IFE
29/08/2022

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ

IFE
29/08/2022

IFE nº 5.560

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ

Ver índice

Regulação

Aneel mantém bandeira verde em setembro, sem taxa adicional na conta de energia

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou na sexta-feira, 26, que manterá a bandeira verde acionada em setembro para todos os consumidores conectados ao sistema elétrico nacional. Com a decisão, as contas de luz seguem sem cobrança adicional pelo quinto mês consecutivo. “Essa sinalização reflete boas condições de geração de energia elétrica sem cobrança adicional nas contas de luz, mesmo considerando previsão de crescimento do consumo de energia no País”, afirmou a agência em nota. A bandeira verde está em vigor desde 16 de abril. De setembro de 2021 a 15 de abril, os consumidores pagaram um adicional de R$ 14,20 por 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos, referente à bandeira escassez hídrica. O patamar foi criado para bancar os custos de medidas adotadas devido à grave escassez nos reservatórios. (O Estado de São Paulo – 27.08.2022)
Link Externo

Início de transição prevista em regulação deve afetar pouco crescimento da GD

O início do pagamento pelo uso da rede de distribuição pelos consumidores que aderirem à chamada Geração Distribuída (GD), implantada, sobretudo, via fonte solar, a partir do ano que vem não deve ser um freio no crescimento do segmento nos próximos anos, de acordo com empresas que atuam no setor. "A gente entende que a competitividade da solar vai continuar, até porque o Brasil se sofisticou muito de soluções financeiras a técnicas. A gente está preparado para os próximos anos quando esses steps [sic] de incremento de fio vão acontecer", disse o presidente da HDT Energy no Brasil, Leonardo Cyrino, ao Broadcast Energia. A companhia é a representante exclusiva da Huawei no Brasil no setor e planeja dobrar o faturamento com venda de equipamentos de energia solar no País até 2023, atingindo os R$ 3 bilhões, com 2 gigawatts (GW) de potência instalada. (BroadCast Energia – 25.08.2022)
Link Externo

Transição Energética

Armazenamento de energia de longa duração é fundamental para aproveitar o vento desperdiçado do Reino Unido

Na última década, o Reino Unido vem se posicionando como um modelo global para o aproveitamento da energia eólica. O Escritório de Estatísticas Nacionais relata que a eletricidade da geração eólica aumentou 715% entre 2009-2020. Devido à abundância de recursos eólicos offshore, mais de 75.000 GWh de energia eólica foram produzidos em 2020, representando 20% da geração total do país. Isso é suficiente para alimentar 8,4 trilhões de lâmpadas LED. Embora o Reino Unido se beneficie de recursos eólicos consideráveis, há momentos em que o vento produz substancialmente mais energia do que pode ser usada. O Reino Unido pode mitigar esse desperdício, sem aumentar sua dependência do gás, reduzindo os custos de energia e alcançando a segurança energética, fazendo investimentos significativos em armazenamento de energia de longa duração (LDES). (Renewable Energy World – 29.08.2022)
Link Externo

Alavancando metas absolutas de uso de energia em programas de eficiência energética líquida zero

Imagine comprar um automóvel novo. Existem muitas métricas que podem ser levadas em consideração ao considerar uma nova compra. Para clientes que não são entusiastas de carros, é fácil ficar sobrecarregado com estatísticas técnicas confusas e jargão automotivo. Felizmente, para os consumidores que priorizam a sustentabilidade, milhas por galão (MPG) é uma métrica simples que pode servir como fator decisivo. Os edifícios têm métricas semelhantes que fornecem orientações de sustentabilidade igualmente úteis para construtores, desenvolvedores, designers e formuladores de políticas. Este artigo explora a importância do estabelecimento de metas, a necessidade de garantir o acompanhamento e o impacto global de investir no projeto de construção líquida zero. (Power Grid – 29.08.2022)
Link Externo

PGA Tour Championship movido a combustíveis renováveis

O torneio do PGA Tour Championship disse que trocou o diesel por combustíveis renováveis para toda a geração no local para alimentar o East Lake Golf Club, em Atlanta. Os combustíveis renováveis são muitas vezes produzidos a partir de uma combinação de materiais usados anteriormente, como a combinação de resíduos e resíduos com óleos vegetais e renováveis. A PowerSecure, uma subsidiária da Southern Company, forneceu o combustível renovável. “A implantação de combustível renovável no PGA TOUR Championship representa um marco importante para a PowerSecure e os usuários e produtores de energia que atendemos”, disse Chris Cummiskey, CEO da PowerSecure. A empresa fez parceria anteriormente com o PGA Tour para instalar recursos de energia distribuídos na sede do PGA Tour em Ponte Vedra Beach, Flórida, em 2021. (Renewable Energy World – 29.08.2022)
Link Externo

Empresas

Eletrobras encerra participação em SPE de transmissão

A Eletrobras anunciou o encerramento da Sociedade de Propósito Específico (SPE) Construtora Integração, criada em outubro de 2010 com o objetivo de construir a linha de transmissão 600kV Porto Velho – Araraquara, em corrente contínua e outorgada à Norte Brasil Transmissora de Energia (NBTE). Segundo o comunicado, a SPE teve suas atividades concluídas em 2014 e contava com a participação acionária de 51% da Abengoa Concessões Brasil Holding e 49% da sua subsidiária Eletronorte. O encerramento da operação está no escopo da iniciativa de racionalização das participações societárias da empresa, nos termos do Plano Diretor de Negócios e Gestão 2022-2026, levando as Empresas Eletrobras a deterem um total de 76 SPEs. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Grupo Energisa: Consumo total de energia cresce 4,1% em julho

Em julho, o consumo consolidado de energia elétrica, cativo e livre (3014,3 GWh), nas áreas de concessão do Grupo Energisa, apresentou um aumento de 4,1% em relação ao mesmo mês do ano anterior. De acordo com a companhia, as classes que mais contribuíram para o resultado foram as classes residencial, comercial e industrial e os principais direcionadores de resultado no mês de julho foram o clima mais quente, reabertura econômica e crescimento no consumo de energia em segmentos industriais. Diante deste cenário, 7 de 11 distribuidoras apresentaram alta no consumo de energia em suas áreas de concessão, em especial a EMT (7,0% ou 53,8 GWh), ERO (9,8% ou 26,4 GWh) e EAC (19,9% ou 16,0 GWh). Nos sete primeiros meses de 2022, o consumo de energia elétrica no mercado cativo e livre (21.596,8 GWh) do Grupo Energisa apresentou um aumento de 2,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Neoenergia investe em projetos de eficiência energética

As distribuidoras da Neoenergia investiram aproximadamente R$ 54,5 milhões no primeiro semestre de 2022 por meio de projetos que promovem o consumo consciente e seguro da energia elétrica nos estados da Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, São Paulo e Mato Grosso do Sul, além do Distrito Federal. Como parte dos investimentos, foram substituídas 612.841 lâmpadas por modelos de LED, mais eficientes e econômicos, em residências populares e instituições comunitárias, prédios públicos e assistenciais. Também foram realizadas iniciativas como a instalação de sistemas de geração solar fotovoltaica em organizações públicas e filantrópicas; e campanhas educacionais em escolas públicas sobre o uso eficiente da energia elétrica. Além da substituição de lâmpadas ineficientes por eficientes, a Neoenergia Coelba (BA) e a Neoenergia Brasília (DF) realizaram a troca de 2.827 refrigeradores antigos por novos. Na Bahia, os equipamentos foram entregues a pessoas atingidas pelas chuvas que ocorreram no fim de 2021, no extremo Sul do estado. A concessionária da capital federal deu continuidade ainda à doação de refrigeradores científicos para armazenar vacinas, iniciativa que vem beneficiando as campanhas de imunização contra Covid-19 nas áreas de concessão da Neoenergia desde 2021. Para ampliar a geração solar, foram doados 14 sistemas fotovoltaicos para prédios públicos e assistenciais, como escolas públicas e unidades de saúde, totalizando 770 kWp de potência instalada. Em uma iniciativa voltada ao público residencial, o projeto Neoenergia Solar concedeu desconto de 50% na compra de painéis fotovoltaicos e contemplou 305 residências, totalizando 1,1 MWp de potência instalada, em quatro estados: Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Engie Soluções possui R$ 1 bi para projetos em 5 anos

Desde o início do ano a francesa Engie no Brasil organizou a sua divisão serviços em uma organização só sob a marca Engie Soluções. A empresa já atuava em diferentes segmentos mas de forma individualizada, mas desde janeiro, com a chegada do diretor presidente Jacques-Olivier passou a operar sob uma mesma bandeira e com três grandes pilares. A meta em cinco anos é de aplicar R$ 1 bilhão em projetos nessas áreas que atendem desde geração para grandes consumidores, cidades inteligentes e gestão da energia. O executivo recebeu a reportagem da Agência CanalEnergia na sede da companhia, localizada na cidade de São Paulo. Ele contou que esse plano de R$ 1 bilhão em cinco anos pode sim ser elevado no futuro. Entre os projetos que mais demandam recursos é o de geração local para cliente e cidades. Quando a empresa fecha um contrato seja privado ou por meio de uma licitação é ela quem faz os investimentos e depende muito do volume e maturação de projetos. Uma grande aposta da empresa vem na esteira da descarbonização e as metas que muitas organizações assumiram. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

EDP e MRS patrocinam a transformação do Complexo Ferroviário de Taubaté

A EDP e MRS Logística, ferrovia de carga que atua nos estados de MG, RJ e SP, anunciaram o patrocínio para restauração do Complexo Ferroviário de Taubaté, em São Paulo, que irá passar por uma ação que vai transformá-lo em um espaço dedicado ao ecossistema de inovação aberta, de economia criativa e cidades inteligentes, a Station T. A iniciativa acontece por meio do edital Resgatando Histórias, do BNDES. A restauração do Complexo Ferroviário receberá um investimento de R$ 6,2 milhões das patrocinadoras. O apoio à ação acontece por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, integrando uma das ações do programa Resgatando a História, do BNDES, do qual as companhias são parceiras fundadoras. Além de preservar o patrimônio histórico e cultural brasileiro, o objetivo da restauração é criar um espaço dedicado à inovação aberta, com auditório, coworking, restaurante, espaço para cursos e eventos, e laboratórios de mobilidade, segurança cibernética, cultura maker, economia criativa e turismo. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

EDP ES abre inscrições para turmas da Escola de Eletricistas

A EDP ES está lançando três novas turmas da sua Escola de Eletricistas. Ao todo, serão ofertadas 48 vagas e o curso acontecerá na Serra (Grande Vitória), em São Mateus (Norte) e em Cachoeiro de Itapemirim (Sul). Os interessados tem até o dia 02 de setembro para realizar a inscrição, por meio do link: https://brasil.edp.com/pt-br/escola-de-eletricistas. A companhia informou que a Escola de Eletricistas proporciona formação profissional completa e possibilidade de contratação ao término do curso. Os alunos receberão também materiais didáticos, uniformes e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), além de bolsa-auxílio e almoço no local. A Escola de Eletricistas é gratuita e tem como foco a qualificação e capacitação na função de eletricista de redes de distribuição de energia. Após a finalização do curso, os estudantes recebem certificado chancelado pelo SENAI e permanecem no banco de talentos da EDP e de empresas parceiras, podendo participar de processos seletivos para vagas efetivas. Para concorrer a uma das posições, os requisitos são: ter acima de 18 anos, Ensino Fundamental completo e disponibilidade de horário integral (aulas das 8h às 17h). O curso está previsto para acontecer de setembro a dezembro deste ano. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Genyx Solar Power cria instituição de pagamento com apoio do BV

A Genyx Solar Power, distribuidora de geradores fotovoltaicos do Brasil, anunciou a criação da instituição de pagamento Banco Genyx em parceria com o S3 BANK e promovido pela estrutura Banking as a Service (BaaS) do banco BV. Com a demanda de ter uma solução financeira 100% digital para trazer condições diferenciadas para o integrador solar, o BV criou toda a estrutura para que a distribuidora pudesse criar a instituição de pagamento Banco Genyx e, assim, oferecer serviços como linhas de crédito com taxas competitivas e cartão. O Banco Genyx também conta com a parceria do S3 BANK, uma instituição de pagamento investida do BV, que oferece uma plataforma integrada de serviços financeiros com conta digital, cartões e ofertas de crédito personalizadas de acordo com as necessidades do negócio. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Oferta e Demanda de Energia Elétrica

CCEE: PLD médio diário tem nova queda e chega a R$ 55,96 por MWh para 26/08

O valor médio do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) válido para o dia 26 de agosto em todos os submercados é de R$ 55,96 por MWh, uma queda de 0,1% ante o registrado na quinta-feira (25), de R$ 56,02 por MWh. O valor máximo do dia foi estipulado em R$ 58,35 por MWh para a energia vendida às 18h, em todos os submercados. Já o preço mínimo desta sexta-feira ficou em R$ 55,70 por MWh, das 00h às 16h, também em todos os submercados. O PLD considera os limites máximos e mínimos para cada período e submercado. (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo

ONS: carga no ano deve crescer 1,9% em 2022

A carga no SIN deverá crescer 1,9% no ano de 2022, essa é a previsão mais recente do ONS, revelada na tarde desta quinta-feira 25 de agosto. Na avaliação, esse valor de 70.834 MW médios está em um patamar 0,2 ponto porcentual menor do que o projetado na 2ª revisão quadrimestral da carga de 2022 a 2026 que passou a ser considerado a partir do Programa Mensal de Operação de setembro. Segundo a apresentação do Operador, esse valor mais baixo decorre dos ajustes aplicados a partir da carga de agosto que está menor do que o mesmo período do ano passado em 1,9%. Em setembro, a perspectiva é um valor também menor do que o reportado em 2021, a previsão inicial é de patamar 1,2% menor. Já para outubro a previsão é de que haja um crescimento acentuado, na ordem de 6,6%, ainda assim, 0,8 p.p a menos do apontado na segunda revisão. (CanalEnergia – 25.08.2022)
Link Externo

ONS/PMO: Afluências devem ficar abaixo da média em setembro

O mês de setembro, que historicamente marca o início da transição do período sazonalmente mais seco para o período chuvoso, tende a apresentar afluências abaixo da média para o período na maior parte do País, conforme informou hoje o ONS, durante reunião do Programa Mensal de Operação (PMO). De acordo com o órgão setorial, a expectativa é que o subsistema Sudeste/Centro-Oeste, considerado a caixa d’água do setor, registre no mês que vem Energia Natural Afluente (ENA) de 13.547 MWm, o que corresponde a 69% da média histórica para o mês. Se confirmado, esse volume marcará o 11º pior setembro do histórico. Segundo as estimativas do ONS, o indicador pode oscilar entre 57% e 80% da média de longo prazo (MLT) no próximo mês. (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo

ONS: custo marginal da operação cai 2,8% entre 27/8 e 2/9, para R$ 50,19 por MWh

O Custo Marginal da Operação (CMO) para o período de 27 de agosto a 2 de setembro caiu 2,8% em relação à semana anterior, passando de R$ 51,65 por MWh para R$ 50,19/MWh, em todos os submercados, informou há pouco o ONS. Durante reunião do Programa Mensal de Operação (PMO) referente ao mês de setembro, técnicos apresentaram uma tabela com o CMO indicativo para as próximas semanas com valores que se mantêm na casa dos R$ 50/MWh até o fim de setembro. O CMO é o custo para se produzir 1 MWh para atender ao Sistema Interligado Nacional (SIN). (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo

Região Nordeste está com 75% da capacidade

Operando com 75% de sua capacidade de armazenamento, os reservatórios do Nordeste tiveram redução de 0,5 ponto percentual em seus níveis na última quarta-feira, 24 de agosto, se comparado ao dia anterior, segundo o boletim do ONS. A energia armazenada marca 38.794 MW mês e ENA de 2.100 MW med, equivalente a 68% da MLT. A hidrelétrica de Sobradinho marca 75,41%. A região Norte teve recuo de 0,2 p.p e os reservatórios trabalham com 86,2% da capacidade. A energia retida é de 13.197 MW mês e ENA de 2.489 MW med, valor que corresponde a 90% da MLT. O submercado do Sudeste/Centro-Oeste diminuiu 0,2 p.p e a capacidade está em 57,3%. A energia armazenada mostra 117.272 MW mês e a ENA é de 17.095MW med, valor que corresponde a 78% da MLT. Os reservatórios da Região Sul tiveram aumento de 0,4 p.p e operam com 85,6%. A energia armazenada é de 16.830 MW mês e a energia natural afluente marca 12.176 MW med, correspondendo a 119% da MLT. (CanalEnergia – 25.08.2022)
Link Externo

São Francisco tem vazões 16% acima do esperado em 11 meses

O ONS apresentou um estudo sobre as condições meteorológicas do período de outubro de 2021 a agosto deste ano. Nesse período, apontou o órgão, apenas a bacia do São Francisco apresenta volumes de precipitação acumulada acima da média histórica. Esse patamar está na ordem de 16%. Outro grupo de bacias que apresentou desempenho similar reúne o Tocantins, Paranaíba e o Grande que tiveram volumes acima de média até o final de março e depois o comportamento inverteu e está abaixo até o momento. Atualmente, os índices são negativos em 13% para o primeiro e 10% nos dois seguintes. No Uruguai o volume está menor desde o final do ano passado e encontra-se 5% a menos do esperado enquanto no Iguaçu está dentro do esperado, apesar de volumes abaixo da média, mais notadamente em março. (CanalEnergia – 25.08.2022)
Link Externo

Preço da eletricidade francesa excede 1.000 euros pela primeira vez

A eletricidade francesa para o próximo ano ultrapassou 1.000 euros na sexta-feira, o recorde mais recente em um rali que viu o contrato futuro subir mais de 10 vezes desde o ano passado. Os preços em toda a Europa estão estabelecendo novas máximas quase diariamente, já que a Rússia restringe o fornecimento de gás natural antes do período crucial de aquecimento no inverno. O aumento sem precedentes nos custos de energia está alimentando a inflação e ameaçando as finanças das famílias e empresas em toda a Europa. Os governos europeus começaram a tomar medidas drásticas de limitar o uso de energia, como proibir a iluminação externa de edifícios na Alemanha e reduzir as temperaturas de aquecimento interno. No Reino Unido, as contas de energia devem aumentar em outubro, depois que o regulador de energia elevou seu limite de custos. (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo

Mobilidade Elétrica

Enel X Way instala estações de recarga para VEs no Citi Center

A Enel X Way e o Citi Brasil firmaram uma parceria para disponibilizar oito carregadores para veículos elétricos a funcionários e clientes no Citi Center, sede do banco na Avenida Paulista, em São Paulo. Os equipamentos instalados fornecem um carregamento inteligente semi-rápido, abastecendo 80% da bateria de um automóvel elétrico e híbridos plug-in em aproximadamente 3 horas. Segundo a nova linha global de negócios totalmente dedicada à mobilidade elétrica da Enel Brasil, serão duas estações por cada subsolo do estacionamento, seis deles de uso exclusivo dos funcionários da instituição e dois também para visitantes, no subsolo do prédio do Citibank. A instalação dos carregadores faz parte do projeto de reforma do Citi Center, que incorporou diversos elementos relacionados à sustentabilidade, como estação de tratamento de água de reuso, iluminação 100% LED, uso de materiais recicláveis e/ou biodegradáveis, equipamentos mais eficientes energeticamente e coleta seletiva de lixo em todos os andares. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Volkswagen/Mercedes: Acordo com Ottawa para aumentar participação na indústria da mineração

Para apoiar a transição energética, Volkswagen e Mercedes estão de olho no Canadá. As montadoras fazem isso para intensificar seu envolvimento na indústria de mineração e, nesse sentido, acabaram de assinar um Memorando de Entendimento com o governo de Ottawa para iniciar uma série de investimentos em empresas do setor e garantir uma oferta adequada e estável de matérias-primas. Além do fato de que o país norte-americano adota métodos modernos de produção com baixo impacto ambiental, também foi escolhido como parceiro por ter depósitos de praticamente todas as principais matérias-primas necessárias para a produção de baterias. Esta não é uma pequena vantagem em termos de tornar as operações mais eficientes. A ideia de crescer no setor de mineração está gradualmente entrando no setor automotivo. (Inside EVs - 28.08.2022)
Link Externo

Inovação e Tecnologia

CCEE colocará o Brasil na vanguarda do debate global sobre hidrogênio renovável

Na próxima segunda-feira (29), representantes da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE vão a Paris para defender a criação de um grupo de trabalho voltado para a certificação da energia que será utilizada na produção de hidrogênio renovável. A proposta será levada para a sessão 2022 do Comitê Internacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica – CIGRE, a maior comunidade global do setor.A iniciativa, que já foi pré-aprovada pelo órgão, deverá ser liderada pelo Brasil e, segundo a CCEE, será fundamental para posicionar o país como referência na produção do insumo de forma limpa. O grupo contará com a contribuição da própria Câmara e de integrantes de outros países interessados. (CCEE – 26.08.2022) 
Link Externo

Energias Renováveis

Pagamento por uso de rede deve afetar pouco o avanço da geração distribuída de energia

O início do pagamento pelo uso da rede de distribuição pelos consumidores que aderirem à chamada Geração Distribuída (GD), implantada, sobretudo, via fonte solar, a partir do ano que vem não deve ser um freio ao crescimento do segmento nos próximos anos, de acordo com empresas que atuam no setor. A atualização nas regras do segmento está prevista da Lei 14.300, de 6 de janeiro de 2022, conhecida como marco regulatório da microgeração ou minigeração distribuída. A legislação prevê que, em 2023, terá início uma transição, de modo que os sistemas de GD implantados a partir dessa data passem a pagar pelo uso da rede, que até a então será isenta. No primeiro ano, o pagamento será de 15% da remuneração às distribuidoras. Depois, o índice aumenta 15 pontos porcentuais por ano até alcançar a integralidade em 2029. (O Estado de São Paulo – 26.08.2022)
Link Externo

Virgo aposta em energia renovável e impulsiona captação de recursos para projetos

Dados da Absolar mostram que a adoção por geração distribuída pode diminuir a conta de luz de todos os brasileiros, que o utilizem ou não, em 5,6% na próxima década. E para incentivar ainda mais a propagação da energia renovável, a Virgo acaba de anunciar condições para empresas do setor captarem recursos e se desenvolverem. Focada em atender projetos com necessidade de financiamento entre R$ 10 e R$ 50 milhões, a Virgo irá conectá-los a investidores para financiamento de até 100% dos custos de implementação de plantas solares. As formas de captação serão por meio da antecipação de recebíveis de projetos operacionais ou em construção, financiamento das obras e equipamentos ou pelo reembolso dos investimentos feitos nos últimos 2 anos. (CanalEnergia – 26.08.2022)
Link Externo

Alemanha: Mar Báltico tem potencial enorme para energia eólica

O Mar Báltico pode produzir com uso de energia eólica mais de 90 GW, "mais que o dobro da capacidade instalada de todas as usinas a carvão alemãs", afirmou a ministra das Relações Exteriores da Alemanha, Annalena Baerbock. Já o chanceler alemão Olaf Scholtz disse que a Alemanha continua comprometida em acabar com suas emissões de gases de efeito estufa até 2045, o primeiro país industrializado. Para cumprir a meta, seu governo disse que fecharia as usinas a carvão que foram reativadas durante a guerra na Ucrânia, encerrar as importações de petróleo e carvão russos este ano e pretende parar de usar gás russo nos próximos dois anos. (BroadCast Energia – 26.08.2022)
Link Externo

Gás e Termelétricas

Ibama renova licença de instalação de Angra 3 por mais seis anos

A Eletronuclear recebeu do Ibama, na última quinta-feira, 25, a renovação da licença ambiental de instalação da usina nuclear Angra 3, obra iniciada na década de 1980, retomada em 2010, e interrompida em 2015 sob suspeita de corrupção. Com início de operação várias vezes prorrogado, a previsão agora é de que o empreendimento comece a gerar energia em fevereiro de 2028. “A renovação da licença chega no momento apropriado para a primeira concretagem do edifício do reator, a ocorrer em setembro", informou o presidente da Eletronuclear, Leonam Guimarães. O documento do Ibama terá validade de seis anos e precisará cumprir alguns critérios pré-estabelecidos pelo órgão para que seja validado. (BroadCast Energia – 28.08.2022) 
Link Externo

Justiça nega recursos à Kapowership para apresentação de Eia-Rima

Em mais um movimento no caso das usinas da Karpowership, a Justiça negou o agravo de instrumento interposto pelo Estado e manteve a decisão da 2.ª Vara da Fazenda Pública, que impede a continuidade da instalação das centrais negociadas no PCS, em outubro de 2021. Com essa decisão a exigência de apresentação de um EIA-Rima para o projeto se mantém. A normativa do Conama determina a apresentação de EIA-RIMA para o licenciamento de atividades modificadoras do meio ambiente, o que inclui usinas de geração de eletricidade acima de 10 MW de potência, qualquer que seja a fonte de energia primária. A desembargadora relatora da 9.ª Vara Cível do TJRJ, Daniela Brandão Ferreira, destacou que o empreendimento possui capacidade de 560 MW, volume considerado muito superior ao limite mínimo acima do qual a legislação em vigor exige a prévia elaboração de EIA/RIMA. (CanalEnergia – 25.08.2022)
Link Externo

Ucrânia: temor de vazamento de radiação aumenta perto da usina nuclear

Autoridades ucranianas começaram a distribuir comprimidos de iodo para moradores perto da usina nuclear de Zaporizhzhia em caso de vazamento de radiação. A medida ocorre em meio a temores crescentes de que os combates ao redor do complexo possam desencadear uma catástrofe nuclear. A mudança ocorreu um dia depois que a usina foi temporariamente desativada sob a alegação de danos causados pelo incêndio em uma linha de transmissão. O incidente aumentou o medo de um desastre nuclear em um país ainda assombrado pela explosão de 1986, em Chernobyl. O bombardeio contínuo foi relatado na área durante a noite. E imagens de satélite do Planet Labs mostraram incêndios queimando ao redor do complexo - a maior usina nuclear da Europa - nos últimos dias. (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo

Ucrânia reconecta usina nuclear em meio à pressão para inspeção da ONU

Trabalhadores ucranianos da maior usina nuclear da Europa reconectaram um de seus reatores à rede nesta sexta-feira. Isto ocorreu após semanas de conflito com a Rússia e que aumentou as preocupações de um acidente nuclear. Autoridades em Kiev e Moscou trocaram acusações pela interrupção de quinta-feira, 25, na usina nuclear de Zaporizhzhia, que desligou a sua instalação de 37 anos da rede elétrica da Ucrânia pela primeira vez. E ameaçou deixar grande parte do sul do país sem eletricidade. Em um comunicado divulgado hoje, o regulador de energia atômica da Ucrânia, Energoatom, disse que uma das unidades de energia foi interrompida na quinta-feira e reconectada à rede. (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo

Alemanha reavalia sobretaxa de gás após críticas sobre lucros

O governo alemão está considerando reavaliar seus planos para os consumidores pagarem uma sobretaxa pelo gás natural. O motivo seriam as crescentes críticas de que o dinheiro poderia fluir para empresas de energia altamente lucrativas, disseram autoridades alemãs nesta sexta-feira, 26. A sobretaxa de 2,4 centavos de euro por quilowatt-hora foi anunciada há duas semanas e pode custar às famílias de classe média algumas centenas de euros por ano. A medida deve entrar em vigor em outubro e visa resgatar importadores atingidos pelos cortes russos ligados à guerra na Ucrânia. As empresas de energia que anteriormente dependiam do gás russo agora estão lutando para encontrar suprimentos alternativos. Muitas vezes tendo que pagar consideravelmente mais devido ao aumento acentuado dos preços globais, enquanto não conseguem repassar toda a diferença para seus clientes devido aos contratos de custo fixo. Outros, porém, obtiveram lucros maiores com os preços mais altos. (BroadCast Energia – 26.08.2022) 
Link Externo