IFE
28/09/2023

IFE Hidrogênio 144

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
28/09/2023

IFE nº 144

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Kalyne Brito e Sayonara Andrade Elizário
Pesquisadores: Bruno Elizeu e Sofia Paoli
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Hidrogênio 144

Políticas Públicas e Financiamentos

Brasil: Comissão aprova projeto que cria a Política Estadual do Hidrogênio Verde no Estado de Santa Catarina

A Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou o projeto de lei PL./0423/2021, proposto pelo deputado Sargento Lima, que estabelece a Política Estadual do Hidrogênio Verde. A medida tem como objetivo impulsionar o uso do hidrogênio verde como fonte de energia na indústria e na produção de fertilizantes agrícolas, promovendo a transição energética e a redução da dependência de combustíveis fósseis em Santa Catarina (Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina – 13.09.2023) 
Link Externo

Tasmânia recebe financiamento para aumentar a sua capacidade de hidrogênio verde

 governo da Tasmânia anunciou um novo financiamento para impulsionar a capacidade de produção de hidrogênio verde na região até 2025. O Ministro da Energia e Energias Renováveis, Guy Barnett, acredita que esse investimento será crucial para estabelecer a produção de hidrogênio verde em escala comercial no país. O financiamento faz parte da segunda fase do Fundo de Desenvolvimento da Indústria do Hidrogênio Renovável, que visa apoiar a produção nacional e utilização de hidrogênio em uma escala de 5 a 10 MW. O objetivo final é integrar o hidrogênio renovável local como uma fonte significativa de energia até 2030. (H2 View – 11.09.2023) 
Link Externo

EUA: IRS divulga orientação sobre disposição da lei de redução da inflação

O Departamento do Tesouro dos EUA e o Internal Revenue Service (IRS) divulgaram orientações e propostas de regras para garantir que os empregos no setor de energia limpa sejam bem remunerados e que haja uma força de trabalho diversificada. O objetivo das orientações é aproveitar os investimentos da Lei de Redução da Inflação. Essas disposições aplicam requisitos salariais e de aprendizado a incentivos fiscais para energia limpa, como créditos para projetos eólicos, solares, armazenamento de baterias e hidrogênio limpo. Os empregadores e trabalhadores agora têm mais clareza e orientação sobre essas propostas. Essas medidas visam impulsionar a economia, criar empregos e contribuir para os objetivos climáticos do país. (Hydrogen Central – 10.09.2023) 
Link Externo

EUA: Departamento do Tesouro está sob pressão para não exigir adicionalidade de crédito fiscal de hidrogênio

Há uma crescente pressão sobre o Departamento do Tesouro dos EUA para que o Crédito Fiscal à Produção de Hidrogênio (45V) forneça orientações sobre o hidrogênio sem requisitos excessivamente rigorosos, especialmente em relação à adicionalidade. Muitos argumentam que esses requisitos poderiam prejudicar a produção de hidrogênio limpo. O 45V oferece um crédito fiscal de produção de hidrogênio limpo de até 3 dólares/kg, mas ainda aguarda orientações sobre como será implementado. A adicionalidade, que exige que projetos de produção de hidrogênio obtenham eletricidade exclusivamente de novas fontes renováveis, está gerando preocupações de que isso possa limitar o crescimento do hidrogênio e torná-lo mais caro como fonte de energia. Diversas vozes, incluindo a Aliança para Sistemas de Energia Renovável de Hidrogênio Limpo (ARCHES) da Califórnia e a empresa de serviços públicos Xcel Energy, expressaram preocupações sobre os impactos potenciais desses requisitos. O debate sobre a regulamentação do hidrogênio como fonte de energia verde está se intensificando à medida que se busca equilibrar a sustentabilidade com o desenvolvimento da indústria nascente. (H2 View – 08.09.2023) 
Link Externo

EUA: DOE revela financiamento de US$ 20 milhões para hidrogênio subterrâneo

O Departamento de Energia dos EUA está destinando 20 milhões de dólares para o desenvolvimento de tecnologias que impulsionam a geração de hidrogênio subterrâneo. Esta abordagem tem o potencial de desbloquear recursos significativos para energia limpa e contribuir para a descarbonização de indústrias de difícil redução de emissões. A produção de hidrogênio a partir de reações no subsolo, como a "serpentinização", pode ser uma fonte substancial de energia limpa. O financiamento faz parte de dois Tópicos Exploratórios da Advanced Research Projects Agency-Energy (ARPA-E), um focado em estimular a produção de hidrogênio a partir de depósitos minerais no subsolo, e outro em tecnologias para a extração de hidrogênio subterrâneo, incluindo melhorias em métodos de transporte e contenção. Este investimento demonstra o crescente interesse na exploração do potencial do hidrogênio subterrâneo como parte da transição para uma economia de energia limpa. (H2 View – 08.09.2023) 
Link Externo

Revisão da estratégia alemã para o hidrogênio aumenta a dependência de importações

A Alemanha está assumindo uma posição de destaque no cenário do hidrogênio, com planos ambiciosos de atender entre 95 a 130 TWh de demanda de hidrogênio até 2030, sendo até 70% dessa demanda suprida por importações. A capacidade de eletrólise será ampliada para 10 GW. O governo alemão está elaborando uma estratégia específica para importações de hidrogênio, visando estabelecer parcerias globais, cadeias de abastecimento confiáveis e padrões sustentáveis. Além disso, a Alemanha expandirá o suporte ao hidrogênio verde para incluir aplicações de hidrogênio de baixo carbono, o que abrange o hidrogênio azul produzido a partir de gás natural com armazenamento de captura de carbono (CCS). Essas iniciativas refletem a determinação do país em se posicionar como líder na economia do hidrogênio. (H2 View – 13.09.2023) 
Link Externo

Parlamento Europeu aumenta metas para energias renováveis

O Parlamento Europeu aprovou a atualização da Diretiva Energias Renováveis (RED), elevando a meta de energias renováveis ​​no consumo final de energia da UE para 42,5% até 2030, com a expectativa de que os Estados-Membros alcancem 45%. A legislação também acelerará os processos de licenciamento para novas instalações de energia renovável, estabelecendo um prazo de 12 meses para aprovação em "áreas de utilização de energias renováveis". Além disso, a implantação de energias renováveis no setor de transportes visará uma redução de 14,5% nas emissões de gases de efeito estufa até 2030. A legislação faz parte do pacote "fit for 55" da UE, que visa alcançar uma redução de 55% das emissões de gases de efeito estufa até 2030. (H2 View – 12.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Governo fornece financiamento para produção de hidrogênio nuclear

O governo do Reino Unido concedeu uma doação de £ 6,1 milhões (US$7,6 milhões) para apoiar os planos do Bay Hydrogen Hub de usar energia nuclear para produzir hidrogênio. O hidrogênio produzido será destinado à produção de asfalto e cimento. O projeto envolve a construção de um eletrolisador de óxido sólido (SOEC) na usina de energia Heysham 2 em Lancashire, que utilizará pequenas quantidades de eletricidade e vapor gerados pela estação nuclear. O hidrogênio produzido será transportado para a usina de asfalto Criggon da empresa Hanson, no País de Gales, por navios-tanque. A iniciativa visa impulsionar a descarbonização da produção de materiais de construção e promover a energia nuclear como parte da solução para a transição energética. O projeto conta com a parceria da EDF, Hanson, National Nuclear Laboratory e Queimadores Vulcanos. (H2 View – 13.09.2023) 
Link Externo

Emirados Árabes Unidos e Alemanha co-organizam workshop sobre estratégias de hidrogênio e mercado de carbono

Os Emirados Árabes Unidos (EAU) e a Alemanha co-organizaram um workshop sobre as estratégias de hidrogênio e mercados de carbono, como parte da Parceria Emirado-Alemanha para Energia e Clima. O evento reuniu especialistas dos dois países para apresentar as estratégias nacionais de hidrogênio dos EAU e da Alemanha, discutindo também perspectivas de comércio de carbono e mercados voluntários de carbono. O workshop reflete o compromisso com o desenvolvimento sustentável e a inovação, promovendo a colaboração para enfrentar desafios climáticos e energéticos. A Estratégia Nacional para o Hidrogênio dos EAU visa tornar o país líder na produção de hidrogênio com baixo teor de carbono até 2031, impulsionando o crescimento econômico e a criação de empregos no setor. (Hydrogen Central – 14.09.2023) 
Link Externo

Canadá: Hydrogen Optimized recebe US$ 3,5 milhões para aumentar a capacidade de eletrolisadores

A Hydrogen Optimized recebeu um financiamento de US$ 3,5 milhões para automatizar e expandir a capacidade de seus eletrolisadores RuggedCell™ em Ontário. A expansão da capacidade dos eletrolisadores visa ampliar a produção de hidrogênio. Esse financiamento foi concedido pelo Governo do Canadá, por meio da Agência de Desenvolvimento Econômico Federal para o Sul de Ontário (FedDev Ontario), como parte de um projeto de US$ 11 milhões para aumentar a produção de eletrolisadores em sua instalação em Owen Sound. A tecnologia RuggedCell™ da Hydrogen Optimized é um componente central das usinas de produção de hidrogênio limpo em grande escala, e, com esse investimento, a instalação será capaz de fabricar 5.000 unidades por ano. (H2 View - 08.09.2023) 
Link Externo

Produção

Brasil: TotalEnergies, Petrobras, Casa dos Ventos explorarão hidrogênio e energias renováveis ​

A TotalEnergies, a Petrobras e a Casa dos Ventos anunciaram um Memorando de Entendimento para explorar oportunidades conjuntas em energia renovável e hidrogênio de baixo carbono no Brasil. O acordo prevê estudos para investir em energia eólica onshore, eólica offshore, solar e hidrogênio de baixo carbono no país. A Casa dos Ventos, uma joint venture da TotalEnergies, já possui um portfólio de 12 GW em energia eólica e solar no Brasil. A Petrobras iniciou discussões com a Unigel para explorar oportunidades em hidrogênio verde, baixo carbono e fertilizantes no início deste ano. A TotalEnergies busca fornecimento de 500 mil toneladas de hidrogênio verde para suas refinarias europeias, conforme anunciado recentemente. (H2 View – 15.09.2023) 
Link Externo

Coréia do Sul: Elogen fornecerá eletrolisador de 2,5 MW para projeto de mobilidade de hidrogênio

A empresa francesa Elogen assinou um contrato para projetar e fabricar um eletrolisador PEM de 2,5 MW para um projeto de mobilidade a hidrogênio na Coreia do Sul. O contrato foi firmado com a Valmax Technology Corporation e faz parte de um projeto de mobilidade em Buan, na província de North Jeolla, onde o eletrolisador produzirá uma tonelada de hidrogênio por dia. O projeto é conduzido por um consórcio composto pela Buan' Jeonbuk Techno Park, Korea Hydro & Nuclear Power, Hyundai Engineering & Construction, Techcross Water & Energy e Techcross Environmental Services. (GTT - 12.09.2023) 
Link Externo

EUA: Electric Hydrogen fornecerá sistema de eletrólise para projeto de hidrogênio verde no Texas

A Electric Hydrogen (EH2) anunciou que fornecerá um eletrolisador de 100 MW para o projeto de hidrogênio verde da New Fortress Energy no Texas, EUA. O projeto deverá produzir cerca de 50 toneladas de hidrogênio verde por dia usando o sistema eletrolisador da EH2, com a primeira produção de hidrogênio prevista para o quarto trimestre de 2024 e operação comercial completa em 2025, com capacidade de escalar para 200 MW no futuro. A EH2 está atualmente fabricando os sistemas eletrolisadores de 100 MW em suas instalações em Devens, Massachusetts, enquanto seus módulos de balanceamento de planta estão sendo fabricados no Texas. (Energy News - 12.09.2023) 
Link Externo

França: Air Liquide investe 400 milhões de euros em projeto de hidrogênio

A Air Liquide anunciou um investimento de mais de 400 milhões de euros para a construção de um eletrolisador chamado Normand'Hy, com capacidade de 200 MW, na usina de energia Heysham 2 em Lancashire, França. Este projeto é parte de um esforço conjunto com a Total Energies para abastecer a sua refinaria em Gonfreville, Normandia, com hidrogênio renovável e de baixo carbono. A refinaria receberá hidrogênio equivalente a uma capacidade de eletrólise de 100 MW a partir do segundo semestre de 2026. Os 100 MW restantes serão utilizados para desenvolver a mobilidade de baixo carbono e abastecer clientes na bacia industrial da Normandia. O projeto Normand'Hy é o maior eletrolisador PEM já construído e contribuirá para evitar até 250 mil toneladas de emissões de CO2 por ano. (Hydrogen Central – 14.09.2023) 
Link Externo

Índia: Avaada e TSSEZL assinam MoU para desenvolver instalações de hidrogênio e amônia verde

O Avaada Group assinou um Memorando de Entendimento (MoU) com a Tata Steel Special Economic Zone Limited (TSSEZL) para estabelecer uma unidade de produção de hidrogênio e amônia verde. Esta instalação será localizada no Parque Industrial de Gopalpur, em Odisha, na Índia, e tem o objetivo de reduzir as emissões de dióxido de carbono em cerca de 2 milhões de toneladas para apoiar a transição para a energia verde. Esta colaboração visa impulsionar a ambição da Índia de se tornar um polo global de produção de hidrogênio verde e é um marco crucial para os planos de amônia verde da Avaada. O grupo já levantou fundos significativos para seus empreendimentos de hidrogênio verde e amônia e está expandindo sua capacidade de projeto para atingir 11 GW até 2026. (India Times - 08.09.2023) 
Link Externo

Indonésia: Projeto de hidrogênio e amônia verde será instalado no país

A Perusahaan Listrik Negara (PLN), Pupuk Indonesia e ACWA Power anunciaram que irão construir um projeto integrado de hidrogênio e amônia verde na Indonésia para serem utilizados na indústria de fertilizantes. As três empresas assinaram um Acordo de Estudo de Desenvolvimento Conjunto (JDSA) no Fórum ASEAN Indo Pacífico (AIPF), com a colaboração prevista para produzir mais de 30 mil toneladas de hidrogênio e receber um investimento de até US$ 1,35 bilhões. (H2 View - 06.09.2023) 
Link Externo

Paquistão: Oracle Power conclui estudo de viabilidade para projeto de hidrogênio verde de 400 MW

A Oracle Power anunciou a conclusão do estudo de viabilidade técnica e comercial para o seu projeto de hidrogênio verde e amônia de 400 MW no Paquistão. O projeto planeja produzir anualmente 55 mil toneladas de hidrogênio verde. Localizado no corredor eólico na província de Singh, no sul do Paquistão, a Oracle espera implantar 700 MW de energia solar e 500 MW de energia eólica para alimentar a eletrólise. O estudo, realizado pela thyssenkrupp Uhde da Alemanha, determinou que a capacidade de eletrolisador necessária para produzir 140 toneladas de hidrogênio verde por dia é de aproximadamente 360 MW. (Hydrogen Central - 13.09.2023) 
Link Externo

Armazenamento e Transporte

EUA: Honeywell e NREL desenvolverão solução de armazenamento de hidrogênio para VANTs

A Honeywell está colaborando com o Laboratório Nacional de Energia Renovável (NREL) do Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) para comercializar soluções de armazenamento de combustível de hidrogênio. Eles trabalharão juntos em um projeto de um ano para prototipar e apoiar a comercialização de um sistema de armazenamento de combustível de hidrogênio em formato de cartucho para veículos aéreos não tripulados (VANTs). Este projeto, denominado Projeto Fuel Additives for Solid Hydrogen (FLASH), desenvolverá uma nova tecnologia de transporte de hidrogênio desenvolvida pelo NREL como parte do projeto Hydrogen Materials Advance Research Consortium (HyMARC). (NREL - 15.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: A Luxfer Gas Cylinders investe mais de £1 milhão em infraestrutura de hidrogênio

A Luxfer Gas Cylinders anunciou um investimento de mais de £1 milhão em sua base europeia em Nottingham, Reino Unido, para estabelecer uma nova instalação de produção que apoiará "gasodutos virtuais" capazes de distribuir hidrogênio no Reino Unido e na Europa. A empresa fabrica cilindros de alumínio de alta pressão e cilindros compostos e está envolvida na incorporação de sistemas movidos a hidrogênio em vários meios de transporte. A nova instalação produzirá Contêineres de Gás de Múltiplos Elementos (MEGCs) e estará disponível a partir do verão de 2024. Esses contêineres podem armazenar entre 0,5 e 1,4 toneladas de gás limpo e transportá-lo para onde for necessário, facilitando o acesso ao hidrogênio para empresas que buscam operações mais sustentáveis. (Luxfer - 13.09.2023) 
Link Externo

Uso Final

Empresas: IKEA usará aço produzido com hidrogênio da H2 Green Steel em 50% do armazenamento global de depósitos

A Ingka Group, a maior varejista da IKEA, assinou um acordo com a H2 Green Steel para usar aço produzido com hidrogênio em 50% das prateleiras de depósitos da IKEA em todo o mundo a partir de 2026. Isso faz parte dos planos da Ingka Group para reduzir sua pegada de carbono, enquanto a IKEA visa se tornar neutra em carbono até 2030. A Ingka Group planeja adquirir no mínimo 12 mil toneladas de aço verde da H2 Green Steel por ano. A H2 Green Steel está construindo sua primeira usina de aço verde em Boden, Suécia, onde o hidrogênio será usado na redução direta do ferro (DRI) para produzir aço com cerca de 95% menos emissões do que o aço tradicionalmente produzido. (H2 Green Steel - 13.09.2023) 
Link Externo

Empresas: H2 Green Steel fornecerá aço produzido a partir de hidrogênio para o Grupo Volvo

A H2 Green Steel fornecerá ao Grupo Volvo seu aço produzido a partir de hidrogênio, com o objetivo de auxiliar a montadora a descarbonizar suas cadeias de suprimentos. O acordo de fornecimento de longo prazo prevê que o aço verde produzido na planta da H2 Green Steel em Boden, na Suécia, seja entregue ao Grupo Volvo a partir de meados de 2026, para que a montadora possa introduzir o material em seus produtos. O aço mais limpo é um elemento essencial nos planos da Volvo para descarbonizar suas redes de suprimento, uma vez que é um dos principais materiais utilizados na fabricação de caminhões, ônibus e máquinas de construção. (Vargas Holding - 14.09.2023) 
Link Externo

EUA: OCI dobrará a produção de metanol verde nos EUA para 400 mil toneladas por ano

A OCI Global anunciou planos de dobrar sua capacidade de produção de metanol verde nos EUA para cerca de 400 mil toneladas por ano. Além disso, a empresa adicionará o e-metanol à base de hidrogênio verde à sua linha de produtos pela primeira vez. A OCI espera um crescimento significativo na demanda por metanol verde nos próximos anos e planeja produzi-lo a partir de uma combinação de fontes de combustíveis renováveis, incluindo gás natural renovável e hidrogênio verde. A empresa planeja aumentar a capacidade das suas instalações em Beaumont, Texas, em 200 mil toneladas por ano, com um crescimento da demanda previsto para mais de seis milhões de toneladas até 2028. A expansão é impulsionada pela crescente demanda no setor de transporte, especialmente no mercado de combustíveis rodoviários e marítimos. (Reuters - 12.09.2023) 
Link Externo

EUA: Universal Hydrogen avança para a certificação de conversão de aeronaves para hidrogênio

A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) emitiu um documento para a Universal Hydrogen, um importante passo para estabelecer os critérios de certificação para o projeto da empresa de converter uma aeronave ATR 72 para funcionar com hidrogênio. A Universal Hydrogen solicitou a conversão de aeronaves regionais ATR 72 para funcionar com hidrogênio líquido e células a combustível, e o documento da FAA inclui os padrões de aeronavegabilidade e padrões ambientais necessários para certificar a conversão para hidrogênio. A Universal Hydrogen está trabalhando em conjunto com a FAA para finalizar os requisitos de certificação. (H2 View - 14.09.2023) 
Link Externo

Itália: Solaris recebe pedido recorde de 130 ônibus movidos a hidrogênio

A Solaris anunciou que recebeu um pedido de 130 ônibus movidos a hidrogênio do operador de transporte público municipal na Itália, a TPER. A Solaris entregará 127 unidades dos modelos Urbino 12 para a TPER Bologna e outras três unidades para a TPER Ferrara, com a opção de estender o pedido em mais 140 veículos. As duas cidades italianas estão trabalhando para alcançar metas ambiciosas de transição do transporte público urbano para zero emissões até 2030, prevendo os benefícios dos ônibus a partir de 2024, com a entrega da primeira remessa de 37 unidades, e o restante previsto para 2025 - 2026. (Solaris - 11.09.2023) 
Link Externo

Itália: Solaris entregará 90 ônibus movidos a hidrogênio para Veneza

A Solaris anunciou que entregará 90 ônibus movidos a hidrogênio para a empresa de transporte Azienda Veneziana della Mobilita (AVM) para implantar em Veneza, na Itália. A cidade receberá 75 ônibus movidos a hidrogênio Urbino 12 e outros 15 veículos Urbino 18, com o contrato incluindo uma opção para aumentar a quantidade do pedido com um pedido adicional de mais 18 veículos. Já estão em operação em Veneza 30 ônibus Urbino 12 movidos a bateria e quatro movidos a hidrogênio, com a próxima remessa programada para ser entregue gradualmente a partir de novembro de 2025 e concluída até 2026. (Solaris - 12.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: ZEVI financia a fabricação de um veículo não tripulado movida a hidrogênio e estação de recarga

A SEA-KIT International recebeu financiamento da competição Zero Emissions Vessels and Infrastructure (ZEVI) para projetar e fabricar um veículo de superfície não tripulado (USV) movido a hidrogênio no Reino Unido. Em parceria com a fabricante de semicondutores de energia renovável, Marine2o, as duas empresas também construirão uma infraestrutura terrestre capaz de produzir hidrogênio verde por meio de energia renovável e eletrólise da água como parte do projeto. O projeto Zero Emissions Ports Hydrogen Refilling Survey Vessel (ZEPHR) visa estender a operação da embarcação para operadores e partes interessadas do porto por meio de uma transição completa de energia, usando eletricidade verde para suportar a produção, compressão, armazenamento e distribuição de hidrogênio verde. (Smart Maritime Netork - 11.09.2023) 
Link Externo

Tecnologia e Inovação

Guindaste do porto de Vancouver será convertido para funcionar com hidrogênio

A TYCROP e a Loop Energy foram escolhidas para fornecer soluções elétricas de hidrogênio para converter um guindaste de pórtico sobre pneus de borracha (RTG) no porto de Vancouver, Canadá, em um sistema de combustível duplo que funcionará com hidrogênio. O guindaste, de propriedade da DP World, será equipado com dois sistemas de célula a combustível Loop Energy T505, permitindo operação com hidrogênio. O piloto está previsto para iniciar no segundo trimestre de 2024, com o hidrogênio fornecido pela HTEC. (H2 View – 15.09.2023) 
Link Externo

Planos para navios de alto mar com células a combustível e tecnologia de craqueamento de amônia revelados

A TECO 2030 e a Pherousa Green Shipping (PGS) uniram forças para desenvolver até seis navios graneleiros Ultramax com zero emissões, cada um equipado com tecnologia de craqueamento de amônia e células a combustível de hidrogênio de 12 MW para propulsão principal. Ao armazenar amônia e convertê-la em hidrogênio a bordo, os navios buscam solucionar desafios de armazenamento e infraestrutura associados ao hidrogênio, permitindo o transporte com zero emissões utilizando amônia e possibilitando a transição para o hidrogênio quando viável. (H2 View – 14.09.2023) 
Link Externo

NewHydrogen revela a chave para sua tecnologia inovadora

A empresa NewHydrogen, desenvolvedora de uma tecnologia que utiliza calor em vez de eletricidade para produzir hidrogênio verde a partir de água, busca produzir hidrogênio verde de forma mais acessível. Atualmente, a produção de hidrogênio verde é custosa devido ao uso de eletricidade cara, responsável por 73% do custo total. A empresa colabora com uma equipe de engenheiros químicos e de materiais da UC Santa Barbara para aprimorar essa técnica. O objetivo final é tornar o hidrogênio verde tão acessível que possa ser usado na produção de fertilizantes verdes mais econômicos do que os convencionais feitos a partir de gás natural. (Hydrogen Central – 14.09.2023) 
Link Externo

Eventos

Seminário: Hubs de Hidrogênio Verde nos Portos e Polos Industriais

O GESEL, em colaboração com o Cimatec e IATI, promoveu um evento presencial centrado na criação de Hubs de H2V em Portos & Polos Industriais, com ênfase em Camaçari na Bahia e Suape em Pernambuco. O evento ocorreu no dia 18/09 e foi dividido em três painéis. O primeiro focou em estabelecer um enquadramento institucional com a participação de representantes de órgãos como MME, Casa Civil, BNDES, ANEEL, ANP e EPE. O segundo abordou as perspectivas, desafios e potencial do Hub H2V de Camaçari, com apresentações de empresas como Grupo EDP, Neoenergia, e offtakers, além do Cimatec. Por fim, o terceiro painel analisou o porto e o polo industrial de Suape, com contribuições de representantes de Suape, ANP e IATI. As apresentações e a gravação do evento foram disponibilizadas no site do GESEL (GESEL-IE-UFRJ - 18.09.2023) 
Link Externo

Hydrogen Dialogue São Paulo

A Jornada para o Desenvolvimento do Hidrogênio Verde acontecerá nos dias 18 e 19 de outubro em São Paulo. O evento visa imergir na revolução tecnológica do hidrogênio verde, abordando oportunidades de investimento em pesquisa para redução de custos na produção, desenvolvimento de derivados líquidos, armazenagem eficaz e transporte a longa distância. Com o Brasil como peça fundamental devido ao seu potencial em energia solar e eólica, a jornada abrange temas cruciais como transição energética, políticas públicas, mercado atual e futuro, ecossistemas, financiamento, inovações e logística. Além disso, incluirá o 3º GREEN LOGISTICS SUMMIT, um fórum especial para debater a logística do hidrogênio verde e o uso do energético nos modais de grande porte. Este evento visa conectar e impulsionar o mercado nacional e internacional do hidrogênio verde. 
Link Externo

Artigos e Estudos

Artigo GESEL/AHK: Análise do Plano de Trabalho Trienal do Programa Nacional do Hidrogênio

Foi publicado novo artigo GESEL no Portal de Hidrogênio Verde da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha (AHK). O texto, assinado por Nivalde José de Castro (Coordenador do GESEL), Luiza Masseno Leal (Pesquisadora Plena do GESEL) e Vinícius José da Costa (Pesquisador Jr. do GESEL) é intitulado “ Análise do Plano de Trabalho Trienal do Programa Nacional do Hidrogênio”. Segundo os autores, “o Brasil gradativamente vai se comprometendo com uma agenda em prol do desenvolvimento da economia do hidrogênio de baixa emissão como uma estratégia fundamental para atingir três objetivos: (i) perseguir as metas de redução de emissões de carbono; (ii) contribuir para a transição energética global; e (iii) ser um vetor para a reindustrialização”. (Portal Hidrogênio Verde - 13.09.2023) 
Link Externo

Oportunidade e Desafios para Geração Eólica Offshore no Brasil e a Produção de Hidrogênio de Baixo Carbono

O Brasil possui um enorme potencial para se destacar na geração de energia eólica offshore, dada sua extensa costa e condições ideais de vento. Esta forma de energia desempenha um papel crucial na transição para uma economia de baixo carbono, sendo uma das prioridades do Plano de Retomada da Indústria. Em 2021, os parques eólicos offshore globalmente adicionaram impressionantes 21 GW de energia, triplicando em relação ao ano anterior, e estimativas apontam para a adição de 260 GW até 2030, totalizando 316 GW ao fim da década, com investimentos previstos de até US$ 1 trilhão. A consolidação dessa indústria pode impulsionar a economia, promover avanços tecnológicos e científicos, reduzir a dependência de fontes não renováveis e contribuir para a segurança energética do país. Além disso, a energia eólica offshore é um componente vital na produção de hidrogênio de baixo carbono, abrindo caminho para novos modelos de negócio tanto no mercado interno quanto na exportação. O estudo também identifica as principais barreiras regulatórias, mercadológicas, de infraestrutura e tecnológicas que precisam ser superadas para maximizar o potencial da energia eólica offshore no Brasil e consolidá-la como um elemento fundamental na produção de hidrogênio de baixo carbono no país. (Portal da Industria – Setembro de 2023) 
Link Externo

Standardizing Hydrogen Certification

À medida que a era do hidrogênio desponta, nos deparamos com um enorme potencial para um futuro mais limpo e sustentável. No entanto, esse futuro depende de nossa capacidade de estabelecer padrões rigorosos e universalmente aplicáveis para a certificação de hidrogênio. A União Europeia (UE) está idealmente posicionada para liderar essa iniciativa, e este documento é um esforço conjunto para fornecer orientação nesse empreendimento crucial. A UE já definiu as regras para o hidrogênio doméstico e importado na Europa por meio de Atos Delegados e REDII. Ao mesmo tempo, outros esquemas regionais estão em desenvolvimento e há uma necessidade de harmonização global e reconhecimento mútuo. Tais critérios, combinados com um rigoroso quadro de verificação, são fundamentais para promover o desenvolvimento sustentável do mercado. O objetivo principal é possibilitar um futuro sustentável em que a economia do hidrogênio prospere. O estudo explora essas questões, defendendo o uso de ferramentas digitais para impulsionar a rastreabilidade e transparência do comércio de hidrogênio, facilitando o comércio global e acelerando a transição para uma economia baseada em hidrogênio. (H2 Global – Setembro de 2023) 
Link Externo

Impacto do hidrogênio nas redes

A UE está a passar por uma transformação energética rumo a um continente com impacto neutro no clima até 2050. Estabeleceu metas para reduzir progressivamente as emissões de gases com efeito de estufa rumo à energia limpa, a fim de atingir este objetivo e cumprir os compromissos do Acordo de Paris da UE. Estas metas climáticas de alto nível exigirão mudanças estruturais em vários setores e terão impacto na sociedade e na economia. A descarbonização é alcançadaprincipalmente através da eletrificação de vários setores (atualmente dependentes de combustíveis fósseis) decorrentes de fontes de energia renováveis ​​variáveis ​​(vRES) e fontes de baixas emissões complementadas por gases de baixo carbono (European Commission - julho de 2023). 
Link Externo