IFE
17/10/2022

IFE Energia Nuclear nº 14

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Lucca Zamboni
Pesquisadores: Cristina Rosa, Isadora Correa e João Pedro Gomes
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
17/10/2022

IFE nº 14

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Lucca Zamboni
Pesquisadores: Cristina Rosa, Isadora Correa e João Pedro Gomes
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Energia Nuclear nº 14

Políticas Públicas e Regulatórias

Brasil: Prorrogação de MP para exploração de minérios nucleares

No dia 6 de outubro, foi publicado no Diário Oficial um ato de Rodrigo Pacheco, presidente do Congresso Nacional, que prorroga por 60 dias uma medida provisória que altera regras para indústrias e materiais nucleares. A MP 1.133/2022 autoriza a participação do setor privado na exploração de minérios nucleares e está em fase de análise pelos deputados da Câmara, de onde seguirá para o Senado em caso de aprovação. Antes da MP, essa exploração era uma atribuição exclusiva das Indústrias Nucleares do Brasil S.A. (INB), empresa pública fundada em 1988 e vinculada ao Ministério das Minas e Energia. A MP altera a Lei 6.189 de 1974, que trata do monopólio da União sobre essas atividades. De acordo com o texto, a INB fica autorizado a "firmar contratos com pessoas jurídicas", remunerando-as por quaisquer "formas estabelecidas em contrato", entre elas em dinheiro, em percentual do valor arrecadado na comercialização do produto da lavra, em direito de comercialização do minério ou direito de compra do produto da lavra. (Agência Senado - 07.10.2022) 
Link Externo

Brasil: Proposta de transformação da Nuclep em sociedade de economia mista

O Projeto de Lei 2395/22, que prevê a possibilidade de transformação da Nuclebrás Equipamentos Pesados S/A (Nuclep) de atual empresa pública em sociedade de economia mista, está em análise na Câmara dos Deputados. A Nuclep atua no desenvolvimento, na fabricação e na comercialização de equipamentos para o setor nuclear, incluindo as usinas de Angra dos Reis (RJ) e o projeto da Marinha para a construção de um submarino nuclear brasileiro. Tanto as empresas públicas como as sociedades de economia mista são criadas e extintas por lei e estão sujeitas ao controle estatal. O autor da proposta, deputado Guiga Peixoto, argumenta que “A transformação da Nuclep em sociedade de economia mista viabilizará o aporte de recursos privados na companhia e o financiamento de novos investimentos, com a expansão de atividades e projetos estratégicos que contribuirão para o desenvolvimento produtivo e tecnológico nacional”. (ABDAN - 07.10.2022) 
Link Externo

Armênia e AIEA: País receberá apoio para desenvolver energia nuclear

A Armênia pode contar com o apoio da AIEA para garantir que sua energia nuclear de baixo carbono seja segura e protegida, disse o diretor-geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, durante sua visita ao país. Nos dias 4 e 5 de outubro em Yerevan, Grossi se reuniu com o presidente do país, o primeiro-ministro, o ministro das Relações Exteriores e outros líderes, incluindo os ministros da Saúde e Infraestrutura. Em reunião com o presidente Vahagn Khachaturyan, Grossi disse que a AIEA está pronta para ajudar o país a realizar seus futuros planos de energia nuclear. Os dois discutiram a importância de fortalecer o setor nuclear da Armênia em vista dos planos do país de estender a vida útil de sua Usina Nuclear de Metsamor (NPP) e suas considerações na construção de um novo reator convencional ou um pequeno reator modular (SMR). Hoje, um quarto da eletricidade da Armênia é gerada no reator Armenian-2 na central nuclear de Metsamor. (IAEA -06.10.2022)  
Link Externo

Austrália: Projeto de lei pretende remover proibições de energia nuclear

Os nove senadores da coalizão introduziram um Projeto de Lei defendendo o uso da energia nuclear. A ideia é garantir segurança energética e explorar o potencial da energia nuclear na redução das emissões de GEE no país. O impulso para o projeto teria vindo no contexto político de necessidade de exploração de todas as opções de energia para o futuro. A proibição da energia nuclear na Austrália ocorreu em 1998, quando o antigo governo Howard precisou trocá-la para obter apoio parlamentar para a construção de um novo reator nuclear para fins médicos em Lucas Heights. O Senador dos Nacionais, Matt Canavan, disse que o interesse do governo por energia nuclear aumentou desde a aquisição de submarinos movidos a energia nuclear. Canavan ainda argumenta que, uma vez que o país dificultou a obtenção de energia a gás e carvão, não é viável restringir todas as opções de energia confiável, de modo que a retomada da discussão sobre energia nuclear se torna necessária. (ABDAN - 05.10.2022) 
Link Externo

Canadá: Ontário ampliará operações da planta de Pickering

O Governo de Ontário, Canadá, anunciou seu apoio à operação contínua da planta Pickering da Ontario Power Generation (OPG) além da data de fechamento previamente planejada. Para isso, é preciso reavaliar a viabilidade de reformar quatro das seis unidades do local, permitindo que elas funcionem por mais 30 anos. As unidades 1 e 4 no local - conhecidas como Pickering A - estavam programadas para fechar em 2024, com as unidades 5-8 - Pickering B - encerrando a produção de eletricidade em 2025. A pedido do governo, a OPG revisou agora seu plano operacional e concluiu que a instalação poderia continuar a gerar eletricidade com segurança. Sob o novo plano, as unidades Pickering B operarão até setembro de 2026. De acordo com Todd Smith, ministro da Energia de Ontário, uma reforma da Estação Geradora Nuclear Pickeringmanter fornecerá eletricidade limpa, de baixo custo e confiável para apoiar o crescimento econômico e os empregos. (WNN - 30.09.2022)
Link Externo

Emirados Árabes Unidos: Novo reator nuclear começa a fornecer energia elétrica

A unidade 3 de Barakah está agora fornecendo sua primeira eletricidade à rede elétrica dos Emirados Árabes Unidos. A unidade APR-1400, projetada pela Coréia do Sul, atingiu a criticidade inicial em setembro e agora passará pelo processo de aumento gradual dos níveis de energia, conhecido como teste de ascensão de energia. Enquanto isso, há um contínuo monitoramento até que a produção máxima de eletricidade seja atingida. Segundo a Emirates Nuclear Energy Corporation (ENEC), proprietária da usina, o reator está perto da operação comercial nos próximos meses. Em suma, a conexão de Barakah 3 à rede, quase exatamente um ano desde a unidade 2, demonstra o progresso confiável e eficiente feito na planta. (ABDAN - 11.10.2022) 
Link Externo

EUA e Canadá: Reguladores reforçam colaboração para o desenvolvimento de SMRs

O acordo de afretamento sobre tecnologias de reatores avançados e pequenos reatores modulares (SMR) estabelece formalmente a relação de colaboração entre a Comissão Canadense de Segurança Nuclear (CNSC) e a Comissão Reguladora Nuclear dos Estados Unidos (NRC), e o trabalho geral a ser feito por ambas em relação à o projeto do reator BWRX-300. Isso porque a colaboração internacional e as iniciativas para harmonizar o processo regulatório são vistas como vitais para a implantação segura e bem-sucedida de novos projetos de reatores, como SMRs. Além disso, este acordo regulatório ocorre depois que a Tennessee Valley Authority (TVA) e a Ontario Power Generation (OPG) anunciaram no início deste ano planos de trabalhar juntos para desenvolver e implantar SMRs no Canadá e nos EUA. Em suma, a nova carta entre o CNSC e o USNRC visa aprimorar seu trabalho cooperativo sob o MoU de 2019, trabalhando em questões regulatórias e de segurança na revisão de licenciamento do projeto BWRX-300. (WNN - 07.10.2022) 
Link Externo

EUA: Estado da Virgínia pretende criar centro de energia nuclear

O governador da Virgínia, Glenn Youngkin, anunciou que planeja construir no estado o principal centro de energia nuclear do mundo. Na atualização do Plano de Energia 2022, Youngkin criticou a meta de tornar o estado livre de carbono até 2050, argumentando que a legislação atual coloca a Virgínia em desvantagem competitiva com outros estados. Com o objetivo de evitar que uma transição obrigatória aumente o custo da energia para os consumidores, o governo do estado em seu novo relatório elabora propostas para reduzir custos e retardar mudanças para fontes renováveis. A abordagem proposta por essa atualização seria, então, a de confiar no gás natural conforme fontes renováveis seguem em amadurecimento e construir um grande centro de energia nuclear no estado. (ABDAN - 04.10.2022) 
Link Externo

França: Aumento na capacidade de enriquecimento de urânio

A Comissão Nacional Francesa para o Debate Público (CNDP) anunciou que está lançando uma consulta sobre a usina de enriquecimento de urânio Georges Besse II para considerar o aumento da capacidade da usina de 7,5 para 11 milhões de SWU por ano. Ao anunciar a sua decisão de reabrir o debate , o CNDP disse ter recebido uma carta do CEO da Orano, Philippe Knoche, pedindo que decidisse os termos da participação pública de acompanhamento. O CNDP observou que mais de cinco anos se passaram desde a data de encerramento do debate público anterior. Além disso, também citou uma consulta pública sobre energia anunciada pelo governo francês e o desejo de aumentar as capacidades de enriquecimento de urânio devido às sanções ligadas à invasão da Ucrânia pela Rússia que podem levar à escassez de combustíveis nucleares, como mudanças desde o debate anterior. (WNN - 10.10.2022) 
Link Externo

França e Reino Unido: Manifestação de apoio a construção da usina nuclear Sizewell C

A primeira-ministra do Reino Unido, Liz Truss, e o presidente da França, Emmanuel Macron, manifestaram seu apoio à construção da usina nuclear Sizewell C em Suffolk, Inglaterra, cuja decisão final é esperada nas próximas semanas. Após uma reunião à margem da primeira Cúpula da Comunidade Política Européia em Praga, os dois líderes emitiram uma declaração conjunta dizendo que discutiram o avanço da cooperação bilateral, em particular em energia. Segundo ambos os líderes, a transição energética e a dissociação dos hidrocarbonetos russos são desafios comuns, por isso, tanto as energias renováveis ​​quanto as nucleares fazem parte de estratégias consistentes para alcançar a transição energética e a autonomia estratégica. (WNN - 07.10.2022) 
Link Externo

Gana: País deve optar por SMRs para geração de energia elétrica

O senhor deputado David Turk, secretário-adjunto do Departamento de Energia dos Estados Unidos, está instando Gana a optar por Pequenos Reatores Modulares (SMRs) – reatores nucleares avançados, que têm uma capacidade de energia de até 300 Megawatts por unidade – que ofereçam mais benefícios para o programa nuclear. Ele explicou que as SMRs eram gerações mais novas de reatores oferecendo muitos benefícios, incluindo tamanho, custo e período de construção e produziu uma grande quantidade de eletricidade de baixo carbono. Em um simpósio sobre energia nuclear e clima, Turk disse que considerar a opção sobre as SMRs Gana poderia aproveitar esse potencial e estabelecer um centro para a fabricação dessa tecnologia para o resto do continente. (Energy Central - 10.10.2022) 
Link Externo

Reino Unido: Acordo para o desenvolvimento de novos reatores modulares

A Autoridade de Descomissionamento Nuclear (NDA) do Reino Unido anunciou a assinatura de um Memorando de Entendimento (MoU) com a Cwmni Egino para apoiar o desenvolvimento de um novo projeto nuclear de pequena escala no Norte do País de Gales. O MoU permite que o NDA compartilhe informações e conhecimentos sobre as características de suas terras em Trawsfynydd, para alinhar os planos de descomissionamento e as atividades do local com o novo projeto nuclear, e apoiar a Cwmni Egino com o engajamento das partes interessadas e o desenvolvimento de planos socioeconômicos. Isso ocorreu após o anúncio no início deste ano do Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (DNEEI) de que o NDA trabalharia ao lado de partes interessadas, incluindo Cwmni Egino, para permitir o engajamento em potenciais desenvolvimentos nucleares futuros no Reino Unido. (UK GOV - 11.10.2022) 
Link Externo

Reino Unido: Regulador aprova mudança para armazenamento seco em HPC

A Agência do Meio Ambiente do Reino Unido concordou em alterar a licença ambiental para a usina nuclear Hinkley Point C (HPC) em construção em Somerset, Inglaterra, permitindo que o combustível nuclear usado da usina seja armazenado em uma instalação de armazenamento seco em vez de uma instalação úmida, como originalmente planejado. A NNB GenCo (HPC) Ltd recebeu originalmente uma licença ambiental de substâncias radioativas para o recebimento e descarte de resíduos radioativos em Hinkley Point C em março de 2013. No projeto original, o combustível nuclear usado deveria ser armazenado no local em armazenamento úmido - um método de submersão e armazenamento em água. No entanto, a empresa decidiu que a tecnologia de armazenamento a seco seria usada no HPC, que verá o combustível nuclear usado armazenado em recipientes selados dentro de uma instalação antes de ser enviado à Unidade de Deposição Geológica (GDF). (WNN - 07.10.2022)
Link Externo

Polônia: PEJ solicita análises de segurança para desenvolvimento potencial de centrais nucleares

A PEJ, Polskie Elektrownie Jadrowe - desenvolvedor de usinas nucleares da Polônia e veículo de propósito específico 100% de propriedade do Tesouro do Estado, solicitou ao Presidente da Agência Nacional de Energia Atômica (Panstwowa Agencja Atomistyki, PAA) uma opinião geral sobre a verificação planejada das análises de segurança para usinas nucleares em potencial. A Polônia tem planos para uma nova capacidade de energia nuclear nos próximos anos de até 9 GWe, com a primeira unidade em operação em 2033 e mais uma unidade a cada dois anos. Nesse caso, as primeiras unidades serão construídas em Lubiatowo e Zarnowiec na Pomerânia, norte da Polônia. Para obter uma licença para a construção de uma nova usina nuclear, o requerente deve apresentar uma análise que confirme a segurança do projeto - e também garantir uma verificação independente da análise. (WNN - 03.10.2022) 
Link Externo

Internacional

AIEA: Novo presidente do Conselho de Governadores

O Conselho de Governadores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) elegeu por aclamação o Embaixador tcheco Ivo Sramek para a presidência. Seu mandato durará até 2023 e começa hoje, em sucessão a Ham Sang Wook da República da Coreia, embaixador prévio do conselho. Desde setembro de 2018, o Embaixador Sramek atua como Representante Permanente da República Tcheca nas Nações Unidas, Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e outras organizações internacionais em Viena. Antes de seu cargo atual, o Embaixador Sramek atuou como Vice-Ministro de Relações Exteriores para Segurança e Questões Multilaterais (2016-2018). O Conselho de Governadores da AIEA é um dos dois órgãos políticos da agência, juntamente com a Conferência Geral anual dos membros da AIEA. O Conselho faz recomendações à Conferência Geral sobre as atividades e orçamento, sendo responsável pela publicação das normas da AIEA e nomeação do Diretor Geral da agência, sujeito à aprovação da Conferência Geral. (IAEA - 03.10.2022) 
Link Externo

AIEA: Animais são responsáveis por ativar minas terrestres em Zaporizhzhia

Segundo Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), três explosões de minas terrestres perto da usina nuclear de Zaporizhzhia, na Ucrânia, parecem ter sido provocadas por animais. Embora não tenha havido grandes danos, ele destaca os riscos contínuos enfrentados pela fábrica e seus trabalhadores. A AIEA disse que no início da manhã de 28 de setembro uma mina terrestre explodiu cerca de 50 metros fora da cerca do perímetro da usina, que atualmente é controlada pelas forças russas. Isso ocorreu após duas explosões na manhã anterior perto de um canal, que transporta água de um reservatório para usina, para seu sistema de resfriamento. A AIEA observou que algumas janelas foram quebradas na sala de turbinas da unidade 2. Estes incidentes não causaram danos significativos, mas destacaram potenciais riscos de segurança nuclear na instalação. (WNN - 29.09.2022) 
Link Externo

AIEA: Fonte de alimentação de Zaporizhzhia é restaurada

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) disse que engenheiros ucranianos restauraram a energia externa da usina nuclear de Zaporizhzhia, um dia depois de perder a conexão com a última linha de energia em operação, forçando o uso de geradores a diesel de emergência. Por sua vez, o diretor-geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, chamou isso de "alívio temporário em uma situação ainda insustentável" e disse que uma zona de proteção de segurança e proteção era urgentemente necessária na usina e ao redor dela. Nesse caso, o bombardeio causou a perda de conexão com a última linha de energia restante de 750 quilovolts no início da manhã de sábado, com todos os 16 geradores a diesel disponíveis iniciando automaticamente para fornecer energia aos seis reatores, antes que 10 fossem desligados, deixando seis para fornecer a energia necessária para os reatores. Embora todos os reatores estejam atualmente desligados, a energia ainda é necessária para o resfriamento do reator e outras funções essenciais de segurança e proteção. (WNN - 10.10.2022) 
Link Externo

AIEA: Diretor-geral saúda a libertação do diretor de Zaporizhzhia

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Rafael Mariano Grossi, saudou a libertação pelas forças russas de Ihor Murashov, diretor-geral da usina nuclear de Zaporizhzhia, na Ucrânia. Ele havia alertado anteriormente que sua detenção era prejudicial à segurança e proteção nuclear e disse que esperava retornar para sua família com segurança e rapidez para retomar suas importantes funções na usina. A usina nuclear de Zaporizhzhia é a maior da Europa, com seis reatores, e está sob o controle das forças militares russas desde o início de março, embora continue a ser operada pela equipe ucraniana da Energoatom. Nesse caso, Murashov foi detido às 16h00 locais de sexta-feira, de acordo com o presidente da Energoatom, Petro Kotin, e levado para um local desconhecido. (WNN - 03.10.2022)  
Link Externo

AIEA: Diretor-geral e presidente da Ucrânia se reúnem em Kiev

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica, Rafael Grossi, reuniu-se com o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky em Kyiv no dia 6 de outubro. Foi discutida a situação na Usina de Zaporizhzhya (ZNPP) à luz dos recentes desenvolvimentos sobre a propriedade da instalação e suas consequências. Eles também conversaram sobre a proposta do Diretor-Geral para o estabelecimento de uma zona de segurança e proteção nuclear ao redor da usina e concordaram em se encontrar novamente após sua viagem iminente à Federação Russa. As dificuldades para o pessoal do ZNPP se intensificaram nesta semana, com funcionários enfrentando demandas para assinar um novo contrato de trabalho com a estatal russa Rosatom para manter seus empregos, enquanto a operadora nacional ucraniana Energoatom está pedindo que não o façam e sigam suas instruções. (IAEA - 06.10.2022) 
Link Externo

AIEA: Diretor-geral considera a usina nuclear de Zaporizhzhia como ucraniana

O diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, diz que a usina nuclear de Zaporizhzhia é, de acordo com o direito internacional, ucraniana e sua propriedade é da Energoatom. Esta declaração ocorre após o presidente russo, Vladimir Putin, emitir um decreto no qual a usina nuclear de Zaporizhzhia foi transferida para o controle russo e para a supervisão do regulador nuclear russo, como parte das anexações de partes da Ucrânia ao território dea Rússia. No entanto, a Ucrânia rejeitou o decreto como nulo e sem efeito, rejeitou as anexações, e a operadora da usina nuclear Engeroatom diz que continua a possuir e administrar a usina, que foi ocupada pelos militares russos desde o início de março, mas que continuou a ser operado por sua equipe ucraniana. (WNN - 07.10.2022) 
Link Externo

Alemanha: Ministério de Estado relata vazamento em usina nuclear

 De acordo com o Ministério da Energia de Schleswig-Holstein, no dia 28 de setembro ocorreu um vazamento durante as medidas de descarga em uma linha de descarga na usina nuclear em Brunsbuettel, no norte da Alemanha. A linha defeituosa faz parte do sistema de tratamento de concentrado e está localizada na área restrita do prédio do reator da usina nuclear, afirmou um comunicado, acrescentando que foi detectada uma pequena contaminação radioativa. Nesse caso, a autoridade de segurança do reator encarregou especialistas de realizar novas revisões de supervisão sobre o assunto. (Reuters - 05.10.2022) 
Link Externo

Eurasia Group Foundation: Nos EUA, maioria da população apoia negociações nucleares com Irã

Segundo uma pesquisa realizada pela não-partidária Eurasia Group Foundation no mês passado, mais de três quartos dos norte-americanos acham que os Estados Unidos deveriam buscar negociações para impedir que o Irã obtenha ou desenvolva uma arma nuclear. Esta pesquisa perguntou a 2.002 adultos americanos entre 2 e 8 de setembro sobre a política externa dos EUA e o papel global dos Estados Unidos. A partir disso, constatou-se que 78,8% dos entrevistados, um aumento em relação ao ano passado, acham que Washington deveria continuar a buscar negociações para impedir que o Irã obtenha uma arma nuclear em um futuro próximo. (Reuters - 05.10.2022) 
Link Externo

Finlândia: Reator EPR atinge capacidade total pela primeira vez

Após este acontecimento, a unidade da usina é agora a unidade de usina nuclear mais poderosa da Europa e a terceira mais poderosa do mundo. Além disso, cerca de 40% da eletricidade da Finlândia é atualmente produzida pela usina de Olkiluoto, com as unidades 1 e 2 de Olkiluoto produzindo aproximadamente 21% da demanda total atual de eletricidade e Olkiluoto 3 (OL3) produzindo cerca de 19%. Apesar disso, a TVO observou que testes significativos e produção irregular de eletricidade ocorrerão durante o comissionamento contínuo da unidade. (WNN - 30.09.2022) 
Link Externo

França: Ondas de calor prejudicaram reatores e afetarão funcionamento no inverno

Analistas de energia manifestam preocupações acerca da capacidade da França de manter suprimento de energia suficiente no próximo inverno. O país, que possui 70% de sua matriz composta por energia nuclear, está enfrentando problemas com parcela significativa de seus reatores. Mais da metade dos reatores da EDF, estatal responsável pela frota, foram fechados por problemas de corrosão, manutenção e problemas técnicos nos últimos meses, em parte devido a ondas de calor extremas e atrasos nos reparos devido à pandemia de Covid. As interrupções resultaram na queda da produção de energia francesa para uma baixa de quase 30 anos, no momento em que a União Europeia enfrenta sua pior crise de energia em décadas. (CNBN - 05.10.2022) 
Link Externo

Ucrânia: Diretor-geral da Zaporizhzhia não voltará a trabalhar após sua libertação

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmou que entende que Ihor Murashov, que havia sido diretor-geral da usina nuclear de Zaporizhzhia, na Ucrânia, não retomará o cargo após sua libertação da detenção russa. Segundo Petro Kotin, presidente da Energoatom, a administração da usina foi transferida para Kyiv após a detenção e que agora ele assumiu o papel de diretor geral interino. Enquanto Murashov estava detido, Rafael Mariano Grossi havia advertido que a detenção de qualquer membro da equipe da usina seria uma fonte de grande preocupação em si mesma, mas também por seu impacto psicológico e pressão sobre o restante da equipe, o que é prejudicial para a usina nuclear. (WNN - 05.10.2022) 
Link Externo

Rússia: Incorporação da maior central nuclear da Europa

O presidente da Rússia, Vladmir Putin, assinou a incorporação de 15% do território Ucraniano, depois do parlamento do país aprovar o resultado do referendo popular organizado nas regiões Donetsk e Luhansk, Zaporizhzhia e Kherson. Isso significa que a maior central nuclear da Europa de Zaporizhzhia, que tem seis reatores, e a maior fornecedora de energia elétrica para os ucranianos, também foi incorporada pela Rússia. De acordo com a câmara baixa do parlamento, Putin assinou quatro leis constitucionais sobre a entrada das Repúblicas Populares de Donetsk e Luhansk, regiões de Zaporizhzhia e Kherson na Federação Russa. Nesse caso, a assinatura do líder russo foi a etapa final do processo legislativo. (Petronotícias - 05.10.2022) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

CBPF: Sistema de monitoramento IoT em Angra 2

O Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) instalou recentemente um sistema de monitoramento IoT na Usina Nuclear Angra 2, onde dois experimentos de neutrinos estão em operação: Neutrinos Angra e CONNIE (sigla, em inglês para Experimento de Interação Coerente Neutrino-Núcleo). O sistema IoT permite o monitoramento online do ambiente interno do laboratório, coletando dados em tempo real, além de criar um histórico do comportamento climático do ambiente. O neutrino é uma partícula subatômica sem carga elétrica e que interage com outras partículas apenas por meio da gravidade e da força nuclear fraca. É conhecido por suas características extremas: é extremamente leve, existe com enorme abundância e interage com a matéria de forma extremamente débil. O Experimento Neutrinos Angra foi desenvolvido com o propósito de criar um detector de antineutrinos com capacidade de monitorar parâmetros relacionados à atividade de reatores nucleares; já o segundo experimento – CONNIE – formado por uma colaboração internacional, utiliza sensores científicos de imagem tipo CCD (Charge Coupled Devices) para detectar o antineutrino em Silício. (Gov BR - 07.10.2022) 
Link Externo

Birmingham University: Apoio a geradores de energia nuclear de última geração

A Universidade de Birmingham lançou uma nova instalação que visa apoiar a próxima geração de geradores de energia nuclear no Reino Unido. O High Flux Accelerator Driven Neutron Facility, considerado o primeiro de seu tipo no Reino Unido e financiado pelo Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS, na sigla em inglês), permitirá que os cientistas estudem as propriedades dos materiais usados ​​na produção de energia nuclear. Além disso, fornecerá oportunidades de pesquisa e treinamento, desde a compreensão de como os nêutrons interagem com a matéria até o melhor entendimento das reações de fusão nuclear que ocorrem nas estrelas. Nesse caso, o maquinário, fornecido pela Neutron Therapeutics, é capaz de produzir fluxos de nêutrons suficientemente potentes para simular os danos sofridos por componentes altamente irradiados, como revestimentos ou materiais estruturais – conhecimento vital no desenvolvimento de usinas nucleares. (Energy Live - 04.10.2022) 
Link Externo

Canadá: CNL busca participação de universidades em desenvolvimento de pesquisa nuclear

Os Laboratórios Nucleares Canadenses (CNL) lançaram uma chamada de propostas para a quarta rodada de sua Iniciativa de Pesquisa Nuclear Canadense (CNRI). O objetivo desta chamada é conquistar iniciativas de pesquisa colaborativa em pequenos reatores modulares (SMRs) e reatores avançados. Para isso, o CNL agora expandiu o programa para convidar inscrições de projetos de universidades canadenses. Lançado em 2019, o programa CNRI foi estabelecido pela CNL para acelerar a implantação de SMRs no Canadá, permitindo pesquisa e desenvolvimento e conectando a indústria de SMR às instalações e conhecimentos dos laboratórios nucleares nacionais do Canadá. Entre os muitos benefícios do programa, os participantes otimizam recursos, compartilham conhecimento técnico e obtêm acesso à experiência da CNL para ajudar a avançar na comercialização de tecnologias SMR. (WNN - 05.10.2022) 
Link Externo

China: Projeto de reator nuclear para alimentar estações espaciais

O Ministério da Ciência e Tecnologia da China realizou uma avaliação geral de desempenho de um reator nuclear destinado ao espaço sideral. O ministério estima que o reator pode gerar 1 MW, quantidade suficiente de energia para abastecer 10 Estações Espaciais Internacionais. O projeto, inaugurado e financiado em 2019, teve seu primeiro protótipo construído pela equipe de engenharia em 2021. A China tem investido em mais propostas espaciais nucleares: já foram anunciados planos de uma missão orbital em Netuno utilizando propulsão elétrica alimentada por um reator nuclear. Os motores nucleares possuem potencial de substituição dos combustíveis químicos, fornecendo altos níveis de energia, redução no tempo de vôo e potencial de alimentação de postos avançados tripulados. (ABDAN - 03.10.2022)
Link Externo

EUA: Construção de SMR em base aérea no Alasca

O Departamento da Força Aérea dos EUA (DAF, na sigla em inglês), em parceria com a Agência de Logística de Energia de Defesa, anunciou uma solicitação de proposta para o Programa Piloto de Microrreator da Base Aérea de Eielson, no Alasca. O Programa Piloto de Microrreator foi iniciado em resposta à exigência da Lei de Autorização de Defesa Nacional do Ano Fiscal de 2019 para construir e operar um microrreator até o final de 2027. O microrreator será licenciado pela Comissão Reguladora Nuclear dos EUA, mas possuído e operado pela Força Aérea dos EUA. O objetivo do projeto é avançar com a implementação de energia confiável e limpa nas instalações do exército americano, garantindo a sustentação das missões frente às mudanças climáticas e ameaças de defesa nacional. 
Link Externo

Japão: Reator de Pesquisa terá mudança em combustível utilizado

O último reator de pesquisa movido a urânio de alto enriquecimento (HEU) do Japão passará a ser movido por combustível de urânio de baixo enriquecimento (LEU) sob um novo acordo entre a Administração Nacional de Segurança Nuclear do Departamento de Energia dos EUA (NNSA) e o Ministério da Educação, Cultura do Japão , Esporte, Ciência e Tecnologia (MEXT). O Reator de Ensino e Pesquisa da Universidade de Kindai (UTR-KINKI) tem sido o único reator de pesquisa no Japão que ainda usa combustível HEU após a remoção de todo o HEU da Assembléia Crítica da Universidade de Kyoto (KUCA), que foi concluída por meio de uma colaboração semelhante. Após a conversão do reator para combustível LEU, o HEU do UTR-KINKI, como o do KUCA, será transportado com segurança para os EUA para downblending para LEU e/ou disposição. (WNN - 29.09.2022) 
Link Externo

NDA e NDC: Pesquisa colaborativa voltada a tópicos de descomissionamento nuclear

Uma pesquisa colaborativa de três anos, considerada a primeira do tipo entre os setores de desativação nuclear e de petróleo e gás , foi anunciada. A Nuclear Decommissioning Authority (NDA) e o National Decommissioning Center (NDC) assinaram um acordo para a parceria estratégica, apoiando pesquisas com um valor potencial de até £ 900.000. Segundo o acordo, a NDA trabalhará com pesquisadores da Universidade de Aberdeen em áreas de interesse mútuo para os setores nuclear e de petróleo e gás, com áreas de pesquisa que incluem a descarbonização de atividades de descomissionamento, impactos econômicos, benchmarking de custos e operações remotas em ambientes perigosos. Além disso, haverá links para um projeto apoiado pelo Energy Transition Fund do governo escocês, no qual o NDC está trabalhando com o setor de energia offshore para reduzir as emissões das operações de descomissionamento, introduzindo processos alternativos, novas tecnologias e avaliando oportunidades para uma colaboração mais ampla. (Energy Live - 27.09.2022)
Link Externo

MoltexFLEX: Lançamento de reator de sal fundido com operação flexível

A Moltex Energy Limited, subsidiária MoltexFLEX, lançou seu reator de sal fundido FLEX que, por meio de operação flexível e uso de tecnologia de armazenamento térmico, pode suportar energia renovável intermitente através de rápida resposta às mudanças na demanda. Esta tecnologia nuclear avançada tem a flexibilidade de usinas a gás, mas gera eletricidade a um custo menor e sem emissões de carbono. Nesse caso, como o reator não possui partes móveis, a MoltexFLEX disse que o reator FLEX é simples, tanto em projeto quanto em operação. Além disso, o reator pode responder a mudanças na demanda de energia - entrando automaticamente em um estado ocioso ou retornando rapidamente à potência total - tornando-o um complemento ideal para energia eólica e solar. (WNN - 29.09.2022) 
Link Externo

Reino Unido: Parceria visa o desenvolvimento de energia de fusão

A Autoridade de Energia Atômica do Reino Unido (UKAEA) e a Tokamak Energy assinaram um acordo-quadro de cinco anos para uma colaboração mais estreita no desenvolvimento de tokamaks esféricos como uma rota para a energia de fusão comercial. O acordo inclui o desenvolvimento conjunto de tecnologia, utilização compartilhada de equipamentos e destacamento de pessoal e se concentrará no desenvolvimento e teste de materiais, geração de energia, ciclo de combustível, diagnóstico e manuseio remoto. Tanto a UKAEA, que realiza pesquisas de energia de fusão em nome do governo do Reino Unido, quanto a Tokamak Energy possuem dispositivos tokamak esféricos. Neste caso, o ST40 da Tokamak Energy atingiu uma temperatura de plasma de 100 milhões de graus Celsius, o limite necessário para energia de fusão comercial, e em breve revelará seu próximo dispositivo, descrito como o primeiro tokamak esférico de alto campo do mundo. (WNN - 10.10.2022) 
Link Externo

Reino Unido: Protótipo de usina nuclear de fusão

Em dezembro de 2020, o governo do Reino Unido pediu às comunidades locais em todo o país que apresentassem propostas para sediar a planta do Spherical Tokamak for Energy Production (STEP). As comunidades tinham até o final de março de 2021 para apresentar suas candidaturas e eram obrigadas a demonstrar que sua área local tinha a combinação certa de condições sociais, comerciais e técnicas para sediar a nova usina. Nesse caso, um total de 15 locais potenciais foram posteriormente listados, sendo o local da usina de West Burton em Nottinghamshire, Inglaterra, selecionado para sediar o protótipo da usina de energia de fusão do Reino Unido. Por sua vez, esta planta de demonstração deve começar a operar em 2040. (WNN - 04.10.2022) 
Link Externo

RoPower: Repotenciamento de usina de carvão com SMR

A RoPower Nuclear, empresa que desenvolverá o primeiro projeto de pequeno reator modular (SMR, da sigla em inglês) da Romênia com o incentivo do governo romeno, planeja a repotenciação da usina de carvão Doicești, que fica em um vale no sopé dos Alpes da Transilvânia, cerca de 90 quilômetros a noroeste de Bucareste. Como uma usina nuclear VOYGR-6, Doicești contará com seis módulos de energia fornecidos pela empresa norte-americana NuScale para uma capacidade de geração de 462 MWe. Além disso, poderiam ser adicionados mais 77 MWe de geração renovável, levando a capacidade da usina repotenciada para além do que já foi produzido anteriormente com combustíveis fósseis. (WNN - 28.09.2022) 
Link Externo

Empresas

Eletronuclear: Presidente discutirá energia nuclear em conferência nos EUA

Leonam Guimarães, presidente da Eletronuclear, será o representante brasileiro na Conferência Ministerial Internacional sobre Energia Nuclear no Século 21, que ocorrerá entre 26 e 28 de outubro nos Estados Unidos. O executivo participará de um painel para discutir a criação das condições para implantação mais ampla da energia nuclear. A discussão será em torno do estabelecimento de um ambiente propício para o uso seguro, protegido e sustentável da energia nuclear, bem como o papel do governo na criação de programas de energia nuclear e estruturas legais e a importância do envolvimento efetivo das partes interessadas no desenvolvimento e expansão desses programas. A conferência é organizada pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), em parceria com a Agência Internacional de Energia e em cooperação com a Agência de Energia Nuclear da OCDE. O objetivo do evento é proporcionar um fórum para ministros, formuladores de políticas, altos funcionários e especialistas dialogarem sobre o papel da energia nuclear na transição energética no desenvolvimento sustentável. (ABDAN - 10.10.2022) 
Link Externo

EMBPar e Rosatom: A energia nuclear como fonte de energia verde

A Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional S.A (ENBPar) e a Empresa Russa Corporação Estatal de Energia Nuclear (Rosatom) assinaram um Memorando de Entendimentos (MOU), buscando fomentar a energia nuclear como fonte de energia “verde”, segura e indutora de crescimento socioeconômico. O memorando foi estabelecido na 66ª Conferência Geral da Agência Internacional de Energia Nuclear (IAEA), em Viena, e visa permitir a troca de experiência e conhecimento em atividades de energia nuclear. Entre as pautas estabelecidas está presente a conscientização da sociedade acerca dos benefícios do uso pacífico de energia nuclear e o desenvolvimento de combustíveis a partir de urânio. Haverá, também, mais diálogo entre os dois países sobre construção, operação e descomissionamento de usinas nucleares de última geração e de alta e pequena capacidades. (ABDAN - 04.10.2022)
Link Externo

Vistra: Extensão de licença para operação de central nuclear nos EUA

A Vistra, empresa de varejo integrada de eletricidade e geração de energia, anunciou que buscará estender a vida útil da usina nuclear Comanche Peak da Luminant até 2053, mais 20 anos além de suas licenças originais. A solicitação de renovação se aplica às Unidades 1 e 2 até 2050 e 2053, respectivamente. A Vistra apresentou seu pedido de renovação de licença à Comissão Reguladora Nuclear dos Estados Unidos (NRC). A usina, localizada no condado de Somerville, Texas, tem capacidade total de 2400 MW e seus reatores foram construídos em 1974, com início de operação em 1990. A Vistra espera obter 7300 MW de geração livre de carbono até 2026 no Texas, Califórnia e Illinois. A companhia já atingiu 72% da sua meta de descarbonização até 2030. (Power Engineering - 05.10.2022) 
Link Externo

Westinghouse: Desenvolvimento de reator nuclear refrigerado a chumbo

A Westinghouse Electric Company assinou um acordo com a companhia de serviços nucleares Ansaldo Nucleare para o desenvolvimento de uma usina nuclear. A usina usará tecnologia de próxima geração baseada em reatores de refrigeração a chumbo (LFR). O acordo permitirá a adoção de design comum e combinação de experiência das duas companhias em design, teste e licenciamento. As duas empresas já trabalham juntas há quatro décadas desenvolvendo tecnologia avançada de Light Water Reactor. Rita Baranwal, diretora de tecnologia da Westinghouse, afirmou que o trabalho já realizado em conjunto pelas companhias servirá de trampolim para acelerar o desenvolvimento da tecnologia LFR. A usina que será desenvolvida, diz Rita, será economicamente competitiva, versátil e sustentável, atendendo às necessidades de diversas comunidades e mercados em evolução. Esses mercados incluem aquecimento urbano, geração de hidrogênio e dessalinização de água”. (ABDAN - 05.10.2022) 
Link Externo

Artigos

Eletronuclear/Leonam Guimarães: Harmonia entre agentes é chave para o sucesso da construção de usina nuclear

O presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães, escreveu um artigo analisando os principais termos da indústria nucleoelétrica para descrever os agentes envolvidos na implementação de uma usina nuclear. Os aspectos analisados no texto são os que descrevem os potenciais modelos de negócios para usinas e destaca-se neles o chamado “triângulo da construção”: a tríade de organizações composta pelo “Proprietário” da usina nuclear, por seu “Arquiteto projetista” e pelo seu “Construtor”. O proprietário é a empresa de serviços públicos que compra a usina e fornece seu local de construção, fornecendo os pagamentos necessários para que seja construída, operada e conectada ao sistema elétrico. Determinam, também, a necessidade de ampliar a capacidade de geração. Já a figura do arquiteto representa as empresas responsáveis pelo projeto total da usina, produzindo milhares de páginas de documentações técnicas. A construção, por último, diz respeito à empresa que constrói e supervisiona a usina já em implantação. Para ler o artigo na íntegra, clique aqui: https://petronoticias.com.br/sucesso-da-construcao-de-uma-usina-nuclear-depende-de-harmonia-entre-todos-agentes-envolvidos/. (ABDAN - 04.10.2022)
Link Externo

CPFL Energia/Gustavo Estrella: “Dificilmente o mundo escapará de usar mais energia nuclear”

Gustavo Estrella, CEO da CPFL Energia, diz em entrevista na série UOL Líderes que o mundo dificilmente vai escapar da expansão da geração de energia nuclear. Segundo ele, enxerga-se os conflitos na Europa pela questão do gás, fazendo que o continente europeu precise investir em energia nuclear, mas é importante colocar isso de uma forma muito pragmática e objetiva. Além disso, o executivo defende também o aumento das fontes de energia limpa e renovável, como a solar e a eólica. Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui: https://abdan.org.br/2022/10/11/dificilmente-o-mundo-escapara-de-usar-mais-energia-nuclear/ (ABDAN - 11.10.2022) 
Link Externo

Brookfield: Novo amanhecer para energia nuclear

O impulso mundial para o zero líquido está destacando a energia nuclear como uma fonte limpa, segura e madura de geração de eletricidade, diz Brookfield em seu artigo, A New Dawn for Nuclear Power. A energia nuclear também está ganhando mais apoio de formuladores de políticas e investidores por sua capacidade de promover a segurança energética e a independência energética. Estas tendências estão impulsionando um esforço global para prolongar a vida útil e aumentar a capacidade das usinas existentes, bem como construir novos reatores com projetos e tecnologias de última geração, observa. Para ter acesso ao artigo na íntrega, clique aqui: https://www.brookfield.com/insights/new-dawn-nuclear-power. (WNN - 04.10.2022) 
Link Externo

Eventos

USP: Mestrado profissional em energia nuclear

A Marinha do Brasil e a Universidade do Estado de São Paulo (USP) aprovaram a proposta para criação de um curso de mestrado profissional em engenharia nuclear. O objetivo do curso é consolidar a capacidade tecnológica do setor nuclear brasileiro e complementar formações já existentes. Além disso, o curso visa formar profissionais que possam atuar no Programa Nuclear da Marinha. O Mestrado em Engenharia Nuclear contará com a colaboração de docentes do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN/USP), da Universidade de Campinas (UniCamp) e da Universidade Federal do ABC (UFABC). (ABDAN - 05.10.2022) 
Link Externo