IFE
20/09/2023

IFE Energia Nuclear 35

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Cristina Rosa e João Pedro Gomes
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
20/09/2023

IFE nº 35

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe e João Pedro Gomes
Pesquisadores: Cristina Rosa e João Pedro Gomes
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Energia Nuclear 35

Políticas Públicas e Planos de Governo

Brasil: Marinha avança em programa do submarino nuclear

A Itaguaí Construções Navais (ICN) e a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) formalizaram a fabricação da Seção de Qualificação do submarino de propulsão nuclear da Marinha do Brasil (MB) por meio de um contrato assinado em setembro de 2023. Esta seção é crucial para preparar a equipe técnica e testar as etapas de produção do casco resistente do submarino "Álvaro Alberto" (SN10), que faz parte do Programa de Submarinos (PROSUB). O programa visa impulsionar a construção naval no Brasil com a transferência de tecnologia da França, adaptando o submarino Scorpène às necessidades da MB. O PROSUB envolveu a construção de infraestrutura no Complexo Naval e Industrial (CNI) de Itaguaí, e está na fase de Projeto Detalhado, com previsão de entrega do SN10 ao setor operativo da MB a partir de 2034. (Tecnodefesa – 11.09.2023) 
Link Externo

Brasil: Justiça cassa liminar e as obras da usina nuclear angra 3 voltam a ser paralisadas

A justiça suspendeu a liminar que permitia a continuação das obras da usina nuclear Angra 3, interrompidas por determinação da prefeitura de Angra dos Reis devido a alegadas mudanças no projeto urbanístico. A prefeitura afirmou que a Eletronuclear não cumpriu um termo de compromisso no valor de R$ 264 milhões. O deputado Júlio Lopes, presidente da Frente Parlamentar Mista de Tecnologia e Atividades Nucleares, expressou preocupação com as paralisações, ressaltando a importância de retomar a obra. A Eletronuclear anunciou que recorrerá da decisão e a construção da usina está atualmente paralisada. A conclusão de Angra 3 é vista como essencial para garantir segurança de abastecimento elétrico e reduzir custos no sistema elétrico brasileiro. Além disso, a usina contribuirá para a diversificação da matriz elétrica e a geração de energia limpa, sem emissões de gases do efeito estufa. O projeto também impulsionará a economia local com a criação de empregos diretos e indiretos. (Petronoticias – 13.09.2023) 
Link Externo

Argentina: Atucha II retorna ao serviço após conclusão dos reparos

A unidade nuclear argentina Atucha II retomou a geração de energia após bem-sucedidos reparos devido à descoberta de um dos quatro suportes internos do reator desconectado e deslocado de sua posição prevista durante uma inspeção em outubro de 2022. A equipe interdisciplinar decidiu extrair o separador e fazer o reparo remotamente, reduzindo o tempo de reparo de quatro anos para 10 meses. As ferramentas e técnicas fornecidas foram desenvolvidas para trabalhar nas condições exigidas do leitor, incluindo um corte do separador e reforço preventivo na adição dos outros suportes. O sucesso dessa intervenção marca um marco na indústria nuclear argentina e demonstra a capacidade do país de realizar projetos complexos de engenharia, com potencial para exportar conhecimento e ferramentas para outras usinas nucleares no mundo. (WNN - 30.08.2023) 
Link Externo

Canadá: Bruce VI de volta a rede após reforma

A Bruce 6, localizada em Ontário, Canadá, foi reconectada à rede após uma interrupção bem-sucedida da Substituição de Componentes Principais (MCR), que faz parte do Programa de Extensão de Vida da Bruce Power. Esta é a primeira das seis unidades a passar por esse processo de reforma, que estende a operação da infraestrutura até 2064. O programa é considerado a maior iniciativa de energia limpa de Ontário e um dos maiores projetos de infraestrutura do setor privado no Canadá. A renovação das unidades nucleares visa fornecer energia limpa e confiável para a população de Ontário, com melhorias sendo inovadoras com base nas lições aprendidas durante o processo de reforma da Unidade 6, incluindo automação, robótica e treinamento avançado. (WNN - 08.09.2023) 
Link Externo

Cazaquistão: População decidirá sobre construção de usina nuclear

O Cazaquistão planeja realizar um referendo para decidir sobre a construção de uma usina nuclear no país, conforme anunciado pelo presidente Kassym-Jomart Tokayev em seu discurso sobre o estado da nação. O Ministério da Energia propôs a reintrodução da energia nuclear como forma de diversificar a matriz energética, reduzir a dependência de combustíveis fósseis e diminuir as emissões de CO2. Tokayev destacou a importância política e econômica dessa decisão, citando opiniões divergentes sobre a segurança das usinas nucleares. O governo realizará audiências públicas e análises elaboradas antes de determinar os dados do referendo. A área de Ulken, na região de Almaty, foi selecionada como local preferencial para uma central nuclear, e quatro potenciais fornecedores estrangeiros estão sendo considerados. A população local declarou apoio ao projeto durante as discussões públicas, enquanto a legislação local exige acordo e avaliações públicas apresentadas. (WNN - 01.09.2023) 
Link Externo

China: Navio de contenção toma forma em Sanmen IV

No complexo nuclear localizado em Sanmen, na província de Zhejiang, República Popular da China, o módulo CV1R, destacado como o maior e mais massivo componente do navio de contenção em aço, foi instalado com sucesso no dia 29 de agosto de 2023. Este módulo, com um peso substancial de 1.024 toneladas, foi incorporado à estrutura em uma operação que consumiu 2 horas e 15 minutos. O CV1R abrange múltiplos invólucros de penetração e outros elementos de importância vital. A efetiva instalação deste módulo representa um marco significativo no contexto do desenvolvimento de novos reatores na região. (WNN - 05.09.2023) 
Link Externo

EUA: Tribunal anula licença para loja de combustível usado no Texas

Uma licença emitida para a construção e operação de uma instalação de armazenamento provisório consolidado (CISF) para combustível nuclear usado no Texas foi cancelada por um tribunal de recurso dos EUA, que determinou que a Comissão Reguladora Nuclear dos EUA (NRC) não tem a autoridade do Congresso para licenciar tal instalação. O consórcio Interim Storage Partners (ISP), que inclui a Waste Control Specialists e o Orano CIS, planejou construir o CISF no Texas, mas o tribunal decidiu que isso não era permitido pelas leis nucleares existentes. A decisão destaca os desafios legais e regulatórios enfrentados pelos projetos de armazenamento provisório usado de combustível nuclear nos EUA, onde a falta de um depósito permanente tem levado à necessidade de soluções de armazenamento de curto e longo prazo. (WNN - 30.08.2023) 
Link Externo

Hungria: Construção do Paks II avança

Na central nuclear de Paks, na Hungria, foi alcançado um novo marco no projeto da sexta unidade, com a realização dos primeiros trabalhos de terraplenagem que atingem uma profundidade de até 5 metros, prevendo-se que algumas partes do sexto bloco tenham até 23 metros de profundidade para garantir estabilidade e segurança. Cerca de 30 a 40 caminhões estão envolvidos no transporte do solo escavado, totalizando um milhão de metros cúbicos. Além disso, os trabalhos incluem a construção de uma parede subterrânea à prova d'água para controlar o fluxo de água subterrânea no local. O Ministro dos Negócios Estrangeiros e do Comércio da Hungria, Péter Szijjártó, afirmou que esses progressos, juntamente com os trabalhos em curso na Rússia, mantêm a meta de conclusão do projeto até 2030 realista, embora tenha havido uma previsão anterior de conclusão em 2032. (WWN - 06.09.2023) 
Link Externo

Irã: Produção de urânio enriquecido e está mais próximo da bomba atómica

Mais de 60 países, incluindo Estados Unidos, França, Alemanha e Reino Unido, exigiram explicações ao Irã sobre o avanço de seu programa nuclear, especialmente em relação a vestígios radioativos encontrados em instalações declaradas pelo país como não-nucleares. Durante uma reunião da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) em Viena, os Estados destacaram a "necessidade urgente" de esclarecimentos por parte do Irã. A declaração insta o Irã a fornecer respostas técnicas críveis aos inspetores da AIEA, em conformidade com seu acordo de salvaguardas. O Irã tem aumentado a produção de urânio enriquecido, chegando a níveis próximos do necessário para a construção de armas nucleares, o que eleva as preocupações internacionais. (CNN Portugal – 13.09.2023) 
Link Externo

Japão e Reino Unido: Pesquisa conjunta sobre resíduos e desmantelamento

Dois projetos de pesquisa, financiados pelo Conselho de Pesquisa em Engenharia e Ciências Físicas (EPSRC) do Reino Unido e pelo Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia (MEXT) do Japão, concederam um total de 1 milhão de libras esterlinas para desenvolver tecnologias de detecção e processamento de resíduos radioativos. Os projetos visam apoiar os esforços de desmantelamento da usina de Sellafield, no Reino Unido, e a remoção de detritos radioativos do acidente de Fukushima Daiichi, no Japão. Um dos projetos se concentra na melhoria da detecção e caracterização de detritos de combustível nuclear usando imagens hiperespectrais e outras tecnologias de sensores. O segundo projeto explora o uso de argilas calcinadas para criar ligantes de geopolímeros que cimentarão resíduos sólidos de combustível radioativo. (WNN - 12.09.2023) 
Link Externo

República Tcheca: Primeiro-ministro sugere a necessidade de quatro novas unidades nucleares

Petr Fiala, Primeiro Ministro da República Checa, anunciou a necessidade de construir até quatro novas unidades de energia nuclear no país durante uma conferência sobre a estratégia futura. Ele enfatizou a importância da energia nuclear como um projeto que combina inovação e valor acrescentado, capaz de contribuir para a economia do país. Fiala ressaltou que a República Checa tem especialistas e instalações de pesquisa necessárias para a expansão da energia nuclear e busca estar na vanguarda do desenvolvimento de reatores nucleares modulares em nível global. Alterações legislativas também serão renovadas para facilitar a construção de infraestrutura de energia e transporte. (WNN - 01.09.2023) 
Link Externo

Reino Unido: Maior financiamento para avançar no projeto de hidrogênio rosa

Um consórcio liderado pela EDF recebeu financiamento do governo do Reino Unido para desenvolver planos de utilização de calor e eletricidade de Heysham 2 para criar hidrogênio para uso na produção de asfalto e cimento. O projeto envolve a eletrólise de óxido sólido integrada com calor nuclear e eletricidade de Heysham para fornecer oxigênio de baixo carbono e baixo custo para vários locais de produção de asfalto e cimento no Reino Unido. A tecnologia poderia melhorar a eficiência da produção de hidrogênio em 20% em comparação com a eletrólise convencional. O financiamento do governo e da indústria, combinado, ultrapassará 15 milhões de libras esterlinas, apoiando o desenvolvimento do projeto para a produção, distribuição e tecnologia de uso final do hidrogênio, bem como a exploração de custos e planos de entrega. (WNN - 14.09.2023) 
Link Externo

Ruanda: Construção de primeiro reator nuclear de pequena escala

Ruanda assinou um acordo com empresas canadenses e alemãs para construir seu primeiro reator nuclear de pequena escala, visando testar uma nova abordagem de fissão nuclear. O reator, desenvolvido pela Dual Fluid Energy Inc., não produzirá eletricidade para a rede do país, mas explorará tecnologia para fontes de energia mais limpas. Prevê-se que o reator esteja operacional em 2026, com testes de tecnologia concluídos em 2028. A Dual Fluid Energy busca uma fissão nuclear baseada em combustível líquido e refrigerante de chumbo que promete produzir eletricidade sem emissões a custos mais baixos que os combustíveis fósseis. A parceria foi avaliada em 75 milhões de dólares e é parte da estratégia do Ruanda para desenvolver tecnologias de pequenos reatores nucleares modulares para fins pacíficos. (Observador – 13.09.2023) 
Link Externo

Suíça: Desabastecimento concluído em Mühleberg

A BKW, a transportadora suíça, anunciou que todo o combustível nuclear da usina nuclear desativada de Mühleberg foi transportado com sucesso para a instalação de armazenamento provisório de Zwilag, em Würenlingen, marcando o fim da primeira fase de descomissionamento da usina. A retirada antecipada de todo o combustível foi alcançada 16 meses antes dos dados originalmente programados, contribuindo para uma redução de mais de 99% nos níveis de radioatividade na usina. O próximo passo envolve o desmantelamento das partes da planta que entraram em contato com a radioatividade, com a expectativa de que Mühleberg esteja livre de material radioativo até o final de 2030, preparando o caminho para usos futuros do site a partir de 2034. (WNN - 01.09.2023) 
Link Externo

Vice-Chanceler Regional Africano: Roteiro para estabelecer novos programas de ciência e tecnologia nuclear no continente

Durante a Reunião Regional Anual de Vice-Chanceleres em Joanesburgo, África do Sul, representantes de 27 universidades africanas concordaram em estabelecer e implementar programas acadêmicos de pós-graduação em ciência e tecnologia nuclear em universidades credenciadas na região. O objetivo é fortalecer a colaboração entre as instituições de ensino para ampliar as oportunidades no ensino superior e impulsionar a contribuição da ciência nuclear para o desenvolvimento socioeconômico da África. O desenvolvimento de currículos em agricultura e radiofarmácia foi destacado como áreas prioritárias para essa colaboração. A iniciativa busca suprir a escassez de profissionais qualificados em ciência e tecnologia nuclear, promovendo o estabelecimento de novos programas de pós-graduação na região. A AIEA tem facilitado esses esforços desde 2018, reunindo vice-reitores de universidades africanas para promover currículos mais orientados para a pesquisa e o mercado, visando atender às demandas de desenvolvimento de recursos humanos no continente. (AIEA – 08.09.2023) 
Link Externo

Dinâmica Internacional

Associação Nuclear Mundial: Campanha NET ZERO pretende triplicar até 2050 a capacidade de geração nuclear

A Associação Nuclear Mundial, em parceria com a Corporação de Energia Nuclear dos Emirados (ENEC), recebeu apoio da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e do governo do Reino Unido para lançar a iniciativa Net Zero Nuclear. O evento ocorreu durante o Simpósio Nuclear Mundial 2023 em Londres, reunindo 700 representantes da indústria global. A campanha visa impulsionar a colaboração entre governo, líderes da indústria e sociedade civil para maximizar o potencial da energia nuclear na descarbonização dos sistemas energéticos globais. A CEO da ENEC, Sama Bilbao y León, enfatizou a necessidade de vontade política e financiamento eficaz para triplicar a capacidade nuclear até 2050, e a Miss América e estudante de engenharia nuclear, Grace Stanke, ressaltou a urgência da ação contra as mudanças climáticas. O Departamento de Segurança Energética e Net Zero do Reino Unido anunciou sua parceria inaugural, destacando a importância da energia nuclear no caminho para o net zero. O diretor geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, sublinhou a relevância crucial da energia nuclear neste momento, enfatizando a necessidade de adaptação regulatória e a prioridade da segurança das centrais nucleares na Ucrânia. (Petronotícias – 08.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Diretor enfatiza importância da presença de agentes em Zaporizhzhia

Rafael Mariano Grossi, diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), destacou a importância contínua da presença da AIEA na usina nuclear de Zaporizhzhia, na Ucrânia, um ano após o início da Missão de Apoio e Assistência da AIEA a Zaporizhzhya (ISAMZ). Ele enfatizou que a equipe da AIEA tem desempenhado um papel crucial na estabilização da situação e na manutenção do mundo informado sobre a usina, que está sob controle militar russo desde março de 2022. Apesar dos desafios, a equipe da AIEA continua a monitorar a usina e verificará sua segurança nuclear, embora tenha enfrentado restrições de acesso em algumas áreas. A situação da água de refrigeração também foi discutida, com a AIEA observando uma redução no nível da lagoa de refrigeração, mas a disponibilidade de água de refrigeração é suficiente por muitos meses. (WNN - 04.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Diretor Geral faz discurso em evento e fala sobre Fukushima, Ucrânia, Irã e nova iniciativa Atoms4Food

O Diretor Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Mariano Grossi, iniciou sua declaração no Conselho de Governadores prometendo apoio às vítimas do terremoto em Marrocos. Ele atualizou o Conselho sobre a liberação controlada de água tratada da Central Nuclear de Fukushima Daiichi e destacou o papel da AIEA na segurança nuclear na Ucrânia. Grossi também anunciou iniciativas, como o projeto Atoms4Food para aumentar a produção alimentar e a abertura do Centro de Formação e Desenvolvimento em Segurança Nuclear. Ele celebrou iniciativas de igualdade de gênero na AIEA, incluindo bolsas de estudo e visitas profissionais para mulheres profissionais nucleares. O compromisso de alcançar paridade de gênero na AIEA até 2025 foi destacado como bem-sucedido, ultrapassando 43% de representação feminina. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Revisão de segurança operacional de longo prazo da usina nuclear espanhola de Ascó

Uma equipe de especialistas da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) concluiu uma revisão de segurança operacional de longo prazo na Central Nuclear de Ascó, na Espanha. A missão analisou a resposta da central às recomendações feitas durante uma avaliação anterior da AIEA em 2021. A central, que possui duas unidades de reatores, foi elogiada por melhorias significativas na gestão do envelhecimento, mas ainda precisa trabalhar em áreas como a resistência de componentes elétricos e a gestão do envelhecimento de elementos estruturais. A gestão da fábrica expressou determinação em abordar essas áreas e continuar a colaborar com a AIEA. Um relatório final será submetido às autoridades reguladoras espanholas nos próximos três meses. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Não houve aumento no nível de trítio perto de Fukushima Daiichi

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) informou que sua análise independente da água do mar próxima à usina nuclear danificada de Fukushima Daiichi declarou que os níveis de trítio colocados abaixo do limite operacional estabelecido pelo Japão. Essa água, usada em parte para resfriar o combustível nuclear derretido, é tratada pelo Sistema Avançado de Processamento de Líquidos (ALPS), que remove a maior parte da contaminação radioativa, exceto o trítio. Atualmente, essa água tratada está armazenada em tanques no local, cujo total está previsto para ser atingido até o final de 2023 ou início de 2024. O Japão planeja descarregar gradualmente essa água tratada no mar, e a AIEA tem monitorado e coletado amostras de água do mar para garantir a conformidade com os limites operacionais estabelecidos. (WNN - 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Primeira amostragem de água do mar após descarga de água tratada pelos ALPS no Japão

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) realizou a primeira amostragem independente de água do mar na costa próxima à Central Nuclear de Fukushima Daiichi desde o início da descarga controlada de água tratada pelo ALPS em 24 de agosto. Os resultados confirmaram que os níveis de trítio estão abaixo do limite operacional estabelecido pelo Japão. As medições da AIEA foram consistentes com os dados divulgados pela Tokyo Electric Power Company (TEPCO) e pelo Ministério do Meio Ambiente do Japão. A revisão de segurança da AIEA concluiu que o plano do Japão para a descarga da água tratada está em conformidade com os padrões internacionais de segurança e terá um impacto radiológico insignificante no ambiente e na população. A AIEA tem monitorado a área marítima desde o acidente em 2011, seguindo recomendações de um relatório de 2013 relacionado ao desmantelamento da central. (AIEA – 08.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Missão internacional de serviço consultivo de proteção física na Zâmbia

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) concluiu com sucesso a 100ª missão do Serviço Internacional de Aconselhamento em Proteção Física (IPPAS) na Zâmbia. A missão, realizada a pedido do Governo da Zâmbia, ocorreu de 28 de agosto a 8 de setembro e foi a primeira desse tipo no país. A equipe avaliou o regime de segurança nuclear da Zâmbia em relação à proteção de materiais radioativos, instalações e atividades associadas, incluindo transporte. A missão também incluiu uma revisão do quadro legislativo e regulamentar, práticas regulatórias, e coordenação entre as partes envolvidas na segurança nuclear. A equipe observou que o regime de segurança nuclear na Zâmbia está bem estabelecido e forneceu recomendações para reforçar e manter a segurança nuclear no país. (AIEA – 08.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Diretor geral elogia Suécia sobre descarte de combustível nuclear irradiado nas profundezas subterrâneas

Durante sua visita à Suécia, o diretor-geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, desceu 500 metros abaixo da superfície no Laboratório Äspö Hard Rock para examinar os preparativos avançados do país para o descarte seguro do combustível nuclear irradiado. A Suécia, que já possui seis reatores nucleares gerando um terço de sua eletricidade, planeja construir mais. A Empresa Sueca de Gestão de Resíduos e Combustíveis Nucleares (SKB) conduz pesquisas geológicas de ponta para a construção de um depósito final nas instalações de Forsmark. O governo sueco aprovou o plano, e a SKB prevê que a instalação esteja operacional na década de 2030. O método KBS-3, desenvolvido no laboratório Äspö Hard Rock, será empregado, e o diretor-geral Grossi expressou a importância de demonstrar que o combustível irradiado e os resíduos radioativos são gerenciados de forma sustentável e responsável. Ele elogiou a liderança da Suécia e da Finlândia nesse campo e enfatizou a participação e o apoio das comunidades locais. Grossi também mencionou o interesse internacional e a intenção da AIEA de intensificar a cooperação com essas instalações para beneficiar outros países. (AIEA – 31.08.2023) 
Link Externo

AIEA: Agência passará por escassez de dinheiro dentro de semanas

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) alertou que seus membros estaduais têm um débito acumulado de mais de 200 milhões de euros e que, sem pagamentos imediatos, enfrentarão dificuldades financeiras em um mês, afetando suas operações e pagamentos de atraso. O Diretor-Geral da AIEA, Rafael Mariano Grossi, expressou preocupação com a situação financeira e apelou para o compromisso dos membros estaduais. Ele destacou as atividades da AIEA, incluindo monitoramento em Fukushima e na Ucrânia, e lançou a nova iniciativa Atoms4Food, que visa apoiar a produção e segurança alimentar usando técnicas nucleares e isotópicas. Grossi também enfatizou a importância da harmonização regulatória e igualdade de gênero na AIEA. (WNN - 12.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Agência pode parar as atividades por falta de dinheiro

O Diretor Geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, emitiu um alerta urgente sobre a situação financeira da agência, indicando que os estados membros devem mais de 200 milhões de euros e que, se os pagamentos não forem feitos dentro de um mês, a agência ficará sem recursos para pagar salários e contas de luz. Grossi ressaltou que 44% dos estados membros estão em atraso nos pagamentos, incluindo os principais doadores, e expressou frustração com a falta de ação em comparação com outras agências globais. Ele enfatizou a necessidade de compromissos imediatos para garantir a continuidade das operações da AIEA. Além disso, Grossi atualizou o conselho sobre vários assuntos, incluindo a liberação de água tratada da usina de Fukushima Daiichi, missões na Ucrânia, verificações no Irã e iniciativas como o Atoms4 Food. Ele também destacou os esforços da AIEA para harmonizar regulamentações e apoiar a implantação de reatores modulares seguros e protegidos. A AIEA também está promovendo a igualdade de gênero, com o Programa de Bolsas Marie Sklodowska e a meta de alcançar a paridade de gênero até 2025. (Petronoticias – 12.09.2023) 
Link Externo

Ativistas climáticos pedem para Greenpeace reconsiderar oposição à energia nuclear

Jovens ativistas pelo clima na Europa lançaram a campanha "Dear Greenpeace" pedindo ao Greenpeace para reconsiderar sua posição anti energia nuclear, argumentando que a energia nuclear é crucial na redução da pegada de carbono. Eles alegam que o posicionamento da organização está desatualizado e que a energia nuclear é uma opção viável. O Greenpeace respondeu afirmando que a construção de novas usinas nucleares não é uma solução viável, defendendo que a prioridade é reduzir as emissões de carbono de forma rápida e econômica, o que, segundo eles, pode ser alcançado com tecnologias solar e eólica. Além disso, alertaram sobre os riscos associados à energia nuclear, apesar da percepção mais branda dos jovens em relação a desastres passados. Um professor de energia da Universidade da Califórnia apontou que, embora seja válido explorar todas as opções, é importante manter um ceticismo cauteloso em relação à energia nuclear devido aos riscos potenciais. (Sociocientifica – 12.09.2023) 
Link Externo

Coréia do Sul: Presidente reforça que China deve ter papel responsável sobre ameaça nuclear

O presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, solicitou à China um papel "responsável" na gestão das ameaças nucleares provenientes da Coreia do Norte durante seu encontro com o primeiro-ministro chinês, Li Qiang, na semana passada. Yoon enfatizou que a Coreia do Norte representa uma ameaça significativa para a Coreia do Sul, mas destacou que isso não deveria prejudicar a relação entre Seul e Pequim. Ele também expressou a expectativa de que as relações entre Coreia do Sul, EUA e Japão se fortaleçam diante da crescente seriedade da questão nuclear na península coreana. Além disso, Yoon e Li demonstraram apoio à realização de uma cúpula entre Coreia do Sul, China e Japão ainda em 2023. (Poder 360 – 12.09.2023) 
Link Externo

Japão: Operador de Fukushima afirma que a primeira rodada de liberação de águas residuais foi concluída

A operadora da usina nuclear de Fukushima, Tokyo Electric Power Company Holdings, anunciou que concluiu com segurança a primeira liberação de água radioativa tratada no oceano e iniciará a segunda rodada após inspeções e limpezas na instalação. A água, acumulada desde o desastre de 2011, tem sido objeto de controvérsia, levando à proibição de importações de frutos do mar japoneses pela China. O primeiro-ministro Kishida enfatizou a segurança e transparência da liberação, buscando apoio internacional e pedindo o levantamento da proibição pela China. A Agência Internacional de Energia Atômica afirmou que, se o processo for executado conforme planejado, terá um impacto negligenciável no ambiente e na saúde humana. (Power Engineering – 11.09.2023) 
Link Externo

Inovação Tecnológica

Alemanha: Novos investimentos em fusão nuclear

A Alemanha planeja investir mais de 1,1 bilhão de dólares em pesquisa de fusão nos próximos cinco anos, de acordo com a Ministra Federal da Pesquisa, Bettina Stark-Watzinger. Este investimento inclui um adicional de 370 milhões de euros destinados à pesquisa de fusão, além dos fundos já alocados às instituições de pesquisa. O objetivo é contribuir para o desenvolvimento da fusão como uma fonte de energia limpa e eficiente, com foco na pesquisa de fusão magnética e o laser. A iniciativa busca criar um ecossistema de fusão colaborativo envolvendo a indústria e instituições de pesquisa para tornar uma central de fusão na Alemanha uma realidade em breve, em meio à transição gradual do país para a eliminação da energia nuclear de fissão. (WNN - 07.09.2023) 
Link Externo

ANYbotics: Robô é testado em repositório nuclear finlandês

Um robô de quatro patas chamado ANYmal, projetado para operar de forma independente em ambientes desafiadores, foi testado com sucesso a uma profundidade de mais de 400 metros nos túneis do depósito de combustível nuclear usado em Onkalo, Finlândia. Uma equipe de pesquisa, liderada pela empresa suíça de robótica ANYbotics, realizou o teste em colaboração com a Euratom e a empresa finlandesa de gestão de resíduos radioativos Posiva Oy. O robô, equipado com sensores e câmeras, pode observar o ambiente, localizar sua posição com precisão e rotas planejadas de navegação autônomas. O teste visava avaliar a capacidade do robô de se mover nas condições desafiadoras de Onkalo e sua utilidade para inspeções de proteção de materiais nucleares e operações de salvaguardas nucleares. (WNN - 01.09.2023) 
Link Externo

Centrus: Antecipação de data de produção do HALEU

A empresa norte-americana Centrus Energy Corp anunciou que planeja iniciar a produção de urânio de alto teor e baixo enriquecimento (HALEU) na American Centrifuge Plant em Ohio em outubro, cerca de dois meses antes do previsto. O HALEU é essencial para muitos projetos de reatores avançados e é uma parte crucial do Programa de Demonstração de Reatores Avançados do Departamento de Energia dos EUA. A Centrus iniciou a construção de uma cascata de demonstração de centrífugas em 2019, e a produção de HALEU é um passo importante para desenvolver uma fonte nacional de urânio enriquecido nos EUA para atender às necessidades de futuros reatores. (WNN - 07.09.2023) 
Link Externo

Chubu: Empresa assumirá participação em uma desenvolvedora de SMRs

A Chubu Electric Power Co, uma empresa japonesa, anunciou seu investimento na NuScale Power, uma desenvolvedora americana de pequenos reatores modulares (SMR). A Chubu pretende adquirir ações emitidas na NuScale do Japan Bank for International Cooperation (JBIC), sujeita a aprovações regulatórias. O SMR da NuScale é o único projeto desse tipo certificado pela Comissão Reguladora Nuclear dos Estados Unidos, e está sendo considerado em mais de 10 países. O investimento visa obter receitas com a expansão dos negócios da NuScale e contribuir para a utilização sustentável da geração de energia nuclear em uma sociedade descarbonizada. Embora seja considerado “difícil” implantar SMRs no Japão no momento, a Chubu está otimista sobre o desenvolvimento futuro de reatores de próxima geração no país. (WNN - 07.09.2023) 
Link Externo

Cingapura: Primeiro Centro Colaborador da AIEA usa aceleradores para P&D

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e o Centro para Aplicações de Feixes de Íons (CIBA) da Universidade Nacional de Cingapura estabeleceram uma parceria para avançar no uso de tecnologias de aceleradores em diversas áreas, como ciência dos materiais, tratamento do câncer e preservação do patrimônio cultural. O CIBA, designado como Centro Colaborador da AIEA até 2027, possui um acelerador de feixe de íons que pode produzir prótons e feixes alfa altamente energéticos, permitindo pesquisas multidisciplinares. A instalação desenvolveu uma técnica de nanofocagem que atinge tamanhos de pontos de feixe de apenas 10 nm, inédito no mundo. Essa colaboração visa impulsionar a inovação e a aplicação prática dessas tecnologias em diversos campos científicos e industriais. (AIEA – 14.09.2023) 
Link Externo

ENEC e OSGE: Cooperação para promover SMRs na Europa

A Orlen Synthos Green Energy (OSGE) da Polônia e a Emirates Nuclear Energy Corporation (ENEC) assinaram um memorando de entendimento (MoU) para colaborar na promoção de pequenos reatores modulares (SMRs) na Polônia, Reino Unido e Europa Central e Oriental. A OSGE planeja construir e operar a primeira central elétrica SMR na Polônia até o final desta década e lançar novas unidades na década de 2030. O acordo permitirá que as partes trabalhem juntas no desenvolvimento de SMRs com base na tecnologia BWRX-300 da GE-Hitachi Energia nuclear. A ENEC compartilhará sua experiência no desenvolvimento de usinas nucleares, incluindo a construção da usina Barakah nos Emirados Árabes Unidos, enquanto a OSGE utilizará seus direitos exclusivos para usar a tecnologia BWRX-300 na Polônia. (WNN - 12.09.2023) 
Link Externo

EUA: DOE projeta analisar papel de energia nuclear na captura de carbono

O Departamento de Energia dos Estados Unidos (DOE) selecionou dezenove projetos para receber suporte no âmbito do programa denominado Regional DAC Hubs, dos quais dois estão voltados para a exploração da viabilidade do uso da energia nuclear na remoção direta de dióxido de carbono da atmosfera. O primeiro projeto pertence à empresa GE Vernova, que conduzirá uma avaliação de pré-viabilidade para estabelecer um centro de captura direta de ar (DAC) que combina o pequeno reator modular da GE Hitachi e eletricidade renovável nas proximidades de Houston, Texas. Nesse caso, o DOE alocou US$ 2,554 milhões para esta iniciativa. Adicionalmente, a Northwestern University desenvolverá o Midwest Nuclear DAC Hub para explorar soluções DAC alimentadas por energia nuclear, com o apoio financeiro do DOE de US$ 3 milhões. (WWN - 31.08.2023) 
Link Externo

EUA: País oferecerá suporte a outros países para projetos de SMRs

A República Checa, Polônia e Eslováquia foram selecionadas para receber apoio dos Estados Unidos (EUA) no âmbito do Projecto Phoenix para estudos de viabilidade de reatores modulares de carvão para pequenos reatores modulares (SMRs). O projeto visa converter centrais elétricas de carvão em SMRs para apoiar a segurança energética e as metas climáticas. As propostas bem-sucedidas receberam um total de 8 milhões de dólares em apoio dos EUA e foram escolhidas entre 17 países da Europa Central e Oriental. Além disso, foi anunciado o lançamento do Balcão Único para Aceleração da Transição Energética Nuclear (NEXT) para Apoio SMR, que fornecerá ferramentas e serviços de preparação de projetos para países que estão considerando a implantação de SMRs na Europa e na Eurásia. (WNN - 08.09.2023) 
Link Externo

Irã: País apresenta simulador de reator caseiro

O Irã desenvolveu um simulador de treinamento de reatores nucleares, conhecido como GNRTS, projetado e construído pela Organização de Energia Atômica do Irã (AEOI). O simulador representa um reator de água pressurizada (PWR) de dois circuitos com potência térmica de 100 MW e potência elétrica líquida de 30 MWe, permitindo o treinamento de profissionais nucleares em cenários normais de operação, anormais e de emergência. O simulador já foi instalado em universidades iranianas para fins de ensino, e o Irã está disposto a exportar o sistema de cooperação com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). (WNN - 06.09.2023) 
Link Externo

Japão e Reino Unido reforçam cooperação em HTGRs

O Laboratório Nuclear Nacional do Reino Unido (NNL) e a Agência de Energia Atômica do Japão (JAEA) assinaram memorandos de cooperação relacionados aos Reatores Refrigerados a Gás de Alta Temperatura (HTGRs) e ao Programa do Reator de Demonstração HTGR do Reino Unido. O governo do Reino Unido alocou cerca de 75 milhões de dólares para pesquisa em HTGR, um tipo de reator modular avançado (AMR), em dezembro de 2022, visando operar um projeto de demonstração até o final da década. Atualmente, a Fase B do programa de P&D da AMR está em andamento, com o objetivo de criar até dois HTGR FEED maduros para revisão regulatória até fevereiro de 2025. Este projeto visa contribuir para a descarbonização por meio do fornecimento de hidrogênio e vapor de alta temperatura para indústrias difíceis de descarbonizar, como processamento, siderurgia e química. (WNN - 08.09.2023) 
Link Externo

Orano e Urenco: Novos pacotes de transporte para combustíveis avançados

A empresa de colaboração nuclear Orano e o especialista em enriquecimento de urânio Urenco estão desenvolvendo um novo cilindro, o 30B-X, projetado para o transporte de urânio enriquecido até 20%. Esse cilindro é uma resposta às necessidades futuras de transporte de combustível de urânio pouco enriquecido (LEU +) e de urânio pouco enriquecido de alto teor (HALEU) no mercado, à medida que novos projetos de combustível e reatores modulares surgem. O pacote DN30-X que incorpora o cilindro foi licenciado nos EUA e na França, e os protótipos foram entregues para testes em instalações de enriquecimento. Além disso, a Orano obteve aprovação para uma cesta de alta capacidade (HCB) que duplica a capacidade do pacote VP-55 para transporte de materiais nucleares, atendendo à crescente demanda por transporte de 10% LEU + e até 20% de material HALEU. (WNN - 06.09.2023) 
Link Externo

Westinghouse e Energoatom: Cooperação para o desenvolvimento do AP300 SMR

A Energoatom da Ucrânia e a empresa norte-americana Westinghouse concordaram com um memorando de entendimento (MoU) para desenvolver e implantar pequenos reatores modulares AP300 (SMRs) na Ucrânia. Além disso, as empresas reforçaram sua cooperação na construção de novas unidades AP1000 planejadas no país. O acordo destaca a importância da energia nuclear na busca da Ucrânia por segurança energética e transição para uma matriz energética mais limpa, com planos de introdução de SMRs nos próximos 10 anos. Essa parceria fortalece ainda mais os laços entre as duas empresas, que recentemente realizaram o primeiro carregamento de combustível West em um reator VVER-440 na central nuclear de Rivne, na Ucrânia. (WNN - 12.09.2023) 
Link Externo

Empresas

BWX Techonologies: Novo contrato para produzir HALEU

A BWX Technologies foi escolhida para processar milhares de quilogramas de sucata de propriedade do governo dos Estados Unidos (EUA) contendo urânio enriquecido, com o objetivo de produzir urânio de alto enriquecimento e baixo enriquecimento (HALEU) para reatores nucleares avançados. A empresa planeja produzir mais de duas toneladas de HALEU nos próximos cinco anos, usando a sucata fornecida pela Administração Nacional de Segurança Nuclear do Departamento de Energia dos EUA. Este material será transformado em HALEU na forma de óxido com um nível de enriquecimento de 19,75%, com algumas centenas de quilogramas disponíveis já em 2024. O contrato inicial vale 47 milhões de dólares, com um valor total de até 116,5 milhões de dólares, sujeito a doações anuais do Congresso. (WNN - 04.09.2023) 
Link Externo

Cameco: Revisão de previsão de produção de urânio canadense para 2023

A empresa de mineração de urânio Cameco interrompeu suas projeções de produção para 2023 devido a problemas de confiabilidade dos equipamentos em sua operação de mineração de urânio em Cigar Lake, no Canadá, e incertezas relacionadas à produção planejada de operações em Key Lake, que retomou as após após um longo período de cuidado e manutenção. A produção estimada para Cigar Lake foi reduzida de 18 milhões de libras de U3O8 para 16,3 milhões de libras, enquanto a produção estimada de McArthur River/Key Lake foi reduzida de 15 milhões de libras de U3O8 para 14 milhões de libras. Os problemas afetaram o desempenho, mas a empresa está tomando medidas para enfrentar os desafios de escassez e acredita que a demanda por urânio permanece forte. (WNN - 04.09.2023) 
Link Externo

Constellation e ComEd: Acordo de fornecimento de energia nuclear para instalações

A Constellation Energy anunciou um acordo de correspondência horária que permitirá à concessionária ComEd abastecer todas as suas 54 instalações com energia nuclear produzida localmente. Esse acordo representa uma inovação para uma empresa de serviços públicos norte-americana de propriedade de investidores, pois possibilitará à ComEd abastecer suas instalações com energia 100% limpa, produzida no mesmo momento e local em que é consumida. O acordo segue uma iniciativa semelhante entre a Constellation e a Microsoft para alimentar um dos data centers desta última com quase 100% de energia nuclear. Essa abordagem visa alcançar zero emissões de carbono de maneira mais eficaz, pois combina a produção de energia limpa com o momento e local de consumo. (Power Engineering – 15.09.2023) 
Link Externo

Holtec: Assinatura de PPA visando reiniciar a usina nuclear de Palisades

A Holtec International e a Wolverine Power Cooperative assinaram um acordo de compra de energia de longo prazo para reiniciar a usina nuclear Palisades de 800 MW em Covert Township, Michigan. Sob o acordo, a Wolverine compraria até dois terços da energia gerada pela usina para suas cooperativas elétricas rurais em Michigan, enquanto a Hoosier Energy compraria o restante. No entanto, o reinício da usina depende do apoio financeiro do governo federal, com a Holtec tendo solicitado um financiamento de empréstimo federal de US$ 1 bilhão para repotenciar a usina. A Palisades foi adquirida pela Holtec em junho de 2022, após seu desligamento, e pode se tornar a primeira usina nuclear reiniciada com sucesso nos EUA. (Power Engineering – 12.09.2023) 
Link Externo

MoltexFLEX: Ajustes no design FLEX aumentam a produção de energia

A empresa MoltexFLEX anunciou uma melhoria significativa em seu projeto de reator de sal fundido FLEX, aumentando a produção de energia de 40 MWth/16 MWe para 60 MWth/24 MWe, enquanto mantém os custos de capital e operacionais anteriormente estabelecidos. A empresa, com sede no Reino Unido, está desenvolvendo uma versão de nêutrons térmicos de sua tecnologia de reator de sal estável, que é modular e passivamente seguro, não exigindo sistemas de segurança ativos. Além disso, a MoltexFLEX ajustou o projeto para utilizar 5% de urânio um pouco enriquecido em vez de 6%, o que facilita a implantação global e aproveita medidas de segurança e não práticas já existentes. Essas melhorias reforçam a confiança da empresa em seu design e economia, colocando-a no caminho para entregar seu primeiro reator FLEX até a década de 2030. (WNN - 11.09.2023) 
Link Externo

Pertamina NRE e Seaborg: MoU reafirma compromisso para reator de sal fundido

A Pertamina NRE assinou um memorando de entendimento com a Seaborg da Dinamarca para explorar a implantação da Power Barge do reator compacto de sal fundido (CMSR) da Seaborg na Indonésia. O projeto envolve uma avaliação do escopo de uma implantação comercial viável da Barcaça Elétrica CMSR, que poderia ser usada para fornecer energia à rede, indústrias ou produção de combustíveis alternativos, como hidrogênio, amônia e metanol. Os investimentos estimados variam de 1 a 3 bilhões de dólares e poderiam contribuir significativamente para as metas de redução de CO2 da Indonésia. A Seaborg planeja barcaças de energia CMSR modulares equipadas com dois a oito CMSRs de 100 MWe, com vida operacional de 24 anos, inicialmente abastecidas com urânio de baixo enriquecimento. (WNN - 12.09.2023) 
Link Externo

Rosatom: Novo reator enviado para Kursk II mostra ritmo recorde de produção

A empresa nuclear russa Rosatom anunciou o envio de um reator de 340 toneladas para a segunda unidade em Kursk II, marcando um recorde na produção anual de reatores pela AEM-Technology JSC. Este é o quarto reator produzido este ano, refletindo o ambicioso programa de construção de usinas nucleares na Rússia e no exterior. O projeto VVER-TOI, anunciado em 2010, visa substituir quatro unidades RBMK em Kursk II. A nova unidade, de geração III+, apresenta melhorias de segurança, maior eficiência e menor tempo de construção, com uma capacidade nominal de 1.300 MWe. O reator será transportado por estrada e rio a partir do local de produção em Volgodonsk, Oblast de Rostov. (WNN - 05.09.2023) 
Link Externo

Tractebel e Hatch: Nova construção nuclear

A empresa de engenharia belga Tractebel e a empresa canadense Hatch concordaram em colaborar na implantação de tecnologias nucleares, tanto pequenas quanto grandes, na América do Norte e na Europa. A parceria visa fornecer conhecimento e experiência em engenharia nuclear e consultoria para projetos nucleares. A Tractebel, com mais de 60 anos de experiência em engenharia nuclear, tem colaborado no projeto do pequeno reator modular Nuward (SMR) com a EDF. Por outro lado, a Hatch oferece engenharia, consultoria e design de tecnologia e equipamentos nucleares e está envolvida no desenvolvimento e avaliação de SMRs desde 2012. A colaboração visa construir novos ativos nucleares e apoiar a transformação energética e a descarbonização das indústrias pesadas. (WNN - 31.09.2023) 
Link Externo

Studsvik e GNS: Colaboração em tecnologia de resíduos

A empresa sueca de serviços técnicos nucleares, Studsvik, e a especialista alemã em resíduos radioativos, GNS Gesellschaft für Nuklear-Service mbH, estabeleceram uma cooperação exclusiva para introduzir a tecnologia inDRUM da Studsvik no mercado alemão. A tecnologia inDRUM é projetada para tratar assuntos problemáticos, incluindo resíduos legados em tambores antigos, e é capaz de lidar com uma variedade de resíduos radioativos, de baixo a alto nível. Ela utiliza um processo termoquímico em lote para tratar resíduos radioativos dentro dos contêineres originais, resultando em uma substância inorgânica inerte e significativamente reduzida em volume. A parceria tem como objetivo desenvolver e implementar ainda mais essa tecnologia no mercado alemão, soluções seguras. (WNN - 04.09.2023) 
Link Externo

Estudos

Reino Unido: Força de trabalho nuclear é a maior em 20 anos

De acordo com a pesquisa anual do Mapa de Empregos da Associação da Indústria Nuclear do Reino Unido, o setor nuclear civil do emprego do país possui atualmente 77.413 pessoas, um aumento de 20% em relação ao ano anterior. Esse crescimento inclui o projeto nuclear Hinkley Point C da EDF, que agora emprega 9.500 pessoas. Além disso, as tecnologias emergentes, como o desenvolvimento do pequeno reator modular Rolls Royce e os projetos de fusão em Culham, estão gerando novas oportunidades de emprego. A indústria nuclear no Reino Unido é vista como uma fonte de petróleo altamente complexa que destaca para a segurança energética e o compromisso com novos projetos, como reatores grandes e pequenos, é considerada crucial para o crescimento econômico, a criação de empregos e a transição para uma energia mais segura e com baixas emissões de carbono. (WNN - 14.09.2023) 
Link Externo

Eventos

Nuclep e FIRJAN: Seminário destaca a importância da energia nuclear no país

A Nuclebrás Equipamentos Pesados (NUCLEP) e a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) planejam realizar em conjunto um seminário sobre a importância da Tecnologia Nuclear para o desenvolvimento, geração de empregos, soberania e sustentabilidade. O evento, intitulado "Tecnologia Nuclear para o nosso bem", contará com participação internacional e o apoio da Associação Brasileira para Desenvolvimento das Atividades Nucleares (ABDAN). O objetivo é ampliar o debate e conscientizar sobre os benefícios da energia nuclear em diversas aplicações, ressaltando sua segurança e relevância em diferentes áreas. A iniciativa também visa fortalecer o debate em todo o Brasil, contando com o apoio da Frente Parlamentar em Defesa das Atividades Nucleares. (Petronoticias – 13.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Melhorando a qualidade e a segurança do paciente em radiologia diagnóstica na Ásia Central

Este evento apresentará histórias de sucesso na melhoria da qualidade e segurança do paciente em radiologia diagnóstica na Ásia Central. Serão apresentados os resultados de diversos projetos de cooperação técnica nacionais e regionais. O evento será realizado na segunda-feira, 25 de setembro de 2023, das 13h00 às 15h00. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Rede Regional de Reatores de Pesquisa e Instituições Relacionadas

A Rede Regional de Reatores de Pesquisa e Instituições Relacionadas na América Latina e no Caribe foi criada em março de 2023 para otimizar a utilização dos reatores de pesquisa latino-americanos e melhor satisfazer a demanda atual e futura por seus produtos e serviços. O evento apresentará a Rede através das vozes dos coordenadores regionais e responsáveis ​​técnicos, incluindo apresentações sobre o plano de trabalho da Rede e atividades futuras que ocorrerão no âmbito da Rede. As autoridades nacionais das instituições nucleares apresentarão a situação atual das suas instalações e projetos futuros relacionados com reatores de investigação e sua utilização. Este evento realizar-se-á na segunda-feira, dia 25 de setembro de 2023, das 16h00 às 17h00. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Remediação do local de testes de Semipalatinsk

Este evento apresentará os resultados da assistência da AIEA prestada ao Cazaquistão para remediar o local de testes nucleares de Semipalatinsk. Descreverá as perspectivas para a futura utilização económica do local. O evento será realizado na terça-feira, 26 de setembro de 2023, das 12h00 às 14h00. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Vencedores do Concurso de Estudantes Africanos sobre os Benefícios da Ciência Nuclear

Este evento apresentará os vencedores do Concurso de Estudantes Africanos sobre os Benefícios das Ciências Nucleares, que foi lançado em 20 de Março de 2023. O concurso teve como objectivo fortalecer o conhecimento dos jovens estudantes sobre as aplicações pacíficas da ciência e tecnologia nuclear (NST), e motivar os jovens a considerarem carreiras no sector nuclear. Serão apresentados vídeos de estudantes sobre o papel do NST na abordagem dos desafios do cancro, das alterações climáticas e da agricultura. Este evento será realizado na quarta-feira, 27 de setembro de 2023, das 11h00 às 12h30. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Aplicação de tecnologias avançadas e inteligentes em termos climáticos para uma África com segurança alimentar

Este evento irá mostrar as aplicações bem sucedidas de tecnologias avançadas e inteligentes em termos climáticos, bem como os resultados alcançados a nível nacional em relação à segurança alimentar em África. Abrangerá a gestão agrícola do solo e da água, a melhoria da produção agrícola, o aumento da produção pecuária, o controlo de pragas de insectos e melhorias na segurança alimentar. Este evento será realizado na sexta-feira, 29 de setembro de 2023, das 10h00 às 12h00. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

AIEA: Apoiar o Desenvolvimento do Plano Director do Sistema Eléctrico Continental de África

A AIEA e a Agência Internacional de Energia Renovável têm apoiado, como parceiros de modelação, o desenvolvimento do Plano Diretor do Sistema Energético Continental de África desde março de 2021. Este evento apresentará as atividades realizadas e os principais resultados deste processo único de planeamento energético, bem como o trabalho colaborativo de várias organizações internacionais importantes. Este evento terá lugar na quarta-feira, dia 27 de setembro de 2023, das 16h00 às 17h00. (AIEA – 11.09.2023) 
Link Externo

Simpósio Nuclear Mundial: Crescimento do desafio de recrutar uma força de trabalho nuclear

Com a expansão planejada da energia nuclear em todo o mundo, há uma necessidade crescente de recrutar uma força de trabalho que atraia maior para o setor. Durante o Simpósio Nuclear Mundial, os participantes discutiram estratégias para recrutar pessoal e consideraram a necessidade de expandir o recrutamento globalmente. Isso inclui a identificação de competências específicas, como especializações em energia nuclear e habilidades relacionadas a novos tipos de reatores e pequenos reatores modulares. Além disso, destacou-se a importância de personalizar abordagens de recrutamento para diferentes grupos demográficos, considerando suas motivações e necessidades, como propósito, flexibilidade e uso de tecnologia emergente. Uma nova iniciativa global de mentoria, liderada por Women in Nuclear Global (WIN-Global). (WNN - 08.09.2023) 
Link Externo