IFE
09/11/2023

IFE Hidrogênio 148

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu, Sofia Paoli e Gabriela Vasconcelos
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
09/11/2023

IFE nº 148

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu, Sofia Paoli e Gabriela Vasconcelos
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 148

Políticas Públicas e Financiamentos

Brasil: Relator do hidrogênio verde propõe incentivos fiscais

Na Câmara dos Deputados, está em andamento a regulamentação do hidrogênio verde e das usinas eólicas offshore. O deputado Arnaldo Jardim, que preside a Comissão Especial da Transição Energética e Produção do Hidrogênio Verde no Brasil, apresentou um relatório preliminar com o objetivo de criar um marco legal para o hidrogênio de baixo carbono. O projeto, relatado pelo deputado Bacelar, propõe incentivos como a desoneração do investimento para produtores de hidrogênio e atividades acessórias, além de reduções no Imposto de Renda e na Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL). No entanto, a reforma tributária paralela é uma preocupação. Quanto ao projeto sobre eólicas offshore, o relator, deputado Zé Vitor, pretende alterar dois pontos do texto já aprovado pelo Senado para acelerar a tramitação da proposta. (Valor Econômico - 23.10.2023) 
Link Externo

Brasil: Hidrogênio tem momento decisivo no Congresso

O Congresso brasileiro irá debater e tentar consolidar três propostas legislativas relacionadas ao hidrogênio. Os pontos em discussão incluem a definição conceitual do hidrogênio, incentivos para produção e consumo, e a criação de subsídios, bem como a origem dos recursos para uma política nacional de hidrogênio. Os parlamentares buscam enfrentar os planos robustos de incentivos dos Estados Unidos e da União Europeia para a produção e uso doméstico de hidrogênio. As propostas envolvem a criação do Programa de Desenvolvimento do Hidrogênio de Baixo Carbono e discutem a origem dos recursos para financiamento, incluindo possíveis descontos nas tarifas de transmissão e distribuição de energia. A definição de hidrogênio de baixo carbono e a certificação da produção são fundamentais para garantir o caráter verde dos projetos. (EPBR – 23.10.2023) 
Link Externo

BEI assina acordo de financiamento de 40 milhões de euros com a Battolyser Systems

A empresa Battolyser Systems estabeleceu um contrato de financiamento de 40 milhões de euros (equivalente a 42,5 milhões de dólares) com o Banco Europeu de Investimento (BEI) para expandir sua solução integrada de bateria e eletrolisador. Esta tecnologia foi desenvolvida para gerar hidrogênio a partir de fontes renováveis, aproveitando períodos de baixos custos de energia e fornecendo eletricidade à rede durante fases de preços elevados. Este processo auxilia na incorporação de fontes renováveis no sistema energético. Contando com o respaldo de uma garantia do Fundo InvestEU, o acordo de financiamento com o BEI possibilitará à companhia expandir suas instalações de produção em Roterdã para a fabricação em larga escala da tecnologia. Isso ocorreu após a Battolyser ter revelado, em novembro de 2022, planos para a construção de uma fábrica com capacidade de 1 GW. (H2 View – 11.10.2023) 
Link Externo

Elcogen recebe apoio da HD Hyundai para aumentar sua capacidade de tecnologia de óxido sólido

A Elcogen anunciou um investimento estratégico de 45 milhões de euros (equivalente a US$47,7 milhões) pela Korea Shipbuilding & Offshore Engineering (KSOE) em sua tecnologia de produção de hidrogênio. A KSOE, membro do Grupo HD Hyundai com sede na Coreia do Sul, efetuará esse investimento mediante aprovação dos acionistas da Elcogen para a emissão de novas ações. A parceria visa fortalecer colaborações nas áreas de sistemas de propulsão marítima e geração de energia estacionária, utilizando a célula a combustível de óxido sólido (SOFC) da Elcogen e a tecnologia de eletrolisador de óxido sólido (SOEC) para produção de hidrogênio verde. Esse investimento também impulsiona a expansão da capacidade de produção da Elcogen, em linha com a construção de uma nova fábrica em Tallinn, Estónia, prevista para atingir uma capacidade de produção de até 360 MW, visando atender à crescente demanda por seus produtos. (H2 View – 11.10.2023) 
Link Externo

Brasil: Comissão da Câmara apresenta proposta para marco do hidrogênio

O relator da Comissão Especial de Transição Energética e Produção de Hidrogênio da Câmara dos Deputados, João Carlos Bacelar (PV-BA), apresentou um esboço do que será o projeto de lei sobre o marco do hidrogênio de baixo carbono. O parecer foi lido no dia 10 de outubro, após audiência pública na comissão, e ficará aberto a contribuições por 15 dias. A proposta traz as disposições gerais sobre a Política Nacional do Hidrogênio, com princípios, objetivos e conceitos (taxonomia) a serem utilizados, governança e instrumentos de incentivo. Tem semelhanças com o PL apresentado na comissão do hidrogênio do Senado, mas inclui outros pontos, alguns dos quais com potencial de gerar polêmica no setor elétrico, como a concessão de descontos de pelo menos 50% nas tarifas de uso dos sistemas de transmissão (Tust) e de distribuição (Tusd), na aquisição de energia de fontes renováveis. (CanalEnergia - 11.10.2023) 
Link Externo

Brasil: Prates volta a defender que ANP regule produção de H2V para uso energético no País

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, voltou a defender que a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) seja a reguladora das atividades de produção de hidrogênio para uso energético no País. "A ANP é, a nosso ver, a agência reguladora mais apropriada para as atividades de produção, armazenamento e transporte de hidrogênio em escala industrial/comercial e para uso energético", escreveu Prates, em uma rede social. "Claro que, como em outros segmentos, terá que interagir com outros órgãos. Mas é evidente que a similaridade logística e operacional com as atividades de gás natural, e a desejada/gradual substituição de um pelo outro, tornam inevitável ter a mesma agência reguladora para os dois. (Broadcast Energia - 11.10.2023) 
Link Externo

Produção

Estados Unidos: Green Hydrogen International e INPEX CORPORATION avançam com projeto de hidrogênio no sul do Texas

A INPEX CORPORATION, a maior empresa de exploração e produção de petróleo e gás do Japão, e a Green Hydrogen International (GHI), líder mundial em desenvolvimento de hidrogênio verde, firmaram um acordo de Estudo Conjunto para avançar o projeto Hydrogen City da GHI no sul do Texas. O projeto visa produzir hidrogênio verde e amônia verde para atender à crescente demanda dos mercados asiáticos e globais. Utilizando armazenamento em cavernas de sal e energia renovável por trás do medidor, o projeto busca resolver os desafios de custo e escala na produção de hidrogênio verde. A primeira fase do projeto prevê a produção de 280 mil toneladas de hidrogênio verde por ano, com operações comerciais previstas para 2029, e planos de expansão futura conforme a demanda dos clientes aumenta. (Hydrogen Central - 13.10.2023) 
Link Externo

Espanha: Thyssenkrupp Uhde avança projeto para uma Planta de Produção de Hidrogênio Verde/Amônia

A thyssenkrupp Uhde foi contratada pela Hive Energy Limited para fornecer um pré-FEED (Front End Engineering Design) em apoio ao desenvolvimento da primeira planta de produção de hidrogênio verde/amônia da Hive na Espanha. O pré-FEED baseia-se na tecnologia de síntese de amônia dinâmica da thyssenkrupp Uhde e visa aprimorar o conceito técnico e iniciar atividades-chave de engenharia para a planta. O projeto planeja produzir 1.200 toneladas por dia de hidrogênio verde e amônia verde. (Thyssenkrupp - 09.10.2023) 
Link Externo

Reino Unido investe em um Supercluster de Hidrogênio

Um investimento significativo está sendo feito para desenvolver um supercluster de hidrogênio no Sudoeste da Inglaterra e Sul do País de Gales. O projeto, liderado pelas universidades de Bath e Exeter, visa impulsionar a transição para o hidrogênio verde, apoiando até 100 mil empregos até 2050. O supercluster GW-SHIFT (Great Western Supercluster of Hydrogen Impact for Future Technologies) receberá £2.5 milhões do Engineering and Physical Sciences Research Council (EPSRC) e envolve colaboração entre instituições acadêmicas, parceiros da indústria e cívicos para impulsionar a pesquisa e inovação em tecnologias de hidrogênio sustentáveis. O projeto focará em temas como produção, armazenamento, distribuição, conversão e transporte de hidrogênio de baixo carbono, buscando soluções inovadoras para setores como aviação, transporte marítimo, aquecimento de edifícios e setor de energia. (University of Exeter - 09.10.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Noruega/Alemanha: Gen2 Energy e SEFE firmam acordo preliminar de transação para entrega de hidrogênio verde

A Gen2 Energy e a SEFE (Securing Energy for Europe) assinaram um Acordo Preliminar de Transação para a entrega de hidrogênio verde, representando um passo significativo para a importação de hidrogênio verde da Noruega para a Alemanha. Este acordo define os termos e condições para um contrato de compra e venda final, estabelecendo as bases para a criação de uma cadeia de abastecimento de hidrogênio verde entre os dois países. A Gen2 Energy planeja produzir hidrogênio verde em sua primeira instalação de produção em Mosjøen, Noruega, e esse acordo é um passo crucial para viabilizar o projeto e a cadeia de suprimentos relacionada. A iniciativa visa atender à crescente demanda por fontes de energia mais limpas na Alemanha e na Europa, contribuindo para a transição energética e a redução das emissões de carbono na indústria. (Gen2Energy - 12.11.2023) 
Link Externo

Uso Final

Portugal: KBR é selecionada por Madoqua Power2X para fornecer tecnologia de amônia verde

A KBR, líder em tecnologia de amônia, foi escolhida pela Madoqua Power2X, uma joint venture formada pela Madoqua Renewables, Power2X e Copenhagen Infrastructure Partners, para fornecer tecnologia e soluções de amônia verde em Portugal. Isso abrange projetos de amônia verde com uma capacidade de produção de 1200 toneladas por dia na Fase 1 e 1500 toneladas por dia na Fase 2. A KBR também irá implementar soluções digitais avançadas para otimizar a eficiência energética da instalação. A amônia verde é um elemento-chave na transição de energia e a KBR está desempenhando um papel crucial no desenvolvimento de tecnologias que promovem um futuro energeticamente responsável. A Madoqua Renewables está comprometida com a sustentabilidade ambiental e este projeto contribuirá para atender às suas metas de ESG. A colaboração entre essas empresas busca impulsionar a produção de amônia verde, apoiando a transição energética e promovendo tecnologias mais limpas e sustentáveis em Portugal. (KBR - 12.10.2023) 
Link Externo

Austrália: Genex assegura acordo de energia solar de 25 anos com Fortescue para projeto de hidrogênio verde e amônia

A Genex Power Limited anunciou que sua subsidiária fechou um acordo de compra de energia solar com a Fortescue Metals Group Limited para o Projeto Solar e de Bateria Bulli Creek (BCP) de até 2 GW. O contrato, com duração de 25 anos, prevê o fornecimento de até 337,5 MW de energia solar para a Fortescue, que planeja utilizar essa energia para operar uma instalação de hidrogênio verde e amônia no Projeto Gibson Island. A Genex e a J-POWER planejam o desenvolvimento da primeira fase do BCP como uma fazenda solar de grande escala, marcando um importante passo na transição energética australiana. (Genex Power - 09.11.2023) 
Link Externo

Dinamarca: Novo fundo KGAL ESPF 6 investe em produção de e-querosene da Arcadia eFuels

O novo fundo de impacto KGAL ESPF 6 deu um grande passo ao investir na instalação de produção de e-querosene da Arcadia eFuels, localizada em Vordingborg, Dinamarca. A instalação, programada para entrar em operação a partir de meados de 2026, tem como objetivo produzir cerca de 68 mil toneladas de e-querosene por ano, fazendo uso de hidrogênio verde auto-produzido. O compromisso com a produção de querosene de baixo carbono é um passo significativo na transição da aviação para fontes de energia mais limpas e no crescimento do mercado de hidrogênio verde na Europa. O hidrogênio verde tem um grande potencial em várias aplicações, incluindo aviação, logística, indústrias de aço e química, tratamento de água e agricultura. Com a demanda crescente por fontes de energia mais limpas, o hidrogênio verde tem o potencial de desempenhar um papel vital em alcançar as metas de sustentabilidade. (Arcadia eFuels - 12.09.2023) 
Link Externo

Itália: NanoSUN e IIT Hydrogen Bolzano estabelecem iniciativa de vanguarda para abastecimento móvel de hidrogênio

A NanoSUN, uma empresa pioneira em engenharia especializada em soluções móveis de abastecimento de hidrogênio, e a IIT Hydrogen Bolzano, primeira provedora italiana de estações públicas de abastecimento de hidrogênio, assinaram um memorando de entendimento. A parceria tem como objetivo promover o uso do Pioneer, um sistema móvel de abastecimento de hidrogênio, na Itália. A colaboração aproveita a experiência da IIT Hydrogen Bolzano na entrega de projetos de infraestrutura de hidrogênio e conformidade regulatória, juntamente com a expertise da NanoSUN em implantações do Pioneer no Reino Unido e na Alemanha. A Itália está fazendo investimentos substanciais em hidrogênio, alocando € 3,64 bilhões para a transição para o hidrogênio verde, incluindo o estabelecimento de uma rede nacional de estações de abastecimento de hidrogênio. A parceria entre a NanoSUN e a IIT Hydrogen Bolzano contribuirá para acelerar a adoção de hidrogênio verde em diversas aplicações, incluindo veículos pesados e casos de uso fora de estrada. (NanoSUN - 12.10.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: SwRI foi selecionado para receber subsídio para avaliação de sistema de compressores para misturas de hidrogênio e gás natural

O Southwest Research Institute (SwRI) foi escolhido para receber um contrato de US$ 1,5 milhão do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) para avaliar a segurança e eficiência de um sistema de compressor em escala real para misturas de hidrogênio e gás natural, contendo até 20% de hidrogênio em volume. O SwRI colaborará com o Gas Machinery Research Council (GMRC) neste projeto. O SwRI fará modificações menores no sistema de compressor, atualizando alguns componentes para compatibilidade com o hidrogênio e melhorando as capacidades para operação com a mistura de hidrogênio e gás natural. Além disso, a equipe medirá vazamentos e testará medidores de gás quanto à precisão e compatibilidade com as misturas de hidrogênio e gás natural. As lições aprendidas a partir deste trabalho resultarão em um documento de melhores práticas para operadores de gasodutos. (SwRI - 12.10.2023) 
Link Externo

Austrália: Ampcontrol lança gerador de energia independente a hidrogênio

A Ampcontrol, fabricante de engenharia elétrica, apresentou seu Sistema de Energia Autônomo Integrado a Hidrogênio 100% Renovável (HiSAPS) em sua fábrica em Ringwood, Victoria. Este sistema, alimentado por energia solar, representa uma colaboração entre várias empresas australianas e demonstra a integração completa do hidrogênio como fonte de energia limpa e confiável para geração de eletricidade. O projeto, financiado por uma concessão de US$ 176.150 do Departamento de Energia, Meio Ambiente e Ação Climática de Victoria, é um marco na transição para um futuro energético mais limpo, confiável e acessível. (AmpControl - 12.10.2023) 
Link Externo

Chile: HIF Global e Empresas GASCO produzem gás liquefeito carbono-neutro

A HIF Global, líder mundial em eCombustíveis, e a empresa chilena Empresas GASCO anunciaram a produção do primeiro gás liquefeito de carbono neutro (eLG) do mundo, gerado com energia renovável proveniente dos fortes ventos da Região de Magallanes, no sul do Chile. Este projeto inovador é resultado de um investimento de P&D de US$ 3 milhões da GASCO e representa um avanço significativo no setor do hidrogênio verde. O eLG é produzido como subproduto da conversão de eMetanol em eGasolina na instalação Haru Oni eFuels da HIF Global, e é uma opção segura e sustentável para o armazenamento e transporte de gás liquefeito convencional. Esta iniciativa contribui para a transição em direção à neutralidade de carbono e é parte de um esforço conjunto para enfrentar as mudanças climáticas. (PRnewswire - 09.10.2023) 
Link Externo

Itália: Projeto Hydra da RINA recebe apoio da Comissão Europeia para impulsionar produção de aço baseada em hidrogênio

A empresa multinacional de consultoria em engenharia, pesquisa e desenvolvimento, inspeção e certificação, RINA, anunciou o início do projeto de pesquisa de seis anos chamado "Hydra" para construir uma planta piloto movida a 100% de hidrogênio capaz de produzir até sete toneladas de diferentes tipos de aço por hora. Este ambicioso projeto de pesquisa aberto fornecerá tecnologia e capacidades revolucionárias de baixo carbono para a indústria siderúrgica internacional. O projeto Hydra é financiado pelo NextGenerationEU da Comissão Europeia e apoiado pelo Ministério das Empresas e Made in Italy da Itália por meio do Centro de Desenvolvimento de Materiais (CSM) da RINA em Castel Romano (Itália), com um orçamento de 88 milhões de euros, também faz parte dos Projetos Importantes de Interesse Comum Europeu (IPCEI). O Hydra envolverá o design e a construção de uma planta piloto operacional, que utilizará o hidrogênio em todas as etapas do ciclo de produção de aço. A estrutura, programada para ser concluída até 2025, consistirá em uma torre de redução de minério de ferro direto (DRI) de 30 metros de altura, que utiliza o hidrogênio como agente redutor, um forno elétrico a arco (EAF) e um forno de reaquecimento. (Hydrogen Central - 12.10.2023)   
Link Externo

Tecnologia e Inovação

LifeGuard Technologies lançou nova mangueira de segurança para hidrogênio líquido

A LifeGuard Technologies, com sede nos EUA, lançou uma nova mangueira de segurança com camisa a vácuo projetada especificamente para transferência de hidrogênio líquido e hélio. Equipada com isolamento e sistema de desligamento interno de segurança patenteado e com patente pendente da LifeGuard, espera-se que a nova mangueira forneça o valor de isolamento, qualidade e segurança necessários para transportar hidrogênio líquido. Utilizando um sistema de mola de compressão de engenharia com dois valores de retenção dentro de cada conexão, o sistema de segurança é integrado à nova mangueira, o que fará com que as válvulas internas se encaixem e a tubulação permaneça intacta enquanto a lentidão para em ambas as extremidades da mangueira para evitar a perda de produto em caso de separação de emergência. Desenvolvido em conjunto com a empresa irmã da LifeGuard, GPSS Índia e Shell-N-Tube da Índia, a empresa acredita que a nova mangueira permitirá à indústria do hidrogênio garantir a produção, armazenamento, transporte e utilização seguros do transportador de energia em todos os setores. (H2 View – 17.10.2023) 
Link Externo

França: Turbina a gás da Siemens é operada com hidrogênio renovável

A Siemens Energy conduziu um projeto na França em parceria com a empresa de embalagens de papel Smurfit Kappa, onde uma turbina industrial a gás operou com hidrogênio renovável. O projeto chamado HYFLEXPOWER envolveu a produção de hidrogênio por meio de um eletrolisador de 1 MW, que foi armazenado e utilizado pela turbina Siemens SGT-400 na planta de Saillat-sur-Vienne. A iniciativa, integrada pela Siemens Energy, ENGIE, Centrax, Arttic, o Centro Aeroespacial Alemão (DLR) e quatro universidades europeias, teve como propósito demonstrar a viabilidade do uso do hidrogênio como meio flexível de armazenamento de energia. A Siemens Energy forneceu o eletrolisador e a turbina, a ENGIE gerenciou a produção, armazenamento e fornecimento de hidrogênio, a Centrax proporcionou o pacote de atualização para garantir a operação segura com hidrogênio, e o DLR e as universidades contribuíram para o avanço da tecnologia de turbinas. Na sequência do sucesso do teste, o consórcio HYFLEXPOWER planeja adicionar mais membros para alargar as operações à produção de calor industrial e para explorar formas de aumentar e comercializar a geração de eletricidade descarbonizada. (H2 View – 16.10.2023). 
Link Externo

GRTgaz e Groupe ADP lançam estudo para definir as condições de canalização de hidrogênio para os aeroportos Paris-Charles de Gaulle e Paris-Orly

A GRTgaz, operadora francesa de transporte de gás, e o Groupe ADP, líder mundial na indústria aeroportuária, estão colaborando em um estudo conjunto para definir as condições de canalização de hidrogênio para os aeroportos de Paris-Charles de Gaulle e Paris-Orly. O objetivo é impulsionar a descarbonização do transporte aéreo, contribuindo para o desenvolvimento de uma indústria francesa de hidrogênio. A parceria busca integrar o transporte de hidrogênio para os aeroportos, visando a sua liquefação e armazenamento antes da distribuição para as aeronaves. Essa iniciativa segue estudos anteriores realizados em 2021 envolvendo o Groupe ADP, a Airbus e a Air Liquide para caracterizar os desafios da integração de infraestruturas de hidrogênio nos aeroportos de Paris. O programa de trabalho terá uma duração de 12 meses e visa atingir os seguintes objetivos: avaliar e comparar, sob uma perspetiva técnica e econômica, as futuras grandes cadeias de abastecimento de hidrogênio para os aeroportos de Paris, considerando centros de importação ou produção de hidrogênio. Identificar as primeiras rotas possíveis para essas cadeias, especialmente aquelas constituídas por novos gasodutos. Definir um calendário estimado para a implementação dessas infraestruturas. (HydrogenCentral – 18.10.2023) 
Link Externo

Eventos

Webinar: Green Hydrogen for Local Economies

O objetivo do webinar é discutir as oportunidades locais emergentes para o hidrogênio de baixo carbono. O webinar não só mostrará as principais estratégias adaptadas a regiões vitais, mas também apresentará estudos de caso do mundo real, mostrando as oportunidades. O evento será no dia 15 de novembro e acontece de forma online.(|Missio Hydrogen - novembro de 2023). 
Link Externo

Conferência Brasil-Alemanha: Energia Eólica & Hidrogênio Renovável

O evento está sendo organizado em colaboração com o Ministério Federal Alemão de Economia e Ações Climáticas (BMWK) e ABEEólica – Associação Brasileira de Energia Eólica Onshore e Offshore e Novas Tecnologias e a AHK Rio, com o objetivo de promover a conexão entre os líderes por trás de empresas que atuam no setor eólico e de hidrogênio no Brasil e Alemanha. O evento será presencial no dia 27 de novembro, no Rio de Janeiro (Portal H2 Verde - novembro de 2023).
Link Externo

Artigos e Estudos

Perspectivas do mercado de hidrogênio para o segundo semestre de 2023

A necessidade urgente de descarbonização está impulsionando o desenvolvimento do hidrogênio limpo (H2), com governos comprometendo mais de 300 bilhões de dólares em financiamento. A produção de eletrolisadores tem dobrado anualmente desde 2020, e essa tendência continuará até 2024. No entanto, o desafio central reside na demanda, pois os produtores necessitam de compradores. Para impulsionar a procura de H2, serão cruciais incentivos, tanto positivos quanto negativos. Embora o investimento público em H2 limpo tenha atingido 308 bilhões de dólares, a maioria dos programas favorece os produtores em detrimento dos utilizadores, o que precisa ser corrigido para que os governos alcancem suas metas de procura. A União Europeia estabeleceu quotas para o uso de H2 renovável na indústria e transporte, enquanto a Alemanha adota contratos de carbono por diferença e planeja centrais elétricas que utilizem H2 ou seus derivados. Os EUA também anunciaram um plano de um bilhão de dólares para apoiar a procura por H2 limpo. O pipeline de projetos propostos de H2 limpo mais do que triplicou desde janeiro, chegando a 174 milhões de toneladas métricas por ano, próxima do volume necessário até 2040 para alcançar a neutralidade de carbono. Os projetos de H2 verde estão se expandindo exponencialmente, com fornecedores de equipamentos capazes de fornecer 1,7-2,1 GW de eletrolisadores em 2023, o dobro do ano anterior. Por outro lado, os projetos de H2 azul estão demorando mais para serem desenvolvidos, devido à sua maior escala e complexidade tecnológica. (Bloomberg - 19.10.2023) 
Link Externo

Regulating the future European hydrogen supply industry: A balancing act between liberalization, sustainability, and security of supply?

Este relatório analisa os desafios únicos enfrentados pela economia emergente do hidrogênio, incluindo a falta de um mercado estabelecido, de infra-estruturas de transporte e armazenamento, a incerteza sobre a procura e a oferta, e a natureza industrializada da produção de hidrogênio. A principal questão abordada é como a UE pode criar um quadro regulamentar que permita a expansão da economia do hidrogênio dentro do prazo necessário para cumprir a meta de emissões líquidas zero, assegurando ao mesmo tempo um mercado integrado que funcione bem. O documento argumenta que copiar diretamente o modelo de liberalização utilizado nos setores do gás e da eletricidade pode não ser adequado para o hidrogênio e pode levar a atrasos e incertezas. Em vez disso, sugere combinar as disposições existentes dos regulamentos sobre gás natural e eletricidade com novos elementos adaptados à indústria de fornecimento de hidrogênio. O primeiro conjunto de recomendações envolve o aproveitamento da regulamentação existente para garantir o acesso não discriminatório às futuras redes de hidrogênio, promovendo a concorrência e aumentando a resiliência do sistema. Além disso, os instrumentos e instituições estabelecidos para a coordenação europeia devem ser alargados para incluir o hidrogênio, promovendo a cooperação transfronteiriça e a integração entre o hidrogênio e a eletricidade. O documento também recomenda novas diretrizes regulamentares para abordar as características únicas da indústria do hidrogênio. Sugere o alinhamento das regras de separação das infraestruturas de transporte de hidrogênio com os objetivos de sustentabilidade e segurança, e a exploração de sinergias com as infraestruturas de gás natural existentes, assegurando simultaneamente a transparência e a concorrência leal. Dado o potencial limitado de recuperação de custos da infraestrutura emergente do mercado do hidrogénio, os decisores políticos poderão ter de se afastar temporariamente de modelos tarifários estritamente que reflitam os custos, explorando métodos alternativos, como tarifas fundidas entre diferentes vetores de energia e intervenções públicas, como subvenções, subsídios ou garantias. , para garantir investimentos suficientes em infraestruturas. Globalmente, a abordagem proposta visa criar um quadro regulamentar robusto que facilite a criação do mercado europeu do hidrogênio, ao mesmo tempo que aborda os diversos objetivos da política energética da UE. (OIES - 06.10.2023). 
Link Externo