IFE
30/05/2023

IFE Energia Nuclear 28

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Cristina Rosa e Isadora Correa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
30/05/2023

IFE nº 28

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Cristina Rosa e Isadora Correa
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Energia Nuclear 28

Políticas Públicas e Planos de Governo

Brasil: CNDI lista pequenas centrais nucleares e fusão nuclear como prioridades

O comitê executivo do Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), colegiado vinculado à Presidência da República, reuniu-se nesta semana para debater e elaborar uma nova política industrial para o Brasil. Durante o encontro, o comitê definiu um conjunto de sete macro desafios a serem enfrentados pela política industrial a ser elaborada, e que têm como objetivo final melhorar a vida dos cidadãos. Um dos temas diz respeito à descarbonização da Indústria, viabilização da transição energética e bioeconomia. Isso inclui avançar no domínio e produção de tecnologias críticas a de energia solar, eólica e em pequenas centrais nucleares. Outro tema de interesse será o avanço na pesquisa e desenvolvimento da fusão nuclear. (Petronotícias - 23.05.2023) 
Link Externo

Brasil: Embargos à usina de Angra dos Reis impedem criação de empregos

Representantes do setor nuclear têm manifestado preocupação com o embargo da prefeitura de Angra dos Reis às obras de Angra 3. O presidente da Eletronuclear, Eduardo Grand Court, enfatizou a importância da indústria nuclear para o Rio de Janeiro, uma vez que impulsiona toda a cadeia produtiva do setor e ressaltou que o setor nuclear atualmente gera mais de 100.000 postos de trabalho. Além disso, enfatizou que a construção da Usina Nuclear Angra 3 será responsável por gerar milhares de empregos. Os motivos do embargo foram uma mudança de projeto urbanístico e o atraso no repasse financeiro pela cessão do terreno. O embargo foi autorizado porque, segundo a prefeitura, a Eletronuclear estaria executando um projeto que está em desacordo com o que o município aprovou. O superintendente de Energias Limpas da Secretaria de Energia e Economia do Mar no Governo do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Coelho (foto à direita), em nome do Secretário Hugo Leal, disse que atuará como mediador entre a Eletronuclear e a prefeitura em busca de uma solução para a questão. (Petronotícias - 24.05.2023) 
Link Externo

ABDAN e ANVISA: Programa pelo desenvolvimento da medicina nuclear no Brasil

Para ampliar e democratizar o acesso dos brasileiros aos procedimentos de medicina nuclear, a Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN) está preparando o lançamento do programa “Tempo é Saúde”, cujo objetivo é agilizar o acesso da população aos exames diagnósticos e aos tratamentos da medicina nuclear. Nesta semana, a iniciativa ganhou um apoio de peso: a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aderiu ao programa. Além disso, a agência também se comprometeu em realizar reuniões regulares para falar da cadeia produtiva da medicina nuclear e realizar um fórum para discutir questões desse setor. As novidades foram acertadas durante uma reunião entre o presidente da ABDAN, Celso Cunha (foto), e membros da ANVISA, em Brasília (Petronotícias - 17.04.2023). 
Link Externo

Bélgica: Licenças concedidas para instalações de gerenciamento de resíduos nucleares

A Bélgica recebeu permissões para a construção de novas instalações de gerenciamento de resíduos nucleares. As autorizações foram concedidas para a construção de um novo depósito de rejeitos de baixo e médio nível de radioatividade, bem como uma nova unidade de tratamento e armazenamento de resíduos radioativos de alta atividade. Essas instalações são fundamentais para o gerenciamento seguro e adequado dos resíduos nucleares produzidos no país. A obtenção das permissões é um marco significativo para a Bélgica, pois permitirá que eles melhorem ainda mais suas capacidades de tratamento e armazenamento de resíduos nucleares, garantindo a proteção do meio ambiente e da saúde pública. (WNN - 23.05.2023) 
Link Externo

Bielorússia: Segunda maior usina nuclear do país é conectada à rede

A segunda unidade da primeira usina nuclear da Bielorrússia foi conectada à rede elétrica e entregou seus primeiros quilowatts-hora ao sistema elétrico do país. O Ministério da Energia da Bielorrússia disse que a conexão é parte do processo contínuo de inicialização da energia: “A sincronização do turbogerador da segunda unidade de energia da usina nuclear com o sistema de energia foi precedida por uma grande quantidade de trabalho, incluindo levar a usina do reator a um estado crítico, depois a uma potência mínima controlada, com o seu aumento adicional para 40%”. O ministro acrescentou que “todas as operações tecnológicas foram realizadas de acordo com os regulamentos, em conformidade com os requisitos de segurança necessários”. (Petronotícias - 18.05.2023) 
Link Externo

Canadá: Reatores CANDU reformados devem voltar a operar ainda em 2023

Os esforços para reiniciar os reatores Candu, que foram submetidos a um processo de reforma, estão avançando. Dentro desse contexto, o carregamento de combustível foi concluído em Bruce 6, mantendo o projeto no caminho para retomar a operação ainda este ano. Enquanto isso, o regulador nuclear do Canadá deu sinal verde para a Ontario Power Generation (OPG) reiniciar Darlington 3. Essa iniciativa faz parte de um abrangente projeto de reforma, cujo propósito é prolongar a vida útil dos reatores Candu, assegurando sua operação segura e confiável no futuro. A reinicialização dos reatores representa um marco significativo no processo de modernização e contribui para a sustentabilidade contínua da energia nuclear no Canadá. (WNN - 25.05.2023) 
Link Externo

Canadá e EUA: Cooperação na gestão de combustível usado

O Canadá e os Estados Unidos estão fortalecendo sua cooperação na gestão do combustível nuclear usado. Os dois países assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para promover a colaboração e a troca de informações sobre a gestão segura do combustível nuclear usado e resíduos radioativos. O MoU abrange áreas como o desenvolvimento de tecnologias avançadas de reprocessamento, armazenamento e disposição final de resíduos nucleares. Essa cooperação bilateral busca melhorar as práticas e os métodos de gerenciamento de combustível nuclear usado, fortalecendo a segurança e a proteção do meio ambiente. (WNN - 17.05.2023) 
Link Externo

Cazaquistão: Reator de pesquisa é recomissionado após conversão de combustível

Um reator de pesquisa no Cazaquistão foi recomissionado depois que seu núcleo de combustível foi substituído com sucesso. O reator, localizado no Instituto de Física Nuclear do Cazaquistão, estava desligado desde 2017 para permitir a remoção segura do combustível nuclear envelhecido. Agora, com o reabastecimento completo, o reator está novamente em operação, apoiando pesquisas científicas e aplicações industriais no país. A substituição do combustível garante a segurança contínua das operações do reator. (WNN - 22.05.2023) 
Link Externo

EUA: Panorama da produção de urânio no primeiro trimestre

Segundo um relatório da US Energy Information Administration (EIA), a produção de urânio nos Estados Unidos teve um trimestre tranquilo, com um declínio contínuo no ritmo de extração. Vários fatores contribuíram para essa desaceleração, incluindo preços baixos do urânio, concorrência de produtores estrangeiros e o impacto contínuo da pandemia de COVID-19 na demanda global por energia. Além disso, atrasos nos processos de licenciamento e permissões também influenciaram negativamente a produção doméstica. Embora algumas iniciativas estejam sendo tomadas para apoiar a indústria do urânio nos EUA, como a Lei de Empréstimos para Garantia de Títulos Nucleares, ainda há desafios a serem enfrentados para reverter essa tendência de queda na produção de urânio no país. (WNN - 22.05.2023) 
Link Externo

França: País deve impulsionar indústria nuclear para manter segurança da frota de reatores atual

A França precisa impulsionar sua indústria nuclear com mais trabalhadores qualificados e investimentos para manter sua frota de usinas nucleares segura, disse o chefe do órgão regulador nuclear do país, ASN, nesta quinta-feira. “Os resultados das inspeções realizadas pela ASN em 2022 mostram que as capacidades técnicas da cadeia de suprimentos nuclear continuam sendo um ponto de vigilância”, disse o presidente do órgão, Bernard Doroszczuk. Apostando pesadamente na energia nuclear como uma fonte de eletricidade barata e com baixo teor de carbono, o governo da França está planejando uma nova lei de energia e clima até o outono para lançar as bases para a construção de pelo menos seis reatores adicionais. O projeto de lei também incluirá um novo planejamento energético plurianual. (Reuters - 25.05.2023) 
Link Externo

França e Japão: Cooperação em estudos de reciclagem de combustível MOX

A França e o Japão concordaram em cooperar no processo de reciclagem de combustível MOX. O acordo estabelece uma parceria para a pesquisa e o desenvolvimento conjunto de tecnologias relacionadas ao reprocessamento e à fabricação de combustível MOX. Essa colaboração permitirá o intercâmbio de conhecimentos e expertise entre os dois países, visando melhorar a eficiência e a segurança do ciclo de combustível nuclear. O objetivo é impulsionar a utilização sustentável da energia nuclear, promovendo a redução de resíduos radioativos e a otimização do uso de recursos nucleares. Essa parceria bilateral fortalecerá a cooperação internacional no campo da energia nuclear e contribuirá para avanços significativos na reciclagem de combustível MOX. (WNN - 22.05.2023) 
Link Externo

Hungria: UE aprova alteração do contrato da usina nuclear Paks II

A Hungria anunciou que a emenda ao contrato do projeto Paks II, sua usina nuclear, recebeu aprovação da Comissão Europeia. A emenda contratual visa garantir a conformidade com as regras de concorrência da União Europeia (UE) e estabelece salvaguardas adicionais para proteger os interesses financeiros da Hungria. A aprovação da UE é vista como um passo significativo para a continuidade do projeto Paks II, que visa expandir a capacidade de geração de energia nuclear do país. (WNN - 25.05.2023) 
Link Externo

Itália: Parlamento aprova plano para inclusão de energia nuclear na matriz energética

O parlamento italiano apoiou na terça-feira o plano do governo de incluir a energia nuclear na matriz energética do país como parte de seus esforços de descarbonização depois de abandonar seu programa nuclear há quase quatro décadas. “Vamos agora discutir com os nossos parceiros europeus e avaliar, com a maior atenção, como incluir a energia nuclear no leque energético nacional das próximas décadas com vista a atingir, também com a ajuda da energia nuclear, os objetivos de descarbonização traçados pelo União Europeia”, disse o ministério da energia em comunicado após a aprovação do parlamento. Desde que assumiu o cargo no final do ano passado, a primeira-ministra italiana Giorgia Meloni apoiou abertamente a reativação das usinas nucleares do país há muito fechadas. Todos os reatores foram fechados em 1990 após um referendo em 1987. (Montel News - 09.05.2023) 
Link Externo

Quirguistão: Início da remediação de local de mineração de urânio

O processo de remediação de um antigo local de mineração de urânio no Quirguistão está prestes a começar. O projeto, apoiado pela Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e pelo Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento (BERD), tem como objetivo tratar os resíduos radioativos e reduzir os riscos ambientais e de saúde associados à área contaminada. As etapas iniciais do projeto envolverão a identificação e a seleção de tecnologias adequadas para o tratamento dos resíduos, bem como a avaliação dos impactos ambientais. A remediação desse local de mineração de urânio é uma importante iniciativa para garantir a segurança e proteção da população e do meio ambiente no Quirguistão. (WNN - 19.05.2023) 
Link Externo

Dinâmica Internacional

AIEA: Diretor-geral destaca China como parceira indispensável

Conforme a AIEA apoia os esforços para acelerar a contribuição da energia atômica para a paz, saúde e prosperidade em todo o mundo, a China se destaca como um parceiro indispensável, disse Rafael Grossi, Diretor-geral da AIEA, no início de uma visita de uma semana à China. Grossi está se reunindo com vários funcionários de alto escalão e visitando instalações e instituições nucleares em Pequim, Xangai e Shandong, durante sua primeira visita oficial ao país. A China tem mais de 50 unidades de energia nuclear em operação e 24 estão em construção. Até 2035, a geração de energia nuclear da China será responsável por 10% da geração de eletricidade do país, de acordo com o mais recente Relatório de Desenvolvimento de Energia Nuclear do Livro Azul da China. (AIEA - 22.05.2023) 
Link Externo

Aliança pede maior apoio europeu à energia nuclear

A European Atomic Forum (FORATOM) e a Nuclear Association Eastern Europe (NAEE) estão fazendo um apelo por um maior apoio à energia nuclear na Europa. As organizações pedem uma abordagem mais equilibrada nas políticas energéticas da União Europeia (UE), reconhecendo a contribuição da energia nuclear na descarbonização e segurança energética. Elas destacam a importância de políticas estáveis, investimentos adequados em pesquisa e desenvolvimento, bem como a inclusão da energia nuclear nos fundos e programas da UE. O apelo busca fortalecer o papel da energia nuclear como parte integral da transição energética e garantir seu reconhecimento no contexto das metas climáticas e energéticas da UE. (WNN - 17.05.2023) 
Link Externo

África do Sul: Cortes de energia durante o inverno devido a problemas na usina nuclear Koeberg

A África do Sul enfrenta cortes de energia durante o inverno devido a problemas na usina nuclear de Koeberg. A unidade de energia está atualmente operando com capacidade reduzida devido a uma falha técnica em um dos geradores de vapor. Essa situação resulta na necessidade de implementar cortes rotativos de energia para evitar sobrecargas no sistema elétrico. O governo sul-africano está trabalhando para resolver o problema e minimizar o impacto dos cortes de energia durante a temporada de inverno. (WNN - 19.05.2023) 
Link Externo

Eslováquia: Exemplo global para descomissionamento de usinas nucleares

Quando a Eslováquia ingressou na União Européia, o fez sob a condição de fechar e descomissionar seus reatores V1 na usina nuclear de Bohunice. Estes eram reatores soviéticos que não cumpriam mais os padrões de segurança nuclear da época. O governo eslovaco assumiu o compromisso de descomissionar os reatores e, no processo, estabeleceu um exemplo para outros seguirem no descomissionamento de uma usina nuclear com segurança, eficiência e eficácia. “O descomissionamento do Bohunice V1 revelou uma série de insights práticos para os descomissionadores”, disse Olena Mykolaichuk, diretora da Divisão de Ciclo de Combustível Nuclear e Tecnologia de Resíduos da IAEA “Desde determinar maneiras de economizar espaço e dinheiro, reutilizando edifícios para armazenamento, até reciclar um alto grau de aço, metais e concreto para apoiar os princípios da economia circular”. O descomissionamento de Bohunice V1 deve ser concluído em 2027 e custar cerca de €1,23 bilhão. (AIEA - 04.2023) 
Link Externo

França: País manifesta preocupação com teste balístico iraniano

A França acusou nesta quinta-feira o Irã de violar uma resolução do Conselho de Segurança da ONU que endossa o acordo nuclear de 2015 depois de realizar um teste de míssil balístico de longo alcance, que Paris disse ser preocupante devido à "escalada ininterrupta" do ataque nuclear de Teerã programa. O Irã testou com sucesso um míssil balístico com um alcance potencial de 2.000 km na quinta-feira, informou a mídia estatal, o mais recente em testes de mísseis balísticos e lançamentos de satélites. "Essas atividades são ainda mais preocupantes no contexto da escalada contínua do programa nuclear do Irã", disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da França, Anne-Claire Legendre, a repórteres em um briefing diário. (Reuters - 25.05.2023) 
Link Externo

Israel: País pensa em novas ações contra avanços nucleares iranianos

O principal general israelense levantou a perspectiva de "ação" contra o Irã no dia 23, mesmo quando o conselheiro de segurança nacional do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu minimizou qualquer ameaça imediata representada por uma nova instalação nuclear subterrânea sendo escavada por Teerã. Os esforços das potências mundiais para negociar novas restrições ao enriquecimento de urânio iraniano e outros projetos com potencial para a fabricação de bombas foram infrutíferos até agora, alimentando ameaças há muito anunciadas por Israel de recorrer à força se considerar a diplomacia um beco sem saída. "O Irã avançou mais do que nunca com o enriquecimento de urânio... Há desenvolvimentos negativos no horizonte que podem levar a uma ação (militar)", disse o tenente-general Herzi Halevi, chefe das Forças Armadas de Israel, em um discurso. Ele não detalhou quais seriam esses desenvolvimentos, nem que ação poderia ser tomada e por quem. (Reuters - 23.05.2023) 
Link Externo

Japão e AIEA: Força tarefa para liberação de água tratada de Fukushima Daiichi

A Força-Tarefa da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) que conduz uma revisão de segurança do plano do Japão de liberar água tratada no mar na Usina Nuclear de Fukushima Daiichi (NPS) realizará, entre os dias 29 de maio e 2 de junho, sua missão final ao Japão antes da publicação do relatório abrangente da AIEA. O diretor-geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, nomeou a Força-Tarefa da AIEA e especialistas independentes de 11 países diferentes para revisar a segurança do plano do Japão para a água armazenada no Fukushima Daiichi NPS em relação aos padrões internacionais de segurança. Os padrões constituem a referência mundial para proteger o público e o meio ambiente dos efeitos nocivos da radiação ionizante. (AIEA - 26.05.2023) 
Link Externo

Rússia: Transferência de armas nucleares para território bielorusso

O presidente da Bielorrússia, Alexander Lukashenko, aliado de primeira hora do presidente Vladimir Putin, afirmou no dia 25 que Moscou já começou a mover armas nucleares táticas para o território do país vizinho. O anúncio veio horas após as duas nações assinarem um pacto para que os artefatos fossem guardados em uma instalação especial bielorrussa, levando a guerra entre Rússia e Ucrânia a um novo patamar. Essa será a primeira vez que armas nucleares da Rússia serão armazenadas fora de suas fronteiras desde o colapso soviético, em 1991.(O Globo - 25.05.2023) 
Link Externo

Rússia: Novo submarino nuclear será transferido para base no Pacífico

O mais novo submarino de mísseis balísticos movido a energia nuclear da Marinha russa se mudará para uma base permanente na Península de Kamchatka em agosto, informou a agência de notícias russa TASS no dia 24, enquanto Moscou intensifica sua presença militar no Pacífico. O Generalissimo Suvorov , que entrou em serviço no final de 2022, carrega até 16 mísseis russos Bulava com ponta nuclear, cada um dos quais pode carregar mais de uma ogiva nuclear. A Rússia tem aumentado as defesas em suas vastas regiões do extremo leste na fronteira com a Ásia-Pacífico, acusando os EUA de expandir sua presença lá e levantando preocupações de segurança no Japão e em toda a região. (Reuters - 25.05.2023) 
Link Externo

Rússia: Ucranianos presos por planejar ataques a usinas nucleares

A agência de espionagem interna da Rússia disse no dia 25 que deteve dois sabotadores ucranianos planejando explodir as linhas de energia de duas usinas nucleares para fechar os reatores e constranger a Rússia na véspera do feriado do Dia da Vitória deste mês. O Serviço Federal de Segurança (FSB), o principal sucessor da KGB da era soviética, disse que os sabotadores que trabalhavam para a inteligência estrangeira ucraniana colocaram explosivos em um total de 11 pilares das usinas nucleares de Leningrado e Kalinin. "O plano dos serviços especiais ucranianos era provocar o fechamento dos reatores nucleares, interromper a operação das usinas nucleares e causar sérios danos econômicos e à reputação da Federação Russa", disse o FSB em comunicado. (Reuters - 25.05.2023)] 
Link Externo

Rússia critica Japão após comentários sobre ameaça nuclear russa

A Rússia acusou neste sábado o Japão de "especulação cínica e sem escrúpulos" devido a comentários sobre a ameaça nuclear que Moscou representa e prometeu responder à última rodada de sanções impostas pelo Japão devido à invasão russa da Ucrânia. O secretário-chefe do gabinete, Hirokazu Matsuno, condenou o plano da Rússia de implantar armas nucleares táticas na Bielo-Rússia , dizendo que isso inflamaria ainda mais a situação e que o Japão nunca aceitaria "a ameaça nuclear da Rússia, muito menos seu uso". O Ministério das Relações Exteriores da Rússia questionou a escalação de Matsuno da Rússia como envolvida em "chantagem nuclear". (Reuters - 27.05.2023) 
Link Externo

Ucrânia: Forças russas estariam escavando trincheiras próximas a usina de Zaporizhzhia

As forças militares russas têm reforçado as posições defensivas dentro e ao redor da usina nuclear de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, nas últimas semanas, disseram quatro testemunhas, antes de uma esperada contra-ofensiva na região. Novas trincheiras foram cavadas ao redor da cidade e mais minas foram colocadas. As câmeras de vigilância da usina estão apontando para o norte através de um amplo reservatório em direção ao território controlado pela Ucrânia. Os russos têm posições de tiro montadas no topo de alguns dos prédios da usina há vários meses. Redes foram erguidas em um possível impedimento para drones. As medidas descritas por dois ucranianos que trabalham na usina e outros dois moradores da cidade de Enerhodar destacam os riscos que a guerra representa para a segurança das instalações. (Reuters - 19.05.2023) 
Link Externo

Ucrânia: Novas preocupações para Zaporizhzhia

O maior problema de energia nuclear da Ucrânia, a usina de Zaporizhzhia, enfrentou preocupações renovadas depois que uma tempestade derrubou a linha de transmissão externa que fornece energia à instalação. Embora o fornecimento interno de energia tenha sido restabelecido por meio de geradores de emergência, a falta de conexão externa é um lembrete preocupante das vulnerabilidades enfrentadas pelas usinas nucleares. Autoridades estão trabalhando para resolver o problema e garantir a segurança contínua da usina. (WNN - 22.05.2023) 
Link Externo

Ucrânia acusa Rússia de planejar simular acidente em usina de Zaporizhzhia

O Ministério da Defesa da Ucrânia disse nesta sexta-feira que a Rússia planeja simular um grande acidente na Usina de Zaporizhzhia, controlada por forças pró-Moscou, para tentar frustrar uma contra-ofensiva ucraniana há muito planejada para retomar o território ocupado pela Rússia. A diretoria de inteligência do ministério da defesa disse que as forças russas logo bombardeariam a usina e anunciariam um vazamento de radiação. Isso forçaria uma investigação pelas autoridades internacionais, durante a qual todas as hostilidades seriam interrompidas. O comunicado da diretoria, publicado no Telegram, não trouxe nenhuma comprovação. Ele disse que a Rússia interrompeu a rotação planejada de inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica, que estão baseados na usina. (Reuters - 26.05.2023) 
Link Externo

UE: Países formam aliança por mais apoio a energia nuclear

A energia nuclear pode fornecer até 150 GWe de capacidade de geração até 2050 na União Europeia, de acordo com um comunicado emitido por 16 países europeus após uma reunião em Paris com a comissária europeia de energia Kadri Simson. A chamada Aliança Nuclear exortou a Comissão Europeia a reconhecer a energia nuclear na estratégia energética da UE e nas políticas relevantes. A Ministra da Transição Energética da França, Agnès Pannier-Runacher, reuniu seus colelas dos países membros da Aliança Nuclear no Ministério da Transição Energética e um total de 16 países foram representados. As discussões na reunião de Paris foram estruturadas em torno de duas mesas redondas: a primeira sobre como construir uma cadeia de abastecimento nuclear europeia independente; o segundo sobre as necessidades decorrentes do renascimento da indústria nuclear europeia, nomeadamente em termos de competências e inovação. (Petronotícias - 18.05.2023) 
Link Externo

Inovação Tecnológica

China: CNCC lança nova plataforma de testes voltada a extração de urânio da água do mar

A Corporação Nuclear Nacional da China (CNNC) lançou uma plataforma de testes para extrair urânio de água do mar usando a tecnologia de absorção iônica. Essa plataforma visa desenvolver e aprimorar métodos eficientes e economicamente viáveis ​​para a extração de urânio a partir da imensa quantidade de água do mar disponível. O objetivo é diversificar as fontes de suprimento de urânio e reduzir a dependência das minas terrestres. A CNNC planeja realizar testes em larga escala e otimizar os processos de extração, visando o uso futuro dessa tecnologia em escala comercial. (WNN - 18.05.2023) 
Link Externo

EUA: Protótipo de microrreator está sendo preparado para testes

Os Estados Unidos (EUA) estão avançando no desenvolvimento de um protótipo de microrreator como parte de seus esforços para avançar na tecnologia de energia nuclear. O projeto, liderado pelo Escritório de Capacidades Estratégicas do Departamento de Defesa dos EUA e pelo Exército dos EUA, tem como objetivo criar um reator nuclear portátil em pequena escala que possa fornecer energia para locais remotos. O protótipo, conhecido como Sistema de Protótipo de Microrreator (MPS), concluiu a montagem inicial e está se preparando para testes no Laboratório Nacional de Idaho. Se bem-sucedidos, microrreatores como o MPS poderiam oferecer uma solução limpa e eficiente para atender às demandas de energia em áreas com acesso limitado a fontes de energia tradicionais. (WNN - 23.05.2023) 
Link Externo

Indonésia: BATAN está considerando utilizar SMRs para fábrica de fertilizantes

A Indonésia está explorando a possibilidade de usar pequenos reatores modulares (SMRs) para uma planta de fertilizantes proposta. A Agência Nacional de Energia Nuclear da Indonésia (BATAN, na sigla em inglês) está colaborando com a corporação nuclear estatal russa Rosatom para avaliar a viabilidade de integrar SMRs no fornecimento de energia para tal fábrica. Esta iniciativa visa aumentar a sustentabilidade e a eficiência da planta, reduzindo sua dependência de combustíveis fósseis. Se bem-sucedido, o uso de SMRs na fábrica de fertilizantes pode servir como um trampolim para a adoção mais ampla da energia nuclear na Indonésia, apoiando as metas de energia limpa de longo prazo do país. (WNN - 19.05.2023) 
Link Externo

INRA: Reguladores apoiam a colaboração internacional para tecnologia SMR

Membros da Associação Internacional de Reguladores Nucleares (INRA) divulgaram uma declaração conjunta afirmando seu compromisso de trabalhar juntos na avaliação de projetos genéricos e no licenciamento de tecnologias de pequenos reatores modulares (SMR). Na declaração, os membros do INRA reconhecem as potenciais oportunidades de desempenho de segurança que as tecnologias SMR podem oferecer e o importante papel dos reguladores em garantir que essas tecnologias sejam implementadas de forma segura, segura e consistente com requisitos robustos de não proliferação, em países que desejam adotá-los. (WNN - 26.05.2023) 
Link Externo

Japão: Empresas investem em usina nuclear flutuante da Core Power

Empresas japonesas estão investindo no projeto de usina nuclear flutuante da Core Power. A iniciativa visa desenvolver um reator nuclear compacto e transportável que possa ser implantado offshore para fornecer energia limpa e confiável. As empresas japonesas, incluindo Kansai Electric Power, Kyushu Electric Power e Osaka Gas, comprometeram-se a apoiar financeiramente o projeto, que é visto como uma solução potencial para as necessidades de energia do país e a redução das emissões de carbono. Os investimentos refletem um interesse crescente em tecnologias nucleares inovadoras como parte dos esforços de transição energética do Japão. (WNN - 24.05.2023) 
Link Externo

Mitsubishi: Nova impressora 3D produzirá peças de grande porte para reatores nucleares

A Mitsubishi Heavy Industries (MHI) desenvolveu uma impressora 3D capaz de imprimir peças de grande porte para reatores nucleares. Essa tecnologia permitirá a fabricação de componentes complexos de maneira mais eficiente e econômica, reduzindo o tempo e os custos associados à produção tradicional. A impressora 3D da MHI pode imprimir objetos de até 5 metros de comprimento e é capaz de lidar com materiais de alta resistência, como aço inoxidável. Essa inovação tem o potencial de acelerar o desenvolvimento e a construção de reatores nucleares, contribuindo para a expansão da energia nuclear de forma segura e sustentável. (WNN - 23.05.2023) 
Link Externo

Nio: Investimentos em startup de fusão nuclear

A fabricante chinesa de veículos elétricos Nio investiu em uma empresa iniciante que está desenvolvendo tecnologias de fusão, de acordo com uma fonte com conhecimento direto e um documento da empresa, apostando mais em outras áreas do setor de energia. A empresa recém-criada, Neo Fusion, pesquisará e desenvolverá tecnologias que visam trazer a fusão controlada para usos comerciais globalmente em duas décadas, disse a fonte. Com capital registrado de 5 bilhões de yuans (US$ 723,37 milhões), a Neo Fusion é 50% controlada por empresas de energia e investimentos estatais da província de Anhui, no leste da China, de acordo com os detalhes financeiros no registro da empresa vistos pela Reuters. (Reuters - 19.05.2023) 
Link Externo

Nucor Corporation considera o uso de NuScale SMRs em suas usinas

A NuScale Power e a Nucor Corporation, fabricante de aço dos Estados Unidos, firmaram um memorando de entendimento (MoU) com o objetivo de investigar a viabilidade da implementação dos reatores nucleares modulares de pequeno porte (SMRs) VOYGR da NuScale nas usinas de aço Electric Arc Furnace (EAF) da Nucor. Através desse acordo, as empresas irão realizar avaliações relacionadas à adequação dos locais, às capacidades de interconexão de transmissão e aos custos de capital para a instalação potencial das usinas NuScale próximas às siderúrgicas Nucor EAF, visando fornecer eletricidade livre de carbono. Adicionalmente, a NuScale irá estudar a possibilidade de estabelecer uma instalação de fabricação para os Módulos de Energia NuScale nas proximidades de uma instalação da Nucor. (WNN - 16.05.2023) 
Link Externo

Oklo: Empresa planeja duas fábricas de reatores nucleares avançados

A empresa de energia nuclear Oklo anunciou planos para a construção de duas usinas nucleares de pequeno porte em Southern Ohio. As usinas serão baseadas no design de reatores avançados de Oklo e têm como objetivo fornecer energia limpa, segura e confiável para a região. Esses projetos fazem parte dos esforços contínuos para impulsionar a energia nuclear como uma fonte importante na transição para uma matriz energética mais sustentável. (WNN - 18.05.2023) 
Link Externo

Romênia: Primeiro simulador europeu para sala de controle de SMR

O primeiro simulador para a sala de controle de uma usina de pequeno reator modular NuScale VOYGR (SMR) na Europa foi inaugurado na Universidade Politécnica de Bucareste, na Romênia. O simulador é o quinto no total, mas o primeiro fora dos Estados Unidos. O Centro de Exploração de Energia NuScale na Faculdade de Engenharia de Energia da universidade oferece aos usuários uma oportunidade prática de aplicar princípios de ciência e engenharia nuclear por meio de cenários de operação de usina nuclear simulados e reais. O E2 Center emprega modelagem de computador de última geração para simular uma sala de controle da usina de energia NuScale VOYGR SMR. O Centro foi financiado pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos no âmbito do programa de Infraestrutura Fundamental para o Uso Responsável de Tecnologia de Pequenos Reatores Modulares (FIRST). (Petronotícias - 17.05.2023) 
Link Externo

Rosatom: Criação de impressora para fabricar peças de reatores

A Rosatom está lançando a maior impressora 3D na Rússia que permitirá a impressão de peças de grande porte usadas nos reatores nucleares, reduzindo os custos e o tempo de fabricação. É a Additive Technologies, uma máquina criada pela RusAT com a participação do Instituto de Soldagem e Laser da Universidade Técnica Marinha de São Petersburgo. A máquina tem uma capacidade de carga de até oito toneladas, dois robôs industriais de seis eixos e pode fabricar produtos com diâmetro de até 2,2 metros e altura de 1 metro. A nova impressora pode ser usada em uma variedade de indústrias e já foi usada para fabricar um fragmento de 1 metro de altura do defletor do dispositivo interno de um reator de energia nuclear. (Petronotícias - 25.05.2023) 
Link Externo

Rosatom e Zvezda: Construção de navio de serviço nuclear multifuncional

Um contrato foi assinado entre a Rosatom, empresa estatal russa de energia nuclear, e a empresa de construção naval Zvezda para a construção de uma embarcação nuclear multifuncional chamada "Líder". A embarcação será equipada com reatores nucleares e terá a capacidade de fornecer eletricidade para infraestruturas offshore, além de realizar operações de resgate, transporte e pesquisas científicas em áreas remotas do Ártico. O contrato representa um marco importante no desenvolvimento da tecnologia nuclear flutuante na Rússia e destaca o potencial da energia nuclear para impulsionar atividades econômicas e científicas em regiões inacessíveis. (WNN - 26.05.2023) 
Link Externo

Westinghouse e Ansaldo: Avanços no desenvolvimento de LFR

A Westinghouse Electric Company e a Ansaldo Nuclear estão avançando no desenvolvimento de um reator de líquido refrigerado por chumbo (LFR). As empresas assinaram um novo acordo para avançar no projeto, que visa fornecer uma opção inovadora e segura de geração de energia nuclear. O progresso nessa parceria destaca o compromisso contínuo com a inovação na indústria nuclear e a busca por soluções avançadas que atendam às demandas futuras de energia de forma sustentável. (WNN - 18.05.2023) 
Link Externo

Empresas

Grupo Egis: Empresa se associa a ABDAN visando oportunidades no setor nuclear

A Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN) anunciou no dia 24 a ampliação de sua lista de empresas associadas, com a chegada do Grupo Egis. A companhia é um conglomerado internacional de consultoria, engenharia e operação de infraestruturas. Os setores de atividade do Grupo Egis englobam transportes, engenharia civil e a construção. Atualmente, 62% dos projetos da empresa são realizados fora do seu país de origem, a França, estando presente no Oriente Médio, na Índia, na América Latina, na África, na Ásia-Pacífico e na Europa. O Grupo Egis conta com cerca de 16 mil colaboradores. (Petronotícias - 24.05.2023) 
Link Externo

ČEZ: Licitação para substituição de geradores de usina nuclear em Dukovany

A empresa de energia CEZ, da República Tcheca, lançou uma licitação para a substituição dos geradores de vapor da usina nuclear de Dukovany. A licitação busca selecionar um fornecedor para os novos geradores, que são componentes cruciais para a produção de energia nuclear. A iniciativa faz parte do plano da CEZ de modernizar e estender a vida útil da usina de Dukovany. A licitação permitirá que diferentes fornecedores apresentem propostas e ofereçam soluções inovadoras para a substituição dos geradores de vapor, garantindo a segurança e o desempenho operacional da usina. A CEZ está comprometida em seguir rigorosos critérios de seleção e avaliação para garantir a escolha do melhor fornecedor para esse projeto estratégico. (WNN - 25.05.2023) 
Link Externo

TVEL: Entrega de novos equipamentos para produção chinesa de combustível

A TVEL, uma empresa russa de combustível nuclear, entregou um conjunto de equipamentos para a produção de combustível VVER-1000 na China. O fornecimento inclui máquinas e ferramentas especiais necessárias para a fabricação de elementos de combustível para os reatores VVER-1000. Esse fornecimento faz parte de um acordo entre a TVEL e a empresa chinesa CNLY, que visa fortalecer a cooperação entre as duas empresas no campo da energia nuclear. Nesse caso, a entrega bem-sucedida desses equipamentos é um marco importante na colaboração entre a Rússia e a China no setor nuclear. (WNN - 17.05.2023) 
Link Externo

TVO: Vedações defeituosas substituídas na terceira unidade de Olkiluoto

A concessionária finlandesa Teollisuuden Voima Oyj (TVO) disse ter detectado e posteriormente reparado defeitos e deficiências nas vedações dos conectores da unidade 3 da usina nuclear de Olkiluoto. Segundo a empresa, durante os anos de 2022-2023, vários casos de falhas de sinal em medições de temperatura classificadas de segurança foram detectados. Em fevereiro, descobriu-se que alguns conectores de medições de temperatura estavam faltando um ou ambos os lacres necessários. (WNN - 16.05.2023) 
Link Externo

Westinghouse: Reator BWRX-300 atende aos requisitos de segurança poloneses

A Westinghouse anunciou que seu reator BWRX-300 atende aos requisitos de segurança da Polônia, de acordo com uma avaliação realizada pelo Escritório de Energia Nuclear do país. O BWRX-300 é um reator de água fervente avançado que oferece maior eficiência e flexibilidade operacional. Nesse contexto, a aprovação dos requisitos de segurança poloneses é um marco significativo para a Westinghouse, pois demonstra que seu reator é compatível com os padrões rigorosos do país e fortalece suas perspectivas de participação no programa de energia nuclear da Polônia. (WNN - 24.05.2023) 
Link Externo

Westinghouse: Fornecimento de novos geradores de vapor para a usina nuclear nos EUA

A Westinghouse Electric Company foi selecionada para fornecer novos geradores de vapor para a usina nuclear de Susquehanna, nos Estados Unidos. O contrato inclui o fornecimento, instalação e comissionamento de dois geradores de vapor de última geração. Esses geradores são componentes essenciais para a produção de energia nuclear segura e eficiente. A escolha da Westinghouse é baseada em sua experiência e conhecimento técnico comprovados no setor nuclear. A substituição dos geradores de vapor ajudará a melhorar a capacidade de geração de energia da usina de Susquehanna, mantendo altos padrões de segurança e desempenho operacional. (WNN - 17.05.2023) 
Link Externo

Westinghouse, Bechtel e PEJ: Avanços no desenvolvimento de usina nuclear na Polônia

Westinghouse, Bechtel e Polskie Elektrownie Jadrowe (PEJ) estão avançando com seus esforços conjuntos para desenvolver uma usina nuclear na Polônia. As empresas assinaram um memorando de entendimento para colaborar no projeto, que envolverá a implantação de reatores nucleares avançados. O objetivo é fortalecer a segurança energética e a diversificação da matriz energética do país, reduzindo a dependência de fontes de energia tradicionais. Nesse contexto, o acordo demonstra o compromisso das empresas em impulsionar a energia nuclear na Polônia e abrir caminho para a implementação de tecnologias nucleares inovadoras no país. (WNN - 26.05.2023) 
Link Externo

Estudos

FGV Energia: A Riqueza do Urânio como Fonte de Energia Limpa

Em artigo publicado pela FGV Energia no dia 23, os autores Leonam dos Santos, Luiz Bezerra e Marcelo Gomes da Silva sugeriram a inclusão do minério nuclear nas propostas para 2023 do Ministério de Minas e Energia. O artigo ressalta que a utilização do urânio como fonte de energia limpa na matriz energética tem sido uma opção estratégica em 33 países. O Brasil detém a sexta maior reserva de urânio do mundo, tendo prospectado apenas uma parte do seu território. Essas reservas abundantes conferem a vantagem competitiva estratégica de autossuficiência do país, permitindo a sua exploração tanto para a produção de energia elétrica doméstica quanto para a exportação do excedente desse recurso sob a forma de concentrado de urânio (yellow cake), hexafluoreto de urânio natural e enriquecido, óxido de urânio e urânio metálico. O artigo menciona as vantagens no uso do urânio para geração elétrica no Brasil, que abrangem tópicos como evolução tecnológica da segurança nuclear, gestão segura de resíduos radioativos, disponibilidade e segurança energética, baixa emissão de gases de efeito estufa e benefícios socioeconômicos. (FGV Energia - 23.05.2023) 
Link Externo

AIEA: Descomissionamento para abordar o passado e garantir o futuro

Espera-se que o número de instalações nucleares que requerem descomissionamento aumente significativamente nos próximos 10 a 20 anos. Não existe uma relação simples entre a idade de uma instalação e o momento do fechamento definitivo, pois vários fatores, incluindo forças políticas e econômicas, podem influenciar essa decisão. No entanto, as políticas governamentais estão cada vez mais promovendo estratégias de desmantelamento imediato alinhadas com os princípios da sustentabilidade, para que os encargos associados ao descomissionamento, como a gestão de resíduos, não sejam repassados ​​para as gerações futuras. O processo de descomissionamento de uma usina costuma ser complexo e envolver prazos e orçamentos significativos. O aumento previsto no número de instalações nucleares a serem permanentemente fechadas até 2050 aponta para uma grande necessidade de recursos humanos e materiais, bem como de um eficaz gerenciamento de resíduos. (Boletim AIEA - 04.2023) 
Link Externo

Relatório Wood Mackenzie: Viabilizando a nova energia nuclear na transição energética

Segundo um novo relatório intitulado "The nuclear option: Making new nuclear power viable in the energy transition" da Wood Mackenzie, os altos custos são considerados o principal obstáculo para um renascimento da energia nuclear. De acordo com suas estimativas, a energia nuclear convencional atualmente possui um custo nivelado de eletricidade (LCOE) pelo menos quatro vezes maior do que a energia eólica e solar. Além disso, o relatório destaca a importância de uma abordagem holística por parte de investidores e formuladores de políticas para avaliar e comparar os custos energéticos com as de outras tecnologias. Portanto, para participar da grande oportunidade de crescimento que a energia de baixo carbono oferece, a indústria nuclear precisa enfrentar o desafio dos custos com urgência. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (WNN - 18.05.2023) 
Link Externo

Roteiro NEI e EPRI: Roadmap para reatores avançados na América do Norte

O relatório "Advanced Reactor Roadmap: North America" do Instituto de Energia Nuclear (NEI, na sigla em inglês) e do Electric Power Research Institute (EPRI) tem como principal objetivo descrever as estratégias críticas e as ações de apoio necessárias para a implantação bem-sucedida em larga escala de reatores avançados, com foco inicial é nos Estados Unidos (EUA) e no Canadá. O documento destaca a importância da colaboração entre o setor nuclear, o governo e outras partes interessadas para enfrentar desafios regulatórios, promover a segurança, demonstrar viabilidade econômica e incentivar a adoção dessas tecnologias inovadoras. Para ter acesso ao roteiro completo, clique aqui. (WNN - 16.05.2023) 
Link Externo

Relatório NITI Aayog: O papel de pequenos reatores modulares na transição energética

O relatório intitulado "A Report on the role of small modular reactors in the energy transition", elaborado pela Instituição Nacional para Transformar a Índia (NITI Aayog) em parceria com o Departamento de Energia Atômica da Índia (DAE) e a empresa consultora de engenharia integrada Tata Consulting Engineers Limited (TCE), tem como objetivo principal realizar uma análise sobre o papel dos reatores modulares de pequeno porte (SMRs) na transição energética. O relatório aborda aspectos relacionados ao status do desenvolvimento tecnológico desses reatores, à prontidão das cadeias de suprimentos, às iniciativas para harmonização da regulamentação dos SMRs e do processo de licenciamento internacional, bem como à preparação para salvaguardas internacionais. Conforme apontado nas conclusões do estudo, a padronização de projetos, componentes e módulos contribuirá para facilitar a adoção em larga escala dos SMRs. No entanto, é importante ressaltar que o financiamento continua sendo um desafio crítico para o desenvolvimento acelerado e a implantação desses reatores. Para ter acesso ao relatório completo, clique aqui. (WNN - 18.05.2023) 
Link Externo

Relatório INL: Aplicações para os microrreatores no mercado norte-americano

O relatório da Laboratório Nacional de Idaho (INL, na sigla em inglês) "Microreactor Applications in U.S. Markets” tem como principal objetivo fornecer uma avaliação principalmente das implicações legais, regulatórias, econômicas e tecnológicas em nível estadual para aplicações de microrreatores nos mercados dos Estados Unidos (EUA). Para isso, o documento realiza um resumo da análise do Programa de Microrreatores do Departamento de Energia dos EUA (DOE) sobre as oportunidades de mercado para microrreatores e avalia diversas soluções energéticas para cada perfil de mercado. Deste modo, o relatório conclui que as condições favoráveis ​​para microrreatores incluem, por exemplo, mercados com custos competitivos em eletricidade e calor, comparáveis ​​(se não melhores) em locais remotos com fontes a diesel e com fontes de baixo carbono, incluindo energia eólica, solar, geotérmica e armazenamento de energia. (WNN - 24.05.2023) 
Link Externo

Eventos

AIEA: Workshop regional sobre direito nuclear na Ásia

A Ásia Central está demonstrando maior interesse na energia nuclear como fonte de energia sustentável e confiável. O Uzbequistão iniciou os preparativos para a construção de sua primeira usina nuclear e o Ministério de Energia do Cazaquistão propôs recentemente a potencial reintrodução da energia nuclear para reduzir a dependência do país de combustíveis fósseis. Um workshop recente da IAEA apoiou os países a cumprir essa tarefa. Para discutir a dimensão legislativa do setor nuclear e trazer à tona os principais marcos do direito nuclear, o Workshop Regional da AIEA sobre Direito Nuclear foi organizado de 28 a 31 de março em Dushanbe, Tadjiquistão. O workshop contou com a presença de 24 representantes de 11 países — Armênia, Bielorrússia, Bulgária, Geórgia, Cazaquistão, Letônia, República da Moldávia, Federação Russa, Tadjiquistão, Turcomenistão e Uzbequistão. (AIEA - 25.05.2023) 
Link Externo

AIEA: Treinamento em direito nuclear e assistência legislativa

Advogados de órgãos reguladores e outras instituições governamentais da África, Europa e Ásia e Pacífico participaram recentemente do Treinamento Inter-regional da AIEA em Direito Nuclear e Assistência Legislativa para Especialistas para desenvolver ainda mais seus conhecimentos em direito nuclear e familiarizá-los com o processo de entrega assistência legislativa. O treinamento, que aconteceu em Viena, na Áustria, de 25 a 28 de abril de 2023, consistiu em apresentações, estudos de caso e discussões conduzidas pela AIEA e outros especialistas em direito nuclear. (AIEA - 24.05.2023) 
Link Externo

AIEA: Conferência sobre descomissionamento destaca novas tecnologias

À medida que dezenas de reatores nucleares e outras instalações nucleares se aproximam do fim de sua vida operacional em todo o mundo, espera-se que seu descomissionamento com segurança e eficiência seja um setor em crescimento nas próximas décadas. Cerca de 450 participantes de todo o mundo, 350 deles pessoalmente, se reuniram no evento híbrido da IAEA esta semana para discutir maneiras de promover projetos de descomissionamento em todo o mundo, inclusive por meio de maior uso de novas tecnologias e digitalização, princípios de economia circular e a contribuição de um novo geração de talentos técnicos. A conferência, cuja edição anterior decorreu em Madrid em 2016, registou avanços significativos na área desde então, como uma maior utilização de robôs, drones, inteligência artificial (IA) e outras tecnologias digitais emergentes. (AIEA - 19.05.2023) 
Link Externo

EUA a AIEA: Escola de Gerenciamento de Energia Nuclear

O governo americano e a AIEA realizarão entre os dias 10 e 21 de julho de 2023 um evento de gerenciamento da energia nuclear. A Escola NEM trata-se de um evento de duas semanas que proporciona uma perspectiva internacional alinhada com os conhecimentos específicos da AIEA em áreas relevantes para o ciclo nuclear, incluindo licenciamento nuclear e regulação, política energética nuclear, cultura de segurança, ciclo de combustível e salvaguardas nucleares. A agência trabalhará em cooperação com o Departamento de Energia americano (DOE) através do Laboratório Nacional de Oak Ridge (ORNL). (AIEA - 05.2023) 
Link Externo