cerca de 2,3 EUR/kg a longo prazo. Esse projeto de gasoduto poderia fornecer uma alternativa competitiva e eficiente para o transporte em larga escala de hidrogênio, complementando as opções existentes de transporte por navio. O estudo representa uma contribuição significativa para impulsionar a economia do hidrogênio, identificando um corredor estável para atender a demanda europeia e promover a transição para uma energia mais verde na região. (Wind Fair - 27.06.2023) 
Link Externo

Rede Nacional Holandesa de Hidrogênio é lançada em Roterdã

A empresa de infraestrutura de energia Gasunie anunciou seu investimento na construção da primeira parte da rede nacional de hidrogênio na Holanda. Com um investimento superior a 100 milhões de euros, a rede conectará as principais regiões industriais do país e países vizinhos, como Alemanha e Bélgica, a partir de 2030. Além de facilitar o transporte de hidrogênio para clientes industriais, a rede terá conexões com terminais de importação em portos marítimos e instalações de armazenamento em grande escala. A utilização de gasodutos existentes reduzirá os custos e beneficiará o meio ambiente. A Gasunie busca desempenhar um papel de conexão na transição energética, desenvolvendo infraestrutura de hidrogênio na Holanda, Alemanha e Mar do Norte, fortalecendo seu papel como um centro europeu de energia de hidrogênio. (Gasunie – 27.06.2023) 
Link Externo

Uso Final

Austrália: Winton liderará o caminho no abastecimento de hidrogênio renovável

Winton poderá em breve abrigar uma estação de produção e abastecimento de hidrogênio renovável em larga escala, sendo a primeira do tipo na Austrália. O projeto, que está em fase de planejamento, também incluirá uma nova usina solar. No entanto, alguns moradores locais estão preocupados com o aumento do tráfego e o impacto na pequena cidade. A empresa responsável pelo projeto, Lochard Energy, garantiu que apenas 4 km da estrada Winton-Glenrowan Rd serão usados pelos caminhões de abastecimento. O objetivo é ampliar a estrada no local de entrada do site para permitir um fluxo constante de tráfego quando os caminhões estiverem aguardando para entrar. O projeto visa criar uma rede de centros de abastecimento limpos ao longo das principais rotas de transporte da costa leste da Austrália, com o objetivo de substituir o uso de diesel como fonte de combustível e oferecer opções de abastecimento de hidrogênio limpo. Além disso, a proposta inclui a co-localização de uma usina solar com o depósito de produção e abastecimento de hidrogênio, visando o uso de energia renovável de baixo custo e uma fonte de água sustentável para a produção de hidrogênio. (Hydrogen Central - 23.06.2023) 
Link Externo

Brasil: Governo do Rio estuda transformar a rodovia Presidente Dutra em corredor de GNV, biometano e hidrogênio

O governo do Rio de Janeiro está avaliando um projeto piloto na rodovia Presidente Dutra, que liga a Região Metropolitana, Sul Fluminense e São Paulo, para transformá-la em um corredor azul. O projeto envolve a instalação de pontos de abastecimento de alta capacidade para criar um corredor de GNV, GNL, biometano e, futuramente, hidrogênio. Posteriormente, a ideia é ampliar o corredor azul entre os estados que fazem parte do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud), que além do Rio de Janeiro, inclui São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul. O Rio é o principal produtor de gás natural do país e a infraestrutura de abastecimento pode servir no futuro para movimentar o hidrogênio de baixo carbono, elemento promissor da descarbonização industrial. O governo federal, juntamente com as concessionárias de distribuição de gás canalizado do Rio e São Paulo, já tem mapeado os pontos de abastecimento na Dutra (epbr - 26.06.2023). 
Link Externo

Yara Clean Ammonia e Bunker Holding assinam um MoU para desenvolver o mercado de amônia como combustível marítimo

Yara Clean Ammonia e Bunker Holding firmaram um Memorando de Entendimento para explorar oportunidades de trabalharem juntas para acelerar o fornecimento de amônia como combustível para a indústria de transporte marítimo. A colaboração se concentrará em explorar oportunidades de fornecer amônia limpa como combustível marítimo para as primeiras empresas a adotarem essa tecnologia ao longo de rotas comerciais chave e portos de abastecimento em várias regiões geográficas. A amônia limpa é uma das alternativas mais eficazes para a descarbonização do transporte marítimo e espera-se que as empresas de transporte marítimo expandam o uso desse combustível sustentável para reduzir as emissões de CO2 em até 100% em uma base de ciclo de vida completo a partir de 2026. A colaboração entre Yara Clean Ammonia, um fornecedor global de amônia limpa, e Bunker Holding, o maior fornecedor de bunker em termos de usuários finais, visa acelerar o desenvolvimento do mercado de amônia limpa como combustível marítimo e contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. (Yara - 23.06.2023) 
Link Externo

Parceria entre Sasol e Topsoe para acelerar a produção global de SAF usando hidrogênio verde e biomassa

A Sasol e a Topsoe estabeleceram uma joint venture para produzir combustíveis sustentáveis de aviação (SAF) e contribuir para a redução das emissões de carbono. A parceria visa desenvolver plantas de produção de SAF utilizando tecnologias avançadas e fontes não fósseis, como hidrogênio verde e biomassa. O objetivo é escalar a produção de SAF e oferecer soluções que atendam às demandas futuras do mercado. A iniciativa é parte dos esforços para tornar a aviação mais sustentável e combater as mudanças climáticas. (Sasol - 21.06.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: EGCO Group concluiu com êxito a mistura de hidrogênio na unidade 6 da Linden Cogen

O EGCO Group, empresa de energia tailandesa, concluiu com sucesso o comissionamento da mistura de hidrogênio na unidade 6 da planta de cogeração de Linden Cogen nos EUA. Essa iniciativa permite combinar gás natural e gás residual, incluindo hidrogênio, reduzindo as emissões de CO2. O projeto possibilita o uso do gás residual da refinaria adjacente para alimentar a turbina a gás da unidade 6. Com essa abordagem, espera-se reduzir as emissões de CO2 em cerca de 10%, mantendo a conformidade com as regulamentações ambientais. O EGCO Group visa promover o uso de hidrogênio como combustível limpo para geração de energia, como parte de seus esforços para reduzir as emissões de carbono e alcançar a neutralidade de carbono até 2050. A Linden Cogen é uma planta de cogeração de energia a gás natural de 972 MW localizada em Linden, Nova Jersey, nos EUA. (Hydrogen Central - 27.06.2023) 
Link Externo

Suécia: Gotland Company e H2 Green Steel colaboram para uso de H2V na indústria marítima

A H2 Green Steel (H2GS) e a empresa de navegação sueca Gotland Company firmaram um acordo para explorar a possibilidade de estabelecer uma usina de produção de hidrogênio verde com capacidade para abastecer parte da frota da Gotland Company com esse combustível. Em colaboração com a Gotland Company, que desenvolve, freta e opera balsas de passageiros, a H2GS realizará um estudo de viabilidade técnica e econômica para avaliar a possibilidade de fornecer combustível livre de fósseis na forma de hidrogênio verde para os futuros navios da Gotland Company. A Gotland Company está desenvolvendo duas novas embarcações da série Horizon, que poderão operar com gás hidrogênio. O objetivo é ter pelo menos um navio operacional até 2030, que funcionará com turbinas a gás com chamado "multi-combustível", permitindo que os navios operem com vários combustíveis livres de fósseis. Para operar o tráfego entre Gotland e o continente com 100% de gás hidrogênio, aproximadamente 20 mil toneladas de hidrogênio serão necessárias anualmente. O estudo de viabilidade é o primeiro passo para fornecer hidrogênio como combustível para os navios da Gotland Company que operam a rota entre a ilha de Gotland e o continente da Suécia. Ele inclui a identificação de locais para a produção e infraestrutura para o transporte do hidrogênio aos portos. A capacidade estimada do eletrólito necessário é de cerca de 300 MW. (H2 Green Steel - 26.06.2023) 
Link Externo

Suécia: Parceria entre Cargill e H2 Green Steel para a descarbonização da cadeia de suprimentos de ferro

A Cargill assinou um contrato de fornecimento de aço verde de baixa emissão com a H2 Green Steel. O acordo visa acelerar a descarbonização da cadeia de suprimentos de ferro global. A Cargill se une a outros clientes da H2 Green Steel, demonstrando a demanda crescente por aço de baixa emissão. O objetivo é desenvolver uma cadeia de suprimentos de ferro responsável e sustentável. A H2 Green Steel está construindo uma usina siderúrgica verde que utilizará eletricidade renovável e produzirá seu próprio hidrogênio verde. A parceria com a Cargill ajudará a expandir a disponibilidade dos produtos da H2 Green Steel em mercados além da União Europeia. O acordo representa um marco estratégico para a Cargill em seus objetivos de sustentabilidade. (Cargill - 20.06.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

DENSO lança piloto para limpar a fabricação de componentes automotivos com hidrogênio verde

A empresa Denso anunciou o lançamento de um piloto para limpar a fabricação de componentes automotivos por meio do uso de hidrogênio verde. O projeto piloto visa substituir o uso de gás natural por hidrogênio verde em processos de tratamento térmico, reduzindo as emissões de carbono e promovendo uma produção mais limpa. A iniciativa faz parte dos esforços da Denso em adotar práticas sustentáveis e impulsionar a transição para uma indústria automotiva mais verde. (Hydrogen Central – 28.06.2023) 
Link Externo

Element 1 e NEXA entrarão na tecnologia de geração de metanol para hidrogênio na indústria da aviação

A Element 1 e a Nexa anunciaram uma parceria para introduzir a tecnologia de geração de hidrogênio a partir de metanol na indústria da aviação. Essa tecnologia inovadora permitirá a produção de hidrogênio verde a bordo de aeronaves, oferecendo uma solução mais sustentável para a aviação. A colaboração entre as duas empresas busca impulsionar a adoção de energia limpa na aviação e reduzir as emissões de carbono, promovendo um setor aéreo mais ecologicamente consciente. (H2 View – 28.06.2023) 
Link Externo

Hydrogen Optimized estabelece conselho consultivo científico para desenvolver tecnologia de eletrólise

A Hydrogen Optimized anunciou a criação de um Conselho Consultivo Científico para desenvolver tecnologia de eletrólise otimizada para a produção de hidrogênio. Essa iniciativa visa impulsionar a inovação e aprimorar a eficiência dos processos de eletrólise, contribuindo para a expansão do uso de hidrogênio verde como fonte de energia limpa. O Conselho Consultivo Científico irá fornecer expertise e orientação científica para impulsionar o avanço tecnológico nessa área, permitindo avanços significativos na produção sustentável de hidrogênio. (H2 View – 28.06.2023) 
Link Externo

Destinus realiza voo teste com drones movidos à hidrogênio

A startup suíça Destinus realizou um voo de teste bem-sucedido de um protótipo de drone movido a hidrogênio, apresentando os primeiros pós-combustores de hidrogênio do mundo. Esse avanço tecnológico demonstra o potencial dos sistemas de propulsão eficientes e de baixa emissão de carbono. Embora o voo tenha atingido velocidades abaixo do limite hipersônico, forneceu evidências convincentes da viabilidade dos pós-combustores de hidrogênio em condições reais. A Destinus tem como objetivo desenvolver aeronaves de passageiros movidas a hidrogênio para voos hipersônicos, reduzindo significativamente os tempos de viagem. Com a crescente busca pela descarbonização na aviação, a tecnologia do hidrogênio está se tornando uma opção atraente para um transporte aéreo mais sustentável e com zero emissões. Empresas como Airbus, Boeing e Rolls-Royce também estão investindo nessa área, destacando o potencial transformador da aviação movida a hidrogênio para um futuro mais verde e consciente do meio ambiente. (HYCAP -19.06.2023) 
Link Externo

Oxford nanoSystems: Tecnologia de revestimento inovadora para acelerar a adoção do hidrogênio verde

A empresa britânica Oxford nanoSystems (OnS) anunciou um avanço significativo na redução do custo de produção de hidrogênio verde com seu revestimento inovador, chamado nanoFLUX. Esse revestimento melhora a capacidade de produção de eletrolisadores alcalinos em mais de 50%, a um custo menor do que os revestimentos existentes. O nanoFLUX acelera a transição para uma economia baseada em hidrogênio, reduzindo drasticamente os custos de produção e tornando o hidrogênio verde competitivo em relação aos combustíveis fósseis. A OnS está colaborando com fabricantes de eletrolisadores para testar e aumentar a produção do nanoFLUX, visando a redução significativa dos custos de produção de hidrogênio verde. (Business Mondays – 20.06.2023) 
Link Externo

Alunos da TU Delft estabelecem novo recorde de veículos movidos a hidrogênio

Os alunos do Eco-Runner Team Delft, da TU Delft, estabeleceram um novo recorde mundial ao criar o veículo a hidrogênio mais eficiente do mundo. O carro percorreu incríveis 2.488,5 km em um circuito alemão sem a necessidade de reabastecimento, superando o recorde anterior. O design leve e inovador converte hidrogênio em energia elétrica, emitindo apenas vapor de água e calor. Essa conquista demonstra o potencial do hidrogênio como fonte sustentável de combustível para o transporte, incentivando a adoção desse recurso na indústria automobilística. (Innovation origins – 27.06.2023) 
Link Externo

Eventos

Fact Finding: Is Hydrogen the Energy Source of the Future?

A Swagelok está organizando um evento para analisar se o hidrogênio é a fonte de energia do futuro. O evento será realizado online em 11 de julho de 2023, das 11h00 às 12h00. O evento contará com a participação de 40 pessoas. O objetivo do evento é abordar os mitos e desafios relacionados à eficiência, segurança, viabilidade econômica e impacto ambiental do hidrogênio como fonte de energia. Chuck Hayes, Engenheiro de Aplicações Principal para Energia Limpa, irá discutir o papel do design e da engenharia de sistemas fluidos na superação desses desafios. Se você deseja obter informações precisas sobre o potencial do hidrogênio como fonte de energia no futuro, participe deste evento online. Para visualizar o evento, clique aqui
Link Externo

EIC Connect Energy Brazil 2023

O Energy Industries Council (EIC) está organizando o evento EIC Connect Energy Brazil 2023. O evento acontecerá online no dia 6 de julho de 2023, das 08h00 às 18h00. O evento contará com a participação de 232 pessoas. O EIC Connect é um evento anual que ocorre em vários mercados de energia ao redor do mundo. Ele fornece uma plataforma para membros e não membros da EIC se conectarem com potenciais clientes e/ou fornecedores por meio de painéis de alto nível, briefings de aquisições de operadores, desenvolvedores e EPC, e reuniões individuais/comprador-conheça-o-vendedor. Este evento oferece uma oportunidade ideal para estabelecer contatos e criar novas oportunidades de negócios, abrangendo não apenas mercados estabelecidos, como E&P, Submarino e GNL, mas também setores emergentes de energia, como Energia Eólica Offshore, Hidrogênio e CCS. Para se inscrever, clique aqui
Link Externo

Artigos e Estudos

IEA: Scaling Up Private Finance for Clean Energy in Emerging and Developing Economies

Este relatório especial da Agência Internacional de Energia (IEA) e da Corporação Financeira Internacional (IFC) examina como aumentar o financiamento privado para transições de energia limpa, quantificando os investimentos necessários em diferentes regiões e setores para construir sistemas modernos de energia limpa, incluindo a obtenção de acesso universal. A nova economia energética global representa uma enorme oportunidade de crescimento e emprego nas economias emergentes e em desenvolvimento. A análise deste relatório identifica as principais barreiras e como removê-las – e define as ações políticas e os instrumentos financeiros que podem proporcionar uma grande aceleração nos fluxos de capital privado para a transição energética (IEA - 2023). 
Link Externo

Roland Berger: How business models will develop in the emerging hydrogen market

O relatório, publicado pela consultoria Roland Berger, analisa a evolução dos modelos de negócios associados ao mercado de hidrogênio verde e a relevância deles para o desenvolvimento desse mercado emergente. Segundo o estudo, a escolha do modelo de negócios certo será essencial. Empresas de diferentes setores que participam da indústria de hidrogênio verde precisam de um modelo adequado para elas, porque não existe uma solução única para todos (Roland Berger - 22.05.2023). 
Link Externo

IRENA: World Energy Transitions Outlook 2023: 1.5°C Pathway

O relatório, publicado pela International Renewable Energy Agency (IRENA), fornece uma visão geral do progresso ao rastrear a implementação e as lacunas em todos os setores de energia e identifica áreas e ações prioritárias com base nas tecnologias disponíveis que devem ser realizadas até 2030 para alcançar emissões líquidas zero até meados do século. O relatório também fornece três pilares principais que podem formar as bases para realinhar a transição energética global com os objetivos climáticos: i. construir a infraestrutura necessária e investir em escala para acomodar novos locais de produção, padrões comerciais e centros de demanda; ii. promover uma arquitetura política e regulatória que possa facilitar investimentos direcionados e melhorar os resultados socioeconômicos e ambientais; e iii. um realinhamento estratégico de capacidades institucionais para ajudar a garantir que habilidades e capacidades correspondam a um sistema de energia que integre uma alta parcela de energias renováveis (IRENA - Junho de 2023).
Link Externo

Transformando o cenário energético dos EUA com hidrogênio

O mundo está se encaminhando para uma revolução de energia limpa, e o hidrogênio emergiu como uma opção promissora na busca pelo net zero. Os Estados Unidos reconhecem seu potencial e estão embarcando em uma jornada ambiciosa para estabelecer centros de hidrogênio em todo o país. Esses centros são projetados para abranger a produção, armazenamento, distribuição, utilização e exportação de hidrogênio, impulsionando um ecossistema de energia sustentável capaz de transformar diversos setores, desde o transporte até a indústria. Com o financiamento do governo e a criação de incentivos, os EUA estão impulsionando a economia do hidrogênio, buscando tornar a produção de hidrogênio com baixo teor de carbono mais viável e atrativa para investidores. Além disso, a co-localização de instalações de produção e uso de hidrogênio em centros regionais reduz os custos de transporte e armazenamento, tornando todo o processo mais eficiente e econômico. Com uma diversificação da demanda de hidrogênio e uma série de projetos de demonstração inovadores em andamento, os EUA estão no caminho para se tornarem uma rede zero, e o hidrogênio desempenhará um papel vital no futuro do cenário energético do país. (Energy Monitor – 26.06.2023) 
Link Externo

UNIDO: Avaliação da produção, demanda, modelos de negócios e cadeia de valor de hidrogênio de baixo carbono no Egito

O Egito está avaliando a produção, demanda, modelos de negócios e cadeia de valor do hidrogênio de baixo carbono. O país possui uma localização geográfica estratégica, recursos abundantes de energia renovável e infraestrutura de gás natural, o que o coloca em uma posição favorável para desempenhar um papel importante na economia do hidrogênio. O setor energético egípcio desempenha um papel crucial no desenvolvimento socioeconômico do país, e o governo tem implementado medidas para diversificar sua matriz energética, com um foco crescente em energias renováveis e eficiência energética. Essas iniciativas visam garantir a segurança e a estabilidade no fornecimento de energia e abrir oportunidades para o desenvolvimento de uma economia de hidrogênio avançada, tanto para o Egito quanto para os mercados vizinhos. (Energy Central – 24.06.2023) 
Link Externo