IFE
30/06/2023

IFE 5.752

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Sérgio Silva
Pesquisador: Rubens Rosental
Assistentes de pesquisa: Ana Eduarda Oliveira, Bruno Elizeu, Leonardo Gonçalves, Maria Luísa Michilin, Sofia Paoli e Vinícius José

IFE
30/06/2023

IFE nº 5.752

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e Sérgio Silva
Pesquisador: Rubens Rosental
Assistentes de pesquisa: Ana Eduarda Oliveira, Bruno Elizeu, Leonardo Gonçalves, Maria Luísa Michilin, Sofia Paoli e Vinícius José

Ver índice

IFE 5.752

Regulação

GESEL publica Observatório de Tecnologias Exponenciais Nº 10

O GESEL está lançando o relatório Observatório de Tecnologias Exponenciais número dez. O Observatório de Tecnologias Exponenciais visa contribuir com a sistematização e divulgação do conhecimento, identificando o papel das tecnologias exponenciais no processo de transição energética, bem como as estratégias e iniciativas para sua aplicação que estão sendo adotadas nos setores elétricos nacional e internacional. Por fim, pretende-se apresentar novos modelos de negócio e mudanças comportamentais do consumidor. Com base no Informativo Eletrônico Tecnologias Exponenciais, o Observatório identifica desafios e perspectivas para o setor elétrico na trajetória para a economia de baixo carbono. Acesse o estudo aqui. (GESEL-IE-UFRJ – 30.06.2023)  
Ver PDF

Artigo GESEL/AHK: "Políticas de incentivo para o desenvolvimento da indústria nascente do hidrogênio renovável"

Foi publicado novo artigo GESEL no Portal de Hidrogênio Verde da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK). O texto, assinado por Nivalde José de Castro (Coordenador do GESEL), Luiza Masseno Leal (Pesquisadora do GESEL e da Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação Rede de Estudos do Setor Elétrico - ICT-RESEL) e Kalyne Brito (Pesquisadora do GESEL) é intitulado “Políticas de incentivo para o desenvolvimento da indústria nascente do hidrogênio renovável”. Segundo os autores, a indústria nascente do H2 renovável "demanda atenção das autoridades governamentais para formulação de políticas públicas favoráveis e audaciosas para o desenvolvimento de cadeias produtivas no Brasil”. Para ler o artigo na íntegra, acesse: https://www.h2verdebrasil.com.br/noticia/politicas-de-incentivo-para-o-desenvolvimento-da-industria-nascente-do-hidrogenio-renovavel/ (GESEL-IE-UFRJ – 30.06.2023)
Ver PDF

Transição Energética

Petrobras compra I-RECs e neutraliza emissões do escopo 2

A Petrobras adquiriu da AES Brasil, CPFL Soluções e Cemig certificações internacionais que garantem que 100% da energia elétrica utilizada em suas operações industriais e administrativas no Brasil são geradas por fontes renováveis hidrelétrica, eólica ou solar. Os I-RECs (Renewable Energy Certificate) atestam também a participação de fornecedores externos no processo, do chamado escopo 2, termo empregado pela indústria mundial para as emissões associadas ao consumo de energia obtida de colaboradores externos. Além dos fornecedores, a companhia também consome energia elétrica que é gerada em suas próprias instalações, como plataformas e refinarias, sendo essas de escopo 1. Os certificados fazem parte da primeira iniciativa do portfólio de ações que contou com os recursos do Fundo de Descarbonização da Petrobras, parte dos esforços do Programa Carbono Neutro, que está buscando identificar trajetórias para a neutralidade até 2050 e 30% até 2030, incluindo, entre outras ações, a maior eletrificação das unidades e a integração com fontes renováveis. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

ABC Brasil garante consumo 100% renovável com compras de I-REC´s

O Banco ABC Brasil garantiu a origem limpa e renovável de 100% da energia elétrica consumida em 2022 da sua matriz, em São Paulo, e das 11 filiais espalhadas pelo país. A iniciativa foi alcançada por meio da compra de 1.173 certificados que rastreiam os MWh consumidos e garantem que eles sejam provenientes de fonte renovável, como previsto no I-REC. A transação foi concluída com a intermediação da Comercializadora de Energia do Banco ABC Brasil. Ao ter acesso aos certificados no padrão I-REC, o Banco ABC Brasil poderá declarar baixas emissões de gases de efeito estufa decorrentes do consumo de energia, referente ao escopo 2, alinhado a um mercado cada vez mais preocupado com os impactos socioambientais. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Grupo SBF recebe certificação I-REC

O Grupo SBF recebeu a certificação I-REC que atesta que 100% do consumo de eletricidade em 2022 em seus escritórios, lojas e centros de distribuição provém de fontes renováveis. A energia limpa utilizada é oriunda da PCH Bandeirante, da Atiaia Renováveis, localizada entre os municípios de Chapadão do Sul e Água Clara, no Mato Grosso do Sul. Em 2022, a companhia neutralizou 100% das emissões de Escopo 2 do inventário de gases de efeito estufa. Além disso, o Grupo SBF está presente no mercado livre de energia, que permite a escolha do fornecedor de energia a ser consumida em lojas, escritórios e CDs. A companhia destacou que tem intensificado sua dedicação no combate contra as mudanças climáticas escolhendo apenas fontes renováveis. Essa decisão além de sustentável, também gerou uma economia de 19% na tarifa de energia elétrica no ano de 2022. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Investimentos em transmissão e hidrelétricas são fundamentais para o setor

O diretor-presidente da ENGIE Brasil Energia, Eduardo Sattamini, enfatizou, durante evento do Cebri, no Rio de Janeiro, a importância de ter uma indústria de transmissão sustentável, evitando flutuações nos níveis de investimento a cada ano. Para ele, essa abordagem ajuda a evitar ineficiências na indústria, aumenta os padrões de segurança e evita a necessidade de utilizar mão de obra não treinada em tarefas de alto risco. O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, previu recentemente investimentos de R$ 56 bilhões no segmento de transmissão. Esses aportes serão usados prioritariamente para escoar a geração de energia renovável, especialmente as de energia eólica e solar, dos estados da Região Nordeste. Segundo matéria publicada pelo Canal Energia, o executivo também mencionou a relevância dos investimentos em hidrelétricas. Ele destacou a importância de valorizar os atributos dessa fonte energética, que atualmente enfrenta desafios devido à estrutura de mercado e à falta de valorização de seus atributos. Um dos atributos destacados pelo executivo foi a capacidade dos reservatórios das hidrelétricas funcionarem como uma bateria para armazenamento de energia. (Além da Energia – 29.06.2023)
Link Externo

WEF: 'Janela de oportunidade' da transição energética está se fechando rapidamente

Embora tenha havido amplo progresso em energia limpa em todo o mundo, a equidade na indústria continua sendo um grande desafio e “a janela de oportunidade para a transição energética está se fechando rapidamente”, diz o Fórum Econômico Mundial (WEF). Isso está de acordo com o relatório do FEM Fostering Effective Energy Transition 2023 , que constata que a equidade está sendo marginalizada à medida que os países continuam mudando seu foco para a segurança energética. Declara o relatório: “A janela de oportunidade para a transição energética está se fechando rapidamente. O número limitado de países avançando simultaneamente em todos os aspectos do triângulo energético destaca os desafios que os países enfrentam ao progredir em seus caminhos de transição energética”. (Smart Energy – 30.06.2023)
Link Externo

Empresas

Eletrobras acerta reperfilamento de emissão de R$ 513,8 mi de subsidiárias

A Eletrobras anunciou em comunicado ao mercado nesta quinta-feira, 29 de junho, que o seu conselho de administração aprovou o reperfilamento pela Eletronorte da primeira emissão de debêntures simples da Amazonas GT, com saldo devedor de R$ 180.555.025,25, além da segunda emissão de debêntures simples da Eletronorte, cujo saldo devedor é de R$ 333.332.700,44. De acordo com o comunicado, o reperfilamento dessa operação já foi concluído, resultando no alongamento da dívida da Eletronorte, em cinco anos, com vencimento em 2028 e a redução dos juros para CDI + 2,17% ao ano. Antes a taxa era de CDI + 2,75% ao ano para a emissão da Amazonas GT e CDI + 2,60 % ao ano para a da Eletronorte. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

WNT aumenta participação na Light

A WNT, vinculada ao empresário Nelson Tanure, aumentou sua participação na Light para 28,06%, detendo 104.524.700 ações ordinárias da companhia. De acordo com a gestora, o aumento de participação tem como objetivo aumentar a exposição dos fundos de investimento sob sua gestão. O aumento na participação se deu após a companhia informar que realizará no próximo dia 18 de julho sua assembleia geral extraordinária, onde será apresentada a proposta de fixar o número de nove membros para o conselho de administração e sua nova composição, mediante a eleição ou reeleição de todos os seus membros. Até então, o conselho era composto por cinco membros. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Economizenergia estrutura financiamento de R$ 17,3 mi para CGH no RS

A Economizenergia obteve mais um financiamento para a implantação da CGH Cabras, projeto com participação da Eletrisa, destinado ao mercado de GD, localizado em Erval Seco (RS). Foram captados R$ 17,3 milhões, com um custo fixo anual de 2,11% e prazo de amortização de 16 anos. Segundo a empresa, as taxas são significativamente inferiores às praticadas pelo mercado financeiro, proporcionando uma vantagem tanto para o empreendimento em si quanto para o setor. A empresa vem atuando na área de Gestão de Energia, também oferecendo serviços de estruturação financeira e fusões e aquisições. De acordo com a Economizenergia, a equipe é composta por profissionais experientes no temas e está desempenhando um importante papel na viabilidade e competitividade de projetos como o da usina de Cabras. Ainda segundo a Economizenergia, a expertise financeira e no setor elétrico tem contribuído para o êxito de diversos empreendimentos nessa categoria. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Cemig realiza ações de eficiência energética no Hospital São Francisco

A Cemig, o Governo de Minas e o Hospital São Francisco inauguraram na última segunda-feira, 26 de junho, uma série de melhorias que vão beneficiar a população atendida pelo SUS em Minas Gerais. Por meio do Programa de Eficiência Energética da companhia, foi substituída uma autoclave, importante equipamento de esterilização de materiais hospitalares, e também toda a iluminação do Hospital. No total, os investimentos destinados pela Cemig foram de R$ 791 mil. Com as entregas da Cemig, a instituição de saúde, que é filantrópica, vai economizar por volta de R$150 mil por ano, valor que poderá ser utilizado para outras despesas. Na eficientização, foram substituídas 5 mil lâmpadas e máquina esterilizadora, juntos, vão gerar uma economia de energia em torno de 475,3 MWh/ano. Durante a inauguração, também foi anunciado a duplicação do centro de hemodiálise, que passou de 35 postos para 70, além do novo tomógrafo que integra a unidade, no Concórdia. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Leilões

Lula: "Vamos apresentar um grande leilão de energia eólica, solar, de hidrogênio verde"

Sem detalhes, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou que o governo federal vai apresentar um “grande leilão de energia eólica, solar, de hidrogênio verde” entre os projetos do PAC-3, o programa de investimentos a ser divulgado pelo Palácio do Planalto em julho. “Vamos apresentar um grande leilão de energia eólica, solar, de hidrogênio verde. O Brasil vai se tornar um grande exportador de energia”, disse o petista em entrevista à Rádio Gaúcha. “O Brasil tem lições para dar ao mundo. Vamos lançar um grande programa, um grande leilão para mostrar que a gente possa definitivamente mostrar que se tem alguém preocupado com o planeta somos nós”, acrescentou. (Broadcast Energia - 29.06.2023) 
Link Externo

Governo faz leilão de transmissão com lotes que somam R$ 16 bi de investimentos

O governo realiza na manhã de hoje o primeiro leilão de transmissão do ano, no qual serão licitados 6.184 quilômetros de linhas de transmissão e 400 megavolt-ampéres (MVA) em capacidade de transformação de subestações, em sete Estados. O prazo para a construção é de 36 a 66 meses, e a perspectiva é que os empreendimentos movimentem aproximadamente R$ 15,7 bilhões em investimentos. Mais uma vez, espera-se por grande competição entre agentes brasileiros e estrangeiros. O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse na noite de ontem que 16 grandes empresas participarão do certame, entre elas algumas estrangeiras, como StateGrid, EDP e Iberdrola, que no País atua por meio da Neoenergia. Em entrevista à CNN Brasil, ele também disse esperar uma grande atuação da Eletrobras, agora privatizada. (Broadcast Energia - 30.06.2023) 
Link Externo

Oferta e Demanda de Energia Elétrica

CCEE: PLD permanece no piso regulatório de R$ 69,04/MWh em todo o Sistema Interligado Nacional

O Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) encerrou mais uma semana no piso regulatório de R$ 69,04 por MWh, segundo informações da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Já são nove meses de PLD no patamar regulatório mínimo, que em 2022 era de R$ 55,70 por MWh. O preço não apresenta oscilações ao longo do dia em todo o Sistema Interligado Nacional (SIN), de forma que os PLDs médios, mínimos e máximos coincidem em todos os submercados do País. O cálculo do PLD considera os limites máximos e mínimos para cada período e submercado. O valor reflete os modelos computacionais do setor, que levam em conta fatores como carga, incidência de chuvas e o nível de armazenamento dos reservatórios das usinas hidrelétricas. (Broadcast Energia - 30.06.2023) 
Link Externo

ONS: carga de energia SIN deve encerrar junho em 70.317 MW médios, alta de 2,8%

A carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN) deve terminar junho em 70.317 MWmed, um aumento de 2,8% em relação ao mesmo mês de 2022, informou o ONS, durante o primeiro dia da reunião do Programa Mensal da Operação (PMO) referente a julho. O volume citado considera o que foi registrado no mês até esta semana mais as projeções até o fim do período, incluindo fatores como atividade econômica e condições meteorológicas, que influenciam o comportamento da carga. (Broadcast Energia - 29.06.2023) 
Link Externo

ONS: carga do SIN deve crescer 2,9% em julho, chegando a 71.232 MW médios

A carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN), em julho, deve alcançar os 71.232 MWmed. Se confirmada, representará uma alta de 2,9% ante o mesmo mês de 2022, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), durante reunião do Programa Mensal da Operação (PMO) referente ao próximo mês, cujo primeiro dia está em andamento nesta tarde. O indicador apresentado é 0,6 ponto porcentual (p.p.) acima do estimado anteriormente e, de acordo com técnicos do próprio ONS, reflete as melhorias nos indicadores de confiança de variados setores econômicos, ainda que de forma cautelosa. (Broadcast Energia - 29.06.2023) 
Link Externo

ONS: Energia armazenada do SIN e do Sudeste/CO é a maior para junho desde 2000

A energia armazenada (EAR) em todo o Sistema Interligado Nacional (SIN) e na chamada caixa d'água do sistema elétrico do País, o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, é a maior verificada para o fim de junho desde 2000, informou há pouco o ONS. Durante reunião do Programa Mensal de Operação (PMO) referente a julho, técnicos da instituição declararam que, segundo dados apresentados pelos agentes para o próprio PMO, a previsão na quarta-feira, 28, era de 87% de armazenamento no SIN e de 86,5% no submercado citado, que responde por cerca de 70% da capacidade de armazenamento nacional. No Norte, o porcentual era de 98,3%. No Sul, de 88,9%, enquanto no Nordeste, ficou em 84,9%. (Broadcast Energia - 29.06.2023) 
Link Externo

Região Nordeste opera com 85% da capacidade

Os reservatórios do Nordeste apresentaram queda de 0,2 ponto percentual e estão operando com 85% de sua capacidade de armazenamento, na última quarta-feira, 28 de junho, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A energia armazenada marca 43.939 MW mês e ENA de 2.059 MW med, equivalente a 51% da MLT. A região Norte diminuiu 0,3 p.p e os reservatórios trabalham com 98,3% da capacidade. A energia retida é de 15.048 MW mês e ENA de 5.581 MW med, valor que corresponde a 74% da MLT. O submercado do Sudeste/Centro-Oeste caiu 0,1 p.p e a capacidade está em 86,5%. A energia armazenada mostra 176.936 MW mês e a ENA é de 27.473 MW med, valor que corresponde a 91% da MLT. Os reservatórios da Região Sul tiveram crescimento de 0,2 p.p e operam com 88,9%. A energia armazenada é de 18.189 MW mês e a energia natural afluente marca 10.524 MW med, correspondendo a 58% da MLT. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

São Paulo atinge 3 GW em geração própria de energia

O estado de São Paulo atingiu a marca de 3 GW de capacidade de geração distribuída. A GD refere-se à produção de eletricidade a partir de fontes renováveis em pequena escala, instaladas em residências, comércios, indústrias e propriedades rurais. Essa forma de geração de energia tem se tornado cada vez mais popular em todo o mundo, devido aos benefícios ambientais, econômicos e sociais que proporciona. Em 2022, o estado de São Paulo agregou mais potência ao sistema elétrico nacional com 1,1 GW, à frente de Minas Gerais (844 MW) e Rio Grande do Sul (830 MW), segundo e terceiro colocados neste quesito, respectivamente. Atualmente, o estado compete com Minas Gerais pela primeira posição no ranking da GD. Em São Paulo, a geração distribuída tem se expandido rapidamente nos últimos anos, impulsionada por incentivos governamentais, como a isenção de impostos e tarifas especiais para os geradores. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Mobilidade Elétrica

BYD se prepara para anunciar fábrica de VEs na Bahia

A BYD irá anunciar de forma oficial a instalação de uma fábrica de carros elétricos na Bahia na semana que vem. A informação foi confirmada pelo governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues após uma reunião com o presidente Lula e a vice-presidente global da BYD, Stella Li, em Brasília. Segundo relatado pelo governador baiano, o evento oficial para o anúncio da fábrica de automóveis da BYD no Brasil irá acontecer em Salvador, na próxima terça-feira (4), onde haverá uma apresentação do plano de investimentos que a montadora chinesa fará no estado. O projeto da BYD para Camaçari envolve três linhas de produção: uma para veículos elétricos de passeio, outra para veículos pesados (caminhões e ônibus) e uma linha de montagem de baterias. (Inside EVs - 29.06.2023) 
Link Externo

Chevrolet fala dos mitos sobre VEs e potencial do Brasil

A GM é uma das empresas mais compromissadas com a eletrificação de sua linha ao redor do mundo. No Brasil, já vende Bolt e Bolt EUV e, em 2024, ainda terá os novos Blazer e Equinox EV, estes feitos sobre a nova plataforma Ultium, totalmente dedicadas a veículos 100% elétricos. Mas ainda existem diversos mitos sobre os carros elétricos. Durante o Electric Days Brasil, a empresa falou sobre esses mitos e explicou o lado certo sobre esse processo de eletrificação da frota. Marcos Paiva, Diretor geral de qualidade e excelência operacional na América do Sul, mostrou desde o quanto o custo operacional de um elétrico é mais baixo até a capacidade de produção de energia para este tipo de veículo. (Inside EVs - 30.06.2023) 
Link Externo

CATL trabalha para a criação de centros de reciclagem de baterias

A reciclagem de baterias é um tema cada mais presente nas discussões sobre mobilidade elétrica. De olho nessa demanda, que tende a crescer com o avanço dos VEs, a CATL, maior fabricante de baterias do mundo, negocia uma parceria para a criação de vários locais de reciclagem, inicialmente na Europa. Em outra frente, a gigante chinesa das baterias está procurando parcerias para estabelecer locais de reciclagem também na América do Norte, disse o diretor de produção Ni Jun em um painel na World Economic Forum’s Annual Meeting of the New Champions na última semana. Líder mundial na produção de baterias para veículos elétricos e híbridos, a CATL dominou o mercado chinês por anos e agora começa a se estabelecer internacionalmente de forma mais decisiva com a produção em outros países. A empresa está iniciando a produção de baterias na Europa e trabalha para avançar em outros mercados, como os Estados Unidos. E falando da expansão do serviço de reciclagem para a Europa e América do Norte, a CATL tenta ampliar seu domínio em toda a cadeia de suprimentos de baterias, desde a produção até a reutilização, aproveitando o potencial de um segmento que ainda está dando os primeiros passos, mas se tornará crucial em alguns anos. (Inside EVs - 29.06.2023) 
Link Externo

Inovação e Tecnologia

MDIC/Rollemberg: ‘Empresas pedem regulamentação e não subsídios para produzir hidrogênio verde’

O Secretário de Economia Verde, Descarbonização e Bioindústria do Ministério de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (MDIC), Rodrigo Rollemberg, está trabalhando para avançar o projeto de regulamentação das eólicas offshore na Câmara dos Deputados. Ele destaca o interesse de empresas de grande porte na produção de hidrogênio por meio da energia eólica, enfatizando a necessidade de regulamentação em vez de subsídios. Rollemberg vê oportunidades de exportação de hidrogênio e a atração de cadeias de suprimentos relacionadas, visando a produção com baixa pegada de carbono. Além disso, ele menciona a expectativa de aprovação do projeto de criação do mercado regulado de carbono até novembro, visando a COP 28, e discute o projeto do combustível do futuro, que aborda combustíveis como o diesel verde e o SAF, bem como a captura e estocagem de carbono. (O Estadão – 28.06.2023)
Link Externo

Energias Renováveis

SolarVolt conquista três selos nível AAA de programa da Absolar

A SolarVolt conquistou três selos nível AAA do programa de certificação de qualidade e melhores práticas da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). A empresa mineira atingiu o nível máximo (AAA) nas categorias ‘’Integradores’’, ‘’Instaladores’’ e ‘’Projetistas’’. O programa Qualidade Solar é uma certificação de que a empresa entrega confiabilidade, garantindo qualidade e segurança no que oferece, além de fazer a diferença no mercado. A avaliação tem como objetivos informar e proteger o consumidor em particular quanto à saúde, segurança e meio-ambiente, propiciar a concorrência justa, estimular a melhoria contínua da qualidade, além de facilitar o comércio internacional e fortalecer o mercado interno. De acordo com a SolarVolt, a certificação é fruto da base de trabalho da empresa e representa que a companhia está preocupada com a engenharia, qualidade técnica e responsabilidade dos projetos entregues no país. (CanalEnergia – 29.06.2023) 
Link Externo

Petrobras está testando combustível marítimo com 24% de conteúdo renovável em navio afretado

A Petrobras iniciou um novo teste utilizando um bunker marítimo com 24% de conteúdo renovável, a fim de avaliar seu desempenho ao abastecer um navio afretado pela companhia. A análise preliminar indica uma redução estimada de cerca de 17% nas emissões de gases de efeito estufa em comparação com o bunker 100% mineral, considerando todo o ciclo de vida do produto. Este é o segundo teste do tipo realizado pela empresa, sendo que dessa vez o teor de biodiesel é maior, com 24% em volume. Além disso, a parcela renovável inclui 30% de gordura animal (sebo) e 70% de óleo de soja. A Petrobras considera esses testes como um investimento no desenvolvimento de produtos que proporcionam benefícios ambientais e destaca seu compromisso com a transição energética. A empresa acredita que os biocombustíveis avançados têm potencial para substituir os combustíveis fósseis no setor de transporte marítimo de longo curso, apresentando uma vantagem competitiva para o Brasil. O navio utilizado no teste foi abastecido com aproximadamente 573 mil litros de combustível, e os dados relacionados ao seu desempenho serão monitorados nos próximos meses. A Transpetro, parceira da Petrobras nesses testes, apoia o desenvolvimento de produtos mais sustentáveis e destaca sua capacidade de oferecer soluções sustentáveis no setor de logística de petróleo e derivados. (Petronotícias – 28.06.2023)
Link Externo

Maersk encomenda mais seis navios porta-contêineres, mas todos com motores para biocombustíveis

A Maersk encomendou a construção de seis navios porta-contêineres de médio porte com motores bicombustíveis capazes de operar com metanol verde. Os navios, com capacidade para 9.000 TEUs, serão construídos pelo Yangzijiang Shipbuilding Group e entregues entre 2026 e 2027. Essa encomenda faz parte dos esforços da Maersk para transformar sua frota em direção à sustentabilidade, visando se tornar neutra em carbono até 2040. A empresa já encomendou outros navios movidos a metanol nos últimos anos, e agora possui um total de 25 embarcações habilitadas para esse combustível. A implantação desses novos navios substituirá a capacidade já existente na frota da Maersk e ajudará a reduzir as emissões anuais de gases de efeito estufa em aproximadamente 450.000 toneladas de CO2e por ano. (Petronotícias – 28.06.2023) 
Link Externo

Gás e Termelétricas

Breitener pede exclusão de registro de unidades de contingência de duas termelétricas

A Breitener, do grupo Ceiba Energy, teve excluídos os registros de cinco unidades de contingência da usina termelétrica (UTE) a gás natural Jaraqui e quatro da UTE Tambaqui, movida a óleo combustível. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a exclusão foi pedida pela própria empresa. Os dois empreendimentos ficam em Manaus, no Amazonas. No caso da UTE Jaraqui, foram excluídas uma unidade de 7.546,8 quilowatts (kW) e quatro unidades de 18.428 kW. Já da Tambaqui , a exclusão foi de uma unidade de 7.546,8 kW e três unidades de 18.428 kW. O motivo da solicitação não consta nos despachos publicados na edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União. (Broadcast Energia - 29.06.2023) 
Link Externo

Usina de Bangladesh está se preparando para receber da Rosatom o seu primeiro combustível nuclear

Bangladesh está se preparando para receber o primeiro carregamento de combustível para a usina de Rooppur em setembro, como parte do projeto fornecido pela Rússia, com expectativa de iniciar a operação comercial no próximo ano. O ministro da Ciência e Tecnologia, Yeafesh Osman, anunciou que o combustível nuclear será entregue e planeja realizar um programa de transferência virtual com a presença do diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e o presidente russo, juntamente com o primeiro-ministro do país. A usina receberá todo o combustível da empresa Rosatom, conforme o contrato firmado em agosto de 2019, com a assinatura do protocolo final de entrega ocorrida no mês passado. Vale ressaltar que a Rússia concordou em construir a usina nuclear de Bangladesh em 2011, e a construção das duas unidades de reatores começou em 2017. (Petronotícias – 28.06.2023)
Link Externo

Biblioteca Virtual

CASTRO, Nivalde de; LEAL, Luiza Masseno; BRITO, Kalyne. "Políticas de incentivo para o desenvolvimento da indústria do H2 renovável".

Ver PDF

CASTRO, Nivalde de; CÂMARA, Lorrane; CHANTRE, Caroline; RODRIGUES, Ana Eduarda; DINIZ, Felipe; VERDE, Isadora; BRITO, Kalyne; GONÇALVES, Leonardo; LUNARDI, Maria Luiza; SATHLER, Pablo; CASTRO, Bianca. "Observatório de Tecnologias Exponenciais Nº 10".

Ver PDF