IFE
25/10/2023

IFE Hidrogênio 147

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
25/10/2023

IFE nº 147

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 147

Políticas Públicas e Financiamentos

CBAM começa a valer e pode ajudar hidrogênio brasileiro

A União Europeia começou a implementar o Mecanismo de Ajuste de Fronteira de Carbono (CBAM), que visa precificar as emissões de produtos importados. A primeira fase é de testes e vai até o final de 2025, durante a qual os comerciantes devem apenas informar sobre as emissões de suas importações sujeitas ao mecanismo, sem pagar qualquer ajuste financeiro. A partir de 2026, o CBAM entrará em vigor por completo. Isso pode transformar o mercado de hidrogênio, amônia e fertilizantes, incentivando a importação de hidrogênio de países com produção de baixa emissão de carbono. O Brasil pode se beneficiar dessa mudança, tornando-se mais competitivo na produção de hidrogênio por eletrólise até 2036. (EPBR – 02.10.2023) 
Link Externo

Mandato para hidrogênio pode afetar competitividade do combustível, diz Barral

Em meio a discussões sobre a implementação de políticas de incentivo ao uso do hidrogênio, Thiago Barral, secretário nacional de Transição Energética e Planejamento do Ministério de Minas e Energia (MME), apontou que a incorporação de hidrogênio ao gás natural, em um mandato obrigatório, pode afetar tanto a competitividade do combustível quanto a integridade da infraestrutura dos gasodutos. Ele ressaltou que é essencial assegurar que o uso do hidrogênio não cause danos aos gasodutos, o que poderia elevar os custos de manutenção e operação no transporte. (EPBR – 05.10.2023) 
Link Externo

Comissão Europeia aprova esquema italiano de apoio a eletrolisadores de 100 milhões de euros

A Comissão Europeia aprovou um esquema italiano de 100 milhões de euros para apoiar a produção de eletrolisadores, como parte dos esforços do país para acelerar sua transição verde e reduzir a dependência de combustíveis fósseis. O regime, composto por subvenções diretas, visa promover a capacidade de fabricação de equipamentos que auxiliam na diversificação das fontes de energia. Os subsídios, disponíveis para todos os setores, excluindo instituições financeiras, foram considerados pela Comissão como apropriados e proporcionais para impulsionar a transição verde e facilitar o desenvolvimento de atividades econômicas específicas. (H2 View – 09.10.2023) 
Link Externo

Conselho Belga do Hidrogênio faz Recomendações Políticas para a Legislatura 2024-2029

O Conselho Belga do Hidrogénio (BHC) pediu ao próximo governo que reafirme e reforce as ambições do país em relação ao hidrogênio antes das eleições gerais de junho de 2024. O BHC enfatizou a necessidade de uma política de hidrogênio robusta, destacando a importância de criar um mecanismo de apoio para reduzir a disparidade de preços entre o hidrogênio limpo e fóssil, além de desenvolver uma infraestrutura de hidrogênio interligada internacionalmente. O conselho também defendeu a promoção do mercado de hidrogênio, incentivo ao uso e comércio, implementação de regulamentações para infraestruturas de reabastecimento alternativo, apoio financeiro para veículos e estímulo à pesquisa e desenvolvimento no campo do hidrogênio. (H2 View – 06.10.2023) 
Link Externo

Países exploram potencial natural de hidrogênio

O Sultanato de Omã exibiu fenômenos visíveis de hidrogênio natural em ação no ofiolito de Samail durante o Workshop Técnico EUA-Omã sobre Hidrogênio Geológico. Acredita-se que exista uma reserva significativa de hidrogênio geológico no subsolo da Terra, o que poderia revolucionar a transição energética se puder ser produzido em grande escala e a baixo custo. O evento também testemunhou a assinatura de um Memorando de Entendimento entre o Ministério de Energia e Recursos Minerais de Omã e a empresa Eden, premiada pelo DOE/ARPA-E, para explorar a produção de hidrogênio geológico nos Estados Unidos. Enquanto isso, a empresa Gold Hydrogen está se preparando para perfurar o primeiro poço na Península de Yorke, Austrália, em busca de hidrogênio natural em quantidades comerciais, como parte dos esforços do país para neutralizar as emissões de carbono. Testes anteriores indicam a presença de hidrogênio em várias localidades da área do projeto Ramsay. (H2 View – 04.10.2023) 
Link Externo

Produção

Emirados Árabes: ADNOC aceita FID em projeto de captura de carbono e hidrogênio de US$ 17 bilhões

A Abu Dhabi National Oil Company (ADNOC) aprovou um projeto de captura de carbono e produção de hidrogênio offshore e onshore, com um investimento de quase 17 bilhões de dólares. O projeto nas áreas de Hail e Ghasha irá capturar 1,5 milhões de toneladas de CO2 anualmente, elevando a capacidade total de captura da ADNOC para quase 4 milhões de toneladas por ano. O CO2 capturado será armazenado no subsolo, enquanto o hidrogênio de baixo carbono será produzido para substituir combustíveis fósseis. O projeto também usará energia limpa de fontes nucleares e renováveis (ADNOC - 05.10.2023).
Link Externo

MOL e EDF Renewables Firmam Parceria para aproveitar oportunidades de energia eólica offshore e hidrogênio verde

A MOL (Mitsui O.S.K. Lines, Ltd.) e a EDF Renewables firmaram um memorando de entendimento (MoU) para colaborar no desenvolvimento de energia eólica offshore e negócios relacionados, bem como para promover o desenvolvimento de hidrogênio verde. A EDF Renewables é uma empresa internacional de energia ativa em mais de 20 países, com experiência de mais de 10 anos em energia eólica offshore. A MOL é uma importante empresa de navegação com vasta experiência global nos setores marítimos e offshore. Com esta parceria, ambas as empresas pretendem unir suas respectivas experiências em energia eólica offshore e soluções de hidrogênio verde para contribuir para as metas de energia eólica offshore e estratégias de hidrogênio com zero emissões de carbono. O acordo visa acelerar o desenvolvimento de fazendas de energia eólica offshore e projetos de hidrogênio verde em todo o mundo. (Hydrogen Central - 05.10.2023) 
Link Externo

Toshiba e Furuya exploram aliança para rede de fornecimento estável de irídio para produção de hidrogênio

A Toshiba Energy Systems & Solutions Corporation ("Toshiba ESS") anunciou que concordou com um memorando de entendimento com a Furuya Metal Co., Ltd. ("Furuya") para explorar uma aliança visando estabelecer uma rede de fornecimento estável de irídio. O irídio é um dos metais mais raros do mundo e é essencial para a fabricação de membranas de troca de prótons (PEM) usadas em eletrolisadores. A aliança proposta reforçará a cadeia de fornecimento do metal e aprimorará a fabricação de conjuntos de eletrodos de membrana (MEA) com tecnologia à base de irídio desenvolvida pelo Grupo Toshiba. O irídio é usado como catalisador no processo de eletrólise da água, e a aliança visa reduzir significativamente a quantidade de irídio usada em cada eletrolisador. A parceria entre a Toshiba ESS e a Furuya tem como objetivo reduzir o custo do MEA, além de aproveitar suas respectivas habilidades em tecnologia de economia de irídio, tecnologia de reciclagem e capacidades de fornecimento estável. (Global Toshiba - 05.10.2023) 
Link Externo

Fortescue investe em eletrolisadores para apoiar planos de projeto de hidrogênio verde

A Fortescue anunciou que assumiu o papel de investidor líder na rodada de financiamento Série C de US$ 380 milhões da Electric Hydrogen (EH2). Além desse importante investimento, a Fortescue e a EH2 assinaram separadamente um acordo de aquisição de framework para fornecer 1 GW dos sistemas eletrolisadores da EH2 para os projetos de hidrogênio verde da Fortescue nos EUA e globalmente. Os sistemas eletrolisadores completos da EH2 de 100 MW produzem hidrogênio verde a partir de eletricidade renovável e água em grande escala. Cada sistema eletrolisador da EH2 pode produzir cerca de 50 toneladas de hidrogênio verde por dia a um custo extremamente baixo. A parceria entre a Fortescue e a EH2 visa tornar o hidrogênio livre de combustíveis fósseis uma realidade econômica para produtores de fertilizantes, siderúrgicas, empresas químicas e outras indústrias críticas que não têm outra opção para a descarbonização. O investimento da Fortescue na EH2 foi concluído em junho de 2023. (Fortescue - 03.10.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Holanda: Companhia Alemã de aço thyssenkrupp investe no Porto de Roterdã

A thyssenkrupp Steel Europe está fazendo um investimento significativo no porto de Roterdã, na Holanda. Está prevista a construção de uma nova instalação de desembarque para navios de grande porte, com um investimento de dezenas de milhões de euros. Essa nova instalação será usada para descarregar combustíveis e recursos para a fábrica de aço da thyssenkrupp. Embora a movimentação de carvão deva diminuir gradualmente após 2027, o minério de ferro permanecerá essencial para a produção de aço sustentável. A instalação será parte integrante do transporte de recursos para a nova fábrica de DRI da thyssenkrupp, que funcionará com hidrogênio. Este investimento demonstra o compromisso de longo prazo da thyssenkrupp com sua infraestrutura no porto de Roterdã, servindo como uma conexão confiável entre o porto e a futura fábrica de aço sustentável em Duisburg. (Port of Rotterdam - 05.10.2023) 
Link Externo

Uso Final

Canadá: Hydrolux anuncia uma rede de 7 estações de abastecimento de hidrogênio verde para transporte pesado

A Hydrolux anunciou o projeto 'Trans-Québec 1', composto por sete estações de abastecimento de hidrogênio verde para transporte pesado em Quebec. As estações estarão localizadas em diversas cidades, abrangendo aproximadamente 97% da população de Quebec. Cada estação contará com um eletrolisador de 5 MW, com capacidade para dobrar conforme a demanda cresce. O projeto evitará quase 155.000 toneladas de CO2 anualmente e será implementado em fases a partir de 2025. A iniciativa contribuirá para a descarbonização do transporte pesado e promoverá o crescimento econômico nas regiões de Quebec. (FuelCellsWorks - 05.10.2023) 
Link Externo

Egito: SCZONE e C2X firmam acordo para estabelecer uma instalação de combustível verde em Sokhna

A Autoridade Geral da Zona Econômica do Canal de Suez (SCZONE), o Fundo Soberano do Egito (TSFE), a Autoridade de Energia Nova e Renovável (NREA), a Empresa de Transmissão de Eletricidade do Egito (EETC) e a C2X assinaram um Acordo de Estrutura. Sob o acordo, os parceiros irão estabelecer uma instalação de produção de combustível verde com investimentos de até $3 bilhões para a primeira fase do projeto. A instalação será dedicada a serviços de abastecimento de navios e descarbonização. O acordo inclui a produção de metanol verde em larga escala e seus derivados. O projeto visa produzir 300 mil toneladas por ano de metanol verde na primeira fase, com o objetivo final de atingir uma produção anual de um milhão de toneladas. O Egito, devido à sua localização estratégica e capacidades únicas, tornou-se pioneiro neste setor, especialmente no setor de abastecimento de navios, onde a SCZONE realizou com sucesso a primeira operação de abastecimento verde no Porto de East Port Said para o primeiro navio movido a metanol da frota da A.P. Møller - Mærsk. (Hydrogen Central - 06.10.2023) 
Link Externo

Emirados Árabes Unidos: Masdar e Boeing se unem para impulsionar a indústria de combustível de aviação sustentável

A Masdar, uma das maiores empresas de energia renovável do mundo e líder global em hidrogênio verde, está se unindo à empresa aeroespacial Boeing para impulsionar a indústria de combustível de aviação sustentável (SAF) nos Emirados Árabes Unidos (EAU) e em todo o mundo. A parceria visa apoiar ainda mais o objetivo da indústria de aviação comercial de atingir zero emissões líquidas até 2050. As duas empresas explorarão formas de avançar no desenvolvimento e adoção de políticas de SAF nos EAU e em outros lugares. O SAF é produzido a partir de fontes sustentáveis, como o hidrogênio verde, e pode reduzir as emissões de carbono ao longo do ciclo de vida do combustível em até 85% em comparação com o combustível de aviação à base de petróleo. A iniciativa visa ser uma alavanca importante para a descarbonização da aviação nas próximas décadas. (Masdar - 05.10.2023) 
Link Externo

França: Lhyfe abastece a primeira estação de hidrogênio privada de vendée com hidrogênio verde

A Lhyfe fornece a primeira estação de hidrogênio privada de Vendée, na França, com hidrogênio verde e renovável produzido em seu local em Bouin. A estação, inaugurada por Brétéché, oferece hidrogênio verde com capacidade de abastecimento de até 800 quilogramas por dia, tornando-se um dos maiores hubs de abastecimento de hidrogênio verde na França. A estação é alimentada pela parceria com a Lhyfe, que produz hidrogênio verde e renovável usando eletricidade gerada por vento e água do mar em seu local em Bouin. Essa colaboração visa desenvolver um ecossistema de hidrogênio e abrir mais estações de abastecimento em outras regiões. (Lhyfe - 04.10.2023) 
Link Externo

Japão: HIF Global e ENEOS anunciam cooperação para acelerar a produção de efuels

A HIF Global, uma empresa líder em eFuels, e a refinaria de petróleo ENEOS anunciaram um acordo de cooperação com o objetivo de promover a venda de combustível neutro em carbono no Japão. O acordo concentra-se no fornecimento de eFuels do portfólio de desenvolvimentos da HIF na América do Sul, EUA e Austrália para a ENEOS, a maior refinaria de petróleo do Japão. Os eFuels são produzidos usando eletrólise alimentada por energia renovável para separar o hidrogênio do oxigênio na água. O hidrogênio verde é utilizado juntamente com dióxido de carbono reciclado para produzir eFuels neutros em carbono, que são quimicamente equivalentes aos combustíveis utilizados e podem ser usados em motores existentes sem qualquer modificação. O acordo de cooperação também se estende à exploração do estabelecimento de uma cadeia de fornecimento de dióxido de carbono do Japão e ao potencial desenvolvimento de instalações de produção no Japão para a conversão de eMetanol das instalações da HIF em eGasolina ou combustível de aviação. (BNAméricas - 04.10.2023) 
Link Externo

Progresso nas diretrizes de segurança para navios que utilizam hidrogênio e amônia como combustível

 A Sub-Comissão sobre o Transporte de Cargas e Contêineres fez progressos significativos no desenvolvimento de diretrizes provisórias para a segurança de navios que utilizam hidrogênio e amônia como combustível em sua nona sessão. O objetivo é fornecer orientações sobre o uso seguro desses combustíveis, contribuindo para as metas de emissões da IMO e garantindo a segurança da navegação. Além disso, o trabalho abrange a elaboração de diretrizes para o uso de gás liquefeito de petróleo (GLP) como combustível e a revisão do Código Internacional de Construção e Equipamento de Navios que Transportam Gases Liquefeitos em Granel (Código IGC). O desenvolvimento dessas diretrizes reflete o compromisso com a segurança e a sustentabilidade na indústria marítima em meio à transição para fontes de combustível mais limpas e seguras. (IMO - 05.10.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Europeus começam a usar hidrogênio para estender autonomia de ônibus elétrico

O hidrogênio está sendo utilizado na Europa como uma forma de estender a autonomia de ônibus urbanos elétricos. A conversão do hidrogênio em energia elétrica, armazenada em um tanque no veículo, proporciona uma carga extra de cerca de 30% à bateria. Além disso, a logística de abastecimento do hidrogênio, que deve ser extremamente puro, é complicada e restrita a locais reservados. Enquanto um ônibus elétrico urbano na Europa percorre cerca de 300 quilômetros com uma carga de bateria, o modelo eCitare Fuel Cell da Daimler atinge 400 quilômetros com a ajuda do hidrogênio. Apesar de a tecnologia estar pronta, a falta de infraestrutura de carregamento de baterias nas estradas dificulta a eletrificação dos ônibus rodoviários. Segundo a União Europeia, até 2030, 45% dos ônibus urbanos vendidos na Europa serão livres de carbono, mas devido à falta de pontos de recarga nas rodovias, esse número pode ser limitado a 20%. Por outro lado, a previsão é que até 2030, 100% dos ônibus urbanos vendidos na Europa serão carbono zero. (Valor – 06.10.2023) 
Link Externo

Topsoe e Aramco colaboram para demonstrar tecnologia de hidrogênio azul na Arábia Saudita

A Topsoe e a Aramco uniram forças para demonstrar a tecnologia eREACT™, capaz de produzir hidrogênio azul de baixo teor de carbono. Esta plataforma inovadora utiliza um reator eletrificado para converter diversas matérias-primas em hidrogênio de baixo teor de carbono, além de outros produtos químicos e combustíveis. Como parte do projeto, uma planta de demonstração será construída na instalação de recuperação de líquidos de gás natural de Shaybah, na Arábia Saudita. A produção de hidrogênio azul será realizada através da reforma a vapor eletrificada do gás natural, com o CO2 resultante sendo capturado. Elena Scaltritti, diretora comercial da Topsoe, enfatizou que este projeto representa um passo crucial para um futuro Net Zero, destacando o compromisso da empresa na transição para fontes de energia mais sustentáveis. Além disso, a Topsoe está envolvida em diversos setores da indústria do hidrogênio, incluindo o fornecimento de tecnologia de loop dinâmico de amônia e a construção de uma das maiores fábricas de células eletrolisadoras de óxido sólido no mundo. (H2 View – 09.10.2023) 
Link Externo

A Austrália pode entregar uma Super Rodovia H2?

O Ministro de Energia, Renováveis ​​e Hidrogênio de Queensland, Mick de Brenni, celebrou a inauguração do primeiro reabastecedor de hidrogênio da Austrália em uma estação de serviço em Brisbane. Isso marca um marco significativo não apenas na infraestrutura, mas também no ambicioso projeto da 'Super Rodovia do Hidrogênio'. A BOC está produzindo hidrogênio renovável com um eletrolisador movido por energia solar, que pode ser transportado para o porto de Brisbane Truckstop da BP, permitindo que os carros a hidrogênio sejam abastecidos em menos de cinco minutos. A frota de veículos Hyundai NEXO movidos a hidrogênio do governo de Queensland foi a primeira a utilizar o novo reabastecedor. (H2 View – 09.10.2023) 
Link Externo

Quantron entrega cinco caminhões movidos a hidrogênio à IKEA Áustria

A Quantron, fabricante alemão de caminhões de emissão zero, entregou cinco caminhões com células de combustível de hidrogênio para a IKEA Áustria. Estes veículos, desenvolvidos em colaboração com a Ballard Power Systems, combinam baterias, células de combustível e um tanque de armazenamento de hidrogênio, proporcionando uma autonomia de mais de 500 km por dia. Os caminhões, que serão abastecidos com hidrogênio verde fornecido pela Wien Energie, visam impulsionar os esforços da IKEA para descarbonizar suas operações de entrega. Além de oferecer maior autonomia em comparação com os veículos elétricos, espera-se que os caminhões reduzam as emissões de dióxido de carbono em 160 toneladas por ano. A IKEA Áustria já opera 45 caminhões elétricos da Quantron em diversas cidades austríacas. A empresa também está explorando o uso de hidrogênio para produzir aço limpo em colaboração com a H2 Green Steel. (H2 View – 09.10.2023) 
Link Externo

Eventos

Moldando a Central de Hidrogênio Limpo da América Latina

A América Latina está diante de uma oportunidade significativa para se tornar uma potência global no campo do hidrogênio limpo, impulsionada por sua abundância de sol, vento e, em algumas regiões, hidrogênio. Com uma série de projetos em andamento, a região tem o potencial de oferecer energia limpa a preços acessíveis. A segunda conferência anual da World Hydrogen Latin America, marcada para 12 a 14 de dezembro de 2023, reunirá mais de 400 especialistas e profissionais em hidrogênio para explorar os desafios e oportunidades na região, incluindo políticas, regulamentações, geração de demanda e estratégias de armazenamento e distribuição. 
Link Externo

Artigos e Estudos

Unleashing Brazil's Low-Carbon Hydrogen potential

Este relatório é uma visão da BCG para líderes, tomadores de decisão e cidadãos brasileiros, com o objetivo de catalisar esforços, enfrentar desafios e maximizar o valor das oportunidades inerentes ao Brasil durante a transição da economia mundial para a Neutralidade Líquida (2020-2050). Destina-se a todos que desejam tomar medidas contra as mudanças climáticas, incluindo investidores, membros de conselhos, executivos, empreendedores, acadêmicos, entre outros, com foco em impulsionar a agenda verde e o potencial do Brasil. O documento reúne informações públicas e a expertise da BCG, selecionadas cuidadosamente para embasar discussões e tomadas de decisão sobre o clima.    
Link Externo

O papel crucial dos eliminadores de névoa na produção de hidrogênio verde

Nos últimos anos, houve uma mudança global em direção a fontes de energia mais sustentáveis, impulsionando a produção de hidrogênio verde como uma promissora fonte de energia limpa. No entanto, a produção de hidrogênio enfrenta desafios, como a formação de névoa ou gotículas durante o processo de eletrólise. É aqui que os eliminadores de névoa desempenham um papel crucial. Eles garantem uma produção eficiente e ambientalmente amigável, removendo a névoa e evitando o acúmulo de água, o que poderia prejudicar o desempenho das células de combustível e outros equipamentos. Além disso, eles previnem a contaminação do hidrogênio, contribuindo para uma produção de alta qualidade. Ao melhorar a eficiência, a segurança e a qualidade do processo, os eliminadores de névoa são um componente essencial na produção de hidrogênio verde sustentável, tornando-se cada vez mais crucial à medida que a demanda por essa fonte de energia continua a crescer. 
Link Externo