IFE
29/05/2023

IFE Hidrogênio 128

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
29/05/2023

IFE nº 128

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 128

Políticas Públicas e Financiamentos

México: Desafios no caminho da indústria de hidrogênio

O México tem como objetivo se tornar líder na indústria do hidrogênio verde e atrair investimentos de cerca de US$ 60 bilhões, gerando cerca de 3 milhões de empregos. No entanto, para alcançar esse objetivo, o país precisa superar obstáculos importantes, como questões de regulamentação e certificação, infraestrutura e desafios na fabricação de equipamentos de eletrólise. A população do país deve atingir quase 150 milhões até 2050, o que resultará em um aumento significativo na demanda por energia, e a matriz energética é atualmente dominada pelo petróleo e gás. Embora o hidrogênio verde seja mais caro de produzir, há uma alta demanda nos mercados europeus voltados para a sustentabilidade. O México precisa lidar com desafios regulatórios e de certificação para impulsionar a competitividade e se posicionar como produtor de combustíveis com baixo impacto ambiental. Estimular as empresas a obter a certificação de hidrogênio verde ajudará a garantir a conformidade com as regulamentações internacionais e fornecerá segurança aos clientes de que o combustível foi gerado por meio de fontes de energia renovável.  (H2 View – 12.05.2023) 
Link Externo

Escócia: Os cinco principais obstáculos ao desenvolvimento do hidrogênio

A Escócia enfrenta cinco obstáculos principais para desenvolver seu potencial de hidrogênio verde, de acordo com um relatório da Addleshaw Goddard. Esses desafios incluem: i. a necessidade de colaboração política entre a Escócia e o governo do Reino Unido, que tem estratégias distintas para o hidrogênio, ii. clareza no apoio financeiro, o governo da Escócia apresentou um esquema de subsídios de hidrogênio de baixo carbono do BEIS - Hydrogen Business Model, que ainda não está claro como funcionará na prática, iii. investimento em uma nova classe de ativos, iv. visibilidade da rede elétrica e v. simplificação do planejamento e autorizações. O relatório também identifica a importância dos recursos. Garantir que a Escócia tenha as pessoas com as habilidades necessárias para o desenvolvimento de uma economia de hidrogênio também será crítico em construção, comissionamento, engenharia, manutenção e especialistas técnicos necessários para códigos e padrões de segurança. (H2 View 17.05.2023)   
Link Externo

Austrália: Governo anuncia fundo de hidrogênio renovável de US$ 2 bilhões

O governo trabalhista federal da Austrália anunciou um novo fundo de hidrogênio de US$ 2 bilhões como parte de um pacote de energia verde. O fundo visa apoiar projetos de hidrogênio renovável, fornecendo créditos de produção para impulsionar projetos iniciais e aumentar a capacidade de eletrolisador do país até 2030. O governo espera que esse investimento promova o desenvolvimento de conhecimento e da expertise do país e posicione a Austrália como um participante importante no mercado global de hidrogênio. O pacote também busca responder a iniciativas semelhantes em outros países, como os EUA e a UE. A expectativa é que a energia do hidrogênio beneficie várias regiões australianas, como Wollongong, Gladstone e Whyalla, impulsionando setores como energia renovável e aço verde. A alocação dos créditos será feita por meio de um processo competitivo, visando aproveitar as oportunidades industriais e econômicas para impulsionar a prosperidade futura do país. (Renew Economy – 09.05.2023) 
Link Externo

Israel: Plano nacional para integrar hidrogênio ao cenário energético

Israel lançou um plano nacional abrangente para integrar o hidrogênio em seu cenário energético como parte de sua meta de uma economia de baixo carbono até 2050. O plano inclui promoção de pesquisa e desenvolvimento, criação de vales regionais de hidrogênio (regional hydrogen valleys), introdução de regulamentação flexível, desenvolvimento de infraestrutura e integração global. Projetos de pesquisa e demonstração visam resolver desafios relacionados a custos, logística, segurança e eficiência na produção, armazenamento e uso de hidrogênio. Os vales de hidrogênio abrangem toda a cadeia de valor, desde a produção até o uso final em vários setores. A infraestrutura incluirá postos de abastecimento dedicados, produção regional de hidrogênio verde, armazenamento subterrâneo e transporte através de gasodutos de gás natural. A colaboração internacional será buscada para desenvolver tecnologias, reduzir custos e diversificar as fontes de energia. A demanda de hidrogênio em Israel, incluindo eletricidade, transporte pesado, indústria, aviação e transporte marítimo, é estimada em 5,2 milhões de toneladas até 2050. (Azernews - 17.05.2023) 
Link Externo

Dinamarca/Alemanha: Dobro em exportações de hidrogênio

A Dinamarca está planejando aumentar suas exportações de hidrogênio renovável para a Alemanha, de acordo com um relatório divulgado pelos operadores de sistemas de transmissão. A Dinamarca pretende ter entre 4GW e 6 GW de capacidade de eletrólise até 2030, alimentada por turbinas eólicas offshore, visando tanto o consumo interno quanto o atendimento da demanda externa. A produção de hidrogênio poderia chegar a 15 TWh até 2030 e até 98 TWh até 2050. A Dinamarca poderia ter uma participação de exportação de 90% de sua produção doméstica. A Alemanha, por sua vez, espera importar mais de 500 TWh de hidrogênio renovável até 2050, com a demanda sendo atendida em parte pela produção doméstica e em parte por importações. Os dois países assinaram uma declaração de cooperação em hidrogênio renovável e estão planejando a construção de um duto transfronteiriço de hidrogênio. A Dinamarca está lançando um regime de apoio à produção de hidrogênio renovável, com um subsídio máximo de 1,93 euros/kg. (ICIS – 16.05.2023) 
Link Externo

Tunísia: País busca se destacar na produção de hidrogênio verde

O país do norte da África está focado em estabelecer uma infraestrutura de hidrogênio baseada em energias renováveis. O grande potencial de produção por meio de energia solar e eólica, bem como a proximidade geográfica com conexã à rede de gás europeia, formam condições ideais para isso. A "Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit GmbH" (GIZ), ou Associação Alemã de Cooperação Internacional, apoia a promoção das cadeias de valor do H2 com o programa "Green Hydrogen for Sustainable Growth and a Decarbonised Economy in Tunisia" (Hidrogênio Verde para Crescimento Sustentável e uma Economia Descarbonizada na Tunísia). (H2 Bulletin - 14.05.2023) 
Link Externo

Produção

Austrália: Infinite Green Energy e Samsung C&T fazem parceria em usina de hidrogênio verde

A empresa australiana Infinite Green Energy (IGE) firmou um acordo com a Samsung C&T para o desenvolvimento conjunto de uma planta de hidrogênio verde em Arrowsmith, na Austrália Ocidental. O Memorando de Entendimento (MoU) assinado estabelece que a Samsung C&T fornecerá recursos adicionais para a produção de hidrogênio verde destinado à exportação e ao mercado doméstico a partir do projeto Arrowsmith. A planta terá capacidade inicial para produzir 300 toneladas por dia e espera-se que atenda à crescente demanda por hidrogênio verde nos mercados da Ásia-Pacífico, como Japão e Coreia do Sul, além do mercado interno australiano.  (H2 View – 17.05.2023) 
Link Externo

Brasil: CGN Brasil quer construir planta de hidrogênio verde na Bahia

A CGN Brasil formalizou o interesse em investir recursos para construção de uma planta de hidrogênio verde na Bahia, como parte de sua estratégia de seguir aumentando sua produção de energia renovável na região. Segundo dados do Senai Cimatec, o estado tem potencial para produzir mais de 60 milhões de toneladas do insumo por ano. A assinatura que irá chancelar o aceite da proposta da empresa pelo governo baiano deve acontecer no dia 30 de maio, durante evento que celebra a inauguração do Complexo Eólico de Tanque Novo, quarta planta da empresa na região e a primeira a ser entregue ao estado após a pandemia. Em parceria com uma empresa baiana de desenvolvimento de projetos renováveis, a CGN já mapeou a possibilidade de gerar até 14 GW para produção do vetor energético. (Canal Energia - 15.05.2023) 
Link Externo

Espanha: CEPSA e GETEC chegam a um acordo para fornecer hidrogênio verde a clientes industriais na Europa

A Cepsa e a GETEC, uma das principais provedoras de serviços energéticos da Europa e especialista em contratos para a indústria e o setor imobiliário, alcançaram um acordo de cooperação pelo qual, em 2026, a empresa de energia espanhola fornecerá hidrogênio verde e seus derivados à GETEC. A Cepsa planeja iniciar as primeiras exportações de hidrogênio verde da Espanha em 2026. O fornecimento de hidrogênio verde chegará ao Porto de Roterdã, onde está sendo desenvolvida infraestrutura de hidrogênio para esse fim, e será entregue a pontos de suprimento final prontos para uso na forma necessária pelos clientes da GETEC. A Cepsa está desenvolvendo 2 GW de hidrogênio verde em seus dois Parques Energéticos na Andaluzia, sul da Espanha, como parte de sua estratégia Positive Motion 2030 para se tornar líder em mobilidade sustentável e na produção de hidrogênio renovável e biocombustíveis avançados, além de ser uma referência na transição energética. As duas plantas de hidrogênio, com um investimento de 3 bilhões de euros, farão parte do Andalusian Green Hydrogen Valley, para o qual a Cepsa recentemente assinou vários acordos de parceria ao longo da cadeia de valor do hidrogênio. (Cepsa - 10.05.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: Usina de hidrogênio de 500 MW está em construção

A cidade de Clarksville se associou à Syntex Industries, de Little Rock, para projetar e construir a primeira usina de hidrogênio de Arkansas, com o objetivo de gerar mais de 500 MW de eletricidade livre de emissões até 2026. A iniciativa de Clarksville está alinhada com um aumento nacional de interesse em usinas movidas a hidrogênio e no uso do hidrogênio como uma fonte de energia alternativa para apoiar o crescimento industrial. O Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) prevê que esses esforços possam gerar US$ 140 bilhões em receita e criar 700 mil empregos até 2030. A usina de energia está programada para começar a gerar eletricidade em 2025 e estar totalmente operacional até 2026. A inauguração está prevista para ocorrer ainda este ano, abrindo caminho para a fase de construção. (Energy News - 16.05.2023) 
Link Externo

Espanha: Nova projeto de produção de hidrogênio verde

A empresa holandesa Power2X e a empresa espanhola Soto Solar uniram forças para desenvolver um projeto de energia solar e hidrogênio verde no centro da Espanha. O projeto, chamado ErasmoPower2X, consistirá em uma usina fotovoltaica de 1,2 GW e uma planta integrada para produzir 55 mil toneladas de hidrogênio verde. O projeto tem um investimento estimado de mais de 1 bilhão de euros e espera-se que esteja operacional até o final de 2027. O projeto foi anunciado durante o evento World Hydrogen 2023 realizado em Roterdã, onde a parceria foi formada. O ErasmoPower2X conectará uma usina solar fotovoltaica em grande escala a um eletrolisador que terá uma capacidade de pelo menos 500 MW. Essa instalação tem como objetivo ajudar a atingir as metas regionais e nacionais de penetração de energia renovável e descarbonização industrial. (Energy News - 12.05.2023) 
Link Externo

Índia/Alemanha: Parceria entre os países em projetos de hidrogênio de longo prazo

As empresas de hidrogênio da Índia estão ativamente envolvidas em projetos no Omã e no Egito. Enquanto isso, a estratégia de hidrogênio da Alemanha se concentra em licitações e leilões com vários esquemas, e o país vê a América do Sul, Austrália, Canadá, Namíbia e Mauritânia como parceiros ideais de hidrogênio. A demanda por hidrogênio renovável na Índia atingirá 2,85 milhões de toneladas/ano até 2030 se o ímpeto para o hidrogênio verde continuar e os projetos planejados forem implementados, segundo um relatório dos EUA. A Índia precisará de uma capacidade adicional de 62 GW de energia renovável, 29 GW de capacidade de eletrólise e infraestrutura de 11 milhões de toneladas/ano de amônia para atender a essas projeções de demanda, o que exigirá um investimento de US$ 56,7 bilhões. Delhi aprovou um desembolso inicial de 197,44 bilhões de rúpias (US$ 2,4 bilhões) em sua missão nacional de hidrogênio verde, que tem como objetivo produzir 5 milhões de toneladas/ano de hidrogênio verde, mais do que suficiente para atender à demanda. (Argus Média - 11.05.2023) 
Link Externo

Polônia/Estônia: Rockfin e Stargate Hydrogen Solutions concluem com sucesso seu primeiro projeto conjunto de hidrogênio

Durante o Fórum H2Poland em Poznań, a ROCKFIN, da Polônia, e a OÜ STARGATE Hydrogen Solutions, da Estônia, anunciaram a conclusão bem-sucedida de seu primeiro projeto conjunto de hidrogênio e assinaram um acordo estrutural dedicado a futuros projetos de sistemas de produção de hidrogênio. O projeto piloto envolveu a integração de uma célula de 10 kW da série Stellar da Stargate Hydrogen no inovador sistema "mini-Green Box" da Rockfin. A mini-Green Box é um sistema compacto e eficiente de energia a hidrogênio que pode ser usado em diversas aplicações, incluindo energia off-grid e energia de backup para infraestruturas críticas. (Stargate Hydrogen - 16.05.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Alemanha: Teste de campo confirma viabilidade de 20% de hidrogênio na rede de gás alemã

A TÜV Rheinland, a Rheinische Netzgesellschaft e a GVG Rhein-Erft forneceram gás misturado com 20% de hidrogênio para 100 residências em Erftstadt, na Alemanha. Eles descobriram que não houve interrupções nos sistemas, dispositivos ou na própria rede. Ao final do período de aquecimento, os parceiros fizeram um balanço intermediário e constataram que todos os dispositivos de consumo de gás conectados estavam funcionando sem falhas. Antes desse experimento, a legislação alemã permitia uma mistura de hidrogênio de até 10%. De acordo com a TÜV Rheinland, proprietários de residências e empresas puderam utilizar seus dispositivos normalmente durante o período de aquecimento. Eles não precisaram ser convertidos para a composição alterada da mistura de gás, o que também não teve impacto nas operações regulares da rede de gás. A TÜV Rheinland planeja expandir seus testes para explorar as possibilidades técnicas de uma mistura de hidrogênio de até 30% em redes de gás adequadas. (PV Magazine - 17.05.2023) 
Link Externo

Bélgica: Sweco selecionada como parceira em projeto de gasoduto no país

A Sweco foi selecionada como parceira de engenharia para um projeto de construção de um gasoduto de hidrogênio de 70 km na Bélgica. O gasoduto está previsto para ser construído como parte dos esforços de expansão da infraestrutura de hidrogênio no país. A Sweco será responsável pelo planejamento, projeto e engenharia do gasoduto, incluindo estudos de viabilidade, análises técnicas e ambientais, e supervisão da construção.O governo belga comprometeu-se a apoiar o desenvolvimento de pelo menos 150 km de gasodutos de transporte de hidrogênio e CO2 na Bélgica e está fornecendo apoio financeiro por meio de vários fundos, como o Fundo de Transição Energética, para o projeto. A atribuição da Sweco começou em outubro de 2022 e terminará em janeiro de 2024. As primeiras conexões de rede de hidrogênio e/ou CO2 estão planejadas para serem comissionadas em 2026. (Sweco Group - 15.05.2023) 
Link Externo

Brasil/Holanda: Acordo entre os países para o transporte de hidrogênio verde para a Europa

O Brasil e a Holanda assinaram um acordo para o transporte de hidrogênio verde para a Europa. O acordo visa impulsionar a produção e exportação de hidrogênio verde do Brasil para a Europa, contribuindo para a transição global para uma economia de baixo carbono. O hidrogênio verde será produzido a partir de fontes renováveis, como energia solar e eólica, e transportado em forma líquida por navios-tanque para os países europeus. O Brasil é um dos maiores produtores mundiais de hidrogênio verde devido ao seu vasto potencial de energias renováveis. A parceria com a Holanda permitirá que o Brasil aproveite o conhecimento e a experiência holandeses em infraestrutura e logística para o transporte eficiente do hidrogênio. O acordo é considerado um marco importante na cooperação entre os dois países e no desenvolvimento de uma cadeia de valor global para o hidrogênio verde. (Energy News - 12.05.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Fisher German ganha contrato para projeto do East Coast Hydrogen Pipeline

A Fisher German, uma consultoria líder em infraestrutura, ganhou um contrato para fornecer consultoria inicial para o East Coast Hydrogen Pipeline (ECHP), um importante projeto de cluster de hidrogênio que ajudará o Reino Unido a alcançar suas metas de zero emissão líquida. O projeto é liderado pela East Coast Hydrogen (ECH2) e tem como objetivo conectar 10 GW de produção de hidrogênio a partir dos centros industriais de Humber e Teesside à rede de gás. A equipe multidisciplinar irá conectar as plantas de hidrogênio aos usuários finais e outras redes estratégicas na região leste. (Energy News - 12.05.2023) 
Link Externo

Uso Final

Reino Unido: First Hydrogen relata desempenho excepcional de seu LCV movido a hidrogênio

A First Hydrogen Corp. confirma que seus veículos comerciais leves (LCV) movidos a células a combustível de hidrogênio estão apresentando um desempenho ainda melhor do que o previsto. Na primeira fase de comissionamento, os LCVs da empresa percorreram 6.000 km nas estradas do Reino Unido, incluindo trechos ao redor da rodovia M25 de Londres. Os registros de dados suportam simulações de autonomia do veículo, que superam uma autonomia de 500 km. Os números de consumo de combustível dos LCVs da First Hydrogen em diversos cenários de condução ficam abaixo de 2 kg/100 km e, em condução principalmente urbana, isso é de 1,5 kg/100 km. Os testes iniciais confirmam que o sistema de propulsão a hidrogênio, com potência máxima de 100 kW, permite que o veículo funcione continuamente nas estradas públicas do Reino Unido na velocidade máxima permitida. (Hydrogen Central - 16.05.2023) 
Link Externo

Empresas: Parceria Powertap Hydrogen Fueling Corp./ Luftcar Corporation para o futuro fornecimento de hidrogênio

A Powertap, uma empresa especializada em soluções de abastecimento de hidrogênio, e a Luftcar, empresa que desenvolve tecnologias avançadas para a indústria automotiva, firmaram uma parceria. A parceria tem como objetivo fornecer hidrogênio para uso em veículos movidos a células de combustível desenvolvidos pela Luftcar. O MoU estabelece uma colaboração entre as duas empresas para explorar oportunidades de fornecimento de hidrogênio e desenvolver uma infraestrutura de abastecimento para atender à demanda futura da Luftcar. A Powertap fornecerá tecnologia e conhecimento especializado em sistemas de produção e distribuição de hidrogênio, enquanto a Luftcar utilizará essa infraestrutura para abastecer seus veículos. (GlobeNewsWire - 16.05.2023) 
Link Externo

Bélgica: Air Products constrói nova estação de reabastecimento no país

A empresa anunciou que estabelecerá um posto de abastecimento de hidrogênio para veículos (HRS) no porto de Zeebrugge, na Bélgica. O HRS será projetado para atender à crescente demanda por hidrogênio na região, especialmente para a mobilidade de veículos comerciais e de passageiros movidos a células a combustível. O posto de abastecimento será construído com tecnologia avançada e estará equipado com compressores e armazenamento de hidrogênio, permitindo o abastecimento rápido e eficiente de veículos movidos a hidrogênio. O projeto faz parte dos esforços contínuos da Air Products para expandir a infraestrutura de abastecimento de hidrogênio em toda a Europa. O novo HRS da Air Products será um elemento essencial para impulsionar o uso de veículos movidos a hidrogênio na Bélgica e promover uma transição mais sustentável no setor de transporte. (H2 Tech - 16.05.2023) 
Link Externo

Empresas: Parceria KITZ/JPN H2ydro para uma estação de hidrogênio para embarcações movidas a hidrogênio

A KITZ fornecerá um conjunto completo de equipamentos para uma instalação de abastecimento em uma estação de hidrogênio. A estação é destinada ao abastecimento de rebocadores equipados com motores de combustão de duplo combustível de hidrogênio, que estão em fase de pesquisa e desenvolvimento pela JPN H2YDRO CO., LTD. A estação de hidrogênio será construída no Hydrogen Engine R&D Center e será usada para abastecer rebocadores e outras embarcações equipadas com motores de hidrogênio. Mangueiras serão conectadas da estação em terra para uma ilha flutuante onde as embarcações podem atracar e serem abastecidas. A KITZ fornecerá seus conjuntos patenteados, que integram válvulas e outros equipamentos-chave para estações de hidrogênio, combinando suas tecnologias de controle de fluidos e hidrogênio de alta pressão. Com isso, a KITZ continuará contribuindo para a realização de uma sociedade neutra em carbono. (Kitz - 09.05.2023) 
Link Externo

França: HRS anuncia construção de estação de abastecimento de hidrogênio em Lorient

HRS, uma empresa europeia especializada no projeto e fabricação de estações de abastecimento de hidrogênio, anuncia os avanços da estação de abastecimento de hidrogênio em Lorient, encomendada em dezembro de 2022. Há vários anos, a Lorient Agglomération, a terceira maior aglomeração urbana da Grã Bretanha, vem adotando uma política audaciosa de transição energética para enfrentar os desafios globais de limitar as mudanças climáticas. Com o apoio da ADEME, da autoridade regional da Bretanha e da Morbihan Energies, foi lançado um projeto para implementar um ecossistema de produção e distribuição de energia verde na região. Para isso, a HyGO confiou à HRS o fornecimento e instalação de uma estação de abastecimento de hidrogênio verde que deverá entrar em operação no outono de 2023. Esta estação abastecerá veículos em carga rápida e os 19 ônibus movidos a hidrogênio, em carga lenta simultaneamente, algo inédito para uma estação de grande capacidade na França. A estação de abastecimento de hidrogênio de Lorient será a segunda no departamento de Morbihan, após a estação instalada pela HRS no local da Michelin em Vannes em 2022. (Hydrogen Central - 15.05.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Austrália: Hysata recebe novos fundos para tecnologia de eletrolisador de hidrogênio verde de “alta eficiência”

Gerhard Swiegers, um pesquisador de hidrogênio verde da Universidade de Wollongong, recebeu o prêmio Industry Laureate Fellowship do Australian Research Council por seu trabalho em eletrolisadores de alta eficiência. A sua pesquisa recebeu uma doação de US $3,7 milhões para continuar desenvolvendo sua tecnologia de célula de eletrólise alimentada por capilaridade (CFE), que fornece hidrogênio verde com 95% de eficiência. Swiegers acredita que sua tecnologia pode ajudar a Austrália a conquistar uma grande fatia do mercado global de hidrogênio verde, que se estima valer US $2,5 trilhões até 2050. A tecnologia CFE foi desenvolvida em parceria com a Hysata e tem o apoio de empresas como Bluescope e Vestas. A tecnologia utiliza 20% menos energia do que as tecnologias existentes e é baseada em um método semelhante ao capilar, que evita a formação de bolhas e aumenta a eficiência da eletrólise. (Renew Economy – 15.05.2023) 
Link Externo

Reino Unido: NUniversidade de Nottingham estudará veículos movidos a hidrogênio e armazenamento

A Universidade de Nottingham está conduzindo uma pesquisa para moldar o design de veículos refrigerados movidos a hidrogênio, como parte de um projeto de £1 milhão para desenvolver tecnologia de armazenamento de energia de uso duplo. A pesquisa envolve a colaboração com operadores da indústria de transporte de alimentos do Reino Unido para identificar os desafios e barreiras ao uso de hidrogênio. Os cientistas sociais entrevistaram empresas do setor e identificaram desafios técnicos, como quilometragem e tempo de reabastecimento, capacidade de armazenamento e infraestrutura de abastecimento. Além disso, foram identificados desafios estruturais, como a falta de colaboração entre as empresas e a falta de uma estratégia nacional para avançar no uso de hidrogênio. O objetivo final é desenvolver um protótipo de armazenamento de hidrogênio eficiente e econômico que possa ser usado na cadeia de frio de alimentos, reduzindo as emissões de CO2 e a dependência de energia importada.(H2 View – 17.05.2023) 
Link Externo

EUA: Universidade do Kansas e Laboratório Nacional de Brookhaven revelam avanço na produção de hidrogênio limpo

A Universidade do Kansas e o Laboratório Nacional de Brookhaven deram um passo significativo para produzir hidrogênio puro sem o uso de combustíveis fósseis. Os químicos das duas instituições realizaram experimentos, que revelaram os mecanismos de reação para um grupo importante de catalisadores de "separação de água". Essa descoberta aproxima os cientistas da produção de hidrogênio puro a partir de fontes renováveis de energia. O trabalho de pesquisa foi liderado pelo professor associado de química, James Blakemore, da Universidade do Kansas, em colaboração com o químico Dmitry Polyansky, do Brookhaven. Os resultados do estudo foram publicados na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences. A pesquisa concentrou-se em um catalisador baseado no complexo pentametilciclopentadienil ródio, conhecido como Cp*Rh. Os cientistas utilizaram técnicas especializadas, como a radiólise de pulso, para obter uma compreensão completa do ciclo catalítico. A descoberta não só pode levar à produção de hidrogênio limpo, mas também pode ter aplicações mais amplas na indústria química. O estudo foi financiado pela National Science Foundation e pelo Departamento de Energia dos EUA. Além disso, os alunos da Universidade do Kansas desempenharam um papel importante na pesquisa, contribuindo para o avanço científico. (WIBW – 16.05.2023) 
Link Externo

Japão: Kawasaki, Suzuki, Honda e Yamaha desenvolverão motores movidos a hidrogênio

As montadoras japonesas Kawasaki Motors, Suzuki Motor Corporation, Honda Motor Co. e Yamaha Motor Co. formaram uma parceria chamada HySE (Hydrogen Station & Engineering Co., Ltd.) para conduzir pesquisas e desenvolvimento na área de mobilidade movida a hidrogênio. O objetivo é explorar o uso de hidrogênio em motocicletas, miniveículos, embarcações marítimas, equipamentos de construção e drones. O uso de hidrogênio apresenta desafios técnicos, como a alta velocidade de chama e a combustão instável. A HySE pretende abordar essas questões por meio do desenvolvimento de motores movidos a hidrogênio e estabelecendo um padrão de design. As empresas realizarão pesquisas sobre motores movidos a hidrogênio, sistemas de reabastecimento de hidrogênio e sistemas de abastecimento de combustível. A Kawasaki Heavy Industries e a Toyota Motor Corporation também estão envolvidas na parceria como membros especiais, contribuindo com conhecimentos e experiências adicionais. A colaboração visa fornecer opções de mobilidade sustentável e contribuir para uma sociedade descarbonizada.  (H2 View – 17.05.2023)   
Link Externo

Reino Unido: NCC anuncia marco importante no programa de hidrogênio criogênico composto

O National Composites Center (NCC) anunciou um programa de teste de tanque de armazenamento criogênico composto no JEC World 2023. O objetivo é validar e acelerar os recursos de design, fabricação e teste de tanques de fibra de carbono sem revestimento para armazenar hidrogênio líquido (LH2). Esses tanques são essenciais para aeronaves movidas a hidrogênio que entrarão em serviço em meados da década de 2030. A tecnologia de tanques compostos é mais leve do que os tanques metálicos tradicionais e é capaz de suportar múltiplos ciclos de enchimento e esvaziamento ao longo de várias décadas. O NCC está desenvolvendo conhecimentos e ferramentas de conceito e design criogênico para apoiar o desenvolvimento do hidrogênio no Reino Unido. Eles também estabeleceram parceria com a Filton Systems Engineering (FSE) para criar uma capacidade de teste de tanques de hidrogênio líquido. O NCC já fabricou cinco tanques demonstradores de fibra de carbono sem revestimento e iniciou os testes de LH2 em abril de 2023. O objetivo é impulsionar a especialização em armazenamento criogênico composto e promover a competitividade comercial futura do Reino Unido nessa área. (NCCUK – 14.05.2023) 
Link Externo

A Gasunie conecta oferta e demanda internacional de hidrogênio com o Match & Connect

A Gasunie lançou uma nova plataforma chamada Match & Connect para conectar a oferta e a demanda internacional de hidrogênio. Essa plataforma tem como objetivo facilitar a negociação e o comércio de hidrogênio verde, permitindo que os produtores e consumidores se conectem de forma eficiente. O Match & Connect visa impulsionar o mercado de hidrogênio e promover a transição energética sustentável. A iniciativa contribui para a criação de uma cadeia de valor integrada e eficiente para o hidrogênio verde. (Gasunie - 10.05.2023) 
Link Externo

Eventos

Concept of an efficient Hydrogen leak detection system

Este evento, organizado pela MSA - The Safety Company, abordará os desafios e soluções relacionados à segurança no manuseio do hidrogênio. Trabalhar com hidrogênio exige precauções especiais devido à sua alta inflamabilidade e ponto de ignição baixo, além de sua chama ser invisível. Neste webinar, você aprenderá sobre os riscos associados ao hidrogênio e as diferentes tecnologias de detecção de gases que podem ser incorporadas ao seu programa de segurança. O evento será importante para obter insights valiosos sobre como garantir a detecção precoce de vazamentos de hidrogênio e promover um ambiente de trabalho seguro. O webinar será realizado online no dia 1º de junho de 2023. Para participar, acesse este link. (MSA - Maio de 2023) 
Link Externo

How useful are hydrogen hubs to develop the hydrogen economy?

A RENMAD - Energy Events organizou um evento online para o dia 01 de Junho de 2023. Neste webinar, serão analisadas as oportunidades que os hubs de hidrogênio oferecem para empresas, produtores, usuários e até mesmo populações locais. Serão discutidos tópicos como a aceleração do crescimento através da simplificação dos processos de licenciamento e da redução dos custos de projeto e desenvolvimento, a atração de investidores e financiadores para os projetos dos hubs, a importância da colaboração com as populações locais em considerações sociais e ambientais, e as estratégias de diferentes hubs de hidrogênio para se tornarem centros regionais de crescimento industrial. Para se inscrever, clique aqui. (RENMAD - Junho de 2023) 
Link Externo

Green Hydrogen for Refineries

No dia 31 de maio, a Mission Hydrogen realizará um webinar para apresentar informações sobre o uso de hidrogênio verde nas refinarias e sobre o projeto na refinaria da Shell na Alemanha, que tem o maior eletrolisador instalado para esta finalidade. (Mission Hydrogen - maio de 2023) 
Link Externo

Artigos e Estudos

Artigo GESEL: Cooperação internacional e financiamento para projetos de infraestrutura de hidrogênio

O artigo discute a emergência do hidrogênio (H2) renovável como uma opção energética promissora e estratégica diante do contexto de transição do paradigma energético. Na Europa, o desenvolvimento do mercado e das aplicações do hidrogênio verde (H2V) são alvo de diferentes iniciativas. O Plano REPowerEU estabeleceu a meta de até 2030 atingir a produção doméstica de 10 milhões de toneladas e a importação de mais 10 milhões de toneladas. No entanto, o desenvolvimento da economia do H2V impacta as diversas etapas de sua cadeia de valor: produção, transporte, armazenamento e distribuição, sendo que as etapas de infraestrutura de transporte e de distribuição requerem volumosos investimentos e estabelecimento de parcerias e cooperações internacionais. O texto apresenta as metas de expansão ou reaproveitamento da infraestrutura de dutos para o transporte e a distribuição de H2 em alguns mercados da União Europeia. 
Link Externo

As patentes de hidrogênio mudam para tecnologias limpas, com a Europa e o Japão na liderança

O Escritório Europeu de Patentes (EPO) publicou um relatório sobre pedidos de patentes relacionados ao hidrogênio, destacando tendências-chave no setor de transporte. O relatório revela que, enquanto a inovação em células a combustível aumentou, a inovação em motores de combustão interna a hidrogênio (ICE) permaneceu estável, indicando um interesse contínuo em ambas as tecnologias. Os motores ICE a hidrogênio, especialmente na forma de turbinas a gás, são considerados atraentes para aplicações como caminhões, oferecendo vantagens em termos de cadeias de suprimentos existentes. Na aviação, a combustão de hidrogênio em turbinas a gás também é vista como importante ao lado das células a combustível, especialmente para aeronaves de longo alcance. A BMW está investindo em tecnologia de armazenamento de hidrogênio líquido, apesar dos desafios técnicos. Empresas automotivas japonesas e coreanas estão investindo em patentes para tecnologias relacionadas à eletrólise, indicando seu interesse na produção de combustível. A tecnologia de hidrogênio em aplicações ferroviárias tem sido limitada, provavelmente devido à facilidade de fornecer eletricidade para trens por meio de rotas fixas. A China possui atividade limitada de patentes em transporte relacionado ao hidrogênio, com foco em veículos elétricos. Os investimentos de capital de risco em startups relacionadas ao hidrogênio, especialmente na aviação, aumentaram significativamente em 2021. Viagens de longa distância são vistas como uma aplicação potencial para o hidrogênio no transporte, com startups de aeronaves movidas a hidrogênio atraindo investimentos significativos. O número de famílias de patentes internacionais registradas é usado como medida de atividade inventiva e inovação no relatório do EPO. Para acessar o relatório na íntegra, clique aqui (EPO – 10.05.2023) 
Link Externo

Relatório de Mercado: Mapeamento de demanda – Quem quer o hidrogênio?

Com a crescente preocupação em relação à mudança climática e o compromisso das nações com a agenda Net Zero, a demanda por combustíveis alternativos, como hidrogênio verde e amônia verde, está aumentando. No entanto, a falta de produção significativa desses combustíveis e a falta de prontidão tecnológica e infraestrutura estão impedindo o crescimento do setor de transporte e de outros setores relacionados. Mapear a demanda futura é essencial para estabelecer a infraestrutura necessária, atrair investimentos e promover a colaboração entre governos, setor privado e consumidores. O artigo explora os benefícios do mapeamento de demanda, os obstáculos envolvidos e apresenta um estudo de caso no setor de aviação.  (H2 View – 17.05.2023)
Link Externo