IFE
13/03/2023

IFE Tecnologia Exponencial 122

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

IFE
13/03/2023

IFE nº 122

Assinatura:
Equipe de Pesquisa UFRJ
Editor: Prof. Nivalde J. de Castro (nivalde@ufrj.br)
Subeditores: Fabiano Lacombe, Lorrane Câmara e Luiza Masseno
Pesquisadores: Ana Eduarda Rodrigues, Cristina Rosa, Felipe Diniz e Maria Luísa Lunardi
Assistente de pesquisa: Sérgio Silva

Ver índice

IFE Tecnologia Exponencial 122

Transição Energética e ESG

União Europeia: Empresas de energia defendem que a revisão do mercado deve apoiar as energias renováveis

Os CEOs das principais empresas europeias de energia disseram que a Comissão Europeia precisa acertar os detalhes em sua próxima Lei da Indústria Net Zero. A nova legislação alteraria o desenho do mercado europeu de eletricidade. De acordo com a WindEurope, os CEOs de empresas como Iberdrola, Enel e EDP disseram que a lei precisa promover fontes de energia renováveis, facilitar o investimento e criar confiança nos investidores. Francesco Starace, CEO da Enel, afirmou: “A transição energética deve ser acelerada se quisermos fornecer eletricidade estável, segura e competitiva para nossos consumidores. Os dados recentes sobre novos investimentos eólicos mostraram que muitos obstáculos estão impedindo essa transição. Devemos atualizar nosso projeto de mercado com sinais de preço de longo prazo e facilitar a permissão de energias renováveis, reconhecendo as conquistas dos últimos 20 anos do mercado comum de energia". (Renews.Biz - 03.03.2023) 
Link Externo

RMI: Relatório aborda descarbonização do sistema de energia do noroeste da China

O sistema de energia da província de Qinghai tem a maior penetração de energia limpa e o maior potencial de desenvolvimento renovável no noroeste da China. A província anunciou um plano de ação para estabelecer um sistema de energia de carbono quase zero até 2030. Para apoiar essa meta, o relatório publicado pela RMI, ”Descarbonização do sistema de energia do noroeste da China: um estudo de caso sobre o desenvolvimento de um sistema de energia com carbono zero na província de Qinghai”, propõe recomendações sobre aspectos técnicos e design de mercado com base nos recursos disponíveis de Qinghai e nas características do sistema de energia. A implementação dessas recomendações em Qinghai pode ser usada como modelo para acelerar o processo de descarbonização para províncias ou regiões com alta penetração de energias renováveis. O relatório também fornece informações e recomendações sobre a descarbonização do sistema de energia que podem ser usadas em outras províncias ou países. (RMI - 13.03.2023) 
Link Externo

Ásia: Governos devem ser pragmáticos sobre a transição energética

Os Ministros de Estado da área de energia da Ásia estão pedindo aos governos que sejam pragmáticos quando se trata da transição energética e que busquem soluções diversificadas para a segurança energética. Discursando na CERAWeek da S&P Global realizada em Houston, Texas, que teve início no dia 6 de março, Shin Hosaka, comissário da Agência de Recursos Naturais e Energia do Ministério de Economia, Comércio e Indústria do Japão, disse que a transição energética na Ásia deve avançar de uma forma que é com base nas condições asiáticas. (UP Stream Online - 07.03.2023) 
Link Externo

BERD: Empréstimo de US$ 30 milhões para Moldávia visando digitalização da rede

O Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento (BERD) está emprestando US$ 30 milhões à Premier Energy Distribution SA, maior empresa privada de distribuição de energia do país, para financiar seu programa de investimento até 2025, enquanto moderniza, digitaliza e atualiza a rede de distribuição nas partes central e sul do país, incluindo a capital Chisinau. O empréstimo visa ajudar a empresa a transformar uma rede de distribuição convencional em uma rede inteligente digital, garantindo a segurança do abastecimento e melhorando os serviços aos usuários finais. Altamente dependente da importação de suprimentos de energia, a promoção da resiliência energética é um elemento-chave na estratégia de investimento do BERD para 2023-2028 para a Moldávia. E de acordo com a IEA, o setor de energia do país do Leste Europeu enfrenta grandes desafios para melhorar a segurança energética e alcançar suas ambições de transição energética. (Smart Energy - 06.03.2023) 
Link Externo

IRENA: Perspectivas de transição energética da Malásia

Em relatório publicado pela IRENA, “Perspectiva de transição energética da Malásia”, é apresentado que a Malásia está posicionada de forma única para desenvolver um sistema de energia sustentável baseado em energia renovável que pode apoiar o desenvolvimento econômico, lidar com as mudanças climáticas e atingir metas de segurança energética, universalização e acessibilidade a eletricidade. Até 2050, o fornecimento de energia na Malásia deverá aumentar em 60% em relação a 2018, enquanto a população do país deverá aumentar para mais de 40 milhões de pessoas. O relatório explora a rápida expansão da geração renovável, soluções de eficiência energética, o papel de tecnologias emergentes, como hidrogênio e baterias limpas, bem como a importância de expandir a integração regional do setor de energia, tanto dentro do país quanto com vizinhos países. (IRENA - 13.03.2023) 
Link Externo

BNEF: Investimento global em energia limpa supera US$ 1 trilhão em 2022

Um relatório recente da BloombergNEF (BNEF), empresa de pesquisa do grupo Bloomberg, aponta que o investimento global na transição energética de baixo carbono totalizou um recorde de US$ 1,11 trilhão em 2022 – um aumento de 31% em comparação com 2022. Ademais, pela primeira vez o investimento global em tecnologias de energia verde – como energia renovável, transporte eletrificado e armazenamento de energia – alcançou paridade com o capital total empregado para produzir novos combustíveis fósseis. O forte crescimento em soluções “verdes” foi uma surpresa, dado o aperto de energia do ano passado na Europa e os mercados financeiros duvidosos. O relatório cobre energia renovável, armazenamento de energia, veículos elétricos e aquecimento eletrificado , bem como combustível de hidrogênio, energia nuclear, materiais sustentáveis ​​e tecnologias de captura de carbono. No entanto, no relatório é afirmado que US$ 1 trilhão não é suficiente e que é necessário que o investimento de transição anual tenha uma média de mais de três vezes esse valor, pelo resto desta década, para entrar no caminho do cenário “Net Zero” da BNEF. (Corporate Knights - 06.03.2023) 
Link Externo

Geração Distribuída

Governo de SP publica decreto que amplia isenção de ICMS para GD de até 5 MW

A partir de 1º de março, os sistemas de geração distribuída (GD) com potência instalada de até 5 MW em São Paulo poderão acessar a isenção do ICMS no âmbito do Sistema de Compensação de Energia Elétrica (SCEE). A medida publicada beneficiará unidades geradoras na modalidade de GD compartilhada, realizadas via consórcio, condomínio, cooperativas e associações. Anteriormente, a isenção era aplicada apenas a sistemas com potência máxima de 1 MW, de acordo com as restrições do Convênio 16/2015. O benefício espelha medidas já adotadas em outros Estados, como Minas Gerais, Espírito Santo e Rio de Janeiro, e terá vigência em São Paulo até 23 de novembro de 2024. (Broadcast Energia – 28.02.2023) 
Link Externo

Geração Distribuída ultrapassa 2.500 MW em SP

O estado de São Paulo ultrapassou a marca de 2.500 MW de energia elétrica produzidos por geração distribuída, ameaçando a liderança de Minas Gerais nesse setor. Embora Minas Gerais tenha liderado o mercado de energia solar nos últimos anos, São Paulo vem crescendo rapidamente nesse setor e recentemente anunciou a isenção de impostos para a geração distribuída de energia. A energia solar é a modalidade de geração distribuída mais usada no Brasil e a que mais cresce. O aumento de conexões de geração cresceu mais rapidamente em 2022 do que em anos anteriores, chegando a 18.309 megawatts, dos quais 18.050 megawatts são provenientes de energia solar. (Folha de São Paulo – 02.03.2023) 
Link Externo

Espanha: Adição de 6,93 GW de capacidade solar fotovoltaica em 2022

A Espanha implantou aproximadamente 8.312 MW de nova capacidade de energia renovável em 2022, de acordo com dados provisórios da associação local de energia renovável APPA Renovables. Do total, 6,93 GW foram de capacidade solar fotovoltaica, sendo 4,28 MW de geração em larga escala, ao passo que os projetos de autoconsumo representaram cerca de 2.65 MW da capacidade total. Segundo José María González, diretor geral da APPA Renovables, são necessários investimentos em armazenamento, expansão e gerenciamento da rede para garantir a segurança de fornecimento de energia e a segurança energética durante os meses de verão, quando se atinge o pico de demanda no país. (PV Magazine - 06.03.2023) 
Link Externo

Armazenamento de Energia

Reino Unido: Governo analisa política específica para LDES

O governo do Reino Unido está procurando introduzir uma política especificamente em torno do armazenamento de energia de longa duração (LDES) até o final do próximo ano. A mudança foi discutida no painel de discussão “Retornos Financeiros do Armazenamento de Energia de Longa Duração” no Energy Storage Summit, evento do mercado de armazenamento que aconteceu no mês de fevereiro. Cerca de £ 68 milhões (US$ 80 milhões) foram disponibilizados para projetos LDES no final de 2021 pelo BEIS, o departamento do Reino Unido que até recentemente era responsável pela energia até ser substituído pelo DESNZ. Tom Vernon, CEO da Statera Energy, empresa de energia, afirma que o aumento da energia eólica na rede aumentará a necessidade de LDES no Reino Unido porque suas variações e oscilações são maiores e espalhadas por períodos mais longos do que a energia solar fotovoltaica. (Energy Storage - 08.03.2023) 
Link Externo

Veículos Elétricos

Iberdrola e bp: Parceria de € 1 bilhão para infraestrutura de recarga de VEs

A Iberdrola e a bp assinaram uma aliança estratégica para investir € 1 bilhão para implantar uma rede de 11.700 pontos de carregamento rápido e ultrarrápido na Espanha e em Portugal. A joint venture pretendida foi anunciada em julho de 2022, sendo esta aliança o próximo passo no progresso da parceria. Por meio da parceria, a concessionária multinacional de eletricidade Iberdrola e a bp planejam expandir significativamente a infraestrutura pública de carregamento rápido de VEs e acelerar a penetração da tecnologia limpa na Península Ibérica. Especificamente, a colaboração objetiva a instalação e operação de 5 mil pontos de carregamento rápido até 2025, chegando a quase 12 mil até 2030. O presidente da Iberdrola, Ignacio Galán, afirmou que “esta aliança estratégica permite avançar na eletrificação do transporte como elemento chave para reduzir a dependência energética de combustíveis fósseis e aumentar a eficiência energética”. (Smart Energy – 05.03.2023) 
Link Externo

União Europeia: Adiamento da aprovação ao fim dos carros a combustão

A União Europeia adiou a aprovação formal do acordo para proibir a comercialização de veículos a combustão a partir de 2035, incluindo os de gasolina, diesel e híbridos, já que as dúvidas expressas pela Alemanha e Itália poderiam colocar em risco a adoção da nova norma. O acordo estabelece que todos os carros de passeio e vans novos que sejam comercializados no mercado comunitário sejam de emissão zero a partir de 2035. A Comissão Europeia está analisando as preocupações expressas antes de tomar uma posição e responder se podem ser apresentadas alternativas em linha com o que Berlim exige. A legislação possui uma "cláusula de revisão" para avaliar o ritmo de cumprimento dos objetivos e possíveis ajustes se houver avanços tecnológicos que permitam isso. (Energias Renovables – 06.03.2023) 
Link Externo

Tesla: Fábrica no México pode ser a maior do mundo na produção de VEs

A Tesla anunciou oficialmente que irá construir uma megafábrica no México, cujo complexo fabril deverá ser o maior do mundo na produção de veículos elétricos. De acordo com informações da Reuters, a fábrica da Tesla ficará localizada na cidade de Santa Catarina, região norte do México que é bastante estratégica, já que está próxima da fronteira com os Estados Unidos. A agência de notícias afirma que a nova fábrica vai ocupar uma área de nada menos do que 1.700 hectares, 68% maior do que a fábrica da Tesla no Texas. A construção da fábrica será iniciada a partir do final de maio, e vai exigir um investimento inicial de US$ 5 bilhões e assim gerar 5 mil empregos diretos. Esse montante subirá para US$ 10 bilhões e 10 mil colaboradores quando a sua capacidade máxima for atingida. A capacidade de produção do novo complexo fabril da Tesla no México, vai começar com uma meta de 1 milhão de unidades por ano, o dobro da capacidade máxima da fábrica da marca em Berlim e no Texas. (Inside EVs - 07.03.2023)
Link Externo

Indonésia: Criação de programa de subsídios para VEs

O governo indonésio anunciou recentemente a criação de um programa de subsídios para carros elétricos, scooters e ônibus em seu último movimento para impulsionar a adoção de veículos elétricos no país e ajudar a fechar acordos de investimento com fabricantes globais de veículos elétricos, como a americana Tesla e a chinesa BYD. De acordo com o programa que entrará em vigor em 20 de março, a compra de uma scooter elétrica será elegível para um subsídio de 7 milhões de rúpias (cerca de US$ 460). A mesma quantia será oferecida aos consumidores que converterem scooters com motor de combustão interna em elétricas. Autoridades disseram que o governo está preparando o subsídio para um total de 250 mil e-scooters este ano. Também serão concedidos subsídios para cada compra de VEs e ônibus. O governo se prepara para subsidiar a compra de até 35.900 VEs e 138 ônibus elétricos em 2023. (Valor Econômico - 07.03.2023) 
Link Externo

Renault: Criação de centro de distribuição de peças para VEs no Brasil

A Renault reestruturou seu Centro de Distribuição de peças em Quatro Barras (PR), criando uma área dedicada para peças de reposição de veículos elétricos. Isto dará mais agilidade, permitindo a entrega de peças de veículos elétricos, em até um dia útil, ou até três dias úteis, no caso das baterias, para todas as capitais do Brasil. De acordo com a Renault, nesta nova área, são armazenados 7 mil componentes de diferentes modelos totalmente elétricos da linha, como Kwid E-Tech, Zoe E-Tech e Kangoo E-Tech, totalizando mais de 170 mil peças disponíveis para envio imediato para qualquer local do Brasil. A montadora também adota uma estratégia de estoque que garante uma cobertura constante de seis meses de demanda da rede de concessionários. A infraestrutura para carros elétricos da Renault no Brasil abrange todas as 274 concessionárias da marca espalhados pelo Brasil. (Inside EVs - 02.03.2023)  
Link Externo

WEG: Investimento na expansão da produção de packs de baterias no Brasil

A WEG informou que investirá R$100 milhões até 2024 para expansão da capacidade de produção de packs de baterias de lítio no Brasil. A companhia destacou que além de aumentar as dimensões do prédio atual de fabricação, também construirá uma nova fábrica para atender a demanda crescente do mercado de mobilidade elétrica e sistemas de armazenamento de energia. Os investimentos serão realizados no parque fabril de Jaraguá do Sul/SC, cidade sede da companhia. O cronograma de investimentos e expansão da WEG foi dividido em duas etapas: a primeira, que envolve a ampliação imediata do prédio de fabricação atual; e a segunda, que prevê a conclusão da nova fábrica de packs de baterias para o 1º semestre de 2024. O projeto deverá gerar aproximadamente 140 novos empregos e contará com soluções de automação, digitalização e indústria 4.0 fornecidas pela WEG. (CanalEnergia – 28.02.2023)  
Link Externo

Rystad Energy: Mercado de veículos elétricos começa o ano em queda

O mercado global de veículos elétricos (VE) sofreu uma queda abrupta nas vendas mensais, com 672 mil unidades vendidas em janeiro, metade das vendas de dezembro de 2022, mostra pesquisa da Rystad Energy. Na comparação com janeiro de 2022, houve um ligeiro aumento de 3%. Mas a participação de mercado de VEs entre todas as vendas de automóveis de passageiros caiu para 14% no primeiro mês de 2023, bem abaixo dos 23% observados em dezembro. O motivo foi os cortes nos incentivos fiscais para este mercado ao redor do mundo. Com subsídios para veículos elétricos em muitos países europeus e na China reduzidos ou extintos no início do ano, os analistas vêem ramificações duradouras deste movimento, podendo afetar as vendas no primeiro trimestre do ano e, até mesmo, o restante de 2023. (epbr – 01.03.2023) 
Link Externo

Gestão e Resposta da Demanda

EUA: NARUC examina como os estados podem tornar as redes elétricas mais flexíveis com mecanismos baseados em desempenho

Um relatório divulgado no dia 28 de fevereiro pela National Association of Regulatory Utility Commissioners, órgão federal dos EUA, explora como os estados podem encorajar o desenvolvimento de uma rede elétrica mais flexível por meio de tarifas baseadas em desempenho. Em particular, o relatório examina abordagens que promovem a flexibilidade da demanda e edifícios eficientes interativos em grade. Os reguladores estão cada vez mais interessados ​​em como encorajar as concessionárias a desenvolver tecnologias capazes de mudar e reduzir cargas por meio de estruturas regulatórias alternativas. Um desafio é que os programas tradicionais de gerenciamento do lado da demanda “muitas vezes carecem de incentivo para aumentar os investimentos, já que os investimentos da concessionária historicamente resultaram em um repasse simples”, observa o relatório. (Utility Dive - 01.03.2023) 
Link Externo

GridPoint: Empresas comerciais mostram mais interesse em resposta da demanda

À medida que os custos de energia aumentam em todo o mundo, os proprietários de empresas comerciais estão procurando maneiras de economizar dinheiro por meio de melhorias na eficiência energética. Além disso, o esforço global para reduzir as emissões de carbono tem aumentado ainda mais seus interesses em economizar energia. A GridPoint, uma empresa de gerenciamento de energia, realizou uma pesquisa com mais de 800 profissionais nos EUA e Canadá que atuam no setor de eficiência energética, gerenciamento de instalações ou esforços de sustentabilidade de suas organizações e divulgou os resultados em 6 de março. A pesquisa encontrou três pontos principais na pesquisa: primeiro, 96% dos entrevistados indicaram que estão familiarizados com os programas de resposta à demanda e quase 98% disseram que estariam abertos para aprender mais sobre eles. Diante desse cenário, observa-se uma tendência crescente de interesse e/ou aumento da adoção de programas de resposta à demanda por parte das empresas. (Power Grid - 06.03.2023) 
Link Externo

Eficiência Energética

Energisa: Modernização de iluminação pública de municípios no AC

A Energisa entregou as obras de modernização e eficientização da iluminação pública nos municípios de Acrelândia e de Rodrigues Alves. A ação contou com investimento de R$ 500 mil. Ao todo, o projeto realizou a substituição de 300 pontos de iluminação nos dois municípios. A economia na conta de energia das prefeituras pode chegar até R$ 210 mil por ano. As obras realizadas são escolhidas por meio da Chamada Pública de Projetos de Eficiência Energética, realizada anualmente pela Energisa. Os projetos contemplam a substituição das luminárias existentes em vias públicas indicadas pelas prefeituras por luminárias de LED, mais modernas, duráveis, com menor consumo de energia elétrica e proporcionam um maior fluxo luminoso. De acordo com a companhia, em 2022 foram investidos R$ 1,6 milhão na substituição das luminárias nos municípios de Plácido de Castro, Assis Brasil, Porto Acre, Bujari, Tarauacá, Sena Madureira e Xapuri. (CanalEnergia – 02.03.2023)  
Link Externo

Enel Brasil: Aporte de R$ 96 milhões em eficiência energética ao longo de 2022

A Enel Brasil aportou R$ 96 milhões em projetos de eficiência energética ao longo de 2022 em suas três áreas de concessão de distribuição: Ceará, Rio de Janeiro e São Paulo. De acordo com a companhia, as iniciativas beneficiaram 894 mil pessoas e proporcionaram uma economia no consumo de energia estimada em 85.485 MWh por ano, o que equivale ao necessário para abastecer mensalmente cerca de 42 mil residências em um ano. A destinação de recursos por concessionárias e permissionárias de serviços públicos de distribuição de energia elétrica para pesquisa e desenvolvimento e em eficiência energética é obrigatória. No caso da eficiência energética, 0,25% da receita operacional líquida deve ser destinada anualmente. A companhia informou que a destinação feita está em linha com o determinado pela regulação no setor, mas pontuou que mais do que seguir a determinação, busca desenvolver projetos que gerem valor compartilhado, desenvolvimento social e econômico e preservação ambiental. (Broadcast Energia – 03.03.2023)   
Link Externo

Cemig: Resultados da chamada pública de projetos de eficiência energética

A Cemig divulgou os resultados da Chamada Pública de Projetos de Eficiência Energética. E a Universidade Federal de Minas Gerais teve duas propostas aprovadas para realizar adequações no campus, na região da Pampulha, em Belo Horizonte, e no Hospital das Clínicas (HC), no bairro Santa Efigênia, também na capital mineira. Somados, os projetos captaram mais de R$ 1,7 milhão, um investimento que possibilitará mais economia para a instituição de ensino pública e beneficiará não só a comunidade acadêmica como pacientes e profissionais da saúde que utilizam os serviços do HC. Com a economia de recursos energéticos e financeiros, as instituições beneficiárias poderão investir em outras áreas que demandam atenção. A chamada pública de projetos de eficiência energética ocorre anualmente, conforme determina a Aneel, e é uma oportunidade de a sociedade propor e executar ações que mitigam ou eliminam o desperdício de energia em diversos ambientes. (CanalEnergia – 03.03.2023)  
Link Externo

Ecogen: Investimento em plataforma que promete reduzir custos em 30%

A Ecogen Brasil investiu R$ 6 milhões e fechou parceria com a francesa Metron para o uso de um software que permite à empresa lançar uma plataforma nomeada de Ecogen 360°. A promessa é de redução de custos em até 30% com energia e utilidades no segmento industrial. O escopo de atuação da plataforma está na otimização, monitoramento e gestão desses itens de consumo da indústria e outros segmentos. A Ecogen aponta que há muito valor na plataforma por conta da redução de custos e da possibilidade de ajudar na busca pela descarbonização das atividades das empresas. A plataforma pode fornecer dados que ajudam na questão da contratação de energia elétrica, indicando até mesmo a fonte mais adequada no processo de eficiência energética. A plataforma, conta a companhia, tem como destaque o uso da digitalização, da inteligência artificial e dos dados sobre o consumo de energia e demais utilidades para proporcionar maior eficiência produtiva em segmentos industriais e varejistas. (CanalEnergia – 06.03.2023)  
Link Externo

Microrredes e VPP

Canadá: Investimento em projeto de cogeração de biomassa conectada a uma microrrede

O governo canadense concedeu à Sagatay Co-Generation da Whitesand First Nation US$ 35 milhões para desenvolver uma usina combinada de calor e energia e conectá-la a uma microrrede a diesel local. A instalação de 6,5 MW usará resíduos de madeira local para produzir eletricidade para a comunidade indígena Whitesand First Nation, bem como para as comunidades vizinhas de Armstrong e Collins, Ontário. A Whitesand First Nation é atualmente apoiada por uma microrrede movida a diesel, que consumiu mais de 340 mil galões de combustível em 2022. O projeto CHP reduzirá a quantidade de combustível diesel necessária para aquecimento e eletricidade nas comunidades, o que reduzirá os custos de energia e as emissões, além de melhorar a qualidade do ar. Tanto a liderança de Whitesand quanto o governo canadense dizem que a instalação CHP incentivará o desenvolvimento econômico da comunidade indígena remota, fornecendo novos empregos e oportunidades na bioeconomia local. (MicrogridKnowledge – 08.03.2023) 
Link Externo

EUA: MCAS aumenta o tempo de ilhamento da sua microrrede

A Marine Corps Air Station (MCAS) Miramar concluiu recentemente um teste demonstrando que pode aumentar o tempo de ilhamento de sua microrrede para que toda a base militar, composta por centenas de edifícios, possa ser ilhada por até 21 dias. Em 4 de fevereiro, pela primeira vez, a estação aérea integrou à microrrede um gerador de reserva a diesel com capacidade de paralelismo elétrico. Isso permite que ele sirva como um recurso adicional de energia distribuída dentro da microrrede e aumente o suprimento de combustível no local da base, permitindo maior tempo de ilhamento. Normalmente, geradores de backup fornecem energia para um edifício isolado. Mas, neste caso, o gerador se conecta a todo o sistema de microrrede ilhado, contribuindo da mesma forma que as outras fontes de energia da microrrede. Integrado à microrrede, o gerador de reserva provavelmente produzirá menos emissões do que os geradores de reserva tradicionais, que muitas vezes não têm controle de emissões. (MicrogridKnowledge – 03.03.2023) 
Link Externo

Tecnologias e Soluções Digitais

ComEd: Expansão de programa de drones para inspeção remota de ativos

A inspeção digital de ativos por meio de drones é uma prática crescente no setor de concessionárias de energia elétrica, que está sempre buscando maneiras de agilizar as operações e melhorar a resiliência. Usando a nova tecnologia Skydio Drone Dock, as equipes da ComEd, concessionária de energia do estado de Illinois, testarão soluções de monitoramento remoto por drones que permitirão recursos de vigilância no local sem despachar caminhões de equipes para realizar inspeções pessoais. A Federal Aviation Administration (FAA), que regula a operação comercial de drones, permite que organizações como a ComEd solicitem isenções operacionais que permitem aos pilotos operar drones remotamente sem uma linha de visão visual. Os drones incluídos no programa Drone Dock serão equipados com uma câmera de alta resolução e ferramentas de termografia, que permitirão que os drones capturem dados, imagens digitais e vídeos de todos os ângulos do equipamento da rede, que serão revisados para ajudar a resolver preventivamente futuras falhas do equipamento. (Smart Energy - 07.03.2023) 
Link Externo

Enzen: Tecnologia promove digitalização de dados de empresas de energia elétrica

A Enzen, uma consultoria global especializada em energia e serviços de água, firmou uma parceria com a empresa de software TOKN para lançar uma solução baseada em Plataforma de Integração como Serviço (IPaaS) para concessionárias de energia australianas a fim de digitalizar e automatizar a coleta e o gerenciamento de dados. O ZenConnect se trata de uma solução móvel personalizável que permite que operadores de campo de energia, água e gás acessem informações em tempo real sobre ativos de rede. Assimilando dados de diferentes fontes e sistemas, espera-se que o ZenConnect ofereça às equipes de ativos, clientes e cadeia de suprimentos uma experiência simplificada na gestão de dados das empresas de energia elétrica. A plataforma funciona por meio de uma interface única que permite aos operadores acessar os dados de localização, local, desempenho e histórico de inspeção, com o objetivo de melhorar o gerenciamento do fluxo de trabalho, a eficiência operacional e a produtividade. (Smart Energy - 06.03.2023) 
Link Externo

National Grid: Lançamento de cão robótico que fareja falhas na rede elétrica

A National Grid concluiu recentemente um teste usando o cão robótico, Spot, da Boston Dynamics para ajudar na manutenção de rotina e na detecção de falhas em seus locais de interconexão no Reino Unido. O robô Spot tem o tamanho de um Labrador e procura problemas com equipamentos de interconexão. Os cães usam o software LiDAR para digitalização e mapeamento 3D, bem como imagens visuais, imagens térmicas e imagens acústicas para encontrar anormalidades. As máquinas acessam áreas que os engenheiros humanos não podem enquanto o ativo está operacional. Assim, espera-se reduzir os tempos de interrupção e melhorar a disponibilidade de ativos e a segurança dos engenheiros. Os cães procuram pontos quentes e falhas incipientes que precisam de atenção extra, coletando dados da mesma maneira todas as vezes. Os resultados do piloto estão sendo analisados para determinar se é algo em que a empresa deseja investir no futuro. (Smart Energy - 02.03.2023) 
Link Externo

Segurança Cibernética

EUA: Plano NEVI prioriza a segurança cibernética para a infraestrutura de carregamento de VEs

O plano Infraestrutura Nacional de Veículos Elétricos (NEVI) da Administração Biden, apoia a criação de um corredor nacional de carregamento de VEs com o objetivo de os EUA alçarem 500 mil estações de carregamento de VE até 2030. Embora este programa seja projetado para ajudar a atender à crescente demanda de carregamento de VE, as concessionárias locais devem estar preparadas para acompanhar a integridade e os serviços da rede, incluindo ataques cibernéticos. Este é um desafio complexo que exigirá esforços públicos e privados para resolver, mas que deve ser enfrentado com urgência. A Lei Bipartidária de Infraestrutura, que apoiou o lançamento do programa NEVI, também apresenta a implementação obrigatória de segurança cibernética e orientações que devem ser incluídas em todas as propostas instalações, de forma que garanta que a estação ou veículo não seja comprometido por atores mal intencionados. (TD World – 07.03.2023) 
Link Externo

EUA: Casa Branca lança Estratégia Cibernética Nacional

O governo Biden revelou recentemente sua tão esperada estratégia cibernética nacional, um plano de política projetado para combater a crescente ameaça de atividade maliciosa contra os EUA de criminosos cibernéticos. A política levará o setor de tecnologia a arcar com mais responsabilidade pelo risco cibernético, ao mesmo tempo em que promove investimentos de longo prazo e cooperação global contra ameaças comuns. As autoridades querem transferir o fardo da resiliência cibernética para longe dos consumidores de tecnologia com poucos recursos e colocar mais responsabilidade nos gigantes multibilionários da tecnologia que durante anos venderam a seus clientes software e sistemas de computador cheios de falhas técnicas. A estratégia se baseia em cinco pilares principais: defender a infraestrutura crítica, interromper e desmantelar os atores de ameaças, moldar as forças do mercado para impulsionar a segurança e a resiliência, investir em um futuro resiliente e formar parcerias internacionais para buscar objetivos compartilhados. (CyberSecurityDive – 02.03.2023) 
Link Externo

EUA: TSA revela requisitos de segurança cibernética para companhias aéreas e aeroportos

A Administração de Segurança de Transporte (TSA) exigirá que companhias aéreas e aeroportos regulamentados por agências aumentem sua capacidade de resistir a ataques maliciosos. A medida ocorre menos de uma semana depois que o governo Biden anunciou sua estratégia nacional de segurança cibernética e meses depois que requisitos semelhantes foram revelados para transportadoras ferroviárias de passageiros e carga. As companhias aéreas e os aeroportos regulamentados são obrigados a desenvolver um plano de implementação que inclua as seguintes etapas: desenvolver políticas e controles de segmentação de rede para garantir que os sistemas de tecnologia operacional possam continuar a funcionar com segurança no caso de comprometimento; criar medidas de controle de acesso para impedir o acesso não autorizado a sistemas cibernéticos críticos; implementar procedimentos contínuos de monitoramento para responder a anomalias em operações críticas de sistemas cibernéticos; e aplicar atualizações de segurança usando metodologia baseada em risco. (CyberSecurityDive – 08.03.2023) 
Link Externo