IFE
13/10/2023

IFE Hidrogênio 146

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
13/10/2023

IFE nº 146

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 146

Políticas Públicas e Financiamentos

Comissão do Hidrogênio apresenta relatório preliminar que propõe o Marco Legal do Hidrogênio de Baixo Carbono

Na tarde da última terça-feira, 10/10/23, a “Comissão Especial de Transição Energética e Produção de Hidrogênio (CEEnergia)” apresentou o relatório preliminar que propõe o Marco Legal do Hidrogênio de Baixo Carbono, dispõe sobre a Política Nacional do Hidrogênio de Baixo Carbono, seus princípios, objetivos, conceitos, governança, instrumentos e, também, cria o Programa de Desenvolvimento do Hidrogênio de Baixo Carbono – PHBC. A CEEnergia abrirá, agora, o prazo de 15 dias para que sejam apresentadas sugestões ao texto. Ao final, o relatório será submetido à avaliação e à aprovação pela Comissão. A CEEnergia, que é formada por deputados federais de diferentes partidos, apresentou o texto baseada nas contribuições oriundas das audiências públicas e seminários realizados ao longo de vários meses (inclusive em outros estados do país), com a ampla participação de entidades representativas do setor, da sociedade civil e de órgãos federais e estaduais. “É um grande passo que damos rumo ao protagonismo que o Brasil pode assumir na nova Economia, a Economia Verde. Temos condições para sermos líderes mundiais e precisamos da segurança jurídica e dos incentivos que isso exige”, diz o deputado federal Arnaldo Jardim, presidente da Comissão. O relatório preliminar pode ser acessado na página da Comissão: https://www2.camara.leg.br/. (Câmara dos Deputados - 11.10.2023)
Link Externo

Brasil: Instituições se unem por política industrial para hidrogênio

A Federação da Indústria do Estado do Ceará (Fiec) e a Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) firmaram um acordo de cooperação com geradores renováveis para discutir políticas públicas que estimulem a produção e uso do hidrogênio verde no Brasil. Participam dessa iniciativa a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) e a Associação Brasileira de Energia Eólica e Novas Tecnologias (Abeeólica). O acordo visa identificar o custo de produção do hidrogênio renovável, as regiões mais adequadas para a implementação de hubs e a identificação de potenciais na indústria local para a produção de equipamentos utilizados na produção de hidrogênio verde. O objetivo é impulsionar a produção e uso do combustível nos estados do Ceará e São Paulo, além de promover a indústria nacional no setor. Este acordo busca a colaboração entre a indústria e as associações para entender melhor as possibilidades de demanda pelo hidrogênio renovável e impulsionar o desenvolvimento do setor no Brasil. (EPBR – 27.09.2023) 
Link Externo

Brasil: Política para hidrogênio deve incentivar demanda

Marina Domingues, diretora de mercado e regulação da Associação Brasileira do Hidrogênio (ABH2), argumenta que as políticas públicas para o hidrogênio no Brasil devem focar na demanda, visando a reindustrialização do país. Ela destaca que o Brasil já possui uma matriz energética limpa e energia renovável acessível em comparação com outros países, o que permitiria que os subsídios e incentivos fossem direcionados mais para o consumo do que para a produção de hidrogênio. Marina Domingues enfatiza a importância de incentivar setores como química, automotivo e produção de aço para criar uma cadeia de valor instalada e destaca a necessidade de uma visão agnóstica em relação às rotas de produção de hidrogênio para garantir a segurança de suprimento ao consumidor final. Ela ressalta que o foco dos incentivos deve ser sempre o hidrogênio de baixo carbono, independente da fonte. (EPBR – 27.09.2023) 
Link Externo

Brasil: Estados do Nordeste fecham acordo com Banco Mundial para renováveis e hidrogênio

O Consórcio Nordeste e o Banco Mundial assinaram um acordo para elaboração de um plano de transição energética, com foco na cadeia de hidrogênio de baixa emissão de carbono e financiamento de projetos de energias renováveis. Os estados do Nordeste, incluindo Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, planejam desenvolver um hub de economia verde na região. O acordo visa criar mecanismos financeiros, que possibilitem projetos relacionados ao hidrogênio verde, geração de energia eólica e preservação da Caatinga, entre outras iniciativas. O plano será elaborado em conjunto com o Banco Mundial e estabelecerá parâmetros para novas operações de financiamento em cada estado beneficiado. O objetivo a longo prazo é construir novas cadeias de valor nos nove estados do consórcio. (EPBR – 25.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido e Alemanha colaboram para avançar ainda mais no desenvolvimento do hidrogênio

O Reino Unido e a Alemanha anunciaram uma Declaração Conjunta de Intenções para promover o desenvolvimento de uma indústria internacional de hidrogênio. Ambos os governos se comprometeram a acelerar o papel do hidrogênio de baixo carbono em suas respectivas matrizes energéticas e a trabalhar juntos para promover tecnologias de hidrogênio inovadoras e renováveis, apoiando empregos e investimentos de baixo carbono. A colaboração inclui cinco pilares principais, como: (i) acelerar a implementação de projetos de hidrogênio, (ii) estabelecer liderança internacional nos mercados de hidrogênio, (iii) promover pesquisa e inovação, (iv) facilitar o comércio de hidrogênio e (v) análise conjunta de mercado para apoiar planejamento e investimentos. Essa parceria busca aumentar o investimento privado em tecnologia e projetos de hidrogênio e contribuir para as metas de emissões líquidas zero até 2050. (H2 View – 26.09.2023) 
Link Externo

Austrália: a Ilha Kooragang recebeu um financiamento para a construção do Hunter Valley Hydrogen Hub

O governo de New South Wales, Austrália, assinou um acordo de financiamento de 45 milhões de dólares para estabelecer o Hunter Valley Hydrogen Hub na Ilha Kooragang. Este projeto liderado pela Origin Future Fuels visa produzir hidrogênio verde através de eletrólise, com uma capacidade inicial de cerca de 55 MW e o objetivo de expandir para mais de 1 GW até a próxima década. O hidrogênio produzido será usado na indústria e parte será destinada à produção de amônia da Orica para descarbonizar suas operações. O projeto também deverá gerar empregos diretos e indiretos na região. O governo de Nova Gales do Sul está empenhado em desenvolver o setor de hidrogênio verde como uma indústria futura para o estado. (NSW Government – 28.09.2023) 
Link Externo

União Europeia: Tarifas de rede desafiam regulamentação de hidrogênio

À medida que a União Europeia avança com a criação de regras para o hidrogênio e o gás descarbonizado, há um debate crucial em curso sobre como remunerar os operadores de rede pela construção e manutenção da futura rede de hidrogênio da Europa. A Comissão Europeia apresentou um pacote para o mercado de hidrogênio e gás em dezembro de 2021, estabelecendo um caminho para a transição europeia para combustíveis de baixo carbono. No entanto, ainda há incertezas sobre o modelo de remuneração para financiar a infraestrutura de hidrogênio. A questão das tarifas transfronteiriças tem sido um ponto de discórdia, com a Comissão propondo a abolição delas, argumentando que isso facilitaria o comércio entre os países da UE. No entanto, essa proposta é contestada por vários setores da indústria e especialistas, que acreditam que a remoção dessas tarifas criaria complexidades significativas para os operadores de rede e poderia desencorajar investimentos em infraestrutura de hidrogênio. A questão do financiamento da infraestrutura de hidrogênio é vista como fundamental para alcançar os objetivos de neutralidade climática da UE. (Hydrogen Central – 28.09.2023) 
Link Externo

Marrocos planeja se tornar um player importante de hidrogênio verde

O Marrocos tem planos ambiciosos de se tornar um dos principais players de hidrogênio verde na região do norte da África, com o objetivo de exportar esse combustível limpo para a Europa. O hidrogênio verde é visto como uma fonte de energia limpa que pode ajudar o mundo a eliminar os combustíveis fósseis e reduzir as emissões de carbono atmosférico. O Marrocos, que já possui grandes usinas de energia solar, espera aproveitar o hidrogênio verde, produzido sem a queima de combustíveis fósseis, especialmente para seu setor de fertilizantes. O país reservou uma área de cerca de 6.000 quilômetros quadrados de terra pública para instalações de hidrogênio verde e amônia. A produção de "amônia verde" a partir de hidrogênio verde é um foco, já que o Marrocos é um grande jogador no mercado global de fertilizantes. O país planeja aumentar rapidamente a produção de "amônia verde" e triplar a quantidade até 2032. O Marrocos está competindo com outros países da região, como Argélia e Tunísia, na corrida pelo hidrogênio verde. Analistas preveem que a região do norte da África se tornará a maior exportadora mundial de hidrogênio verde até 2050, reconfigurando o mercado global de energia. (ARAB News - 27.09.2023) 
Link Externo

CBAM começa a valer e pode ajudar o hidrogênio brasileiro

O Mecanismo de Ajuste de Fronteira de Carbono (CBAM, em inglês) da União Europeia começou a valer no dia 1/10, para importações de cimento, ferro e aço, alumínio, fertilizantes, eletricidade e hidrogênio. A política pretende precificar as emissões dos produtos importados pelos países membros, mas essa primeira fase, que vai até o final de 2025. Apenas em 2026, o CBAM entrará em vigor por completo. Na prática o mecanismo pode criar um incentivo adicional ao estimular as importações de hidrogênio de países onde a intensidade de carbono da produção é menor. O mecanismo pode ser uma oportunidade para o Brasil, onde o hidrogênio de eletrólise será mais competitivo até 2036, com um valor estimado em cerca de US$ 4/kg de H2. (epbr - 02.10.2023) 
Link Externo

Produção

Alemanha: Eletrolisador da RWE de 250 kW produz o primeiro hidrogênio em Lingen

O projeto conjunto GET H2 TransHyDE, baseado em Lingen, alcançou um marco importante, o hidrogênio foi produzido pela primeira vez no local da usina a gás da RWE em Emsland (KEM). O hidrogênio foi produzido utilizando um eletrolisador de óxido sólido de alta temperatura (SOEC) da Sunfire. O eletrolisador, com uma capacidade de 250 quilowatts (kW), faz parte de uma instalação de teste na qual nove parceiros do projeto estão investigando como o hidrogênio pode ser transportado e armazenado com segurança e confiabilidade por meio de gasodutos. O eletrolisador, instalado em um contêiner ultramarino, pode produzir cerca de 170 quilogramas de hidrogênio por dia em carga máxima. A produção diária teoricamente seria suficiente para abastecer um carro com motor de célula a combustível por 17 mil quilômetros. No entanto, o hidrogênio do projeto é necessário para fins de pesquisa e será alimentado em uma linha de teste (loop) de 130 metros como parte do projeto de pesquisa GET H2 TransHyDE, onde empresas e institutos de pesquisa estão desenvolvendo tecnologias para o uso ideal do hidrogênio. (RWE - 27.09.2023) 
Link Externo

Canadá: TritenIAG apoia projeto de hidrogênio verde e amônia

TritenIAG, uma empresa de desenvolvimento e gerenciamento de projetos sustentáveis, anunciou seu apoio a um estudo de engenharia de design de ponta (FEED) realizado em parceria com a World Energy GH2 para o primeiro projeto comercial em larga escala de hidrogênio verde e amônia no Canadá, alimentado por projetos de energia eólica onshore. O projeto, chamado Nujio’qonik, atingiu importantes marcos de desenvolvimento e está se tornando uma referência global em projetos de conversão de energia eólica em hidrogênio verde e amônia. Este projeto é parte de um acordo entre o Canadá e a Alemanha para estimular a produção de hidrogênio até 2025 e fornecer uma fonte de energia limpa e livre de emissões para a Alemanha. (PRNewsWire - 28.09.2023) 
Link Externo

Austrália: Apoio de AUD $100 milhões do Governo Federal e da Austrália do Sul para Hub de Hidrogênio

O governo federal e da Austrália do Sul estão apoiando um hub de hidrogênio com um financiamento combinado de AUD $100 milhões para revitalizar um porto sul-australiano. O Hub de Hidrogênio de Port Bonython, perto de Whyalla, planeja se tornar um terminal de exportação de hidrogênio em larga escala, gerando até 1,8 milhão de toneladas de hidrogênio até 2030. Espera-se que o porto, localizado na região do Upper Spencer Gulf, receba projetos no valor de até AUD $13 bilhões ($8,3 bilhões) e já foi palco de uma planta de fracionamento de gás e instalação de armazenamento de diesel. (H2 View - 25.09.2023) 
Link Externo

Bélgica prepara portos para importação maciça de hidrogênio verde

A Bélgica está lançando um chamado para projetos de infraestrutura em seus portos, com um orçamento de €10 milhões, com foco especial no porto de Antuérpia-Bruges, com o objetivo de torná-lo o principal ponto de entrada de hidrogênio verde na Europa. Esta iniciativa faz parte dos esforços da União Europeia para reduzir a dependência de combustíveis fósseis russos, estabelecendo metas ambiciosas para a produção de hidrogênio renovável. A Bélgica também assinou um Memorando de Entendimento com o Chile para importar hidrogênio verde e seus derivados, estabelecendo um corredor de importação. Para atingir esses objetivos, a ministra de Energia belga, Tinne Van der Straeten, destacou a necessidade de investir em infraestrutura para transportar o hidrogênio de forma eficaz. Essa iniciativa visa posicionar a Bélgica como líder em tecnologias de hidrogênio e um hub de importação de hidrogênio verde na Europa. (EURACTIV - 28.09.2023)  
Link Externo

Estados Unidos: Philadelphia Eagles introduzem hidrogênio verde no Lincoln Financial Field

Os Philadelphia Eagles revelaram um projeto inovador no Lincoln Financial Field, onde estão usando energia solar para criar hidrogênio verde. Esta forma de hidrogênio é produzida de maneira sustentável e pode alimentar veículos a células a combustível. A equipe planeja substituir gradualmente veículos e equipamentos usados no estádio por versões movidas a células a combustível, começando por empilhadeiras. Com mais de 10 mil painéis solares, o estádio já atende a 40% de suas necessidades de energia e continuará a compensar o restante do uso de energia enquanto opera a estação de abastecimento de hidrogênio. Esta iniciativa não apenas reduz a pegada de carbono do estádio, mas também demonstra o potencial do hidrogênio verde na indústria esportiva e além. (WHYY - 30.09.2023) 
Link Externo

Europa: Everfuel e Hy24 firmam parceria de 200 milhões de euros para infraestrutura de hidrogênio verde nos países nórdicos

Everfuel e Hy24 firmaram uma parceria de 200 milhões de euros para desenvolver infraestrutura de hidrogênio verde nos países nórdicos. A parceria visa acelerar a transição para fontes de energia mais limpas e sustentáveis, com um foco especial na União Europeia. A Everfuel detém 51% da parceria, enquanto o Fundo de Infraestrutura de Hidrogênio Limpo gerenciado pela Hy24 detém 49%. A primeira aquisição da parceria é o projeto HySynergy da Everfuel, que prevê a instalação de um eletrolisador de 20 MW. A parceria planeja construir, possuir e operar até 1 GW de projetos de hidrogênio verde na região nórdica. O objetivo é acelerar a transição para uma economia de baixo carbono, promovendo a produção e uso de hidrogênio verde em setores como transporte, indústria e energia. (Hydrogen Central - 29.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: EET Hydrogen inicia o FEED do projeto de hidrogênio de 1 GW

A EET Hydrogen anunciou o início do Front End Engineering & Design (FEED) para o projeto de produção de hidrogênio HPP2 na unidade de Stanlow em Cheshire, Reino Unido. O projeto terá capacidade de até 1 GW e deverá produzir cerca de 230 mil toneladas de hidrogênio de baixo carbono anualmente. Empresas como a Tata Chemicals Europe, Cadent, Carrington Power e Encirc estão apoiando o projeto. A EET Hydrogen também mudou a marca de Vertex Hydrogen Limited (VHL) para EET Hydrogen, à medida que se prepara para se tornar uma empresa independente no portfólio da Essar Energy Transition (EET). O projeto HPP2 será um catalisador para o investimento em infraestruturas de hidrogênio na região noroeste do Reino Unido. Prevê-se que o hidrogênio apoie as primeiras instalações de refinação, produção de vidro e produtos químicos com baixo teor de carbono no mundo. (H2 View – 25.09.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

Canadá: Atco Mining anuncia grandes estimativas de armazenamento de hidrogênio no Projeto Flat Bay Salt

A Atco Mining Inc. anunciou que concluiu uma avaliação da capacidade de armazenamento de hidrogênio para sua estrutura de sal no Projeto Flat Bay Salt. Com base na geologia interpretada, limites de pressão operacional definidos pela Associação Canadense de Padrões (CSA) e dimensões da caverna, a RESPEC gerou layouts preliminares de cavernas e realizou cálculos termodinâmicos de alto nível para estimar a capacidade máxima de armazenamento de hidrogênio da estrutura de sal no local do projeto Flat Bay. Com base nas informações geológicas disponíveis, a estrutura de sal de Flat Bay pode potencialmente armazenar aproximadamente 130 mil toneladas de hidrogênio para o cenário conservador e até 250 mil toneladas para o cenário otimista. (Hydrogen Central - 28.09.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: HydrogenPro fornece eletrólises alcalinas para hub de armazenamento de hidrogênio em Utah

A HydrogenPro entregou seu primeiro carregamento de eletrolisadores ao que é considerado o 'maior' hub de armazenamento de energia renovável do mundo, localizado em Utah, EUA. A instalação deverá combinar um banco de 220 MW de eletrolisadores alcalinos de alta pressão da HydrogenPro com uma capacidade de armazenamento de cavernas de sal de 4,5 milhões de barris, com o objetivo de armazenar hidrogênio. O primeiro envio da HydrogenPro incluiu 15 eletrolisadores que chegaram da fábrica da empresa em Tianjin, China. O contrato envolve um total de 40 eletrolisadores e 20 conjuntos de separação de gases, e a conclusão está prevista para este ano (2023), com instalação e comissionamento no local a serem concluídos no final de 2024. No início de setembro, a empresa forneceu seus eletrolisadores alcalinos para a instalação Takasago Hydrogen Park da Mitsubishi Power, no Japão. A Mitsubishi tem como objetivo validar a coqueificação de hidrogênio e a queima de turbinas a gás com 100% de hidrogênio no parque. Os eletrolisadores alcalinos da HydrogenPro têm uma capacidade de produção de 1.100 Nm³/h e produzirão para os testes de validação da Mitsubishi, utilizando um armazenamento no local de 39.000 Nm³/h. (H2 View - 28.09.2023) 
Link Externo

Uso Final

Alemanha: HH2E, Sasol e DHL firmam parceria para produção de SAF à base de hidrogênio

A HH2E, a Sasol e a DHL celebraram um acordo para fornecer combustíveis de aviação sustentáveis (SAF) à base de hidrogênio verde para o mercado alemão. Os parceiros planejam produzir pelo menos 200 mil toneladas de eSAF anualmente, com o potencial de aumentar para 500 mil toneladas, utilizando eletrolisadores da HH2E e a tecnologia Fischer-Tropsch da Sasol. A instalação de produção será localizada no leste da Alemanha, visando servir diversos aeroportos, incluindo Leipzig/Halle. A DHL Group, uma das principais empresas de logística, planeja usar pelo menos 30% de SAF em suas operações de transporte aéreo até 2030. Além disso, a Airbus pode se unir ao projeto, alinhando-se com suas metas de uso de SAF em operações internas. O objetivo é estabelecer a produção de eSAF na Alemanha até o final da década, contribuindo para a redução das emissões da frota de aeronaves existente. Os SAFs são considerados uma solução de curto prazo para a descarbonização da aviação, uma vez que podem ser usados em aeronaves existentes e têm potencial para reduzir as emissões em até 80% durante todo o ciclo de vida. (H2 View - 25.09.2023) 
Link Externo

França inaugura estação de abastecimento de hidrogênio de baixo carbono

A McPhy Energy, especializada na produção e distribuição de hidrogênio com baixas emissões de carbono, anunciou a inauguração e comissionamento de uma estação de hidrogênio de Dupla Pressão para a Brétéché, uma distribuidora de produtos petrolíferos e subsidiária da AVIA France, uma das principais redes independentes de petróleo na França. Esta estação McFilling de Dupla Pressão tem capacidade para fornecer até 1 tonelada de hidrogênio por dia e inclui um bloco de compressores e uma estação de abastecimento de veículos leves capaz de fornecer hidrogênio a veículos de 350 e 700 bar. Este é o primeiro projeto de distribuição de hidrogênio da Brétéché. O projeto visa apoiar o desenvolvimento da mobilidade de hidrogênio na França e atender às metas da União Europeia de instalar uma estação de hidrogênio a cada 200 km até 2030. Este projeto demonstra a capacidade da McPhy de fornecer soluções personalizadas para diferentes segmentos do mercado de mobilidade. (H2 View - 29.09.2023) 
Link Externo

Estados Unidos: Air Liquide e Trillium colaboram na infraestrutura de abastecimento de hidrogênio para veículos pesados

A Air Liquide e a Trillium Energy Solutions assinaram um Memorando de Entendimento (MoU) para colaborar no desenvolvimento do mercado de abastecimento de hidrogênio para veículos pesados nos Estados Unidos. Esta colaboração visa acelerar a descarbonização do setor de transporte e fortalecer o mercado de mobilidade de hidrogênio. As duas empresas pretendem focar tanto no fornecimento de hidrogênio quanto na infraestrutura de abastecimento. A Air Liquide, líder mundial na produção, fornecimento e tecnologias de hidrogênio com baixas emissões de carbono e renováveis, colaborará com a Trillium Energy Solutions, uma fornecedora líder de infraestrutura de abastecimento sustentável nos EUA, para estabelecer a infraestrutura de abastecimento de hidrogênio vital para a ampla adoção de aplicativos de caminhões pesados movidos a hidrogênio. O objetivo da parceria é apoiar inicialmente o desenvolvimento de 150 toneladas por dia de produção de hidrogênio e a infraestrutura de abastecimento capaz de atender a mais de 2.000 veículos pesados. Esta colaboração combina as forças da Air Liquide na produção, distribuição e implantação de infraestrutura de abastecimento de hidrogênio com a experiência da Trillium em operar estações de abastecimento de combustíveis alternativos. (Air Liquide - 29.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Wrightbus fecha acordo para fornecer até 150 ônibus a hidrogênio para usina nuclear

O fabricante de ônibus inovador Wrightbus firmou um acordo com a Sizewell C que pode resultar em até 150 ônibus a hidrogênio operando no local, tornando-se uma das maiores frotas desse tipo no mundo. A Sizewell C encomendará quatro ônibus do modelo Hydroliner da Wrightbus, com base na Irlanda do Norte, para testar sua viabilidade durante a construção da nova usina nuclear. Esses ônibus fazem parte de um programa piloto para avaliar se são adequados para transportar milhares de trabalhadores de e para o canteiro de obras, próximo a Leiston, Suffolk. A Sizewell C testará o desempenho operacional dos ônibus de dois andares, que são mais limpos que veículos movidos a diesel ou gasolina, pois o hidrogênio não emite carbono. Se o piloto for bem-sucedido, a Sizewell C encomendará até 150 ônibus, tornando-se uma das maiores frotas de ônibus a hidrogênio do mundo. Os quatro ônibus do programa piloto devem ser entregues no início de 2024 e serão alguns dos primeiros ônibus a hidrogênio a operar em Suffolk. (WrightBus - 27.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Projeto Pioneer 1 da Protium entra em operação

Hyvia, empresa de mobilidade a hidrogênio na Europa, celebrou um marco importante com seu projeto Pioneer 1, que se tornou uma das primeiras instalações de produção de hidrogênio operacionais no Reino Unido. Localizado no Centro de Hidrogênio da Universidade do Sul do País de Gales, em Baglan, o Pioneer 1 desempenhou um papel fundamental no fornecimento de hidrogênio para testes de ônibus locais e diversas empresas, contribuindo para um futuro mais verde no País de Gales. Além do Pioneer 1, a Protium tem planos empolgantes para o futuro. O projeto Pioneer 2, que fornecerá hidrogênio verde para empresas e transportes no País de Gales, também desempenhará um papel crucial em testes de voos movidos a hidrogênio no âmbito do programa Project HEART. A empresa planeja ainda a construção de outra instalação de produção de hidrogênio chamada Magor, que ajudará a reduzir significativamente as emissões de CO2 ao substituir o gás natural usado em caldeiras de água quente da maior cervejaria do Reino Unido, bem como o diesel usado em sua frota de caminhões e empilhadeiras. (Protium 1 - 28.09.2023) 
Link Externo

Suécia: Hynion recebe autorização de construção para posto de abastecimento em Jönköping

A Hynion Sverige AB obteve agora uma autorização de construção para a nova estação de abastecimento de hidrogênio na área logística de Torsvik, em Jönköping. Esta estação faz parte do projeto para construir duas estações de abastecimento de hidrogênio com uma capacidade de 1.500 kg de hidrogênio por dia, com o objetivo de serem concluídas em janeiro de 2024. A área de Torsvik, localizada estrategicamente na E4, entre as capitais da Escandinávia e perto do continente, é um local de crescimento logístico na Suécia. Grandes players, como a IKEA, Elgiganten, DHL e PostNord, estabeleceram armazéns nesta região. A estação de abastecimento de hidrogênio da Hynion será construída na parte sul da área logística e estará localizada junto a dois postos de paragem para caminhões. (Hynion - 27.09.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Brasil: Inauguração do Centro de Hidrogênio Verde no campus da UNIFEI

No dia 28 de setembro foi inaugurado o Centro de Hidrogênio Verde (CH2V) no campus da Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). O CH2V é uma parceria da Fundação Apoio ao Ensino, Pesquisa e Extensão de Itajubá (Fapepe) da UNIFEI e do projeto H2Brasil. As instalações do centro serão abastecidas exclusivamente por painéis solares e vão abrigar laboratórios para pesquisas por empresas e instituições, considerando as diferentes aplicações. O hidrogênio será incluído na grade curricular dos cursos de graduação, pós-graduação e especialização. Em uma segunda etapa, em 2024, será implemnetada uma planta de produção de hidrogênio e uma estação de abastecimento, composta por eletrolisador tipo PEM de 300kW de potência, vasos de armazenamento, dispensador de abastecimento e uma célula a combustível (CanalEnergia - 29 de setembro de 2023). 
Link Externo

Universal Hydrogen registra outro voo bem-sucedido movido a hidrogênio

A Universal Hydrogen, uma empresa de aviação com foco em soluções de hidrogênio, registrou outro voo bem-sucedido alimentado por hidrogênio. O voo de teste, conduzido em parceria com a empresa de leasing de aeronaves Avolon, utilizou um avião de passageiros regional ATR 72-600 modificado com um sistema de propulsão de hidrogênio. O teste validou o funcionamento seguro e eficaz do sistema, demonstrando a viabilidade do hidrogênio como fonte de energia para a aviação comercial. A Universal Hydrogen está trabalhando para desenvolver uma cadeia de suprimentos global de hidrogênio verde para a aviação, visando uma transição mais sustentável para o setor. (H2 View – 27.09.2023) 
Link Externo

Eventos

FIEC SUMMIT Hidrogênio Verde está com inscrições para a edição 2023

A 2ª edição do FIEC SUMMIT Hidrogênio Verde está com inscrições gratuitas abertas. O evento, que ocorrerá nos dias 25 e 26 de outubro no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. O evento tem como objetivo reunir grandes empresas, marcas nacionais e internacionais, autoridades, entidades e especialistas do setor de Hidrogênio Verde. A programação incluirá palestras simultâneas, exposição sobre H2V aberta ao público e atividades acadêmicas. A iniciativa busca promover o debate sobre energias limpas e renováveis, destacando a crescente relevância do Hidrogênio Verde no Brasil e no mundo. O FIEC SUMMIT proporcionará dois dias de debates enriquecedores sobre o Hidrogênio Verde, abordando sua produção, uso, transporte, tecnologias e ascensão, além de ser uma oportunidade para a realização de importantes negócios no setor ( FIEC SUMMIT - setembro de 2023). 
Link Externo

Artigos e Estudos

Hydrogen UK: CCUS-Enabled hydrogen production report

A Hydrogen UK está defendendo uma "abordagem dupla" na produção de hidrogênio, envolvendo a produção eletrolítica e a produção via captura de carbono (CCUS). A organização destaca que ambas as abordagens oferecem vastas oportunidades e apela ao governo para apoiar o desenvolvimento de cadeias de abastecimento nacionais e fornecer clareza sobre o financiamento para todos os promotores de hidrogênio de baixo carbono. A produção eletrolítica envolve dividir a água em hidrogênio e oxigênio usando energia renovável ou nuclear, enquanto a produção via CCUS utiliza gás natural e captura do CO2 para uso ou armazenamento. A Hydrogen UK acredita que o Reino Unido deve desenvolver ambas as abordagens para alcançar uma descarbonização mais rápida e profunda. Para ler o relatório na íntegra, clique aqui (H2 View - 27.09.2023) 
Link Externo

Relatório da PwC encontra evidências que apoiam o debate sobre o hidrogênio no aquecimento no Reino Unido

O relatório da PwC destaca evidências que respaldam o debate sobre o uso do hidrogênio para aquecimento no Reino Unido. Ele aponta que o hidrogênio pode desempenhar um papel crucial na transição para sistemas de aquecimento de baixo carbono. O estudo destaca a necessidade de um mix de tecnologias, incluindo eletrificação e eficiência energética, mas enfatiza o potencial do hidrogênio para atender às necessidades de aquecimento em setores difíceis de descarbonizar, como a indústria pesada e edifícios existentes. No entanto, o relatório também ressalta a importância de abordar desafios como a produção de hidrogênio de baixo carbono em grande escala e a infraestrutura de distribuição. Para ler o relatório na íntegra, clique aqui (H2 View – 28.09.2023) 
Link Externo

PWC: Hidrogênio trará £ 124 bilhões e 1,6 milhão de empregos para o Reino Unido

O novo relatório da PriceWaterhouseCoopers (PwC) destaca o potencial financeiro e de emprego que uma indústria de aquecimento a hidrogênio pode trazer para o Reino Unido até 2050. O uso de hidrogênio para aquecimento doméstico poderia contribuir com 15 bilhões de libras e 189.000 empregos na economia do Reino Unido. Além disso, uma cadeia de abastecimento de hidrogênio mais ampla, abrangendo transporte, geração de energia e setores comerciais e industriais, poderia adicionar 124 bilhões de libras em valor econômico e criar ou manter 1,6 milhão de empregos até 2050. O Noroeste da Inglaterra seria a região mais beneficiada, seguida pelo Sudeste, Escócia e Yorkshire e Humber. O hidrogênio é visto como uma alternativa de baixo carbono ao gás, com grande potencial para impulsionar a economia do Reino Unido e criar empregos. (Hydrogen Central – 28.09.2023) 
Link Externo